Como aparar as asas de um papagaio: 15 passos

Dentro da espécie que engloba todos os pássaros, os papagaios constituem uma ordem própria, os Psitasiformes, os quais dividem-se em 12 famílias, apesar de isto ser variável dependendo do autor. Alguns apenas reconhecem uma família com várias subfamílias.

O nome correto do popular Papagaio é Amazona de Testa Azul, também conhecida como Papagaio Verdadeiro ou Papagaio Baianinho. Alguns dos nomes comuns dos Papagaios estão diretamente relacionados com o seu padrão de cores, como por exemplo, o Papagaio-de- peito-roxo, ou o Papagaio-de- bochecha-azul.

Reside no interior da América do Sul, do nordeste do Brasil, leste da Bolívia, Paraguai, até o norte de Argentina. Presente no interior do Brasil, no Nordeste (Piauí, Pernambuco e Bahia), Centro-oeste, Sudeste (Minas Gerais) e no Sul, Santa Catarina (inclusive litoral) e Rio Grande do Sul.

Infelizmente, o número de aves diminuiu consideravelmente, devido principalmente à importação e exportação ilegal. Outros fatores são a redução e destruição dos habitats naturais. Hoje em dia, é considerada uma espécie ameaçada segundo o CITIES (Convenção Internacional de Espécies Ameaçadas da Fauna e Flora Selvagens).

Como Aparar as Asas de um Papagaio: 15 Passos

Características

Monogâmicas, atingem a maturidade sexual aos 3 anos, e botam de 2 a 4 ovos por gestação. Na natureza, podem ser encontradas em bandos em florestas tropicais. Sua alimentação deve ser à base de sementes e frutas com o objetivo de evitar a obesidade. Muito inteligentes, as Amazonas de Testa Azul desenvolvem rapidamente a capacidade de imitar a voz humana.

São aves muito conhecidas em todo o mundo, e têm características bem definidas.  A cor predominante da plumagem é verde. Outras cores (vermelho, amarelo, laranja, azul, roxo) distribuem-se pelo corpo em diversas combinações dependendo de cada uma das espécies.

Os papagaios têm o corpo compacto com pescoço, asas, e pernas curtas. A cauda também é curta, quando comparada a de seus parentes mais próximos – Periquitos e Araras. Eles medem entre 32 cm e 40 cm, sendo o Papagaio-da- serra o menor, e o Papagaio-moleiro o maior entre as espécies.

Machos e fêmeas não têm dimorfismo sexual, ou seja, não apresentam características físicas que os diferenciem nitidamente.  Quando o casal está próximo é possível identificar o macho porque ele é um pouco maior, e tem o bico mais largo do que a fêmea, mas quando estão em  bando é praticamente impossível  para saber quem é macho e quem é fêmea.

Os papagaios são conhecidos como “aves de bico redondo” – o bico é alto, curvo e muito forte, capaz de quebrar sementes bem duras. A língua é grossa, sensível e com muitas papilas gustativas (entre 300 e 400), o que indica que o  paladar é bem desenvolvido.

  Os papagaios têm “papo”, onde o alimento pode ser armazenado durante horas para, por exemplo, levar para a fêmea que está chocando, ou para os filhotes. A sua alimentação baseiam-se em sementes, raízes, tubérculos, e fruta principalmente.

Em relação à água, não tem muita necessidade.

A visão dos papagaios é outro sentido bem desenvolvido. Não deve ser criado juntamente com outras raças, e também não tolera mudanças bruscas de temperatura.

Peso: Aproximadamente Macho e Fêmea 400 g
Altura Aproximadamente Macho e Fêmea de 32 cm a 40 cm
Grupo: Família Psitasiformes
Cor A cor predominante da plumagem é verde. Outras cores (vermelho, amarelo, laranja, azul, roxo) distribuem-se pelo corpo em diversas combinações dependendo de cada uma das espécies
Nome de Origem: Papagaio
Pais de Origem: Interior da América do Sul, do nordeste do Brasil, leste da Bolívia, Paraguai, até o norte de Argentina. Presente no interior do Brasil, no Nordeste (Piauí, Pernambuco e Bahia), Centro-oeste, Sudeste (Minas Gerais) e no Sul, Santa Catarina (inclusive litoral) e Rio Grande do Sul

Como Aparar as Asas de um Papagaio: 15 Passos

Temperamento

Normalmente são animais sociáveis, de temperamento dócil.

