Como brincar com seu cachorro: 13 passos (com imagens)

Como Brincar com seu Cachorro: 13 Passos (com Imagens)

Como Brincar com seu Cachorro: 13 Passos (com Imagens)

Ver fichas de  Cachorros

Existem vários jogos que podemos praticar com um cachorro, mas sem dúvida, ensinar o nosso cachorro a trazer a bolinha é um dos mais completos e divertidos. Além de brincar com ele e reforçar o vosso vínculo, está praticando vários comandos de obediência, por isso é muito interessantes realizá-lo de forma regular.

Neste artigo explicamos-lhe detalhadamente e com imagens, como ensinar o meu cachorro a trazer a bolinha passo a passo, conseguindo que a vá apanhar e a solte apenas com o reforço positivo. Ficou animado com a ideia?

Passos a seguir:

1

O primeiro passo consiste em escolher o brinquedo que vamos utilizar para o ensinar a trazer a bola. Embora a nossa intenção seja utilizar uma bola, pode ser que o nosso cachorro goste mais de um frisbee ou algum brinquedo com uma determinada forma. Muito importante, evite utilizar bolas de tênis, uma vez que danificam a sua dentição.

Para começar a ensinar o seu cachorro a trazer a bola deve escolher o brinquedo favorito do seu cachorro, mas também irá precisar de guloseimas e snacks para o reforçar positivamente quando o fizer bem e atraí-lo para você se estiver demasiado estimulado e não lhe fizer nenhum caso.

Como Brincar com seu Cachorro: 13 Passos (com Imagens)

2

Antes de começar a praticar este exercício, mas já no parque ou no lugar escolhido, será fundamental oferecer algumas guloseimas ao nosso cachorro para que perceba que vamos trabalhar com prêmios. Lembre-se que devem ser muito saboroso para que responda corretamente. Siga este passo a passo:

  1. Dê um prêmio elogie o cachorro com um “muito bem”
  2. Retroceda alguns passo e volte a premiá-lo
  3. Continue fazendo esta ação 3 ou 5 vezes mais

Assim que o seu cachorro tiver sido premiado várias vezes, é o momento de começar o exercício. Peça-lhe para que fique quieto (para isso terá que ensinar-lhe a a ficar quieto). Isto evitará que fique extremamente ansioso por brincar e também o ajudará a perceber melhor que estamos “trabalhando”.

Como Brincar com seu Cachorro: 13 Passos (com Imagens)

3

Quando o cachorro estiver parado, atire a bolinha junto com um sinal para que o relacione corretamente. Pode combinar o “busca” com um gesto concreto com o braço. Lembre-se que tanto o sinal como a ordem verbal devem ser sempre as mesmas, desta forma o cachorro irá relacionando a palavra com o exercício.

Como Brincar com seu Cachorro: 13 Passos (com Imagens)

4

No começo, se escolheu corretamente o brinquedo, o cachorro irá buscar a “bola” escolhida. Neste caso estamos praticando com um kong, mas lembre-se que você pode utilizar o brinquedo que for mais atrativo para o seu cachorro.

Como Brincar com seu Cachorro: 13 Passos (com Imagens)

5

Agora é o momento de chamar o seu cachorro para que faça a “cobrança” ou entrega da bola. Lembre-se que, anteriormente, deve praticar o exercício de responder à chamada, caso contrário o seu cachorro irá embora com a bola. Assim que estiver perto, retire a bola com suavidade e dê-lhe um prêmio, reforçando assim a entrega do brinquedo.

Neste momento devemos incluir a ordem “deixa” ou “solta” para que o nosso cachorro comece a praticar também a entrega de brinquedos ou objetos. Além disso, este comando será muito útil para o nosso dia adia, podendo evitar que o nosso cachorro coma alguma coisa pela rua ou deixe um objeto que está mordendo.

Como Brincar com seu Cachorro: 13 Passos (com Imagens)

6

Uma vez compreendido o exercício de trazer a bolinha é o momento de continuar praticando, quer seja de forma diária ou semanal, para que o cachorro acabe de assimilar o exercício e possamos praticar com ele este jogo sempre que quisermos.

Como Brincar com seu Cachorro: 13 Passos (com Imagens)

Se deseja ler mais artigos parecidos a Como ensinar o meu cachorro a trazer a bolinha, recomendamos-lhe que entre na nossa seção de Educação básica.

18 imagens que provam que crianças são mais felizes com cachorros – ObaOba

Já pensou em pegar as duas coisas mais fofas desse mundo e colocar num ambiente só? Basta juntar cachorros e crianças para ver o resultado: uma overdose de fofura! ♥ Os cães cada vez mais se mostram ser babás incríveis – e a gente não cansa de ver essas imagens maravilhosas.

