Como andar em uma harley davidson: 9 passos (com imagens)

Como Andar em uma Harley Davidson: 9 Passos (com Imagens)
Como Andar em uma Harley Davidson: 9 Passos (com Imagens)
Durante o mês de julho, a Harley-Davidson oferece condições especiais para a compra de alguns modelos, como supervalorização na avaliação, taxas diferenciadas e descontos. A Iron 1200, a mais nova Sportster da marca, é equipada com o motor Evolution de 1.202 cm³ de cilindrada e conta com acabamentos escurecidos e tanque de combustível com arte … Continued O post Harley-Davidson tem condições especiais em julho apareceu primeiro em Motociclismo Online.

A Harley – Davidson , em parceria com a fabricante de materiais de jogos Lego , anuncia nesta semana a criação de uma curiosa miniatura baseada na icônica Fat Boy . A criação reproduz fielmente detalhes do acabamento, superfícies e elementos de design da motocicleta, com destaque para

Harley – Davidson cria miniatura da Fat Boy em parceria com a Lego . Novidade estará disponível nas lojas da Lego em todo o mundo a partir de 1º de agosto. 05 Novembro 2019. 10 Fotos. Harley – Davidson LEGO Fat Boy .

Como Andar em uma Harley Davidson: 9 Passos (com Imagens) Como Andar em uma Harley Davidson: 9 Passos (com Imagens) Como Andar em uma Harley Davidson: 9 Passos (com Imagens) Como Andar em uma Harley Davidson: 9 Passos (com Imagens) Como Andar em uma Harley Davidson: 9 Passos (com Imagens) Como Andar em uma Harley Davidson: 9 Passos (com Imagens) Como Andar em uma Harley Davidson: 9 Passos (com Imagens)

A Harley-Davidson, em parceria com a fabricante de materiais de jogos Lego, anuncia nesta semana a criação de uma curiosa miniatura baseada na icônica Fat Boy.

A criação reproduz fielmente detalhes do acabamento, superfícies e elementos de design da motocicleta, com destaque para rodas sólidas, tanque de combustível “teardrop”, velocímetro integrado e dois tubos de escape, num total de 1.023 peças envolvidas.

 E o mais interessante é que, apesar do tamanho (20 cm de altura, 18 cm de largura e 33 cm de comprimento), há várias partes móveis, incluindo guidão, câmbio, alavancas de freio e até apoio lateral para facilitar o estacionamento.

Moto elétrica da Harley-Davidson tem novos detalhes divulgados

Moto elétrica da Harley-Davidson tem novos detalhes divulgados

Harley – Davidson cria miniatura da Fat Boy em parceria com a Lego . Harley – Davidson reforça pós-vendas com técnicos treinados pelo Senai. Parceria entre a marca e instituição irá reforçar a capacitação de técnicos em concessionárias e Forças Armadas.

© 2020 Harley – Davidson Inc. CATÁLOGOS HARLEY – DAVIDSON ®. Escolha um catálogo e faça o download da versão digital.

No visual, destaque para o acabamento com autêntico esquema de cores vermelho escuro e preto com os logotipos Harley-Davidson em cada lado refletindo o esquema de pintura Wicked Red da Fat Boy 2019.

 Para celebrar o lançamento, a Lego criou um modelo em tamanho natural da motocicleta, completo com peças revestidas em prata, controle de animação Wi-Fi, efeitos de som e luz para imitar uma verdadeira Fat Boy, além de 6.000 elementos especiais.

A criação extraordinária levou 865 horas para ser concluída, é composta por 69.569 peças e estará em exibição em lojas Lego selecionadas e eventos especiais da Harley-Davidson.

Harley-Davidson trabalha com condições especiais em agosto

Até o final de agosto, a Harley-Davidson do Brasil oferece condições especiais para a compra da Iron 1200, modelo da família Sportster da marca norte-americana. Equipada com o motor Evolution de 1.

202 cm³, a motocicleta terá um desconto de R$ 3.000 em seu preço, que ficará em R$ 43.900 para o ano/modelo 19/19.

