Como aumentar os níveis de hemoglobina (com imagens)

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), 1,62 bilhão de pessoas apresentam um nível de hemoglobina insuficiente no organismo. A maioria delas sofre de anemia ferropriva, causada pela deficiência de ferro, nutriente necessário para a formação dos glóbulos vermelhos. Geralmente, essas pessoas não suspeitam da doença e confundem os sintomas com um cansaço normal.

Incrível.club apresenta, neste post, os principais sinais que indicam que seu organismo está precisando de ajuda.

Como Aumentar os Níveis de Hemoglobina (com Imagens)© Depositphotos, © Depositphotos

A deficiência de ferro no organismo resulta na diminuição do nível de hemoglobina no sangue, e os glóbulos vermelhos, por sua vez, não conseguem distribuir a quantidade necessária de oxigênio no corpo. Exatamente por esse motivo, você pode se sentir cansado e sem forças para fazer algo.

Como Aumentar os Níveis de Hemoglobina (com Imagens)© Depositphotos, © Depositphotos

Uma pessoa saudável tem a esclera, a parte branca dos olhos, um tom levemente amarelo claro. Mas caso note que o branco de seus olhos adquiriu uma matiz amarela mais intensa, cuidado: isso pode indicar que os eritrócitos (glóbulos vermelhos) foram destruídos e, portanto, o seu organismo está mais saturado com a bilirrubina, um pigmento da bile responsável pela quebra das proteínas.

Como Aumentar os Níveis de Hemoglobina (com Imagens)© Depositphotos, © Depositphotos

Se você começou a sentir tontura com frequência, isso pode indicar a existência de anemia. As pessoas que sofrem dessa doença sentem vertigens por causa da deficiência de oxigênio no cérebro, uma vez que os eritrócitos não estão sendo distribuídos por todo o corpo. Além disso, caso tenha anemia, muitas vezes você pode sentir dores de cabeça parecidas com enxaquecas.

Como Aumentar os Níveis de Hemoglobina (com Imagens)© Depositphotos, © Depositphotos

A anemia faz a frequência cardíaca acelerar e a pulsação aumentar. Isso ocorre porque o nível de glóbulos vermelhos está reduzido e o coração, na tentativa de alimentar os tecidos do corpo com oxigênio, é forçado a bombear uma quantidade maior de sangue.

Como Aumentar os Níveis de Hemoglobina (com Imagens)© Depositphotos, © Depositphotos

A falta de ar também pode indicar que você precisa aumentar o nível de hemoglobina. Por causa de uma quantidade insuficiente de oxigênio nas células do corpo, os mecanismos compensatórios são ativados: a frequência cardíaca e o pulso aceleram e, como consequência, modificam a frequência e a intensidade da respiração.

Como Aumentar os Níveis de Hemoglobina (com Imagens)© Depositphotos, © Depositphotos

A deficiência de hemácias no sangue causa pressão baixa, sintoma frequentemente observado em idosos. As mulheres grávidas também estão na zona de risco, pois a pressão se reduz devido à deficiência de ferro no organismo.

Como Aumentar os Níveis de Hemoglobina (com Imagens)

Em pessoas que apresentam uma diminuição no nível de hemoglobina, a pele resseca e surgem rachaduras. Também há uma mudança na cor da pele: ela fica mais pálida e podem aparecer manchas pigmentadas.

Como Aumentar os Níveis de Hemoglobina (com Imagens)

Do lado esquerdo está a mão de uma pessoa saudável e, do direito, a mão de uma pessoa doente.

Se notar alguns desses sintomas, procure um médico. Ele irá prescrever a realização de exames de sangue para determinar se será necessário fazer um tratamento e quais serão os medicamentos que precisará tomar.

  1. Caminhadas diárias ao ar livre. Elas podem ajudar a alimentar as células do corpo com oxigênio.
  2. Comer mais alimentos ricos em proteína, como carne, fígado, camarão e ricota, e excluir alimentos gordurosos, como carne de porco, banha de porco, óleo vegetal, maionese e linguiça, que prejudicam o metabolismo do ferro.
  3. Introduza na sua dieta produtos que contenham ferro como fígado, ovos, lentilhas, castanha de caju, chocolate amargo, tofu, feijões e vegetais de folhas verdes, como agrião, rúcula e brócolis.

3 dicas para curar a anemia (com alimentos ricos em ferro)

Para tratar a anemia é necessário aumentar a quantidade de hemoglobina na corrente sanguínea, que é um componente do sangue que carrega oxigênio. Para isso, é importante aumentar o consumo de alimentos ricos em ferro e ácido fólico, pois eles ajudam o corpo a produzir mais hemoglobina e glóbulos vermelhos.

