Como calcular a cagr no excel: 8 passos (com imagens)

Calcular o retorno de um investimento é o principal fator para decidir se faz sentido investir em determinado ativo. Nesse sentido, um dos indicadores que mais auxiliam nessa tarefa é o CAGR.

CAGR é uma das ferramentas de avaliação de investimento mais conhecidas do mercado, sendo utilizada frequentemente por analistas de mercado, empresas e fundos de investimento.

O que é o CAGR?

O CAGR (Compound Annual Growth Rate), ou taxa de crescimento anual composta, é a taxa de retorno necessária para um investimento crescer de seu saldo inicial para o seu saldo final. Dessa forma, o CAGR é considerado um dos principais indicadores para analisar a viabilidade de um investimento.

A grande utilidade dessa ferramenta é a sua capacidade de “suavizar” a taxa de retorno. Esse resultará numa porcentagem constante através do período abordado.

Como Calcular a CAGR no Excel: 8 Passos (com Imagens)

Entretanto, vale lembrar que essa taxa de crescimento não representa um retorno real. Na verdade, o CAGR é um número fictício que estimaria à qual taxa o investimento teria crescido se os retornos fossem constantes.

Dessa forma, pode-se dizer que o CAGR ajuda a entender a rentabilidade de um investimento ao longo do tempo. Porém, nunca deveremos esquecer as suas limitações e volatilidade que muitas vezes está implícita em seu resultado.

Como o CAGR é calculado?

Para calcular o CAGR, é necessário ter em mãos três dados: o valor inicial do investimento, o valor final do investimento e período do investimento. Como se trata do cálculo da taxa de crescimento anual composta, o período deve ser dado sempre em anos.

Sendo assim, a fórmula do CAGR é a seguinte:

Onde:

  • VF = Valor final do investimento;
  • VI = Valor inicial do investimento;
  • N = número de períodos em anos.

Exemplo de aplicação do CAGR

Digamos que um gestor tenha aplicado em janeiro de 2017 um capital de R$ 100.000,00 em um título de renda fixa.

Dando continuidade, passado 12 meses, já em janeiro de 2018, esse mesmo gestor verificou que o capital aplicado tinha crescido a uma taxa razoável. Chegando a atingir R$ 112.000,00.

Dessa forma, em janeiro de 2019, o capital desse gestor cresceu bem menos que no ano anterior, ficando em R$ 118.000,00.

Nesse momento ele decide calcular o CAGR de sua aplicação de modo a descobrir o seu desempenho geral nesses dois anos, usando a fórmula:

  • CAGR = (118.000 / 100.000)1/2-1
  • CAGR = 0,086 ou 8,6%.

Portanto, o desempenho da aplicação do gestor nesse título de renda fixa foi de 8,6% a.a.

Como Calcular a CAGR no Excel: 8 Passos (com Imagens)

Desse modo, o papel de um investidor/gestor nesse caso é comparar o CAGR potencial de cada aplicação disponível. Avaliando os seus riscos, e alocando os recursos onde oferecer as melhores taxas de retornos, com o menor risco possível.

Para entender mais sobre esse entre outros conceitos importantes, baixe gratuitamente agora mesmo o nosso Manual do Investidor, e entenda mais sobre como avaliar e analisar um investimento.

Limitações do CAGR

A limitação mais grave desse indicador é que, por ele calcular uma taxa suavizada de crescimento ao longo de um período, ele ignora a volatilidade implícita nesse crescimento.

Normalmente, os retornos sobre os investimentos são desiguais ao longo do tempo. Exceto quando falamos dos títulos pré-fixados que são mantidos até o vencimento.

Adicionalmente, o CAGR não contabiliza quando um investidor adiciona fundos ou retira em uma carteira durante o período calculado.

Por exemplo, se um investidor tivesse uma carteira por cinco anos e injetasse fundos na mesma durante esse período, o indicador seria inflacionado.