Quem entrar … Continued O post Harley-Davidson trabalha com condições especiais em agosto apareceu primeiro em Motociclismo Online. Leia Mais

A Harley – Davidson Fat Boy é uma moto que se destaca pela simplicidade sem abrir mão do conforto e performance. Celso miranda mostra modelos harley davidson em manaus Harley – Davidson lança Fat Bob com modelo customizado de fábrica – Продолжительность: 3:14

A Harley – Davidson Fat Boy passou a contar com novo sistema de freio dianteiro, presente em todos as motocicletas da família Softail®, que proporciona uma

Leia também:

  • Harley-Davidson terá moto de baixa cilindrada em parceria com chinesa
  • Harley-Davidson lança moto elétrica Livewire pelo equivalente a R$ 111 mil
  • © Motor1.com/Hersteller Harley-Davidson LEGO Fat Boy

Já a miniatura estará disponível diretamente nas lojas Lego ou no shop.LEGO.

com, exclusivamente para membros Lego VIP, com início de vendas em 17 de julho e disponibilidade pública geral a partir de 1º de agosto.

Fonte: Harley-Davidson/Lego

___________________________________________________

Novidades da Harley-Davidson para 2020: Low Rider S .
A nova Harley-Davidson Low Rider S é uma moto pronta para ser customizada, mas que a força do motor deve ser valorizada. Ela já chega desenvolvida em torno do novo O conteúdo Novidades da Harley-Davidson para 2020: Low Rider S aparece primeiro em Carro e motos.

As mulheres pilotando, elas estão vindo acelerando

Como Andar em uma Harley Davidson: 9 Passos (com Imagens)

  • Será que as mulheres estão pilotando mais motos hoje em dia ?
  • Bem,
    vamos saber disso neste post.
  • Neste
    post você verá alguns pontos:
  • As mulheres estão pilotando mais motos hoje em dia?
  • A trajetória das mulheres pilotando motocicletas em algumas décadas.
  • 1930: primeiros passos das mulheres pilotando motos
  • Década de 1950
  • Década de 1980
  • Quais são as vantagens que andar de moto proporcionam as mulheres?
  • 1.A Moto nunca diz não
  • 2.O amor da moto não conhece fronteiras
  • 3.A motocicleta sabe o valor do dinheiro
  • 4.A moto contribui para a redução do estresse
  • 5.Economia de tempo
  • 6.Consome e polui menos que um carro
  • 7.É bom para o cérebro
  • 8.É divertido
  • 9.Proporciona contato com o meio ambiento
  • 10.Melhora a sua maneira de dirigir
  • 11.Deixa o corpo mais resistente a pequenas doenças

As mulheres estão pilotando mais motos hoje em dia?

Como Andar em uma Harley Davidson: 9 Passos (com Imagens)

Há pouca
conversa sobre mulheres em motos e a história do motociclismo feminino, muito
menos, mas essa paixão no mundo feminino é cada vez mais forte e desenfreada.

Certamente há algum tempo dizer “Mulheres e motores, alegrias e tristezas”, mas e se falássemos sobre “Mulheres e motores, alegrias e paixões”?Com toda certeza acabou por ser bem comum, as mulheres não serem consideradas capazes de praticar determinados esportes ou atividades, provavelmente o patrimônio cultural ainda retrógrado leva a maioria, não apenas dos homens, mas das pessoas, em geral, a pensar que, para mulheres, motocicletas e motores, mundos “difíceis” e masculinos.Mas a história de mulheres que enfrentaram desafios masculinos não é recente e curta, pelo contrário, exigiria um grande estudo.

O mundo das mulheres pilotando motos está passando por uma fase positiva. Assim, basta olhar em volta para ver mais e mais meninas e senhoras indo para a academia, para trabalhar ou acompanhar crianças em duas rodas.