Desta forma, 3 dicas simples que podem curar a anemia e que devem ser seguidas todos os dias são:

Como Aumentar os Níveis de Hemoglobina (com Imagens)

Os alimentos ricos em ferro são principalmente carnes, frango, ovo, fígado e alguns alimentos de origem vegetal, como beterraba, salsinha, feijão e lentilha. Esses alimentos devem ser incluídos em todas as refeições, podendo-se fazer lanches como sanduíche ou tapioca com ovo, queijo ou frango desfiado, por exemplo.

Além disso, cozinhar os alimentos numa panela de ferro ajuda a aumentar a quantidade de ferro desses alimentos. Veja como melhorar a absorção do ferro em: 3 truques para enriquecer os alimentos com ferro.

2. Comer frutas ácidas nas refeições

O ferro contido nos alimentos de origem vegetal, como feijão e beterraba, é mais difícil de ser absorvido pelo intestino, precisando de vitamina C para aumentar essa taxa de absorção pelo corpo. Por isso, consumir frutas ácidas e vegetais frescos nas refeições, que normalmente são ricos em vitamina C, ajuda a combater a anemia.

Assim, boas dicas são tomar suco de limão durante as refeições ou comer frutas como laranja, abacaxi ou caju como sobremesa, e fazer sucos ricos em ferro e vitamina C, como o suco de beterraba com cenoura e laranja.

Como Aumentar os Níveis de Hemoglobina (com Imagens)

As bebidas alcoólicas, o café, o chocolate e a cerveja devem ser evitados, pois prejudicam a absorção de ferro pelo organismo. Além disso, os alimentos ricos em cálcio como leite e derivados também diminuem a absorção do ferro e devem ser evitados durante as refeições principais, como almoço e jantar.

Estes cuidados devem ser seguidos durante todo o tratamento para anemia e não exclui a necessidade da ingestão dos medicamentos receitados pelo médico, mas é uma forma natural de completar e enriquecer a alimentação.

Alimentos para curar a anemia

Os alimentos para curar a anemia devem ser ricos em ferro, pois este é um elemento essencial na fabricação da hemoglobina no sangue. Para isso, é necessário ingerir todos os dias a quantidade recomendada de 8 mg, para os homens e mulheres com mais de 50 anos, e de 18 mg para mulheres com menos de 50 anos.

Existem muitos alimentos que podem ajudar a atingir a quantidade diária recomendada, sendo que alguns exemplos são:

Alimento Quantidade de ferro em 100g Alimento Quantidade de ferro em 100g
Carne, mas principalmente fígado 12 mg Salsinha 3,1 mg
Ovo inteiro 2 a 4 mg Uvas passas 1,9 mg
Pão de cevada 6,5 mg Açaí 11,8 mg
Feijão preto, grão-de-bico e soja crua 8,6 mg; 1,4 mg; 8,8 mg Ameixa seca 3,5 mg
Espinafre enlatado, agrião e rúcula frescos 3,08 mg; 2,6 mg; 1,5 mg Figo em calda 5,2 mg
Ostras e mexilhões 5,8 mg; 6,0 mg Jenipapo desidratado 14,9 mg
Flocos de aveia 4,5 mg Jambu 4,0 mg
Castanhas-do-pará 5,0 mg Framboesa em calda 4,1 mg
Rapadura 4,2 mg Abacate 1,0 mg
Cacau em pó 2,7 mg Tofu 6,5 mg
  • Veja um exemplo de cardápio em Como fazer uma alimentação rica em ferro para curar a anemia.
  • Assista ao vídeo e veja outras dicas da nossa nutricionista para tratar a anemia:

Como Aumentar os Níveis de Hemoglobina

X

Este artigo foi escrito em parceria com Mark Ziats, MD, PhD. O Dr. Ziats é um Médico Especialista em Medicina Interna, Pesquisador e Empreendedor no ramo da biotecnologia. Recebeu seu título de medicina em Genética pela Universidade de Cambridge em 2014 e completou seu doutorado pouco depois, no Baylor College of Medicine em 2015.

Há 30 referências neste artigo. Você pode encontrá-las ao final da página.

  1. 1

    Consuma mais alimentos com ferro heme (orgânico). Algumas fontes de ferro heme (também conhecido como ferro orgânico) geralmente são absorvidos mais facilmente pelo corpo. Cerca de 20% do ferro heme é absorvido durante a digestão, e o nível de absorção não é afetado por outros elementos da dieta.

    [3] O ferro orgânico também pode ajudar o corpo a absorver mais ferro de alimentos não heme. A carne vermelha tende a ter os níveis mais altos de absorção de ferro, mas outras carne e frutos do mar também são altamente absorvíveis.

