Como aproveitar a vida depois dos 50 anos: 12 passos

Ao chegar aos 50 anos, você já tem muito tempo de experiência no mercado de trabalho. Foi funcionário, às vezes foi chefe, suportou pressão dos clientes e dos fornecedores. Agora seus filhos estão crescidos e, com isso, sua rotina está mais leve.

Ou seja: você tem experiência profissional e tempo. Não tem motivos para parar de trabalhar – às vezes, até precisa continuar para completar a renda.

Então, que tal continuar na labuta abrindo sua própria empresa? Pode ser alguma coisa que você já fez antes ou um projeto novo, que você passou a vida inteira sonhando em construir.

Aquele restaurante gostoso, aquela padaria de bairro ou mesmo um projeto bem simples.

Você está no momento certo para continuar trabalhando, agora com sua própria empresa. Os números confirmam essa tendência: há dez anos, só 3% dos empreendedores do Brasil tinham mais de 55 anos. Hoje, já são 12%. Chegou a sua vez de entrar para essa estatística!

Como fazer?

Confira sete passos para você ser bem-sucedido nessa nova etapa de sua vida profissiona

1. Esteja pronto para ser um faz-tudo

Para começar um negócio próprio, é importante que você esteja pronto para exercer todas as funções de uma empresa.

Você vai, sim, ser seu próprio chefe, mas também o office boy: possivelmente, ao menos num primeiro momento, terá que monitorar o pagamento das contas e lidar com todos os menores detalhes do dia a dia do negócio. As responsabilidades são diferentes e você precisa se preparar para elas.

Como Aproveitar a Vida Depois dos 50 Anos: 12 Passos

– (Terry Vine Blend Images/Estúdio ABC)

2. Planeje bem

Seja uma lojinha de bijuteria, seja uma sorveteria, ou mesmo uma agência de viagens… Todo novo comércio exige que você faça um bom estudo do negócio, analise os investimentos necessários, o número de funcionários para começar, o espaço e os maquinários e o tempo de retorno. Conheça bem o cliente, o processo de desenvolvimento do produto, as dificuldades do negócio… Tudo isso tem que estar bem claro antes de você abrir as portas e encarar o mundo.

Como Aproveitar a Vida Depois dos 50 Anos: 12 Passos

– (DNY59/Getty Images)

3. Estude muito

Sempre que necessário, converse com pessoas do ramo e estude. Procure o Sebrae, as prefeituras e as associações de classe da área em que você pretende atuar. Entenda qual é exatamente seu produto e como você vai convencer as pessoas de que elas precisam dele.

Não se esqueça: se por um lado o empreendedor de 50 anos é mais resistente à pressão e é mais difícil de se assustar ou desanimar, por outro você não pode se dar ao luxo de perder o dinheiro suado da sua aposentadoria.

Se tudo der errado, pode ser difícil arranjar um novo emprego com carteira assinada.

Como Aproveitar a Vida Depois dos 50 Anos: 12 Passos

– (Vagajic/Getty Images)

4. Considere adotar uma franquia

Existem franquias muito acessíveis financeiramente, que já fornecem aquilo que você deseja oferecer. Mas será preciso pensar bem.

Por um lado, você vai aderir a um pacote pronto, com maior controle sobre o investimento inicial e as possíveis taxas de retorno, além do suporte fornecido pela rede.

Contudo é bom também pensar nos problemas desse tipo de negócio: em geral, as franquias têm suas limitações e padronizações.

Como Aproveitar a Vida Depois dos 50 Anos: 12 Passos

– (Highwaystarz Photography/Getty Images)

5. Leve em consideração o prazer

Você já trabalhou demais e pode ter tido que passar muito tempo fazendo atividades de que não gostava.

Agora, mesmo que precise empreender para complementar a renda, pare para pensar se o negócio escolhido vai proporcionar satisfação.

Não se esqueça: finalmente chegou a hora de cuidar de você mesmo! Encontre um trabalho que deixe tempo livre para passear e curtir a família e os amigos.

Como Aproveitar a Vida Depois dos 50 Anos: 12 Passos

– (Aleksander Nakic/Getty Images)

6. Esteja presente no ambiente virtual

Geralmente, os especialistas dizem que é melhor escolher um negócio que use sua experiência anterior e a rede de contatos formada ao longo de uma vida inteira de trabalho.

Por outro lado, é preciso prestar atenção às novas tecnologias: elas mudam o jeito de produzir e de entregar e, em especial, a comunicação com os clientes.

Se seu negócio for uma loja pequena, conhecida só pela vizinhança, você terá, certamente, que criar um site e colocar sua empresa nas principais redes sociais. Para isso, é importante estar preparado para responder a dúvidas e críticas 24 horas por dia, sete dias por semana.

