Como calcular a sua frequência cardíaca: 8 passos

Indicativo de quantas vezes o coração bate por minuto é um dos índices mais utilizados na medicina para avaliar a saúde dos pacientes.

Como Calcular a Sua Frequência Cardíaca: 8 Passos

Quais são os valores ideais de frequência cardíaca para um ser humano? A resposta para essa pergunta depende de uma série de fatores. Homens e mulheres, por exemplo, têm parâmetros de avaliação distintos nesse sentido. Da mesma forma, estar em repouso ou em atividade física também resulta em variações.

Em linhas gerais, podemos indicar que, para um adulto, atingir entre 60 e 100 batimentos por minuto (bpm) significa uma condição ideal. Porém quais são os limites aceitáveis para cada faixa etária? E mais, o que significa ter batimentos cardíacos abaixo ou acima da média considerada regular? E quando devemos procurar um cardiologista?

Qual é a frequência cardíaca ideal?

Antes de tudo, precisamos compreender que a frequência cardíaca ideal varia de acordo com uma série de características, entre elas a idade. Com o passar do tempo, a tendência é que a frequência cardíaca diminua. Em oposição, nos recém-nascidos o índice é mais alto.

  • De 0 a 2 anos  – entre 120 e 140 bpm;
  • Entre 8 e 17 anos – entre 80 e 100 bpm;
  • Adulto sedentário – entre 70 e 80 bpm;
  • Adultos praticantes de atividades físicas e idosos – entre 50 a 60 bpm.

Vale lembrar que esses valores funcionam como uma faixa de segurança, ou seja, permitem algumas variações para mais ou para menos. Há uma fórmula para se calcular a Frequência Cardíaca Máxima (FCM). A equação é simples:

FCM = 220 – sua idade

Por exemplo, uma pessoa com 35 anos de idade não deve praticar atividades físicas ou se colocar em situações que elevem a sua frequência cardíaca acima de 185 bpm.

Outra fórmula possível de ser utilizada é conhecida como Fórmula de Tanaka. Sua equação é a seguinte:

FCM = 208 – 0,7 x idade

Nesse caso, uma pessoa com 35 anos de idade teria como frequência cardíaca máxima o valor de 183,5 bpm, um valor muito próximo ao obtido no primeiro cálculo. Exames específicos recomendados pelo seu médico podem indicar qual é a FCM máxima para o seu organismo.

Variações na frequência cardíaca

Quando a frequência cardíaca está acima dos 100 bpm isso significa que o coração está batendo de forma acelerada. Em muitas circunstâncias, essa é uma reação natural e não chega a ser preocupante. Por exemplo, diante de fortes emoções, de situações que provoquem ansiedade, durante a realização de exercícios ou atividade sexual, entre outras.

Essa característica é conhecida como taquicardia. Ela indica que há pressão está alta (acima de 140 x 90 mmHg) e se continuar subindo a pessoa está sujeita a sofrer um infarto. Dores no peito, no braço, sensação de má digestão, tontura e suor frio são alguns dos sintomas que, se percebidos, indicam a necessidade de procurar auxílio médico imediatamente.

Como Calcular a Sua Frequência Cardíaca: 8 Passos

Em oposição, há ainda os casos em que a frequência cardíaca é reduzida para menos do que 60 bpm. Isso pode ocorrer em função da idade ou do uso de certos medicamentos para o coração.

Todavia, bloqueios cardíacos ou disfunções do nódulo sinusal são condições que resultam na redução da FCM. O nome dessa condição é bradicardia.

Novamente, a recomendação é buscar auxílio médico se exames mostrarem essa condição.

Seguindo as orientações de frequência cardíaca mínima e máxima, chegamos a um tabela aproximada da frequência cardíaca normal em repouso, para homens e mulheres, de acordo com a faixa etária.

