Como calcular a massa de um objeto: 9 passos

Você está em:
Home \ Controle Financeiro \ 7 passos para calcular o preço de venda de um produto – teoria e prática

Para iniciar uma nova empresa é tão importante um amplo estudo de viabilidade e ter bem calculado seus custos fixos e variáveis, quanto calcular o preço de venda do(s) produto(s). Quem inicia um negócio sem conhecer os custos reais da empresa corre o risco de ser mais um nas estatísticas de empresas sem sucesso.

  • Além de conhecer bem as contas da empresa, outro ponto fundamental é não misturar as contas pessoais com as contas da pessoa jurídica. Depois de ler esse artigo, confira também: 10 dicas para manter o controle entre o Caixa da Empresa e o Caixa Pessoal
  • É fundamental conhecer os custos para saber:
  • – Se o valor de venda do produto ou serviço é competitivo;
  • – Se o custo é alto consequentemente o valor de venda irá ficar muito acima da média de mercado, podendo inviabilizar o lançamento ou venda do produto.
  • O objetivo aqui é explicar de maneira objetiva como calcular o preço de venda, a partir dos custos do produto, que envolvem: valor de compra ou custo da fabricação, custos fixos, custos variáveis, etc.

O que são custos fixos e custos variáveis?

Antes de irmos para a prática, é importante saber o que são custos fixos e custos variáveis e como identificá-los no seu negócio.

Significado de custos fixos (ou gastos fixos):

  1. São aqueles que acontecem independente da quantidade de produtos fabricados ou vendidos.

  2. Exemplo:
    – Aluguel;
    – Conta de telefone;
    – Luz e água;
    – Manutenção;
    – Despesas administrativas;
    – Propaganda;
    – Pró-labore;
    – Salários;
  3. – Outros.

  4. Ou seja, se a empresa vender no mês 100 unidades do produto “X” ou se não vender nada, terá estas despesas/custos do mesmo jeito, seria sua estrutura mínima para funcionamento do negócio.

Significado de custos variáveis (ou gastos variáveis):

  • São aqueles que variam diretamente com a quantidade de produtos fabricados ou vendidos.
  • Exemplo:
    – Venda de produto que precisa de embalagem, quanto mais produtos mais quantidade de embalagem;
    – Fabricação de produto que necessite de aquisição de matéria prima, quanto mais produtos a serem fabricados, mais matéria prima a comprar;
  • – Custo de frete/entrega, quanto mais produtos a serem enviados mais fretes a pagar.
  • Então nestes casos, o custo acontecerá, ou terá sua variação, conforme a quantidade fabricada ou vendida de produtos.

>> Controle o FLUXO DE CAIXA do seu negócio. Baixe uma planilha grátis aqui!!!

Passo a passo para fazer o cálculo do preço de venda de um produto

  1. Vamos considerar aqui uma empresa que compra e revende produtos (não fabrica), portanto, não vamos abordar custos inerentes à fabricação.
  2. Para fins de exemplo, consideraremos também que a empresa vendeu 250 produtos dentro de um mês.

  3. Portanto, vamos adotar o método de rateio direto dos custos divididos igualmente pela quantidade de produtos, não separando eventuais produtos que exigem mais tempo de manuseio e/ou tempo gasto para preparação, estocagem e embalagem para envio (neste caso, teria que adotar outro método de rateio, por exemplo, método de custeio por absorção, etc).

Muito importante: Observe que para se ter um preço de venda competitivo seus custos não podem ser altos ou “pesar” muito na formação de preço de venda. Então quanto maior a quantidade de produtos girando com mesmo custo fixo, menor será o impacto destes custos na formação de preço.

Como Calcular a Massa de um Objeto: 9 Passos

Primeiro passo: Os custos fixos

Como Calcular a Massa de um Objeto: 9 Passos

Segundo passo: O rateio dos custos fixos

Como Calcular a Massa de um Objeto: 9 Passos

Terceiro passo: Custo variável

Como Calcular a Massa de um Objeto: 9 Passos

Quarto passo: Custo total do produto

Como Calcular a Massa de um Objeto: 9 Passos

Quinto passo: Como calcular o mark up

Como Calcular a Massa de um Objeto: 9 Passos

Sexto passo: Mark up divisor

Como Calcular a Massa de um Objeto: 9 Passos

Sétimo passo: Preço final de venda

Como Calcular a Massa de um Objeto: 9 Passos

Conferência do cálculo

Como Calcular a Massa de um Objeto: 9 Passos

O que você não deve fazer ao calcular o preço de venda de um produto

Muitos cometem esse erro ao calcular o preço de venda.

