Como apresentar o namorado para seus pais: 10 passos

Como Apresentar o Namorado para Seus Pais: 10 Passos

Você está superapaixonada e o namoro está quase perfeito, não fosse por um pequeno detalhe que faz toda a diferença: seus pais não gostam dele e querem que você termine o namoro. Claro que não é isso que você quer, porém não sabe o que fazer para seus pais aceitarem o seu namoro. Calma, nós te ajudamos!

Como Apresentar o Namorado para Seus Pais: 10 Passos

“Mãe, acredite em mim, eu sou sua filha”. Hora de estabelecer a confiança pra fazer seus pais aceitarem o seu namoro!

Medo de contar

Seus pais sempre deixaram claro que você não tem permissão para namorar ainda. Acontece que o coração não segue regras e você se apaixonou.

Nesse caso, você vai ter que enfrentar o medo de contrariar seus pais e fazer com que eles mudem de opinião.

Uma conversa franca é a melhor forma de mostrar que você já tem maturidade para namorar e quer o apoio deles, não uma briga.

“Isso é muito complicado. Faz parte o namoro na adolescência, então uma hora ou outra as coisas vão acontecer naturalmente. O diálogo é sempre a saída. É preciso conversar, expor os sentimentos e também conquistar a confiança do pai, mostrando que você já é madura o suficiente para manter uma relação. O importante é estabelecer confiança”, aconselha a psicóloga Lia Clerot.

Como Apresentar o Namorado para Seus Pais: 10 Passos

“Tudo bem. Traga ele aqui”. Quem se lembra da tour da Bella para o seu pai aceitar seu namoro com Edward?

Por que eles não gostam dele?

Bem, se os seus pais não gostam dele é por algum motivo, né? Você sabe qual a razão do desafeto pelo seu namorado? Proponha um diálogo sincero só entre você e eles e peça para eles serem sinceros em relação ao que pensam do garoto. Às vezes eles podem ter ouvido comentários negativos sobre o boy e não foram verificar se aquilo era verdade. Se esse for o seu caso, é importante que você seja sincera também.

Se os boatos não forem verdadeiros, desminta e proponha uma conversa com o garoto junto: eles podem mudar de opinião quando o conhecerem.

Porém, se os boatos forem verdadeiros e forem realmente relevantes, é melhor você repensar se esse cara não pode te machucar no futuro.

Vale a pena enfrentar seus pais para ficar com alguém que não os agrada por conta de motivos importantes? Lembre-se: sua família quer o melhor para você.

Ciúmes e implicância sem motivo

Se os seus pais não aceitam o seu namoro, mas não têm um motivo real para isso, pode ser que eles estejam com ciúmes de você, achando que menino nenhum será o suficiente para a “garotinha deles”. Nesse caso, o melhor a se fazer é tentar conversar com eles contando sobre coisas legais que o seu namorado já fez por você, demonstrando que ele se importa contigo tanto quanto eles.

É comum também que os pais proíbam o namoro da filha porque a consideram muito nova para namorar.

Eles podem ter medo de que você perca o foco nos estudos e deixe de lado a sua individualidade muito cedo para entrar em um relacionamento.

O melhor a se fazer nesse tipo de situação é demonstrar aos poucos que você tem responsabilidade suficiente para encarar um namoro. Por isso, não adianta fazer birra, ok?

“Minha mãe precisa se acalmar”

Tire boas notas, vá a escola direitinho e respeite as regras dos seus pais para que eles entendam que você não está em clima de bater de frente com eles. Aos poucos, faça comentários sobre o boy demonstrando o quanto você gosta dele de verdade e proponha um encontro entre eles. Elogie o garoto deixando claro que ele também é responsável e quer levar esse namoro a sério.

Intervenção

Se você já teve essa conversa com seus pais e eles não cederam, nem quiseram conhecer o garoto pessoalmente, é hora de pedir ajuda para um outro adulto que você e seus pais confiam. Que tal falar com uma tia ou com uma prima mais velha? Apresente o garoto para elas e explique o problema, se elas gostarem dele, com certeza vão falar com os seus pais e te ajudar.

Agora, se você não é próxima o suficiente de nenhum outro adulto, vale tentar falar com a sua sogra. Se ela gosta de você e aceita o seu namoro, pode ser sua grande aliada.

E nada melhor do que a mãe para defender o filho, né? Nesse caso, converse com ela e explique por que seus pais não aceitam o namoro. Peça para ela conversar com eles. Geralmente, os adultos costumam ser entender melhor.

Além disso, seus pais vão sentir confiança ao saber que a família do garoto está por perto!

Como Apresentar o Namorado para Seus Pais: 10 Passos

Desse jeito, fica mais fácil os seus pais aceitarem o seu namoro

Dê tempo ao tempo

Com o tempo, seus pais vão começar a entender que não podem fazer com que você deixe de amar alguém. Se eles perceberem que o garoto está te fazendo bem e que o namoro não tem te atrapalhado nos estudos e outras atividades, eles podem passar a ser mais liberais. Não tenha pressa: tudo acontece de forma natural.