Curiosidades

Os papagaios são animais fascinantes, especialmente pela capacidade que têm de falar. Esta aptidão é algo que se encontra presente nas espécies de maior tamanho. São capazes de repetir e imitar palavras ditas pelas pessoas.

Existem alguns que podem chegar a dizer frases inteiras. Também podem piar facilmente. Isto não quer dizer que entendam o que dizem as palavras não faz sentido para eles.

Ainda assim são capazes de, através da observação, relacionar palavras com feitos concretos.

Os papagaios conseguem usar os pés para segurar os alimentos, e levá-los até a boca, como se fossem “mãos”. Isto porque possuem 2 dedos voltados para frente e 2 dedos voltados para trás, ou seja, eles têm pés conhecidos como pés zigodáctilos.

Em sua maioria, são canhotos – seguram o alimento com o pé esquerdo, e equilibram-se com o direito. Ás vezes boceja – hábito comum em mamíferos, mas raro em aves.

Podem usar os bicos para ajudar no deslocamento entre galhos, e ramagens, como se fosse um terceiro membro.

Em cativeiro, os papagaios, consideram seu dono como um companheiro, podendo inclusive oferecer-lhe comida do papo. Em natureza isto serve para alimentar o companheiro ou o filhote.

São comuns os sinais de emoção identificados pelos seus criadores.

Reproduzem comportamentos que indicam satisfação ou raiva, e são consideradas aves sensíveis, chegando a demonstrar “ciúmes” de outros animais de estimação.

Um papagaio “deprimido” apresenta comportamento autodestrutivo como, por exemplo, arrancar as penas do próprio corpo, e até ferir-se com o bico. Isto pode ser desencadeado por situações de estresse no cativeiro, como por exemplo, má alimentação, falta de atenção do seu dono, solidão, falta de passeios, ou de novidades, entre outras.

Dicas

É fundamental no treinamento ter paciência, ser persistente, conhecer o temperamento do papagaio, e nunca usar técnicas violentas. As etapas do treinamento acontecem gradativamente, sendo necessários vários dias, ou semanas para atingir-se a meta.

A primeira dica é ser paciente. Não deve-se querer ter o papagaio na mão já no primeiro dia, ou na primeira semana. É preciso que ele primeiro acostume-se ao novo lar e com as pessoas.

Depois será necessário ganhar sua confiança, e para isso é fundamental que você tenha tempo disponível para a ave, todos os dias. Lembre-se que são aves inteligentes. Inicialmente aproxime-se apenas da gaiola ou do poleiro-T e converse com ela, dizendo palavras de forma carinhosa.

A entonação da voz e a forma gentil que você trata-o serão percebidas. Se você sentir que está próximo demais e ela está nervosa, recue alguns passos.

Aos poucos, você estará ao lado do seu papagaio sem que isso o aborreça. Ao aproximar-se, forneça alimentos que ele goste. Quando a ave estiver confiante e adaptada a você, ofereça alimentos gostosos e faça com que ela venha buscar na sua mão. Após ganhar a confiança da ave – isso pode levar semanas ou meses – você passará para a etapa seguinte que é manter contato físico.

Inicialmente faça com que a ave suba num poleiro (cabo de vassoura). Não faça gestos bruscos que a faça sentir-se ameaçada. Quando você aproximar o poleiro ao peito da ave, ela tenderá a agarrá-lo, subindo no poleiro. Daí é só repetir o procedimento algumas vezes. Passeie com ele pela casa para que acostume-se, e mantenha o equilíbrio.

A etapa seguinte é aproximar sua mão lentamente (porém, sem demonstrar medo) para acariciá-lo na cabeça. Aproxime a mão lateralmente de forma que o papagaio veja o que você está fazendo. Repita esse procedimento até você sentir-se confortável, e conseguir acariciá-lo. Quando o papagaio permitir o contato e estiver confiante em você, não será difícil colocá-lo no seu braço.

Nesse estágio, deve-se ter cuidado para o risco de bicadas, que são doloridas. Já vi casos de pessoas que arremessaram seus papagaios contra a parede ou contra o chão ao serem bicadas.

Ao tentar colocar o papagaio na mão, deve-se ter em mente, que se ele bicar, não devemos reagir violentamente, pois isso prejudicaria todo o treinamento, criando ainda mais medo na ave ou pior ainda, seu amigo empenado acabaria numa clínica veterinária.

