Como aprender músicas de ouvido no piano: 9 passos

Se você está precisando de uma aula de teclado para iniciantes, está no lugar certo! Neste artigo vamos ensinar, de forma descomplicada e simples, os primeiros passos para aprender a tocar teclado do zero:

1) Conheça o nome das notas e das teclas

A primeira coisa que você precisa fazer antes de aprender a tocar o instrumento é decorar o nome das sete notas musicais: dó, ré, mi, fá, sol, lá, si. Se você já sabe essa ordem de cor, tome um tempo para observar o lugar em que elas estão no instrumento. Repare como cada uma delas está em uma tecla branca:

Como Aprender Músicas de Ouvido no Piano: 9 Passos

As outras teclas do instrumento vão ser ocupadas pelas mesmas 7 notas. A única diferença é que esse grupo de 7 vai se repetir em oitavas diferentes, indo da região mais grave até a mais aguda:

Como Aprender Músicas de Ouvido no Piano: 9 Passos

Dessa forma, no desenho abaixo, o primeiro  é mais grave do que o primeiro:

nota do em oitavas

As notas pretas no teclado

As notas também podem ser tocadas com alterações. Ou seja, podemos adicionar um semitom ou retirar um semitom delas. Quando retiramos um semitom chamamos a nota de bemol e, quando acrescentamos, chamamos de sustenida.

  • O símbolo utilizado para essas alterações é b, no caso do bemol, e #, no caso do sustenido. No teclado, iremos nomear cinco combinações bemóis e sustenidas:
  • Dó# ou Réb
  • Ré# ou Mib
  • Fá# ou Solb
  • Sol# ou Láb
  • Lá# ou Sib
  • Essas cinco alterações acima são, nada mais nada menos, do que as notas pretas do instrumento:

Como Aprender Músicas de Ouvido no Piano: 9 Passos

Elas também podem estar em regiões mais graves ou mais agudas:

Como Aprender Músicas de Ouvido no Piano: 9 Passos

2) Aprenda a encontrar as notas rapidamente no teclado

Para encontrar as notas rapidamente em seu teclado é preciso que você olhe para ele e rapidamente enxergue esses dois grupos:

Como Aprender Músicas de Ouvido no Piano: 9 Passos

A ideia é muito simples. No grupo 1 nós temos duas notas pretas e, no grupo 2, nós temos três notas pretas.

A nota que sempre vai vir embaixo da primeira nota preta do grupo 1 é e embaixo do grupo 2, .

Decorando essa simples informação você conseguirá achar mais facilmente as demais notas: quando quiser encontrar o mi é só contar duas casas brancas depois do . Se quiser encontrar o sol, uma casa branca depois do .

Outra maneira de memorizar a localização das notas é por meio de músicas. A aula abaixo é um bom exemplo de como fazer isso na prática:

3) Junte as notas em acordes e toque suas primeiras músicas

A maioria das músicas é formada por acordes. Ou seja, um determinado grupo de notas, tocados ao mesmo tempo. Os acordes básicos são representados por cifras. Essas cifras também podem simbolizar as notas isoladas, como mostra a tabela abaixo:

Nome da nota Mi Sol Si
Cifra C D E F G A B

Ao começar o seu estudo no teclado, você precisará aprender a tocar cada um dos acordes. Esses acordes podem ser maiores ou menores e podem vir com alterações bemóis ou sustenidas.

Para facilitar o seu aprendizado, preparamos um arquivo com as figuras e os nomes de todos os acordes básicos no teclado. Nesse arquivo, você irá reparar que alguns acordes possuem uma barra. Não se assuste, pois esta barra é apenas uma representação para mostrar que o acorde está em um posição invertida.

Ou seja, as notas são as mesmas, mas irão ser tocadas começando em uma ordem diferente.

Por exemplo, na ilustração abaixo, observe como o acorde de dó maior (C) começa com a nota na primeira figura, mi, na segunda, e sol na terceira:

Como Aprender Músicas de Ouvido no Piano: 9 Passos

As letras “ME” e “MD”, em cima de cada acorde, significam “mão esquerda” e “mão direita” e os números representam os dedos que você irá usar para tocar o acorde em cada uma dessas mãos. A numeração para os dedos é representada da seguinte forma:

Como tocar teclado: Posição das mãos e dedos no teclado

Para aprender a tocar teclado, é necessário que você entenda como a mão deve se posicionar no teclado. Para isso, vamos numerar os dedos da mão esquerda e da mão direita e você já vai poder tocar suas primeiras músicas.

