Como beijar uma garota em seu quarto pela primeira vez

Como Beijar uma Garota em seu Quarto pela Primeira Vez

Opá beleza? Marcelo aqui… Você ainda se pergunta Como beijar uma mina?

  • Nesse artigo de hoje eu vou mostrar exatamente as melhores 6 técnicas passo a passo para beijar bem uma mulher
  • Seja pra você que já tem experiência ou se é o seu primeiro beijo
  • Continue lendo o artigo abaixo e veja o vídeo no final que preparei pra você, vamos resolver todos os seus problemas de uma vez por todas juntos!
  • Sem mais delongas, borá conferir essas dicas ????

#1 – Tenha atitude

Como Beijar uma Garota em seu Quarto pela Primeira Vez

  1. Jamais cometa o erro de deixar que ela tome a atitude por você…
  2. É cada vez mais comum ver casos de homens que deixam elas fazerem o primeiro movimento.
  3. Não gere a impressão que você tem dúvidas que quer beija-la, o fato é, se você está com ela e deixou bem claro por meio das suas atitudes que quer beija-la
  4. Não espere que ela peça isso de forma explicita.

Se você é um cara indeciso que tem medo de ir direto ao ponto

Lembre-se, as mulheres vão te perdoar por ser um homem, mas não por ser um covarde.

  • Não há nada de errado em ter desejo e agir dessa forma com ela.
  • Mas se você tentar esconder esse desejo, porque você tem medo de “ofendê-la” ou sair como “assustador”
  • Você provavelmente vai destruir qualquer atração que ela possa ter sentido por você.
  • Isso vai fazer você encontrar uma viagem só de ida para a famosa friend-zone

#2 – Mantenha o beijo sobe controle

Como Beijar uma Garota em seu Quarto pela Primeira Vez

Cara, você definitivamente não pode começar um beijo como se estivesse prestes a engoli- lá se é que m entende haha…

Se você quer deixar o primeiro beijo de vocês perfeito, Você precisa controlar sua ansiedade

Uma dica simples é:

  1. Ao iniciar o beijo não comece usando totalmente a língua, faça isso de forma gradativa
  2. Comece deixando os seus lábios levemente abertos enquanto olha nos seus olhos e deixe que ela faça sua parte
  3. Isso vai fazer com que ela sinta ainda mais atração por você

#3 – Impressione ela com o contato físico

Como Beijar uma Garota em seu Quarto pela Primeira Vez

  • Tenha em mente que quando o assunto é como beijar uma mina, você precisa usar o contato físico durante o beijo, veja abaixo alguns exemplos:
  • Orelhas – As orelhas são conhecidas por serem sensíveis ao toque, e por que não se aproveitar disso… Portanto toque a orelha dela e a beije, além disso sussurre algo no ouvido dela ou até mesmo use a sua respiração
  • Mãos – Além do toque você tem a opção de beija- la, então se tiver a oportunidade faça, isso mostra a confiança e o carinho que tem por ela.
  • Clavícula – A clavícula é tão sensível quanto o pescoço, portanto use para beijar ou tocar.
  • Dica: Beijos suaves e sutis são melhores nesse caso.
  • Leia também: 8 dicas de como agir no primeiro encontro – Clique aqui

#4 – Transições antes do beijo

Como Beijar uma Garota em seu Quarto pela Primeira Vez

Bom, existem 3 tipos de transições antes do beijo

Sendo elas: Romântica, espontânea e sexual, Cabe a você escolher a melhor dependendo da situação e do seu nível de intimidade com ela

Transição romântica

  1. Como o próprio nome diz essa transição serve para relacionamentos mais sérios onde há um maior sentimento.

  2. O beijo deve ocorrer em um lugar mais isolado onde você esteja o mais próximo possível dela.

  3. Use o contato visual a seu favor, o famoso olhar triangular – isto é, olhando nos seus olhos, para a boca, para os olhos, para a boca.
  4. Certifique-se de fazer isso devagar …

Transição espontânea

Diferente da transição romântica você não precisa de tanta a proximidade e nem de um contato visual tão intenso.