+ 14 pessoas que são tão fanáticas por cachorros quanto você + 20 provas de que os animais são bem melhores que os humanos + 16 animais que não estão preocupados de estarem presos em lugares estranhos

Se você precisa da sua dose diária de fofura, vai se apaixonar por essas 18 imagens que provam que crianças são mais felizes com cachorros. Aviso: essa matéria vai te dar vontade de ter um filho e um cachorro ao mesmo tempo!

1. Cachorros são ótimas babás

Repare como ele balança gentilmente o berço para ninar a criança ♥

2. E são atenciosos na hora de botar para dormir

Nada de tomar friagem nas costas!

3. Eles têm uma paciência para brincar..

Como Brincar com seu Cachorro: 13 Passos (com Imagens)

Mais eficiente do que Hot Wheels!

4. Mesmo quando eles viram o brinquedo

Como Brincar com seu Cachorro: 13 Passos (com Imagens)

Haja paciência para deixar a criança fazer o seu rabo de pincel, né?

5. Para brincar de médico, são os melhores pacientes!

A garotinha só queria ter certeza de que ele está saudável.

6. Eles dão ótimas camas para bebês

Como Brincar com seu Cachorro: 13 Passos (com Imagens)

E ficam paradinhos para o bebê dormir tranquilo!

7. São ótimos bancos para leitura..

8. E são perfeitos para você apoiar o seu bebê quando ele estiver acordado:

Como Brincar com seu Cachorro: 13 Passos (com Imagens)

Encaixa perfeitamente!

9. Em troca, eles gostam de se apoiar nos bebês também

Como Brincar com seu Cachorro: 13 Passos (com Imagens)

E olha a cara do neném de quem tá gostando! ♥

10. O companheirismo dos cachorros é único:

Como Brincar com seu Cachorro: 13 Passos (com Imagens)

O cachorro espera a criança brincar na poça antes de seguir em frente.

11. Eles não economizam nos beijos..

Awnnnnn ♥♥♥

12. E as crianças aprendem a retribuir esse amor logo cedo!

Muito amor!

13. Eles protegem as crianças dos perigos:

Como esse cachorro que impede a criança de brincar com as coisas afiadas da gaveta da cozinha.

14. Pedem desculpas pelos seus erros:

  • A criança começou a chorar depois que o cachorro pegou o seu brinquedo. Para se desculpar, ele trouxe para ela todos os brinquedos que encontrou – inclusive o que tinha roubado ♥

15. São ótimos professores..

Como, por exemplo, esse cachorro ensinando seu humano a engatinhar ♥

16. Principalmente se a criança ainda não deu os seus primeiros passos!

Como resistir a essa fofura ensinando ao bebê como mexer as perninhas??

17. Cachorros e crianças criam uma conexão própria no mundinho deles..

Tipo esses dois sapecas que com certeza estão tramando algo.

18. E essa ligação as faz crescer pessoas melhores ♥

Cachorros e crianças = as criaturas mais puras do mundo!

16 Dicas para cuidar do seu cachorro

Você sabe tudo sobre seu amigão? Confira aqui todos os cuidados de que ele precisa!

Quem não gosta de ser recebido em casa com um sorriso, rabinho abanando e latidos de felicidade? Todo cachorro gosta de retribuir todo amor e carinho que recebe, mas é claro, além de um cafuné, eles também precisam de cuidados. Veja abaixo como cuidar do seu melhor amigo.

1- Adaptação do cachorro:

Quando receber um novo cãozinho em sua casa, prepare um lugar quentinho e confortável, que pode ser uma caixa ou uma caminha.

Se puder, coloque objetos com o cheiro do lugar em que ele estava anteriormente, como um paninho, para que ele não estranhe muito o local.

E se for um filhote, coloque um relógio enrolado em um tecido, pois o tic-tac vai imitar o coração da mãe dele, deixando-o mais calmo. Uma garrafa com água morna (MORNA, não quente!) envolta em uma toalha também ajuda.

2- Alimentação:

Deixe sempre ága fresca para seu cachorro, longe do sol. Evite dar restos de comida, pois só a ração tem os nutrientes de que seu cão precisa em uma dosagem equilibrada. A ração não precisa ser misturada com água, leite nem comida.

Para saber a quantidade certa, confira na embalagem da ração. Em todos os casos, não deixe a ração disponível por mais de uma hora, mesmo que o cão não tenha comido tudo.

Se o cão não quiser comer, retire a comida, mas leve-o ao veterinário caso ele recuse três refeições seguidas.

3- Casinha:

Coloque a casinha ou caminha de seu cão em uma área coberta, protegida do sol e da chuva – mesmo que a casinha do cão já tenha seu próprio telhado.

4- Higiene:

Escove o pêlo do seu cachorro diariamente. Nos casos dos cães de pêlo longo, considere tosá-los, principalmente no verão. Dê banhos apenas quando ele estiver sujo, pois banho em excesso pode ressecar sua pele e pelagem. Use sempre produtos próprios para cães, de preferência com cheiro suave, pois o odor forte incomoda e prejudica o faro dos peludos.