Qual seja: Somam o valor do produto, exemplo, R$ 54,20 + impostos + comissões (ou outros variáveis), + a margem/lucro e Totalizam como preço de venda. Observe a seguir:

Como Calcular a Massa de um Objeto: 9 Passos

Preço de venda calculado da maneira errada

Descubra se o cálculo está certo ou errado

  • Portanto, no primeiro exemplo 16,68 corresponde exatamente a 20% de margem de lucro pretendida.
  • É preciso saber os custos detalhadamente e usar o mark up divisor para não errar na precificação.
  • No último exemplo (cálculo por fora) pretendia-se 20% de lucro, mas na verdade o que restou (7,99) correspondia a somente 10,93% do valor de venda.

Tome cuidado com os cálculos de custos para não ser surpreendido no fechamento do mês. E lembre-se que também existem outros itens a serem considerados nos custos fixos da empresa, como a taxa de depreciação. Leia aqui como calcular a taxa de depreciação de maquinas e equipamentos.

Como anda o fluxo de caixa da sua empresa? Você controla tudo através de uma planilha? Caso precise se organizar melhor, baixe gratuitamente essa PLANILHA DE FLUXO DE CAIXA.

Leia também:  Como bater faltas como o cristiano ronaldo: 8 passos

Agora que você já aprendeu o básico, está na hora de analisar os seus custos (fixos e variáveis) e calcular o quanto de fato os seus produtos têm gerado de lucro a cada venda.

A busca por uma margem de lucro que garanta o crescimento da empresa deve ser constante. Só assim as surpresas desagradáveis podem ser evitadas!

>> Leita também: 5 dicas para aumentar as suas vendas a partir deste mês!

Atua na área Administrativa financeira de empresas, finanças pessoais, Comercial e Gestão.
Com diversos cursos de aperfeiçoamento nestas áreas.
Bacharel em Economia – FAE Business School – Bom Jesus – Curitiba
Pós-Graduação em Finanças Avançadas – Fae Business school – Bom Jesus – Curitiba.

Densidade de sólidos irregulares (Princípio de Arquimedes)

No texto Densidade, foi mostrado que essa grandeza é a relação entre a massa de um material e o volume por ele ocupado (densidade = massa/volume).

Assim, calcular a densidade de líquidos e de sólidos regulares é fácil. Os líquidos podem ser “pesados” em uma balança, descobrindo sua massa, e medidos em algum cilindro graduado, como uma pipeta ou proveta, para descobrir seu volume. Depois é só jogar na fórmula da densidade.

Já os sólidos regulares podem também ser “pesados” na balança para se descobrir sua massa, e seu volume é dado por meio de fórmulas específicas.

Por exemplo, se for um cubo ou um paralelepípedo, basta medir a altura (h), o comprimento (c) e a largura (l), multiplicando essas três grandezas.

Isso é mostrado logo mais abaixo, bem como as fórmulas para se calcular o volume de outros tipos de sólidos regulares:

Como Calcular a Massa de um Objeto: 9 Passos

Nas fórmulas acima, “b” corresponde à base (por exemplo, se a base da pirâmide for de quatro lados, então b = 4), “r” é o raio e “π” é igual a 3,14.

Mas e se o sólido for irregular, como uma pedra, por exemplo? Como descobriremos seu volume e, consequentemente, como iremos calcular sua densidade?

Nesse caso, não se desespere, pois existe uma forma bem simples de determinar o volume de sólidos irregulares, que é o Princípio de Arquimedes, chamado assim porque foi descoberto no século III a. C. por esse matemático grego. Ele descobriu que o volume de água deslocado por um sólido irregular é exatamente igual ao volume do próprio sólido.