E lembre-se: para tudo isso dar certo, é fundamental que você mostre que é confiável. Quando a gente dá uma mancada com nossos pais é superdifícil de eles confiarem de novo. Por isso, é melhor fazer as coisas corretamente e garantir o namoro do que mentir e ter que ficar longe do gato, né?

Bora se empenhar em fazer os pais aceitarem o seu namoro!

Depois que seus pais aceitarem o seu namoro, vale até investir em uma aliança bem fofa. Veja ideias de modelos:

Para começar, um modelo mais básico e discreto. FOTO: Reprodução / Instagram A opção reta também fica show, não é mesmo? FOTO: Reprodução / Instagram Com nervurinhas, é uma opção diferente e discreta.

FOTO: Reprodução / Instagram Você gosta de linhas, @? Então toma! Haha! Quatro lindas superfofas! FOTO: Reprodução / Instagram Ou uma opção menor, com apenas duas linhas.

Fofa! FOTO: Reprodução / Instagram Um par de alianças para os casais que não curte ou têm alergia à prata! FOTO: Reprodução / Instagram O coração vazado deu um toque romântico ao par de alianças de namoro! FOTO: Reprodução / Instagram Aqui, ele vem junto com as listras.

Você curtiu? FOTO: Reprodução / Instagram Existe também a opção dos corações de pedrinha. Superdelicado! FOTO: Reprodução / Instagram A pedrinha redonda, no centro, é um detalhe que faz a diferença! FOTO: Reprodução / Instagram Que pode vir acompanhado de uma listra central… FOTO: Reprodução / Instagram Ou uma listra mais desenhadinha.

Fofa demais! FOTO: Reprodução / Instagram Os dois podem optar por usar aliança de namoro com pedra! FOTO: Reprodução / Instagram Também fica linda com uma linha dourada, né? FOTO: Reprodução / Instagram Um par de alianças cheio de glamour! Quem quer? FOTO: Reprodução / Instagram E claro: não dá para esquecer de gravar os nomes! FOTO: Reprodução / Instagram Eles podem vir por fora da aliança… FOTO: Reprodução / Instagram Os apenas com as iniciais dos namorados! FOTO: Reprodução / Instagram Para casais mais diferentões, que tal apostar em alianças em formato de coroa? FOTO: Reprodução / Instagram Ou uma aliança de namoro com madeira em volta? FOTO: Reprodução / Instagram O tribal também tem vez! E não é que fica superlegal? FOTO: Reprodução / Instagram Para aqueles que curtem o mar, ou se conheceram na praia, que tal ondas? FOTO: Reprodução / Instagram Alianças que se completam, como essa de sol e lua, são uma boa opção! FOTO: Reprodução / Instagram Tem até para os amantes da Disney! Olha só! FOTO: Reprodução / Instagram Uma opção de Mickey e Minnie mais delicadinha… FOTO: Reprodução / Instagram Os cinéfilos piram! Esse par de alianças tem inspiração em ACEDE! FOTO: Reprodução / Instagram Casal nerd? Que tal a aliança de namoro entre Batman e Wonder Woman? FOTO: Reprodução / Instagram Até os fãs de Star Wars podem ser representados! Olha essa “aliança rebelde”! FOTO: Reprodução / Instagram Mais uma opção para os amantes do (a)mar! FOTO: Reprodução / Instagram Se você e o @ são fãs de música, ou de alguma banda, que tal apostar em uma nota musical? FOTO: Reprodução / Instagram É para sempre? Então, aposte no símbolo do infinito! FOTO: Reprodução / Instagram As batidas do coração também ficam fofas e são uma opção superdiferente! FOTO: Reprodução / Instagram

Texto: Letícia Greco e Giovanna Castro

Com xs amigxs, namoradx ou contatinhx?

Como Apresentar o Namorado para Seus Pais: 10 Passos Pexels

O famoso 12 de junho está se aproximando. O que para muitas pessoas é uma data especial, para outras é um verdadeiro desastre. Caso, ainda esteja na dúvida de como você irá passar o Dia dos Namorados, nós selecionamos o melhor teste para você descobrir.

Aqui você vai saber se passará a data com xs suas amigxs, namoradx ou com o famoso contatinhx! O que importa é que todos os dias é para celebrar o amor.

Como você irá passar o Dia dos Namorados? Faça o teste e descubra!

E aí, qual foi o seu resultado? Compartilhe com a gente!

Como Apresentar o Namorado para Seus Pais: 10 Passos

Quem nunca se apaixonou por alguém pela internet, né, miga? Mas sempre fica aquela dúvida: será que é real ou fake? Pra te ajudar a não cair na lábia de perfis fakes, temos 5 dicas para você ficar esperta e não cair em um golpe!