    [4] Para aumentar os níveis de hemoglobina, tente consumir os seguintes alimentos:

    • Carne de vaca
    • Frango
    • Carne de porco
    • Carne de carneiro
    • Atum
    • Linguado
    • Camarão
    • Ostra
  2. 2

    Adicione mais alimentos ricos em ferro não heme à sua dieta. O ferro não heme (inorgânico) geralmente é encontrado em plantas e alimentos à base de plantas. Essas fontes de ferro são absorvidas em taxas muito mais lentas do que as fontes de ferro heme.

    No geral, o corpo humano somente absorve 2% ou menos de ferro em alimentos não heme;[5] no entanto, com um planejamento adequado (pela combinação de alimentos não heme com outras fontes de ferro), os alimentos inorgânicos podem e devem ser parte de uma dieta equilibrada.

    [6] Algumas fontes comuns de ferro inorgânico incluem:

    • Feijão
    • Castanhas
    • Batata
    • Abacate
    • Damasco
    • Uva passa
    • Tâmara
    • Espinafre
    • Aspargo
    • Vagem
    • Pão/cereal/macarrão integral
    • Qualquer pão fortificado com ferro
  3. 3

    Aumente a absorção de ferro dos alimentos com ferro não heme.

    Os alimentos inorgânicos podem ter taxas de absorção menores do que os alimentos orgânicos, mas existem diversas medidas que podem ser tomadas para mudar isso.

    Com algumas modificações mínimas, você pode aumentar de forma significante a quantidade de ferro obtido por eles, pois esses alimentos são importantes em uma dieta bem equilibrada. [7]

    • Combine alimentos heme com não heme para aumentar a absorção de ferro. Os alimentos orgânicos ajudam o corpo a extrair e absorver mais ferro do que os alimentos inorgânicos quando consumidos juntos.
    • Cozinhe alimentos inorgânicos em uma panela/frigideira de ferro. O alimento vai absorver um pouco do ferro orgânico adicional da panela, ajudando a aumentar a absorção do ferro dos alimentos inorgânicos.
    • Misture alimentos não heme com vitamina C. Coma laranja, toranja, morango, tomate e brócolis junto com seus alimentos não heme regulares.
    • Além de vitamina C, você pode usar alimentos ácidos para aumentar a absorção de ferro. Até mesmo o vinagre ajuda a absorver mais ferro dos alimentos à base de planta. [8]
  4. 4

    Evite alimentos/bebidas que reduzam a capacidade de absorção do ferro inorgânico. Assim como alguns alimentos aumentam a absorção de ferro não heme, outros podem reduzir essa absorção. [9] Caso esteja com dificuldade em aumentar seus níveis de hemoglobina, tente evitar os seguintes alimentos e bebidas e verifique se houve alguma melhora:

    • Produtos lácteos
    • Chá
    • Café [10]
    • Verduras
    • Farelo de trigo e outros alimentos ricos em fibra
    • Cerveja
    • Vinho
    • Refrigerante
    • Suplementos de cálcio [11]
  1. 1

    Tome suplemento de ferro. Os suplementos de ferro são uma forma excelentes e direta de aumentar o consumo de ferro; porém, se o seu corpo tiver dificuldade de absorvê-lo, pode ser preciso tomar outras medidas. [12]

    • Existem diferentes tipos de suplementos de ferro de venda livre (como ferro heme polipeptídeo, ferro carbonilo, citrato férrico, ascorbato ferroso e ferrosos succinato). Alguns estudos sugerem que todos eles são igualmente eficazes – a coisa mais importante é tomá-los de forma correta e frequente. [13]
    • Tomar esses suplementos de estômago vazio pode auxiliar a absorção de ferro contido neles, mas isso também pode irritar o estômago, então pode ser melhor ingeri-lo com um pouco de alimento.
    • Nunca tome suplementos de ferro com um antiácido. Alguns medicamentos contra azia de alívio rápido tendem a dificultar a capacidade do corpo de absorver o ferro.
    • Caso precise tomar um antiácido, tome o suplemento de ferro duas horas antes ou quatro horas depois.
  2. 2

    Tente consumir mais ácido fólico. O ácido fólico é necessário para que o corpo produza novas células, incluindo glóbulos vermelhos. Se o seu corpo não for capaz de produzir glóbulos vermelhos suficientes, isso pode levar a baixos níveis de hemoglobina. [14] Você pode obter ácido fólico pode meio de vitaminas/suplementos ou mudando sua dieta. [15]

    • A maioria dos multivitamínicos contém a dose recomendada de ácido fólico necessária para manter a saúde.
    • Se o seu cereal matinal alegar ter 100% do valor diário de ácido fólico, uma tigela ao dia pode ajudá-lo a elevar os níveis de hemoglobina.
    • Nem todos os cereais oferecem o total da quantidade diária recomendada. Considere substitui-lo por algum que contenha mais ácido fólico.
  3. 3

