Como apresentar dois porquinhos da índia: 11 passos

Como Apresentar Dois Porquinhos Da Índia: 11 Passos

Acho que a língua, nesse caso, é o de menos, pois a imagem diz tudo. Pela indumentária de integrante do fã-clube do Dr. Hollywood, acho que o cabeleireiro deve ter suas próprias ideias sobre campanhas publicitárias; duvido que isso seja obra de alguma agência (ou perderei de vez minha fé na humanidade).

Mas uma pergunta que me persegue é: quantas pessoas entraram nesse salão para cortar o cabelo depois que o cartaz foi para a rua?

Edward Mãos de Tesoura parece um docinho perto disso…

Se tem uma coisa que os alemães adoram é uma boa feira de coisas usadas. Dá impressão que eles fazem uma limpa em casa e levam para vender qualquer bugiganga que encontram, só para estar lá na feira.

Tem objetos que parecem ter saído diretamente de uma lata de lixo reciclável, sério. E as feiras ficam lotadas nos finais de semana; tem várias por toda a cidade.

Estou reunindo material para fazer um episódio inteiro falando sobre esses eventos, mas ontem estive num especial: uma feira de móveis e objetos usados de design.

Sabe tudo aquilo que você cansou de ver fotos em tudo quanto é livro de design? Pois é, lá tinha tudo original (e carésimo). Gostei de um poster lindo, um anúncio de uma máquina de escrever alemã das antigas. Preço? Míseros € 100 (+/- R$ 260).

O moço me explicou que só tinha um exemplar, da década de 30. Tudo na feira era assim: canetas Parker, cadeiras famosas, livros maravilhosos, móveis icônicos, vestidos vintage de costureiros famosos, luminárias cinematográficas.

O estado de conservação variava muito, mas meus olhos ficaram felizes da vida com tanta festa.

Olha aqui uma amostra.

Como Apresentar Dois Porquinhos Da Índia: 11 PassosQuinquilharia de grife é outra coisa…
Como Apresentar Dois Porquinhos Da Índia: 11 PassosAs cores primárias deviam voltar a habitar nossas casa, não acham?
Como Apresentar Dois Porquinhos Da Índia: 11 PassosMuitos livros raros e lindos
Como Apresentar Dois Porquinhos Da Índia: 11 PassosCachorros não poderiam faltar. Eles são educadíssimos (também, frequentam exposições, bares, restaurantes, livrarias…). Tem peludo aqui com mais cultura que muita gente boa no Brasil…eheheh

  • Pessoas que frequentam esse pedaço: façam um esforço e tentem imaginar uma coisa mais fofa e querida do que essa que acabei de flagar na rua de casa. Conclusão: não dá…
  • Como Apresentar Dois Porquinhos Da Índia: 11 Passos
  • Como Apresentar Dois Porquinhos Da Índia: 11 Passos

A Miss Vivi, dona do carro, é uma Penélope charmosa lá pelos seus 50 anos, chiquérrima e cheia de charme. Como não amar uma cidade em que você vira uma esquina e vê coisas assim?

Como Apresentar Dois Porquinhos Da Índia: 11 PassosDelícia de moto nova ????

Já postei o primeiro passeio de moto que fizemos por aqui, na Ilha de Rügen (Mar do Leste, também conhecido como Mar Báltico). Vão lá no blog duasmotos.com e vejam as fotos, foi bem legal.

Como Apresentar Dois Porquinhos Da Índia: 11 PassosBar do Betahaus: lugar cheio de ideias

Gente, se hoje consegui postar o episódio 2 da série e trabalhar tranquilamente com um Wi-Fi decente, a culpa não é do Fritz; em última instância é do querido Guto De Lima.

O Guto me colocou em contato com um casal de designers que mora aqui em Berlin: o Estuardo (guatemalteco) e a Glória (portuguesa). Os dois recém concluíram o curso de design thinking oferecido pela universidade de Postdam (a 30 km daqui). São jovens, lindos, simpaticíssimos, cheios de ideias e muito gente fina mesmo. Adorei muito conhecer os dois.

Eles marcaram o encontro no lugar onde estou agora, o Betahaus. O conceito é muito bacana: uma antiga fábrica que foi transformada num espaço de co-working (trabalho colaborativo).

Tem um café no piso térreo com excelente Wi-Fi grátis; dá para passar o dia inteiro, se quiser. Aqui estão várias pessoas trabalhando também (festival de MacBooks…ehehe) de várias áreas.

São designers, gestores de projetos, arquitetos, escritores, administradores, consultores, programadores e todo mundo que pode levar seu escritório para um café.

Ainda no térreo tem uma sala enorme (pé direito industrial, show!) para a construção de protótipos de qualquer tipo de idéia. Você pode alugar a sala pelo tempo que quiser e compartilhá-la com outros que também estão prototipando alguma coisa.

Tudo é bem rústico, e nos andares superiores tem uma sala de apresentações no formato de um anfiteatro pequeno e várias salas de uso comum. Você pode alugar uma sala ou uma mesa, como quiser.

Ah, e acabei de descobrir que há duas quadras daqui tem uma loja que é o paraíso dos papeis e materiais para protótipos. Quase passei mal só de olhar aquilo tudo, juro!

A maior vantagem é a rede de relacionamentos que se faz aqui. Dá para ver que a criatividade borbulha pela cidade toda. Segundo o Estuardo, há vários desses espaços aqui em Berlin.

Outra coisa que eles me contaram é que Berlin é uma cidade pobre para os padrões alemães, pois não tem indústrias nem multinacionais, ou seja, não rola dinheiro grande. Quase todo mundo é freelancer ou tem empresas pequenas.

