Como ajudar um alcoólatra a parar de beber: 14 passos

O número de mortes pelo alcoolismo só aumenta. Este é um vício difícil de curar, mas super possível. Continue lendo e descubra como parar de beber

O consumo de bebidas alcoólicas já matou mais de 3,3 milhões de pessoas no mundo em apenas 12 meses. O alcoolismo mata mais que HIV, tuberculose, obesidade e atos de violência.

Como Ajudar um Alcoólatra a Parar de Beber: 14 Passos

Mesmo assim, cerca de 38% da população mundial continua bebendo álcool quase todos os dias.

Alcoolismo é a dependência de álcool. Ou seja, pessoas que sofrem de alcoolismo costumam ter compulsão por bebidas alcoólicas e extrema dificuldade em deixar o vício.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) considera o alcoolismo uma doença psiquiátrica, mas que apresenta consequências fisiológicas sérias no corpo e na mente.

Isto é, um alcoólatra sofre tanto pela dependência, quanto pelos problemas que surgem na saúde a longo prazo. A grande questão é, como parar de beber? Como abandonar de uma vez por todas o vício? Calma! Para muito difícil, mas vamos lhe ajudar. 

Segundo a OMS, o Brasil é o terceiro país com mais mortes por causa do álcool. Em 2012, 300 mil pessoas que habitam nas Américas morreram por causa de bebidas alcoólicas. A cirrose foi a principal causa das mortes.

A Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS) lançou um relatório em 2015 com os seguintes números a respeito do consumo alcoólico: 73,9 entre 100 homens morreram por causa do álcool; 11,7 a cada 100 mil mulheres também morreram por causa da bebida.

Nos últimos cinco anos, o consumo de álcool subiu de 4,6% para 13% entre as mulheres e de 17,9% para 29,4% entre os homens.

Ainda segundo o relatório, o maior fator de risco entre adolescentes de 15 e 19 anos é o consumo de bebidas alcoólicas, superando o uso de drogas, por exemplo.

Em 2010, 14 mil crianças e jovens com menos de 19 anos tiveram suas mortes atribuídas ao consumo do álcool. Cada vez fica mais claro que realmente é preciso como parar de beber. 

Como Ajudar um Alcoólatra a Parar de Beber: 14 Passos

Danos no sistema nervoso

O consumo exagerado de álcool provoca danos no sistema nervoso central e periférico. Por isso, o abuso da bebida pode levar uma pessoa à demência e diminui a sensibilidade e a força muscular das pernas.

Danos hepáticos

O fígado é o órgão que mais sofre com os efeitos do álcool. Começa com um simples acúmulo de gordura no fígado, que logo evolui para hepatite e fibrose, por uma tentativa de defesa do fígado. Aos poucos, a doença pode evoluir para uma cirrose, que é a formação de cicatrizes e insuficiência hepática.

Gastrites e úlceras

O álcool leva à erosão das paredes do estômago, desencadeando uma inflamação da mucosa estomacal, provocando a gastrite, assim como úlceras gástricas, feridas que podem se desenvolver no estômago, esôfago ou intestino.

Pancreatite e diabetes

Graças a agressão do álcool no trato digestivo, o pâncreas pode desenvolver uma inflamação. Isso pode destruir o tecido do órgão, assim como as células que produzem insulina. É por isso que muito alcoólatras também são diagnosticados com diabetes.

Síndrome de Wernicke-Korsakoff

O consumo de álcool atrapalha a absorção de alguns nutrientes pelo organismo. Por isso, é comum pessoas que ingerem a bebida desenvolverem a síndrome de Wernicke-Korsakoff. Essa doença é caracterizada pela falta de vitamina B1 (tiamina) e provoca paralisia dos músculos, problema oftalmológicos e distúrbios mentais.

Alterações circulatórias

O álcool altera a circulação sanguínea. Isso faz com que o sujeito desenvolva hipertensão e aumenta o risco de ocorrer um acidente vascular cerebral (AVC).

Aterosclerose

Como o álcool afeta o funcionamento do fígado, isso prejudica os níveis de colesterol (HDL) bom na corrente sanguínea. O corpo acumula mais colesterol ruim (LDL) nas paredes das artérias, que é chamado de aterosclerose.

Câncer

A bebida também influência no desenvolvimento de câncer, especialmente no aparelho digestivo.