  1. De fato para nos dar suporte científico, veio uma pesquisa do Motorcycle Industry Council, publicada pela revista Forbes.
  2. De acordo com a pesquisa, realizada nos EUA, uma em cada cinco mulheres possui uma motocicleta, com uma massa crítica igual a 19% de todos os motociclistas americanos.
  3. Posto que ao conduzir uma entrevista com algumas dessas motociclistas, emergiu que 37% dos entrevistados estão mais felizes e mais confiantes pilotando uma motocicleta, enquanto 74% admitiram que suas vidas tiveram uma certa melhora desde que começaram a pilotar as motos.
  4. Afinal, 60% dos motociclistas apresentaram melhora em suas condições psicofísicas e até 50% melhoraram o relacionamento com o parceiro.
  5. Confira a seguir uma breve visão da trajetória das mulheres pilotando motos

A trajetória das mulheres pilotando motos em algumas décadas

1930: primeiros passos das mulheres pilotando motos

Como Andar em uma Harley Davidson: 9 Passos (com Imagens)Sally Halterman

Primeiramente estamos nos anos 1930, quando Sally Halterman, que pesava apenas 40 kg, conseguiu andar de moto da época, nada leve em comparação com as atuais, mas a paixão era tão forte que ela a empurrou para além das “opiniões”, além das preconceitos. Ela tinha apenas 27 anos e 1,50 cm de altura.No entanto a Sally Halterman, aparentemente não estava entre as fisionomias mais adequadas para poder andar de moto.

Leia também:  Como alterar as informações de pagamento do netflix

Mas obteve a certificação no menor tempo possível e foi a única mulher que obteve a participação no DC Motorcycle Club( moto clube de Washington) e conseguiu habilitação legalmente em Washington (estado dos Estados Unidos)

Ainda na década 1930, exatamente em 1928, quando duas irmãs britânicas, Nancy e Betty Debenham, apaixonadas por motocicletas, escreveram o livro “Motociclismo para mulheres”.

Assim, esse período foi bem lucrativo para as mulheres pilotando motos, não é? Logo, as décadas de 1920 e 1930 foram marcadas pela expansão das motocicletas, uma época crucial para a história da emancipação das mulheres.

Década de 1950: mulheres dando grandes saltos no universos das corridas de motos

Como Andar em uma Harley Davidson: 9 Passos (com Imagens)Berly Swain

A Beryl Swain, esposa do negociante de motos Edwin Swain, apaixonou-se por motocicletas e ficou famosa por ter embarcado no solo da TT da ilha de Man (corrida de motocicleta realizada a cada ano nas ruas da pequena Ilha de Man, região entre a Irlanda e Grã-Bretanha).

1980: quando mulheres pilotando motos correm grandes quilômetros

Como Andar em uma Harley Davidson: 9 Passos (com Imagens)Elspeth Beard

Certamente a Elspeth Beard era outra mulher que, motivada pela paixão pelo motociclismo, queria dar a volta ao mundo em uma moto solo e na década de 1980.

Assim, ela partiu para a Escócia e Irlanda, pilotando uma moto BMW R60/6, depois viajou para o a Europa continental e a Córsega, com apenas 24 anos, assim, cobrindo mais de 77 mil quilômetros.Este é apenas um gostinho da longa história do mundo do motociclismo feminino.

Uma vez que não sem problemas técnicos, morais, meteorológicos e físicos, essas mulheres excederam seus limites, mas acima de tudo a barreira do preconceito social, às vezes a mais difícil de escalar.

Sendo assim, confira a seguir as vantagens que andar de moto proporcionam as mulheres.

Quais são as vantagens que andar de moto proporcionam as mulheres?

1.A Moto nunca diz não

Tente pedir algo à sua moto, algo louco que não reflete nem um dos padrões de design para os quais foi construída. Por exemplo, com uma 125 cc possível viajar pelo mundo

Bem, a certo custo você conseguiria. Ora, obviamente, isso não é sempre uma coisa boa, porque todas as motos devem fazer o que foram construídas.