Aliás, essa história de Berlin ser pobre eu já tinha ouvido, inclusive porque o prefeito Klaus Wowereit (assumidamente gay — adoro a cabeça aberta dos berlinenses!) cunhou o slogan numa entrevista que deu para a TV em 2004: Pobre, porém sexy! E esse é realmente o espírito da cidade.

Berlin tem mais galerias de arte do que São Paulo deve ter farmácias. É impressionante mesmo ver a criatividade e a arte fervilhando por todo lado que se olha.

Em resumo: aqui é um ótimo lugar para aprender, ter ideias, criar coisas e fazer amigos, mas não para ganhar dinheiro. O povo usa aqui como base para atender outros países (que é também o que pretendo fazer mais tarde).

Vou continuar aqui trocando figurinhas com meus novos amigos e tentar, no ano que vem, fazer o curso de design thinking em Potsdam também. Ôba!!

Como Apresentar Dois Porquinhos Da Índia: 11 PassosDelícia trabalhar ao lado de um monte de gente criativa, mesmo que eu não conheça ninguém ainda…

Já está no ar o segundo episódio da série; dessa vez vou mostrar uma exposição de ursos muito parecida com a cow parade que está acontecendo no centro da cidade. Vai ser difícil fazer um episódio mais colorido que esse, espero que vocês curtam!

Se o vídeo não rodar, clique aqui e vá direto no Youtube.

Ilustração: Anna Elena Balbusso

Ultimamente uma coisa tem me obcecado, dormindo ou acordada: sexo.

Só penso nisso o dia inteiro e fico ainda mais agitada quando olho ao redor com mais atenção. Todo mundo sabe que sexo é importante, mas nunca pensei que fosse depender disso para estudar e ganhar a vida no futuro.

Calma, eu explico.

Preciso saber desesperadamente o sexo, ou melhor, o gênero, de todos os substantivos da língua alemã (pelo menos os mais comuns, no começo) para poder falar o idioma decentemente.

Além dos básicos mesa, cadeira, livro, me pego esperando o metrô e pensando: qual seria a orientação sexual da unha do dedão do pé (seja lá que nome isso tenha em alemão, mas há de ter, pois eles têm palavras para tudo)? E do piercing no nariz da menina ao meu lado? Mostarda tem sexo? E fivela de cinto? Caspa em alemão é feminino, masculino ou neutro? Ah, sim, o neutro, mais esse complicador…

Como singela amostra, saiba que moça é neutro (das Mädchen), sol é feminino (die Sonne) e dúvida é masculino (der Zweifel). Agora, reflita comigo sobre a complexidade da vida em geral e desse idioma em particular.

Tudo bem, em português o gênero das coisas também foi escolhido aparentemente de maneira aleatória (deve ser o mesmo gerador randômico dos portões de embarque em Congonhas) e não tem mesmo como explicar para um gringo porque se fala A pereba, mas O furúnculo. Só que a gente teve a vida inteira para aprender; não foi aos 2 aninhos de idade que passamos a dominar o assunto só de ouvir a mamãe falar A tetéia e O bichinho.

Se ao menos as línguas fizessem benchmarking e adotassem as melhores práticas, tudo seria simples como no inglês: feminino é só para mulher; masculino é só para homem e todo o resto (grampos de roupa, nenúfares, filmes dinarmarqueses, porquinhos da índia, piolhos e baton perolizado, entre outras coisas) é neutro. E ponto.

Pra que complicar? Aliás, cada vez tenho mais provas de que o inglês é o esperanto moderno, pois que outra saída a professora alemã teria ao ver a cara de desespero de uma grega, uma vietnamita, uma australiana, uma japonesa, duas espanholas, uma russa, uma tcheca, uma canadense e uma brasileira? (É, a sala só tem mulher, parece que os homens não estão muito interessados no chucrute)

A preocupação se justifica: é que em alemão, o sexo das coisas define praticamente tudo.

Não só todas as raças de pronomes, todas as categorias de artigos, como também todas as declinações (que dependem do verbo ser genitivo, dativo, nominativo ou acusativo, isto é, se o objeto é passivo ou ativo – não falei que tudo acaba em sexo nessa terra de bárbaros?). No caso dos pronomes possessivos, ainda tem que combinar o sexo do objeto com o sexo do proprietário (feminino, masculino ou neutro, uma suruba sem fim).

Ah, e tem também o lance do plural.

Gente, por que alemão tem essa peculiar mania de complicar as coisas? Na maior parte das línguas, até onde sei, tudo se resolve com uma ou duas letras.

Ou você tasca um “s” no final ou faz intercâmbio, sei lá, de duas vogais, como em inglês e italiano, por exemplo. Mas não: aqui tem, até onde pude contar, 9 (eu disse NOVE!) maneiras diferentes de se fazer o plural de uma palavra.

A probabilidade de você escolher a resposta errada é praticamente 100%. Batata. Ou, no caso, Kartoffel.

Sim, porque também é preciso ressaltar que, da mesma forma que o gênero das palavras, para saber como é o plural delas também não há regras.

Cada qual tem lá suas taras e fantasias, suas preferências; há que se respeitar a individualidade e os caprichos de cada vocábulo, fazer o quê? O jeito é relaxar e virar amiga de infância desse bando de letrinhas mancomunadas, já que vou ter que achar uma maneira de hospedá-las indefinidamente dentro do meu pobre cérebro, para o bem ou para o mal.