Síndrome do alcoolismo fetal

O consumo de álcool durante a gestação pode causar danos ao feto. Isso faz com que haja malformações congênitas, o que é irreversível em muitos casos.

Morte

A intoxicação aguda e complicações decorrentes do consumo de álcool podem levar à morte. Enquanto o acúmulo acima de 5g de álcool por litro de sangue pode provocar uma parada respiratória, diversas doenças causadas pelo álcool também resultam em óbito.

CIRROSE ALCOÓLICA 

A cirrose não é uma doença provocada exclusivamente pelo consumo de bebidas alcoólicas. No entanto, segundo a OMS, mais da metade das pessoas que desenvolveram a doença é porque abusou de bebidas à base de álcool. A doença ataca o fígado, provocando uma séria inflamação.

O órgão fica repleto de cicatrizes provocadas por ferimentos decorrentes do álcool. Neste estágio, a doença pode ser tratada e deixa de evoluir para uma falência geral do fígado. Mas, neste processo de tratamento, o paciente não deve tomar nunca mais uma gota de álcool.

Além da cirrose, o paciente deve ficar atento a outra doença, a esteatose, que é o acúmulo de gordura no fígado. Há também outras doenças relacionadas a cirrose, como obesidade, Hepatite A, B e C, mas a cirrose alcoólica ainda é a mais grave e comum.

MP: Existe uma série de estudos recentes e dados divulgados na mídia que apontam o álcool como o principal causador de acidentes de trânsito, agressões familiares e agressões de modo geral. Um estudo recente feito pelo Cebrid apontou que 83% dos agressores domésticos estavam embriagados durante as agressões.

Isto é, o álcool, devido a suas substâncias químicas, atrapalha a comunicação dos neurônios. O indivíduo embriagado não tem plena consciência de suas ações. Como consequência, seu comportamento não pode ser medido ou previsto. Ele vai agir conforme seus impulsos.

Isso é o que leva o sujeito a tomar decisões erradas, provocar acidentes e agressões.

Depois de uma longa bebedeira, as pessoas costumam contar histórias das quais você não se lembra de nada, não é? Isso é a síndrome de blackout, que provoca uma amnésia devido a intoxicação alcoólica. A substância atrapalha a comunicação dos neurônios e o armazenamento de novas informações. Ou seja, seu cérebro para de registrar os momentos seguintes. Perigoso, não?

O alcoolismo, como qualquer doença, possui algumas fases. A primeira delas é a adaptação, quando o indivíduo começa a beber para socializar. Dessa forma, ele começa a gostar gradativamente da bebida.  

Na segunda fase, que é a tolerância, o sistema nervoso central se adapta completamente ao álcool e o sujeito não sente mais os efeitos da bebida. É o típico alcoólatra que não fica embriagado facilmente.

A terceira fase é a dependência completa, seguida da síndrome de abstinência. A pessoa sofre bastante quando fica muito tempo sem beber álcool. Nesse momento, começa a deterioração física, moral e social. Geralmente, a esta altura as pessoas próximas ao alcoólatra tendem a perceber a gravidade do problema.

Agora, se você está lendo e se identificando com o comportamento alcoólico, precisa procurar ajuda!

Afinal, como são os alcoólatras?  Preste atenção nos sinais e avalie se você apresenta algum comportamento semelhante: 

  • Bebem sozinhos e sem motivos aparentes;
  • Continuam a beber, mesmo que estejam perdendo coisas importantes: família, emprego, entre outros;
  • Perdem o emprego ou ano letivo;
  • Ficam agressivos quando bebem;
  • Não conseguem passar um dia sem beber uma bebida alcoólica;
  • Após começarem a beber, tem dificuldades para parar;
  • Bebem cada vez mais para manter a concentração de álcool no corpo;
  • Podem apresentar paranoia e alucinações;
  • Sempre têm uma desculpa para beber;
  • Se afastam de amigos, família e eventos sociais para beber;
  • Evitam ir em locais onde não podem beber;
  • Tentam esconder o consumo exagerado de álcool;
  • Comem mal ou deixam de comer;
  • Apresentam tremores e sintoma de abstinência quando passam muito tempo sem ingerir bebidas alcoólicas;
  • Perdem a memória.

