Como carregar uma pessoa machucada entre duas pessoas

Primeiros socorros são intervenções que devem ser feitas de maneira rápida, logo após o acidente ou mal súbito, que visam a evitar o agravamento do problema até que um serviço especializado de atendimento chegue até o local. Essas intervenções são muito importantes, pois podem evitar complicações e até mesmo evitar a morte de um indivíduo.

Antes de qualquer procedimento de primeiro socorro, é importante que o socorrista tenha em mente a necessidade de:  

  • Manter a calma;
  • Afastar os curiosos;
  • Garantir que serviço de emergência seja chamado.
Telefones úteis em caso de emergência
Samu 192
Corpo de Bombeiros 193
Disque-intoxicação (Anvisa) 0800-722-6001
Defesa Civil 199
Polícia Militar 190
  • É muito importante salientar que algumas pessoas não estão preparadas para realizar os primeiros socorros e, portanto, o ideal é que deixe outra pessoa realizar os procedimentos adequados e auxiliar de outra maneira, como, buscando socorro.
  • Leia também: 10 principais causas de morte no mundo

Não pare agora… Tem mais depois da publicidade 😉

Omissão de socorro

A omissão de socorro é considerada crime em nosso país.Segundo o Decreto-Lei Nº 2.848, de 7 de dezembro de 1940, deixar de prestar assistência a uma pessoa em risco pode resultar em detenção ou multa. Veja o art. 135 que aborda o tema:

  1. Art. 135 – Deixar de prestar assistência, quando possível fazê-lo sem risco pessoal, à criança abandonada ou extraviada, ou à pessoa inválida ou ferida, ao desamparo ou em grave e iminente perigo; ou não pedir, nesses casos, o socorro da autoridade pública:
  2. Pena – detenção, de um a seis meses, ou multa.
  3. Parágrafo único – A pena é aumentada de metade, se da omissão resulta lesão corporal de natureza grave, e triplicada, se resulta a morte.

Primeiros socorros em caso de queimaduras

Queimaduras são situações relativamente comuns no nosso dia a dia.

Elas são classificadas, de acordo com o dano causado, em queimadura de primeiro grau, queimadura de segundo grau e queimadura de terceiro grau.

A queimadura de primeiro grau afeta apenas a epiderme (camada mais externa da pele), já a de segundo grau afeta a derme e epiderme, enquanto a de terceiro grau atinge também o tecido abaixo da pele.

Como Carregar Uma Pessoa Machucada Entre Duas Pessoas Em caso de queimadura leve, é importante colocar a região queimada em água corrente.

O primeiro passo em caso de queimadura é retirar a pessoa da região próxima à fonte de calor. Feito isso, deve-se avaliar a lesão. Se o dano for leve, recomenda-se lavar o local com água corrente ou colocar compressas de soro fisiológico para reduzir a temperatura do local. Caso apareçam bolhas, elas nunca devem ser furadas.

Se ao avaliar a lesão, você perceber que o dano é grave, é fundamental procurar ajuda médica imediatamente. Outro ponto importante é nunca passar no local nenhuma substância caseira nem mesmo medicamentos sem que sejam recomendados por um médico.

Primeiros socorros em casos de intoxicações

As intoxicações ocorrem em consequência à ingestão, inalação ou contato com a pele de determinadas substâncias.

Plantas tóxicas, alimentos contaminados, produtos de limpeza, remédios, soda, inseticidas e formicidas são exemplos de produtos que podem causar intoxicações.

As intoxicações podem ser identificadas por causar, por exemplo, irritação nos olhos, garganta e nariz, salivação abundante, vômito, diarreia, convulsões, queda de temperatura, asfixia, tontura e sonolência.

Em caso de intoxicações, o recomendado é identificar o agente causador da intoxicação e solicitar atendimento especializado. A pessoa, nesse momento, deve ser deixada imóvel e caso a intoxicação seja por produtos derivados de petróleo e corrosivos, como soda cáustica, alvejantes, tira ferrugem, amônia, gasolina, querosene e benzina, não se pode provocar vômito.

Leia também: Plantas tóxicas

Primeiros socorros em caso de picada de serpente peçonhenta

Como Carregar Uma Pessoa Machucada Entre Duas Pessoas Algumas serpentes apresentam toxinas que podem levar à morte, sendo fundamental atendimento rápido.