Tabela de Frequência Cardíaca Normal para homens em repouso

Como Calcular a Sua Frequência Cardíaca: 8 Passos

Tabela de Frequência Cardíaca Normal para mulheres em repouso

Como Calcular a Sua Frequência Cardíaca: 8 Passos

Caso em repouso seja percebida uma FCM maior do que o valor normal para a faixa etária, isso pode indicar uma baixa capacidade cardíaca. A prática de exercícios regulares é a principal alternativa para fortalecer a capacidade muscular, permitindo que o coração consiga bombear mais sangue com menos esforço, o que resulta na redução da FCM.

Como medir a frequência cardíaca

Atualmente, é muito mais simples medir a frequência cardíaca do que já foi no passado, pois aparelhos que fazem isso hoje são muito mais acessíveis. Ainda que de forma imprecisa, até mesmo os smartphones são capazes de registrar os batimentos cardíacos de quem quer que seja.

Porém, é possível fazer isso mesmo sem acesso a nenhum equipamento. Coloque os dedos indicador e médio na parte lateral do pescoço e note que será possível sentir a pulsação. Conte, durante um minuto, quantas pulsações ocorrem. Outra opção é contar os batimentos durante 15 segundos e multiplicar os resultados por 4.

Como Calcular a Sua Frequência Cardíaca: 8 Passos

Apesar de ser possível mensurar seus batimentos cardíacos em casa, seja por meio do smartphone ou de relógios e pulseiras que contem com recursos como esses, essa forma de aferição não substitui, de forma alguma, exames médicos mais precisos requeridos pelo seu médico. Portanto, visite periodicamente o seu cardiologista para conferir se não há nenhuma alteração na sua condição cardíaca que requeira atenção. 

Acesse o site do Medprev e agende sua consulta!

Fonte(s): Revista Superinteressante, O Globo, IG Saúde, Drauzio Varella, Tua Saúde e Lusíadas.

Aprenda a monitorar seus batimentos cardíacos usando o seu celular

Nível: Básico Aplicativo: Instant Heart Rate para Android ou para iPhone Passos: 08

Você deve ter lido o título deste tutorial e pensado: como um celular pode identificar meu ritmo cardíaco? Pois é. Em apenas quinze segundos é possível saber o seu batimento. Isso, graças ao Instant Heart Rate, um aplicativo fantástico capaz de mensurar a sua pulsação sem precisar de nenhum gadget adicional ou equipamento externo – apenas o seu smartphone.

Como Calcular a Sua Frequência Cardíaca: 8 PassosInstant Heart Rate (Foto: Divulgação)

Certamente a essa hora você deve estar curioso para entender como funciona realmente este recurso do aplicativo. Pois bem…

Colocando o seu dedo indicador sobre a lente da câmera o aplicativo consegue detectar suaves mudanças na coloração da pele, causadas pelo fluxo de sangue entre cada batida do coração. Assim, então, ele consegue medir seus batimentos cardíacos.

  • Para transformar seu iPhone ou Android em um monitor de frequência cardíaca, siga as instruções abaixo e monitore o seu coração seja aonde estiver:
  • Passo 1. Busque na Android Market o aplicativo Instant Heart Rate (ou no iTunes, clicando aqui);
  • Passo 2. Clique em “Install” e aguarde o download e a instalação;
  • Passo 3. Execute o aplicativo e clique em “Start Using”, no final da tela de boas vindas do aplicativo;
  • Passo 4. Clique no botão de Menu do seu smartphone e vá em “Settings”;

Como Calcular a Sua Frequência Cardíaca: 8 PassosOpções de compartilhamento (Foto: Divulgação)

Passo 5. Marque a opção “Automaticaly end measure” para que o monitoramento cardíaco finalize em 15 segundos após identificar seus batimentos cardíacos;

Passo 6. Retorne à tela principal do aplicativo. Pressione levemente o seu dedo indicador contra a lente da câmera de seu aparelho por uns 15 segundos. É importante estar em um ambiente bem iluminado, de preferência com luz natural, e que você não pressione tanto a câmera. Se o seu smartphone tiver flash o resultado pode ser muito melhor e mais preciso;

Passo 7. Em seguida, aguarde a definição do Instant Heart Rate e veja a sua frequência cardíaca;

Calculando sua FCmax e sua importância para a escalada

Este ultimo final de semana, enquanto escalava no “Pântano”, (www.abrigopantano.com) acabei conversando um montão sobre esse assunto com o meu parceiro de

Leia também:  Como beijar sendo jovem: 4 passos (com imagens)

escaladas, o Felipe Moura.