Como Aprender Músicas de Ouvido no Piano: 9 Passos

Sabendo disso, para tocar o acorde de dó maior na mão esquerda você teria que usar o dedo mínimo para a nota , o médio para o mi e o mínimo para o sol (ME: 5 – 3 – 1).

Entendendo essas informações básicas, você já pode estudar o arquivo que disponibilizamos abaixo. Tente imitar em seu teclado as imagens com a posição dos acordes nas teclas. Em um primeiro momento, estude apenas o primeiro acorde de cada uma das folhas:

Acordes para teclado (clique aqui)

Apesar de existirem muitos acordes, a maioria das músicas é formada por combinações simples. Dessa forma, é possível que você comece a tocar suas primeiras músicas conhecendo apenas 4 ou 5 acordes.

Assista o vídeo abaixo para ter uma ideia das músicas que você já pode tocar sabendo apenas os acordes C, G, Am e F:

Depois de ter assistido a aula e ter tocado alguns desses acordes, você poderá começar a procurar as músicas que você mais gosta.

Entre no site do Cifra Club, escolha uma música e selecione a tonalidade de “C” no ícone superior da página.

Depois, basta selecionar “teclado” na sessão onde diz “cifra: principal” e todos os desenhos dos acordes serão exibidos quando você passar o mouse por cima.

Como Aprender Músicas de Ouvido no Piano: 9 Passos

4) Pratique a coordenação motora entre a mão esquerda e direita

Outro estudo importante para quem quer começar a aprender teclado é o estudo da coordenação entre as mãos. Geralmente as pessoas apresentam habilidades motoras apenas com uma das mãos (ou a direita ou a esquerda).

No teclado, é necessário desenvolver a habilidade em ambas. Muitas vezes, você vai precisar tocar uma melodia com a mão direita enquanto toca notas ou acordes diferentes com a mão esquerda.

Algumas vezes até o ritmo que cada uma das mãos faz poderá variar!

Para desenvolver a técnica é importante investir em materiais de qualidade. Um destes materiais é um livro de Carl Czerny, amplamente usado em milhares de conservatórios de música, ele apresenta uma coleção de exercícios que vão desde níveis bem iniciais até níveis avançados. Os exercícios servem para o desenvolvimento da coordenação, rapidez e passagem de notas entre os dedos.

Acompanhe a aula de teclado abaixo se você já quer começar a praticar alguns desses exercícios de coordenação entre as mãos:

5) Decida se você quer tocar teclado popular ou clássico

Na abordagem de estudo clássica, você irá estudar músicas eruditas (a maioria do século XIX), que podem se apresentar na forma de sonatas, sonetos, óperas, fugas e sinfonias.

Exemplos de compositores clássicos são: Bach, Mozart, Beethoven e Chopin. O estudo na área clássica é iniciado a partir da partitura.

O aluno irá ser apresentado a cada um dos símbolos e notações que estão na pauta e será habilitado a tocá-los no instrumento:

Como Aprender Músicas de Ouvido no Piano: 9 Passos

O treino de escalas, tanto maiores como menores, também é frequente nessa abordagem, principalmente para melhorar a técnica (velocidade e coordenação). Outros estudos de técnica também serão frequentemente requisitados como os que estão no livro de Carl Czerny.

Na abordagem de estudo popular, o foco não é a partitura, mas sim as cifras e os acordes. O estudo então pode ser iniciado pela leitura dessas cifras. Nesse tipo de abordagem, também é mais comum a exploração dos campos harmônicos (acordes que combinam entre si) e harmonia.

Se o seu objetivo é acompanhar as músicas que são tocadas em sua igreja ou acompanhar uma banda, talvez essa seja a abordagem mais recomendada. Ao tocar os acordes e não as melodias, você dá espaço para os cantores e outros instrumentos executarem a melodia, desempenhando então o papel de “acompanhante”.

Aprenda de forma organizada com o Curso de Teclado Descomplicando a Música:

O curso “Como tocar Teclado” desenvolvido pela equipe Descomplicando a Música é voltado para a abordagem popular e conta com 16 vídeo aulas somadas a um vasto material de apoio em PDF.

Se tiver interesse, clique nesse link para visualizar o curso completo. O preço é muito acessível e bem abaixo da média de mercado, pois gostamos da ideia de que todos devem poder aprender a tocar.

Cursos bons não precisam ser caros! Aliás, muitos cursos caros às vezes não são bons e geram muita frustração.

Confira os comentários de alguns de nossos alunos:

Aproveite para aprender do jeito certo e de uma forma descomplicada! Motivação e evolução com um bom material são os maiores aliados do progresso musical.