Algumas serpentes são capazes de injetar toxinas que podem causar grandes danos ao organismo e até mesmo a morte. Sendo assim, em caso de acidente com serpentes, é importante realizar alguns procedimentos rapidamente.

Os primeiros socorros consistem em lavar a área da picada com água e sabão, colocar o acidentado em posição confortável, de preferência deixando a vítima deitada com a área afetada em um nível abaixo do coração e levar a vítima ao atendimento médico mais rápido. É fundamental não aplicar qualquer substância, não fazer cortes no local e nem amarrar ou fazer torniquetes. Outro ponto importante é não deixar a vítima locomover-se por meios próprios. Caso seja possível, levar a cobra para a identificação.

Leia também: Serpentes peçonhentas brasileiras

Primeiros socorros em caso de engasgo

O engasgo ocorre quando algum alimento ou um objeto bloqueia as vias respiratórias, impedindo a realização da respiração. Por impedir que a vítima respire, um socorro rápido é necessário para evitar a morte por asfixia.

Como Carregar Uma Pessoa Machucada Entre Duas Pessoas A manobra de Heimlich visa a eliminar o objeto que está bloqueando as vias respiratórias.

Inicialmente, o socorrista deve acalmar a vítima e, posteriormente, aplicar a técnica conhecida como manobra de Heimlich. Nessa manobra, o socorrista posiciona-se logo atrás da vítima e coloca o braço ao redor abdome dela.

Uma mão fica fechada sobre a boca do estômago e a outra mão é posicionada em cima da primeira e a comprime.

Os movimentos de compressão deverão ser feitos para dentro e para cima, permitindo que o objeto que está bloqueando a via respiratória seja eliminado.

Em bebês, deve-se colocar a criança com a barriga para baixo sobre seu antebraço, deixando a cabeça mais baixa que o corpo, e dar cinco pancadas utilizando o punho da mão.

Vire a criança para cima apoiando sua cabeça e deixando-a mais baixa que o corpo e observe se ocorreu a saída do objeto. Caso o objeto não tenha saído, aplique cinco compressões rápidas no tórax entre a linha dos mamilos utilizando os dois dedos maiores da mão.

Se as manobras não funcionarem, pedir ajuda rapidamente e continuar tentando o procedimento.

Primeiros socorros em caso de fraturas

Dizemos que ocorreu uma fratura quando o osso perde sua continuidade. A fratura pode ser exposta quando a pele é rompida e pode-se ver o osso, e fechada quando a pele não se rompe. Em ambos os casos, é fundamental ajuda médica profissional para que a recuperação do osso seja feita de maneira adequada.

Como Carregar Uma Pessoa Machucada Entre Duas Pessoas Em caso de fratura deve-se imobilizar o local lesionado.

Primeiramente, o socorrista deve imobilizar a região acometida para evitar a movimentação dos fragmentos dos ossos lesionados. Não se deve tentar colocar o osso no local, pois isso pode agravar o quadro, caso seja feito de maneira inadequada.

Em caso de fraturas expostas, é necessário tentar controlar, caso esteja presente, a hemorragia com um pano limpo que deve ser colocado sobre o local e pressionado.

Lembre-se que fraturas em costas e pescoço necessitam de mais atenção e a movimentação só deve ser feita por profissionais.

Leia também: Diferença entre fratura, entorse e luxação

Primeiros socorros em caso de desmaio

O desmaio caracteriza-se como uma perda transitória de consciência e, diferentemente do que muitos pensam, geralmente, não é uma situação que é considerada uma ameaça à vida.

O desmaio pode ser causado por diferentes causas como, por exemplo, hipoglicemia, cansaço, fortes emoções, calor intenso, dores e mudanças súbitas de posição.

Os maiores problemas decorrentes de desmaio estão no fato de que a queda pode levar ao desenvolvimento de lesões.

Como Carregar Uma Pessoa Machucada Entre Duas Pessoas Apesar de o desmaio ser uma situação que preocupa muitas pessoas, geralmente, não causa ameaça à vida.