ÁLCOOL vs TRÂNSITO

Todo mundo sabe que direção e álcool não combinam. No entanto, os números de mortes no trânsito mostram que o problema ainda é recorrente. De acordo com o Relatório Global sobre Álcool e Saúde da OMS, 15% das mortes no trânsito foram atribuídas ao álcool em 2012. No Brasil, 18% das vítimas são homens e 5,2, mulheres.

A Lei 13.546 aumenta a pena para o motorista que cometer homicídio ou causar qualquer tipo de lesão ao dirigir alcoolizado. A pena exige reclusão cinco a oito anos, além de algumas sanções.

Leia também:  Como alterar a meta de exercícios em um apple watch

Agora, se um indivíduo for parado por uma blitz policial e estiver alcoolizado, podem ocorrer algumas complicações.

Se o bafômetro (teste indicado para identificar o nível de álcool no sangue) marcar entre 0,05 mg/l e 0,33 mg/l você cometeu uma infração gravíssima.

Neste caso, você pode pedir para fazer o teste novamente e se o resultado for o mesmo, você será autuado. O processo a seguir é:

  • seu veículo será retido até que você apresente um condutor habilitado que passe no teste. Caso não apresente, o veículo será removido para um depósito credenciado pelo Detran/RS e somente poderá ser retirado pelo proprietário ou procurador devidamente habilitado;
  • você será multado no valor de R$ 2.934,70;
  • sua CNH será retida pelo agente;
  • você deverá retirar sua CNH no órgão que a recolheu após 24h;
  • o Detran/RS vai iniciar um processo de suspensão do direito de dirigir por doze meses;
  • sua CNH deverá ser entregue, quando a suspensão for confirmada, em um Centro de Formação de Condutores (CFC). para começar a contar o prazo de 12 meses;
  • você terá de fazer um curso de reciclagem de 30h/aula no CFC;
  • você vai precisar fazer uma prova teórica;
  • você ficará impedido de dirigir por 12 meses;
  • sua habilitação será restituída após o período de suspensão, conclusão do curso e aprovação na prova teórica de reciclagem.

Melhor não arriscar, não é? 

Você precisa buscar ajuda de um especialista para vencer o alcoolismo. Pode parecer fácil deixar de beber, mas não é. Procure ajuda da família e comece a deixar o álcool.

Além dos prejuízos emocionais, você também pode ter muito prejuízos na saúde, como doenças incuráveis.

Está na hora de virar a página, não é? Aliás, você sabia que a Bíblia também fala sobre alcoolismo? O livro dá alguns conselhos sobre saúde que podem lhe ajudar. Saiba Mais.

Apesar de você não se considerar um alcoólatra, você ainda consome bastante álcool. Tome cuidado com a quantidade e frequência com que você ingere este tipo de bebida. Procure pensar na sua saúde e na sua família e amigos.

O álcool, como na maioria dos casos, costuma tomar conta da vida das pessoas. Quando as vítimas percebem, já foram longe demais.

 Aliás, você sabia que a Bíblia também fala sobre o consumo de álcool? O livro dá alguns conselhos sobre saúde que podem lhe ajudar. Saiba Mais.

Parabéns! Você não ingere álcool ou pelo menos não com frequência. Compartilhe com seus amigos que bebem este conteúdo. Aliás, você sabia que a Bíblia também fala sobre alcoolismo? O livro dá alguns conselhos sobre saúde que também podem ajudar. Saiba Mais.

MP: O alcoolismo não tem cura. Este é um fato duro de aceitar. No entanto, o tratamento consiste na regressão dos sintomas e controle emocional, como num processo de cura. Mas é preciso saber que não é uma jornada fácil.

Alcoólatras precisam se controlar a vida inteira e, ainda assim, podem a qualquer momento jogar fora um esforço de anos. Por isso, é sempre indicado terapia em grupo (conhecido também como Alcoólicos Anônimos) ou individual. Em alguns casos, a pessoa precisa tomar medicamentos ou procurar clínicas de recuperação.

Além disso, é muito importante que o alcoólatra em questão receba todo apoio possível da família e amigos.

O álcool é o principal risco de morte entre jovens e adolescentes. Nos últimos anos, o consumo tem aumentado gradativamente. Neste vídeo, você pode encontrar dicas preciosas de como se livrar do vício.

RESISTIR É PRECISO

 Uma recaída pode não ser o fim da luta contra o alcoolismo, mas pode retroceder  toda evolução do paciente. Para de beber é algo realmente sério.