Veja também outros artigos sobre teclado:

Teoria musical para iniciantes: como estudar música

Você está cansado de se imaginar tirando um som de uma guitarra? Ou de pegar o violão e tentar arranhar umas quatro ou cinco músicas com cifras achadas na internet em sites de teoria musical para iniciantes?

Milhões de pessoas no mundo todo gostariam de aprender a tocar um instrumento. Algumas até dão um passo além e compram um instrumento para tentar aprender. Depois de algumas tentativas, acabam desistindo por acharem que “não tem talento para isso”.

Será que é mesmo uma questão de talento? A verdade é que, se você não estudar teoria musical para iniciantes do jeito certo, você nunca vai ser capaz de tirar um sol legal de qualquer instrumento que seja.

Esqueça a ideia do “talento nato”. Todos os grandes músicos só se tornaram bons com seus instrumentos depois de horas e horas de prática, de estudo, de erros e acertos.

Leia também:  Como ajudar um amigo a lidar com a rejeição: 14 passos

Por que você acha que com você seria diferente? Você realmente acha que vai tocar bem um instrumento só por ver uns vídeos no YouTube e tentar tocar uma música uma ou duas vezes por semana?

E se nós dissermos que há uma maneira melhor de você começar a estudar música pra valer, do jeito certo, enquanto se diverte no processo? E se nós dissermos que, praticando corretamente, você pode evoluir exponencialmente em poucas semanas, de modo até a assustar as outras pessoas com a sua evolução?

Para isso, você precisa antes de qualquer coisa aprender teoria musical para iniciantes.

Teoria musical para iniciantes

Como Aprender Músicas de Ouvido no Piano: 9 Passos

Teoria musical para iniciantes

O mundo moderno é cheio de atalhos. Queremos um hack para aprender a tocar guitarra em 10 dias e sair dedilhando como Jimi Hendrix depois de fazer um curso on-line.

Infelizmente, não é assim que funciona. Nem com música nem com a maioria das coisas.

Se você quer realmente vencer o desafio de aprender a tocar um instrumento, precisa começar a estudar música pela teoria musical. E mais: pela teoria musical para iniciantes.

Seu violão e as cifras que você encontra pela internet de pouco vão adiantar se você não dominar conceitos básicos de música como melodia, harmonia e ritmo.

  • Melodia: aquela parte da música que pode ser cantada
  • Harmonia: a sobreposição de notas musicais que servem de base para a melodia
    • Notas musicais: os elementos mínimos de um som. Por exemplo, quando uma corda vibra, movimenta as moléculas do ar ao seu redor na mesma frequência. Nosso ouvido capta essa vibração e nosso cérebro a processa atribuindo-lhe um som. Para cada frequência de vibração, o cérebro atribui um som diferente (uma nota diferente). Existem doze notas musicais e a menor distância entre elas é um sustenido.
    • Tom e Semitom: a distância entre dois sustenidos é chamada tom. Semitom, portanto, é a distância entre apenas um sustenido (representado pelo símbolo #). Assim, as doze notas musicais são dó, dó#, ré, ré#, mi, fá, fá#, sol, sol#, lá, lá# e si. Em um piano, você pode visualizar bem as teclas pretas contendo os sustenidos e as teclas brancas com as demais notas.
    • Oitava: uma oitava compreende a distância entre as doze notas.
    • Acorde: a união de duas ou mais notas musicais tocadas simultaneamente.
  • Ritmo: a marcação do tempo de uma música
  • Timbre: o formato característico de uma onda sonora de acordo com o material que a produziu. É o timbre que faz com que uma nota Ré tocada em uma flauta seja diferente da mesma nota tocada em uma guitarra.

Prática deliberada: Como estudar música de maneira efetiva

Como Aprender Músicas de Ouvido no Piano: 9 Passos

Teoria Musical para Iniciantes: A Prática Deliberada

Os conceitos acima formam apenas o básico do básico para você começar a estudar música a sério.

O que você precisa fazer agora é definir uma rotina de estudos e efetivamente executá-la da forma como o Dr. Noa Kageyama chama de prática deliberada.

Geralmente quem está tentando estudar teoria musical para iniciantes vem com a seguinte pergunta: quantas horas por dia eu devo praticar?

O Dr. Kageyama respondeu, em um brilhante artigo, que a quantidade de horas praticadas por dia não é o fato essencial para você evoluir como músico, seja profissional ou amador.

Ele refuta a famosa teoria das 10 mil horas, elaborada pelo psicólogo K. Anders Ericsson e tornada famosa no mundo inteiro depois de publicada no livro Outliers, de Malcolm Gladwell.