O primeiro passo é prestar muita atenção na biografia e nas fotos do perfil da pessoa que você está conhecendo. Durante a conversa, você precisa analisar se o que ele fala condiz com o que é postado.

Já deu aquela stalkeada em todas as redes sociais do @ para ver se todas as informações batem? Sempre desconfie de usuários que possuem uma única rede social!

Leia também:  Como baixar livros kindle num ipad (com imagens)

Como Apresentar o Namorado para Seus Pais: 10 Passos

Outra dica infalível é ver se tem comentários nas fotos, dessa forma você consegue identificar se a pessoa tem amizades reais ou não. Caso nunca tenha nenhum comentário ou os comentários sejam de perfis estranhos, desconfie.

Uma das maneiras mais fáceis de identificar um fake é se ele se recusa sempre de te encontrar pessoalmente (depois da quarentena, tá bom?) ou em fazer uma chamada de vídeo. Se ele nunca mostra as caras pra você, significa que tem algo a esconder.

+ Como dizer para seu crush que você gosta dele

Como apresentar o namorado aos pais? – A12.com

Shutterstock/ VaLizaComo Apresentar o Namorado para Seus Pais: 10 Passos

Chegou o momento tão aguardado! Quando as saídas são mais constantes: cinema, shopping pizzaria, retiros. Rezam juntos, discerniram juntos, é oficial e real: são namorados! E para esse relacionamento ficar ainda mais sério, decidem dar um passo a mais: apresentar para a família. Eita! Será que vão gostar do meu namorado?

  • Uma ansiedade enorme nos ronda, porque, afinal, é um momento especial, não é mesmo? Não existe um manual, mas vamos dar 7 dicas para aliviar essa tensão toda:
  • 1- Faça uma oração

Entregue a Deus essa situação, através da Virgem Maria. Peça que ela cuide desde já de todas essas etapas.

Shutterstock/ Siam.PukkatoComo Apresentar o Namorado para Seus Pais: 10 Passos

2- Converse com o seu namorado

Como Apresentar o Namorado para Seus Pais: 10 Passos

Explique para ele como é a sua família, os valores, costumes e as regras. Pergunte a ele se está pronto, se sente seguro, quais são os medos dele, acalme o boy.

3- Converse com os seus pais

Explique que você gostaria, que seus pais o conhecessem que isso é importante para você. Pergunte se eles preferem conhece-lo em um almoço na sua casa ou em uma saída à pizzaria, por exemplo. Procure escolher um lugar adequado para seus pais e seu namorado.

4- Eu vos declaro sogro e genro

Shutterstock/ Monkey Business ImagesComo Apresentar o Namorado para Seus Pais: 10 Passos

Chegou o grande dia! Encontre seu namorado antes: é melhor acompanha-lo do que esperar que ele apareça sozinho. Um bom momento, caso ele tenha alguma pergunta, para aproveitar e te fazer. Encoraje o boy, diga que seus pais querem te ver feliz que vão gostar de conhece-lo, que só escutaram coisas boas sobre ele.

5- Seja a ponte

Diga, que está feliz por esse encontro, pelos seus pais conhecerem ele. Quebre o climão com assuntos que ambos curtem conversar. Não deixe ficar em silêncio, faça perguntas para puxar assunto, coisa simples: “E o Corinthians, pai, ganha alguma coisa esse ano?”

6- Permita que seus pais façam perguntas

Deixe que ele responda as perguntas, do jeito dele e no tempo dele. Deixe seus pais descobrirem quem é essa pessoa que ganhou o seu coração.

7- Permita que seu namorado faça pergunta aos seus pais também

É um momento que pode trazer um certo relaxamento. Antes, você pode até sugerir perguntas que ele pode fazer aos seus pais. Assim, não vai reinar o silêncio (o famoso cri cri cri) e ele ganha uns pontinhos com os sogros.

>

Qual o momento certo de apresentar seu amor para a família?

Como Apresentar o Namorado para Seus Pais: 10 Passos

  • O relacionamento ficou mais sério e você sente que quer estar ao lado dele (a).
  • Inclusive seu amor já faz parte de suas saídas com os amigos e você já não o (a) apresenta como um (a) simples amigo (a).
  • Então surge aquela famosa dúvida: Será que chegou a hora de apresentar ele (a) para seus familiares e contar que você está namorando?

Como Apresentar o Namorado para Seus Pais: 10 Passos

Se essa é sua dúvida nesse momento, confira algumas dicas para entender qual o melhor momento para apresentar seu amor para a família.

Como Apresentar o Namorado para Seus Pais: 10 Passos

Existe momento ideal?

Ficantes ou namorados?

  1. As coisas podem ter ficado mais sérias, mas ainda assim talvez vocês não estejam namorando oficialmente…
  2. De qualquer forma é interessante definir se vão continuar sendo apenas ficantes mais sérios ou namorados antes de apresentar a família.