Aiaiai. Que venham os verbos…

Lígia Fascioni | www.ligiafascioni.com.br

Ai, gente, que difícil essa internet: país de primeiro mundo com serviço de quinta. Dá para crer que a conexão não foi feita e ninguém deu satisfação? O pior é que o Conrado, meu personal translator, viajou para o Brasil hoje e eu ainda não aprendi a reclamar em alemão (meu domínio da língua mal dá para comprar pão).

Leia também:  Como carregar o seu ipod shuffle: 6 passos (com imagens)

Como pegar meu porquinho da Índia? – 6 passos

Como Apresentar Dois Porquinhos Da Índia: 11 Passos

Imagem: theguineapigguide.com

Os porquinhos da Índia são animais muito sensíveis e com ossos muito delicados. A maioria dos porquinhos tem tendência para saltar do seu colo quando você o está a colocar de novo na gaiola dele.

Estes saltos podem ter como origem lesões graves nos ossos e por vezes até a morte do porquinho. Por esse motivo, é essencial que você saiba como pegar corretamente no seu porquinho da Índia.

O PeritoAnimal vai lhe explicar passo a passo como fazê-lo sem risco de machucar o seu pet!

Passos a seguir:

1

Em primeiro lugar, você deve habituar o seu porquinho da Índia a ser manuseado e acariciado desde filhote.

Quanto mais cedo o porquinho se habituar à presença humana e a que lhe toquem, menos nervoso e medroso ele será de cada vez que você pegar nele.

Como consequência, será também mais seguro e ele não tentará escapar das suas mãos, o que costuma ser o principal motivo de acidentes.

A maioria das cobaias não gostam de ser pegos se não estão habituados e, por isso, se assustam e saltam. Você deve pegar no porquinho de forma a que a região traseira dele esteja apoiada na sua mão. Comece por pegar ele colocando a zona pélvica dele apoiada na sua mão.

Como Apresentar Dois Porquinhos Da Índia: 11 Passos

  • 2
  • Utilize a outra mão para apoiar a zona do peito dele, apoiando desse modo as patinhas dianteiras.
  • Se o seu porquinho está muito nervoso, coloque um dos seus dedos sobre as patas da frente dele, de modo a evitar que ele tente impulsionar para saltar para a frente.

Uma boa dica para o caso de porquinhos da Índia muito nervosos e que lutam bastante para serem libertados no momento em que voltam a ser colocados na gaiola é segurar bem nele ao colocar de novo na gaiola.

Não o largue imediatamente: segure nele com firmeza a poucos centímetros do chão da gaiola e não o coloque no chão enquanto ele se contorcer. Quando ele acalmar, aí sim, solte ele.

Este método vai evitar lesões típicas do salto, que pode ser perigoso mesmo que a poucos centímetros do chão.

Como Apresentar Dois Porquinhos Da Índia: 11 Passos

3

Jamais pegue o seu porquinho pelo pescoço nem pelas axilas! Como já referimos, pegar de forma errada no seu porquinho da Índia pode provocar graves lesões físicas nele.

4

As crianças muito pequenas não devem pegar no porquinho da Índia ao colo, por ser muito arriscado.

Quando as crianças já têm mãos e braços de tamanho suficiente para suportar corretamente as cobaias, devem ser ensinadas por um adulto a fazê-lo devidamente e sem riscos.

É importante que você vigie a interação da criança e do porquinho, para garantir que tudo corre bem e diminuir as chances de lesões.

Como Apresentar Dois Porquinhos Da Índia: 11 Passos

5

Os porquinhos da Índia aprendem a gostar de receber carinhos nas costas e na direção do pelo.

Você deve evitar fazer carinhos no sentido contrário ao pelo e deve evitar a região do nariz e olhos, já que a maioria dos porquinhos não gosta de ser acariciado nessas zonas.

De qualquer forma, todos os porquinhos são diferentes e você deve tentar conhecer a sua cobaia e perceber daquilo que ela gosta ou não.

Como Apresentar Dois Porquinhos Da Índia: 11 Passos

6

Você deve ter muito cuidado se colocar a cobaia em algum móvel ou sofá. Uma pequena distração pode fazer com que não vá a tempo de impedir uma queda. Como já lhe referimos, as quedas são um dos acidentes mais comuns com os porquinhos e os ossos frágeis deles fazem com que a maioria das quedas tenha consequências bastante graves.

Nem todos os porquinhos gostam de ser pegados no colo. Se o seu porquinho não gosta, o melhor é respeitar ele e acariciar diretamente na gaiola ou no chão quando soltar ele.

Alguns porquinhos aceitam carinhos durante horas, enquanto outros começam a reclamar ao fim de 10 minutos. Invista tempo a conhecer a personalidade do seu porquinho.

Se respeitar os gostos e vontades dele, você vai incrementar o vosso vínculo e melhorar a vossa relação.

Adotou recentemente um pet destes? Veja o nosso artigo de nomes para porquinhos da Índia.

Como Apresentar Dois Porquinhos Da Índia: 11 Passos

Se deseja ler mais artigos parecidos a Como pegar meu porquinho da Índia?, recomendamos-lhe que entre na nossa seção de Cuidados básicos.

Apresentando um novo porquinho da índia

     Então você tem um porquinho da índia e soube que são animais de vida em grupo. Sim! Porquinhos da índia vivem melhor, são mais felizes e saudáveis quando vivem em companhia de outro porquinho da índia.