Portanto, a fórmula do crescimento composto calcularia a taxa de retorno com base nos saldos inicial e final ao longo do período. Desse modo, ele contaria os fundos depositados como parte da taxa de crescimento, o que resultaria num cálculo incorreto.

E então, o que você acha sobre a utilização do CAGR como ferramenta para avaliar um investimento? Deixe  abaixo a sua opinião ou dúvida e compartilhe conosco o que você pensa sobre o tema.

Como Calcular a CAGR no Excel: 8 Passos (com Imagens)

Conheça a Carteira Cotizada do TradeMap Web

Percebemos que surgiram algumas dúvidas após o lançamento do TradeMap Web, principalmente em relação à carteira.

Em nosso levantamento, pudemos notar que uma boa parte de nossos usuários teve alguma dificuldade para compreender a carteira cotizada.

Por isso, vamos explicar aqui quais são os benefícios de ter esse serviço calculado direto pelo TradeMap. Que tal, hein?

Na grande maioria dos casos, pode ser difícil determinar quanto dinheiro foi rentabilizado por meio de uma carteira de investimentos, já que são realizados múltiplos depósitos e retiradas pelo investidor ao longo do tempo.

Vale lembrar que não se pode simplesmente dividir a variação patrimonial do período todo pelo valor aportado inicialmente, uma vez que o patrimônio final reflete tanto a taxa de retorno do portfólio quanto quaisquer depósitos ou retiradas realizados durante o período aplicado.

Por isso, a cotização quebra o retorno de uma carteira em intervalos de tempo menores, verificando, sobretudo, se houve movimentação no portfólio em tal período. No TradeMap utilizamos subperíodos diários, que é o mais comum! Bom, mas o que isso quer dizer, afinal? Vamos lá!

Compondo a rentabilidade de cada um dos dias, conseguimos calcular o rendimento acumulado da carteira, um valor muito mais preciso da sua rentabilidade.

Vamos ilustrar aqui para facilitar a compreensão! Imagine que o gráfico abaixo representa o patrimônio do Sr. José, um investidor antigo no mercado de capitais:

Como Calcular a CAGR no Excel: 8 Passos (com Imagens)

Note que ao longo do tempo, Sr. José realizou diversos aportes (representados pelos cifrões amarelos) e diversas retiradas (representadas pelos cifrões vermelhos).

Leia também:  Como carregar arquivos em seu pc com o onedrive

Dessa forma, não podemos simplesmente dividir a variação do patrimônio pelo patrimônio inicial para calcular a rentabilidade do Sr.

José no período todo – esse valor estaria totalmente distorcido pelas movimentações realizadas pelo investidor no período, e não representaria nem de perto a rentabilidade de sua carteira!

Assim, tiramos as rentabilidades do Sr. José dia a dia (nossos pequenos intervalos de tempo), como ilustrado no balão ao topo da figura. Visto que não houve movimentação dentro desse pequeno período, essa rentabilidade sim pode ser calculada pela variação patrimonial dividida pelo patrimônio inicial.

Agora imagine, por exemplo, que o Sr. José tenha uma rentabilidade de 10% no primeiro dia, 5% negativo no segundo dia e 10% positivo no terceiro dia. Como ficaria o valor de suas cotas ao longo desse tempo? Veja abaixo:

Como Calcular a CAGR no Excel: 8 Passos (com Imagens)

Não se preocupe com o valor da cota no dia 0, ele é apenas uma referência, escolhemos, nesse caso, começar com um valor de 1. O rendimento acumulado da carteira do Sr. José nesse período pode ser calculado pela divisão da cota final pela cota inicial, subtraindo 1, ou seja: 1,15 ÷ 1 – 1 = 15%

Vale citar que a cotização de carteiras, apesar de parecer simples, pode se tornar bastante complexa quanto mais ativos, movimentações e proventos tiverem em um portfólio. Afinal de contas, a variação financeira de um dia é a composição de ganhos e perdas de todos os ativos da carteira, incluindo preços e proventos.