Não pare agora… Tem mais depois da publicidade 😉

Como Calcular a Massa de um Objeto: 9 Passos Um selo impresso na Grécia que mostra Arquimedes de Siracusa e atrás a sua descoberta do volume de sólidos irregulares, por volta de 1983 *

Por exemplo, digamos que você quer descobrir a densidade de um pedaço de ferro de forma irregular. Depois de determinar a massa desse objeto, você determinará o volume dele fazendo o seguinte:

  1. Coloque determinado volume de água em uma proveta;
  2. Depois pegue o pedaço de ferro e coloque-o totalmente submerso nessa proveta;
  3. Observe qual foi a diferença no volume da água. Pronto! Esse é o volume do sólido!

Como Calcular a Massa de um Objeto: 9 Passos

  • Por exemplo, digamos que a massa “pesada” deu igual a 39,5 g e que o volume de água na proveta aumentou de 50 mL para 55 mL, então a diferença do volume, isto é, 5 mL, corresponde ao volume do pedaço de ferro. Calculando a densidade dele, temos:
  • d = m        V
  • d = 39,5 g          5 mL
  • d = 7,9 g/mL
  • Essa é exatamente a densidade do ferro a 20ºC.

Pode-se dizer também que quanto menos o volume de água for deslocado, menos denso é o objeto.

* Créditos da imagem: Lefteris Papaulakis  / Shutterstock.com

Como calcular a quantidade de concreto utilizada? – Tecnosil – Tecnosil

Postado em 10:00h em Concreto por Marketing Tecnosil

Em uma obra, todo gasto pode fazer diferença. Saiba como fazer o cálculo de volume de concreto para não faltar e nem sobrar muito material.

Você sabia que, mesmo antes de começar uma obra, é possível saber a quantidade de concreto que vai ser utilizada? Ao comprar a quantidade de concreto correta, você evita gastos desnecessários e sobra de materiais. O melhor de tudo: o cálculo de volume de concreto é bem fácil de fazer.

O mais importante é se atentar aos detalhes, já que os volumes planos e cilíndricos têm formas diferentes de serem calculados. Neste artigo, vamos ensinar como fazer o cálculo de volume de concreto para cada tipo e, também, ensinar detalhadamente a forma correta de fazer o cálculo para uma laje maciça.

Como Calcular a Massa de um Objeto: 9 Passos

Um dos passos mais importantes antes de iniciar uma obra é fazer o cálculo de volume de concreto necessário para a execução.

Como calcular a quantidade de concreto para volumes planos e cilíndricos?

Para que tudo saia conforme planejado, é altamente indicado calcular previamente o volume de concreto que será utilizado em cada fase da obra. O cálculo de volume de concreto é feito em metros cúbicos (m³), e pode ser usado na construção de pilares, cintas, vigas e até mesmo lajes.

Leia também:  Como aplicar protetor labial: 10 passos (com imagens)

A fórmula básica é a seguinte: V = L x C x H, sendo V = volume, L = largura, C= comprimento e H = altura. Porém, é preciso se atentar a algumas diferenças na hora de fazer essa conta para volumes planos ou cilíndricos.

Volumes planos

Quando se trata do cálculo de volumes planos em m³, se usa a largura multiplicada pelo comprimento e altura. Por exemplo: se a laje a ser construída tiver 15m de largura, 10m de comprimento e 10cm de altura, a conta fica da seguinte forma:

V = 15,00 x 10,00 x 0,10 = 15m³

Volumes cilíndricos

No caso de volumes cilíndricos como estacas ou pilares cilíndricos, por exemplo, a fórmula para o cálculo de volume do concreto tem algumas alterações. Ela passa a ser V = Pi x R² x H, sendo V = volume, Pi = 3,1416, R² = raio ao quadrado e H = altura.

No caso de uma estaca com 50cm de diâmetro e 10m de profundidade (que é a altura, nesse caso), fazemos o cálculo da seguinte forma: V = 3,1416 x 0,25 (x2) x 11.

É importante fazer esse cálculo com os números exatos, pois uma pequena alteração pode ter bastante influência na quantidade de cimento a ser utilizada.

E como calcular a quantidade de concreto para uma laje?

Agora você saberá com mais detalhes os passos para fazer o cálculo de volume de concreto de uma laje maciça que terá as vigas concretadas junto com as lajes. Neste exemplo, leve em consideração uma garagem simples, quadrada, com 5m em cada lado. Ela terá 12cm de espessura e quatro vigas de concreto com largura de 20cm e altura de 50cm.

Como Calcular a Massa de um Objeto: 9 Passos

Calcular o volume de concreto que será utilizado na laje ajuda em um melhor planejamento da obra.