    Use suplementos de vitamina B6. A vitamina B6 estimula a produção de hemoglobina no corpo. Caso você esteja com baixos níveis de hemoglobina, essa vitamina pode ajudá-lo. [16]

    • A vitamina B6 pode ser encontrada naturalmente em alguns alimentos, como abacate, banana, castanhas, feijão/legumes, grãos integrais e algumas carnes.
    • Você também pode comprar suplementos de vitamina B6 na maioria das farmácia e lojas de produtos naturais.
    • A maioria dos adultos abaixo dos 50 anos precisa de 1,2 mg a 1,3 mg de vitamina B6 por dia.
    • Para pessoas acima dos 50 anos, a quantidade recomendada é de 1,5 mg a 1,7 mg.
  4. 4

    Tome suplementos de vitamina B12. A vitamina B12 ajuda o corpo a produzir glóbulos vermelhos. [17] Isso pode ajudá-lo a reduzir os sintomas causados pelos baixos níveis de hemoglobina e/ou anemia dos quais você pode estar sofrendo.

    • A vitamina B12 somente é derivada naturalmente das proteínas animais. As plantas não possuem vitamina B12 natural, embora algumas delas sejam fortificadas para incluí-la.
    • Tomar de 2 mcg a 10 mcg de vitamina B12 diariamente com suplementos de ferro e/ou ácido fólico pode ajudar a reduzir os sintomas de anemia em até 16 semanas. [18]
    • Aumente o consumo de vitamina B12 caso você siga uma dieta vegetariana ou vegana. Muitas pessoas vegetarianas/veganas não consomem vitamina B12 o suficiente, geralmente sofrem de anemia como resultado.
    • Se você tem mais do que 50 anos, consultem um médico sobre suas necessidades dessa vitamina. Muitos adultos acima dessa idade têm dificuldades de absorção da vitamina B12 por meio dos alimentos.
    • Qualquer pessoa com distúrbio digestivo ou que tenha feito uma cirurgia gastrointestinal deve considerar o consumo de suplementos de vitamina B12.
  1. 1

    Tente tomar contraceptivos orais para reduzir a hemorragia menstrual. Algumas mulheres com grandes fluxos menstruais têm anemia. Isso pode resultar em níveis mais baixos de hemoglobina. Não há garantia de que os contraceptivos orais vão funcionar em todas as mulheres, mas muitas delas alegam que eles ajudam a reduzir o fluxo menstrual. [19]

    • Os contraceptivos orais não fornecem um alívio imediato referente aos baixos níveis de hemoglobina, mas eles podem ajudar a reduzir a anemia por deficiência de ferro causa por uma menstruação mais intensa.
  2. 2

    Use antibióticos para tratar a úlcera péptica. A úlcera péptica é frequentemente associada com baixos níveis de hemoglobina, pois ela pode causar hemorragia gastrointestinal. A maioria dos casos pode ser tratada com um regime de “terapia tripla” de dois antibióticos e um inibidor da bomba de prótons, que podem ser prescritos pelo seu médico. [20]

    • A úlcera péptica quase sempre é causada pela bactéria Helicobacter pylori. [21]
    • Tratar uma infecção causada pela bactéria Helicobacter pylori com antibióticos pode ajudar a reduzir a anemia que ela causa.
  3. 3

    Identifique a doença celíaca. A deficiência de ferro é um sintoma menos conhecido da doença celíaca, uma doença autoimune acionada pelo glúten que causa danos no revestimento do intestino delgado.

    Caso não consiga identificar a causa da anemia, existe uma boa probabilidade de você ter a doença celíaca – mesmo sem apresentar nenhum dos outros sintomas. Faça um exame médico para ter certeza.

    [22]

    • O dano causado no revestimento do intestino delgado significa que ele não consegue absorver os nutrientes de forma correta, incluindo o ferro.
    • Caso tenha sido diagnosticado com doença celíaca, você vai precisar adotar uma dieta sem glúten. Após algum tempo, o intestino delgado vai se recuperar e ser capaz de absorver o ferro. [23]
  4. 4

    Verifique seus medicamentos. Alguns deles podem causar deficiência de ferro – consulte um médico sobre os medicamentos que você está tomando atualmente. Caso eles estejam afetando a capacidade do seu corpo de absorver o ferro, consulte um médico sobre a possíveis alternativas.

    • Alguns remédios que podem prejudicar a absorção de ferro incluem: alguns antibióticos, alguns antiepilépticos (fenitoína), imunossupressores (metotrexato, azatioprina), antiarrítmicos (procainamide, quinidina) e anticoagulantes (aspirina, varfarina, clopidogrel, heparina). [24]
  5. 5

    Considere realizar uma cirurgia caso você sofra de perda de sangue oculto. Os baixos níveis de hemoglobina geralmente são causados por uma baixa contagem de glóbulos vermelhos.