O treino aeróbico pode não ser muito importante (mas é !) para o
escalador esportivo, mas ele é fundamental para o escalador de alta
montanha ou mesmo para o escalador tradicional, afinal de contas, chegar

  • Neste artigo estou supondo que você já saiba da importância de
    treinar dentro de uma determinada faixa de batimentos cardiácos por
  • minuto, a tal da Zona Alvo de Treinamento.
  • O problema (se é que existe algum) é que o cálculo da Freqüência
    Cardíaca Máxima de forma decente não é tão trivial assim, e é a partir
  • deste valor que é montada ou calculada a Zona Alvo de Treinamento…
  • Enfim, ele vinha fazendo seus treinos aeróbicos e definindo sua zona
    alvo de treinamento a partir da fórmula do Karvonen… que diz que FCmáxima = 220 – idade.
  • Nem é preciso dizer que hoje você compra um ótimo monitor cardíaco
    (nem precisa ser da “Polar”) por cerca de R$ 150,00, e que obviamente
    não existe treino aeróbico sério sem que você tenha um monitor cardíaco
  • para te dizer se você está ou não dentro de sua “zona alvo”.
  1. O problema é que a “Zona Alvo” depende fundamentalmente de
    encontrar-se um valor o mais preciso possível para a sua reqüência
  2. Cardíaca Máxima.
  3. É que para o cálculo da Freqüência Cardíaca Máxima (FCmáx) o método
    mais utilizado e simples é o simplesmentes calcular-se da seguinte
  4. forma :

FCmáx = 220 – idade da pessoa (Karvonen e col.,
1957), mas Essa é uma
fórmula empírica e cheia de erros !

  • Ela deveria ser utilizada para pessoas entre 10 a 25 anos, e a partir de 25 anos acrescentar-se uma tolerância de 12 BPM
  • (batimentos por minuto) para mais ou para menos.
  • Antes de vermos uma forma mais adequada para o cálculo da FCMax,
    vamos estabelecer alguns parâmetros :
  • • FCrep = Freqüência Cardíaca em Repouso (deve ser obtida
    preferencialmente de manhã, ao acordar, se possível inclusive ainda
    deitado na cama). É também conhecida como Freqüência Cardíaca Basal

  • • FCreserva = Freqüência Cardíaca de Reserva = FCmáx – FCrep
  • Existem  algumas outras fórmulas um pouco mais precisas :
  • Frequência Cardíaca Máxima para indivíduos destreinados (Sheffield e col, 1965) ) :

  • FCmáx = 205 – (0,42 x idade)
  • Exemplo: uma pessoa sedentária de 40 anos. Então FCMax=205-(0,42 X
    40) = 205 – (16,8) = 183 BPM
  • Frequência Cardíaca Máxima para indivíduos treinados (Sheffield e col, 1965) :
  • FCmáx = 198 – (0,42 x idade)
  • Vários estudos indicam que o indivíduo deve procurar manter-se dentro de uma “Zona Alvo de Treinamento” para atingir os seus objetivos , para
  • tanto : (ACSM – fonte: Filho, José Fernandes, 1999 )
  • FCmáx = 210- (0,65 x idade) (Jones e col, 1975)
    FCmáx = FCrep + 0,6 (FCmáx – FCrep) = Limite inferior (LI)
    FCmáx = LI + 0,675 (FCmáx – LI) = Limite superior (LS)