É comum que os donos cortem as asas de seus papagaios, para evitar que eles voem. Porém não é recomendado que isto seja feito de maneira a cortar demais as asas, uma vez que o animal pode ficar ferido. O ideal é levar o animal para que um veterinário faça a poda adequada.Como Aparar as Asas de um Papagaio: 15 Passos

Saúde

A família é famosa por sua longevidade. Em boas condições físicas, o animal pode viver até 50 anos.

Fonte:Super Interessante

Como Aparar as Asas de um Papagaio

X

Este artigo foi escrito em parceria com Pippa Elliott, MRCVS. A Dra. Elliott é uma veterinária com mais de 30 anos de experiência. Formou-se na University of Glasgow em 1987 e trabalhou como cirurgiã veterinária por 7 anos. Depois disso, a Dra. Elliott trabalhou como veterinária em uma clínica por mais de uma década.

Há 14 referências neste artigo. Você pode encontrá-las ao final da página.

  1. 1

    Pergunte a si mesmo se quer cortar as asas do seu pássaro. Há argumentos convincentes em ambos os lados. Aqueles que são contra o corte argumentam que os pássaros foram feitos para voar e não se deve interferir nas inclinações naturais deles. Se você tiver a intenção de inscrevê-lo em um concurso, também nunca se deve cortar as asas dele.[1]

  2. 2

    Treine a ave. É muito difícil treinar um papagaio sem aparar as suas asas. Uma ave com penas compridas e com a possibilidade de voar para longe de você vai provavelmente ficar menos disposta a colaborar.[2]

  3. 3

    Corte as asas do papagaio por questões de segurança dentro de casa. Pássaros com as asas íntegras representam um perigo a eles mesmos, aos outros a ainda podem provocar uma verdadeira destruição na casa. Quando eles voam com liberdade no ambiente fechado, podem danificar as penas, derrubar objetos e, principalmente, comer coisas que não devem.

    Muitos itens domésticos podem ser perigosos para um papagaio, incluindo vasos sanitários e outras fontes de água parada, lâmpadas e o fogão que esteja quente, ventiladores de teto, cordões de persianas, janelas e espelhos. Aparar as asas dele pode parecer uma má ideia por limitar os movimentos, mas acaba sendo até melhor e mais seguro para você e para ele.

    [3]

  4. 4

    Evite a fuga do pássaro. O papagaio é rápido e pode se aproveitar de qualquer janela ou porta aberta para escapar. Depois da fuga, costuma ser quase impossível recuperá-lo. Com as asas aparadas, a chance de que ele faça isso é menor. E se ele ainda assim escapar, é muito mais fácil conseguir pegá-lo de volta.[4]

  5. 5

    Não corte as asas de um filhote de papagaio. As asas do pássaro não devem ser aparadas antes que ele possa voar. Cortá-las cedo demais pode atrofiar o crescimento normal das penas.[5]

  6. 6

    Decida se você quer que um veterinário corte as asas do seu bicho de estimação. Se você nunca o fez antes, é aconselhável levar a ave a um veterinário na primeira vez. Assim, é possível ver como tudo é feito e então decidir se vai querer continuar a fazê-lo em casa.[6]

  1. 1

    Prepare-se para cortar as asas. Peça a alguém para auxiliá-lo, pegue uma toalha de um tamanho adequado para a ave, uma tesoura afiada e pó anti-hemorrágico, encontrado em pet shops.

    O pó anti-hemorrágico é fundamental para o caso de acabar cortando demais a asa do pássaro e provocar um sangramento.

    [7] Caso você não queira cortar as asas do papagaio por conta própria, peça a seu ajudante para fazê-lo.[8]

  2. 2

    Use a toalha. Envolva a toalha nas duas mãos. Fique tranquilo e de frente para o pássaro. Com delicadeza, enrole a toalha em torno do papagaio se possível.

    Se não conseguir, jogue a toalha sobre o pássaro e, com suavidade (mas com firmeza), segure a parte de cima da cabeça do papagaio com o dedo indicador e segure a região em volta do bico inferior com os outros dedos.