5- Brincadeiras:

Cães adoram brinquedos de morder: ossos de borracha, plástico ou náilon. Não dê a ele objetos que soltem lascas ou pedaços que possam ser engolidos. Os filhotes precisam ainda mais desses brinquedos, porque o crescimento dos dentes os incomoda. Por isso mesmo, não deixe ao alcance do filhote sapatos, chinelos e afins.

Como Brincar com seu Cachorro: 13 Passos (com Imagens)6- Um cãozinho ou dois?

Ter mais de um cachorro pode ser uma ótima ideia, pois além de ser mais uma companhia para a família, ele será também companhia para o outro cão.

Leia também:  Como aplicar henna no cabelo (com imagens)

Para que eles não briguem, seja sempre igualmente atencioso com ambos e dê comida em locais separados.

Caso eles não se relacionem bem entre si, peça a ajuda de um adestrador, pois ele o ajudará a identificar o motivo do problema. Neste post falamos sobre como é ter dois ou mais animais.

7- Socialização:

Para acostumar seu cachorro a outras pessoas e animais, passeie sempre com ele, desde filhote. Sempre que ele tiver atitudes indesejadas como rosnar ou pular nas pessoas, repreenda-o com um firme “não”.

8- Treinando seu cachorro:

Não dê ao cão sobras da sua comida, nem o alimente com o que você estiver comendo. Nunca grite nem bata em seu cão pois isso pode tornar o cão agressivo. Quando ele fizer algo de errado, diga um firme e severo “não”. No mercado há manuais que mostram como educar seu cão. Comprar um desses e seguir as dicas pode ser excelente para a convivência do cão com você e sua família.

9- O cão sozinho em casa:

Para que seu cachorro não fique ansioso sozinho em casa, treine-o. Pegue suas chaves e saia por 2 ou 3 minutos. Vá aumentando esse tempo gradualmente. Ao deixá-lo sozinho, deixe um rádio ou tv ligada, pra que ouça vozes de pessoas e fique mais calmo. Veja aqui dicas para lidar com um cãozinho entediado ou que late muito.

10- Passeios:

Ao passear com seu cachorro, seja educado. Limpe o cocô do seu cão e encurte a guia dele quando passar por outras pessoas na calçada. Lembre-se de que a forma como seu cão se comporta interfere na maneira como as outras pessoas acabam vendo os cachorros em geral. Passeie sempre no início da manhã ou no fim da tarde para que seu cãozinho não sofra com o calor excessivo.

11- Passeando de carro:

NUNCA deixe seu cachorro sozinho dentro do carro. Os vidros do carro funcionam como uma estufa, deixando a temperatura em seu interior vários graus acima da temperatura externa, o que pode ser fatal para o seu cão.

12- Viagem:

Cães não devem ficar períodos longos sozinhos. Além disso, ele pode ser um ótimo companheiro de viagem. Antes de viajar, verifique se o hotel aceita animais e, principalmente, mantenha seu cachorro disciplinado. Muitos estabelecimentos não aceitam animais porque tiveram experiências ruins com donos mal-educados. Este post explica o que fazer caso você precise viajar sem seu cão.

13- Coleira e identificação:

Mesmo que seu cachorro nunca saia de casa, coloque uma plaquinha em sua coleira com o nome e seu telefone, incluindo DDD. Isso é muito, MUITO importante! Mesmo os cães mais caseiros podem ficar assustados com barulhos e fugir sem rumo pelas ruas. Também há outras maneiras de identificar seu cãozinho, como microchip ou coleiras com GPS.

14- Cuidados veterinários:

Cachorros adultos devem ser vacinados anualmente, além de serem vermifugados com frequencia. Filhotes devem receber esses cuidados com uma frequencia ainda maior. Em caso de qualquer alteração no apetite, pelagem, olhos ou comportamento do seu cão, leve-o ao veterinário. Aliás, mesmo que esteja tudo bem, leve seu cão ao veterinário para um check-up anual.

15- Castração:

Uma ninhada gera de 6 a 10 cachorros, em média.

O que você pretende fazer com todos esses filhotes? Para evitar abandono e maus-tratos na rua, castre sua cadelinha! Além de evitar a gravidez indesejável, a castração evita a gravidez psicológica e reduz os riscos de alguns tumores. Nos machos, ela evita fugas, demarcação de território (ou seja, xixi nos seus móveis), tumores e agressividade por excitação sexual. Saiba mais aqui.

16- Plantas:

Tire do alcance do cão (ou melhor, nem tenha em casa) plantas venenosas como comigo-ninguém-pode, azaléia, copo-de-leite, entre outras. Aqui tem uma lista com várias plantas que podem ser tóxicas para os bichos.