Porém aqui você precisa ser confiante e ter certeza que ela quer te beijar

Transição sexual

  • Chegamos na minha transição preferida hehe… Aqui diferente de tudo você precisa estar em um ambiente confortável e propenso a o toque físico.
  • Deve haver muita proximidade nesse caso, até mais que a transição romântica
  • Você deve deixar bem claro o desejo que tem por ela e para isso você deve gerar a tensão sexual nela, veja abaixo como fazer isso

#5 – Como Beijar Uma Mina – Tensão sexual

Como Beijar uma Garota em seu Quarto pela Primeira Vez

  1. Uma coisa é certa…Quanto mais você conseguir gerar tensão sexual nela, mais marcante o seu beijo será
  2. Como gerar esse tipo de tensão?
  3. Bom, uma das principais técnicas é o contato visual. Busque sempre manter fortemente os seus olhos no dela
  4. Essa é uma simples técnica, mas muito poderosa, vai fazer com que ela se sinta muito mais atraída pelo seu beijo
  5. Conseqüentemente com ainda mais vontade de beijar você.

#6 – Como beijar bem e ter pegada

Como Beijar uma Garota em seu Quarto pela Primeira Vez

  • Fato é, não adianta de nada se você der o melhor beijo do mundo nela e não ter pegada.
  • Não seja aquele cara que beija longe dela ou que fica com as mãos livres.
  • É importante lembrar que pra ter uma pegada digna de um Homem de Poder você não precisa parecer um tarado haha…
  • Veja abaixo 2 tipos de pegadas essenciais em qualquer beijo.

Beijo com pegada no pescoço

Como Beijar uma Garota em seu Quarto pela Primeira Vez

  1. Esse tipo de pegada vai ser ótimo para conseguir se aproximar melhor dela e gerar mais atração
  2. Enquanto a beija segure no seu pescoço, podendo usar uma ou até mesmo as duas mãos.
  3. Dica: Varie o toque entre a nuca e o rosto, passe seus dedos calmamente pelo queixo dela.

Beijo com pegada no Quadril

Como Beijar uma Garota em seu Quarto pela Primeira Vez

Essa pegada é indispensável quando o assunto é como beijar uma mina

Segure ela firmemente com a mão no quadril e com a outra levemente acima do quadril, isso vai deixar ela louca

Porque não usar esses dois tipos de pegadas em uma só?

Com uma mão segure no pescoço e com a outra pegue na cintura dela, tenho certeza que vai ser o melhor beijo da vida dela haha…

Concluindo: “6 Melhores Técnicas Passo A Passo De Como Beijar Uma Mina”

Bom, agora que você já sabe as técnicas para se dar bem na hora do beijo, está na hora de começar a coloca-las em pratica

As dicas por si próprias não vão valer de nada se você não tomar atitude ????

Gostou do artigo “Como beijar uma mina”? Deixe seu comentário e Veja o Vídeo Abaixo. Isso é muito importante para que eu possa saber se realmente este artigo foi útil pra você e também pra podermos trocar umas ideias, Grande abraço!

Como fazer uma garota querer beijar você?

Como Beijar uma Garota em seu Quarto pela Primeira Vez

Como fazer uma garota querer beijar você, mesmo achando que ela não está interessada?

Neste artigo vou revelar como fazer uma garota querer beijar você naturalmente, ou seja, sem precisar ficar insistindo parecendo um perdedor.

Quando você beija uma garota pela primeira vez a energia que vem com ela é difícil de descrever.

As 11 Leis Para Conquistar uma Mulher ….. DOWNLOAD GRÁTIS!

  • Toda essa tensão sexual, eletricidade e entusiasmo, chegam ao ápice quando seus lábios encontram os dela – é um ótimo sentimento e uma experiência sensacional…
  • No entanto, é preciso saber como fazer uma garota querer te beijar primeiro…
  • Você pode estar passando por dezenas de garotas que realmente querem te beijar (mas que são muito tímidas para dar o primeiro passo).

Já tive muitos clientes e amigos me perguntando: “Como você faz isso, Adriano? Como você faz uma garota querer te beijar ?!”

Então eu decidi fazer o “melhor guia” sobre como fazer uma garota querer te beijar.

Boa leitura!

1) Comece usando alguns toques “inocentes”…

Essa é a primeira parte. Você tem que estar tocando ela – mas, toques “inocentes”, não é algo necessariamente sexual.

Você quer apenas alguns toques simples para que o contato físico comece a se tornar natural. Isso torna-se fácil. Pois, é o que ela espera de você.

Além disso, também é bom para ela.

Não é o mesmo de agarrá-la ou assediá-la… Estes são toques amigáveis ​​e inocentes que constroem uma conexão entre vocês.