    Desse modo, você evita tomar bicadas e consegue arrumar a toalha com segurança junto com o seu ajudante. Não se esqueça de que os pés do papagaio devem estar presos na toalha para evitar arranhões.[9]

  3. 3

    Defina quais penas precisam ser cortadas. Tire uma das asas da toalha e encontre as penas de voo primárias. Estas são as dez últimas e as mais compridas da asa. Converse com o veterinário antes de cortar pela primeira vez – pássaros de espécies diferentes (dependendo do tamanho) podem precisar que penas diferentes sejam cortadas.[10]

  4. 4

    Utilizando uma tesoura, corte as pontas das seis ou sete penas externas. Deixe alguns centímetros entre o final da pena cortada e o início da pena menor, logo acima. Você pode se sentir tentado a não mexer nas duas últimas penas para deixar uma aparência mais bonita, mas é desaconselhável fazê-lo, pois pode ser o suficiente para que ele consiga voar.[11]

  5. 5

    Evite cortar a região que contêm “sangue” ou o “bulbo” da pena. Tais penas são novas e estão começando a crescer e ainda têm uma bainha queratinizada e estão cheias de sangue necessário para o desenvolvimento. É possível enxergar o sangue nos bulbos da pena. Se você cortar uma por acidente, geralmente, o sangue coagula sozinho.

    Entretanto, se você acabar machucando novamente um desses locais, o sangue provavelmente não vai coagular. Se você for inexperiente, é importante ter ao seu alcance um remédio à base de benzocaína para uso animal, ou outro pó anti-hemorrágico, para estancar o sangramento imediatamente.

    As aves têm muito pouco sangue, portanto é importante parar o sangramento logo.

  6. 6

    Apare a outra asa. Repita o procedimento. Cortar um pouco de cada lado é melhor do que cortar muito de uma só asa (e obrigar o pássaro a se inclinar para um dos lados para não conseguir voar).[12]

  1. 1

    Corte de acordo com o peso e a força da ave. Uma asa bem aparada ainda permite que o pássaro exercite a musculatura peitoral, ou a musculatura das asas, e ainda dá a ele algumas habilidades de orientação.

    O pássaro não deve cair como uma pedra quando tentar voar, já que cair e bater o peito no chão pode matar uma ave mais pesada. É sempre melhor cortar um pouco menos do que um pouco mais até que se acostume com a ave.

    Um papagaio mais pesado, como o papagaio-cinzento, deve ter as asas menos aparadas enquanto que as calopsitas, devem ter as asas mais aparadas.[13]

  2. 2

    Verifique as asas do pássaro todo o mês, aparando sempre que for necessário. Também escolha um dia para ser o “dia do corte” e marque-o no calendário todos os meses.

    Este deve ser o dia em que você vai inspecionar as penas do papagaio – elas podem não ter crescido tanto para serem aparadas.

    Se for assim, é preciso agendar uma nova data para a próxima inspeção (uma ou duas semanas adiante) a fim de verificar se as penas dele cresceram o bastante.[14]

  3. 3

    Converse com o veterinário. Não deixe de conferir se você está aparando como deve. O profissional pode dar sugestões caso ele ache que você ainda não possui o domínio para cortar as asas do papagaio.

Leia também:  Como balancear equações químicas: 11 passos (com imagens)

Este artigo foi escrito em parceria com Pippa Elliott, MRCVS. A Dra. Elliott é uma veterinária com mais de 30 anos de experiência. Formou-se na University of Glasgow em 1987 e trabalhou como cirurgiã veterinária por 7 anos. Depois disso, a Dra. Elliott trabalhou como veterinária em uma clínica por mais de uma década.

Categorias: Aves

  • Imprimir
  • Agradecer aos autores

Esta página foi acessada 35 926 vezes.

Como cortar as asas de um papagaio

3 partes:Determinar quando cortada e se é apropriado fazê-loCorte as penas das asasMantenha as asas cortadas

Se você não cortar as penas das asas de seu papagaio, não pode apreciar o que ele ama com segurança, como você joga fora de sua jaula. Se você não cortar as penas das asas, papagaios pode escapar rapidamente através de uma porta ou janela aberta. Para algumas pessoas, pode ser difícil de fazer este-tarefa no entanto, você deve fazer para garantir a segurança de seu papagaio.

parte 1Determinar quando cortada e se é apropriado fazê-lo

1

Pondera se você quer cortar as penas das asas de seu pássaro. Alguns são a favor e outros em não obstante contrário, há fortes argumentos para ambos os lados. Aqueles que são contra indicam que os pássaros devem voar e não deve prejudicar as tendências naturais de um papagaio. Além disso, você não deve cortar as penas das asas de seu pássaro se você pretende exibi-lo.

2

Corte as penas das asas do seu pássaro para a segurança dentro de sua casa. Se as aves não são cortadas as penas das asas, isso pode representar um perigo para si e aos outros e isso pode causar um desastre em casa. Se os pássaros voam livremente em uma casa, eles podem danificar suas penas, atirando objetos e, em particular, para comer as coisas que não devem.