No período de abstinência, o sujeito pode sofrer de tremores, taquicardia, hipertensão, náuseas e vômitos, suor excessivo, ansiedade, irritabilidade, insônia e aumento da temperatura corporal.

Porém, essa fase dura pouco tempo, variando de pessoa para pessoa. O importante é resistir! 

A maioria dos cristãos não consome bebidas alcoólicas devidos às orientações bíblicas. Mas, claro, isso não significa que muitos cristãos não consumam. A Bíblia fala um pouco sobre o assunto. Saiba Mais

Mas também não adianta parar de beber álcool e substituir o vício por refrigerantes ou sucos açucarados, não é?

O alcoolismo é uma doença séria. Especialistas afirmam que apenas o tratamento médico pode ajudar a vencer este problema. Procure e ofereça ajuda. Combinado?

Alcoolismo: o que é e como curar

Existem hoje, no mundo, várias drogas legais e ilegais. A definição da legalidade sofre influências de país para país e até mesmo ao longo dos anos, haja vista a onda de legalização do consumo de Cannabis em todo o mundo. Entretanto, ser legalizada não significa que uma droga não seja nociva.

E os dois principais exemplos disso são também as drogas mais consumidas em todo o mundo: o cigarro e o álcool. Este segundo, inclusive, é responsável por uma das doenças mais destrutivas: o alcoolismo. Quer saber o que é alcoolismo e como ele pode ser curado? Então continue lendo este post para descobrir!

O que é alcoolismo?

O alcoolismo é um tipo de dependência química, relacionado diretamente ao consumo de álcool. É considerado uma doença pela OMS (Organização Mundial da Saúde).

A ingestão constante e sem controle de bebidas alcoólicas compromete, além do convívio social e familiar, o funcionamento correto do organismo, levando a danos irreversíveis e, possivelmente, ao falecimento.

Diferentemente do alcoolismo, o abuso de álcool não é considerado uma doença e sim um exagero na ingestão. O alcoolismo leva o indivíduo a uma vontade incontrolável de consumir álcool, fazendo com que o mesmo perca o controle de suas ações e se veja em um quadro de dependência física.

Efeitos do álcool

O álcool é uma substância nociva, que é absorvida rapidamente pelo organismo ao atravessar a barreira hematoencefálica, uma estrutura permeável e altamente seletiva que protege o Sistema Nervoso Central de substâncias tóxicas. Assim, pouco tempo após o início da ingestão, a concentração de álcool no cérebro já está no mesmo nível da concentração sanguínea.

Para aqueles que não têm o costume de beber com certa frequência, níveis de concentração entre 50 mg/dl e 150 mg/dl de álcool no sangue já são mais do que suficientes para causar os primeiros efeitos, que dependerão muito da velocidade e da quantidade de álcool ingerido.

Podemos observar diversos efeitos ou sintomas causados pelo álcool nos indivíduos que o ingerem. A substância atua basicamente na esfera física e na esfera psicológica das pessoas. Os principais efeitos físicos causados pelo álcool são:

  • forte queda nos reflexos;
  • câncer de boca, esôfago, faringe, fígado e/ou vesícula biliar, causado pelo consumo constante e de longo prazo;
  • hepatite;
  • cirrose;
  • gastrite;
  • úlceras;
  • danos cerebrais permanentes (se ingerido em grandes quantidades);
  • desnutrição;
  • problemas cardíacos e de pressão;
  • formação fetal nas gestantes.

Tão nocivos quanto os efeitos físicos do álcool, os danos psicológicos podem incluir:

  • perda da inibição, levando a situações de agressividade;
  • alteração no humor, podendo evoluir para comportamento carregado de violência, sentimentos depressivos e até suicidas;
  • perda de memória;
  • problemas familiares;
  • queda no desempenho físico e profissional.

Como Ajudar um Alcoólatra a Parar de Beber: 14 Passos

Sintomas do alcoolismo

Agora que você já sabe quais são os efeitos do consumo de álcool, é hora de entender mais sobre o alcoolismo em si.