    Isso geralmente é associado com uma hemorragia persistente – a hemorragia “oculta” diz respeito à hemorragia gastrointestinal desconhecida pelo paciente – ou qualquer outra condição/alimento que reduz a produção de glóbulos vermelhos ou os destrói rapidamente. [25]

    • Um tumor/fibroma/pólipo que sangra reduz a capacidade de produção de glóbulos vermelhos ou gera uma falha na medula óssea, podendo causar anemia ou a redução dos níveis de hemoglobina em uma pessoa. [26]
    • Ter um pólipo, tumor ou fibroma removido cirurgicamente pode ajudar a acabar com a hemorragia e/ou problema de baixos níveis de glóbulos vermelhos que causaram a anemia e, consequentemente, baixos níveis de hemoglobina.
  1. 1

    Identifique os sintomas causados por baixos níveis de hemoglobina. Somente um médico pode diagnosticar essa condição.

    Ele vai realizar um exame de sangue para poder dar um diagnóstico correto, e depois fazer outros testes para saber o que causou essa condição.

    No entanto, caso esteja sofrendo de sintomas graves, consulte um especialista o quanto antes. [27] Os sintomas mais graves de incluem:

    • Fraqueza/fadiga
    • Falta de ar
    • Batimento cardíaco rápido/irregular (palpitações)
    • Palidez da pele e/ou gengivas
  2. 2

    Faça um teste de contagem de hemoglobina. A única forma de confirmar se você realmente está com baixos níveis de hemoglobina é por meio de um exame de sangue administrado por um médico. Caso esteja sofrendo de alguns dos sintomas com frequência, consulte um médico o quanto antes para determinar as causas e desenvolver um plano de tratamento. [28]

    • É provável que o médico realize um exame de sangue completo para confirmar se você realmente tem uma baixa contagem de hemoglobina,
    • Para realizar o exame, ele vai retirar uma amostra do seu sangue. O médico vai furá-lo com uma agulha, mas isso geralmente não dói muito, e a dor passar rapidamente.
    • Os níveis normais de hemoglobina para um homem adulto variam entre 13,8 e 17,2 gramas por decilitro (g/dL).
    • Para as mulheres adultas, os valores variam entre 12,1 g/dL e 15,1 g/dL. [29]
    • Caso o exame de sangue não indique baixos níveis de hemoglobina, o médico vai precisar realizar outros exames para identificar os problemas que possam estar causando os sintomas.
  3. 3

    Conheça outras condições médicas que possam reduzir os níveis de hemoglobina. Uma baixa contagem de hemoglobina pode ser causada por diversas condições subjacentes. Qualquer doença ou condição que reduza a quantidade de glóbulos vermelhos pode causar isso. [30] Algumas condições comuns incluem:

    • Anemia (aplástica, deficiência de ferro, deficiência de vitaminas e falciforme)
    • Câncer e outros tumores não cancerosos
    • Doença renal crônica
    • Cirrose hepática
    • Aumento do baço (ou esplenomegalia)
    • Linfoma (de Hodgkin e não Hodgkin)
    • Hipotireoidismo
    • Hemorragia interna
    • Saturnismo (intoxicação por chumbo)
    • Leucemia
    • Mieloma múltiplo
    • Porfiria
    • Reações a medicamentos de quimioterapia de HIV
    • Vasculite
  • Se você consome grandes quantidades de chá ou café junto com as refeições, os polifenóis contidos nessas bebidas se ligam com o ferro, dificultando assim sua absorção. Tente reduzir o consumo de cafeína e veja se há alguma melhora na sua contagem de hemoglobina.
  • Somente um médico vai ser capaz de testar seu sangue e confirmar se os níveis de hemoglobina estão realmente baixos. Consulte um médico sobre qualquer sintoma que você esteja enfrentando. Ele também poderá ajudá-lo a criar um plano para aumentar sua contagem de hemoglobina de forma segura e eficaz.

Doutor em Medicina

Este artigo foi escrito em parceria com Mark Ziats, MD, PhD. O Dr. Ziats é um Médico Especialista em Medicina Interna, Pesquisador e Empreendedor no ramo da biotecnologia. Recebeu seu título de medicina em Genética pela Universidade de Cambridge em 2014 e completou seu doutorado pouco depois, no Baylor College of Medicine em 2015.

Categorias: Saúde

  • Imprimir
  • Agradecer aos autores

Esta página foi acessada 7 044 vezes.