Além de calcular uma rentabilidade precisa da carteira, a cotização nos permite determinar ganhos e perdas (em porcentagem e financeiro) por classe de ativos, subclasses (indústrias de empresas, por exemplo) e, até mesmo, no nível mais detalhado possível, ou seja, o do próprio ativo.

Agora que você já sabe qual é a função da carteira cotizada, acompanhe seus papéis no TradeMap e veja de perto sua rentabilidade! Muito legal, né? Por enquanto essa funcionalidade está disponível somente na versão web, então corra e cadastre-se agora mesmo, marujo!

Clique aqui e faça parte desse mar de investimentos com o TradeMap!

Como Calcular a CAGR no Excel

  1. 1

    Abra o Microsoft Excel. Clique no ícone verde com um X em sua barra de tarefas ou abra-o na pasta do Microsoft Office.

  2. 2

    Abra uma nova Pasta de Trabalho.

  3. 3

    Insira os seguintes títulos/variáveis:

    • Na célula A1,insira o título CAGR
    • Na célula B1, insira o título Valor_final
    • Na célula C1, insira o título Valor_inicial
    • Na célula D1, insira o título _1_Ao_longo_dos_anos
    • Na célula E1, insira o título Anos
    • Na célula F1, insira o título _1
  4. 4

    Destaque as colunas B a F e selecione Inserir no menu. Clique em Nomes> Criar e escolha Célula Superior.

  5. 5

    Insira as seguintes fórmulas e valores.

    • Digite um = na célula A2 e, em seguida, entre com a fórmula ((Valor_Final/Valor_Inicial)^(_1_Ao_longo_dos_anos))-_1.
    • Insira na célula B2 o valor final do investimento (por exemplo, 23.512).
    • Insira na célula C2 o valor inicial do investimento (por exemplo, 14.500).
    • Insira na célula E3 o número de anos que se passaram desde o início do investimento até chegar ao valor final (por exemplo, 3).
    • Na célula D3, digite um = seguido pela fórmula 1/Anos.
    • Insira na célula F3 o valor 1
  6. 6

    Formate suas células:

    • Destaque as colunas A a F e selecione Formatar no menu superior. Clique em Coluna, seguido por Ajuste automático da seleção e, por fim, em Alinhamento central.
    • Destaque a coluna A, selecione Formatar e, em seguida, Células. Na opção Número, selecione a categoria Porcentagem e defina duas casas decimais.
    • Destaque as colunas B e C, selecione Formatar e, em seguida,Células. Na opção número, selecione a categoria Personalizado e, abaixo do valor, insira R$ #.## 0
    • Destaque a coluna D, selecione Formatar e, em seguida, Células. Na categoria Número da opção Número, insira .0000
  7. 7

    Revise o valor na célula A2. Para os números do exemplo fornecidos, você deverá ver como resultado o valor de 24,93%. Assim, o CAGR para seu investimento de três anos é igual a 24,93%, o qual representa o retorno anual “suavizado”de seu investimento ao longo do horizonte temporal.

  8. 8

    Por fim, você poderá construir uma tabela para investimentos semelhantes.

How to Calculate CAGR in Excel

  1. 1

    Open Microsoft Excel. Either click on the green X icon on the dock or opening it from the Applications folder in Microsoft Office.

  2. 2

    Open a New Workbook.

  3. 3

    Enter the Headings/Defined Variables:

    • Enter to cell A1 the label, CAGR
    • Enter to cell B1 the label, Ending_Value
    • Enter to cell C1 the label, Beginning_Value
    • Enter to cell D1 the label, _1_OverYears
    • Enter to cell E1 the label, Years
    • Enter to cell F1 the label, _1
  4. 4

    Highlight columns B:F and select Insert from the top menu. Click Names > Create and choose Top Row

  5. 5

    Enter the formulas and values:

    • Enter to cell A2 an = and then the formula ((Ending_Value/Beginning_Value)^(_1_OverYears))-_1
    • Enter to cell B2 the Ending Value of the investment, e.g. 23,512
    • Enter to cell C2 the Beginning Value of the investment, e.g. 14,500
    • Enter to cell E3 the number of Years the investment was outstanding up to the Ending Value, e.g. 3
    • Enter to cell D3 an = and then the formula, 1/Years.
    • Enter to cell F3 the value, 1
  6. 6