Como é uma doença, o alcoolismo (ou síndrome da dependência do álcool) é uma condição desenvolvida pelo uso repetitivo e contínuo da substância, podendo se associar aos seguintes sintomas, que não necessariamente são simultâneos:

  • compulsão, com uma necessidade incontrolável de ingerir álcool;
  • dificuldade de autocontrole, em que o indivíduo não consegue parar de beber após iniciar o consumo;
  • abstinência física quando não está ingerindo álcool, apresentando náusea, suores, tremor e ansiedade;
  • crescimento da tolerância à substância, de modo que o indivíduo necessita de doses cada vez maiores para obter os mesmos efeitos de anteriormente.

Todos esses sintomas podem ser percebidos, também, por critérios subjetivos, principalmente ligados à dificuldade de socialização e crescimento da dependência da bebida.

Leia também:  Como apresentar um prato (com imagens)

Alcoolismo tem cura?

Embora seja considerada uma doença tratável, o alcoolismo é uma condição sem cura. Isso significa que, mesmo que o indivíduo se encontre sóbrio por muito tempo, ele sempre estará sujeito a casos de recaída. Por isso, é fundamental que sejam evitados quaisquer tipos de bebidas alcoólicas e em qualquer dosagem.

Por mais que a redução do consumo diminua ou retarde alguns dos problemas causados, ainda assim não é suficiente, uma vez que a abstinência é fundamental para uma recuperação de sucesso.

Casos de recaída, ainda que muito comuns, não significam fracasso do dependente. Por isso, é fundamental que a pessoa retome as rédeas da situação e foque em seu objetivo de se manter sóbria, se possível contando com o máximo de apoio que puder obter.

Alcoólicos Anônimos

O tratamento para alcoolismo depende muito do grau de dependência e mesmo dos recursos disponíveis para o meio em que o dependente está inserido. Pode incluir desintoxicação, uso de remédios, aconselhamento e terapia, entre outros métodos.

Entretanto, como qualquer tipo de dependência química, o alcoolismo depende muito da força de vontade e do desejo de se tratar do próprio alcoólatra. Por isso, os programas de tratamento coletivo, como os Alcoólicos Anônimos, são fundamentais para o sucesso desse processo.

Assim, os Alcoólicos Anônimos (ou “AA”) se descrevem como “uma comunidade mundial de homens e mulheres que se ajudam a ficarem sóbrios”. O principal objetivo de grupos como o AA é dar o suporte psicológico necessário para que o doente consiga se reabilitar com sucesso.

Surgido inicialmente nos Estados Unidos, os núcleos do AA estão espalhados em todo o mundo. Embora não tenham um caráter religioso, os grupos acabaram por incorporar diversos princípios de diferentes religiões, principalmente porque a comunidade recebe seguidores de todas as doutrinas.

Remédios para alcoolismo

A utilização de medicamentos para tratar o alcoolismo depende da indicação de médicos, de modo que a automedicação é extremamente perigosa e contraindicada.

Alguns remédios, como o Dissulfiram, possuem propriedades aversivas, fazendo com que o sujeito passe a ter aversão ao álcool. Dessa forma, quando o dependente ingere a bebida e está sob efeito da medicação, pode sofrer náuseas, vômitos, taquicardia, baixa de pressão e outros sintomas.

Já medicamentos como a Naltrexona ajudam a bloquear os efeitos de recompensa que o álcool produz, fazendo com que as chances de recaídas diminuam consideravelmente. Por fim, o Acamprosato é utilizado para atenuar os sintomas decorrentes da abstinência.

O alcoolismo é um problema sério e mundial, principalmente porque decorre de uma droga altamente consumida no mundo inteiro e que não conta com o estigma social de outras substâncias até menos nocivas que o álcool. Por isso, a conscientização dos malefícios e o suporte de saúde aos dependentes químicos deve ser prioridade em qualquer sociedade.

E aí, gostou do nosso post? Então não deixe também de conferir nosso artigo sobre inclusão social e o nosso guia completo de Sociologia!

  • O que é agnóstico?Você já ouviu falar em agnóstico? Entenda aqui o significado, conheça os tipos e saiba…

  • O que é biografia?O que é biografia? Confira o significado da palavra, a diferença entre autobiografia e mais!

Como Identificar Se Você Tornou-Se um Alcoólatra?

Início   /  Como Identificar Se Você Tornou-Se um Alcoólatra? Como Ajudar um Alcoólatra a Parar de Beber: 14 Passos

O alcoolismo é um problema presente em nossa sociedade a muito tempo e perguntas como a citada acima “…Como Identificar se eu me Tornei um Alcoólatra?…” é cada vez mais frequente, isto porque muitos ingerem bebidas alcoólicas em excesso diariamente e logo mesmo sendo algo que vivenciamos em nosso cotidiano, pouco sabemos realmente em que nível pode-se considerar uma pessoa alcoólatra.

