Como aguar rosas adequadamente: 14 passos (com imagens)

As celósias são plantas que podem atingir de 15 cm a mais de 1 m de altura, dependendo da espécie e cultivar. Algumas cultivares têm folhas avermelhadas.

Suas inflorescências possuem a forma de plumas, de espigas ou lembram um arranjo de cristas de galo bastante onduladas (resultando daí um de seus nomes populares, crista-de-galo), com cores vívidas, podendo ser vermelhas, laranjas, amarelas, brancas, ou de vários tons entre o rosa e o violeta.

Quando cortadas e secadas de forma adequada, as inflorescências podem manter sua bonita coloração de algumas semanas a alguns meses. São plantas relativamente resistentes e são fáceis de cultivar em jardins. As cultivares de menor tamanho são as mais fáceis de cultivar em vasos ou jardineiras.

Como Aguar Rosas Adequadamente: 14 Passos (com Imagens)

Fonte da Foto: www.familytreenursery.com

Passo 1.: Plantio

1.1. Escolha do vaso

A celósia pode ser planta em vasos ou jardineiras desde que estes possuam altura superior a 15 cm, pois se forem inferior, o desenvolvimento das plantas será prejudicado pela limitação radicular.

Como Aguar Rosas Adequadamente: 14 Passos (com Imagens)

Fonte da Foto: www.pinterest.com

1.2. Sementes

A propagação é feita por sementes.

O melhor é semear as sementes no local definitivo, pois as mudas são sensíveis ao transplante, mas também podem ser semeadas em pequenos vasos e outros recipientes, transplantando as mudas com bastante cuidado quando atingem de 5 a 8 cm de altura.

Semeie a cerca de 0,5 cm de profundidade no solo. A germinação das sementes geralmente ocorre entre 1 e 3 semanas. O espaçamento pode variar de 15 a 50 cm entre as plantas, dependendo do tamanho da cultivar.

Como Aguar Rosas Adequadamente: 14 Passos (com Imagens)

Fonte da Foto: www.forums2.gardenweb.com

1.3. Plantas adultas

As plantas adultas são comercializadas com flores e devem ser replantadas o quanto antes. As plantas comerciais estão plantadas em substratos (produtos inertes, leves, isentos de nutrientes e com baixa retenção de água), que para sobreviverem com saúde precisam de nutrientes e água em suas raízes.

Como Aguar Rosas Adequadamente: 14 Passos (com Imagens)

Fonte da Foto: www.celex.nl

Passo 2.: Crescimento

2.1. Ambiente

São plantas de clima tropical, crescendo bem em temperaturas entre 20°C e 35°C. Em regiões com invernos frios, podem ser cultivadas nos meses mais quentes do ano. Pode ser cultivada com luz solar direta ou em sombra parcial com boa luminosidade.

O ideal é manter o solo úmido sempre úmido, mas sem que permaneça encharcado. Contudo, são relativamente resistentes a curtos períodos de seca. O solo deve ser bem drenado, fértil e rico em matéria orgânica.

Estas plantas são bastante tolerantes quanto ao solo, mas o pH ideal para cultivo situa-se entre 6 e 7.

Como Aguar Rosas Adequadamente: 14 Passos (com Imagens)

Fonte da Foto: www.chicagolandgardening.com

2.2. Solo

O solo ideal de cultivo deve possuir alguns fatores que auxiliem no crescimento do sistema radicular e foliar da planta para permitir uma boa produção de flores. É importante que haja matéria orgânica no solo de crescimento, pois possui boa capacidade de retenção de água.

Esta matéria orgânica pode vir em um produto como Condicionador de Solo “Classe A”, húmus de minhoca, esterco animal (importante estar curtido, esterilizado e peneirado) ou adubo orgânico.

Além disso, é importante ter uma boa fonte de cálcio (calcário ou casca de ovo moída), fósforo (superfosfato simples ou fosfato natural), potássio (cinzas de churrasqueira peneiradas) e, adubo NPK, formulação de plantio 04-14-08. Fontes de tortas vegetais (algodão, mamona, girassol, etc.

) também são bem vindas desde que se tenha atenção à quantidade, pois costumam serem muito fortes e queimar as plantas. As fontes de fósforo garantem um bom crescimento e enraizamento do sistema radicular.