    Format your cells:

    • Highlight columns A:F and select Format from the top menu. Click Column and then AutoFit Selection, and Alignment Center.
    • Highlight column A and choose Format, then Cells. Under the Number menu, and Percentage category, choose 2 decimal places.
    • Highlight columns B:C and choose Format, then Cells. Under the number Number in the Custom category, enter $#,##0
    • Highlight column D and choose Format, then Cells. Under the Number menu in the Number category, enter .0000
  7. 7

    Review the value in cell A2. For the example numbers given, you should see a CAGR result of 24.93% Thus, your CAGR for your three-year investment is equal to 24.93%, representing the smoothed annualized gain you earned over your investment time horizon.

  8. 8

    Then you would construct a Table of similar investments:

Leia também:  Como aprender as capitais do mundo (com imagens)

Ask a Question

  1. http://www.investopedia.com/terms/c/cagr.asp

wikiHow is a “wiki,” similar to Wikipedia, which means that many of our articles are co-written by multiple authors. To create this article, volunteer authors worked to edit and improve it over time. This article has been viewed 52,811 times.

  • Co-authors: 3
  • Updated: March 5, 2020
  • Views: 52,811

Categories: Finance and Business | Microsoft Excel

  • Print
  • Send fan mail to authors

Thanks to all authors for creating a page that has been read 52,811 times.

CAGR – Como calcular este KPI fundamental

CAGR é um KPI que representa uma taxa de crescimento composta de um determinado período. Dificilmente você vai analisar um relatório financeiro que não utilize o CAGR. É muito utilizado representar o desempenho de empresas ou startups.

O que é CAGR

Quando eu comecei a prestar mais atenção em startups, notei que uma sigla – CAGR, que eu não tinha a menor ideia do que se tratava, estava sempre presente em apresentações e gráficos. Então eu resolvi pesquisar para entender melhor sobre o que se tratava.

Depois de ler alguns artigos, percebi a importância da definição, e ela acabou se tornando um recurso bastante útil. Esta sigla é o CAGR (Compound Annual Growth Rate), em português significa Taxa Composta Anual de Crescimento.

Este índice representa a taxa de retorno de um investimento em um determinado período de tempo. Exatamente por este motivo é muito comum encontrá-la quando estamos falando de crescimento de mercado (Market Size, TAM, SAM, SOM, …).

A grande vantagem é que você consegue apresentar em um único dado, uma informação relevante por todo o período. Vale ressaltar que essa não é a taxa de retorno real, é um número fictício que descreve a taxa à qual um investimento teria crescido se a taxa fosse constante.

Um exemplo de como calcular o CAGR

Em janeiro de 2012 eu decidi fazer um investimento de R$10.000,00 em um determinado negócio. Em Janeiro de 2013 o meu investimento já havia passado para R$13.

000,00, em Janeiro de 2014 a taxa de retorno foi um pouco menor e só aumentou mil reais, ficando em R$14.000,00. Em janeiro de 2015 o meu retorno foi excelente, chegando a R$19.500,00.

Neste momento então eu decidi fazer a minha saída e retirei todo meu dinheiro.

Qual é o CAGR da operação acima?

Fórmula: CAGR = (Valor final / Valor inicial) ^ (1/qtd anos) -1

  • Valor inicial = Valor aplicado inicialmente no investimento
  • Valor final = Valor que você retirou quando fez a saída do investimento
  • Qtd de anos = Quantos anos você ficou no investimento?

Resultado

  • 19.500 / 10.000 = 1.95
  • CAGR = 1.95 ^ 1/3 (3 anos) = 1.2493
  • CAGR = 1.2493 – 1 = 0.2493 = 24.93%

Da próxima vez que você estiver assistindo a uma apresentação ou analisando um gráfico de crescimento e observar a sigla ao lado dos números, espero que você lembre deste artigo e do que se trata.