Uma pessoa alcoólatra, em sua essência, não é o indivíduo que bebe em excesso, mas sim aquele em que não consegue ficar sem ingerir bebida alcoólica, caso não consuma sofre com abstinência. Logo se você bebe muito ou conhece alguém em que bebe muito possa ser que ele (ou você) não seja um alcoólatra, mas infelizmente caminha a passos largos para ser mais um viciado.

  • Tentar parar de beber por uma semana (ou mais) e não conseguir;
  • A bebida ter causado incidentes em casa;
  • Pensar que poderia aproveitar melhor a vida se não bebesse;
  • Faltar no serviço nos últimos doze meses por causa da bebida;
  • Afirmar que para quando quiser, mas não conseguir.

Caso você tenha se enquadrado em um dos casos acima é um fator importante para que você preste atenção e peça ajuda.

Fissura: Uma forte necessidade ou compulsão por bebidas alcoólicas. O viciado em álcool não consegue ficar muitas horas sem consumir álcool e caso fique tem crises sérias de abstinência.

Perda de controle: Incapacidade para controlar a ingestão de bebida em qualquer ocasião.

Dependência física: Sintomas de abstinência, tais como náuseas, suores, tremedeiras e ansiedade, acontecem quando o consumo de álcool é interrompido depois de um período de consumo excessivo.

Veja Como o Álcool Atua em nosso Corpo

O principal ingrediente das bebidas alcoólicas é a molécula de etanol. Assim que a pessoa toma um gole, uma pequena parte dessas moléculas já começa a entrar na corrente sanguínea pela mucosa da boca;

Pelo esôfago, a bebida chega ao estômago. Até deixar esse órgão só 25% do etanol que entrou no sangue. O resto só cai na corrente sanguínea quando a bebida chega ao intestino delgado – órgão cheio de vasos e membranas permeáveis;

São necessários de 15 a 60 minutos para todas as moléculas de etanol entrarem na circulação e se espalharem pelo corpo. Esse tempo depende de fatores como a presença de comida no estômago e a velocidade com que a pessoa bebeu;

Quando cai no sangue, as moléculas de etanol são transportadas para todos os tecidos que têm células com alta concentração de água – órgãos como cérebro, fígado, coração e rins;

No fígado 90% das moléculas de etanol são metabolizadas – quebradas em partes menores para facilitar sua eliminação. Ele processa por hora o equivalente a uma lata de cerveja. Acima disso, o etanol passa a intoxicar o organismo.

Eu acho que não tem nada melhor do que chegar em casa, pós um dia estressante no trabalho, tomar um belo banho, colocar meu chinelo, ligar a televisão e beber uma cerveja geladinha. Você concorda?

Estar num bar com vários “amigos” jogando e bebendo alguma bebida alcoólica me deixa mais atraente e todas as mulheres irão querer ficar comigo, você sabia?

Bom, acima foi descrito duas abordagens diferentes em que muitas empresas de bebidas alcoólicas abordam para fazer com que seus consumidores se sintam “felizes” ao consumir seus produtos. Ilusões são criadas para que um homem se sinta mais atraente, uma mulher sinta-se mais descolada etc.

Temos que tomar muito cuidado com essas sensações em que estes comerciais citados acima transmitem a nós.

Devemos filtrar e sermos racionais a tal ponto de saber que por exemplo: segurar uma lata de cerveja não me deixará mais bonito e logo eu não terei maior sucesso com as mulheres por conta disto.

Somos impactados constantemente por comerciais de cervejas e outras bebidas alcoólicas criados para mulheres e em sua maioria a tática é dizer a quem está assistindo que: Você mulher tem direitos como todos os homens, mostre que você pode, vá e beba! Afinal os direitos são iguais.

Tome cuidado para que sua mente não engane você e comece a ingerir bebidas alcoólicas por algum dos motivos citados acima, pois infelizmente pós tornar-se alcoólatra é uma vida muito difícil onde nem todos tem um final feliz.