2) Aproxime-se dela

  1. O próximo passo é ficar fisicamente mais perto dela.
  2. Porque no final do dia, se você não puder ficar mais e mais perto dela, você não vai conseguir o beijo…
  3. Então, você tem que estar a uma distância possível de beijá-la.

  4. Isso torna mais fácil para vocês dois fechar a distância e fazer o beijo acontecer.

Agarre-a e puxe-a para frente, lenta e delicadamente, porque ela precisa estar perto o suficiente para beijar, ou não funcionará.

Ela tem que estar a uma distância de te beijar.

Você não precisa segurá-la com força – apenas gentilmente traga-a pelo braço ou pelo cotovelo e “guie” ela em sua direção.

Leia também:  Como celebrar o aniversário de 25 anos de casamento dos seus pais

Dessa forma, você está mostrando a ela suas intenções.

3) Use o “Olhar Triangular” para subconscientemente levá-la a querer beijá-lo

Você pode ter ouvido falar dessa ideia de “olhar triangular” em outro lugar.

Independentemente disso, a ideia é que você vai olhar para as características de seu rosto de uma forma que se assemelha a um triângulo:

  1. a) Comece olhando para um de seus olhos;
  2. b) Então olhe para o outro olho dela;
  3. c) Finalmente, olhe para a boca dela.

Isso não é realmente muito – na verdade não é nada. Mas, ela sente isso – quase como se sentisse sua intenção de beijá-la.

E muitas vezes, isso é o suficiente para ser eficaz.

Você pode achar que esse “olhar triangular” não é a melhor maneira de fazê-la querer beijá-lo. Talvez seja um pouco “piegas” para você.

Isso está ok. Outro método que tem funcionado muito bem para meus alunos é olhar para a boca dela e pensar em beijá-la.

Ele transmite o mesmo tipo de intenção, mas é um pouco mais sutil do que passar por todos os passos acima.

4) Use o meu “truque” de conversação com 6 palavras que te dá uma abertura

Eu uso esse truque a qualquer momento durante uma conversa, se há uma pausa ou as coisas estão fluindo bem. E isso funciona quase o tempo todo.

  • Veja como isso funciona:
  • Seja lá o que ela faça, em resposta, eu sempre direi: “Eu gosto quando você faz isso”.
  • Funciona como um charme para gerar aquele “momento” ou “abertura” que você está procurando para fazer o beijo acontecer.
  • Aqui estão alguns indicadores úteis que farão tudo funcionar melhor:
  1. a) Certifique-se de que a conversa não esteja ruim. Não precisa ser especialmente boa, mas também não deve ser como se você estivesse se afogando no fundo do poço.
  2. b) A outra coisa que torna isso praticamente à prova de balas pode parecer meio contra-intuitivo, mas me ouça:

Você quer se afastar. Dê um passo para trás ou incline-se para longe dela.

Isso faz parte da sequência de “ação-reação”:

Se você se inclinar na direção dela, ela provavelmente se inclinará para longe. Se você se inclinar dando um passo para trás, ela provavelmente se apoiará. É como um relógio.

Uma das maneiras que eu gosto de fazer isso é em primeiro lugar perto de uma parede. Então, me inclino para trás de modo que, literalmente, minhas costas estejam contra a parede. Dessa forma eu sei que estou inclinado para trás.

  1. E quando você faz isso, ela tende a dar um passo à frente – uma de suas pernas avançará automaticamente.
  2. E quando ela faz isso, você diz: “Eu gosto quando você faz isso.”
  3. Sempre, todas às vezes, ela diz exatamente a mesma coisa:
  4. “O que?”
  5. Agora, esse é um tipo especial de “o quê?”

Ela não diz: “O quê?” Tipo: “Eu fiz o que? Você gosta quando eu fiz o quê?” Ela não diz isso.

Em vez disso, ela vai, “O quê?” Como: “Eu não ouvi você”.

  • Mas, ela sempre me ouve!
  • É quando eu digo:
  • “Por um segundo, pensei que você estava prestes a me beijar.”

5) Suas 3 respostas possíveis (e o que fazer com cada um)

Quando você diz isso, ela tem uma das três respostas. Cada coisa que você faz com uma mulher tem uma das três seguintes respostas:

  1. a) Sim,
  2. b) Não e
  3. c) talvez.

Neste caso, ela dará uma das duas respostas, sim ou talvez.

Se ela disser “não”, ela irá literalmente dizer não: “Por quê? Não, eu não ia beijar você ”, ou algo assim.