Como Apresentar Dois Porquinhos Da Índia: 11 Passos

     Se você tem um porquinho da índia saudável e pretende adotar outro porquinho da índia, primeiramente confirme o sexo do seu porquinho. É importante lembrar que não se deve ter casais intactos (não castrados) vivendo juntos; macho e fêmea só deverão ficar juntos caso um deles seja castrado para evitar gestações (leia mais sobre reprodução aqui). Outras coisas que devem ser consideradas são:

• Tamanho do alojamento
• Quarentena 
• Idade / temperamento do porquinho da índia

     Se você tem uma fêmea, considere adotar outra fêmea. Em geral, para fêmeas, não há maiores problemas na apresentação de uma nova porquinha da índia. Porém costuma ser mais fácil apresentar uma porquinha da índia filhote no caso de você ter uma porquinha da índia já adulta sem companhia.

     Se você tem um macho, considere adotar outro macho. É um mito que machos de porquinhos da índia não podem ser criados juntos. Machos podem viver muito bem como dupla, desde que o alojamento seja amplo o suficiente, que tenham diferença de idade e não sejam excessivamente territorialistas. Desta forma o porquinho mais velho naturalmente será o “líder”. No caso de dois machinhos criados juntos desde pequenos, pode ocorrer disputa por liderança quando estiverem mais velhos.

     Tanto em grupos de machos quanto de fêmeas existe uma hierarquia: sempre um porquinho da índia será o dominante. É importante que se saiba que, embora sejam animais de vida grupo, eventualmente alguns pares não se adaptarão bem juntos. É uma possibilidade que sempre deve ser levada em consideração.

Importante: castração não muda o temperamento de porquinhos da índia! Se você tem 2 porquinhos da índia machos, castrar não é necessário nem solucionará problemas.
     Depois de certificar-se que o seu alojamento tem o tamanho apropriado e considerando as informações acima… o que fazer? 
     É normal estar ansioso e querer ver logo a reação do seu porquinho da índia com o novo amiguinho. Mas calma! Você quer que dê tudo certo, não é mesmo? Então primeiramente, certifique-se do sexo do seu novo porquinho. Já confirmou? Cheque novamente! Lembre-se de que infelizmente é comum haver erros de sexagem, mais frequentemente em caso de compra em pet shops, mas também acontece em casos de adoção. Caso verifique que se trata de um casal, não os junte nem sob supervisão! Unir e separar só causará mais stress.

     Também é importante certificar-se de que seu novo porquinho da índia é saudável. Lembre-se de que porquinhos da índia são animais predados e escondem sintomas de doença, portanto, não junte seus porquinhos da índia sem fazer quarentena! Você não vai querer cuidar de dois porquinhos doentes ao mesmo tempo…       Após seguir as informações acima, você está pronto para apresentar seus porquinhos. Você precisará de paciência, persistência – e controle emocional. Tome tempo e saiba que essa pode ser uma experiência fácil, de algumas horas, ou pode levar semanas ou mesmo meses pra que as coisas se ajustem.

     A primeira informação importante a saber é: não coloque o porquinho novo no alojamento do seu porquinho! Nunca apresente porquinhos no alojamento. É necessário que as apresentações sejam sempre feitas em território neutro. Esse território neutro pode ser, por exemplo, seu sofá. Se possível, tenha uma pessoa com você para te ajudar. Procure fazer apresentações em finais de semana ou em períodos em que você estará livre e disponível para monitorar por alguns dias o comportamento deles.

Como Apresentar Dois Porquinhos Da Índia: 11 Passos

Pegue uma ou duas toalhas grandes e forre o sofá (ou outro território neutro). 

 Cada pessoa pega um porquinho e senta com ele no colo, em lados opostos do sofá. Não deixe que crianças se aproximem e intervenham, e minimize outras possíveis distrações.

 Não coloque os porquinhos juntos imediatamente, deixe que eles se procurem e se encontrem por conta própria, no tempo deles.

 Fique alerta! É agora que as coisas podem ficar tensas. Infelizmente, muitos donos acabam intervindo em comportamentos completamente normais e necessários em um momento de apresentação de porquinhos da índia. Algumas apresentações deixam de acontecer ou falham por isso. É extremamente importante que você conheça o comportamento e saiba o que é normal, o que esperar neste momento. 

     Normalmente, nos primeiros 15 minutos os porquinhos estão apenas se adequando ao novo ambiente e se dando conta de que tem outro porquinho da índia ali. Os próximos 15-30 minutos é que são decisivos. Esteja atento e por perto, mas intervenha o mínimo possível. 

     Em alguns casos, os porquinhos da índia simplesmente vão se encontrar, se conhecer e ficar juntos, como se fossem velhos amigos. Mas a maioria irá passar por um processo e exibir um comportamento de dominância / submissão. Eles precisam passar por isso! Precisam definir quem será o porquinho dominante.

     Quando intervir? Só separe os porquinhos caso um deles seja ferido. Algumas cutucadas e “bicadas” são normais, inclusive arrancar tufos de pêlo. 

  • Rumbar (rebolar, levantando as patinhas alternada e lentamente, fazendo um som “prrrrr” e tremendo)
  •  Cheirar o bumbum
  •  Cutucar / bicar / mordiscar o bumbum
  •  Perseguir
  •  Esfregar o bumbum no chão (marcando cheiro)

 Montar (subir nas costas, cabeça, do lado…)
• Confronto frontal com o nariz pro alto (o que ergue o nariz mais alto ganha, o outro deve se submeter)

  1.  Bater os dentes um pouco (sinal de dominância)
  2.  Arrepiar os pêlos (pêlos da nuca / costas ficam estufados)
  3. Bater os dentes sem parar (sinal de raiva, agressividade, advertência)
  4. • Mordidas leves, “bicadas” (podem arrancar tufos de pêlo do outro)
  5. • Confrontar abrindo bem a boca (estão na verdade mostrando os dentes)
  6. • Baforejar, bufar (como um sopro forte)
Leia também:  Como alterar o nome do computador no windows: 10 passos

     Estes comportamentos podem ser sérios e devem ser monitorados muito de perto, mas NÃO separe os porquinhos ainda. É justamente nesse ponto que muitos donos desistem e separam os porquinhos. Mas na maior parte das vezes, esse comportamento vai durar alguns minutos até que um deles se submeta ao outro.