Assim como qualquer outro vício o apoio familiar é o primeiro em que um alcoólatra deve buscar. Conversar com alguém em que confie e que realmente saiba que se preocupa com você é muito importante, pois esta pessoa poderá lhe ajudar a encontrar maneiras de libertar-se do vício.

Tenha um esforço constante para aumentar a cada dia o prazo em que ingeri bebida alcoólica ou seja se ingeri a cada 1h, procure aumentar este espaço para 2h e a cada semana exercite isto, aumentando o espaço de consumo. Além de que é muito importante que procure uma clínica de reabilitação para alcoólatras.

Saiba onde encontrar tratamento gratuito contra alcoolismo

Com sua venda livre, o álcool nem sequer é considerado droga por uma parte da sociedade. Porém, a dependência a ele é algo muito sério que merece atenção e cuidados. Se você tem alguém na família com problemas com o alcoolismo, se informe abaixo sobre os tipo de tratamentos gratuitos, levantados pelo site Alcoolismo.com.br.

Como Ajudar um Alcoólatra a Parar de Beber: 14 Passos

É possível tratar o alcoolismo de graça

Alcoólicos Anônimos

O grupo de ajuda mútua é referência no apoio ao alcoólatra que quer parar de beber. Ninguém paga nada para participar de uma reunião e um dos grandes princípios é o sigilo. Presente no Brasil há 80 anos, o Alcoólicos Anônimos possui reuniões em quase todas as cidades do Brasil.  Para saber qual o endereço, basta acessar o site aqui.

CAPS – AD

Os Centros de Atenção Psicossocial – Álcool e Drogas são unidades de saúde feitas para atender gratuitamente quem precisa tratar o alcoolismo. O acompanhamento é realizado através de médicos, psicólogos e terapeutas.

Também há abertura para a participação da família.

 Quando o alcoólatra mora em uma cidade que não tem o CAPS – AD, pode procurar um CAPS tradicional (que cuida da saúde mental) ou uma unidade básica de saúde de seu município para fazer o tratamento.

Se houver necessidade de internação, é o próprio CAPS que faz a solicitação e encaminha o paciente para alguma das instituições associadas. Para mais informações, acesse o site.

Busca Clínicas de Recuperação

Existem algumas comunidades terapêuticas que oferecem internação gratuita outras com preço acessível. Um dos caminhos para encontrar uma é através do Busca Clínicas de Recuperação – um site onde é possível encontrar tratamento gratuito e particular em todo o Brasil. Basta buscar pela cidade e pelo estado. Acesse aqui.

Universidades

Algumas universidades públicas e privadas possuem ambulatório com atendimento médico e/ou psicológico focado na recuperação dos alcoólatras. Se na sua região tem uma universidade que tenha cursos na área de saúde (medicina, psicologia, enfermagem, etc) se informe sobre atendimento.

Veja também: 10 ferramentas para te ajudar a cuidar da saúde gastando pouco

17 Passos Para Lidar Com Um Dependente Químico Ou Alcoólatra Na Família

1) Lembre-se que o dependente químico nunca foi o responsável pela doença portada e você que é familiar não é responsável pela doença do familiar dependente químico. Você não a causou a doença, você não pode controlar a doença do seu familiar, você não pode curá-la sozinho (nem a família nem o dependente químico ou alcoólatra.

Veja também:

13 EXCELENTES OPÇÕES DE CLÍNICAS DE REABILITAÇÃO SP DROGAS

20 DESCULPAS PARA INTERROMPER UM TRATAMENTO EM UMA CLÍNICA DE RECUPERAÇÃO

2) Apesar de você não ser o responsável também pela doença da dependência química ou do alcoolismo portada pelo seu familiar, você é responsável pelo seu próprio comportamento sim e pelas suas próprias atitudes realizadas a respeito da doença dele. Você tem sempre a escolha de estar ajudando o seu familiar a evitar o uso de substâncias que afetam a sua mente ou seu humor, através do adequado estabelecimento de limites constante, acolhimento com amor, orientações e tratamentos.

As melhores clínicas de reabilitação de São Paulo você encontra aqui

3) A dependência do seu familiar não é um sinal de fraqueza não, nem de seus entes. Infelizmente, isso pode ocorrer em qualquer família em qualquer lugar do mundo e em qualquer classe social, em qualquer lugar do mundo isto é normal como quaisquer outras doenças reconhecidas pela organização mundial da saúde.