O Poder dos Alimentos

Fadiga, fraqueza e cefaleia são sintomas comuns em quem está com anemia, causada pela falta de glóbulos vermelhos no sangue –o que reduz o fluxo de oxigênio para os órgãos.

Este é um dos principais problemas de saúde pública mundial, chegando a afetar mais de dois bilhões de pessoas no mundo. Os motivos são variados, incluindo a deficiência de um ou mais nutrientes essenciais.

Por isso, é importante sempre consultar um especialista, que vai indicar a melhor linha de tratamento para cada caso.

O tipo mais comum é a causado pela falta de ferro, chamada de anemia ferropriva. O clínico-geral Paulo Olzon, que foi chefe da disciplina de medicina clínica da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo); Nelson Iucif Jr.

, médico nutrólogo e diretor do departamento de nutrogeriatria da ABRAN (Associação Brasileira de Nutrologia) e Adriana Ávila, nutricionista da Câmara Técnica do CRN-3 (Conselho Regional de Nutrição), dão dicas de alimentos que ajudam–ou atrapalham– nessa situação.

Coloque no cardápio

Imagem: iStock

CarneTodas as carnes contêm ferro, mas a vermelha possui em maior quantidade quando comparada a outras. Mas como não é saudável comer carne vermelha todos os dias, por conta do colesterol e até câncer, também vale diversificar as fontes de proteína, consumindo frango ou peixe. O recomendado é 100 gr por refeição (ou um bife do tamanho da palma da mão).

Imagem: Getty Images

FígadoPossui um alto conteúdo de ferro, tanto que uma pequena porção já é suficiente para aumentar os níveis de hemoglobina no sangue.

Só tome cuidado para que seja uma peça fresca, de boa qualidade. Pode ser um substituto da carne vermelha uma vez por semana, no máximo, por conta do alto colesterol.

Vá de até 100 gr por refeição –ou três colheres de sopa se estiver moído ou desfiado.

Imagem: iStock

EspinafreEste é um dos melhores alimentos (de origem vegetal) para combater a anemia, por conta de seu bom teor de ferro.

Além disso, possui vitamina B12, ácido fólico e vitamina A, que interfere na formação das hemácias. E quanto mais hemácias no sangue, menor a chance de ter anemia.

Outras verduras de cor verde-escura, como brócolis e escarolas, também cumprem bem esse papel de suprir o ferro nos vegetais.

Imagem: Getty Images

BeterrabaPor ter uma cor semelhante ao sangue, muitas pessoas acreditam que é ideal para evitar a anemia por ferro, mas ela nem tem tanto do mineral. O que fornece é uma boa ingestão de ácido fólico, que em conjunto com a vitamina B12 também ajuda na formação de glóbulos vermelhos.

Imagem: Getty Images

Frutas cítricasSão ricas em vitamina C, fundamental para potencializar a absorção do ferro. A dica é tomar um suco de limão durante a refeição principal ou comer uma laranja, kiwi, morango ou goiaba, por exemplo, na sobremesa. Uma outra opção, para obter esse aporte de vitamina C, é espremer um limão em cima da carne, momentos antes de consumi-la.

Imagem: iStock

TomateAlém de conter vitamina C, que é essencial para a absorção de ferro dos alimentos, também possui uma grande quantidade de betacaroteno, vitamina E e fibras, que são muito saudáveis para a saúde geral. Recomenda-se comer pelo menos um tomate cru diariamente para garantir que sua absorção de ferro seja mais eficaz.

Imagem: iStock

Feijão e grão-de-bicoSão boas fontes de ferro para vegetarianos. Além disso, eles são opções para aumentar os níveis de hemoglobina, pois possuem ácido fólico e vitamina C na composição.

Melhor maneirar

Imagem: iStock

LaticíniosApesar de serem excelentes fontes de cálcio, importante para a saúde dos ossos, seu consumo em paralelo com a refeição principal vai atrapalhar a absorção de ferro. Se você tem anemia, é bom evitar laticínios, como iogurte ou queijo, durante o almoço ou o jantar, que é onde costumamos consumir mais o mineral. Melhor deixar para o café da manhã ou no meio da tarde.

Imagem: iStock/VivaBem

  • Chá-preto e chá-verde
  • Apesar de serem bons para a saúde geral, aqueles com anemia ferropriva devem limitar a ingestão dessas bebidas, pois contêm taninos, um composto que interfere na absorção de ferro, especialmente se tomado em grandes quantidades.

Imagem: Getty Images

ÁlcoolO consumo desse tipo de bebida deve ser evitado, especialmente se você está com anemia, e quer ajustá-la apenas com a ajuda da dieta. O álcool causa uma irritação nas mucosas do estômago, interferindo na absorção do ferro e do ácido fólico.