O que o Dr. Kageyama defende é que você pratique, o tempo que for, desde que o faça com plena atenção.

Como Aprender Músicas de Ouvido no Piano: 9 Passos

Descubra segredo nº 1 que pessoas comuns estão usando para assumir o controle do próprio futuro aprendendo a montar um plano de vida capaz de transformar os seus maiores sonhos em realidade, passo a passo e começando absolutamente do ZERO!

Quero receber a aula

Segundo ele, pegar o seu instrumento musical e ficar tocando de qualquer jeito só para cumprir uma determinada carga horária não apenas é uma perda de tempo como torna você menos confiante.

Se é assim que você estuda, vai começar a notar que mesmo com o passar do tempo, não consegue perceber nenhuma evolução. Continua tocando sempre as mesmas (poucas) músicas, com a mesma (pouca) qualidade.

Ao invés disso, a prática deliberada é um processo ativo e profundo de experimentação com metas claras e hipóteses. Ela é lenta e envolve a repetição de partes pequenas da música até que os erros sejam eliminados.

O que os melhores músicos do mundo fazem para aprender melhor

Como Aprender Músicas de Ouvido no Piano: 9 Passos

Teoria Musical para Iniciantes: As Estratégias dos Melhores

A Universidade do Texas conduziu um estudo para verificar os métodos de estudo específicos que diferenciavam os melhores músicos e os estudantes mais efetivos.

O experimento foi feito com 17 estudantes de piano, que se submeteram a aprender uma passagem de três compassos do Concerto nº. 1 para Piano de Shostakovich. Essa passagem tinha partes complicadas, tornando-a difícil de ser executada à primeira vista, mas não tão difícil a ponto de não poder ser aprendida em uma única sessão de estudo. Escute-a:

https://www.youtube.com/watch?v=JrBN7TVF6Fs&rel=0

  • Analisando os resultados do estudo, os pesquisadores concluíram que estudar por mais tempo, repetir mais vezes a música ou mesmo tocá-la corretamente várias vezes não foram as melhores estratégias.
  • Além disso, foi verificado que quanto mais vezes os estudantes tocaram a música incorretamente em seus estudos, pior foi o resultado final.
  • A conclusão foi que existem especificamente duas estratégias que diferenciaram os melhores estudantes dos demais:
  1. A correção precisa dos erros: os melhores resultados vieram dos estudantes de teoria musical para iniciantes que identificavam precisando onde estavam errando, para estudar novamente esse pequeno trecho e corrigi-lo.
  2. A diminuição da velocidade: em vez de tentar tocar a música nova no seu ritmo normal, os melhores estudantes diminuíram deliberadamente a velocidade de execução, de forma a tocar de forma mais precisa e coordenar o movimento das mãos.

Essas duas estratégias formam a base da prática deliberada.

Como elaborar uma estratégia para começar a estudar música

Como Aprender Músicas de Ouvido no Piano: 9 Passos

Teoria Musical para Iniciantes: Método de Estudo

  1. Agora você já pode entender porque não consegue aprender a tocar um instrumento, ou porque não evolui da forma como gostaria.
  2. E se, a partir de hoje, você montasse uma estratégia de prática deliberada para aprender ou evoluir no seu conhecimento musical?
  3. E se você pudesse se ver evoluindo, semana após semana, de maneira estruturada e divertida, até que em pouco tempo esteja dominando o seu instrumento, tirando o som que sempre quis e finalmente obtendo os resultados que desejava há tempos?

Este é o desafio que o Mude.vc lhe propõe hoje: montar a sua estratégia de estudo.

Para isso, siga esses passos:

  1. Defina os dias e a duração dos seus estudos: a duração deve ser o tempo máximo que você consiga estar focado na prática. Lembre-se: passar mais tempo pode ser até contraprodutivo. Escolha também os dias em que irá praticar e, se possível, até mesmo o horário.
  2. Defina suas metas com base semanal: a cada semana de estudos, defina uma meta para si próprio. Pode ser dominar determinado conceito de teoria musical para iniciantes, pode ser tocar melhor certo trecho de uma música, pode ser aprender uma escala. Há muito tempo, especialistas em produtividade pessoal definiram que as metas devem ser Smart, palavra que significa “esperta” (em inglês), mas que também é um acrônimo para específicas (Specifics), mensuráveis (Measurable), realizáveis (Achievable), relevantes (Relevants) e com prazo definido (Timed). Verifique se as suas metas para aquela semana cumprem todos esses requisitos.
  3. Foque-se em corrigir os problemas: estudar com atenção plena significa que você deve identificar claramente os problemas que estão travando a sua evolução. No seu estudo, pegue papel e caneta e anote com clareza a definição do problema, liste possíveis soluções em ordem de preferência e vá testando-as uma a uma. Diminua a velocidade da música para corrigir os erros com mais facilidade.
  4. Estruture o seu estudo em fases: uma boa ideia de estrutura é começar com estudo teórico, aquecer-se com exercícios de escalas, modulações e arpejos e depois seguir para a prática de uma música específica.