Mas, aqui está algo interessante: eu nunca recebi essa resposta, nunca, com qualquer mulher.

Agora, ela disser “sim” (e isso é tão verde quanto a luz do semáforo: Vá em frente!).

  1. Ela vai olhar ao redor e ela não saberá o que fazer.
  2. Ela pode ser muito tímida ou inexperiente, ou não está acostumada com esse tipo de masculinidade poderosa.
  3. Se for esse o caso, e ela meio que fica com um olhar vazio no rosto… você só precisa beijá-la.

Dica Bônus) A maneira mais rápida de transformar um beijo em sexo…

  • Uma coisa que eu pessoalmente lutei por anos foi transformar uma interação em sexo.
  • Mesmo quando uma garota me beijava primeiro eu ainda tinha problemas em prepará-la para ir para a cama comigo…
  • …Isso foi até que percebi que estava faltando UMA coisa o tempo todo:
  • Tocar.
  • Porque quando você toca uma garota no lugar certo, ela vai ficar ligada…
  • Ela vai começar a pensar em você de uma maneira mais sexual…
  • …E a partir daí, tudo o que você precisa fazer é pegá-la pela mão e levá-la ao seu quarto…
  • …E ela ficará mais animada para montar você do que uma garota bêbada em um touro mecânico (falando por experiência).

E se você gostou deste artigo, e da maneira que este site aborda os assuntos masculinos. Não deixe de fazer o download grátis do eBook Homem Alpha.

Como criar clima para o beijo

Quando se inicia nas artimanhas da conquista, é normal que se tenha questionamentos sobre muitos aspectos que envolvem o jogo da sedução.

Por isso, se você tem dúvidas sobre como criar o clima para o beijo, não se preocupe, pois você não está sozinho.

Além disso, se preocupar com essa questão é bastante importante, pois o beijo de consistiu em uma das armas mais poderosas para enlouquecer uma mulher, é também um recurso básico de conquista.

A priori, o beijo na gata que você deseja conquistar pode ser dado em qualquer momento, é uma expressão que não precisa de um local apropriado, mas para criar um clima mais propício, alguns cenários são mais indicados.

A forma como você vai chegar na mulher é também crucial para que o seu beijo faça a diferença na hora da conquista e seja marcante na vida dessa mulher.

Assim, ela vai querer mais e você poderá dar sequencia aos seus planos de sedução.

Além de saber beijar bem, o que se aprende com a prática e com algumas noções básicas, é importante sacar quando a gata está a fim do seu beijo, para não forçar a barra e fazer papel de babaca.

Na hora de escolher o local certo, é sempre bom que seja um lugar confortável, interessante e criativo, para que a mulher possa se lembrar com prazer do seu beijo, por isso, nada de beijar a gata em frente ao banheiro.

Mesmo que todo o lugar seja um bom local para beijar, o ambiente de trabalho é outro espaço em que não é o mais adequado, pois em geral não cai bem, ainda mais se outras pessoas verem, aí vai começar aquele cochicho que só vai atrapalhar a sua conquista, ainda mais se a gata fizer o estilo tímida, pode ficar tão sem graça que nem vai mais conseguir olhar em seus olhos. Sem contar que se ela for casada, aí sim, a situação pode virar até um grande problema.

Melhores lugares para criar clima para o beijo

A balada, por exemplo, é um local que não só é propício como é muito comum as pessoas estarem se beijando.

Se você faz o tipo romântico, pode até esperar aquela música especial começar a tocar para beijar a gata e assim se a relação prosperar essa poderá ser até a música de vocês.

Embora a preocupação com o clima do beijo se refere, principalmente, quando está para acontecer o primeiro beijo entre você e a gata, os demais beijos merecem a sua atenção.

Mesmo se você namore uma mulher há tempo e os beijos de vocês são tão comuns que costumam ser todos automáticos, quer dizer que você não está mais se preocupando em dar ao beijo um clima e isso pode ser o começo do fim da sua relação.

Você também precisa estar atento às reações da gata para escolher o melhor momento para envolvê-la com o seus lábios.

Em geral, o mais propício é quando vocês estão conversando de forma animada, você percebe que ela está retribuindo ao seu interesse, os corpos estão se aproximando e os olhos estão se focando cada vez mais profundamente.

Esse é o clima ideal para você então aproximar os seus lábios dos delas e o mais provável também é que ela vá retribuir a sua aproximação.