Mordidas, não mais com intenção de alerta, mas de realmente machucar

• Combinação de pêlos arrepiados, dentes batendo muito forte, rumbando parado enfrentando o outro, enquanto o outro faz a mesma coisa. Normalmente é um sinal de ataque iminente, mas ainda podem desistir do confronto.

• Ambos os porquinhos se erguem, se enfrentando. Esse é um sinal claro da intenção de atacar um ao outro. Separe imediatamente, se possível antes de haver um ataque!

• Briga. Os porquinhos se atracam e brigam seriamente. Essa é uma situação muito séria! Separe imediatamente, mas tome muito cuidado, não use suas mãos ou você poderá se ferir gravemente. Jogue uma toalha neles ou use algo para separá-los. 

     A melhor indicação de quando separar é a forma com que as “bicadas” ou mordidas acontecem. Como vimos acima, são normais até certo ponto, mas se começam a ficar sérias, é hora de separar. Se houver ferimento com sangue, definitivamente é hora de separar.

     Ocorrendo tudo bem na apresentação, deixe-os juntos em território neutro por cerca de 1 hora. Coloque alguns petiscos, verduras, feno. E enquanto isso, mãos à obra: é preciso limpar o alojamento em que eles ficarão cuidadosamente. Uma mistura de vinagre e água é muito boa para limpeza. Limpe muito bem as telas aramadas, os comedouros, bebedouros, brinquedos… tudo pra que não fique cheiro de nenhum porquinho e não dê chance para brigas por territorialismo. Isso é extremamente importante. Também é interessante mudar as coisas de lugar.

     Especialmente com machos, é importante que se tenha 1 bebedouro e 1 comedouro para cada porquinho. Caso use tocas, certifique-se de que elas tenham duas entradas, para não correr o risco de um porquinho encurralar o outro enquanto ainda se acertam, especialmente nas primeiras semanas.

     É normal que eles ainda se estranhem um pouco no início, mas deverão se ajustar bem um ao outro em poucos dias ou semanas.

Como Apresentar Dois Porquinhos Da Índia: 11 Passos

     Essa é uma técnica para juntar porquinhos “difíceis”, especialmente no caso de machos ou de trios. Você poderá tentar o banho em conjunto caso seja experiente com porquinhos da índia e com banhos com segurança.

     Siga os passos acima para apresentação. No caso de 3 porquinhos, tenha um espaço amplo e tenha atenção redobrada aos sinais que demonstrarão. Caso os porquinhos briguem, coloque todos para tomar banho – juntos. Para informações sobre banho, clique aqui. 

     A questão não é apenas deixar todos com o mesmo cheiro: ocorre que o banho é um momento de “stress” para porquinhos da índia, e em momentos assim, a tendência de animais de vida em grupo é se unir. Ensaboe todos muito bem, tomando sempre cuidado com olhos e orelhas. Depois, enxague e coloque todos em uma superfície coberta com toalhas. Primeiro, seque cada um o máximo possível com uma toalha; depois, com a ajuda de um secador de cabelos (na temperatura morna e não chegue muito perto, cuidado com a temperatura!). “Persiga” um pouco os porquinhos com o secador até que sequem bem.

   Então, apresente-os novamente em outra superfície neutra, totalmente limpa. Eles não deverão brigar. Então, siga os passos já mencionados acima.

Essa postagem é baseada na matéria do site Cavy Spirit.

Porquinho da índia: Conheça todas as características do roedor

Como Apresentar Dois Porquinhos Da Índia: 11 Passos Reprodução Pinterest

O Porquinho da índia é conhecido por sua fofura

O porquinho da índia é um roedor que, quando está na natureza, costuma viver em pequenos grupos, formados por machos, fêmeas e seus próprios filhotes que vão se reproduzindo e formando a colônia. Em outras palavras, a natureza desse animal é estar sempre acompanhado por outro de sua espécie, por isso é indicado ter no mínimo uma dupla de Porquinhos da Índia como animais de estimação. 

Leia mais:  Doenças do porquinho da Índia: Conheça as principais e saiba o que fazer

Não é preciso ver isso como um problema, afinal o Porquinho da Índia não demanda muita atenção, cuidado ou espaço dentro de casa.

Além disso, a fofura desses mini roedores chama muita atenção das crianças que se divertem vendo eles se exercitarem na girando a rodinha de dentro da gaiola.

Conheça mais um pouco desse animal que pode ser uma ótima opção de bichinho de estimação para vários tipos de pessoas. 

Características dos Porquinhos da Índia

Os Porquinhos da Índia são mamíferos roedores naturais da América do Sul e os únicos da espécie Cavia aperea tschudii
 a serem domesticados. Os machos medem até 25 cm e podem chegar a pesar 1 Kg, já as fêmeas são um pouco menores, medindo em torno de 20 cm e pesando entre 600 e 900 gramas. Por isso não demandam muito espaço, vivendo tranquilamente dentro de uma gaiola pequena. 

Animais considerados muito dóceis, adoram receber e dar carinho, podendo ficar no colo durante horas. Também são conhecidos pela grande quantidade de energia.

Mas é preciso tomar cuidado ao retirá-lo da gaiola, caso eles se sintam de alguma forma ameaçados, sozinhos ou que não tenham construído ainda uma confiança em ralação ao dono o maior instinto é o de fuga.