1 – Calculando o volume de concreto para uma laje maciça

Antes de qualquer coisa, é preciso fazer o cálculo de volume de concreto da laje. Para isso, você pode usar uma fórmula de volume para objetos prismáticos, que é V = A x E, sendo V = Volume, A = Área da laje e E = Espessura da laje em m³.

No exemplo citado, a área da laje é calculada 5,0 x 5,0, que resulta em 25m² e espessura de 0,12m. Para calcular o volume de concreto, multiplica-se 25,0 x 0,12, resultando em 3,0. Com isso, descobrimos que o volume necessário para concretar a laje será 3m³.

2 – Calculando o volume de concreto das vigas

Após saber o volume de concreto da laje, é preciso calcular o volume de concreto para as vigas. Para isso, é feito um processo bem parecido com o da laje, mas existe um fator que precisa ser levado em consideração: dos 50cm das vigas, 12 já foram considerados no volume de concreto da laje.

  • Então, para calcular a área da viga, deve ser feito 0,20 x (0,50 – 12) = 0,076 m². E, depois, para o volume de concreto e cada viga:
  • Volume = (área da seção das vigas) x (comprimento das vigas) m³
  • Volume = 0,076 x 20,0 = 1,52m³

3 – Somando o volume de concreto total

A terceira coisa a se fazer é somar os volumes calculados anteriormente usando a fórmula: Volume Total = volume de concreto da laje + volume de concreto das vigas. No caso do exemplo, ficará assim: Volume Total = 3,00 + 1,52 = 4,52m³

Feito isso, você saberá a quantidade de concreto necessária para a cobertura da garagem. Mas, antes de comprar o material, ainda tem mais um passo que deve ser feito.

4 – Considerando as perdas

Se você comprar apenas a quantidade exata de concreto para laje, pode ser que falte material. Isso porque durante o processo de concretagem, há uma perda. Esse não é um problema, pelo contrário, é algo comum e que você deve sempre considerar na hora de decidir a quantidade de material que irá comprar.

Normalmente, essa perda fica em torno de 5%, mas, caso haja condições que dificultem a concretagem, pode ser ainda maior. Então, o volume de concreto necessário será (Volume de Concreto) x (1,00 + Coeficiente de Perda).

No nosso exemplo, o Volume Final vai ficar o seguinte: (1,00 + 0,05) x 4,52 = 4,75m³.

Claro que em estruturas menores, como o caso dessa pequena garagem, as perdas representam uma parte pequena. Mas, em estruturas maiores, esse número é mais considerável e pode fazer muita diferença caso não seja levado em consideração.

Ao saber fazer o cálculo de volume de concreto, você não só economiza, mas também evita problemas no cronograma da construção. Gostou deste post? Curta e compartilhe com os seus amigos nas redes sociais! Agradecemos pela leitura e até a próxima!

Sugestão de aula sobre densidade

A densidade (relação entre massa e volume) de um material é um assunto muito comum, principalmente no Ensino Médio, porém, muitos alunos não conseguem compreendê-la com clareza. Por isso, é interessante que o professor procure estratégias de ensino.

Para determinar a densidade de um material, é necessário realizar a medida da sua massa e do seu volume para, então, aplicar os valores encontrados na expressão abaixo:

Leia também:  Como baixar e executar torrents: 6 passos (com imagens)

d = m       V

Hoje apresentaremos uma proposta pedagógica com a qual os professores de Química poderão realizar uma atividade prática com os alunos, facilitando a compreensão das questões que envolvem densidade. Vamos lá?

Introdução: Determinação da densidade

Inicialmente é interessante que o professor trabalhe com os alunos quais são os passos para determinar a densidade do material. Deve ser explicado que os passos para determinar a densidade dependem do estado físico.