Já que você chegou tão bem até esse ponto, não vai relaxar agora, o beijo em si também deve ser inesquecível e ele deve ter uma intensidade proporcional ao que vinha acontecendo entre vocês até então.

Se o papo estava clamo e tranquilo, a gata faz o estilo mais recatado, um beijo suave e mais curto é o melhor. Por outro lado, se você está cheio de desejo e a gata também mostra o mesmo sentimento, o beijo pode ser mais forte, cheio de paixão e demorado.

Leia também:  Como bloquear uma pessoa no viber no iphone ou ipad

Como saber quando beijar uma gata

Outros lugares, entretanto, são mais difíceis de saber quando oferecem o momento adequado para você criar um clima e partir para cima da gata com um beijo. Na faculdade, por exemplo, a sala de aula não é adequada para um beijo, muito menos para o primeiro, pois pode haver reprovação do professor, o que vai ficar muito chato ou até gozações dos colegas.

Mas a hora do intervalo, quando vocês estiverem um em local mais afastado dos demais, pode ser adequado e até mesmo bem interessante.

São comuns as universidade que possuem campus com muitas árvores e belos cenários, você pode sugerir um passeio e aproveitar um espaço discreto, entre as árvores, flores e o som dos passarinhos para dar um beijo especial na gata que você deseja conquistar.

Se você namora uma mulher há tempo e os beijos que costumam ser todos automáticos, quer dizer que você não está mais se preocupando em dar ao beijo um clima…

Mesmo no bar ou no café da universidade pode ser propício, ainda mais se você perceber que a mulher também está muito a fim de beijá-lo. Bares em geral também convidam para beijar, ainda mais se ele tiver uma música ao vivo, meia luz, etc. Mas se você é do tipo conquistador inveterado e não dá ponto sem nó e quer fazer algo inesquecível, o melhor é convidar a mulher para jantar com você.

Leve ela para um restaurante romântico, a luz de velas, com música ambiente, no entanto, não tenha pressa, crie um clima com um bom vinho, frases românticas ao pé do ouvido, conversa despreocupada, um delicioso jantar e, então, prepare o bote. Com um clima desses, é bem possível que você não só consiga um beijo inesquecível dessa gata, como também o seu coração.

Famosos revelam como foram seus primeiros beijos

Não tem jeito: uma das experiências mais tensas na vida adolescente é o primeiro beijo.

Depois que a gente beija, descobre que o momento nem é tãaao ruim assim, mas enquanto ainda somos BV, sempre surgem algumas dúvidas: como será que vai rolar? Será que vai ser com meu crush? Será que eu sei beijar direito? E depois do beijo, o que eu devo fazer? Se você passa (ou já passou) por isso, saiba que com os famosos não é diferente, não. Alguns tiveram sorte e outros tiveram beijos bem estranhos. Olha só:

Noah Centineo

 (Reprodução/Instagram)

Em entrevista ao site Seventeen, o ator disse que deu seu primeiro beijo aos 15 anos. “Eu estava em um hotel e havia uma convenção de dança. Vi uma garota e achei que ela era uma dançarina linda. Fui até ela e falei: ‘Ei! Podemos ir ao cinema? Você gostaria?’. E ela ficou tipo: ‘Sim, claro’.

Então nós fomos ao cinema e era um filme do Daniel Craig (Caubóis e Aliens), nós assistimos e ficamos de mãos dadas… Eu a levei de volta ao quarto do hotel, olhei para ela e perguntei: ‘Um beijo de boa noite?’ Ela ficou tipo: ‘Hmmmm’. E depois nós nos beijamos e ela fechou a porta”, contou ele.

Parece coisa de filme, né?  

Lana Condor

 (Reprodução/Instagram)

A atriz de Para Todos os Garotos que Já Amei contou à Seventeen que seu primeiro beijo rolou em um desafio na sexta série: “Foi com um garotinho. Ele era mais baixo do que eu e era a primeira vez que eu beijava alguém. Nós fizemos… Foi meio seco e foi estranho, cheio de texturas… Uma experiência pela qual eu não quero passar de novo”, brincou ela.

Maisa

 (Reprodução/Instagram)

Lembra-se do seu primeiro beijo? Histórias românticas, terríveis e engraçadas

Danielle deu o seu primeiro beijo escondida atrás de um autocarro que, infelizmente, estava cheio de gente. Ela bem queria passar despercebida, mas acabou apanhada por uma pequena multidão. Já Miah tinha a turma inteira a olhar para ela, a gritar “beija”, enquanto Sara ouviu do outro lado um “precisas de treinar mais”.