E se um animal tão pequeno desaparece, é difícil reencontrar. 

Os porquinhos costumam viver entre 5 e 8 anos se forem cuidados da maneira correta. O investimento para adquirir um exemplar varia de acordo com a raça escolhida. As mais tradicionais custam de R$ 10 a R$ 30 e os das raças mais raras podem chegar a custar R$ 300. A compra pode ser feita em pet shops
. Lembre-se sempre de não deixar o animal sozinho. 

Diferentes raças de Porquinhos da Índia

 Existem algumas raças de Porquinho da Índia que se diferenciam, principalmente, pela pelagem. As principais são:

  • Abissínio: o pelo se desenha em formato de rosetas (geralmente, 10). 
  • Pelo curto inglês: é a espécie mais comum, a pelagem é uniforme e está presente em pouca quantidade. 
  • Angorá: este porquinho da índia é similar ao da raça abissínio, porém, possui pelos mais compridos. 
  • Sheltie: possui pelagem bem lisa e longa. 
  • Silkie: o pelo cresce partindo da cabeça e indo até o final do corpo. Ele fica em formato de gota, quando penteado. 
  • Peruano: os longos pelos é a característica que mais chama a atenção nos porquinhos da índia desta raça. São bem gordinhos. 

Outras raças de porquinho da índia não muito comuns (pois não são procriadas no Brasil) são Coronet, Teddy, Texel e o American Crested, único representante da América do Norte.

Como diferenciar o macho da fêmea?

Diferenciar os animais machos das fêmeas é uma tarefa bem simples. O macho, ao ser pressionado na região superior, deixará o pequeno órgão à amostra (que tem o formato da letra ‘i’). Já as fêmeas têm a região genital em forma de um ‘Y’ e, caso pressionadas, nada acontece.

Alimentação

A alimentação do Porquinho da Índia é um dos mais importantes cuidados que devem ser tomados pelo dono, já que ela deve ser essencialmente herbívora. Capim ou feno devem ficar disponíveis 24h por dia ao animal, e demais legumes/verduras podem ser oferecidos crus ou vaporizados uma vez ao dia (uma porção).

Mas se você basear a alimentação do animal em ração, precisa procurar um veterinário. Já as  comidas proibidas são: cenoura, batata, feijão, figo, couve, couve flor, frutas e demais alimentos humanos.

Veja também:  Frutas e verduras indicadas para a dieta de um porquinho da índia

Gaiola

A gaiola do roedor mais comum no Brasil é a de 60 por 40 cm, considerada muito pequena. As medidas de gaiola mais indicas são:

  • de 90x90x30 para um roedor;
  • de 120x80x30 para dois animais;
  • de 180x80x30 para três porquinhos.

Leia mais:  Como tratar de micose em porquinho da índia?

Apesar de ser pequeno, cuidar de um Porquinho da Índia demanda muita responsabilidade. Se informe bem antes de adotar!

Leia tudo sobre:

Como alimentar um porquinho-da-índia – 5 passos

Como Apresentar Dois Porquinhos Da Índia: 11 Passos

Se tem em casa um porquinho-da-índia ou está a pensar adquirir um, deverá saber que a sua alimentação é um dos principais cuidados que terá de ter. Um porquinho-da-índia alimentado de forma saudável e variada terá mais saúde e ficará mais bonito, enquanto se apenas lhe der ração, pode ficar doente. Deverá ter em conta que estes animais não produzem vitamina C por si mesmo, de forma que será necessário dar-lhe alimentos que contenham este nutriente. Se quer saber mais sobre o tema, não perca este artigo de umComo.com.br sobre como alimentar um porquinho-da-índia.

Passos a seguir:

1

Os porquinhos-da-índia são animais herbívoros, e a sua alimentação deve ser composta por:

  • Feno de qualidade à sua disposição 24 horas por dia
  • Uma boa ração rica em vitamina C
  • Frutas e verduras frescas

2

Desta forma, o nosso animal de estimação deverá seguir uma dieta equilibrada, onde os cereais, sementes bem como o feno, serão a fonte de hidratos de carbono e fibra. Enquanto que os vegetais ajudam a cobrir as suas necessidades vitamínicas e parte dos líquidos necessários.

3

Por outro lado, será indispensável que os porquinhos-da-índia desponham sempre de água limpa para poderem beber. É recomendável água com baixo teor de sódio, porque estes animais são propensos a produzir pedras nos rins e uma água com um alto teor de sódio vai favorecer a sua aparição.

4

A alfafa é um alimento que se recomenda para as fêmeas durante o período de gestação ou quando estão a amamentar, bem como para crias jovens ou adultos com problemas de alimentação. De resto não deverá ser dada em demasia, porque poderá causar-lhes problemas.

5

Não devemos alimentar o nosso porquinho-da-índia com: alimentos da dieta humana como carne, ovos, produtos láteos e seus derivados, produtos enlatados, em conserva, congelados… Também não lhes deve dar, abacate, chocolate, cogumelos, batatas, cebolas, alhos.

Se pretende ler mais artigos parecidos a Como alimentar um porquinho-da-índia, recomendamos que entre na nossa categoria de Animais de estimação.

Já pensou em ter um porquinho-da-índia?

Como Apresentar Dois Porquinhos Da Índia: 11 Passos

Depois que escrevi esse post apresentando a minha Julie,  vi que muita gente gostou, disse que era lindinha e disse que tinha vontade de ter uma também, além de terem me perguntado várias coisas. E como tudo é motivo pra falar mais da porquinha-da-índia mais fofa do Brasil, aqui estou!