  • 1º Passo: Pesar o material sólido para determinar a sua massa;
  • 2º Passo: Adicionar certo volume de um líquido, no qual o sólido não seja miscível, em uma proveta.
  • 3º Passo: Adicionar o sólido na proveta com o líquido;
  • 4º Passo: Subtrair o volume do líquido determinado no passo 3 pelo volume do líquido determinado no passo 2.
  • 5º Passo: Dividir a massa encontrada no passo 1 pelo volume determinado no passo 4.
  • 1º Passo: Pesar o recipiente graduado (béquer ou proveta) que receberá o líquido;
  • 2º Passo: Medir no recipiente pesado no passo 1 certo volume do líquido;
  • 3º Passo: Pesar o recipiente graduado com o líquido;
  • 4º Passo: Subtrair a massa determinada no passo 3 pela massa determinada no passo 1.
  • Materiais necessários para a atividade
  • A quantidade de materiais depende da quantidade de alunos. São eles:
  • Leite integral
  • Leite desnatado
  • Refrigerante tipo cola
  • Refrigerante tipo cola light
  • Suco de uva
  • Suco de uva light
  • Água sanitária
  • Desinfetante
  • Óleo de soja
  • 11 potes plásticos de 500 mL
  • 5 balanças (pode ser balança de cozinha)
  • Béqueres de plástico ou vidro de 50 mL
  • Provetas de 50 mL
  • Pedras pequenas de tamanhos semelhantes
  • Bolas de gude de tamanhos semelhantes

Organização do espaço

Sugerimos que o professor organize o espaço onde a atividade prática será desenvolvida da seguinte maneira:

  • Adicionar cada um dos líquidos em um pote plástico;
  • Adicionar cada um dos materiais sólidos (pedras e bolas de gude) também em um pote plástico;
  • Colocar os potes plásticos com os materiais, dois a dois, sobre mesas separadas;
  • Distribuir cada uma das balanças em mesas separadas, que não estejam com os potes plásticos;
  • Colocar os béqueres ou as provetas em outra mesa.Não pare agora… Tem mais depois da publicidade 😉

OBS.: Posicionar as mesas com os materiais de forma que a circulação dos alunos seja facilitada.

Procedimento prático para os líquidos

Uma dica é que professor divida os alunos em duplas e oriente que cada dupla determine a massa e o volume de cada um dos nove líquidos disponíveis. É importante fixar um tempo para que os alunos cumpram essa tarefa.

Lembre os alunos que eles devem seguir a seguinte orientação:

  • Pesar o recipiente;
  • Medir 40 mL de um dos líquidos no recipiente;
  • Pesar o recipiente com o líquido.

Procedimento prático para os sólidos

As mesmas duplas que determinaram a massa e o volume dos líquidos também devem determinar dos dois sólidos disponíveis. Para isso, devem seguir a seguinte orientação:

  • Pesar o sólido;
  • Adicionar 30 mL de água no recipiente;
  • Adicionar o sólido no recipiente com água.

OBS.: É importante fixar um tempo para que os alunos cumpram essa tarefa.

Cálculo da densidade de cada material

Ao final dos procedimentos, cada dupla terá a massa e o volume dos onze materiais disponibilizados para a aula. Em seguida, eles devem aplicar os valores encontrados na expressão abaixo para determinar a densidade dos materiais.

  1. d = m      V
  2. Resultados e discussões
  3. Terminado o procedimento, o professor deve enfatizar que resultados corretos para a determinação das densidades são influenciados pelos seguintes detalhes:
  • Ao subtrair a massa do recipiente com líquido pela massa do recipiente sem nada, estamos determinando a massa do líquido;
  • Ao subtrair o volume do líquido com o sólido pelo volume do líquido sem o sólido, estamos determinando o volume do sólido;
  • Ao analisar o volume do líquido, deve-se respeitar o seu menisco.
  • Por fim, é interessante que as seguintes propostas sejam realizadas:
  • 1ª) Dar um tempo para que os alunos conversem entre si e verifiquem se as densidades encontradas por eles conferem com as dos outros.
  • 2ª) O professor deve falar em voz alta o valor das densidades de cada um dos materiais utilizados para confrontar o valor encontrado pelos alunos.
  • 3ª) Discutir com os alunos os resultados diferentes e ressaltar a importância de uma medição correta do volume de um material.
  • 4ª) Discutir com os alunos as possíveis causas que podem levar a diferentes valores encontrados para a densidade de um mesmo material.
  • Avaliação
  • A sugestão é que a avaliação da atividade aborde os seguintes critérios:
  • Interesse e participação de cada aluno durante a realização da atividade
  • Verificação das anotações de massas e volumes dos materiais pelos alunos
  • Cálculo da densidade de todos os materiais
  • Participação e atenção do aluno durante a discussão dos resultados

Por Me. Diogo Lopes Dias

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*