Seguindo os ensinamentos deste post e praticando deliberadamente, mesmo que apenas 20 minutos por dia, em poucas semanas você terá aprendido teoria musical para iniciantes, evoluído no desafio de tocar um instrumento e adquirido uma disciplina de aprendizado que você pode levar para qualquer outra área da sua vida.

Leia também:  Como aliviar a cólica menstrual (com imagens)

E aí, topa o desafio?

P.S.Se você quer saber como montar um plano de vida que te faça assumir o controle do seu próprio futuro, clique aqui para receber uma aula especial do curso Planejando Sua Vida.

10 Matérias Mais Usadas no Violão Gospel – Estude Esses passos para Aprender a Tocar na Igreja

Como Aprender Músicas de Ouvido no Piano: 9 Passos

Como Aprender Músicas de Ouvido no Piano: 9 PassosSe você é mais um iniciante do violão que deseja aprender a tocar violão gospel para tocar na igreja, neste artigo sensacional eu vou te expor quais matérias e treinos técnicos que você precisa ter para tocar na igreja como sempre sonho, conhecendo as principais matérias que os músicos fixos da igreja conhecem ou pelo menos precisariam conhecer.

Estas matérias e técnicas podem ser aprendidas ao término deste vídeo, mas sem perda de tempo vamos lá

10 – Campo Harmônico

Os músicos da igreja precisam tirar muitas músicas de ouvido como no item 9 abaixo, e para que eles possam fazer isso é extremamente importante que tenham conhecimento de campo harmônico, pois a maioria das músicas possuem os acordes de um campo harmônico e quando você estudar isso terá mais facilidade de acertar os acordes para tirar uma música. Entenda mais sobre isso em Campo Harmônico para Violão.

9 – Percepção Crescente

Para ser músico da igreja você precisará desenvolver bastante sua percepção musical, tanto para afinar o violão, quanto para tirar as músicas gospel fáceis e difíceis que vão aparecer na sua frente durante os cultos ou ensaios. Praticamente todos os músicos das igrejas precisam tirar músicas de ouvido, sendo uns mais e outros menos. Mas não se assuste, pois existem matérias e treinos para te ajudar nisso que você poderá aprender com o tempo.

8 – Cifras Gospel

A maioria dos violonistas da igreja precisam aprender a ler cifras, pois a grande parte das músicas gospel de violão não tem harmonia muito complexa e podem ser aprendidas rapidamente pela leitura de cifras. Entenda um pouco mais na aula de Diagrama de Cifras.

7 – Prática de Grupo

As igrejas normalmente possuem bandas completas com violão, baixo, bateria, guitarra e teclado, e por conta disso você precisará saber exatamente como se comportar durante os hinos de louvor a Deus.

Sendo um pouco mais detalhista em minha explicação, você não poderá tocar em grupo da mesma forma em que toca sozinho, pois cada instrumento da banda tem uma função.

Para entender isso você deverá escutar muita música e progredir em repertório.

Vale a pena também entrar em uma banda gospel com iniciantes e com o passar do tempo irem progredindo juntos. Lembre-se sempre que você precisa começar a estudar e que o progresso vem com o tempo e treino.

Como Aprender Músicas de Ouvido no Piano: 9 Passos

6 – Toque para Soar Bem

Na minha opinião, os piores músicos para se tocar em equipe são aqueles que tocam para si, preocupados com sua técnica e performance, e o grande problema disso é que uma pessoa preocupada com seu som ou em chamar a atenção da banda para si mais do que para a equipe normalmente não está preocupada com a sonoridade geral da banda, mas sim em ganhar elogios e apertos de mão.

Se existe algo que atrapalha um momento de louvor na igreja é uma pessoa chamar a atenção para si, pois esse não é o objetivo certo? Tenha sempre em mente que as pessoas escutam música por causa do que sentem, e quanto mais focado nas sensações da banda estiver o que você tocar, melhor vai ser sua prática e atuação na banda da igreja durante os hinos “gospel”. Por isso toque pelo som.