Gostou dessas dicas? Então imprima um miniguia pra você! Clique aqui para baixá-lo.

E quando pintar alguma dúvida, pesquise, questione, leia, converse com o veterinário. Nuca perca a chance de melhorar a qualidade de vida do seu bichinho.

Veja também a lista de livros sobre cães e gatos que nós preparamos pra você!

Fontes: PremieR – Manual do filhote – Cães, Guia de cuidados com seu cão – Purina ProPlan.
Este post foi revisado pela veterinária Claudia Kantz.

Como Brincar com seu Cachorro: 13 Passos (com Imagens)

Folha de S.Paulo

Cachorro gosta de passear, de brincar no parque, de farejar pelo caminho. Ele também adora o convívio com a família, mas o isolamento social imposto pelo novo coronavírus e a falta de atividades podem afetar o animal.

Para o especialista em comportamento canino Ricardo Tamborini, o confinamento leva a tédio e estresse. A destruição de objetos em casa é uma das possíveis consequências.

Cachorro lambendo demais a pata é sinal de ansiedade. “Está faltando atividade para esse cãozinho”, afirma.

Tamborini lembra que passeios são importantes até para a socialização, mas propõe que, neste momento de circulação reduzida, o tutor crie brincadeiras em casa para manter os bichos saudáveis.

A presença da família 24 horas por dia pode trazer consequências ao final da quarentena. Para Daniel Svevo, veterinário e sócio-diretor da Cão Cidadão, há risco de o animal sofrer ansiedade de separação quando os tutores voltarem ao trabalho. Isso faz com que o animal desenvolva angústia de ficar sozinho e pode desencadear comportamentos como latir, uivar, raspar a porta e errar o banheiro.

“Para que isso não aconteça, é importante que o tutor, mesmo em casa, continue estimulando a independência do cão com atividades para o pet se ocupar sem a sua presença —brinquedos e ossos, por exemplo. Além disso, a manutenção da rotina é importante: os treinos e adestramento, horário de alimentação, horários de passeio e brincadeiras devem ser mantidos”, diz.

  • O veterinário lembra que atividades  dentro de casa não substituem o passeio, mas podem dar vazão à energia acumulada.
  • Thaís Matos, veterinária da DogHero, diz que uma maneira de reduzir o impacto da mudança de rotina é buscar formas de entretenimento, além de dar um pouco mais de atenção aos animais, para que se sintam seguros e confortáveis e aproveitem ao máximo o momento em que não podem sair.
  • COMO MANTER O ANIMAL ENTRETIDO?

São várias as formas de entreter o animal em casa. Svevo sugere brincadeiras usuais, como jogar bolinha, esconder o brinquedo, e até treinos de sentar, deitar e rolar —quando orientados e recompensados.

Para Thaís, o tutor pode investir em enriquecimento ambiental, com brincadeiras e brinquedos inteligentes, que incentivem o pet a descobrir como obter a comida. Assim, ele vai se distrair e gastar energia.

Já Tamborini aposta em dar bastante carinho ao animal nesse período. Mas alerta que ele pode entender errado o excesso de atenção e apresentar problemas de comportamento, como latir à toa. Por isso, diz, vale dar bronca na hora certa, se necessário.

GATOS

Gatos sofrem menos com o isolamento social, mas a mudança da rotina dentro de casa, com mais gente e barulho, podem deixar o bicho incomodado.

Arranhadores, brinquedos —mesmo que seja uma bolinha de papel amassado— e verticalização do ambiente são formas de agradar aos felinos. Prateleiras, bancos e rotas de acesso em locais altos deixam os gatinhos bem felizes e entretidos.

PARA BRINCAR COM SEU CACHORRO

Veja abaixo dicas dos três especialistas para não deixar seu cão entediado:

-Adestramento – O treino de comandos  costuma envolver também toda a família. A ideia é procurar induzir os movimentos dos comandos com um petisco na mão bem na frente do focinho do cão, para que ele siga seu movimento e aprenda a sentar, deitar, cumprimentar, rolar.

-Banho – sua casa tem quintal? Em dias quentes, brincadeiras com água são divertidas. Muitos cães adoram a bagunça de serem molhados e de tentar morder o jato d’água. Lembre-se de secá-lo muito bem depois.

Como Brincar com seu Cachorro: 13 Passos (com Imagens)

-Bolinha – a maioria dos cachorros gosta de trazer de volta o brinquedo arremessado por alguém. Ele não quer devolver? Nesse caso, o tutor pode ter duas bolinhas: joga uma e, quando o animal estiver com o brinquedo na boca, mostra a outra. Nesse momento, basta quicar a bolinha perto do pé e, aos poucos, o animal deve se aproximar.