Como Aproveitar a Vida Depois dos 50 Anos: 12 Passos

– (Deimage/Getty Images)

7. Faça sobrar tempo para você

Nesta fase da vida, você já percebeu que o trabalho não é tudo. Não deixe de aproveitar a família e os amigos. Tome cuidado para o novo emprego não tomar mais tempo do que você gostaria.

Como Aproveitar a Vida Depois dos 50 Anos: 12 Passos

– (Monkey Bussiness Images/Getty Images)

Grupo 3corações mostra o processo de produção do café em 14 passos – Grupo 3corações

Infográfico apresenta todas as fases do circuito, da lavoura à xícara do consumidor

Depois do petróleo, o café é a segunda mercadoria mais importante para a economia mundial, e a bebida mais consumida, após a água. Para entender todo o processo produtivo, da lavoura até a xícara, a 3corações, empresa líder do setor no Brasil, preparou um infográfico em 14 passos.

Como Aproveitar a Vida Depois dos 50 Anos: 12 Passos

O ciclo vai desde o preparo da muda até a colheita do fruto, o que pode levar três anos ou mais, e inclui pesquisas relacionadas à variedade, clima, solo e região de cultivo.

Todas as fases exigem cuidado, para que o produto final chegue com a qualidade desejada, de forma que atenda às expectativas dos mais variados paladares.

Em mais de 50 anos de história, a empresa é uma das maiores especialistas do segmento e conta com indústrias, comercialização, vendas e distribuição próprias, além de unidades de exportação, compra e rebenefício de café verde.

  • Confira a seguir os detalhes de cada um dos 14 passos:
  • 1)    Preparo da terra: aplanta do café tem facilidade de adaptação a diversos tipos de solo, o que impacta diretamente sua produtividade, qualidade e tempo de vida produtiva.
  • 2)    Plantio das mudas: selecionar as mudas, que podem ser adquiridas em viveiros reconhecidos por cooperativas ou institutos ligados ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

3)    Manutenção das plantas grandes: varia de acordo com o tipo desejado, e as plantas podem alcançar entre 1,5 m e 2,5 m de altura. As lavouras com altura superior tendem a ser substituídas ou podadas, para melhorar o manuseio e a produtividade.

4)    Controle de pragas: estratégia de ação com táticas de controle naturais e químicas, selecionadas e integradas em programas que tiram a máxima vantagem das características das plantas e dos fatores naturais de mortalidade.

5)    Tipo de colheita: a colheita do café pode ser realizada de forma manual, semimecanizada ou mecanizada.

A primeira pode ser do tipo seletiva, que cata somente os frutos maduros ou do tipo derriça, ou seja, todos os frutos de cada ramo, colhidos com panos ou peneiras.

No sistema semimecanizado, existe a utilização de derriçadeiras, equipamento que faz o trabalho do catador com mais rapidez e agilidade. E a mecanizada é feita com máquinas colhedeiras completas, automotrizes ou tracionadas por trator.

  1. 6)    Preparo no pós-colheita: os grãos podem ser separados em três formas de preparo:
  2. a)    via seca – sem eliminação da casca, que resulta no café natura.
  3. b)    via úmida – com a eliminação da casca e da mucilagem, para resultar no café despolpado.
  4. c)    via semiúmida – com eliminação da casca, que obtém o café cereja descascado.

7) Beneficiamento: separação do fruto do café da casca e do pergaminho. São três fases: descascamento (retirada da casca e do pergaminho do grão); pré-limpeza (retirada de cascas e pergaminhos); e catação/separação (separação dos grãos perfeitos das impurezas, como folhas, paus, pedras e torrões de terra).

8) Classificação: feita com máquinas de beneficiamento (retirada da casca e do pergaminho do fruto do café) e rebeneficiamento (processo efetuado com o café em grão cru após o beneficiamento).

São utilizados os seguintes processos: ventilação (retira o pó, pergaminhos, paus, folhas e outros); catador de pedra (retira os vestígios de pedras, areia ou torrões de terra); peneirão (separa o café pelo tamanho do grão); e eletrônico (retira os grãos defeituosos de coloração escura, como pretos, verdes e ardidos).

9) Torra: existe uma torra adequada para cada blend, origem ou variedade, que pode mudar conforme a região, país, cultura e tipo de preparo desejado. Pode levar de nove a 20 minutos.

10) Blend: combinação de cafés produzidos em diferentes propriedades, regiões ou países.

Respeita critérios como: forma de preparo (naturais ou lavados), safra (ano de colheita), características de bebida, aspecto e peneira (tamanho do grão) e, em alguns casos, sua variedade (robusta ou arábica).

É desenvolvido por um profissional com alto nível de conhecimento técnico e estratégico na seleção e preparação das melhores bebidas.

11) Moagem: comequipamentos de moagem de alta performance, que se alternam de acordo com o tipo de café desejado. Totalmente automatizado, um moinho pode moer até 4 mil kg por hora, conforme a granulometria desejada.

12) Embalagem: processo totalmente automatizado, com equipamentos de alta performance.