Leia também:  Como calcular a margem de lucro bruto: 8 passos

Antes de qualquer coisa: Julie é a minha porquinha-da-índia.
Vou usar bastante ela como exemplo nesse post!

Essas são dicas para quem quer ter um, como cuidar e das coisas que são necessárias.
Espero que gostem! 🙂

Comprando seu porquinho da índia e primeiros passos

Um porquinho-da-índia custa de 10 a 40 reais. Ele precisará de uma casinha e comida.

1. A casinha:Você pode comprar uma gaiola, mas ela terá de ser grande. Mas, não gosto de gaiolas… Me passa a sensação de algo preso, triste. Porquê não tentar fazer a casinha você mesmo?
Ainda não fiz com a minha Julie, mas farei em breve. Quero construir algo parecido com um cercadinho, aberto em cima e grandinho, onde ela possa correr dentro. *-*

2. Comida:Porquinhos-da-índia comem bastante, e há uma ração apropriada para eles (você encontra em qualquer pet shop/casa veterinária). 1kg da ração é cerca de 5 reais e dura mais ou menos 1 mês.

Cuidados com o seu porquinho da índia
Comprou seu porquinho-da-índia e já se apaixonou? Então agora, vamos cuidar dele!

1. Alimentação:
Como eu disse ali em cima: eles comem muito, então é preciso dar comida pela manhã e pela à noite. A comida é basicamente a ração, mas é muito recomendado dar também frutas, verduras e legumes.

Sugestões: brócolis, couve-flor e cenoura.

(Aqui em casa, como a Julie é muuuuuuuito mimada por todo mundo, durante o dia minha irmã vai lá e dá um pedacinho de cenoura, meu pai dá um pouquinho de brócolis, mamãe dá couve-flor…)

Alimentos PROIBIDOS:
Batatas
Verduras claras
Alface
Frutas cítricas
Alimentos industrializados

Ração de outros animais.

2. Limpeza e cuidados da casinha:
Essa talvez seja a parte mais trabalhosa de ter um porquinho da índia.

A casinha não pode ter contato direto com a luz do sol (Eles não podem ser expostos ao sol por muito tempo! Podem até morrer…) mas deve estar em um lugar claro. Para forrar a casinha, você pode usar jornal, papel ou feno.

Recomendo usar o feno, e você deve sempre trocar a cada semana.
Se usar jornal ou papel, tem de trocar todos os dias.

3. Banho e higiene:
Para dar banho, use uma bacia com água morna, e tome cuidado de não deixar água entrar nas orelhinhas. Você pode usar shampoo especial para roedores ou sabonete neutro.
No final, seque com um secador em intensidade fraca.

(Veja mais aqui!)

Porquinhos da índia não precisam tomar banho com frequência. O ideal é um banho a cada seis meses.

Deve-se cortar as unhas regularmente.

Conhecendo seu porquinho da índia

1. Eles são muito dóceis. Raramente mordem – exceto quando se machucam ou se sentem perturbados. Dê carinho, cuide com amor e ele com certeza vai retribuir! Quando você começa a passar a mão no pelo deles, eles começam a “ronronar”. É um sinal de que estão satisfeitos. {♥}

2. O tempo médio de vida é de 4 a 8 anos. :/

3. Nunca, nunca, NUNCA vire seu porquinho-da-índia com a barriga para cima, pois eles ficam sem ar e podem morrer. Tome cuidado com quedas também, principalmente nos primeiros meses, pois também podem ser fatais.

4. Eles são muito espertos. Cuidado com qualquer tipo de objeto “maleável” (fones de ouvido, folhas de papel, plásticos resistentes..) porquê eles vão lá com os dentinhos e… OPA! Quebrou!

Aliás, a Julie ainda me deve um fone de ouvido e um pedacinho de um livro meu.

5. Eles reconhecem as pessoas da família.

Exemplo 1: Aqui em casa, eu sou a preferida da Julie.
Se a Nicole estiver segurando a Julie e chegar perto de mim, a Julie começa a ficar se mexendo até conseguir pular até mim e, depois que consegue, volta a ficar quietinha.

Exemplo 2: Quem dá comida para Julie, geralmente, é a mamãe.
A casinha dela fica numa área de frente pra cozinha. Se minha mãe aparecer na cozinha a qualquer hora do dia, a Julie começa a gritar e só para quando a mamãe vai na casinha dela com alguma comida.

Se eu, a Nicole ou meu pai formos na cozinha, ela permanece quietinha.

(Essa sem vergonha! auhauhauaha)

6. Eles amam ficar em “cantinhos”.
Principalmente a dobrinha entre o pescoço e o ombro. É o lugar que a Julie mais gosta de ficar em todo mundo! Se colocar ela no braço, ela corre até o pescoço. E meu amor tinha uma que também era do mesmo jeito.
Por isso as unhas devem estar aparadas!

Além disso, eles gostam de cantinhos escuros, lugares pequenos e aconchegantes.

7. Eles são quietos.
Não correm muito, não fazem muito barulho.

8. Eles são muito mais legais do que hamsters.
Desculpa se você tem um hamster, mas eu precisava dizer isso! hahahahahaha É porquê eles são tão fofos e carinhosos… E eu já fui mordida por um hamster. Esses anti-sociais, oras.

(Brincadeira. São duas forminhas de vida diferentes, mas lindas!)

edit:

9. Algumas meninas aqui nos comentários me lembraram de duas coisas MUITO importante que eu esqueci de falar aqui!!
Cachorros.