Leia também:  Como apresentar em uma hp virtual room

Ao presenciar um desmaio, algumas medidas podem ser tomadas, como deitar a vítima, afrouxar suas roupas, garantir que o ambiente fique arejado e elevar os membros inferiores. Caso a pessoa sinta a sensação de que irá desmaiar, essa pode ser orientada a se sentar e colocar a cabeça entre os joelhos ou então se deitar.

Primeiros socorros em caso de convulsão

As convulsões podem ser definidas como crises epiléticas em que se observa um acometimento do sistema motor, geralmente, desencadeando uma série de contrações musculares violentas, salivação, palidez, lábios azulados e perda da consciência.

Em caso de convulsões, algumas medidas são importantes, sendo a primeira delas tentar evitar que a vítima caia desamparadamente. Tente deitar a vítima e afastar de perto dela objetos que podem ser perigosos. Suas roupas devem ser afrouxadas e o rosto virado para o lado para evitar engasgos.

Não se deve interferir nos movimentos, nem colocar objetos entre os dentes da vítima. Quando a convulsão passar, mantenha a vítima deitada até a recuperação da consciência. Caso a convulsão demore mais de 5 minutos, é essencial chamar o serviço de emergência.

Por Ma. Vanessa Sardinha dos Santos

Noções de primeiros socorros em situações de emergência – Rede Mobilizadores

Neste aspecto, o Artigo 135 do Código Penal Brasileiro aborda o Crime de Omissão de Socorro, que consiste em: “deixar de prestar assistência, quando possível de fazê-lo sem risco pessoal, à criança abandonada ou extraviada, ou à pessoa inválida ou ferida, ao desamparo ou em grave e eminente perigo; ou não pedir nesses casos, o socorro da autoridade pública”. A omissão de socorro incorre em detenção de um ano e seis meses ou multa.

  • Os momentos após um acidente, principalmente as duas primeiras horas são os mais importantes para se garantir a recuperação ou a sobrevivência das pessoas feridas.
  • As principais finalidades dos primeiros socorros são: salvar uma vida; prevenir danos maiores; manter a segurança durante o atendimento das emergências para prevenir novo acidente; transportar a vítima com segurança e rapidez para o hospital, quando for o caso.
  • Veja, a seguir, como proceder em algumas destas situações.
  • 1 – As primeiras atitudes
  • Em caso de emergência disque 193

Mantendo a calma, identifique-se fornecendo nome e telefone de contato, relate o que realmente está acontecendo e se há vítimas. INFORME CORRETAMENTE O ENDEREÇO DA OCORRÊNCIA.

  1. Geralmente os acidentes são decorrentes de vários fatores e é comum que quem os presencia, ou quem chega ao acidente logo que este aconteceu, se depare com cenas de sofrimento, nervosismo, pânico, pessoas inconscientes e outras situações que exigem providências imediatas.
  2. Quando não estiver sozinho, peça e aceite a colaboração de outras pessoas, sempre se deixando liderar por aquela que apresentar maior conhecimento e experiência.
  3. Se essa pessoa de maior experiência e conhecimento for você, solicite a ajuda das demais pessoas, com calma e firmeza, demonstrando a cada uma o que deve ser feito, de forma rápida e precisa.
  4. Apesar da gravidade da situação devemos agir com calma, evitando o pânico.
  5. •Transmita confiança, tranquilidade, alívio e segurança aos acidentados que estiverem conscientes, informando que o auxílio já está a caminho.
  6. •Aja rapidamente, porém dentro dos seus limites.
  7. •Use os conhecimentos básicos de primeiros socorros.
  8. •Às vezes, é preciso saber improvisar.
  9. 2- Contato com a Vítima
  10. Se a vítima estiver consciente você deve:
  11. 1. Apresentar-se, dizendo seu nome e que esta para ajudar a socorrer;
  12. 2. Indagar se pode ajudá-la (obtenha o consentimento);
  13. 3. Questionar sobre o ocorrido;

4. Questionar a sua queixa principal.

  • 3 – Transporte de vítimas
  • Se houver suspeita de fraturas no pescoço e nas costas, evite mover a pessoa.
  • Para puxá-la para um local mais seguro, mova-a de costas, no sentido do comprimento com o auxílio de um casaco ou cobertor.