A troca será feita aos poucos. Outra dica para devolver a bolinha é usar petisco ou ração. O brinquedo deve ser de tamanho médio —o cachorro não conseguirá pegar se for grande demais e corre o risco de engolir se for muito pequena— e pode ser substituído por outro objeto que o pet goste —desde que não apresente risco para a saúde dele.

-Brinquedos interativos – basta rechear o produto e deixar que o animal se alimente e passe o tempo. Prefira ração, pois petiscos podem ter muita proteína e, em excesso, causar diarreia.

Outra maneira de entretê-lo é fazer furos em uma  garrafa pet e colocar um pouco de ração, que cairá conforme o movimento.

As brincadeiras devem ser supervisionadas, já que o animal pode partir e levar à boca peças do produto.

-Cabo de guerra – Pode ser uma corda ou um brinquedo próprio. Deixe que ele puxe de um lado com os dentes enquanto você puxa o outro com as mãos. De vez em quando, deixe o cachorro vencer. Tome cuidado para colocar força demais e machucá-lo. Ao final, fique atento para que ele não morda demais a corda e, consequentemente, tenha risco de ingerir o objeto.

Leia também:  Como calcular a área da superfície de um prisma retangular

-Esconde-esconde – Coloque petisco em locais de fácil acesso na casa, como no cantinho de um sofá. O animal usará o faro para se divertir.

Outra opção é deixar o cão preso ou em comando de “fica” enquanto as guloseimas são escondidas pela casa. Liberado, ele passará alguns minutos em sua “caça ao tesouro”.

Quando encontrar, você pode reforçar o carinho para que ele entenda que fez algo legal.

-Escovar o pelo – não é exatamente uma brincadeira, mas o cachorro vai gostar do contato das mãos. Além disso, é o momento de perceber se há  machucadinhos na pele, pulgas ou carrapatos.

-Pula-pula: É uma boa forma de se exercitar. Pegue algum objeto que o cachorro goste e mantenha a uma  altura em que ele só alcance se pular. Quando se aproximar, erga um pouco mais para dificultar a brincadeira. Caso ele consiga alcançar o objeto, dê uma recompensa, como um petisco ou o próprio brinquedo.

  1. (Foto no meio do texto: A cadela Augusta/ Catarina Pignato)
  2. *
  3. Siga o Bom Pra Cachorro

Procura-se: cachorro para apartamento

Halina garante, no entanto, que os cães são extremamente adaptáveis, mesmo os adultos. Depois que um deles chega a uma nova casa, filhote ou não, ele vai demorar de três dias a uma semana para se acomodar ao novo ambiente, salvo em casos que envolvam algum tipo de trauma.

Se a situação for esta, será preciso fazer um trabalho mais minucioso.

Se um cachorro que sempre viveu em casa, ou nas ruas, vai para um apartamento, o maior desafio para o tutor não é a questão dos passeios – uma vez que ele precisará passear pelo menos duas vezes por dia ou até mais, dependendo do nível de energia –, mas ensinar o animal a fazer as necessidades fisiológicas no tapetinho higiênico.

“Não recomendo que o bicho crie o hábito de fazer apenas nos passeios, pois ele acaba prendendo o xixi, correndo o risco de ter problemas urinários e renais.

Além disso, se acontece algo com os tutores, doença, falta de tempo, ou mesmo uma chuva torrencial, o bichinho acaba não indo passear e também não faz xixi, pois não aprendeu a fazer dentro de casa.

Então, a primeira coisa quando chega um cão, seja filhote ou adulto, comprado ou adotado, vira-lata ou de raça: ensinar a fazer as necessidades no tapetinho.”

Raças

Existem algumas raças que se adaptam mais facilmente aos apartamentos. Elas costumam estar entre os bichanos de porte pequeno e médio. É possível ter um golden ou labrador em apartamento? Até é.

Mas o tutor precisa estar consciente que esse cão precisará de três longos passeios por dia, enriquecimento ambiental e adestramento para gastar energia física e mental. “As pessoas também podem se enganar pelo tamanho.

Existem raças médias e até pequenas que parecem ser boas para apartamento, mas na prática não são recomendadas, como o jack russel, que tem alto nível de energia, apesar de pequeno”, ressalta Halina.

Já a avaliação dos SRDs vai depender de cada indivíduo, já que o nível de energia pode variar bastante. Alguns SRDs são tranquilos e se adaptam muito bem em apartamentos. Outros são super elétricos, precisam de mais espaço e exercício. Neste caso, adotar um adulto é mais seguro, pois você já conhece o porte e o perfil do cão.

Segundo a profissional, qualquer cachorro pode morar em apartamento se o tutor estiver preparado para oferecer o que o animal necessita para ter saúde e qualidade de vida. “Lembrando que eles precisam gastar não apenas energia física, mas também mental.