  • FC Recuperação = FCrep + 0,56 (FCmáx – FCrep)
  • Assim, existem 6  “zonas alvo” que correspondem diretamente a níveis
    de intensidade de exercício diferentes e por sua vez, utilizam-se de
    diferentes mecanismos de transporte metabólico e respiratório no
    organismo:
  • (ACSM – fonte: Filho, José Fernandes, 1999)
  1. exibidos na tabela acima :
  2. FCtreino = (FCmax – FCrep) x % + FCrep
  3. Exemplo, indivíduo com FCmax de 145 bpm e FCrep de 75 bpm que deseja
    fazer reabilitação (zona 01 da tabela acima) :
  4. = ( 145 – 75 ) x 40% + 75 = 103 bpm (limite inferior)
    = ( 145 – 75 ) x 60% + 75 = 117 bpm (limite superior)
  5. Então a freqüência de treino deste indivíduo será de 103 a 117
    batimentos por minuto.
  6. Para obter-se os valores realmente precisos de FCmax e FCrep é
    necessário realizar-se testes específicos de avaliação ergométrica
  7. direta, preferencialmente com a coleta de gases (espirometria).
  8. Para finalizar, disponibilizei em meu site uma planilha excel que vai ajudar (e muito) você a encontrar a sua “zona alvo” de treinamento :

http://www.marski.org/downloads/fcmax.xls
Acabei achando na internet uma cartilha super bacana para quem está dando os

primeiros passos em busca de uma vida com exercícios físicos :

http://www.ciaeducacional.com.br/educacional/Download/cartilha.pdf

Por último, se for possível tente obter orientação de um
profissional da Educação Física ou de um Fisiologista do Exercício. São
os profissionais que estudaram especificamente para elaborar e
acompanhar um treinamento decente de preparação física (incluindo a

parte aeróbica).

  • Abraços !
  • Davi Marski
  • www.marski.org
  • www.blog.marski.org

Atualizando em 10/abril/2010 :

(fonte : www.fiqueinforma.com/dica-de-produtos/o-… )

  1. O que é esse tal de VO2 max?
  2. Dissecando a expressão…
  3. * V = volume * O2 = oxigênio
  4. * max = máximo

VO2 max é a quantidade de oxigênio absorvido e usado pelas
células em repouso, durante o exercício ou na recuperação. (Barbanti, V.

Dicionário de Educação Física e Esporte)

  • Trocando em miúdos é volume máximo de oxigênio que seu
    corpo consegue usar para produzir energia a partir do ar que está dentro
  • dos pulmões em um minuto.
  1. Nosso corpo precisa produzir energia para todas as funções, não
    apenas para se exercitar. Essa produção de energia pode ocorrer de duas
  2. formas: anaeróbia (sem oxigênio) e aeróbia (com oxigênio).
  3. O VO2 max pode ser mensurado direta, através de testes de laboratório (cardiorespiratório ou ergoespirométrico) ou inderetamente, através de
    testes de campo e utilização de fórmula matemática. É claro que o
  4. cálculo indireto é menos preciso.

O VO2 max é influenciado pela genética, ou seja quem nasce com VO2
max baixo quando treinado consegue aumentar menos o seu valor de quem
parte de um valor maior. E também quanto mais treinada for a pessoa
menos conseguirá aumentar o valor do seu VO2 max. Com o treino é

  • possível aumentar de 5% à 15% depois o valor fica parado em um patamar.
  • Dessa forma o VO2 max é um preditor do condicionamento físico,
    através dele é possível saber o nível de condicionamento físico e o quão
  • condicionável é o indivíduo.
  • Alguns fatores influenciam nos valores do VO2 max, são eles:
  • * Percentual de gordura: quanto maior a quantidade de gordura
    menor o VO2 max * Idade: quanto mais velho menor o VO2 max
  • * Massa muscular: quanto mais massa maior o VO2 max

Como Calcular a Sua Frequência Cardíaca: 8 Passos

Qual a relação entre frequência cardíaca e gasto calórico do treino?

Crédito: iStock

Algumas pessoas que começam a praticar exercícios acham que transpirar é sinal de uma grande queima de calorias, mas existe algo a mais.

Usando uma relação de tempo e intensidade, estudos mostram que a queima de calorias se equivale mesmo com a grande diferença de tempo de exercício. Então, qual seria a frequência cardíaca ideal para emagrecer?