VIVABEM NAS REDES SOCIAIS

Anemia não é só deficiência de ferro | Alimente-se com Ciência

A anemia é definida como a redução, abaixo dos valores de referência, na concentração de hemoglobina, a proteína que transporta o oxigênio pelo sangue. Esse fenômeno pode estar associado ou não à diminuição no número de hemácias (as células vermelhas) circulantes.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde, os limites mínimos de hemoglobina para pessoas que vivem ao nível do mar são 13 gramas por decilitro (g/dL) para homens adultos, 11 g/dL para mulheres e 12 g/dL para gestantes.

A anemia, na verdade, é uma síndrome, que pode acompanhar várias doenças.

O processo de oxigenação depende da hemoglobina, que fica na hemácia, além da respiração e da circulação em si, podendo haver algum tipo de compensação entre esses componentes em situações de um problema mais discreto.

O fato é que uma quantidade de hemoglobina abaixo do normal reduz a capacidade de o sangue carrear oxigênio, o que ativa uma série de mecanismos de correção.

As manifestações da anemia refletem justamente esses ajustes do organismo, assim como os efeitos da falta de oxigênio às células. Falamos de taquicardia (aceleramento dos batimentos do coração), hiperpneia (respiração curta e rápida), aceleração do fluxo sanguíneo…

Continua após a publicidade

A quantidade de oxigênio liberada em um tecido por um determinado volume de sangue depende da concentração de hemoglobina, do grau de saturação de oxigênio da hemoglobina, da afinidade da molécula da hemoglobina pelo oxigênio e da tensão de oxigênio no tecido. E o número de hemácias presentes na circulação decorre de um equilíbrio dinâmico entre a produção, distribuição na circulação e sua remoção mais tarde.

Assim, a anemia pode ser decorrente de alterações na produção de hemácias, da destruição precoce dessas células, de perda de sangue ou de um misto desses fatores.

Dentre as anemias relacionadas a problemas de produção, merecem destaque as anemias nutricionais, sobretudo as causadas por deficiência de ferro e aquelas provocadas pela falta de vitamina B12 e (ou) ácido fólico. Elas são conhecidas, respectivamente, por anemia ferropriva e anemia megaloblástica.

A deficiência de ferro

O ferro é um mineral vital para quase todos os organismos. É essencial, entre outras coisas, à produção das células do sangue e pelo transporte do oxigênio.

Continua após a publicidade

O corpo de um ser humano possui entre 3 e 4 gramas de ferro. Destes, cerca de 2 gramas estão no sangue, justamente nas moléculas de hemoglobina. A deficiência de ferro pode ocorrer como resultado de uma ingestão inadequada do nutriente, má absorção, perda crônica ou aumento da demanda pelo organismo.

De fato, há um aumento na necessidade de ferro durante alguns períodos da vida: na fase da amamentação, na adolescência, na gravidez, na menstruação…

Diante da suspeita de um quadro de anemia, a investigação se inicia com exames clínicos e laboratoriais. É por meio deles que se apura a concentração de hemoglobina e a situação das hemácias. Outros testes verificam como andam os compartimentos de ferro no corpo (seu estoque, transporte, função…).

As principais fontes de ferro na dieta vêm de alimentos de origem animal, tais como a carne bovina e os ovos. Mas o elemento também é encontrado em vegetais, com destaque para as folhas verde-escuras (agrião, espinafre…), brócolis, ervilhas, feijões e certas sementes, como gergelim e girassol.

Continua após a publicidade

A deficiência de vitamina B12 e ácido fólico

A anemia também pode estar associada à carência de duas vitaminas: a B12 e o ácido fólico (ou folato). A deficiência de tais nutrientes é capaz de acarretar uma síntese inadequada do DNA, prejudicando o processo de multiplicação das células, a divisão celular.

Para suprir os níveis dessa vitamina, os seres humanos dependem da dieta. As principais fontes são produtos de origem animal, como carnes, peixes, lácteos e ovos. A B12 é estável e resiste ao processo de cozimento em altas temperaturas. Mas pode ficar inativa em contato com a vitamina C e destruída em meios bastante alcalinos.

Já o folato é encontrado praticamente em todos os tipos de alimentos: hortaliças, lácteos, aves, carne bovina, frutos-do-mar, frutas, grãos, cereais e oleaginosas (noz, avelã…).

No entanto, aparece em alta concentração mesmo em espinafre, lima, fígado, feijão, brócolis, amendoim e couve-de-bruxelas.

O déficit da vitamina está relacionado geralmente a uma dieta pobre e pouco diversificada — idosos e alcoólatras, por exemplo, estão mais sujeitos.

A exemplo da anemia por ferro, a condição causada pela falta de B12 ou folato é diagnosticada por meio de uma avaliação clínica do paciente e confirmada por testes laboratoriais, como exame de sangue e dosagem das respectivas vitaminas.