Como Aguar Rosas Adequadamente: 14 Passos (com Imagens)

Fonte da Foto: www.hubpages.com

2.3. Adubação

A celósia é uma planta que responde rápido quando nutrida de forma adequada. O uso de adubos orgânicos misturados ao solo de crescimento é benéfico ao sistema radicular e foliar.

Para a cobertura pós-plantio, faça uma reposição nutricional utilizando um adubo mineral nas folhas. Assim a reposição nutricional do adubo propiciará o aumento da brotação de galhos e folhas garantindo uma maior produção de flores.

É importante aplicar um adubo foliar com formulação completa, 1 vez a cada 15 dias, para suprir as deficiencias nutricionais das plantas.

Como Aguar Rosas Adequadamente: 14 Passos (com Imagens)

Fonte da Foto: www.growplantsinpots.com

Passo 3.: Controle de pragas e doenças

 As pragas e doenças geralmente surgem pela falha na nutrição ou irrigação adequadas. O pulgão e cochonilhas apresentam seu momento mais agressivo em épocas de escassez hídrica, principalmente no inverno e podem chegar até os vasos pelo vento. Outras pragas podem surgir, como, lesmas, caracóis e caramujos, devendo-se serem catadas manualmente.

As lagartas são extremamente agressivas, devendo ser eliminadas rapidamente. Também é possível encontrar produtos orgânicos específicos para o controle de pragas, como lesmicidas, inseticidas e placas amarelas para atração de insetos voadores.

Tanto as folhas com pragas quanto com doenças devem ser retiradas do vaso assim que forem identificadas e descartadas no lixo.

Como Aguar Rosas Adequadamente: 14 Passos (com Imagens)

Fonte da Foto: www.flickriver.com

Passo 4.: Florescimento

Em condições adequadas, as celósias florescem cerca de 60 a 90 dias após o plantio. São plantas plantas perenes, tratada como anuais, pois perdem a sua beleza com o tempo. As inflorescências da celósia podem ser cortadas e deixadas para secar em um local pouco iluminado, fresco e bem ventilado.

Como Aguar Rosas Adequadamente: 14 Passos (com Imagens)

 Fonte da Foto: www.celex.nl

 Gostou do artigo? Compartilhe em suas redes sociais !!!

Como cultivar Rosas do Deserto?

A Rosa do Deserto é uma planta domesticada da família Apocynaceae, cujo nome científico é Adenium obesum (arabicum, entre outros).

Sua reprodução pode ser feita por polinização manual ou por mudas.

A planta, que pode ser encontrada na Tailândia, desertos e na África, se adapta facilmente ao clima seco e quente e consegue viver bem em lugares ensolarados.

Ao contrário do que se pensa, as Rosas do Deserto gostam de água. O que elas não toleram é a terra (substrato) encharcado, por isso, é altamente recomendado que os cultivadores e colecionadores utilizem substrato com alto poder de drenagem, como o substrato de fundo de rio.

Neste post, explicamos tudo sobre como cultivar Rosas do Deserto em vaso. Confira e garanta cultivos superfloridos! ????

Leia também:  Como ajustar o horário em uma réplica de rolex: 8 passos

Ambiente adequado

A planta, assim como os cactos, exige um local ensolarado e com temperatura mínima de 10°C. A Rosa do Deserto, como o próprio nome sugere, se adapta muito bem às condições de baixa umidade.

Como Aguar Rosas Adequadamente: 14 Passos (com Imagens)

Preparação do vaso

O primeiro passo para o plantio da planta em um vaso é apostar em um recipiente, pote ou bacia com excelente drenagem.

No fundo do vaso, coloque pedras e uma tela plástica para que as raízes não saiam por baixo do vaso. Cubra com um pouco de areia, depois coloque húmus de minhoca e plante a rosa com uma mistura de areia grossa e terra, enchendo até a borda (2/3 de areia grossa com 1/3 de substrato misturado).

Como Aguar Rosas Adequadamente: 14 Passos (com Imagens)

Rega

A água deve ser usada com moderação. A Rosa do Deserto aprecia água neutra, a água ácida pode causar apodrecimento de suas raízes. O excesso de água mesmo no verão também pode causar apodrecimento das raízes que matam gradativamente a planta.