Principalmente em corredores, as zonas de treinamento definem a intensidade do esforço durante a atividade.

No momento em que os batimentos estão entre 50% e 60% da FC máx. (frequência cardíaca máxima), a queima de gordura é predominante, levando em consideração que outras valências físicas não são tão exigidas por se tratar de uma atividade de baixa intensidade.

Na segunda zona, quando os batimentos variam entre 70% e 80% da FC máx., a intensidade já é considerada maior.

 Nesse caso, o metabolismo precisa trabalhar mais para repor a quantidade de energia gasta.

Essa é a zona em que o corpo queima gordura e também se utiliza dos carboidratos, que estão disponíveis nas células em forma de glicogênio para gerar energia para o corpo.

Quando o condicionamento do praticante permite um exercício mais forte, entramos na terceira zona de treinamento, que está acima de 80% da FC máx.

Esse é o estágio em que estímulos já são mais curtos, exige uma capacidade pulmonar muito maior do que nos estágios anteriores, a força e resistência gerada nos músculos são tão intensas que não é possível suportar um estímulo mais longo como nas outras fases.

É o período onde se treina com dor e desconforto ao longo da atividade, e a queima de calorias é muito maior também, mesmo em períodos mais curtos. Após o exercício, devido ao alto nível de energia gasta, o corpo busca alcançar um equilíbrio. Por isso, ele continua a consumir as reservas de gorduras.

Como saber as zonas da sua frequência cardíaca

  • Existe um cálculo muito simples para saber as zonas da sua frequência cardíaca, não é uma fórmula precisa, apenas um cálculo que é usado como padrão de referência.
  • Ele se baseia no número de batimentos cardíacos de um recém nascido menos a idade atual: 220 – idade
  • Exemplo: Se a pessoa tiver 30 anos —> 220 – 30 = 190 FC máx.
  • Levando em consideração esse número:
  • Na primeira zona de treinamento de 50% a 60%, a FC seria entre 95 batimentos cardíacos aproximadamente.
  • Na segunda zona de treinamento de 70% a 80% a FC seria entre 140 batimentos cardíacos aproximadamente.
  • Na terceira zona de treinamento acima de 80% a FC seria entre 170 batimentos cardíacos aproximadamente.

Este é um cálculo básico, um parâmetro de aproximação, existem exames e testes que são muito mais específicos, o ideal é ter um profissional da área para dar os números exatos antes do exercício, e também para direcionar qual é a frequência ideal que ele deve chegar para queimar calorias.

Se você deseja ir mais fundo, existem alguns aliados importantes para monitorar e tornar o treino específico e seguro. Usar um frequencímetro facilita o encaixe na zona alvo do treino.

Para quem tem por objetivo perder peso, o recomendado é ultrapassar os 60% da FC máx. Mas um cuidado deve ser tomado, cada praticante se adapta de uma forma ao estímulo. O melhor é fazer uma avaliação para saber como começar. É importante também, com o passar dos treinos, alternar os estímulos para que seu organismo não se adapte e queime menos calorias.

Agora que você já sabe em qual zona alvo de treino deve se exercitar, é só por seu corpo pra se mexer e queimar umas boas calorias.

detecção contínua de batimentos cardíacos na pulseira Xiaomi/Amazfit

Quem nos conhece, já sabe: além de trazer as últimas notícias do mundo da tecnologia, uma das nossas prioridades é acrescentar mais conhecimento ao seu dia a dia, com dicas e tutoriais munidos de um fácil passo a passo para que você possa extrair o máximo de seus dispositivos e aplicativos.

Dando seguimento a essa rotina, apresentaremos na seção abaixo mais uma dica valiosa para você que tem uma pulseira ou relógio inteligente da Xiaomi ou da Amazfit. Ensinaremos como ativar e configurar a detecção contínua de batimentos cardíacos desses vestíveis usando o MiFit, aplicativo da Xiaomi com cartão para download ao final dessa matéria.