5  – Conhecimento de Acordes e Suas Trocas no Violão

Conhecer tudo sobre os acordes e suas trocas é obrigação de todos os músicos não só atuantes no violão.

Saiba que se você conhecer toda a teoria de acordes, montagem de acordes com tríades em suas alterações, terá maior facilidade em tocar, aprender matérias mais avançadas e até ajudar outros músicos e instrumentos. Você pode começar pelo básico aprendendo os acordes mais fáceis no violão.

4 – Conhecimento de Escalas no Violão

Para conhecer sobre acordes como citei no item cinco, é necessário que você conheça muito sobre escalas, notas e seus intervalos.

Parece difícil falando né? Entretanto este é um dos conhecimentos primordiais que passo para meus alunos iniciantes do violão, pois a partir disso que a brincadeira começa.

Na igreja não é diferente, pois você precisará de um grande conhecimento de escalas e acordes para sobreviver e cumprir com o necessário por lá.

3 – Conhecimento de Ritmos e Batidas

Com poucas batidas gospel você poderá tocar várias músicas. Um exemplo disso é a batida de pop rock que ensino no meu canal Iniciantes do Violão. Com esta batida você poderá tocar mais de 50 p cento das músicas gospel tocadas atualmente na igreja, sendo músicas de grupo de louvor como da Laura Songuelis, Aline Barros, Fernanda Brum e etc.

2 – Repertório de Violão Gospel

Para tocar na igreja é necessário que você tenha um excelente repertório de violão gospel, e para isso você deverá começar do zero aprendendo hinos fáceis de modo passo a passo como ensino nas minhas aulas, e depois você vai ganhando poder técnico e poderá aumentar o grau de dificuldade aprendendo louvores mais difíceis.

1 – Desenvolvimento Técnico

  • Técnica é saber fazer, e no objetivo de tocar violão na igreja você deverá focar nas técnicas mais utilizadas nas músicas gospel inicialmente básicas que são: Troca de acordes, batidas e ritmos de violão, palhetada alternada para solos e batidas, dedilhado, técnicas de batida sem palheta, treinos com metrônomos, etc.
  • Quer aprender do zero todas as matérias e técnicas que precisa para tocar na igreja de modo passo a passo e simples
  • Recomendados Para Você:

9 dicas matadoras para escrever músicas

Mesmo assim, nem todos os músicos têm o talento nato de compor músicas e letras. Por isso, muitos desistem no meio do caminho, ou acreditam que precisam daquela inspiração divina, aqueles 15 minutos em que parece que você é capaz de escrever a próxima “Bohemian Rhapsody” ou – para os músicos mais voltados para o nosso país – a próxima “Como Nossos Pais”.

 Para escrever canções é preciso, primeiro, escrever canções. Parece uma dica boba e óbvia, mas é exatamente isso. Não adianta achar que na primeira vez que você sentar para compor uma música ou uma letra, você vai produzir a melhor obra da sua vida. Esse trabalho – assim como basicamente todos – exige muita prática para alcançar a perfeição.

Mas aí você me pergunta: e como eu faço pra começar?

Essa pergunta é mais ou menos parecida com a clássica pergunta: o que eu escrevo primeiro, música ou letra? Bom, respondendo de forma rápida, não há caminho fácil ou correto para responder essa pergunta.

Algumas vezes, você vai escrever a letra primeiro, encaixar alguma melodia ou harmonia na estrutura e modificar a letra milhares de vezes até achar o formato certo. Em outras, você vai compor um riff muito massa e depois encaixar uma letra que combina perfeitamente com ele.

E em algumas outras – essas mais raras – você vai conseguir compor as duas coisas juntas.

 O mais importante nisso tudo, é que não existe um jeito certo de escrever uma música. Algumas das melhores – e piores também – músicas já escritas foram usadas utilizando as técnicas mais diversas.

Isso porque o processo de composição é sempre algo muito individual e característico de cada músico, dupla, trio ou banda.

Isso não impede que você incorpore um processo de composição de algum outro músico.

  •  É por isso que vamos apresentar 9 técnicas matadoras pra você começar a escrever suas músicas e desbloquear sua criatividade.
  •  Confere aí:
  • 1- Não há jeito errado de compor uma música

Já comentamos aqui em cima, no começo do artigo, mas é bom insistir nesta dica, pois esse representa um dos principais bloqueios dos músicos: achar que existe um jeito certo de compor uma música.

Você tem liberdade total de fazer o que quiser e “errar” quantas vezes quiser, porque não existe jeito certo, nem canção certa.

Algumas melodias são mais “chiclete” do que outras e todo músico já escreveu canções bizarras ou que nunca mostrariam para o público.