São os seguintes: Linha Empacotamento a Vácuo 500 g e 250 g (produz até 120 pacotes por minuto); Linha Stand Pack ou Fundo Chato 500 g e 250 g (para cafés espressos, com ou sem válvula, que produz até 60 pacotes por minuto); Linha Almofada 500 g e 250 g (até 60 pacotes por minuto); e Linha de Cápsulas, de 2,5 g a 11 g (até 20 mil cápsulas por hora).

Leia também:  Como aguar rosas adequadamente: 14 passos (com imagens)

13) Transporte: o Grupo 3corações conta com logística própria, que distribui os produtos para o todo o País.

14) Sua xícara: momento para degustar uma das bebidas mais consumidas no mundo.

Sobre o Grupo 3corações
Fundado em 1959, no interior do Rio Grande do Norte, o Grupo 3corações é líder nacional no segmento de café torrado e moído, pioneiro e líder de mercado há mais de 20 anos, com o Cappuccino 3 Corações, e líder nas Regiões Norte e Nordeste com o café Santa Clara.

Atualmente, a empresa industrializa e comercializa as marcas de café 3 Corações, Santa Clara, Pimpinela, Kimimo, Fort, Letícia, Fino Grão, entre outras, e possui o cappuccino #PRONTO, versão gelada pronta para beber da marca.

Além desses produtos, o grupo produz filtro, porta-filtro, café solúvel, refresco em pó Frisco e Tornado, achocolatado Achocolatto 3 Corações e os derivados de milho e temperos Dona Clara e flocos de Milho Claramil.

Em 2013, ao estabelecer joint venture com a marca italiana Caffitaly System, a companhia iniciou a atuação no segmento de eletroeletrônicos. A parceria trouxe ao mercado brasileiro a solução inédita TRES, uma máquina multibebidas monodose em cápsulas, com mais de 12 sabores de bebidas quentes. O grupo fechou 2013 com faturamento de R$ 2,4 bilhões.

3corações aproveita a força de distribuição e a presença em todos os Estados para reforçar os laços com clientes e consumidores e consolidar sua liderança nacional.

São 24 Centros de Distribuição (CDs), cinco Plantas Fabris (nove Unidades Industriais), três Unidades de Compra e Beneficiamento de Café Verde (Armazéns), uma Unidade de Exportação, uma Unidade Corporativa – a Integradora (CE, SP e MG) – e a Escola de Serviços e Sabores 3corações, que, juntos, geram mais de 4,7 mil empregos diretos. A empresa está presente em mais de 300 mil pontos de venda no País, com estrutura logística e comercial própria.

Informações para a imprensa:
Ana Paula Joaquim
 – [email protected]
Amanda Santos – [email protected]
Bruna Oliveira – [email protected]

com.br
Jessica Blumer – [email protected]
Soraia Ascari – [email protected]

RP1 Comunicação
Tel.: 11 5501-4655
www.rp1.com.

br

Viver com otimismo após os 50! Dicas para transformar seus dias

Flares Twitter 0 Facebook 0 Flares ×

Chegar aos 50 anos de idade é uma marca muito importante para qualquer pessoa. Além de significar que você já conseguiu viver, de maneira saudável, pelo menos metade da sua vida,  chegar à marca dos 50 também vai lhe mostrar que a atenção com a maneira que você leva o seu dia a dia deve ser ainda maior.

Exatamente por que os cuidados da saúde após os 50 anos precisam ser prioridade na sua rotina, é que muita gente relaciona essa mudança de hábitos com uma queda da qualidade de vida e, especialmente, da vontade de viver. São mais pessimistas com relação a tudo e a todos, e acabam sofrendo com algo que não deveria mudar em nada o seu ânimo com suas atividades diárias.

Se você quer aprender a viver com mais otimismo após os 50 anos, que tal conferir essas dicas que separamos para transformar completamente os seus dias?

Pratique atividades físicas todos os dias

As atividades físicas, além de serem essenciais para ajudar na manutenção da sua saúde e do corpo saudável, também são uma das melhores alternativas para lhe ajudar a viver com mais otimismo após os 50.

Elas são responsáveis por aumentar a produção de um hormônio chamado serotonina, secretado em grande quantidade quando os exercícios estão sendo praticados. A serotonina é também conhecida como o hormônio da felicidade, exatamente por ser capaz de aumentar nossa sensação de bem-estar.

Por esse motivo, quem pratica exercícios todos os dias consegue ser mais feliz e otimista após os 50.

Dedique-se a acordar cedo e aproveitar seu dia para viver com mais otimismo após os 50

Nada é melhor do que dar uma injeção de ânimo na sua disposição logo cedo, para que o resto do dia seja tão maravilhoso quanto a sua manhã. Para isso, dedique-se a dormir mais cedo, descansar bem seu corpo e mente, para não se sentir irritado logo que seu despertador tocar pela manhã. Faça um café da manhã saboroso e logo saia para suas atividades diárias.