No Dia dos Namorados, a MAGG recorda histórias mais ou menos fofinhas de primeiros beijos. Toda a gente se lembra do seu, mesmo que não seja uma memória agradável. O primeiro beijo — a sério, os chochos na primária não contam — é uma recordação que fica para sempre, mesmo que esteja carregada de embaraço ou tenha sido simplesmente terrível.

Ou encantador. No caso de Paula Carvalho, o homem que lhe deu o seu primeiro beijo voltou anos mais tarde à sua vida — e hoje continua por lá. Já Patrícia Cabral recordou-nos a primeira vez que beijou uma mulher: foi exatamente há oito anos, num Dia dos Namorados, que tudo mudou.

Danielle Miranda (36 anos, Seixal)

“Tinha 9 anos e era apaixonada pelo Beto, um capoeirista gordinho que treinava na igreja em frente à minha casa. Não tenho ideia de quanto tempo isso durou, se semanas, meses ou anos…

 Só me lembro de gostar dele até aos 12 anos. Um dia combinámos encontrar-nos. Para os meus pais não sonharem com o que se passava, duas amigas minhas iam chamar-me à janela de casa.

Era o sinal de que o Beto estava à minha espera na paragem.

Todo decidido e afoito, espeta-me um beijo tão grande que eu até ia caindo. Não tenho a certeza do que o fez dar o primeiro passo”

Sentámo-nos na escada e esperámos que um autocarro parasse em frente de nós para esconder a “sem-vergonhice”. Porém, todo o autocarro ficou parado a olhar para nós, em choque. Eram duas crianças a dar um beijo de língua! Eu amava o Beto, mas odiava aquela língua que ia parar à minha garganta [risos]. E foi assim que aprendi a beijar.”

Catarina Fartaria (40 anos, Cascais)

“Devia ter uns 15 anos. Eu era muito tímida e não estava nada interessada em namoros, mas na minha turma havia um rapazinho muito giro e tão tímido (ou mais) do que eu. A pressão das amigas levou-me a fazer uma aposta inocente… Apostei com elas que, até ao fim daquele período, arranjaria coragem para ir falar com o dito rapazinho, se não iam elas 'denunciar-me'.

É claro que o tempo passou e eu nada. Certo dia, sem que eu soubesse de nada, vejo o rapazinho a vir na minha direção. Todo decidido e afoito, espeta-me um beijo tão grande que eu até ia caindo. Não tenho a certeza do que o fez dar o primeiro passo, mas acho que as minhas duas amigas devem tê-lo incentivado vivamente.

É claro que fomos motivo de chacota o resto do ano, e até hoje ainda não sei quem ficou mais vermelho — se eu, se ele. E é esta a história do meu primeiro beijo, perdi a aposta e ganhei um namoradinho.”

Miah Tossani (32 anos, Faro)

“Lembro-me do meu primeiro beijo como se fossem ontem. Tinha 11 anos e estava a 'namorar' um menino da escola, mas só dávamos a mão.

Um dia os nossos amigos trancaram-nos na sala de aula e disseram-nos que só saíamos de lá depois de nos beijarmos. Ficámos uns dez minutos ali, cada um num canto da sala.

Como nada acontecia, os nossos amigos, uns 30 miúdos, começaram aos gritos à janela: “Beija, beija”.

Foi muito vergonhoso. Como nós tínhamos que ir para casa, acabámos por nos beijar. Foi uma gritaria, aplausos… Mas até foi bom. Já estou com 32 anos e ainda me recordo da roupa que usávamos.

Ele estava com uma camisa polo vermelha com uma faixa azul na horizontal e uns jeans.

Eu usava uma camisa amarela clarinha com um gato estampado na frente e umas bermudas verde-limão com umas sandálias pretas.”

Paula Carvalho (27 anos, Vila Nova de Gaia)

“O meu primeiro beijo foi dado ao grande amor da minha vida quando tinha 16 anos. Uns dias mais tarde ele resolveu voltar para a namorada da altura e acabámos. O tempo foi passando.

No ano seguinte comecei a namorar, entretanto casei e tive um filho. Não funcionou. Voltei a reencontrá-lo um mês antes de sair de casa — infelizmente, era vítima de violência doméstica.

Morávamos no mesmo prédio e no mesmo bloco, e não sabíamos. Ele ajudou-me a sair daquela situação.