No entanto, o fato de que tecnicamente elas poderiam fazer isso é uma porta aberta que torna o relacionamento sempre brilhante.

2.O amor da moto não conhece fronteiras

  • A moto é
    capaz de tornar real a lenda segundo a qual o amor, o verdadeiro, não tem
    olhos.
  • De fato, uma motocicleta de desempenho extremamente alto pode ser combinada com um motociclista iniciante (embora isso, reiteremos fortemente, nunca seja uma coisa boa).
  • Assim como a moto mais bonita do planeta pode aceitar um motociclista feio como motociclista, porque ela se preocupa com sua aparência externa (e o capacete, nesse sentido, ajuda).

3.A motocicleta sabe o valor do dinheiro

  1. Certamente uma motocicleta nunca esperará presentes ou acessórios de sua parte para gratificá-la, porque simplesmente não precisa disso.

  2. De fato, ela
    foi construída de acordo com especificações de design específicas,
    que, por
    serem “padrão”, já a tornam perfeita quando sai da fábrica.

  3. E se você
    decidir, por vontade própria, dar-lhe algo, ela o usará sem histórias e, acima
    de tudo, nunca recusará seu presente.

4.A moto contribui para a redução do estresse

Aparentemente,
foi demonstrado: andar de moto reduz o estresse e é bom para a saúde mental.

É isso que emerge de um estudo do Instituto Semel de Neurociência e Comportamento Humano da Universidade da Califórnia em Los Angeles.

O estudo foi financiado pela Harley-Davidson e envolveu três pesquisadores dedicados a registrar os níveis hormonais e monitorar a atividade cerebral de mais de 50 motociclistas antes, durante e depois de uma sessão de pilotagem de moto.

Os resultados dos testes destacaram uma série de benefícios físicos e mentais derivados da condução, em particular uma redução no nível de cortisol, o hormônio do estresse.

Um passeio de moto de vinte minutos, novamente de acordo com uma pesquisa da Universidade da Califórnia, é capaz de reduzir biomarcadores de estresse em 28%, aumentar a frequência cardíaca em 11% e aumentar os níveis de adrenalina em 27%.

Segundo os pesquisadores, os valores são muito semelhantes aos encontrados após exercícios leves.

Mas não apenas isso, o estudo mostrou uma mudança na atividade cerebral dos motociclistas caracterizada por um aumento na prontidão semelhante à resultante de uma xícara de café, obviamente estamos falando sobre café americano, juntamente com um aumento na concentração sensorial que traduz em maior atenção.

5.Economia de tempo

A moto é uma das coisas mais apreciadas por quem, por trabalho e outras razões, deve mergulhar diariamente no trânsito.

Já que você não está sujeito a filas e longas e exaustivas buscas por estacionamento, portanto, os tempos de viagem são drasticamente reduzidos e também é possível percorrer grandes distâncias em pouco tempo. Os dias, portanto, tornam-se mais produtivos.

6.Consome e polui menos que um carro

A moto proporcionar menos tempo na estrada é igual a menos tempo com o motor ligado. Assim, tudo isso se traduz em menor consumo de combustível, além de menores emissões atmosféricas e desgaste dos componentes.

7.É bom para o cérebro

O andar de
moto melhora as funções cognitivas,
não sou eu, mas um estudo realizado pela Universidade de
Tóquio.

Analisando
uma amostra de motociclistas com idades entre 40 e 50 anos, verificou-se que a
maior concentração necessária para andar de moto tem excelentes implicações
para o cérebro. Assim, o nível de concentração necessário e é mais sensível
a estímulos externos.

Os reflexos
e a capacidade de manter o equilíbrio em determinadas situações também
melhoram.

 8.É divertido

A moto é um veículo extremamente divertido e até mesmo dirigir um modelo comum que é “silencioso” pode se transformar em uma experiência inesquecível.

9.Proporciona contato com o meio ambiente

Saiba que
mulheres pilotando motos vão conseguir viajar imerso no meio ambiente. Não
há obstáculos para o que nos rodeia,
exceto roupas técnicas, mas nada a ver
com o interior claustrofóbico de um carro.