Há muitos itens domésticos que podem representar uma ameaça para papagaios, entre eles estão os banheiros e qualquer acúmulo de água, lâmpadas e fogões que aquecem, ventiladores de teto, laços persianas, janelas e espelhos.

Você pode pensar que é uma má idéia para cortar as penas das asas de seu pássaro, pois isso limita o seu movimento no entanto, isso será melhor e mais seguro para você e seu pássaro.

3

Impede que o seu pássaro para escapar. Papagaios mover-se rapidamente e melhorar a cada porta aberta ou janela para sair. Normalmente, é quase impossível obter o seu pássaro uma vez que deixou casa. Você pode reduzir a chance de escapar se você cortar as penas das asas. Também será muito mais fácil de pegar, se fosse para escapar.

Leia também:  Como calcular a ingestão de sal: 13 passos (com imagens)

4

Trens seu pássaro. Você terá muitas dificuldades para treinar seu papagaio se você não cortar as penas. Vai ser muito menos provável que seu pássaro quer colaborar com você em seu treino, se você tem penas longas e pode voar para longe de você.

5

Não corte as penas de um bebê papagaio asas. Você não deve cortar as penas das asas até que ele é capaz de voar. Se você fizer isso em um estágio muito precoce, isso poderia impedir o crescimento comum de penas.

6

Determina se um veterinário que cuidar de cortar as penas das asas de seu pássaro. Se alguma vez você fez, é recomendável que o veterinário cuidar dela pela primeira vez. Assim, você pode observar a maneira em que ele é feito e determinar se você vai fazer isso em casa.

Video: Como cortar corretamente as penas das asas de seu papagaio

parte 2Corte as penas das asas

1

Prepare-se para cortar as penas das asas. Obter um ajudante, toalha adequada ao tamanho da ave, uma tesoura afiada e um pó adstringente, que pode entrar em lojas de animais. É vital que contar com pó adstringente, se você cortar demasiado e fazer o seu papagaio de sangue. Pergunte ao seu assistente para cortar as penas das asas de seu papagaio, se você não quiser.

2

Use uma toalha. Cubra suas duas mãos com a toalha. Ficar relaxado e olhando diretamente para seu pássaro. Cuidadosamente enrole a toalha, se puder.

Se você não pode fazer, arrójasela para cima e coloque o dedo indicador com firmeza e cuidado em cima de sua cabeça, e seus outros dedos nas laterais do seu menor bico.

Isso não vai morder e pode permitir que o seu ajudante e você pode segurar a toalha com segurança. Cerciórate para segurar as pernas a toalha, para que fazê-lo não pode arranhar você.

3

Identifica penas deve cortar. Tome uma ala da toalha e identifica as principais penas de vôo. Estes são os últimos dez penas das asas, e por mais tempo. Converse com um veterinário antes de cortar suas penas de aves em primeiro lugar, porque cada pássaro poderia exigir cortes penas de forma diferente, dependendo do tamanho do animal.

Video: Corte de Asas – Dicas Veterinárias

4

Use as tesouras para cortar as extremidades das seis ou sete penas exteriores. Certifique-se de deixar alguns centímetros da extremidade cortada da caneta e as penas menores encontradas acima.

Você pode ser tentado para não tocar na caneta ou as duas penas exteriores, para uma boa aparência no entanto, isso não é recomendado porque pode fazer o seu pássaro pode subir o suficiente para voar.

5

Não corte as gargantas ou penas em desenvolvimento. Estes são novos penas estão começando a crescer, e ainda tem uma cobertura de cera e abundante fornecimento de sangue para o desenvolvimento. O sangue deve ser visível no cilindro da caneta. Normalmente, se você cortar um deles por acidente, coágulo de sangue sozinho.

No entanto, é provável que o sangue não coagula se ficar ferido novamente uma destas canetas. Se você não tem experiência, você deve ter na mão Kwik Pare de pó ou outro adstringente, para que você possa parar imediatamente o sangramento. É importante para parar o sangramento rapidamente, porque as aves têm muito pouco sangue.

6

Corte as outras penas das asas. Cortá-los como fez na primeira mão. Cortar menos em ambos os lados, o que será melhor para cortar as penas de uma asa (que fará com que a ave a se inclinar para um lado e não podem voar).

parte 3Mantenha as asas cortadas

1

Penas curta considerando o peso ea força da ave. Se você cortar as penas das asas de seu pássaro corretamente, ela pode exercer o seu peitorais, ou músculos com bater, e pode ficar por um tempo no ar.