Leia também:  Como aguar rosas adequadamente: 14 passos (com imagens)

Nunca esqueci aquele beijo! Passaram-se oito anos e nunca esqueci aquele beijo. Agora, vai fazer três anos que estamos juntos. Mais maduros e com uma grande história de amor.”

Sara Maria (25 anos, Pinhal Novo)

“Gostava de um rapaz há já um ano. Éramos inseparáveis mas também nos fartávamos um do outro muitas vezes. Crianças, não é verdade? Nesse verão ele convidou-me para ir passar um fim de semana à Lagoa de Albufeira, na casa da avó dele. Nunca esperei aquele convite, e os meus pais também não gostaram muito, mas lá me deixaram ir porque os pais dele também iam, obviamente.

Quando cheguei, também estavam lá as primas dele, que eram mais novas do que nós e só queriam brincar. Depois de jantar fomos a um café e passou uma estrela cadente no céu.

Nunca tinha visto uma mas pedi um desejo: que ele gostasse de mim tanto quanto eu gostava dele. Voltámos para a casa da avó dele e as primas quiseram fazer uma luta de almofadas em cima de uma das camas. Estivemos horas naquilo, às gargalhadas e na brincadeira.

Até que uma delas escorregou e bateu com o queixo no chão, começando logo a sangrar.

Entrei em pânico porque os pais dele tinham saído entretanto e eu não sabia como lidar com aquela situação — sou filha única e a mais nova da família.

Ele, ao contrário de mim, foi super rápido a tomar uma decisão e foi buscar papel higiénico para tentar parar o sangue.

Ela chorava de dores e eu dava-lhe festinhas no cabelo, dizendo que a tia estava quase a chegar e que depois víamos se era preciso ir ao centro de saúde.

Sendo sincera, ouvi metade daquilo que ele disse porque passei o tempo inteiro a pensar: 'Beijo? Não beijo?'”

Quando eles chegaram, levaram a menina para o centro de saúde e nós ficámos os dois sozinhos. Eu estava com uma dor de cabeça descomunal por causa dos nervos e acabei por me ir deitar. Estava quase a adormecer quando ouvi alguém a entrar no quarto. Ele anunciou-se e deitou-se ao meu lado, por cima dos lençóis.

Olhou-me diretamente nos olhos, mexeu-me no cabelo e beijou-me. Eu estava a espera de um chocho mas aquilo acabou por envolver língua e eu não fazia a mínima ideia do que era suposto fazer. No fim, ele disse-me que eu precisava de treinar mais e ficou ali até eu adormecer. Quando os pais dele chegaram, expulsaram-no do meu quarto e ele ainda levou uma descasca.

E eu nunca me tinha sentido tão feliz como naquela noite.

Uns dias depois fiz anos e ele nem sequer se lembrou.”

Miriam De Las Astúrias (25 anos, Loures)

“Foi no dia 26 de janeiro de 2017. Ele era um rapaz que eu tinha conhecido três meses antes pois ambos começávamos um novo trabalho, na Netflix. Ele gostou logo de mim e fez logo as suas peripécias e técnicas de engate para ficar comigo. Eu fui sempre muito reticente porque tinha medo — nunca tinha tido um namorado antes e tinha muito receio.

Depois de muita insistência por parte dele, lá fomos a um encontro — eu que pensava que um encontro era um compromisso! [risos] Nunca me ocorrera que um encontro é apenas um test drive sem compromisso.

Fomos ao Amoreiras, a um cafezinho fofo que há lá. Falámos durante imenso tempo, eu mais calada e nervosa.

Sendo sincera, ouvi metade daquilo que ele disse porque passei o tempo inteiro a pensar: 'Beijo? Não beijo?'.”

A determinado momento, sinto uma adrenalina no meu corpo. Sem saber exatamente o que estava a fazer, levanto-me, pego na cara dele e dou-lhe um beijo.

Claro que ficou incrédulo, do género 'isto acabou de acontecer?'. E foi assim que passei de 'ai que medo gostar de alguém' para ser eu a beijar alguém.

Foi nesse momento que me libertei de todos os macaquinhos que tinha na cabeça e fui em frente com a nossa relação”.

Sofia Silva (41 anos, Torres Vedras)

“Eu morava numa rua sem saída, onde todos os fins de semana vinham os amigos da cidade com casa na aldeia junto à praia (Boavista, Santa Cruz). Estávamos a brincar às escondidas. Ele era giro! Todas as miúdas tinham uma paixoneta por ele.