Curiosidade 09 Out

Curiosidade 10 Out

Ative a detecção contínua de batimentos na sua pulseira Xiaomi ou Amazfit

Como talvez muitos não saibam, além de poder emitir alertas de ociosidade e exibir notificações do seu smartphone, uma boa parte dos relógios e pulseiras da Xiaomi e Amazfit também são capazes de medir o batimento cardíaco de seus usuários; algo de grande importância em atividades físicas, por exemplo.

No entanto, nem sempre a frequência de medição configurada de fábrica pode ser o ideal para o seu dia a dia, sendo necessário alguns ajustes. Por conta disso, confira nas instruções a seguir como ativar a detecção – caso ainda não esteja ativada – e alterar a frequência de medição para um ritmo contínuo.

Mas atenção! Quanto maior for a frequência definida, maior será o consumo de bateria e, por consequência, menor será a autonomia do seu wearable. Logo, se passar mais horas longe das tomadas for um diferencial para a sua utilização, dê preferência a períodos de medição mais espaçados, mas que ainda preencham as suas necessidades.

Agora, sem mais delongas, vamos as instruções!

  • Primeiro, certifique-se que o Bluetooth do seu smartphone ou tablet está ligado, ele é necessário para estabelecer uma conexão com seu relógio ou pulseira.
  • Abra o MiFit no seu Android ou iOS.
  • Com o aplicativo aberto, toque na opção de Perfil localizada no menu inferior.
  • Em Meus dispositivos, toque sobre o modelo do seu relógio ou pulseira.
  • Deslize a tela de configuração do seu modelo para baixo e toque sobre a opção Detecção de frequência cardíaca.
  • A tela de configurações de frequência cardíaca será exibida.
  • Agora, toque sobre a opção Método de detecção e escolha entre as quatro opções exibidas:
    • Detecção automática de frequência cardíaca: o relógio ou pulseira irá detectar seus batimentos cardíacos automaticamente ao notar alguma movimentação e durante o período estabelecido no próximo passo.
    • Assistente de sono: o relógio ou pulseira irá focar na detecção de batimentos cardíacos durante o seu sono, entregando dados mais precisos sobre o tempo que passou dormindo.
    • Detecção automática de frequência cardíaca e assistente de sono: essa opção é a união das duas opções acima e é a que impacta mais severamente na bateria do seu dispositivo, já que mantém a detecção durante todo o dia.
    • Desativar: essa opção irá desativar a detecção de frequência cardíaca.
  • Com o método escolhido, toque em Frequência de detecção para definir qual será a frequência que o seu wearable coletará dados do seu batimento: 1 minuto, 5 minutos, 10 minutos ou 30 minutos. Quanto menor o tempo entre as medições, maior o consumo de bateria.
    • Caso a opção Assistente de sono tenha sido escolhida como método, não será possível escolher a frequência de detecção.

Pronto, você aprendeu a configurar a sua pulseira ou relógio! Para ter dados contínuos dos seus batimentos, ative a opção de Detecção automática de frequência cardíaca e assistente de sono e defina a frequência de detecção para 1 minuto. Essas são as definições mais extremas de detecção; o que deve implicar em uma queda significativa na autonomia do seu vestível.

Os passos acima, como citado, foram executados no MiFit, mas também podem ser reproduzidos de forma praticamente idêntica no aplicativo Amazfit. Ambas as aplicações estão disponíveis para Android e iOS.

E aí, gostou de mais essa dica? Conta para a gente aqui nos comentários e não esqueça de compartilhar esse tutorial com seus amigos!

Mi Fit

Desenvolvedor: Anhui Huami Information Technology Co., Ltd.

Preço: grátis

Tamanho: Não informado | 129 MB

Uso de monitor cardíaco é importante durante atividades físicas, defende médico | Esportes

O cardiologista Rizzieri Gomes fala sobre a importância do apetrecho que pode auxiliar na melhora do desempenho de atletas e evitar eventuais problemas durante o treino

Durante a prática de qualquer atividade física que exija um esforço mais do que o comum, é normal que os batimentos cardíacos fiquem mais acelerados e intensos.