Quando seu pássaro tenta voar, isso não deve cair como uma rocha, porque um pássaro pesado poderia morrer se ele cai pectoris. Sempre corte a menor quantidade possível, até ver como seu pássaro se adapta.

A papagaios pesados ​​(como o cinzento Africano) que deve ser cortado menos, mas a maioria das cacatuas que deve ser cortado mais.

2

Verifique as suas penas de aves, uma vez por mês, e cortá-los sempre que necessário. Além disso, escolher um dia para cortar as penas, e por favor deixe-nos saber em cada mês do calendário.

Este deve ser o dia que você reveja suas penas de papagaio como eles podem não ter o comprimento necessário para cortar.

Então você tem que apontar um dia depois (1 ou 2 semanas em diante) para determinar se suas penas de papagaio há muito tempo necessário.

Video: Como cortar asas de papagaio

3

Consulte um veterinário. Verifique se você está cortando as penas no caminho certo. O veterinário irá fornecer recomendações se considerar penas não curtos das asas de seu papagaio na forma mais adequada.

Dicas Para Treinar e Domesticar Papagaios

Ter um papagaio que não fala e não consegue voar livremente sem sumir de casa é o mesmo que ter um peixe que não nada. Se você é apaixonado pelas cores da ave, pode não se importar. Mas a maior parte dos donos quer um papagaio falante e bem comportado e fiel, um dos principais atrativos para ter este animal em casa. Mas como fazer isso? Aprenda a seguir.

Coloque o Animal Na Gaiola Pela Primeira Vez

Se você acaba de levar para casa um novo papagaio, vai precisar levá-lo para a sua nova gaiola. Leve à caixa transportadora até a porta de sua gaiola. Feche todas as portas e janelas e abra a transportadora para a ave migrar para a nova casa.

O mais provável é que o papagaio está muito assustado para ser colocado na gaiola com as mãos, por isso é uma boa dica deixar o pássaro a sair por conta própria. Iscas não vão funcionar, pois um pássaro pode ficar sem comer por vários dias.

Você pode ter a sorte de ter um papagaio amigável que já sabe como ir para a sua nova casa. Se isso não acontecer, o melhor é unir porta com porta mesmo que não terá problemas para relocar o animal.

Coloque a mão na gaiola. Se o papagaio der um passo para você, o pássaro é, provavelmente muito manso e este contato básico será bem mais rápido.

Comece Seu Contato Com a Ave

Um dos passos mais importantes para começar o treinamento é firmar um laço de amizade com o animal. É muito importante não fazer o seu papagaio ter medo de você, por isso é essencial se aproximar da gaiola muito lentamente. Não faça ruídos repentinos e não fale alto ou derrube algo, ou isso vai aterrorizar o pássaro. As primeiras impressões são importantes.

Se você tem um pássaro com medo, comece o contato visual sem tentar tocar o animal. Aos poucos ele vai se sentir mais seguro e deve chegar perto, deixando que você o que ficará mais aberto ao treinamento.

Se você tomar uma abordagem desnecessariamente cauteloso, não há nenhuma maneira que vai prejudicar o seu relacionamento. Você será capaz de acelerar as coisas no futuro. No entanto, se você se apressar isso e assustar o pássaro, ele vai ser muito mais difícil de desfazer o medo que é desenvolvido.

Você deve ter em mãos uma vasilha bem grande com tudo o que o animal gosta para o premiar quando ele for bem. Papagaios gostam de sementes, nozes, frutas secas e frescas. Misture uma variedade desses mimos em uma tigela e sirva com o papagaio na gaiola.

Dê o papagaio alguns dias para familiarizar-se com esses alimentos e possa apreciar o seu mimo para poder prosseguir com o treinamento. Ele deve querer o que você tem a oferecer. É um processo semelhante ao cuidado com os cachorros na domesticação.

Mas nunca sirva seus mimos como parte das refeições diárias. Você deve dar como um brinque, por isso vez ou outra deve ir na gaiola, alisar o animal e enchê-lo com sementes saborosas. Fazendo isso algumas vezes ele vai ver isso como uma premiação, um mimo.