A experiência de dirigir a moto é, portanto, mais envolvente.

10.Melhore a sua maneira de dirigir

Fique
sabendo está pilotando motos, você estará menos visível e, portanto, mais
exposto a acidentes.

Seu instinto de conservação o levará a ser mais cauteloso e a evitar qualquer possível situação perigosa, como as manobras arriscadas que muitos motoristas descuidados infelizmente fazem todos os dias.

11.Deixa o corpo mais resistente a pequenas doenças

Estar
sempre em locais fechados e aquecidos, protegidos do frio, é certamente
agradável, mas também é verdade que, a longo prazo, esse tipo de conduta
enfraquece o corpo.

Leia também:  Como bater em um bola de golfe (com imagens)

O uso frequente de um veículo de duas rodas, mesmo no inverno ou verão, tornará você mais resistente a ataques de ar e vírus da gripe.

E aí, achou interessante este post? Compartilhe sua experiência nos comentários!

Você tambem faz parte do mundo feminino e o amor por motos, mande sua história e fotos para [email protected] Contaremos a sua história aqui na Best Riders

MotoGP – Equipa Mission Winnow Ducati apresentada em Bolonha

Como Andar em uma Harley Davidson: 9 Passos (com Imagens)

A equipa de fábrica da Ducati revelou num evento bem próximo
da sua sede em Borgo Panigale as novas decorações da Desmosedici GP20. Andrea
Dovizioso e Danilo Petrucci serão os pilotos aos comandos do protótipo Ducati,
e já traçaram os objetivos.

andardemoto.pt @ 23-1-2020 22:45:33

Conforme
prometido, a Ducati não perdeu mais tempo e desvendou as novas cores da sua
Desmosedici GP20, o protótipo com que a Mission Winnow Ducati irá competir na
temporada 2020 de MotoGP.

Num evento que decorreu no Palazzo Re Enzo na Piazza Maggiore de Bolonha,
bem perto da fábrica da marca italiana em Borgo Panigale, a Mission Winnow
Ducati deu aos Ducatistas a primeira visão do que é a moto.

Com o CEO da marca,
Claudio Domenicali, a ficar com as honras maiores de apresentar a equipa, ao
palco subiram ainda o diretor geral da Ducati Corse, Luigi Dall’Igna, e também
os pilotos Andrea Dovizioso e Danilo Petrucci.

A nova Ducati Desmosedici GP20 é a arma que a casa italiana desenvolveu para
bater Marc Marquez e a Repsol Honda. A moto irá fazer a sua estreia em pista
durantes os primeiros testes de pré-temporada de MotoGP, de 7 a 9 de fevereiro
em Sepang, Malásia, e depois a primeira corrida acontece no GP do Qatar a 8 de
março.

Clique aqui para ficar a conhecer as especificações
completas da Ducati Desmosedici GP20 e desfrute de uma mega-galeria de fotos.

Claudio Domenicali, CEO da Ducati

“A
competição é e sempre foi uma parte fundamental da nossa empresa, mesmo numa
era tão particular onde a tecnologia está a alterar o que nos rodeia. De forma
a termos sucesso nesta situação, é necessário continuar a investir na pesquisa
e desenvolvimento, e a competição é uma parte crucial neste compromisso. Se
somarmos o R&D da nossa linha de produção, da competição e todas as valias
necessárias à produção de novas motos, o Ducati R&D vale mais do que 10%
dos nossos lucros. Estamos incrivelmente orgulhosos, não apenas porque a Ducati
é a única empresa italiana, mas também a única europeia a conseguir vencer
corridas em MotoGP desde o início desta categoria em 2002. Quero agradecer a
todos os nossos parceiros e patrocinadores e desejar o melhor ao Andrea, Danilo
e ao Gigi e a toda a equipa. Desejo para todos nós uma temporada altamente
competitiva e cheia de satisfação”.