Está tudo certo! É por isso que sempre revisamos nossas letras e músicas depois de um tempo de molho. Então esqueça esse bloqueio e manda ver nas composições.

Dica dentro da dica: tente deixar sua letra ou melodia “descansando” por alguns dias para refrescar a mente e alimentar o senso crítico. Com esse distanciamento de alguns dias, é possível perceber o real potencial da canção ou letra. 

Leia também:  Como apresentar pessoas: 11 passos (com imagens)

2- Componha a partir de uma progressão de acordes ou de um groove

Quando você pega uma guitarra ou senta para tocar piano, geralmente você manda alguma progressão de acordes ou algum groove inconscientemente. Ótimo!

Vai fundo no groove e continua tocando. Essa coisa de continuar tocando pode criar uma ambientação para inventar uma música, uma melodia ou até mesmo uma letra, especialmente quando você tem outros músicos te acompanhando. Além disso, um bom groove é a primeira coisa que o ouvinte comum vai notar quando estiver ouvindo uma música.

 Mas não fique somente na progressão de acordes ou no groove. Na maior parte dos estilos musicais, essas duas coisas são apenas parte das ideias de arranjos, o que não significa que você compôs uma canção completa e super original. Sem uma melodia forte ou uma letra bem construída, esse groove ou progressão de acordes é só algo comum.

3- Faça algo diferente

É comum que compositores fiquem travados de tempos em tempos em um caminho no qual todas as músicas começam a soar iguais, mesmo tentando novas combinações de notas ou uma batida diferente.

Uma maneira legal pra limpar a mente para novas ideias é tentar tocar um instrumento novo que você nunca tocou ou só tocou um pouco. Com um esse instrumento diferente, você pode muito bem criar melodias que você nunca tinha pensado ou estruturas diferentes para sua canção, além de arranjos interessantes para complementar a música que você está escrevendo. 

4- Procure por inspiração musical

Antes de compor, é ótimo tentar alimentar sua inspiração musical. E essa inspiração pode vir de tudo ao nosso redor: emoções, relacionamentos, a natureza, pessoas e experiências, entre tantas outras coisas.

Para gerar ideias diferentes, você precisa fazer coisas diferentes. Experimente sair de casa, ir a lugares que você nunca foi antes e fazer coisas novas.

Até mesmo coisas simples como andar em um parque que você nunca foi, ou andar pela rua da sua casa funcionam bastante.

Como Aprender Músicas de Ouvido no Piano: 9 Passos 

 5- Componha a partir de uma ideia ou conceito de letra

Existem vezes que as nossas experiências nos levam a ideias incríveis para novas músicas autorais. Capte o sentimento e a emoção do seu conceito, mergulhe nele e realmente conte sua história. Não seja vago, na hora de escrever a letra.

6- Use um software de composição musical

O software de composição musical pode ser o melhor amigo de um músico. Estes programas ajudam no processo de escrita, organizando o trabalho e permitindo que você veja o que você está tocando.

Pacotes de software de qualidade fornecem recursos, incluindo um metrônomo para manter a batida, um playback para que você possa tocar junto com alguma gravação, uma entrada para que você possa ligar o instrumento ou microfone diretamente ao seu computador e gravar uma canção que você toca ou canta e várias ferramentas de edição para ajudar na composição da estrutura da música.

Como Aprender Músicas de Ouvido no Piano: 9 Passos 

 7- Lembre-se que a letra da música é importante

A não ser que você ou sua banda estejam fazendo música instrumental, a letra da música é, sem dúvidas, a parte mais importante da sua canção. Escrever letras pode ser um dos aspectos mais frustrantes e difíceis do processo de composição, especialmente se você for um compositor sem muita experiência.

Ter uma ideia clara do que sua música vai falar é um bom começo.

Você pode escrever exatamente o que quer falar em cada parte da letra (estrofe 1 – X, estrofe 2 – Y, estrofe 3 – Z) e depois começar a organizá-la com o ritmo, a estrutura, a cadência das palavras para encaixá-las em uma melodia.

Além disso, uma melodia que seja forte e memorável – que geralmente está situada no refrão – é particularmente importante para resumir a ideia central da letra, enquanto os versos e a bridge pro refrão podem ser construídos ao redor do tema central.

 8- Grave qualquer pequeno momento de inspiração ou de trabalho

Essa é uma das dicas mais importantes. Isso porque existem poucas coisas piores para um compositor do que inventar um riff ou melodia sensacional e esquecê-lo 1h depois porque não gravou a ideia. 