Ter o controle sobre o ritmo com o qual o coração bate ajuda não só a evitar eventuais problemas cardíacos durante a prática, mas também a melhorar o desempenho do praticante que passa a administrar esses batimentos.

Uma forma de se fazer essa medição é através de monitores cardíacos – também conhecidos como frequencímetros. 

O uso do apetrecho é indicado para praticantes de modalidades esportivas de longa duração como corrida e triátlon.

Além dos batimentos cardíacos (medidos em batimentos por minutos, ou BPM), alguns modelos oferecem a opção de medir a distância percorrida, o número de passos dados e até o oxigênio consumado durante a atividade.

Com isso, é possível ter uma análise de como o corpo reage as diferentes intensidades na prática esportiva, gerando informações valiosas para um melhor desempenho em competições.

“Na atividade física a gente recomenda (o frequencímetro) também a quem está em reabilitação cardíaca, pacientes com insuficiência cardíaca e pacientes pós-infarto do miocárdio. Agora pessoas que são saudáveis não existe uma obrigatoriedade, mas existe a recomendação”, salienta o médico cardiologista Rizzieri Gomes, que atua há mais de quinze anos na área. 

Segundo o médico, existem tipos diferentes de frequencímetros, sendo os mais populares na forma de um relógio de pulso ou como uma tira elástica que deve ser colocada na região do tórax. Apesar de diferentes, ambas são capazes de exercer a mesma função, captando a freqüência cardíaca por meio das ondas de pulso.

“Quando o coração bate ele gera uma onda e é isso que os monitores cardíacos captam.

Eles possuem sensores, tanto esses de pulsos como os de tiras, que pegam tuas ondas de pulso pra fazer a medição da frequência cardíaca.

No caso dos medidores de pulso, são pegos da artéria radial, já as cintas são das incursões no tórax, do próprio batimento cardíaco”, explica o médico sobre o funcionamento do  aparelho.

Frequência cardíaca

Para se fazer o monitoramento adequado é importante ter em mente qual sua frequência cardíaca máxima (FCM). Para calcular este valor, Rizzieri aponta o uso da fórmula “220 – idade atual”.

Portanto uma pessoa com 25 anos tem sua freqüência cardíaca máxima de 195 BPM (220 – 25 = 195).

Isso indica que é necessário evitar qualquer esforço que ultrapasse o valor e é ai que o frequencímetro entra em cena para auxiliar.

“Às vezes há uma variação cardíaca durante o treinamento ou até na rotina e o monitor cardíaco pode te dar uma luz de que algo pode estar errado.

Já vi o caso de um homem que ao correr percebeu pelo frequencímetro que os batimentos estavam acima da freqüência cardíaca máxima mesmo sem tanto esforço e, ao ir a um cardiologista, descobriu que estava tendo um principio de infarto.

É uma ferramenta importante no dia a dia e as pessoas não sabem utilizar”, pontua o cardiologista.

Qual é a frequência cardíaca ideal durante o exercício?

É de conhecimento geral, especialmente entre os praticantes de atividade física, que a frequência cardíaca durante o exercício pode ajudar na perda de peso e na queima de gordura.

Além disso, o ritmo cardíaco durante o exercício ajuda a determinar se a pessoa é capaz de ir mais longe e alcançar melhores resultados ou se precisa ir mais devagar para não prejudicar a saúde. Portanto, ficar atento aos batimentos do coração é fundamental.

Estranhamente, muitas pessoas que se exercitam regularmente ou estão começando a se exercitar não sabem qual é a frequência cardíaca ideal e isso pode interferir no desempenho.

A primeira informação importante é: o número varia conforme a idade, o nível de condicionamento físico, a presença – ou ausência – de condições médicas e o nível de atividade física praticada no momento. Para esclarecer a questão, o site especializado Medical News Today  mostra as melhoras formas de acompanhar a frequência cardíaca para que ela não seja muito baixa ou muito alta. Confira. 