  3. Vale lembrar que os familiares sempre vão ver aquele seu ficante ou amigo colorido como namorado e se você não pretende que as coisas evoluam tanto, talvez seja melhor esperar mais tempo.

  4. Afinal, familiares se apegam e você não vai querer ouvir sua mãe dizendo que você vive trocando de namorado (a).

Como você se relaciona com sua família

  • Cada família lida de uma forma diferente com a filha ou filho que começa a namorar.
  • E a forma como você se relaciona com seus familiares também é importante na hora de apresentar seu amor.
  • Se você tem uma boa relação com seus pais é provável que seja mais fácil apresentar seu amado.
  • Agora se as coisas são mais difíceis, como no caso de pais que acreditam que se namorar tem que casar, é melhor ir com calma e preparar o namorado para esse momento.
  • A sua forma de se relacionar com seus familiares também vai ajudar a preparar o terreno tanto com o (a) amado (a) quanto com os pais.

O tempo que estão juntos

Namorando oficialmente ou ficando de forma mais séria e inclusive a soma disso. O tempo que vocês estão juntos deve ser levado em conta.

  1. Afinal, apresentar amigos e família é uma forma de demonstrar que você quer que a relação evolua e se torne ainda mais séria.
  2. Se estão saindo há mais de três meses não há mal algum em leva-lo (a) para conhecer seus pais.
  3. Assim, se ainda não houve um pedido de namoro oficial você deixa a outra pessoa mais segura de que deseja se envolver em um compromisso mais sério.

Tenha certeza que a relação de vocês é sólida

  • Antes de conhecer a família é interessante que vocês tenham uma relação sólida, ou seja se conseguem conversar sobre futuro juntos.
  • Se vocês fazem planos futuros e ele (a) demonstra interesse em fazer parte da sua vida, significa que a relação é sólida.
  • Além disso, se vocês costumam conversar abertamente sobre seus familiares, a ponto de ele (a) perguntar mais sobre seus pais, significa que vocês estão prontos para dar esse passo.

Preparar o terreno com os pais

Ninguém quer ser pego de surpresa e vai ser estranho se você simplesmente aparecer em casa com uma pessoa e dizer: “Mãe, pai, esse (a) é o (a) meu (minha) namorado (a)!”

Então comece a preparar o terreno com seus pais, comente que está saindo com alguém e que acredita que as coisas estão ficando mais sérias.

Fale um pouco sobre como ele (a) é e diga que gostaria que seus pais o conhecessem. Isso também vai ajuda-los a puxar conversa quando seu amor for apresentado.

Aproveite também para contar sobre assuntos que devem ser evitados na presença de seu amor e se ele possui alguma restrição alimentar.

Como Apresentar o Namorado para Seus Pais: 10 Passos

Assim você evita possíveis situações constrangedoras e aqueles minutos de silêncio constrangedor.

Nunca sabe se é hora de apresentar o crush para os pais? Veja no que pensar

Um relacionamento vai além da ligação entre duas pessoas. Quando há sinal de futuro, é normal envolver as famílias. Mas saber qual o melhor momento para apresentar o crush aos pais nem sempre é claro. Há quem não se importe em fazer isso com qualquer paquera. Outras pessoas preferem seguir o instinto da prudência e aguardam uma ocasião mais apropriada.

Diferentes jeitos

Após o segundo encontro, a artista plástica Silvana Lopes quis levar o atual marido até os pais, mas demorou dois meses até vencer a resistência familiar. “Tinha saído de um casamento e eles não estavam preparados. Mas nós tínhamos muita coisa em comum, e isso nos uniu. Fomos morar juntos dois meses depois, e são 29 anos, desde então”.

A empreendedora Fernanda Voltarelli foi mais devagar: levou cerca de seis meses até considerar que era a hora. “Ele mesmo tirava sarro, que eu não queria apresentá-lo. Meus pais sabiam, não era nada escondido, mas antes de ter certeza absoluta de que era sério, não apresentei”, lembra. O casamento aconteceu alguns anos mais tarde.

O editor de arte Fabio Bertolozzi é mais prático. “A hora de apresentar é quando a mãe não para de perguntar sobre o crush na mesa do café da manhã. Às 6 da matina!”, resume, brincando.

Leia também:

A verdade é que, mais cedo ou mais tarde, o importante é ter bem definido que o relacionamento é algo que os dois querem levar adiante e a decisão de aproximar os pais é desejo mútuo –e não forçação de barra de apenas um dos lados.

O psicólogo Fernando Savino observa que, antes de tudo, é necessário mapear determinados cenários. “Normalmente, os familiares se apegam à pessoa e depositam expectativas no relacionamento. Se essa relação não estiver madura e com expectativas alinhadas, pode sofrer o impacto dessa 'pressão”, fala.