Mantenha a areia ou a terra sempre úmida, porém sem encharcar. Não é necessário regar todos os dias, somente quando a areia ou a terra em cima do vaso secar.

Adubação

Uma adubação com um bom fertilizante orgânico é necessário a fim de alcançar um bom diâmetro de tronco e floração abundante. Os fertilizantes não devem ser aplicados diretamente nas raízes. Nunca aplique o fertilizante quando o substrato estiver completamente seco. Sempre regue antes para evitar a queimadura das raízes e a queda de folhas.

Uma dica para sua Rosa do Deserto ficar mais vigorosa é o uso do Forth Cactos. Você vai se surpreender com os resultados!

Como Aguar Rosas Adequadamente: 14 Passos (com Imagens)

Cultivo

A Rosa do Deserto pode ser cultivada por sementes ou estacas. Os troncos grossos com a característica parecida com os grandes Baobás, só podem ser obtidos através do cultivo de sementes.

Um dos segredos para deixar a base do caule interessante é levantar um pouco a planta, deixando a parte superior das raízes exposta a cada replantio, que deve ser realizado a cada 2 ou 3 anos.

A planta enraizará normalmente. Podas de formação devem ser criteriosas para não formar deformidades não naturais e cicatrizes feias na planta.

Use luvas nas podas e manuseio da planta pois sua seiva é altamente tóxica.

Floração

As florações da Rosa do Deserto podem ser obtidas em plantas jovens, com apenas 15cm de altura. O florescimento geralmente ocorre na primavera, sendo que há possibilidade de sucessivas florações no verão e outono. As flores são tubulares, simples, com cinco pétalas e lembram outras da mesma família como Alamanda, Jasmim-manga e Espirradeira.

Veja também Como Aguar Rosas Adequadamente: 14 Passos (com Imagens) Dicas de cultivo

7 aplicativos para quem ama plantar e cultivar!

Como Aguar Rosas Adequadamente: 14 Passos (com Imagens)

As cores são variadas, indo do branco ao vinho escuro, passando por diferentes tons de rosa e vermelho. Muitas variedades apresentam mesclas e degrades do centro em direção as pontas das pétalas. Há ainda variedades de flores dobradas, triplas, quadruplas, entre outras. Também negras, que ao contrário das outras precisa de um PH mais ácido.

Um ótimo fertilizante foliar é o Forth Flores, usado e recomendado para a floração, resultados verdadeiros.

Clique e assista ao vídeo sobre Rosas do Deserto, disponível no canal do YouTube da loja Plantei:

Vale lembrar que devido a inúmeros cruzamentos que estão sendo feitos por cultivadores de todo o mundo, estão aparecendo cada vez mais Rosas do Deserto com tons mesclados e cores diferentes. Já imaginou? Os colecionadores amam!

Na Plantei, maior garden center online do Brasil, você encontra mudas de Rosas do Deserto em diferentes cores, além de diversos itens próprios para cultivá-las. Clique no banner abaixo e aproveite!

Como Aguar Rosas Adequadamente: 14 Passos (com Imagens)

Comments

comments

BomCultivo.com

Como Aguar Rosas Adequadamente: 14 Passos (com Imagens)

Osmocote, o Fertilizante Químico que libera lentamente nutrientes às plantas

Entenda como o Osmocote atua e os seus benefícios nas plantas

FACEBOOK TWITTER GOOGLE +

Quem não deseja ter plantas vistosas e bonitas em seus jardins? Pois é, neste artigo explicamos o impacto dos Fertilizantes Químicos, como o Osmocote, no uso de nutrição das plantas, os cuidados e a forma adequada para ter resultados excelentes.

  • Conheça bem os detalhes do Osmocote e entenda como cuidar de suas plantas, qual a maneira correta de uso e sua composição química.
  • Vamos iniciar explicando o que é o Osmocote, depois sua composição, como usar adequadamente, as vantagens de usar e também onde comprar Osmocote.
  • Vamos lá!

O que é o OSMOCOTE

Como Aguar Rosas Adequadamente: 14 Passos (com Imagens)

O Osmocote é um Fertilizante de composição Química, enquadrado na categoria de Fertilizantes Químicos. Ele é importado e em sua característica principal vai liberando os nutrientes de sua composição em processo muito lento.