Arquivos Tutoriais Power BI

Se você quer aprender, de forma simples, como criar gráfico de Pareto no Power BI, leia o passo a passo abaixo. Esse gráfico importantíssimo para Análise de Dados em geral, será muito útil se você souber usá-lo! Vai ver que é bem simples e fácil seguindo o que ensinamos neste artigo.

Se quiser aprender ainda mais sobre Power BI clique abaixo e baixe nosso guia para iniciantes contemplando boa parte das noções para já sair criando seus relatórios nesta poderosa ferramenta.

Aproveite a oportunidade de aprender um pouco mais de Power BI clicando aqui!

Em um gráfico de Pareto, a informação principal é mostrada em uma barra e uma escala cumulativa é mostrada em uma linha para comparar todas as barras. Esse gráfico pode ser muito útil ao analisar causas de falha em um processo, composição de portfólio, ou até mesmo analisar uma demonstração de resultados.

Para ilustrar o que estamos falando, veja abaixo um gráfico de Pareto que fizemos no Power BI. No eixo esquerdo temos as vendas e no eixo direito temos o percentual acumulado de todas as vendas. Uma análise possível com esses dados é que as primeiras quatro barras totalizam aproximadamente 80% de todas as vendas.

Ok! Agora que entendemos como utilizar, vamos aprender a como criar gráfico de pareto no Power BI!

Primeiro de tudo, abra o Power BI Desktop, clique em Obter Dados, e importe a planilha que utilizaremos nesse exemplo. Para fazer o download, basta clicar aqui.

Como criar Gráfico de Pareto no Power BI

Após selecionar o arquivo, selecione a tabela fVendas e clique em Carregar.

Como o nosso arquivo tem mais de um registro para o mesmo produto, teremos que sumarizar (resumir) o arquivo em uma outra tabela. Nosso arquivo modelo está estruturado assim, pois acreditamos que a maioria dos usuários utilizam bases de dados que possuem vários registros com o mesmo nome. Assim, conseguimos já resolver esses dois problemas de uma vez só!

Leia também:  Como anexar arquivos a um documento pdf: 10 passos

Para criar essa nova tabela com os dados resumidos, é bem simples! Basta abrir a aba “Modelação” (ou Modelagem) e clicar em “Nova tabela”.

Note que aparecerá uma barra de fórmulas para você informar o que estará incluso nessa nova tabela. Para isso, vamos inserir a expressão DAX abaixo. (DAX é a linguagem para fórmulas no Power BI.

Clique aqui para aprender mais ou baixe nosso e-book gratuito!)

Resumo = SUMMARIZE(fVendas;fVendas[Produto];”Total de Produtos”;SUM(fVendas[Quantidade]))

Resumo = SUMMARIZE(fVendas;fVendas[Produto];”Total de Produtos”;SUM(fVendas[Quantidade]))

Explicando: Aqui estamos sumarizando (resumindo) a tabela fVendas e usando a coluna “Produto” para ser nosso valor único. Além disso, vamos resumir os Produtos pela somatória da quantidade vendida e dar o nome a essa nova coluna de “Total de Produtos”.

Ficará assim, então:

  • Com a tabela “Resumo” criada, estamos prontos para criar as medidas que vão nos ajudar a construir o gráfico!
  • Clique com o botão direito na tabela “Resumo” e crie uma nova coluna.
  • Insira a seguinte expressão DAX na barra de fórmulas:

Ranking = RANKX(Resumo;Resumo[Total de Produtos])

Ranking = RANKX(Resumo;Resumo[Total de Produtos])

Essa fórmula cria um Ranking que nos ajudará a calcular os valores cumulativamente.

Agora, adicione uma Nova Medida para o “Total Cumulativo”. Basta clicar com o botão direito e selecionar “Nova Medida”. Insira a seguinte expressão DAX:

Total Cumulativo = CALCULATE(SUM(Resumo[Total de Produtos]);FILTER(ALLSELECTED(Resumo);
Resumo[Ranking]

CAGR – Compound Annual Growth Rate: saiba o que é e suas limitações

CAGR é a sigla para Compound Annual Growth Rate. Em português, podemos traduzir o temo para Taxa de Crescimento Anual Composta.