Ele sugere que alguns passos sejam respeitados: seja transparente, tanto com o parceiro quanto com a família; tenha clareza do propósito e do interesse dos dois no que diz respeito à relação; respeite o tempo do outro para a aproximação. E o tempo da família, também, e esteja certo de que esse passo extra é saudável para a relação.

“Afinal, de que adianta apresentar a pessoa por quem você está apaixonado se ela não receberá o carinho e o respeito que ela merece? Ou, ainda, se essa pessoa não for retribuir esses gestos reciprocamente?”, questiona Fernando.

O psicólogo Yuri Busin fala que é preciso preparar o terreno em ambos os lados. “A aceitação dos pais pode ser complicada e isso vai depender muito da preparação que a pessoa fizer. Por isso, antes de tudo, fale que existe alguém legal na sua vida, que é uma boa pessoa, que te respeita, ajuda a crescer e que vocês estão se conhecendo”, diz.

Da mesma forma, ajuda bastante conversar com seu novo par sobre a cultura da família, sobre como os pais pensam, como costumam agir, como eles são, ou seja, fazendo com que osprimeiros encontros não sejam uma surpresa para nenhum dos lados. “Sem contar que muitos parceiros têm receio dessa situação. Então, conversem antes”.

Leia também:  Como baixar músicas no youtube para gravar um cd

Sinais para esperar 

Yuri aponta e comenta alguns “sinais de alerta” de que ainda pode não ser a ocasião adequada. Nesses casos, melhor agir sem pressa:

Se não sente confiança que a relação vá dar certo. “É preciso ter certeza de que você quer levar adiante, antes de buscar a aprovação dos pais”.

Não enfrentaram uma situação de estresse. “Todo relacionamento tem algum momento crítico e é nessas horas que se consegue visualizar como o casal consegue solucionar problemas e têm futuro”.

Houve pouca conversa entre os dois. “Ninguém conhece uma pessoa da noite pro dia. Leva-se tempo. As pessoas precisam ter um pouquinho de experiência juntas, conversar, pois o diálogo é a chave para o sucesso de qualquer relação”.

A família ainda é apegada ao ex. “Se existe o envolvimento da família com o ex ou se for levado um relacionamento atrás do outro para casa, isso pode trazer descredibilidade e insegurança por conta de outras experiências”.

Pais passam por momento complicado. “A família está passando por dificuldades, um trauma, uma situação delicada? Talvez não seja a melhor hora de introduzir outra pessoa. Não precisa esperar o 'momento ideal', que não existe, mas é recomendado esperar um pouco”.

5 passos para apresentar o namorado para os pais

Só de pensar em apresentar o seu novo namorado para os pais as suas mãos suam, você tem tremeliques e não sabe como agir? Primeiro respire fundo, e agora, vem com a gente, miga. Vamos ajudá-la a passar por essa em 5 passos!

Passo 1 – Aceite

É natural ter medo, pois esta é uma fase nova e o novo costuma causar medo. Então, antes de tudo: aceite que isso terá de acontecer. Conversar com os seus pais irá deixá-la mais calma e permitirá uma maior parceria entre vocês. Pense que eles serão as principais pessoas que vão vibrar por você e ajudá-la em qualquer momento, então abra o jogo.

Passo 2 – A verdade sempre!

Não minta para os seus pais escondendo o namoro, pois isso pode abalar a confiança que eles têm em você e dificultar o relacionamento. E se você tem medo de contar aos seus pais, divida isso com o garoto, é legal ter um diálogo aberto com o boy, desta forma, ele também pode ajudá-la a encontrar um jeito de facilitar as coisas.

Passo 3 – Conte o quanto antes

É melhor que os seus pais saibam por você do que por outras pessoas. Quanto antes contar, melhor será, porque eles vão perceber que você confia neles para isso. Imagina só que ~treta~ se eles descobrirem por outras pessoas? Coloque-se no lugar deles também!

Passo 4 – Não faça surpresas

O melhor a fazer é contar antes de levar o boy para conhecer a sua família. Caso apenas leve o garoto em casa, seus pais podem interpretar mal a situação, sem contar que nunca dá para saber qual será a reação da família, então evite surpresas, tá?

Passo 5 – Prepare o terreno

Vá comentando aos poucos que está gostando de alguém, que vocês ficaram um dia… Assim, seus pais vão se acostumando com a ideia de você estar em um relacionamento.

Se um for mais ciumento que o outro, conte para o que é mais tranquilo, desta forma, ele poderá ajudá-la.

Caso ao contar eles julguem que você é nova demais, nada de chorar ou brigar, exponha os seus argumentos e mostre que você merece este voto de confiança.

Quem deu as dicas: Dr. Yuri Busin, psicólogo e diretor do Centro de Atenção à Saúde Mental e Equilíbrio (CASME).

Qual a melhor hora de apresentar o namorado ou namorada para a família?