  1. Formado por grânulos, que contém as 3 principais substâncias químicas para o desenvolvimento das plantas: o Nitrogênio, o Fósforo e o Potássio, da sigla NPK.
  2. Esses grânulos devem ser utilizados nos recipientes das plantas, acima da terra e não enterrados, pois só assim farão o serviço correto de suprir os nutrientes de forma adequada as plantas.
  3. Cabe destacar que o Osmocote pode ser encontrado em diferentes tamanhos de grânulos, para diferentes usos em recipientes e plantas de variados tamanhos.

Outro detalhe muito importantes é a composição (equilíbrio) das 3 substâncias NPK do Osmocote. Há versões contendo maiores ou menores porcentagens de cada substâncias, podendo assim nutris determinadas plantas com quantidades ideais do que elas precisam, e evitar sobrecarga do que não precisam.

Leia também:  Como capturar rayquaza em pokemon emerald: 12 passos

Benefícios do OSMOCOTE

  • Nutrição precisa e segura;
  • Uma única adubação;
  • Fornecimento contínuo dos nutrientes durante o desenvolvimento das mudas;
  • Formulações que liberam nutrientes por um período de 2 a 14 meses para as mais diferentes demandas de mudas;
  • Melhor aproveitamento dos nutrientes (sem excesso ou falta destes), ambos prejudiciais ao desenvolvimento das plantas;
  • Proporciona as mudas um crescimento uniforme, maior volume de raízes, menor suscetibilidade a condições adversas, entre outras vantagens.

Tempo de liberação dos nutrientes e formulações do Osmocote

Segundo o fabricante do Osmocote, há que se considerar a temperatura, que eles aferem em temperatura média de 21°C.

Os nutrientes serão liberados lentamente para as plantas seguindo o tempo da tabela abaixo:

Como Aguar Rosas Adequadamente: 14 Passos (com Imagens)

Se levarmos em consideração a variação de temperatura e a longevidade da ação do OSMOCOTE, teremos uma dinâmica diferente para uso nas plantas. Acompanhe a tabela de tempo abaixo para compreender a forma ideal de uso:

Como Aguar Rosas Adequadamente: 14 Passos (com Imagens)

O que é a sigla NPK e seu impacto nas plantas

As plantas necessitam de substâncias para um crescimento saudável e adequado. A sigla NPK contida nos fertilizantes para plantas são compostos por três elementos:

  • (N) Nitrogênio
  • (P) Fósforo
  • (K) Potássio

Você pode notar que essas letras são na verdade os símbolos químicos da tabela periódica, que representam os nutrientes e substâncias em que as plantas precisam para sobreviver.

 

Esses elementos são fundamentais nas plantas, pois são utilizados em grande quantidade por elas e são fundamentais em todas as etapas do ciclo de vida das mesmas: crescimento, florescimento e frutificação.

As formulações do OSMOCOTE variam para oferecer maior diversidade de aplicações e suprir adequadamente as cada tipo de planta. Os valores variam porque cada elemento tem uma função e deve ser usado em maior ou menor quantidade.

Em resumo, o nitrogênio (N) estimula o crescimento dos brotos e das folhas, o fósforo (P) favorece a floração e a frutificação, já o potássio (K) fortalece os tecidos vegetais, tornando as plantas mais resistentes a pragas.

O impacto do OSMOCOTE e os nutrientes NPK nas plantas

Nitrogênio (N): o nitrogênio é absorvido na forma de amônio ou nitrato pelas raízes e grande parte dele é utilizado para fabricação das proteínas (na forma de enzimas) e ácidos nucléicos.

É a segunda substância mais importante para os vegetais logo após a água e afeta diretamente o desenvolvimento dos tecidos das plantas e sua reprodução.

A falta de nitrogênio (N) na planta dá para perceber quando as folhas mais velhas tendem a ficar amareladas e a planta perde a cor verde, típica das plantas, isso devido à falta de clorofila.

Fósforo (P): o fósforo é associado com a complexa transformação da energia na planta e com a regulação da síntese das proteínas. Quando adicionado ao solo, promove o crescimento das raízes e a resistência ao frio e acelera a maturação.