Para erguê-la, você e mais duas ou três pessoas devem apoiar todo o corpo e colocá-la numa tábua ou maca. Se precisar, improvise com pedaços de madeira, amarrando cobertores ou paletós.

  1. Apoie sempre a cabeça, impedindo-a de cair para trás.
  2. 4 – Parada cardiorrespiratória
  3. Além de apresentar ausência de respiração e pulsação, a vítima também poderá apresentar inconsciência, pele fria e pálida, lábio e unhas azulados.
  4. O que não se deve fazer
  5. NÃO dê nada à vítima para comer, beber ou cheirar, na intenção de reanimá-la.
  6. Só aplique os procedimentos a seguir se tiver certeza de que o coração não está batendo.
  7. Procedimentos Preliminares

Se o ferido estiver de bruços e houver suspeita de fraturas, mova-o, rolando o corpo todo de uma só vez, colocando-o de costas no chão.

Faça isso com a ajuda de mais duas ou três pessoas, para não virar ou dobrar as costas ou pescoço, evitando, assim, lesionar a medula quando houver vértebras quebradas.

Verifique, então, se há alguma coisa no interior da boca que impeça a respiração da pessoa. Se positivo, retire-a.

  • Ressuscitação cardiopulmonar
  • Com a pessoa no chão, coloque uma das mãos sobre a outra e localize a extremidade inferior do osso vertical que está no centro do peito.
  • Ao mesmo tempo, uma outra pessoa deve aplicar a respiração boca a boca, firmando a cabeça da pessoa e fechando as narinas com o indicador e o polegar, mantendo o queixo levantado para esticar o pescoço.
  • Enquanto o ajudante enche os pulmões, soprando adequadamente para insuflá-los, pressione o peito a intervalos curtos de tempo, até que o coração volte a bater.
  • Esta sequência deve ser feita da seguinte forma: se você estiver sozinho, faça dois sopros para cada dez pressões no coração; se houver alguém ajudando, faça um sopro para cada cinco pressões.
  • 5 – Fraturas
  • É a quebra de um osso, causada por uma pancada muito forte, uma queda ou esmagamento.
  • Há dois tipos de fraturas: as fechadas, que apesar do choque, deixam a pele intacta, e as expostas, quando o osso fere e atravessa a pele.
  • As fraturas expostas exigem cuidados especiais, portanto, cubra o local com um pano limpo ou gaze e procure socorro médico imediato.
  • Fratura Fechada – Sinais Indicadores
  • •Dor ou grande sensibilidade em um osso ou articulação.
  • •Incapacidade de movimentar a parte afetada, além do adormecimento ou formigamento da região.
  • •Inchaço e pele arroxeada, acompanhado de uma deformação aparente do membro machucado.
  • O que não se deve fazer
  • •Não movimente a vítima até imobilizar o local atingido.
  • •Não dê qualquer alimento ao ferido, nem mesmo água.
  • O que fazer
  • •Solicite assistência médica, enquanto isso, mantenha a pessoa calma e aquecida.
  • •Verifique se o ferimento não interrompeu a circulação sangüínea.
  • •Imobilize o osso ou articulação atingido com uma tala.
  • •Mantenha o local afetado em nível mais elevado que o resto do corpo e aplique compressas de gelo para diminuir o inchaço, a dor e a progressão do hematoma.
  • 6- Sangramentos
  • As Hemorragias
  • Hemorragia externa: é a perda de sangue devido ao rompimento de um vaso sangüíneo (veia ou artéria).
  • Hemorragia interna: é o resultado de um ferimento profundo com lesão de órgãos internos
  • Sangramentos Externos – O que fazer
  • •Procure manter o local que sangra em plano mais elevado que o coração.

•Pressione firmemente o local por cerca de 10 minutos, comprimindo com um pano limpo dobrado ou com uma das mãos. Se o corte for extenso, aproxime as bordas abertas com os dedos e as mantenha unidas.

Ainda, caso o sangramento cesse, pressione com mais firmeza por mais 10 minutos.

•Quando parar de sangrar, cubra o ferimento com uma gaze e prenda-a com uma atadura firme, mas que permita a circulação sangüínea. Se o sangramento persistir através do curativo, ponha novas ataduras, sem retirar as anteriores, evitando a remoção de eventuais coágulos.