Você vai perceber que, quanto mais esse hábito de acordar cedo se encaixar na sua rotina, mais fácil será de perceber como é bom aproveitar mais tempo do seu dia acordado!

Como Aproveitar a Vida Depois dos 50 Anos: 12 Passos

Se dê ao direito de trabalhar com o que ama

O trabalho é, praticamente, 70% do seu dia ativo.

Isso significa que, em boa parte da sua vida, você está se dedicando a uma atividade profissional regular, que lhe demanda energia e disposição para ser realizada.

Imagine se você trabalha com aquilo que não gosta. Esses 70% do seu dia serão também o resultado de um longo tempo de tortura, visto que você jamais estará feliz durante essa atividade.

Para poder viver com mais otimismo após os 50, é preciso começar a modificar a sua relação com o seu trabalho.

Por que não se dar ao direito de trabalhar com aquilo que você ama? Não estamos falando para você largar tudo de uma vez, mas sim de começar a traçar um caminho para que seu tempo profissional seja utilizado com uma atividade que lhe dá prazer. Isso vai lhe ajudar a viver muito melhor nessa fase da vida.

Aproveite seus amigos e família

A família e os amigos são apoios essenciais para quem precisa viver com mais otimismo após os 50.

Dedique-se a passar mais tempo com eles: seja curtindo um programa de TV com seus filhos e cônjuge no sábado à noite, como tirando um dia da semana para reencontrar seu grupo de amigos.

Quanto mais rodeado de pessoas queridas você estiver, maior será a sua sensação de alegria e bem-estar.

Mantenha suas visitas médicas em dia

Viver com mais otimismo após os 50 é também sinônimo de cuidar da saúde.

Por isso é tão importante manter suas visitas médicas em dia, realizar os exames de rotina e fazer o uso de medicações necessárias para continuar mantendo sua qualidade de vida em alta.

Não é preciso temer a visita ao médico quando alcançamos essa faixa etária, mas sim contar com esse profissional como um aliado para você continuar feliz e bem para o resto de sua vida.

Quais dessas dicas você já colocou em dia para viver com mais otimismo após os 50? Compartilhe com a gente suas experiências!

7 passos para garantir qualidade de vida após os 50

Trabalhar menos, aposentar-se, viajar, ver os filhos se formando… Esses são alguns exemplos de qualidade de vida após os 50. A questão é: como conseguir tudo isso?

A resposta é pensar sobre esse assunto desde cedo. Assim, você terá tempo de realizar estratégias de longo prazo que tragam estabilidade e segurança no final da maturidade e na terceira idade.

Neste artigo, vamos listar 7 passos para alcançar a qualidade de vida depois dos 50 anos. Acompanhe!

1. Repense seu padrão de vida

O período de aposentadoria exige adaptações, mas nem todo mundo está preparado. Uma pesquisa do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC) e da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), divulgada pelo Valor Econômico, demonstrou que 64,2% dos brasileiros não se organizam para esse momento da vida.

Outro levantamento do SPC — dessa vez publicado pelo jornal Notícias do Dia Online — aponta que, do total de brasileiros que não se preparavam para a aposentadoria (nesse caso, 57%), 17% esperavam depender somente do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS).

Essa atitude não é recomendada, porque o nível de renda cai consideravelmente. Quando você tem uma receita complementar, ainda assim pode obter um valor mensal mais baixo que o do último salário.

Por isso, avalie o seu padrão financeiro atual e considere todos os seus gastos. Anote-os em uma planilha e veja em que pode cortar para começar a economizar. Pense no longo prazo e tenha a qualidade de vida como meta. Vai valer a pena!

2. Quite todas as dívidas

O endividamento é uma preocupação constante na vida dos brasileiros. Segundo a Serasa Experian, o nível de inadimplência no país atingiu 60,6 milhões de pessoas em junho de 2017. Apesar do alto número, o resultado foi ainda menor que em maio do mesmo ano, quando houve recorde no total de devedores (61 milhões de pessoas).

Já entre as pessoas com mais de 61 anos, o nível de inadimplência em julho de 2016 (última publicação específica sobre o assunto) chegava a 7,5 milhões de brasileiros, também de acordo com a Serasa Experian. Esse número representava 12,7% do total de devedores no período.

O que os dados demonstram? A necessidade de evitar as dívidas agora para não tê-las no futuro. Afinal, as contas são as grandes responsáveis pela dificuldade financeira das famílias.

O ideal é evitar os gastos exagerados, as compras imprevistas e impulsivas, além das despesas supérfluas. Mantendo a planilha financeira que citamos anteriormente, você terá uma visão mais clara dos valores pagos, o que permitirá fazer um planejamento adequado. 