A falta de fósforo (P) na planta afeta o crescimento, com a coloração anormal de verde escurecido. Quando as plantas são pequenas, as deficiências são similares as da falta de nitrogênio. Algumas outras colorações anormais como vermelho e amarelo em plantas podem ser ocasionadas por outros fatores, como temperatura do solo e ação de insetos.

Potássio (K): é ativador de enzimas, agindo também na fotossíntese. Faz com que a planta tenha um melhor controle sobre suas funções vitais como respiração, perda de água e resistência a pragas. Com isso, deixa inclusive as raízes mais fortes e aumenta a resistência à aridez.

A falta de potássio (K) nas plantas causa fraqueza e deixa a planta suscetível às pragas e doenças. Os frutos são prejudicados também, diminuindo sua vida útil.

Comprar OSMOCOTE Fertilizante online

 

Você pode ver todas as versões do Osmocote Fertilizante Químico acessando nossa loja online através do link Osmocote no Bom Cultivo.

Onde Comprar OSMOCOTE

  Como Aguar Rosas Adequadamente: 14 Passos (com Imagens)

  • Se preferir ou necessitar de maiores quantidades do produto, basta entrar em contato conosco através de nossos canais:
  • Whatsapp: (47) 99980-3301
  • Telefone: (47) 3522-2260
  • E-mail: [email protected]

 

Dúvidas e Comentários? Deixe sua mensagem!

Cuidados a ter com as rosas no verão

As rosas são consideradas por muitos as “rainhas” do jardim. A beleza singular faz delas símbolos dos jardins românticos e mediterrânicos. Por esta razão, as roseiras são muito procuradas em Portugal por quem tem um jardim ou uma varanda. Para que atinjam o pico da sua beleza, as roseiras precisam de cuidados adequados ao longo do ano.

Estas são as tarefas que deve fazer no verão:

É essencial utilizar adubo e substrato adequados a roseiras.

1. Adubar

Para que sejam saudáveis e tenham floração abundante, as roseiras precisam de ser adubadas três vezes ao ano com adubo específico.

A primeira adubação deve ser feita no início da primavera, a segunda no início do verão e a terceira no final do verão.

Tenha roseiras em canteiro ou em vaso, utilize adubo próprio para rosas, como o da Siro, que fornece os nutrientes necessários à planta.

Para a plantação ou transplantação, utilize o substrato Siro Roseiras, elaborado com uma formulação específica, contendo componentes que  estimulam o desenvolvimento correto do sistema radicular da planta e asseguram um aproveitamento otimizado da água e dos nutrientes para uma floração abundante e duradoura.

Tome nota: deve regar as rosas antes e depois da fertilização – o solo deve estar húmido.

2. Regar

A rega durante o tempo quente e seco é essencial para as roseiras. A quantidade de água com que deve regar varia consoante o tipo de solo e as condições específicas do tempo. Na maioria dos casos, uma rega abundante uma vez por semana ou de duas em duas semanas será suficiente. Regue diretamente o solo, evitando molhar as folhas e flores, para não incentivar doenças.

Leia também:  Como baixar o microsoft picture manager

Tome nota: Pode aplicar mulch – como casca de pinheiro – por cima do solo à volta das roseiras para conservar a humidade e controlar ervas daninhas.

Mancha das folhas.

3. Controlar pragas e doenças

As doenças que mais afetam as rosas são a mancha das folhas (Diplocarpon rosae), o oídio e a ferrugem.

As pragas mais comuns são os ácaros e os afídeos. Para controlar tanto pragas como doenças, é preciso, antes de mais, dar as condições básicas de manutenção apropriadas às roseiras.

Depois, é essencial aplicar os produtos próprios para cada situação de acordo com as instruções.

4. Podar ligeiramente

Remova folhas ou flores secas para encorajar o crescimento das roseiras. Certifique-se de que utiliza uma tesoura de poda limpa.

  • Descubra mais sobre o substrato e o adubo para roseiras no site da Siro.
  • Imagens: Thinkstock, Siro
  • Powered by Siro

Cultivo das Rosas – Dicas e Cuidados Básicos

Todas as flores precisam de cuidados. Porém, algumas precisam mais do que outras, tais como as rosas. Quem as plantam ou as recebem, geralmente deseja mantê-las vivas e floridas por muito tempo, já que além de lindas, as flores também são bastante delicadas e perfumadas. Para isso,  é preciso saber como plantar rosas e ter alguns cuidados especiais, que são de suma importância.