Adestramento, brinquedos inteligentes e enriquecimento ambiental são excelentes formas de gastar a energia mental do bichano e assim ter um amigo de quatro patas mais calmo e equilibrado.”

Adestramento

É importante ensinar comandos para melhorar a comunicação com os bichos. Os mais importantes, na avaliação da publicitária, são: senta, fica, vem e solta. “O tutor precisa caprichar muito na educação do seu amigo peludo.

Ensinar o que pode e o que não pode fazer (sem bater e sem brigar), para que ele tome as decisões corretas no futuro. Não é fácil, requer paciência, mas é totalmente possível e o resultado é um cão equilibrado e uma pessoa feliz e em paz”, explica.

Halina conta que enxerga o adestramento como o ensino de comandos e a educação como a conduta que o animal tomará de acordo com o que surge em sua vida. “Se você deixa um pacote de bolacha em cima da mesa, um cão educado não irá pegar.

Um cão adestrado vai pegar se você der o comando ou vai pegar por força do hábito, e o comando ‘solta’ irá fazê-lo largar o pacote”, completa.

Dicas para a nova vida com o seu pet

Um cão não destrói a casa porque está revoltado de morar num local pequeno.

Ele destrói as coisas por outros motivos, como falta de atenção do dono, falta de brinquedos suficientes e diferentes, falta de enriquecimento ambiental, energia mental acumulada ou ausência de passeios.

“Tenho duas cachorras que nunca destruíram nada e cresceram em apartamento”, garante Halina. Confira as dicas e se prepare antes de compartilhar o lar com um bichinho de estimação:

  • Oferecer brinquedos de tamanhos, formatos e texturas diferentes para ele roer e se distrair. Os modelos em nylon são mais resistentes.
  • Oferecer a ração em brinquedos inteligentes, como quebra-cabeças, pet ball ou kong, ajuda a gastar energia mental, porque faz com que o cão trabalhe pela comida.
  • Nunca brigar quando pegar o cão destruindo algo (muito menos quando você chegar depois do ocorrido!). Se pegar seu bichinho fazendo algo que não deve, chame ele e ofereça um dos brinquedos. Mude o foco e a atenção do objeto errado para o objeto certo.
  • Assim que puder sair de casa (21 dias depois da última dose da vacina), passear com o cão pelo menos duas vezes por dia (alguns cães precisam de três vezes, a depender do nível de energia). Os passeios devem ser mais curtos para filhotes e, conforme vão crescendo, podem ser mais longos.
  • Não estafe seu cachorro. Se sentir que ele já está cansado, volte para casa. E não passeie em horário de sol forte e chão quente.
  • Dê atenção ao cão, brincando com ele, fazendo carinho e massagem.
  • Adestre seu animal! O adestramento é importante não apenas para que você crie uma comunicação saudável com seu pet, mas também para o gasto de energia mental. Sessões de 15 minutos são ótimas.

Condomínios

É importante salientar que nenhum condomínio pode proibir cães, pois as regras não estão acima da Constituição Federal, que assegura o direito de propriedade (Art. 5º, XXII e Art. 170, II), ou seja, a pessoa pode ter cachorro em seu apartamento, contanto que a permanência dele não atrapalhe ou coloque em risco a vida de outros moradores.

Por isso, saia sempre com coleira pelo elevador de serviço, de acordo com as normas do prédio. Se pela lei seu cão precisa usar focinheira na rua, coloque o equipamento. Para algumas raças, como mastim napolitano, pitbull, rottweiller e outras, o uso da focinheira é obrigatório, segundo estipula a Lei nº11.531, de 11 de novembro de 2003.

“Outra coisa importante é que nem todo mundo gosta de cachorro e ninguém é obrigado a gostar. Além disso, algumas pessoas têm medo de cães.

Por mais que você saiba que seu cãozinho é lindo, fofo e super dócil, é preciso respeitar as pessoas.

Por isso, ao transitar com ele pelo condomínio, mantenha-o na coleira próximo a você e só permita que interaja se a pessoa tomar a iniciativa de vir falar com ele. Para mim, é uma questão de respeito”, conclui a digital influencer.

Como fazer o adestramento de cães em casa | DogHero

O adestramento de cães é uma preocupação constante entre pais e mães de cachorro. Ensinar alguns truques ao pet pode ajudar a facilitar algumas tarefas do dia a dia com ele e também é uma forma de educá-lo a obedecer os comandos do tutor.

Como adestrar cachorro pode ser uma atividade misteriosa, é preciso entender o máximo possível sobre o assunto. Principalmente em momentos em que passamos mais tempo em casa, o pet sente a mudança e, consequentemente,  ambos já não sabem mais o que fazer para passar o tempo juntos.