  1. Obs: quando houver sangramentos intensos nos membros e a compressão não for suficiente para estancá-los, comprima a artéria ou a veia responsável pelo sangramento contra o osso, impedindo a passagem de sangue para a região afetada.
  2. Sangramentos Internos – Como verificar e como agir
  3. •Os sinais mais evidentes são: pele fria, úmida e pegajosa, palidez, pulso fraco, lábios azulados e tremores.
  4. •Não dê alimentos à vítima e nem aqueça demais com cobertores.
  5. •Peça auxílio médico imediato
  6. Sangramentos Nasais – O que fazer
  7. •Incline a cabeça da pessoa para a frente, sentada, evitando que o sangue vá para a garganta e seja engolido, provocando náuseas.
  8. •Comprima a narina que sangra e aplique compressas frias no local.
  9. •Depois de alguns minutos, afrouxe a pressão vagarosamente e não assoe o nariz.
  10. •Se a hemorragia persistir, volte a comprimir a narina e procure socorro médico.
  11. Torniquetes – Como fazer
  12. O torniquete deve ser aplicado apenas em casos extremos e como último recurso quando não há a parada do sangramento. Veja como:
Leia também:  Como aproveitar cupom ao máximo (com imagens)

•Amarre um pano limpo ligeiramente acima do ferimento, enrolando-o firmemente duas vezes. Amarre-o com um nó simples.

•Em seguida, amarre um bastão sobre o nó do tecido. Torça o bastão até estancar o sangramento. Firme o bastão com as pontas livres da tira de tecido.

  • •Marque o horário em que foi aplicado o torniquete.
  • •Procure socorro médico imediato.
  • •Desaperte-o gradualmente a cada 10 ou 15 minutos, para manter a circulação do membro afetado.
  • 7 – Vertigem ou Sincope

Vertigem e síncope são bastante parecidas. A diferença se dá basicamente pela intensidade do quadro.

A sincope (desmaio) caracteriza-se por uma fraqueza muscular generalizada, com perda da capacidade de se manter em pé e perda da consciência,

A vertigem refere-se à diminuição da força, visão turva e sensação de perda iminente da consciência.

Os fatores que com maior freqüência causam estes problemas são os ambientes com muitas pessoas, sem adequada ventilação, emoções fortes, fome, insolação, inadequado recebimento de circulação e oxigênio no cérebro e dor intensa. As manifestações clínicas são palidez (pele descorada), pulso rápido e fraco, sudorese (suor) e perda dos sentidos.

Tratamento de emergência

Se ainda não houve o desmaio:

Sentar a vítima numa cadeira, fazer com que ela coloque a cabeça entre as coxas e fazer pressão na nuca para baixo, (com a palma da mão), enquanto ela força a cabeça para cima por alguns segundos. Esse movimento fará com que aumente a quantidade de sangue e oxigênio no cérebro. Realize esse procedimento umas 3 vezes;

Em casos de desmaios:

Diante de uma pessoa que sofreu desmaio deve-se primeiramente, afastar possíveis fatores causadores do mesmo. Locais quentes e com aglomeração de pessoas em volta devem ser evitados.

Se a pessoa esta inconsciente deve-se observar possíveis lesões ocasionadas por sua queda. Depois que a pessoa retornar à consciência, devemos questionar o fator causador do desmaio (se este não for evidente) e remover o estímulo ofensor para não precipitar novo desmaio.

  1. O atendimento de emergência nas sincopes e/ou vertigens, contempla:
  2. •Arejar o ambiente, ou transportar a vítima para um local com melhor ventilação;
  3. •Elevar os membros inferiores, fazendo com que o sangue circule em maior quantidade no cérebro e nos órgãos nobres;
  4. •Virar a cabeça para o lado, evitando que a vítima venha a vomitar e possa se asfixiar;
  5. •Afrouxar a roupa, para uma melhor circulação;
  6. •Após o desmaio ter passado, não dê água imediatamente, para evitar que a vítima se afogue, pois ainda não está com seus reflexos recuperados totalmente;
  7. •Faça-a sentar e respirar fundo por longo tempo, e após auxilie-a a dar uma volta, respirando fundo e devagar.
  8. 9. Asfixia

Asfixia ou sufocação é o resultado da obstrução das vias respiratórias impedindo a respiração.