Leia também:  Como ajustar o sincronismo: 12 passos (com imagens)

Como Ensinar Sua Ave a Sair Da Gaiola e Voltar

Tirar o animal da gaiola é importante para a saúde mental do papagaio, e também é importante para você limpar o interior da gaiola por dentro, com mais cuidado. Para isso comece fechando todas as janelas e abrindo a gaiola. Deixe-o fazer isso sozinho, mas tenha certeza que ele pode sair.

Quando ele se acostumar a sair, você pode colocar os mimos de alimentação na gaiola e o animal vai voltar bem rapidamente.

Ensine Seu Papagaio a Falar

Esta é a parte mais simples do treinamento, pois esta ave aprende muito fácil a repetir palavras. Mas para isso você precisa focar em algo e repetir por alguns dias. O poder da ave é de memorizar, e não de ter um vocabulário amplo, por isso ele repete frases e até palavras, mas não textos inteiros.

Dedique alguns minutos por dia para repetir a mesma palavra que você quer que ele diga. Neste processo, não deixe pessoas por perto para ele não se assustar. Você pode começar com palavras soltas, mas foque em uma palavra, como ‘amor’, ‘paixão’ e ‘casa’. A cada repetição, ele deve ganhar um brinde como sementes, algo que não seja sua alimentação do dia a dia. Vai funcionar muito bem.

Com o passar do aprendizado do animal, acrescente frases ou até músicas inteiras. Na internet há uma boa quantidade de animais que cantam refrões e até músicas completas. Só finalize o aprendizado quando ele começar a repetir uma frase completa.

Como Fazer Seu Papagaio Subir No Seu Braço

Os donos de papagaios adoram que os animais cheguem perto, mas para isso é preciso confiança. O primeiro passo é não ser um dono opressor, não gritando e nem fazendo movimentos bruscos ou o animal vai fugir de você com medo de ser abatido.

Seu próximo passo será colocar a mão dentro da gaiola. faça isso algumas vezes e não se movimente. Coloque a mão e deixe o animal ir se aproximando aos poucos. Quando ele se sentir realmente confiante, vai chegar perto.

Uma dica para acelerar o processo de aprendizado é colocar algumas sementes na sua mão para atrair o animal. Coloque no braço e deixe que ele ande até seu braço para buscar o alimento. Se sentir-se confortável com o ato, com ou sem sementes a ave vai chegar perto.

Como Fazer Seu Animal Ficar Fora Da Gaiola Sem Fugir

Não é apenas soltando o animal. Ele deve se sentir confiante e ter uma volta segura para a sua gaiola. Os animais mais jovens são tentados a fugir, por isso comece com esta parte do treinamento apenas quando o bicho estiver seguro mesmo. Feche as janelas e deixe seu animal solto em casa. Quando quiser que ele volte, coloque comida na gaiola.

Depois abra uma janela e observe seu comportamento, sempre ficando perto da janela. Faça cada passo aos poucos, sempre com limites, para poder ter certeza que ele não vai fugir. Instalar telas em casa é uma boa pedida.

Categoria(s) do artigo:

Calopsita – conheça a ave e saiba todos os cuidados necessários – Curiosidades – iG

A calopsita é uma ave que pode ser encontrada em todos os cantos do mundo – não à toa, também é adorada em todo ele. Integrantes do gênero dos psitacídeos, mesmo dos papagaios
, araras, cacatuas, ela é uma das principais escolhas de quem deseja ter uma ave de estimação em casa. 

Reprodução

A calopsita é uma ave do mesmo gênero dos papagaios e araras

Leia mais:  A sua calopsita é arisca? Confira dicas de como amansar a ave

Bastante independentes, a calopsita não gosta de viver em gaiola e prefere ser criada solta. Ela estará constantemente perto do dono, seguindo os passos dele pela casa, por ser um animal muito companheiro. Além disso, é conhecida pela grande capacidade de aprender truques caso seja bem treinada. 

Como criar uma calopsita? Conheça os cuidados básicos

 A criação das calopsitas pode ser feita em gaiolas, mas não é o ideal, por isso ela é mais indicada para quem mora em apartamento (por ser um local mais fechado e como menores riscos de fuga).

Se a intenção for criá-la solta, é importante consultar um veterinário para efetuar o corte das asas.

Essa é a melhor opção, já que a ave é barulhenta e precisa de espaço para que possa cantar, gritar ou assobiar sem muitos problemas. 