Uma alternativa muito legal para cachorros de todas as idades e raças, é ensinar alguns truques. Ou seja, utilizar alguns comandos básicos de adestramento

Mas se você não pretende contratar um profissional para fazer o adestramento de cães e quer ensinar seu pet mesmo assim, selecionamos algumas dicas de como adestrar um cachorro em casa para os seguintes truques:

A seguir, você poderá conferir como adestrar um cachorro através de dicas e truques especiais. Confira!

Leia também:  Como armazenar couves: 9 passos

Como adestrar um cachorro do jeito certo?

Os comandos para cães além de reforçar comportamentos positivos, contribuem para o bem-estar físico e mental do pet. Há o estímulo da memória e do raciocínio, diminuição da ansiedade e a correção de problemas comportamentais. 

  • Como adestrar cachorro representa mais do que ensinar truques que nos alegram e que são bonitinhos de se ver, é preciso destacar que também se trata de algo saudável para o seu pet e que fortalece ainda mais a relação entre vocês.
  • É comum que pais e mães de cachorro se preocupem com o adestramento de cães, mas em momentos de readequação de orçamento, por exemplo, contratar um profissional pode não ser a melhor alternativa. 
  • Portanto, primeiro precisamos levar em consideração dois passos muito importantes:

1. A importância da repetição no adestramento de cães

Não se esqueça de que o adestramento de cães é um treinamento e, por isso, é essencial repetir diversas vezes cada ação com o cachorro até que ele aprenda o que você deseja – seja sentar, dar a pata, deitar ou ficar.

Mas, durante o adestramento de cães, faça sempre treinos curtos, com descansos para intercalar, evitando que o cão canse e perca a atenção — o mesmo que acontece com nós, humanos, quando passamos muito tempo fazendo a mesma atividade!

2. Use recompensas durante o adestramento de cães

Diversas coisas podem ser consideradas uma recompensa para os cães. Por exemplo:

  • A atenção que o tutor demonstra ao olhá-lo; 
  • Frases positivas como “bom garoto!” ou “muito bem”;
  • Carinho e petiscos. 

Essas recompensas são grandes aliadas do adestramento de cães: elas incentivam o pet a fazer os movimentos que você quer durante o início do processo, até que se tornem hábitos comuns do cachorro.

Em muitos casos, essas recompensas são o suficiente para ajudar no adestramento de cães. Mas, se achar necessário, petiscos saudáveis ou frutas permitidas para cachorros podem ajudar. 

Se seu cão for alérgico ou não puder sair da dieta, como aqueles que sofrem de obesidade canina, use os grãos da própria ração como aperitivo.

Antes de começar o adestramento de cães, lembre-se: as recompensas devem ser rápidas para evitar que o cachorro perca o foco no treinamento.

Assim como longos elogios tiram o foco do pet e prejudicam o aprendizado, os petiscos devem ser pequenos, a ponto de serem engolidos rapidamente, para que não seja necessário parar a atividade para que ele mastigue. 

Prontos para aprender como adestrar um cachorro? Continue a leitura!

Truques para o adestramento de cães

Confira com detalhes as nossas dicas de adestramento de cães em casa:

Como ensinar seu cachorro a sentar

Essa é, geralmente, a primeira etapa do adestramento de cães, pois outros comandos dependem dela.

Para aprender como ensinar o cachorro a sentar:

  1. Pegue um petisco, mostre para o seu cãozinho. Mantenha-o perto do nariz do cachorro;
  2. Mova o petisco até atrás da cabeça, permitindo que a cabeça dele siga o petisco, acompanhando o movimento, faça com que ele se sente; 
  3. Quando o cachorro sentar, diga “senta”, e dê o petisco para ele. 

A reação natural de muitos cachorros é sentar, como se estivessem esperando a comida. Se isso acontecer, recompense com palavras de incentivo ou com o aperitivo. 

Caso o pet não sente depois de cheirar o petisco, existem outras formas de ensinar o cachorro a sentar com o adestramento de cães. Ainda com o petisco, mova a sua mão até a parte de trás da cabeça dele. A intenção é que o cachorro acompanhe o movimento da mão e sente. Quando ele sentar, não esqueça de dar a recompensa.

Mesmo assim, alguns pets podem não entender. Para mostrar ao cachorro que ele deve sentar, empurre bem de leve o peito do cão ao mesmo tempo que pressiona o bumbum para que ele sente. Em seguida, dê a recompensa. 

Durante o adestramento de cães, repita a palavra-chave que deseja, como “senta!”, para que o cãozinho se acostume ao comando, e pronto: você aprendeu como ensinar o cachorro a sentar!

Esse é o primeiro comando que deve ser ensinado. Serve de base para os outros, além de ser o mais fácil de ensinar porque é algo natural e que ele já faz diariamente.

É sempre importante comemorar a conquista com frases de incentivo, como “muito bem!”. 

Como ensinar seu cachorro a dar a pata

Dar a pata é um comando que estimula muito o raciocínio e concentração do pet.