As crianças são as vítimas mais comuns, pois sempre estão perto de pequenos objetos como: moedas, bolinhas, anéis, brincos ou brinquedos de desmanche que contêm peças pequenas.

A asfixia se manifesta por incapacidade de a pessoa falar, respiração difícil e barulhenta e por gestos universais de sufocação.

10 – Queimaduras

As queimaduras são lesões causadas por calor, agentes químicos, corrente elétrica ou irradiação. São classificadas de acordo com a profundidade e extensão da lesão causada à pele, sendo denominadas por queimadura de 1º grau, 2º grau e 3º grau.

Tratamento de emergência

•A primeira providência a ser tomada é isolar a vítima do agente causador do acidente e, em seguida lavar com água corrente limpa a área queimada;

•Se a roupa estiver grudada na área queimada, tenha muito cuidado. Lave a região até que o tecido possa ser retirado delicadamente, sem aumentar a lesão. Se continuar aderido à pele, recorte-o ao redor do ferimento;

  • •Se a queimadura ocorreu por exposição a um agente químico ou cáustico, faça o contrário: remova a roupa para evitar que o produto permaneça em contato com a pele;
  • •Não coloque gelo, sabão ou qualquer produto químico sobre a região lesada. Isso pode agravar a área machucada;
  • •Proteja o local e, se surgirem bolhas, não as rompa;
  • •Para diminuir o inchaço, mantenha a região mais elevada que o resto do corpo;
  • •Mantenha o local coberto com pano ou gaze úmida;

•Em casos de queimaduras elétricas, não toque na vítima. Desligue a eletricidade, afaste o fio elétrico com pedaço de pau e chame o resgate.

  1. 11- Acidentes com animais peçonhentos
  2. Animais peçonhentos são aqueles que produzem substância tóxica e apresentam um aparelho especializado para inoculação desta substância que é o veneno; possuem glândulas que se comunicam com dentes ocos, ferrões ou aguilhões, por onde o veneno passa ativamente.
  3. Alguns Animais Peçonhentos
  4. Serpentes: jararaca, cascavel, surucucu e coral verdadeira; Insetos: aranhas (marrom, armadeira, viúva negra), escorpiões (preto, amarelo), abelhas, vespas, formigas, lagartas;
  5. Primeiros socorros ao acidentado:
  6. •Lavar o local da picada de preferência com água e sabão;
  7. •Manter a vítima deitada, evitar que ela se movimente para não favorecer a absorção do veneno;
  8. •Se a picada for na perna ou no braço, mantê-los em posição mais elevada;
  9. •Não fazer torniquete: impedir a circulação do sangue pode causar gangrena ou necrose;
  10. •Não furar, não cortar, não queimar, não espremer, não fazer sucção no local da ferida e nem aplicar folhas, pó de café ou terra sobre ela para não provocar infecção;
  11. •Não dar à vítima pinga, querosene ou fumo, como é costume em algumas regiões do país;
  12. •Levar a vítima imediatamente ao serviço de saúde mais próximo para que possa receber o tratamento em tempo;
  13. •Levar, se possível, o animal agressor, mesmo morto, para facilitar o diagnóstico;
  14. •Lembrar que nenhum remédio caseiro substitui o soro anti peçonhento.
  15. 12 – Os 10 mandamentos do socorrista
  16. 1.Mantenha a calma;

2.Tenha em mente a seguinte ordem de segurança quando você estiver prestando socorro: Você, socorrista, é a prioridade. Depois a sua equipe (incluindo os transeuntes). E por último e nem menos importante, a vítima. Isso parece ser contraditório a primeira vista, mas tem o intuito básico de não gerar novas vítimas;

  • 3.Antes de prestar socorro, é fundamental ligar de imediato para o atendimento de emergência (Disque 193);
  • 4.Sempre verifique se há riscos no local, para você e sua equipe, antes de agir no acidente;
  • 5.Mantenha sempre o bom senso;
  • 6.Mantenha o espírito de liderança, pedindo ajuda e afastando os curiosos;
  • 7.Distribua tarefas, assim os transeuntes que poderiam atrapalhar poderão ajudá-lo e se sentirão mais úteis;
  • 8.Evite manobras intempestivas (realizadas de forma imprudente, com pressa);
  • 9.Em caso de múltiplas vítimas dê preferência àquelas que correm maior risco de morte como, por exemplo, vítimas em parada cárdio-respiratória ou que estejam sangrando muito;
Leia também:  Como agir perto de garotos (com imagens)

10.Seja socorrista e não herói (lembre-se do 2o mandamento).