Ao mesmo tempo, quite todas as dívidas atuais o mais rápido que puder. Se as taxas de juros cobradas forem muito altas (como é o caso do cheque especial e cartão de crédito), o ideal é tentar trocá-las por um empréstimo menos caro, por exemplo, o Crédito com Garantia de Imóvel. 

Leia também:  Como aquecer o saquê (com imagens)

Assim, você consegue pagar as contas atrasadas com o abatimento de uma parte dos juros e evita que o valor devido se torne uma “bola de neve”.

3. Reestruture o planejamento financeiro para garantir economia

Essa atitude geralmente envolve toda a família, mas é importante manter uma reserva financeira separada para ter qualidade de vida depois dos 50. Essa é a maneira mais eficaz de assegurar que não terá que trabalhar após a aposentadoria.

Essa recomendação evita que você gaste o dinheiro com outras necessidades e impulsos, como a compra de um carro, imóvel, roupas ou pagamento de contas. Além disso, a reestruturação do planejamento financeiro exige a realização de algumas etapas:

  • reflita sobre seu objetivo: pense quando deseja se aposentar e verifique a necessidade de trabalhar mais alguns anos para garantir sua qualidade de vida;
  • analise as receitas que terá: avalie quanto receberá do INSS, se tem um plano de previdência privado ou complementar, se conta com algum tipo de investimento etc.;
  • estime o quanto precisa juntar: contabilize as prováveis despesas futuras e projete sua necessidade de renda após os 50;
  • mantenha uma reserva financeira mensal: faça aportes todo mês a fim de assegurar que terá o valor necessário;
  • reveja sua estratégia periodicamente: analise se está chegando perto do seu objetivo, se pode guardar mais ou se é necessário fazer ajustes.

4. Faça aplicações em investimentos seguros

A reserva financeira que você cria mensalmente deve ser aplicada para aumentar o valor guardado. No entanto, é preciso ter cuidado, especialmente com investimentos de Renda Variável, já que o montante está sujeito às flutuações do mercado e pode ser perdido.

O ideal é apostar na Renda Fixa, modalidade que tem baixo risco e traz um retorno interessante e significativo dependendo da opção escolhida. Há 3 aplicações que se encaixam nesse conceito:

  • Letra de Crédito Imobiliário (LCI): é um título emitido por bancos para financiar as atividades imobiliárias. A rentabilidade é alta e pode ser pré ou pós-fixada;
  • Letra de Crédito do Agronegócio (LCA): é similar à LCI, mas voltada às atividades agropecuárias. O risco está atrelado às safras e, portanto, o retorno também é elevado;
  • Certificado de Depósito Bancário (CDB): tem menor risco que as outras duas operações e exige um valor baixo de aplicação. O retorno pode ser pré ou pós-fixado, mas costuma ter a segunda opção, sendo indexado pelo Certificado de Depósito Interbancário (CDI), índice que faz o lastro das operações entre bancos. É possível conseguir rentabilidade de mais de 100% do CDI.

5. Conte com a ajuda da família para conquistar estabilidade

Os integrantes da sua família (pais, esposa, marido, filhos ou qualquer outra pessoa que more na mesma casa) devem participar da economia proposta a fim de garantir a sua qualidade de vida. Explique às crianças que é preciso poupar para sempre ter dinheiro e dê o exemplo.

Aproveite para oferecer uma mesada educativa aos seus filhos. Ao mesmo tempo, conte com o cônjuge para ter uma renda maior e pagar as contas. É desse modo que você conseguirá guardar uma quantia mensal mais elevada.

6. Tenha disciplina para garantir a qualidade de vida após os 50

O cálculo do valor necessário à sua aposentadoria exige que você seja altamente disciplinado. É preciso aplicar um montante mensal. Tenha em mente que essa quantia é como uma conta, ou seja, não deve ser esquecida nunca.

Considere o fato de que pode haver muitos gastos com despesas médicas e que a expectativa de vida tem aumentado. Por isso, além de disciplina, aproveite para reservar um valor extra, que assegura ainda mais tranquilidade ao seu futuro.

7. Lembre-se que não é preciso deixar de viver

Esse passo a passo pode fazer parecer que é necessário deixar todo o conforto de lado para ter dinheiro durante a aposentadoria. No entanto, você pode — e deve — continuar vivendo normalmente.

Economize o que puder, faça os cálculos e veja quais gastos pode reduzir. Porém, não faça sacrifícios demais. Tenha em mente que essas atitudes garantem o seu futuro, mas não podem penalizar o seu presente. Inclusive, fazer seu dinheiro trabalhar por você por meio de investimentos é uma ótima estratégia para maximizar seus ganhos e não precisar se privar tanto agora. 

Entendeu o que precisa fazer para ter qualidade de vida após os 50? Aproveite as dicas e comece a colocá-las em prática agora mesmo. Se você tem alguma estratégia de como guardar ainda mais dinheiro, deixe seu comentário!