Esquecer melodias, riffs, grooves é algo bastante frustrante. Um exemplo interessante é a música “Under Pressure”, um clássico do Queen. O baixista, John Deacon, inventou o riff para a música em uma sessão no estúdio e, como não o gravou, quase esqueceu uma das canções mais icônicas da banda.

A sorte é que o baterista Roger Taylor e David Bowie lembraram o riff. Por isso, é essencial anotar cada criação sempre, enquanto ela está sendo feita ou mesmo que esteja só na cabeça. Faça uma gravação simples no smartphone ou uma anotação da partitura da ideia em um pedaço de papel.

Vai ser muito mais fácil continuar a trabalhar na música com as gravações iniciais.

  1. Como Aprender Músicas de Ouvido no Piano: 9 Passos 
  2. 9- Faça colaborações e parcerias com outros músicos
  3. Se você está passando por aquele período de bloqueio criativo, mesmo depois de tentar as técnicas acima, então uma boa ideia é a de fazer colaborações ou parcerias com outros músicos para ganhar uma nova perspectiva do seu trabalho e ter novas experiências, que podem acrescentar no seu processo de composição.

 Caso já tenha alguma coisa composta, alguma ideia já um pouco desenvolvida, mostre o que você tem para seu parceiro, discuta novas ideias que ele possa ter, enfim, deixe o processo criativo fluir naturalmente. Outra opção é começar o processo do zero, cada um com um instrumento, sem pressão.

 A ideia é que adquirir uma nova perspectiva de sua composição com base na visão e na experiência de outro músico pode te ajudar a melhorar sua composição. Afinal, duas cabeças são melhores do que uma. 

Como Tirar Música De Ouvido – Guia Simples e Prático

Quando tinha uns 14 anos de idade, queria porque queria tirar uma música que gostava muito. Perguntei ao meu professor e ele me deu umas dicas e falou pra eu ir tentando. Tentei, com muita calma, tirar cada acorde da música. Depois de umas semanas levei a cifra da música pra ele corrigir. Acreditem, acertei UM acorde!

Foi frustrante. Mas não desisti, fui insistindo . . . insistindo . . . estudando cada vez mais e depois de um tempo, CONSEGUI!!!

A maioria dos estudantes de música, e porque não dizer todos, querem aprender a tirar música de ouvido.

Você teve ou tem essa vontade? Sabe o que é?

Então, tirar uma música de ouvido é ouvir o que está sendo tocado e reproduzir igual, ou quase igual ao original.

Ai você se pergunta? ” Como vou fazer isso? “

Essa é uma pergunta difícil de responder, mas quero que você saiba que não é impossível como dizem por aí. O que você precisa é de muita dedicação e esforço para conseguir. E nunca, nunca desista, é um processo lento que depende de vários fatores.

Não existe um método ou fórmulas que ensinem isso de forma precisa. Cada um aprende de um jeito e a seu tempo. Por isso, o que vou mostrar pra você aqui, são 10 dicas que vão te ajudar a desenvolver essa habilidade.

Por isso leia cada item com calma, até o final. Vai valer a pena!

Vamos lá então . . .

1 – Não se preocupe com isso.

Parece loucura não é? Mas é isso mesmo! Você não tem que ficar preocupado agora em tirar uma música de ouvido. Preocupe-se em estudar seu instrumento, praticar bastante e desenvolver sua técnica. 

Não estou dizendo aqui que você NÃO pode tentar tirar músicas, e sim que isso não deve ser um fardo, uma preocupação.

Divirta-se tocando, isso é muito importante! Na hora certa você vai conseguir.

  • 2 – Estude teoria e harmonia.
  • Tudo que você estuda e aprende ao longo dos anos vai somar pra que você consiga ouvir e saber o que está sendo tocado.
  • Por exemplo, se você sabe que a música que está tirando é no tom de DÓ MAIOR, por isso não contém sustenidos ou bémois, e os acordes contidos nesse tom são: C  Dm  Em  F  G  Am  Bm(b5), não vai ficar procurando 1000 acordes até encontrar um que encaixe, certo?
  • Então estude bem os intervalos, escalas, formação de acordes, divisão rítimica, etc. 
  • 3 – Pratique ouvindo o que está tocando.
  • Você deve estar achando que fiquei maluco não é?
  • Acredite, não estou! 

Nesses anos todos dando aulas de música, percebi que muitos estudantes não prestam atenção nenhuma no que estão tocando. Não ouvem e nem sentem o som. Aí o tempo passa e o cara não ” ensinou ” seu ouvido a perceber os sons.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*