  1. Kit de Primeiros Socorros
  2. •gaze
  3. •esparadrapo grande
  4. •micropore grande
  5. •bolsa de gelo
  6. •bolsa de água quente
  7. •água oxigenada
  8. •tesoura
  9. •band-aid de formatos variados
  10. •termômetro clínico
  11. •cotonetes
  12. •álcool para antisepsia à 70%
  13. •caixa para primeiros socorros
  14. •algodão
  15. •sabonete líquido
  16. •saco de lixo
  17. Fontes:

•Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit):http://www1.dnit.gov.b

•Cruz Vermelha: http://www.cruzvermelharj.org

•Manual de Primeiros Socorros da Associação dos Professores e Funcionários da Fundação Universidade do Contestado Campus Universitário de Canoinhas (AFF UnC)

•Primeios + Socorros – http://primeirossocorros.com/

•Bombeiros Emergência -http://www.bombeirosemergencia.com.br/primeirossocorros.html

primeiros socorros

Acidente automobilístico

Ao presenciar um acidente automobilístico é muito importante relatar para a equipe de socorro como ele aconteceu. Assim, aumentam as chances de ajudar as vítimas. Antes de iniciar o socorro é essencial verificar se o local é seguro, evitando atropelamentos.

Outro ponto fundamental a observar antes se não há vazamento de combustível no local. Também é importante não tentar tirar as vítimas do carro até o socorro chegar, a menos que haja risco de explosão. Se isso acontecer, veja as orientações no item transporte da vítima.

  • Como agir:
  • – Chame socorro imediatamente, antes mesmo de se aproximar do local do acidente;
  • – Verifique se a vítima está consciente;
  • – Se estiver inconsciente, a vítima já é considerada um paciente grave. Mais do que socorrê-la, o importante é observar e tentar dar o maior número de informações para a equipe de emergência;
  • – Verifique se a vítima está respirando. A melhor maneira é pelo movimento do tórax;
  • – Se estiver consciente, oriente-a para que não se mexa e não saia do carro. Não tente tirar o acidentado das ferragens;
  • – Se houver como acessar a vítima, use sempre luvas ou um pano limpo para não se contaminar com sangue, secreções e vômito;
  • – Segure a cabeça da vítima para que ela não movimente o pescoço. Qualquer movimento brusco pode piorar o estado dela;
  • – Não forneça líquidos para ela beber, mesmo que ela diga que está com sede.
  • Afogamento

O afogamento é o resultado da dificuldade ou da impossibilidade de respirar por afundamento em qualquer líquido. Pode levar à parada cardiorrespiratória e ao estado de choque.

Caso as funções respiratórias não forem restabelecidas dentro de 3 a 4 minutos, as atividades cerebrais cessarão totalmente, causando a morte. Por isso, é necessário realizar socorro rápido e imediato.

  1. Como agir:
  2. – Peça socorro a pessoas habilitadas (salva-vidas) e não tente fazer o salvamento a menos que tenha sido treinado para isso;
  3. – Retire a vítima da água usando algum objeto que flutue, puxando-a para um local seguro;
  4. – Evite tentar o salvamento sozinho e sem recursos materiais (boia, corda,
  5. embarcação etc.)
  6. – Se a vítima estiver lúcida, coloque-a deitada e vire-a para a direita, com a cabeça mais elevada em relação ao tronco. Acalme-a, mantenha-a aquecida e, se ela ingeriu boa quantidade de líquido, transporte-a imediatamente ao hospital;
  7. – Se o afogamento originar parada cardiorrespiratória, realize a reanimação cardiopulmonar ou solicite que alguém habilitado para tal faça isso. A vítima deve ser conduzida o mais rápido possível ao hospital;
  8. – Em caso de hipotermia (temperatura corporal abaixo de 35° C), aqueça-a e conduza-a ao hospital.
  9. Como prevenir:
  10. – Após ingerir alimentos espere no mínimo 1 hora para entrar na água;
  11. – Se ingerir bebida alcoólica, não entre na água;
  12. – Evite pular na água em locais desconhecidos; podem ocorrer acidentes batendo com a cabeça em pedras, galhos e no fundo de rios;
  13. – Procure se banhar em locais onde haja salva-vidas;
  14. – Respeite a sinalização do local e a orientação dos salva-vidas;