22 Dicas Práticas para Melhorar a Qualidade de Vida

Comece a mudar seus hábitos hoje e sinta a diferença!

1. O melhor remédio que existe é o sono

Uma noite de sono bem dormida é altamente reparadora. Comece a sua caminhada em direção à saúde percebendo se o seu sono é regular, ininterrupto e se lhe faz acordar descansado.

Caso contrário, todos os outros passos serão mais difíceis e talvez insuficientes para que alcance a saúde.

O sono é o principal momento de reparação , regeneração e recuperação do corpo e não pode, de maneira alguma, estar desequilibrado.

2. Ajuste a sua alimentação

Procure um equilíbrio entre os macronutrientes, priorizando ter pelo menos a mesma quantidade calórica entre proteínas, carboidratos e gorduras. Individualidades devem ser analisadas por nutricionistas, mas, sem sombra de dúvidas, o exagero na ingestão de carboidratos é hábito que pode lhe trazer mais doenças e malefícios.

3. Alimentos Industrializados? Nem pensar!

Escolha os carboidratos baseado fundamentalmente em suas cargas glicêmicas, prefira os vegetais, como saladas, verduras, legumes, e posteriormente os grãos. Deixe por último, e preferencialmente de lado, os carboidratos industrializados.

4. Atenção aos sinais do corpo

Se tiver condições, realize um exame salivar ou sanguíneo, para detectar quais alimentos lhe fazem mal. Assim poderá identificar intolerâncias, alergias e também hipersensibilidades.

5. Teste seu organismo

Caso não tenha condições de realizar tais exames, faça você mesmo o teste. Exclua Glúten de sua vida por 25 dias e perceba se você se sente melhor. Posteriormente, exclua os laticínios, por outros 25 dias, e note como se sente. Abra uma exceção para a manteiga; dê preferência à manteiga Ghee, clarificada, ou ainda a manteiga de garrafa.

6. O corpo fala

Em relação ao item 5 você notará: Diminuição de gases, menor distensão abdominal, menor incidência de dores de cabeça, aumento na disposição, são ganhos extremamente comuns com a exclusão dos alimentos do item 5.

7. Água é vida

Faça a ingestão de água em abundância durante o dia, pois quando você sente sede, geralmente já é um sinal de desidratação. O centro cerebral da água é muito próximo ao centro da fome, portanto a boa hidratação ajuda muito na diminuição do apetite.

8. Evite potes de plástico

Evite recipientes plásticos, nunca aqueça alimentos ou líquidos em recipientes plásticos, nunca descongele alimentos e líquidos em recipientes plásticos em micro-ondas, aliás abandone o micro-ondas.

Compre água de garrafa somente da sua região, evite cafezinhos em copos de plástico finos, prefira sempre vidro ou cerâmica.

Nunca compre plásticos, principalmente mamadeiras, nas quais não esteja especificado LIVRE DE BISFENOL-A.

9. Desapegue dos vícios alimentares

Desapegue de seus vícios alimentares, caso sejam ruins. Escolha o principal inimigo e trace uma guerra contra ele, geralmente aquele alimento que mais vicia é também aquele que causa mais problemas.

10. Observe

Faça a medição de sua temperatura basal por 5 dias, sempre pela manhã, ao acordar, antes de levantar da cama.

Se a média das aferições for menor do que 36,5 graus, é possível que sua tireoide esteja produzindo seus hormônios de forma menos intensa e isso pode lhe causar dificuldades.

Observe também a qualidade de suas unhas, cabelos, turvor da pele, disposição e relação de frio e calor. Estas informações são simples mas ao mesmo tempo são fortes indícios de saúde hormonal.

11. Cuide do sorriso

Procure pastas de dente sem flúor e mantenha visitas regulares ao dentista.

12. Diga não ao aspartame

Evite o excesso de chicletes e balas dietéticas, a maioria contém Aspartame, e quando este tem contato direto com a mucosa oral e sublingual, a absorção é aumentada.

13. Evite pães industrializados

A grande maioria das padarias usa um composto cancerígeno para deixar o pão mais crocante e mais aerado.

Realmente os pães ficam mais gostosos, mas o Brometo de Potássio utilizado é um causador de câncer, proibido na Europa, nos Estados Unidos e inclusive no Brasil.

Infelizmente a nossa fiscalização é bem precária e acaba facilitando que a substância ainda seja usada, portanto todo o cuidado é pouco.

14. Evite molhos e temperos  prontos

Não consuma molhos e temperos que utilizam o de Glutamato Monossódico em sua fórmula. Infelizmente, quase todos disponíveis no mercado utilizam esta substância. O Glutamato é nocivo, especialmente ao sistema nervoso central.

A desculpa da indústria é sempre a mesma, defendem que a quantidade colocada nos alimentos não seria suficiente para gerar doenças, mas, quem utiliza estes alimentos prontos certamente não vai ingerir apenas uma porção.