Essa taxa é responsável pelo cálculo do retorno necessário para um investimento sair de um saldo inicial para um determinado saldo final. Para isso, a premissa básica é considerar que os lucros de um período foram constantes e reaplicados em cada período para entender o crescimento do capital aplicado.

Ou seja, trata-se de um indicador utilizado por economistas, analistas e investidores para realizar a análise de rentabilidade e, desta forma, entender qual a previsão de retorno ao longo de um determinado período.

Qual é a função do CAGR?

Em primeiro lugar, é preciso deixar claro que o cálculo do CAGR (veremos a seguir) não traz a verdadeira taxa de retorno de um investimento.

Como você viu na definição do conceito, parte-se do princípio de uma taxa constante de crescimento e ainda que os lucros gerados fossem sempre investidos novamente ao final de cada ano da análise.

Nem é preciso ser um especialista em mercado financeiro para saber que não existem taxas constantes na realidade. Você pode fazer um investimento e, por exemplo, ter rendimentos de 5%, 10% e 8% em três anos consecutivos.

O cálculo suavizará esses retornos, supondo que o valor médio desse período se repetisse a cada ano.

O principal objetivo é estabelecer uma comparação mais fácil com outras opções de investimentos. Isso porque, com essa premissa constante, ele demonstra qual precisa ser o retorno médio do investimento para obter um determinado resultado.

Qual é a fórmula para calcular o CAGR?

O cálculo do CAGR leva em consideração a seguinte fórmula:

  • Onde:
  • VF = Valor Final do investimento VI = Valor Inicial do investimento
  • n = número de anos do investimento

De forma simplificada, tudo consiste em dividir o valor final do seu investimento pelo valor inicial e elevá-lo à divisão de um pelo período (em anos). Por fim, basta subtrair 1 do resultado e multiplicar por 100 para encontrar a rentabilidade percentual.

Essa fórmula é apenas para entendimento já que, atualmente, existem diversas formas de encontrar o resultado de maneira automatizada via planilhas e calculadoras.

Exemplo prático e implicações

Para que a fórmula e o conceito fiquem mais claros quanto ao entendimento, vamos a um exemplo.

Suponha que você tenha feito um investimento de R$ 10.000,00 e que, após três anos, o montante tenha atingido o patamar de R$ 13.800,00. Aplicando esses valores na fórmula que vimos anteriormente, você encontraria o resultado de 11,33%.

Isso permite que um analista faça suas avaliações sobre outros investimentos em um comparativo simplificado, já que o retorno é suavizado para 11,33% independente do desempenho diferente em cada ano.

Olhar para outras rentabilidades e tirar conclusões fica mais fácil dessa forma.

Problemas e limitações do CAGR

Como todo cálculo, o CAGR traz uma representação numérica e, portanto, fria de um investimento. Entram aqui apenas números e não aspectos qualitativos, algo que por si só já é uma limitação.

Só que esse ainda não é o maior problema, mas sim a suavização dos retornos que simplesmente ignora muito da realidade, especialmente a volatilidade e inconstância dos investimentos.

Se você pega esse resultado que encontramos do nosso investimento de 11,33% e compara com algum ativo de renda fixa, pode achar muito vantajoso seguir com ele. Só que a conta não aborda a volatilidade e o alto risco dessa opção.

Além disso, em uma comparação de investimento com risco versus renda fixa, incorre-se no erro de considerar uma taxa de retorno passada como constante para o futuro. E, como sabemos, a rentabilidade passada não garante a futura.

De qualquer forma, não deixa de ser mais uma ferramenta de análise para os ativos financeiros. O problema está em usá-la isoladamente, sem considerar também outros fatores na tomada de decisão.

Texto revisado por Marcelo Lima.

Avalie esse texto e nos ajude a melhorar cada vez mais.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*