Enfim, um amor. Uma pessoa com quem podemos contar e planejar o futuro. Mas, antes de apresentar seu namorado para a família, é importante tomar alguns cuidados. O Sempre Família conversou com Rosana Braga, consultora do ParPerfeito, além de psicóloga e escritora. Nessa entrevista ela sugere a melhor forma de fazer essa apresentação e como planejar para que seu par se sinta à vontade.

Nessas respostas, Rosana oferece orientações para pessoas adultas, com condições ou maturidade suficientes para fazer escolhas e arcar com elas.

“Se o casal é de adolescentes, as regras válidas são as dos pais e familiares mais próximos, ou seja, aqueles que se responsabilizam pelos adolescentes.

A liberdade deve sempre vir junto com a responsabilidade e, por mais maduro e responsável que seja um adolescente, a supervisão de seus pais é fundamental”, diz Rosana.

1) O que deve ser levado em consideração antes de apresentar a pessoa para a família?

Antes de mais nada, é importante lembrar que cada pessoa tem seu próprio jeito de ser e seu próprio ritmo nos relacionamentos. Além disso, as famílias também têm dinâmicas, valores e regras bastante diferentes, que estão relacionadas a múltiplos fatores. Diria que esses são os dois primeiros pontos a serem considerados.

Cada um sabe a família que tem! Fazer algumas perguntas pode ajudar muito a refletir para decidir sobre apresentar ou não essa pessoa para a família agora.

Tais como: “eu realmente pretendo investir nesse relacionamento?”, “essa pessoa tem se adequado ao que eu busco para o meu futuro e para o futuro do relacionamento que mantenho com a minha família?”.

2) Como deve ser planejado esse momento? A família deve opinar? Ou isso deve ser organizado e preparado pelo casal?

Penso que, por ser um primeiro encontro, o melhor é que a família seja avisada antes da chegada do par. Claro que o parceiro também deve ser informado, já que essa inclusão acontece de forma muito mais agradável quando o casal já conversou sobre o assunto.

Afinal de contas, incluir o relacionamento na família e vice-versa tende a ser um forte indicativo de compromisso para a maioria das pessoas. Mas, sobretudo, a decisão sobre qualquer coisa que se refira ao relacionamento é sempre do casal.

Qualquer opinião de terceiros pode ser analisada e considerada, mas se tomada como decisão final, sem que esteja de acordo com os reais sentimentos e desejos da pessoa em si, tende a causar sofrimento e arrependimentos futuros.

3) Qual a ocasião ideal para apresentar o novo namorado? Por quê?

A ocasião ideal é uma percepção muito particular, considerando tudo o que já foi dito sobre a dinâmica familiar de cada um.

Mas, em geral, festas familiares, como casamentos ou aniversários tendem a ser boas oportunidades para essa apresentação, já que se trata de um ambiente alegre, leve, onde a maioria da família está presente.

Mas se a pessoa deseja que essa ocasião seja muito especial, então o ideal é preparar um jantar e fazer da chegada do par o motivo mais importante da reunião familiar.

4) Em que situação é melhor evitar apresentar essa pessoa? Por quê?

Em situações em que o clima está tenso por quaisquer motivos, tais como doenças familiares, velórios ou brigas. As pessoas não estarão abertas e dispostas a abrir espaço para desconhecidos. Afinal, a primeira impressão é importante e essa seria uma primeira impressão bastante constrangedora.

5) Quanto tempo o casal deve aguardar para apresentar o namorado para a família?

Isso depende de cada casal. O tempo é menos importante que a intensidade e a intenção de cada casal. Além disso, essa também é uma questão que depende muito dos valores de cada família.

Vale considerar que se uma pessoa costuma ser do tipo “fogo de palha”, ou seja, vive se interessando e se desinteressando rapidamente pelas pessoas, o melhor é esperar um tempo mínimo para apresentar o novo namorado à família.

Caso contrário, tenderá a perder o crédito e a disposição deles para acolher novos parceiros.

6) Qual acordo ou conversa o casal deve ter antes disso acontecer?

Tudo o que o casal considerar que pode atrapalhar o grande dia deve ser conversado previamente. É preciso tomar cuidado para não tentar antecipar e prever tudo pode tirar do outro a oportunidade de ter suas próprias impressões.

 7) Quais orientações você daria para esse momento?

Clareza e consciência. Ou seja, é importante que a pessoa que decida apresentar seu par à família tenha claro para si mesma o motivo pelo qual está fazendo isso, especialmente quando a família é muito exigente.

Sabemos que existem famílias bem liberais e que não dão peso a esse tipo de evento, mas se esse não for o caso, é importante que a decisão seja tomada com segurança para que possíveis interferências não sirvam para criar sentimentos desgastantes e desnecessários.

10 dicas preciosas pra você se assumir – Blog do Patrício Jr

Ah, os pais. Essas pessoas que fazem tudo por nós e querem apenas uma coisa: que a gente seja como eles querem. Só isso. Por mais desconstruídos que seus pais sejam, sempre rola um período delicado — aquele período em que você está numa transição e não sabe direito se é gay, bi, trans, árvore, pingente de tungstênio ou mensageiro dos ventos de bambu.