Durante uma vida toda, pode-se ingerir muitas vezes este veneno. Pois então, você acredita que a dose pequena, multiplicada por mil, não seria maléfica? Claro que sim, mas isto não é considerado um problema do fabricante.

Não se iluda, os fabricantes não estão preocupados com a saúde do consumidores, o objetivo deles é pura e simplesmente ganhar dinheiro.

Leia também:  Como a icar um revestimento epóxi em um piso de garagem

15. Para matar a vontade do açúcar

Troque o açúcar e os adoçantes artificiais por Stevia pura, Taumatina, Xylitol, D-Ribose, açúcar de côco. Estas substâncias não são apontadas como causadoras de doenças como o Aspartame, o açúcar e a sucralose são.

16. Escolha o açúcar certo

A diferença entre o açúcar normal e o orgânico, são apenas os agrotóxicos. O principal problema do açúcar é a sua composição e o poderoso efeito de glicação no sangue, e nesta hora, ambos são iguais, o orgânico também causa o mesmo efeito, portanto, pouca diferença faz se é orgânico ou não.

17. De olho nos óleos e azeites

Troque todos os óleos pelo óleo de coco extra virgem, e caso deseje variar, prefira inclusive a banha de porco do que os óleos hidrogenados. Soja, milho, girassol, canola e companhia acabam aumentando a quantidade de Ômega 6 no corpo.

Esta substância, quando além dos níveis suportáveis, gera o aumento da inflamação crônica e o desequilíbrio dos ácidos graxos. Mero engano achar que são livres de gorduras trans. Seriam livres se fossem consumidos logo após a sua fabricação, e se não fossem levados ao fogão.

Todos estes óleos, quando aquecidos, viram trans, capazes de provocar todos os problemas associados à ingestão de gorduras trans.

18. Gordura Trans

Ainda sobre gorduras trans: você acha que aqueles biscoitos gostosos são mesmo livres de gorduras trans? O que aconteceu com a maioria é que, ao invés de excluir a gordura ruim, os fabricantes simplesmente diminuíram os tamanhos dos snacks.

Não se engane, a quantidade existente em cada pedaço, agora, não é suficiente para que sejam considerados como possuidores de gorduras trans, mas apenas por uma convenção, na verdade em grandes quantidades, que é como são ingeridos, apresentam sim quantidades significativas no final das contas.

19. Busque encontrar o seu equilíbrio, sempre acertando mais do que errando

Se é possível praticar esta política quando se trata de estudos ou trabalho, por que motivo deveríamos nos permitir errar à vontade nos aspectos pessoais e de saúde? Devemos seguir uma vida saudável dentro deste conceito, quatro dias de acerto, durante uma semana significa acertar mais do que errar. Um passo de cada vez.

20. Tome nota

Escreva todas as noites, antes de dormir, uma lista com cinco metas que você prioriza realizar no dia seguinte. Cuide para que, ao menos uma destas metas seja algo relacionado à sua saúde. Carregue este papel junto com você, de preferência junto com algum objeto que você terá contato visual muitas vezes ao dia, como bolsa, carteira, etc.

21. Força na peruca

Não esqueça de orar, pedir a Deus ou a qualquer que seja a força superior na qual você acredite. Ter o apoio de familiares e amigos é muito importante, mas ter fé espiritual é imensamente forte e acalentador.

22. Mudar faz bem

Infelizmente, nem todos os que o rodeiam estão preparados para mudar suas atitudes ou aceitar que você está mudando. A mudança causa uma repulsa natural, um sentimento de repúdio, de auto defesa, e talvez você até experimente uma tentativa de auto sabotagem, consciente ou inconsciente, nos outros.

É muito comum que lhe digam que está ficando louco, que não é necessário mudar, e todas aquelas coisas. Tente mudar seus hábitos e seguir firme sem deslizes por alguns meses, uns três meses.

Depois deste tempo, você pode parar e refletir sobre o que aconteceu na sua vida, as mudanças e pode então escolher se é este o caminho que quer seguir ou não.

Espero que essas dicas possam ajudar você a ter uma vida mais saudável e com qualidade.

Leia também os 10 Passos do Emagrecimento Saudável

Dr. Victor Sorrentino

Lições de vida inspiradoras de 9 empreendedores com mais de 50 anos

Todas as semanas, o blog da Shopify publica histórias de pessoas do mundo inteiro: lojistas da Shopify com os mais variados estilos de vida, de idades diferentes, que vendem de tudo, desde chocolate, roupas e calçados artesanais e até serviços de remoção de lixo doméstico. O caráter singular das lojas hospedadas na Shopify e a diversidade das pessoas na gestão desses empreendimentos são grandes fontes de inspiração.

É por isso que não cansamos de repetir: qualquer um, sim, sem brincadeira, qualquer um pode abrir um negócio.