Continua após a publicidade

* Ricardo Fock é farmacêutico, professor da Faculdade de Ciências Farmacêuticas da Universidade de São Paulo (USP), diretor do Laboratório de Análises Clínicas do Hospital Universitário da USP e membro da Sociedade Brasileira de Alimentação e Nutrição (SBAN)

4 coisas que todos deveriam saber sobre a anemia – Comentário – Manual MSD Versão Saúde para a Família

Apesar de a anemia ser uma doença do sangue muito comum, existe confusão sobre o que ela é exatamente.

  • Anemia é quando o número de glóbulos vermelhos está baixo ou a quantidade de hemoglobina (a proteína que transporta o oxigênio) dentro desses glóbulos vermelhos está baixa. 

Embora a anemia, até que se torne grave, não seja perigosa, estar anêmico pode ser um grande alerta para questões de saúde graves. Se você ou alguém querido tem anemia ou quer apenas se preparar para uma conversa com seu médico, aqui estão quatro fatos importantes sobre a anemia.

1. A anemia é um sinal de outra doença

A coisa mais importante para se entender sobre anemia é que ela é o resultado de alguma condição ou doença subjacente. Essa condição pode ser relativamente inofensiva ou muito séria.

Pense na anemia como uma febre. Uma febre é um sinal que aponta para outra condição, talvez uma infecção bacteriana ou viral. Quando os médicos veem um paciente com febre, eles a consideram como um sinal de que outra coisa está errada no corpo, e imediatamente começam a tentar descobrir o que está causando a febre. O mesmo vale para a anemia.

Há dezenas de causas para a anemia, que variam entre coisas relativamente pequenas, como uma dieta desequilibrada, até problemas sérios, como câncer. A anemia por carência de ferro, um dos tipos mais comuns de anemia, pode ter várias causas, incluindo menstruação abundante, doença celíaca, gravidez, câncer de cólon ou simplesmente uma dieta com aporte insuficiente de ferro.

Para um resumo mais completo sobre as causas mais comuns da anemia, visite a página dos Manuais MSD.

2. Os sintomas de anemia são bastante comuns (exceto um)

Há uma variação na contagem normal de hemoglobina e glóbulos vermelhos, e pessoas diferentes começam a apresentar os sintomas em níveis diferentes. Em geral, o sintoma mais comum da anemia é a fadiga.

Mas a fadiga pode ser causada por muitas coisas. Atente-se para sintomas mais preocupantes, como falta de ar causada por um nível de esforço que você conseguia fazer no passado.

Outro sintoma a ser observado é uma aparência mais pálida do que o normal.

Um sintoma pouco usual é comum em pessoas com anemia por carência de ferro. Ele é conhecido como pica. Ela é caracterizada por mastigar e comer coisas que não são alimentos. A biologia por trás disso ainda não é bem compreendida, mas pessoas com pica mastigam coisas como gelo, papelão ou terra. Parece ser mais comum em pessoas com carências nutricionais.

Talvez os sintomas mais importantes a se estar atento sejam os sintomas do que está causando a anemia. Por exemplo, ter sangue nas fezes e perda de peso podem ser sintomas de câncer de cólon, ou olhos amarelos (icterícia) podem resultar de uma queda em seus glóbulos vermelhos.

3. Os médicos não procuram anemia

Ao contrário do colesterol ou da pressão sanguínea, a anemia não faz parte dos exames de rotina. Em vez disso, os médicos sempre irão pedir exames de sangue (chamado hemograma completo) se a pessoa se queixar de sintomas como fadiga.

Se os resultados desse exame de sangue revelarem um nível baixo de hemoglobina, seu médico provavelmente fará um exame completo e terá uma conversa mais detalhada sobre seus sintomas e as alterações recentes na sua saúde. Com base nos achados, ele pode pedir mais exames de sangue para observar outras alterações em seu nível de hemoglobina ou no número de glóbulos vermelhos.

4. Anemia “leve” também pode ser grave

A anemia normalmente aparece lentamente, frequentemente ao longo de semanas ou meses.

Isso significa que mesmo as anemias causadas por um problema grave, como um câncer, podem aparecer em estágios precoces, quando a anemia ainda é bem leve.

Mas mesmo que seu médico afirme que sua anemia é leve, ela ainda é um indicativo de um problema de saúde maior. A gravidade da anemia nem sempre corresponde à importância de sua causa.

Descobrir a causa é a chave para tratar a anemia e corrigi-la. É importante ser específico com seu médico sobre qualquer alteração nos medicamentos, sintomas ou saúde em geral que possa ajudar a determinar o que está causando a anemia. 

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*