E é exatamente isso que você vai ver agora, pois reunimos dicas e cuidados básicos com o cultivo das rosas, para que as suas flores mantenham a beleza sempre. Confira!

Dicas de como plantar rosas

As roseiras devem ser plantadas em solo rico em húmus e, preferencialmente, argiloso. As covas devem ter 30 cm de profundidade. O preenchimento da abertura deve ser feito aos poucos, com terra inicialmente em torno da raiz.

Regue sempre quando o sol estiver mais forte, ao meio-dia, até começar a floração. A partir daí, regue somente em períodos de seca. Recomenda-se aplicar fungicidas quando a primeira folha apontar, pois a incidência de doenças é maior.

Cultivo das rosas no jardim

Prepare o canteiro oito dias antes de iniciar o plantio. Use 10 litros de terra vegetal natural e 10 litros de esterco de gado ou cavalo por, no mínimo, 60 dias. Coloque 100 gramas de farinha de ossos e misture bem. Remexa bastante a terra até 30 a 40 cm de profundidade. Repita a adubação no inverno e no verão e sempre tire o mato do canteiro.

Cultivo das rosas em vaso

Se quiser saber como plantar rosas em vasos, tenha sempre em mente que o tamanho do recipiente deve ser proporcional ao porte da roseira. Aplique um adubo líquido a cada 15 dias, seguindo as doses indicadas pelo fabricante.

Temperatura e ambientes ideais

As roseiras precisam ficar em um local ensolarado (pelo menos de 6 a 7 horas diárias de incidência solar direta) e bem arejado. A temperatura ideal para mantê-las bonitas e saudáveis é entre 25°C e 30°C.

Rega

A rega das plantas também é muito importante e merece algumas dicas especiais caso você queira sabe como plantar rosas bem. A primeira dica e que, após o plantio das mudas, até a primeira floração, as rosas sejam regadas todos os dias.

Depois disso, é preciso regá-las duas vezes por semana no inverno e duas vezes por semana quando o tempo estiver muito quente. A terra deve ficar um pouco seca entre uma rega e outra.

Adubação

Recomenda-se fazer de 2 a 3 adubações anuais. A primeira deve acontecer logo após a poda anual. Já a segunda, deve ser entre novembro e dezembro. E a terceira adubação pode acontecer entre janeiro e fevereiro.

Além disso, vale lembrar que a melhor adubação é a orgânica, feita com esterco animal, composto orgânico, farinha de ossos e torta de mamona. Deve-se espalhar o adubo com uma boa distância entre o caule e as raízes.

Poda

A primeira poda deve ser feita após um ano do plantio e ser repetida todos os anos. O melhor período para podar as roseiras é entre julho e agosto.

Após a primeira floração, é necessário fazer uma poda de limpeza, cortando de duas a três folhas abaixo do botão, sempre na diagonal. As podas são necessárias para que as roseiras sempre floresçam e se desenvolvam bem.

Pragas existentes

As pragas mais comuns são pulgões e, seguidos a eles, os ácaros, trips, larva minadora e cochonilha. O controle dessas pragas é feito por inseticidas específicos, mas também pode ser usada a calda de fumo, que é caseira e menos tóxica.

Os principais causadores de doenças graves nas roseiras são os fungos, como míldio, pinta preta, mofo-branco, Botrytis e ferrugem, que aparecem devido ao excesso de umidade. Para combatê-los, podem ser usados fungicidas específicos, preferencialmente com a orientação de um profissional.

Como plantar rosas: erros comuns

  • Excesso de rega;
  • Uso de água fria para regar (o ideal é água com temperatura ambiente);
  • Mudança de lugar das plantas enquanto elas ainda estão se adaptando; e
  • Uso excessivo de inseticidas e sem instrução.

Agora que você já sabe tudo sobre como plantar rosas, acesse o site da Giuliana Flores e encontre várias cores e espécies para decorar a sua casa ou presentear alguém especial. Confira já!

Você também vai gostar de:

1. Para se Encantar: Conheça os Tipos de Rosas Mais Exuberantes 2. Conheça Algumas Curiosidades Sobre as Rosas 3. Decorando a casa com rosas brancas

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*