  • É comum rolar um afastamento dos pais nesse período, mas saiba que faz parte do seu processo de se assumir buscar um entendimento maior de quem são seus pais, por que eles agem como agem e como perdoá-los por tudo.
  • Obviamente estou aqui falando de casos que não descambam para a tortura psicológica ou para a violência física — nesses casos você tem que buscar ajuda profissional, quer seja um terapeuta, um assistente social ou um policial mesmo.
  • Mas se seus pais não votam em Bolsonaro e mesmo assim estão com dificuldades em compreender sua nova vida, dedique tempo, paciência e compreensão a eles.
  • Entenda que eles vieram de outra geração e o mundo era bem mais cruel com gays do que é hoje em dia — muitas vezes eles estão apenas preocupados com os percalços que você encontrará em seu caminho, caminho este que eles não percorreram e não fazem ideia de como é.
Leia também:  Como baixar o os x el capitan: 6 passos (com imagens)

Perdoar os pais é restabelecer uma forte conexão com quem você realmente é. E já que o processo é sobre autodescoberta e autoaceitação, essa etapa é essencial.

8. Assuma-se no trabalho, but be careful.

Lá vem um trecho bem delicado. Não vou cagar regra aqui, tá? Faça o que quiser. Só vou contar a minha experiência.

Eu não gosto que minha vida seja pauta do cafezinho da firma — sempre tive treta com a rádio-corredor das empresas. Por isso quando decidi me assumir, fiz uma varredura em meu trabalho para identificar as pessoas para as quais eu me abriria.

Com o tempo, e com a maturidade, fiz dessa verdade algo muito natural de ser dito: todo mundo no meu trabalho sabe que sou gay, mas não significa que falo da minha vida íntima pra todo mundo.

Sempre achei que se assumir não é a mesma coisa que escancarar suas intimidades — e seguindo essa premissa, coisas como com quem fiquei, com quem dormi, o que fiz na cama, com quantos transei ao mesmo tempo, se havia mesmo um anão ou se foi aquela pílula, enfim, coisas extremamente íntimas não entram em minhas conversas na firma.

Faço isso porque considero detalhes sobre minha vida sexual coisas que dizem respeito apenas ao foro íntimo, e muito embora não faça esforço algum para esconder minha sexualidade (eu passo o dia ouvindo Beyoncé, minha gente!) só costumo falar abertamente sobre ela com os companheiros de trabalho que têm alguma importância na minha vida fora da empresa.

A lição que você deve tirar desse meu relato é a seguinte: o trabalho não é a buatchy. Ou seja, num ambiente corporativo você não deve se comportar como se comportaria num encontro entre amigos. Por mais informal que uma empresa seja, ainda se trata de uma empresa. E manter uma postura profissional só vai fazer bem para sua vida.

9. Redes sociais: um capítulo à parte.

Os 10 “NÃOS” que você deve adotar no namoro para ter um bom casamento

Um bom casamento depende, em grande parte, de um bom namoro, de que o casal aproveite bem este tempo para se conhecer. Além do amor, o que é preciso para ter um bom namoro? Eis aqui 10 recomendações para serem levadas em conta:

Antes de tudo, pergunte a Deus se você tem vocação para o matrimônio. Consulte um diretor espiritual.

Quando você acreditar que encontrou a pessoa certa, rezem juntos, vãos juntos à Missa, encomendem-se a Deus e a Maria. Antes de se casarem, façam um retiro para noivos.

E, depois, não se atenham somente às suas míseras forças de se amarem: não vão morar juntos nem se casem apenas no civil, mas recebam o sacramento do matrimônio, a fim de receberem de Deus a graça sobrenatural de serem fiéis e de se amarem mutuamente como Deus os ama.

Isto inclui dois aspectos: Primeiro: não finja o que não você não é. Não diga que gosta de algo, se não gosta, que faz o que nunca faz somente para tentar ser o que sua noiva ou noivo espera que você seja.

A mentira será descoberta quando você se casar, e pode ser motivo de separação. Seja você mesmo, você mesma. Não force as coisas. Se a pessoa não for compatível com você, vai aparecer alguém que seja. Segundo: não seja infiel.

A infidelidade no namoro é motivo para terminar a relação, pois namorados infiéis poderão ser maridos ou mulheres infiéis.

Há quem pense: “meu namorado (ou minha namorada) tem tal jeito de ser ou este vício que não me agrada. Mas eu vou mudá-lo (ou mudá-la)”. Esta é uma falsa expectativa. As pessoas não costumam mudar.

O introvertido nunca se tornará extrovertido; a falante nunca ficará calada, a namorada mal vestida será uma esposa de roupão e chinelos. E as características que mais chateiam você no namoro podem aumentar e se tornarem insuportáveis no casamento.