Luigi Dall’Igna, diretor geral da Ducati Corse

“Já
deixámos a temporada 2019 para trás, um ano que nos confirmou como
vice-campeões pelo terceiro ano consecutivo com o Andrea. Dovizioso conseguiu
nove pódios e duas vitórias incríveis. Ao mesmo tempo o Danilo deu-nos emoções
fantásticas com a vitória em Mugello, que é um GP que vencemos nos últimos três
anos. Mesmo assim, não podemos dizer que estamos totalmente satisfeitos pois o
nosso objetivo é o mesmo: conquistar o título. 2020 será ainda mais intenso e
exigente com 20 corridas, e os nossos rivais vão estar mais competitivos. Por
esta razão, temos estado a trabalhar arduamente durante o inverno para
disponibilizar ao Andrea e ao Danilo uma moto Desmosedici GP20 que lhes permita
serem os principais candidatos em todas as corridas e e sob todas as
condições”.

Andrea Dovizioso #04

“2019
foi interessante e permitiu perceber alguns aspetos que nos vão ajudar a
crescer e melhorar em 2020. No ano passado voltámos a terminar em segundo pelo
terceiro ano consecutivo atrás do Marc Marquez, um piloto que fez a diferença.
Todos os anos têm a sua história, e não será fácil prever o que vai acontecer
em 2020. O nosso objetivo é claro: queremos lutar pelo título outra vez. Tanto
a Ducati como eu estamos a trabalhar arduamente para voltarmos mais fortes do
que nunca. Comparando com o ano passado, espero encontrar mais rivais
competitivos, mas também crescemos muito, e estou confiante que vamos poder
manter o nosso trajeto positivo”.

Danilo Petrucci #9

“2019
foi positivo para mim apesar de algumas dificuldades na parte final do ano. Foi
a minha melhor temporada em MotoGP em termos de resultados. Consegui a minha
primeira vitória em Mugello na frente do meu público e dos fãs da Ducati. Este
resultado aumenta a minha confiança e motiva-me para ser ainda melhor este ano.
Sei que os nossos rivais vão regressar mais fortes este ano, mas isso também é
válido para mim. Tenho estado a crescer todos os anos, e este ano quero
confirmar os meus resultados e dar mais passos em frente em comparação com o
ano passado”.

andardemoto.pt @ 23-1-2020 22:45:33

Como Andar em uma Harley Davidson: 9 Passos (com Imagens) Foto 1 de 48 Como Andar em uma Harley Davidson: 9 Passos (com Imagens) Foto 2 de 48 Foto 3 de 48 Foto 4 de 48 Foto 5 de 48 Foto 6 de 48 Foto 7 de 48 Foto 8 de 48 Foto 9 de 48 Foto 10 de 48 Foto 11 de 48 Foto 12 de 48 Foto 13 de 48 Foto 14 de 48 Foto 15 de 48 Foto 16 de 48 Foto 17 de 48 Foto 18 de 48 Foto 19 de 48 Foto 20 de 48 Foto 21 de 48 Foto 22 de 48 Foto 23 de 48 Foto 24 de 48 Foto 25 de 48 Foto 26 de 48 Foto 27 de 48 Foto 28 de 48 Foto 29 de 48 Foto 30 de 48 Foto 31 de 48 Foto 32 de 48 Foto 33 de 48 Foto 34 de 48 Foto 35 de 48 Foto 36 de 48 Foto 37 de 48 Foto 38 de 48 Foto 39 de 48 Foto 40 de 48 Foto 41 de 48 Foto 42 de 48 Foto 43 de 48 Foto 44 de 48 Foto 45 de 48 Foto 46 de 48 Foto 47 de 48 Foto 48 de 48

Clique aqui para ver mais sobre: Esportes

Harley-Davidson cresce no Brasil

A Harley-Davidson tem apelo extra e muito poderoso aos motociclistas: é aquilo que os publicitários chamam de story telling. Quem tem uma Harley tem sempre um monte de histórias para contar sobre a marca e o modelo – isso, acredite, é um belo valor agregado.