A forma mais simples aprender como ensinar o cachorro a dar a pata é esconder um petisco na mão e deixar que ele cheire, assim como ao ensinar o cachorro a sentar. 

Portanto, para aprender como ensinar seu cachorro a dar a pata:

  1. Dê o comando para o cão sentar; 
  2. Pegue um petisco na mão e feche-a em punho para que ele apenas sinta o cheiro; 
  3. Espere até que o cachorro estique a pata na sua direção para tentar abrí-la;
  4. No momento em que ele ficar com a pata na sua mão, fale o comando “dá a pata” e dê o petisco a ele;

E não se esqueça de elogiar o pet e recompensá-lo com carinho também. Como ele vai tentar pegar o aperitivo de qualquer jeito, assim que colocar a pata sobre a sua mão, já demonstre que ele fez o gesto certo e ofereça a recompensa. E não se esqueça de repetir a palavra-chave que escolher durante o adestramento de cães também.

Como ensinar o cachorro a dar a pata é um processo demorado, assim como muitos outros truques de treinamento, tenha paciência e nunca brigue com o seu pet caso ele demore a aprender o comando.

Como ensinar seu cachorro a deitar

Ensinar o cachorro a deitar é uma tarefa mais complexa e pode ser necessário um pouco mais de treino durante o adestramento de cães.

Para aprender como ensinar o cachorro a deitar: 

  1. Pegue um petisco e segure-o com as mãos fechadas;
  2. Aproxime as mãos do focinho e faça com que ele cheire sua mão, identificando a presença do petisco;
  3. Encoste a mão fechada no chão. Ele a seguirá;
  4. Em seguida, deslize a mão pelo chão à frente do cachorro para indicar que ele deve segui-la, assim a cabeça dele já estará encostada no chão.

E não menos importante, ofereça a recompensa! Você também pode usar palavras-chave para que o cão entenda o comando sem precisar do petisco no futuro. Portanto, quando ele estiver abaixado e praticamente deitado, diga “deita” e recompense-o pela conquista.

Lembre-se que cada animal tem uma personalidade e por isso alguns cães podem levar mais tempo do que outros para aprender truques. Porém, todos eles são capazes de aprender. O importante é ter paciência e respeitar o tempo de cada um. 

Além disso, o adestramento é uma construção diária e o tutor deve dedicar pelo menos 10 minutos do seu dia ao ensinamento do pet, para que haja uma fixação dos truques que foram aprendidos.

Como ensinar seu cachorro a ficar

Como adestrar cachorro para sentar pode ser um exercício muito útil quando se quer que o cão fique parado em um lugar, você poderá usá-lo ao receber visitas, por exemplo.

Se você quer saber como ensinar o cachorro a ficar:

  1. Dê o comando para o cão sentar; 
  2. Abra a palma da sua mão à frente do cachorro sem tocá-lo e diga “fica”;
  3. Dê alguns passos para trás e repita o comando “fica”;

E não se esqueça de oferecer a recompensa. 

Ensinar o cão a ficar é, mais do que tudo, um exercício de autocontrole. Portanto, depois de fazer isso por alguns minutos, faça o gesto de “pare”, mostrando a palma da mão para cachorro e diga a palavra-chave “fica” novamente e vá se afastando aos poucos. 

Pode ser necessário repetir a palavra de comando durante o adestramento de cães durante o afastamento para que ele entenda que deve ficar parado. Para isso, você pode alternar a palavra-chave com frases curtas de incentivo, como “bom garoto” ou “muito bem”. 

Em seguida, volte e repita o processo para ensinar o cachorro a ficar. Se o peludo tentar te seguir, volte e faça ele retornar ao ponto inicial, e repita todo o processo de adestramento de cães. Até ele dominar o comando completamente, aumente gradativamente o tempo que ele precisa ficar parado. 

Como ensinar seu cachorro a se aproximar quando for chamado

Dicas de adestramento são essenciais para que os cães tenham um vínculo mais forte com seus donos e uma qualidade de vida ainda melhor.

Para ensinar seu cachorro a se aproximar quando for chamado:

  1. Coloque um petisco sob os seus pés e fale o comando “vem aqui” ao seu cachorro;
  2. Quando ele chegar, diga “muito bem” e peça para ele sentar;
  3. Aumente a distância gradativamente e repita a ação até que o pet entenda.

E como em todos os outros passos do processo, elogie o pet e recompense-o com carinho também. Como você pode ver, apesar de usarmos dicas de adestramento, ensinar os cãezinhos requer tempo, dedicação e principalmente muita paciência.

E aí, já sabe como adestrar um cachorro? Para te ajudar nessa rotina, confira as nossas dicas para fazer petiscos naturais para o seu cachorro ou fazer as necessidades no lugar certo!

E não se esqueça de comentar sobre a sua experiência com adestramento, com a gente!

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*