Veja também:  Saiba como aparar as asas de uma calopsita corretamente

Entre os principais cuidados básicos, o que mais se destaca é a alimentação, limpeza da gaiola (caso seja não seja criada solta), horários de sono e cuidados específicos com a saúde, que podem variar bastante e precisam de um acompanhamento médico. 

Alimentação

Reprodução

Geralmente a alimentação da calopsita é baseada em um mix de sementes

As calopsitas vivem principalmente de sementes e rações específicas – que podem ser encontradas em pet shops ou lojas especializadas. As sementes não podem ser de apenas um tipo, geralmente são um mix de painço (em torno de 50%) e alpiste, aveia, arroz e girassol (que podem ser divididos nos outros 50%). Verduras, legumes e frutas podem complementar o cardápio. 

Caso você deseje alimentar a ave com legumes ou folhas, é preciso ficar atento. Opções como almeirão, cenoura (ralada), rúcula, couve flor, jiló, couve e abobrinha devem ser dados crus, enquanto batata doce, milho verde e sementinhas de abóbora podem ser dados cozidos, sem nenhum tipo de tempero.

Frutas como mamão, maçã e melancia
 também são boas pedidas para as calopsitas, assim como os ovos – desde que sejam sempre bem cozidos e amassados antes. Já os alimentos que não podem nem se quer serem considerados na alimentação das aves são: alface, alimentos fermentados (como bolos ou pães), agrião, leite e seus derivados.

Reprodução 

A reprodução das calopsitas pode ser realizada a partir do primeiro ano de vida – e em qualquer época do ano. Porém, o mais recomendado é realizar entre 2 a 3 ninhadas anuais, com o objetivo de não levar as aves à exaustão.

 Os ninhos para o acasalamento de calopsitas podem ser tanto verticais como horizontais, apesar de os verticais serem mais comuns (com até 40 cm de altura). Tanto aves fêmeas como machos chocam.

Para facilitar a reprodução, cubra o ninho com aparas ou turfas.

O acasalamento pode gerar entre 4 e 7 ovinhos, e a incubação deles varia entre 15 e 20 dias. Os filhotes devem viver com seus pais, pelo menos, até completarem 60 dias.

Como lidar com uma calopsita?

A ave extremamente ativa, além de superinteligente. Não à toa, exige interação e atenção do dono. Caso ela não receba a atenção que deseja, pode ter algumas atitudes estranhamente agressivas, como é o caso de arrancar suas próprias penas.

As calopsitas são barulhentas, apesar de serem mais calmas e quietas após a domesticação. Mesmo assim, em alguns períodos, elas vão querer cantar, assobiar ou até mesmo gritar. Quando isso acontecer, não as interrompa.

Dicas de nomes para calopsita

  • Nomes de A a F
    : Abel, Amy, Ariel, Atens, Bruce, Bidu, Bombom, Buddy, Brigite, Crush, Capitão, Chico, Cacau,Crhlote, Didi, Dema, Donna, Ênio, Elvis, Eva, Filó, Felícia, Fênis, Fiona, Filomena.
  • Nomes de G a L: Gina, Godoy, Gucci, Gretel, Harry, Horus, Igor, Jade, Juan, Kira, Kitty, Kikita, Lilico, Lola, Leo, Lupita, Laka.
  • Nomes de M a R: Mingau, Mirna, Miolo, Meg, Madon, Muleque, Milk, Morpheu, Nico, Nicolau, Naná, Neco, Neném, Nick, Odin, Oscar, Pipoca, Pingo, Pepeu/Pepita, Pierre, Paçoca, Pucca, Phintia, Querubim, Ronny, Rosinha.
  • Nomes de S a Z: Serena, Sebastian, Sabá, Shakira, Tidy, Tunica, Ted, Thor, Tequila, Violeta, Vitória, Xexéu, Xandu, Winston, Whisly, Willy, Yuba, Yuri.

Principais curiosidades

 Entre as principais características sobre essa ave podemos destacar:

 – Algumas calopsitas podem depender excessivamente de seus donos. Por isso, o mais indicado é que você tenha uma companhia (da mesma espécie) para ela.

– Calopsitas macho, quando sentem necessidade de se relacionarem sexualmente, podem se masturbar. O comportamento é normal e um indicativo que está na hora de cruzá-lo. 

Leia mais:  Conheça 5 curiosidades sobre as calopsitas

– Já a calopsita fêmea pode acabar botando ovos mesmo sem ter tido nenhuma relação ou companhia. Geralmente esses ovos não resultam em filhotes. 

Leia tudo sobre:

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*