Nunca, nunca, nunca, NUNCA e em hipótese nenhuma deixe seu porquinho-da-índia perto de um cachorro. O cachorro provavelmente vai matá-lo! =(
Aqui em casa tenho uma poodle e um boxer e eles ficam bem longes da Julie, nem chegam perto pra não ter perigo.

10. Minha porquinha-da-índia nunca vai “namorar”. Não quero! auhuahau =(
Mas, quando for colocar seu porquinho-da-índia para cruzar, saiba que eles fazem MUITO barulho e procriam muito também!

  • E é isso!
  • Espero que tenha ajudado ou incentivado alguém que queira ter um ou que tem e não sabe exatamente como cuidar.
  • Obrigada por tudo, pessoal!
  • {♥}

Senciencia

Página 3 de 16 – Cerca de 159 ensaios

  • 939 palavras | 4 páginas camundongos e ratos. Segundo dados divulgados camundongos, hamsters, ratos, porquinhos da índia, constituem cerca de 90% dos animais utilizados em pesquisas. Senciência Animal Muitas pessoas maltratam animais por acreditarem que eles não sente dor, medo, e não estão conscientes do que está acontecendo. Porém a senciência pode ter evoluído há muito tempo e estar distribuída de maneira muito mais ampla através das espécies animais. Uma coisa é certa, porém: não é…
  • 5217 palavras | 21 páginas (CHALMERS, 1996, p.18).9 Diferenciados os aspectos psicológicos dos aspectos fenomênicos da mente, Chalmers também faz a distinção entre senciência (awareness)10 e consciência (consciousness)11. No âmbito da senciência estariam, por exemplo, a vigília, a atenção a alguma coisa, o controle voluntário, a integração da informação. De forma geral, a senciência pode ser analisada como um estado no qual um organismo tem acesso a alguma informação, e pode usar esta informação para…
  • 16168 palavras | 65 páginas monografia objetivou discorrer sobre os maus tratos aos animais. Para tanto, buscou-se demonstrar a fronteira entre humanidade e animalidade. Na sequência, discorreu-se sobre o direito dos animais sob a ótica da bioética tendo como base o argumento da senciência. Apresentou-se também as principais situações de maus tratos a que os animais encontram-se expostos demandando proteção do ordenamento jurídico pátrio. E, por fim, analisou-se as normas constitucionais e infraconstitucionais de…
  • 2194 palavras | 9 páginas não pode premiar um ser sofrente com o lenitivo, enquanto castiga outro sofrente, abandonando-o à desgraça. A ética senciocêntrica alargou enormemente o âmbito da moralidade humana, ao incluir no rol da consideração todos os animais capazes de senciência. Enquanto a filosofia utilitarista, na qual está fundada a ética senciocêntrica, dava seus passos largos para impedir que a ética antropocêntrica continuasse hegemônica no mundo ocidental, iniciava-se outro movimento de contestação ao…
  • 3562 palavras | 15 páginas para serem considerados membros da comunidade moral. A característica básica que faz com que todos os seres humanos sejam portadores de direito, os animais não-humanos também possuem – a sensibilidade descrita por Rousseau, que nós hoje chamamos de senciência, a qual vamos abordar detalhadamente mais adiante. 2. A objeção da biologia A objeção da biologia, como veremos, logo se confunde com a objeção do direito. Seu patrono é o filósofo René Descartes (1596-1650), e se funda…
  • 1806 palavras | 8 páginas excessiva de animais não humanos para nosso benefício, levou os filósofos a questionarem-se sobre as nossas obrigações para com os estes. Para responder a este problema vou abordar três perspetivas diferentes, completando-as com o especismo que se e a senciência, com o objetivo de saber se os animais não humano são dignos ou não de consideração mural, e se têm, quais os seus direitos e quais os nossos deveres para com eles. Nesta sequência de o ser humano usar e abusar dos animais não…
  • 4035 palavras | 17 páginas afiada, com lâmina unilateral ou bilateral, introduzida a partir de um dos opérculos até atingir a medula. Considera-se o método que deixa o peixe com maior insensibilidade a dor (PEDRAZZANI et al., 2007) muito embora, parte da população acredite na senciência dos animais durante o abate. A qualidade da carne nesse tratamento apresentou rigor completo entre 8 e 11 horas, segundo Pedrazzani(2007) sem apresentar diferenças significativas de métodos mais tradicionais como a termonarcose,…
  • 330 palavras | 2 páginas homem com o animal, isto não depende só do homem, mas também do comportamento e emoções dos animais que também nos atraem e nos cativam. Seres humanos tem o poder para afetar o mundo da maneira que lhes convêm. O homem silencia com frequência a senciência de vários animais. Que devem ser tratados com respeito, apreço, compaixão e amor.
  • 1808 palavras | 8 páginas animais eram submetidos para realização de pesquisas (Doval, 2008). A defesa dos direitos dos animais tem diferentes pontos de vista filosóficos, para Richard D. Ryder o que deveria orientar a atitude humana em relação aos animais deveria ser a senciência, que é uma característica que comum a maioria dos animais, e não a diferença de espécie (ANDA,2009). No entanto, a visão utilitarista defendida pelo professor Peter Singer defendia que os animais deviam ter seu bem-estar otimizado e…
  • 382 palavras | 2 páginas respectivamente, uma forma e processo mental. Pensar permite aos seres modelarem o mundo e com isso lidar com ele de uma forma efetiva e de acordo com suas metas, planos e desejos. Palavras que se referem a conceitos e processos similares incluem cognição, senciência, consciência, ideia, e imaginação. O pensamento é considerado a expressão mais “palpável” do espírito humano, pois através de imagens e idéias revela justamente a vontade deste. O pensamento é fundamental no processo de…

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*