Segundo a prestigiosa consultoria Interbrand, responsável pela pesquisa que aponta as marcas globais mais valiosas do mundo, a Harley-Davidson é a 100a marca mundial em valor (a Ferrari é a 99a) e a primeira entre empresas dedicadas exclusivamente à produção de motocicletas.

A imagem de prestígio foi construída depois da vitória aliada na Segunda Guerra Mundial – o primeiro veículo a entrar na Alemanha derrotada foi uma motocicleta da marca.

A Harley é intrinsecamente ligada à poderosa cultura pop americana desde então, compondo parte de todos os fenômenos sociais que marcaram o século passado nos Estados Unidos, dos movimentos hippie e pacifista à rebeldia lisérgica, ao rock and roll e à onda on the road.

A empresa soube administrar magistralmente essa presença para construir signos ligados ao imaginário norte-americano, resgatando a figura do herói empoeirado conquistador do Oeste, do lobo solitário pouco afeito a convenções sociais etc.

Leia também:  Como aliviar a síndrome do pescoço tecnológico com alongamentos

É complexo o mecanismo que leva uma marca a despertar e alimentar as fantasias e o imaginário coletivo de um povo, mas não há dúvida de que a Harley-Davidson consegue isso nos Estados Unidos – e, por tabela, também no Brasil. Segundo João Carlos Taddeo, executivo que chefiou os Harley Owners Groups no Brasil por cerca de dez anos, essa mística não se explica por palavras: “É algo que se sente…”

Continua após a publicidade

Também já começa a chegar ao país a figura – típica das estradas norte- americanas – do pacato pai de família que se transfigura em um estereótipo de motociclista selvagem aos fins de semana, com franjas de espesso couro preto, botas e lenço no pescoço.

“Minha paixão por Harley-Davidson tem muito a ver com a admiração por motos do estilo chopper, que sempre me atraíram pela relação notável entre conforto e visual nas pessoas que eu via pilotando Harleys pela cidade.

Aquela coisa de fins de semana de sol, o sujeito sair para curtir a cidade ou um passeio pelas estradas, de jeans e camiseta, usando capacete aberto, óculos de sol, totalmente casual e bem diferente dos caras que se vestem de piloto, com macacão e tudo, para andar com motos de corrida pela cidade”, afirma o professor de educação física Rodrigo Silva, treinador de tênis, que ainda não é motociclista, mas já é apaixonado pela marca.

José Maurício Oliveira, empresário de São Paulo, tem uma Fat Boy inteira preto fosco. Antes dela, Oliveira não chegou a consolidar uma vasta experiência como motociclista.

Sua primeira moto, de pequena cilindrada, rodava apenas em esparsos e raros fins de semana. “Além do prazer de andar de moto, a marca incentiva um lado social muito forte. Os passeios em casais são frequentes.

E, nesse clima, a Darlene [esposa de Oliveira] participa sem se sentir deslocada”, conta o empresário.

A força dos meios de comunicação também ajuda. “O modelo Fat Boy Special preto foi escolhido por toda a família, e confesso que o filme O Exterminador do Futuro teve seu apelo”, diz Oliveira. “Também não dá para negar que o seriado American Chopper, com suas Harley incríveis, potencializou minha paixão pela marca”, afirma por sua vez Rodrigo Silva.

Continua após a publicidade

“Não sei descrever direito o que sinto quando estou em cima da moto. O ronco é fenomenal. O vento no rosto, a sensação de liberdade, é tudo indescritível! A sensação de virilidade aumenta em cima de uma H-D, sinto-me mais ‘macho’.

” É com essa sinceridade objetiva que Marcos Calmon de Passos, empresário de Belo Horizonte, explica os motivos que o levam a preferir a marca. Ele tem uma Road King Classic desde 2007, que utilizou em seu próprio casamento como veículo para levar e trazer os noivos da cerimônia.

O casamento não resistiu, mas ele segue fiel ao modelo.