– Converse com o salva-vidas antes de entrar na água. Ele pode fornecer dicas valiosas sobre correnteza, buracos e locais de maior risco para banho.

Amputação

É a separação de um membro ou estrutura do restante do corpo, causada por diversos tipos de acidentes. Entre os mais comuns estão os com objetos cortantes (serra elétrica), os acidentes de trânsito (principalmente de moto), a violência, o choque e o esmagamento.

  • Nesse tipo de emergência, a rapidez na busca pelo atendimento é um fator determinante para conter qualquer tipo de infecção e também para o sucesso da reimplantação do membro.
  • Como agir:
  • – Se for preciso limpar o local da amputação, faça isso com um pano bem limpo e não use nenhuma outra substância;
  • – Comprima o local com força, com um pano limpo para conter o sangue;

– Não se esqueça de recolher a parte amputada. Se a distância até o hospital não for longa, enrole-a com um pano limpo e coloque-a dentro de uma sacola plástica limpa. Se o socorro for demorar mais de 6 horas, enrole a parte amputada em um pano limpo, coloque-a em um pacote plástico bem fechado e, sem seguida, ponha o pacote dentro de outra sacola com gelo;

  1. – Não coloque a parte amputada diretamente no gelo, é necessário apenas refrigerá-la;
  2. – As amputações podem ocasionar hemorragia e infecção, levar ao estado de choque e à morte. Procure o socorro rápido para evitar a falta de vascularização no local, o que pode ocasionar gangrena;
  3. – O sucesso do reimplante vai depender principalmente do tipo de corte e do tempo decorrido do acidente até o recebimento do socorro apropriado.
  4. Como prevenir:
  5. – Tome cuidado ao manusear objetos cortantes e jamais use-os sob efeito de qualquer coisa que afete o sistema nervoso central (drogas, álcool ou medicamentos);

– Grande parte das amputações acontece no ambiente de trabalho. Adote medidas de segurança para prevenir acidentes.

Atropelamento

A primeira medida é chamar a emergência, dando localização precisa e descrevendo o estado da vítima. É também preciso adotar os procedimentos de verificação de consciência e respiração.

  • Como agir:
  • – Garanta que o local fique seguro para a vítima;
  • – Mantenha-a imobilizada, segurando a cabeça dela;
  • – Impeça que ela se levante, sente ou se vire;
  • – Se houver sangramento, comprima o local com um pano limpo;

– Aguarde o atendimento de emergência. Não pegue a vítima no colo nem e a transporte no seu carro. Se não for possível esperar pelo socorro, veja o item transporte da vítima, para não agravar uma possível lesão;

  1. – Não ofereça líquidos ou qualquer medicamento;
  2. – Cubra o acidentado para manter a temperatura e protegê-lo.
  3. Como prevenir:
  4. – Pedestres e ciclistas devem atravessar a rua sempre pela faixa de pedestres;
  5. – Quando não houver faixa, devem olhar atentamente para os dois lados e atravessar em linha reta, jamais no meio dos carros;
  6. – Pedestres, ciclistas, motociclistas e motoristas devem obedecer sempre à sinalização de trânsito;
  7. – Ciclistas e motociclistas devem usar sempre capacete e roupas que facilitem a visão dos motoristas. As bicicletas devem estar devidamente iluminadas e andar de acordo com o fluxo dos carros;
  8. – Crianças devem atravessar a rua na companhia de adultos e não devem brincar próximo de garagens ou da rua;
  9. – Ao descer do carro numa via, pedestres devem verificar se o local é seguro para este procedimento.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*