Acho que tinha uns 11/12 anos, e sim, ainda brincávamos às escondidas. Foi muito engraçado: havia um pinheiro muito largo e nós fomos esconder-nos no mesmo sítio. O silêncio, a proximidade, a cumplicidade que havia provocou um beijinho.

Foi um beijinho simples nos lábios, mas para uma menina naquela fase da vida foi magia.

Patrícia Cabral (38 anos, Porto)

“Em 2011, trabalhava num call center enquanto não surgia nada melhor. Modéstia à parte era a melhor operadora deles. Nessa altura começam uns sussurros de que iria integrar na equipa de uma tal Dora que também obtinha óptimos resultados.

Desconfiei e fiquei atenta a quem vinha aí. Uma semana depois, a Dora entra na equipa e fica mesmo na minha frente. Lembro-me perfeitamente o que vestia, como caminhava e da forma delicada com que tirou o casaco, sempre muito focada e concentrada.

Nesta fase eu tinha namorado. Sabia já há muito que o que me encanta é a pessoa, é-me indiferente o hardware se o software me tocar. Contudo nunca me tinha apaixonado por uma mulher.

Em retrospectiva consigo perceber que me encantei por ela assim que a vi, mas na altura pensei que fossemos só amigas. Fomos as melhores amigas durante um ano.

Trocámos de projeto mas não nos cansávamos uma da outra — tínhamos as mesmas referências, os mesmos amores e implicações, a mesma sensibilidade. O trabalho terminava e nós ficávamos horas a conversar.

Um dia, a 14 de fevereiro, após o trabalho, convidei-a para jantar. Já não tinha namorado e não conseguia pensar em melhor companhia para um jantar animado. Comemos, bebemos, rimos e ficámos até o restaurante fechar.

Eram muitas da manhã e sentia-me tão feliz, tão plena, que percebi: estou a apaixonar-me. “Mas não te preocupes que lido bem com isso”, disse-lhe quando a deixava no carro dela. Ela brincou e eu fui para casa com o melhor dos sorrisos.

No dia seguinte voltei a tocar no assunto, mas como sempre pus-me na defensiva — que devíamos estar malucas, que não era boa ideia confundir as situações.

Por incrível que pareça, pombos ou pombas levantaram voo à frente do carro dela, o que nos pareceu um sinal do universo.”

Passámos uma semana a evitar-nos, mas o universo juntava-nos e parecia que havia eletricidade entre nós. O tempo encolhia e distendia sem a mínima lógica.

No final dessa semana confessámo-nos uma à outra, mas não nos beijámos tal era o nervosismo.

Dois ou três dias depois fiz-lhe uma maldade: como tinha sido eu a confessar a minha paixão, seria ela a decidir quando seria o nosso primeiro beijo. Ela disse que sim e depois fez-me esperar.

Ainda hoje não sou conhecida pela minha paciência. Concluí que, face à falta de iniciativa por parte dela, aquela paixão estava na minha cabeça. Um dia estamos nós no carro, comigo a tirar conclusões, e ela literalmente atreve-se e dá-me o chamado beijinho (um selinho) e sai do carro entrando no dela.

Fiquei chateada, ou melhor, frustrada — aquilo não era beijo que se desse.

Liguei o carro num impulso para me ir embora, mas quando dou por mim estou a entrar no dela a barafustar e eis que nos calámos com um beijo, cheio de emoção, de entrega, de beleza.

Por incrível que pareça, pombos ou pombas levantaram voo à frente do carro dela, o que nos pareceu um sinal do universo. E foi o início de um grande amor e de uma relação maravilhosa que já está a caminho de completar oito anos.”

Daniela Beiçudo (25 anos, Cuba)

“Eu andava a falar com um rapaz e combinámos um dia ir à piscina. Tinha 13 ou 14 anos. Havia um espaço mais escondido atrás das piscinas, por isso fomos para lá e aconteceu o beijo. Sinceramente, achei aquilo super nojento e nem sabia o que estava a fazer — mas tinha treinado no meu joelho antes; sim, é estranho.

Lembro-me de andar lá com a língua, sem saber bem onde a tinha que meter, e lembro-me também de ter ficado toda babada porque ele tinha aparelho e uma boca enorme. Resumindo, foi tudo péssimo. Além disso, era um rapaz — naquela altura eu já sabia que não gostava de rapazes, mas tentei à mesma. Fiquei chocada que nunca mais lhe falei.

Até hoje!”

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*