4) Não o ameace jamais, nem o acuse por causa do medo,não moralize os erros de seus passados do seu ente que é dependente químico. Isso apenas tornará você o foco da raiva máxima dele e frustrações do seu familiar dependente químico. Além disso, não ajudará o seu ente a modificar o comportamento destrutivo.

5) Então, não mascare a doença que ele tem não, nem desculpe ou proteja o dependente químico das consequências naturais do seu comportamento destrutivo.

Fazendo isso, você se torna o ¨cúmplice¨ ou se quiser chamar de ”complacente” fique à vontade, como preferir, na perpetuação dos comportamentos irresponsáveis, inadequados e destrutivos do Adicto que não está em recuperação (dependente químico ou alcoolista)..

6) Não fique tentando encontrar fatos realizados pelo dependente no passado, como os traumas infantis que ele teve blá blá blá, estresse no TRABALHO por causa disto ou daquilo, problemas com conjugues, para justificar o problema dele com o álcool ou com as drogas. Isso somente promoverá a chancela a pessoa dependente para a manutenção do uso das substâncias psicoativas.

Clínicas de reabilitação de alto Padrão é com a Bella Clinic Clínicas de recuperação / reabilitação

7) Não faça ¨jogos de culpa¨ para o alcoólatra ou dependente. Por exemplo: Dizer que ¨se você realmente gostasse de mim e blá blá blá, você pararia de usar drogas¨, isto realmente não funciona. Culpa não funciona de forma alguma.

8) Não use ameaças jamais como forma de manipulação para tentar corrigi-lo, isso nunca funcionou.

Você pode e deve estabelecer limites sim, mas primeiro pense cuidadosamente nesses limites tá! E, então, esteja preparado para ir adiante para aplica-los.

Se você não sabe o que falar, é melhor não falar nada mesmo e procurar ajuda profissional, você pode fazer isto com a nossa equipe da Capital Remoções também ou grupos de codependentes como o amor exigente ou o naranon.

9) Não permita que o alcoolista ou o dependente de drogas ¨explore¨ você financeiramente ou

Suítes de alto padrão para o tratamento de dependentes químicos e alcoólatras você encontra aqui!

10) Não ignore jamais as formas de manipulação realizadas pelo dependente químico ou alcoolista recaído. Não estabeleça conluio com o dependente de drogas ou álcool para manter seus segredos sobre o consumo de drogas ou álcool. Isso apenas aumentará a evasão de responsabilidade por parte do dependente ou do alcoolista.

11) Não se esqueça jamais de procurar e manter o seu próprio tratamento sem interrupções. A codependência é extremamente devastadora.

12) Não tente proteger o dependente químico ou alcoolista de problemas comuns que ocorrem normalmente nas famílias em qualquer lugar do mundo.

13) Não promova uma ¨guerra¨, se sinais de recaída estiverem presentes na rotina do dependente químico não. Também não mantenha o silêncio total jamais sobre eles caso você perceba-os. Apenas traga-os à vista bem calmamente e diretamente, sem acusação alguma. Não vamos crucificar ninguém nem julgar.

14) Não fique aguardando somente que o dependente químico ou o alcoolista em recuperação / reabilitação seja ¨legal¨ o tempo todo não, às vezes, ele pode ficar bem irritado, muito triste, ou mau humorado às vezes , sem que isso esteja relacionado ao uso de álcool ou drogas.

15) Além do problema relacionado ao uso e abuso de bebidas alcoólicas ou drogas ilícitas pelo seu familiar dependente químico ou alcoolista, você tem diversos outros problemas para solucionar. Não os deixe de lado para cuidar de ninguém.

16) Não fique viajando pensando que o alcoolista ou o dependente de drogas ilícitas está ¨sarado¨ e nunca mais usará substâncias químicas ou álcool. A  dependência química e o alcoolismo são doenças crônica que requerem tratamento crônico (manutenção diária).

17) Nunca deixe de focar-se em si mesmo não!! Utilize o seu sistema de apoio ao dependente químico ou alcoolista com base no amor, procure por grupos de ajuda como o amor exigente ou o naranon, que são para familiares de dependentes químicos e alcoólatras, eles te ajudarão com certeza a compreender o problema e sua codependência.
(VENCER A CODEPENDÊNCIA E AJUDAR É A META!)

Para ter acesso a todas as unidades clique no link abaixo:

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*