Já publicamos um artigo sobre jovens promissores que foram picados pelo bichinho do empreendedorismo; abriram suas empresas antes mesmo de se formarem no ensino médio. E compartilharam seus próprios pontos de vista e deram conselhos à Geração Z.

Agora, vamos focar em um grupo diferente; observamos uma tendência de empreendedorismo entre pessoas que chegaram à maturidade, aposentados ou não, que desejam dedicar o recém-conquistado tempo livre para um negócio próprio, por diferentes razões: manter-se ocupados, complementar a renda da aposentadoria, ou mesmo gerar renda própria por não conseguirem uma recolocação como funcionários no mercado formal de trabalho.

Os dados confirmam isso: a pesquisa Empreendedorismo no Brasil, elaborada no projeto Global Entrepreneurship Monitor (GEM), conduzida pelo Instituto Brasileiro de Qualidade e Produtividade (IBQP) em parceria com o SEBRAE e a FGV, evidenciou a importância dos empreendedores maduros. Em 2016, 10,4% dos empreendedores iniciais tinham entre 55 a 64 anos (em 2007, em comparação, esse percentual era de apenas 4,9%). Entre os empreendedores já estabelecidos, este percentual sobe para 19,2%, na mesma faixa etária. Veja aqui o relatório completo dessa pesquisa.

No ambiente acadêmico, também são feitas pesquisas com o objetivo de entender o perfil dos empreendedores maduros, bem como suas percepções e motivações. Hoje, existe um entendimento geral de que não existe uma idade limite para começar a empreender.

Diante deste cenário, vamos apresentar, neste artigo, as histórias de nove donos de lojas sobre os benefícios e desafios da gestão de um negócio após os 50 anos. O consenso? Anos de experiência – tanto na vida como no trabalho – criam uma base excelente para o empreendedorismo. Conheça os conselhos que estes empreendedores dão para outras pessoas que pensam em seguir o mesmo caminho:

1. Mommy Choi

Proprietária e Chef, Mommy Sauce

A Mommy Sauce nasceu do amor pela cozinha e pela família. Encorajada pelo filho, um renomado chef, a sul-coreana Mommy construiu sua empresa por conta própria, vendendo receitas secretas de molho para o restante do mundo. Mommy começou seu negócio em 2015, quando tinha 71 anos.

Se você tem um sonho, comece agora. Arregace as mangas e se dedique.

A idade, segundo Mommy, é uma vantagem nesse ramo de negócios:

“Tenho 73 anos agora. Uma coisa boa em relação a essa idade é que eu fico menos estressada, em geral. Eu acordo com a mente focada em trabalhar bastante e ter uma boa noite de sono. É muito mais fácil agora do que quando eu era mais jovem.

 Quando eu tinha o meu restaurante, o Silver Garden, eu tinha uma família para cuidar, e era muito mais difícil para mim. Na idade que eu estou agora, já não preciso mais me preocupar em pagar as contas, economizar dinheiro ou sustentar uma família. Meus filhos se sustentam. Meus amigos me ajudam.

 Tenho mais confiança e certeza dos meus sonhos e objetivos. Estou fazendo o que eu realmente amo fazer.”

Que conselho ela daria para outras pessoas que pensam em abrir um negócio após os 50 anos ou então quando se aposentarem?

“Não fique pensando demais em uma ideia a ponto de desanimar. O tempo voa. Se você tem um sonho, comece agora. Arregace as mangas e se dedique. Você tem menos a perder quando você é mais velho. Seus filhos estão crescidos. Tem menos preocupações. Realize um sonho que vai fazer você feliz pelo resto da vida… não deixe a vida passar em branco.”

2. Kathy Dannel Vitcak

CEO & Fundadora, The Blissful Dog Inc.

A empresa The Blissful Dog teve início em 2003; sete anos depois, em vez de se aposentar, Kathy se dedicou ao empreendimento em tempo integral.

 A ideia para o produto que se tornou o carro-chefe do negócio, uma pomada para hidratar o típico nariz seco dos cães, surgiu quando Kathy visitou uma exposição canina. Ao passar manteiga de carité nos próprios cachorros, percebeu o incrível poder de cura dessa espécie de castanha.

 A parti dali, Kathy começou a compartilhar, com amigos, latinhas com uma formulação própria da manteiga, e também começou a vendê-las através de uma loja online experimental.

Atualmente, a marca possui cerca de 2500 itens, que são vendidos através da loja hospedada na Shopify e também por meio de parceiros presentes em dezenas de países.

“Depois de muitos anos de grande frustração com os carrinhos de compras da WordPress, eu descobri a Shopify no final de 2015. Migrei e fiquei simplesmente apaixonada por ela! Agora eu tenho as lojas TheBlissfulDog.com, TheBlissfulDogWholesale.com e TheBlissfulHorses.com, todas hospedadas na Shopify.”

Kathy nasceu para ser empreendedora: adora trabalhar e ficar ocupada, mas só descobriu isso na “melhor idade”.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*