Ou você aceita como é agora, ou não se case.

  1. NÃO justificar o injustificável

Se no namoro – quando se supõe que o casal esteja apaixonado e deseja compartilhar bons momentos – você tem desatenções, o outro deixa você esperando e não se desculpa, fica vendo o celular, chega tarde, não pergunta como você está, não deixa você falar e faz críticas, no casamento será pior. Não busque pretextos para justificar suas más atitudes; melhor buscar outra pessoa.

Se no namoro tem gritos, insultos e até tapas, você tem que sair correndo. Um namorado que levanta a voz será um marido que levanta a mão; uma namorada que te humilha diante de teus amigos será uma esposa que te humilhará diante de teus filhos. Por que casar-se com alguém que pode colocar em risco sua integridade e a da sua família?

  1. NÃO tenha relações sexuais

O sexo é fabuloso. Dizer isso parece razão para praticá-lo no namoro. Mas é o contrário: isso pode fazer que um casal acredite que os dois se dão bem, quando, na realidade, isso só acontece na cama.

Um amante habilidoso não necessariamente será um bom esposo. E há muitos momentos no casamento em que não será possível ter relações sexuais. Por isso, o sexo não é a única coisa que une um casal.

Sua relação irá afundar.

Uma amiga me contou que a filha dela foi se confessar porque teve relações sexuais com seu namorado e o padre lhe disse: “se vocês se amam, não é pecado”. Esta resposta surpreende, porque Jesus menciona a fornicação (sexo fora do casamento) na lista de maldades que mancham o homem (Mc 7, 14-23).

A relação sexual foi pensada para ser uma doação total entre esposos que se prometem, com a graça de Deus, a se amarem por toda a vida. Não há que banalizá-la e adiantá-la, arriscando uma gravidez não desejada.

E, sobretudo, não se pode esquecer que para os namorados católicos ter relação sexual antes do casamento não é permitido pela Palavra de Deus e pela Igreja, que ensinam que isso é pecado (ver Catecismo da Igreja Católica #1755; 1852; 2353).

  1. NÃO ignorar opiniões e conselhos

Pode acontecer que seus familiares e amigos, por terem uma visão de fora, captem atitudes de seu namorado ou sua namorada que você não tenha percebido.

Por exemplo: “seu namorado bebe muito”, “ela trata mal a mãe dela”, “amiga, como seu namorado é mulherengo, eu o vi flertando…” “amigo, aquela garota só quer seu dinheiro”, “eu o vi fumando maconha”. Preste atenção a isso tudo, não feche os ouvidos.

Nos processos de nulidade matrimonial, costumam perguntar qual era a opinião de quem rodeava o casal. E sempre estas opiniões nunca foram levadas em consideração.

  1. NÃO supor, melhor perguntar

O namoro é um tempo para o casal se conhecer, para falar, falar e falar sobre todos os temas. Muitos casamentos acabam porque as pessoas não descobriram a tempo que pensavam muito diferentemente um do outro. “Pensei que você queria ter filhos”. “Não pensei que o fato de eu trabalhar o chateava”. “Não sabia que sua mãe viria morar conosco”. Para evitar isso, melhor dialogar do que lamentar.

  1. NÃO deixar de considerar a família

Não se pode olhar somente o seu namorado ou namorada, mas também na família dela ou dele.

Como os membros da família se tratam? Qual são seus valores? Lembre que muito provavelmente você terá que passar o Natal, o Ano Novo, aniversários e alguns fins de semana com eles.

Eles serão avós e tios de seus filhos e vão querer passar um tempo com eles. Que tipo de exemplo eles lhes darão? É esta a família da qual quero fazer parte? Ou vai brigar toda vez que sua/seu esposa/esposo quiser visitá-los?

  1. NÃO procure só o que faz você feliz

Muitos se casam pensando: “esta me fará feliz porque é bonita e pode brilhar nas festas do escritório, ou porque cozinha bem”. Ou: “este me fará feliz porque é tão bonito que minhas amigas vão morrer de inveja de mim, ou porque ganha bem e pode me dar uma vida de luxo”.

 Muitos procuram alguém que os faça felizes. Mas se a moça bonita ficar feia ou doente, ou o moço bonito ficar barrigudo, o encanto se desmancha e é hora de separar. Não se deve casar com alguém que te faça feliz. O motivo do casamento é fazer alguém feliz.

O ideal é que tanto ele, quanto ela digam: “te amo tanto que quero me dedicar à sua felicidade por toda a vida eterna”.

Assim, com a ajuda de Deus, terão muito sucesso, aconteça o que acontecer, na saúde e na doença, na riqueza e na pobreza, até que a morte os separe neste mundo para que possam se reencontrar na vida eterna para sempre.

Por Alejandra María Sosa
Artigo publicado originalmente por Desde la fe

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*