Idade x frequência cardíaca

A frequência cardíaca máxima é de 220 batimentos por minuto (bpm). Para determinar o valor adequado para um indivíduo de 20 anos, por exemplo, basta fazer o seguinte cálculo: frequência cardíaca máxima – idade (neste caso: 220-20=200).

De acordo com a Associação Americana do Coração (AHA, na sigla em inglês), durante o exercício, a frequência cardíaca deve ficar entre 50% e 85% do valor máximo, levando em consideração a idade.

Ou seja, uma pessoa de 20 anos deve manter os batimentos cardíacos entre 100 bpm e 170 bpm.

Veja a tabela a seguir:

Continua após a publicidade

 Idade   Frequência cardíaca (bpm)
20 100-170
30 95-162
35 93-157
40 90-153
45 88-149
50 85-145
55 83-140
60 80-136
65 78-132
70 75-128

Ao iniciar a prática de exercícios, o indivíduo deve manter a frequência dentro do limite menor (50%) e aumentar gradualmente ao longo do tempo até atingir o limite maior (85%). Esse processo ajuda a treinar os músculos para responder a esforços repetidos e o coração a fazer menos esforço para bombear o sangue.

Quando o coração se esforça menos, reduz-se a frequência cardíaca em repouso (quando se está parado ou praticando tarefas cotidianas). Geralmente, esse número fica entre 60 bpm e 100 bpm.

Quanto menor for o valor, melhor é o condicionamento físico da pessoa. Um atleta profissional, por exemplo, consegue manter-se em 40 bpm.

Estudo publicado no periódico científico Canadian Journal of Cardiology mostrou que uma baixa frequência cardíaca em repouso está associada a maior longevidade e menos problemas de saúde.

Pesquisa publicada na revista científica Frontiers in Cardiovascular Medicine indica que a melhor forma de alcançar esses resultados é a prática regular de atividade física, o que ajuda a diminuir riscos de saúde como ataque cardíaco e acidente vascular cerebral (AVC). Outro trabalho, publicado no Journal of Psychiatric Research, revela que o exercício pode ter efeito antidepressivo em pessoas que sofrem com o transtorno.

Como monitorar a frequência cardíaca?

O método mais básico de acompanhar a frequência cardíaca é contar os batimentos manualmente – uma técnica muito vista em filmes para verificar se uma pessoa está viva. Para fazer isso, basta colocar dois dedos no pulso oposto. No pescoço também é possível, mas no pulso é mais fácil.

Continua após a publicidade

Com as pontas dos dedos pressionando levemente, sinta e conte o número de pulsações durante 30 segundos (tenha um relógio para acompanhar o tempo). Agora, multiplique o número obtido por dois. O valor final indica a quantidade de pulsação por minuto. Outra maneira – bem mais fácil – de acompanhar os batimentos cardíacos, é usar monitores ou relógios que medem a frequência cardíaca.

Frequência cardíaca alta

Aumentar a frequência cardíaca ajuda a melhorar o condicionamento físico e elevar a queima de calorias. No entanto, a elevação excessiva pode, na verdade, prejudicar a saúde do coração.

Os sinais que demonstram frequência cardíaca elevada, incluem: aperto no peito, dificuldade para respirar e relativa incapacidade de falar enquanto se exercita. Uma vez que esses sintomas tenham sido notados, a pessoa deve reduzir a velocidade e controlar a respiração.

Caso exista dor no peito durante o exercício, recomenda-se procurar um médico, pois pode indicar um problema mais grave.

No caso de pacientes que tomem algum medicamento que diminua a frequência cardíaca ou afete a maneira como o coração responde ao exercício, o médico deve ser consultado para que receba instruções sobre os níveis seguros de exercício. O mesmo vale para quem tem histórico de arritmia ou ataque cardíaco.

Frequência cardíaca e perda de peso

Uma vez que a frequência cardíaca tenha aumentado, o organismo precisa gastar mais energia para se manter funcionando. Essa energia é produzida através da queima de glicose (carboidratos) e de gordura.

  • Atividade Física
  • Cardiologia
  • Saúde

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*