Assim, é natural que parte importante do faturamento da empresa venha de produtos de uso pessoal com a marca da barra alada, que superam em muito os tradicionais equipamentos de proteção pessoal do motociclista e chegam a roupas, bolsas e acessórios femininos e masculinos, exatamente como uma grife de moda, inclusive com coleções renovadas pelos estilistas dedicados a cada nova estação.

A Harley-Davidson não oferece apenas motos custom, embora sua imagem no Brasil esteja indelevelmente ligada ao estilo – nos Estados Unidos ainda há dezenas de modalidades esportivas praticadas com modelos Harley, principalmente as do gênero flat track, de pistas planas e ovais de asfalto, terra, grama e gelo.

Mesmo no Brasil, há uma versão flat track à venda: é a XL 1200X, que não tem nada de custom, mas sim uma pegada radical, permitindo tocadas bem esportivas. Também as grandes cruiser da marca não são custom, mas touring, estradeiras de longo curso, caso das Ultra testadas nesta edição. As Sportster também têm vocação urbana.

Continua após a publicidade

A gama de produtos oferece um cardápio mais que variado.

Baseia-se em motores V2 de diferentes cilindradas, de 900 a 1800 cc, e cinco diferentes arquiteturas de chassi (Sportster, Dyna, Softail, V-Rod e Touring), cada uma com uma proposta diferente e preços que vão de 29 000 reais (a 883R Sportster) a mais de 100 000 reais (a CVO). Isso permite que o apaixonado pela Harley-Davidson escale possibilidades dentro da própria marca.

As vendas da marca norte-americana não param de crescer por aqui. Já somos o oitavo mercado da Harley-Davidson em todo o mundo, com uma frota de modelos da marca de cerca de 30000 unidades.

Até maio deste ano, segundo os números de vendas no atacado (da fábrica para sua rede de revendas) da Abraciclo, entidade que reúne as montadoras instaladas no Brasil (exceto a Suzuki), foram faturadas 2694 motos. O número representa um avanço impressionante sobre 2011. São exatos 56%.

No ano passado, até o mês de maio, haviam sido comercializadas apenas 1 132 unidades da marca. Naquele ano não houve motos entregues em fevereiro, por razões internas da gestão da empresa.

Mas, mesmo diante dos números de 2010, o crescimento é notável, de 47,2% – sempre considerados os números proporcionais até maio.

Crescimento acelerado

Continua após a publicidade

Em relação ao mercado total, a marca ocupou magros 0,2% em 2010 (emplacou 3 357 motos) e 2011 (5 011 unidades). No entanto, deve mais que dobrar essa participação este ano, ocupando mais de 0,5%, se mantiver o bom ritmo de vendas do primeiro semestre. Considerando exclusivamente as motos de 600 cc, a Harley-Davidson detém 6,8% do mercado (em 2011), ocupando o sexto lugar em emplacamentos.

Para 2012 a empresa espera ter mais de 12% desse segmento, consolidando-se em quarto lugar. Para isso, promete abrir mais sete concessionárias até o fim do ano, atingindo 18 revendas – o projeto anunciado é chegar a 50 lojas da marca até 2015.

Era uma vez

Continua após a publicidade

Demorou, mas a H-D se acertou

A Harley-Davidson parece trilhar um caminho suave no Brasil depois de décadas de idas e vindas. A coisa começou com importações esporádicas que culminaram em uma montagem de modelos da marca em Manaus em meados dos anos 70, após a proibição das importações para o Brasil.

A fugaz Motovi (Motocicletas e Veículos Industriais) montou na então Zona Franca as 125 cc de dois tempos da Aermacchi, italiana, e as FL Shovelhead 1 200 cc, para uso militar. Com a abertura das importações, em 1990, a H-D trocou representantes, como a Motorauto, de Belo Horizonte, e o Grupo Izzo, de São Paulo.

No fim de 2010, a empresa assumiu o controle da marca no Brasil.

  • H-D
  • harley-davidson
  • motos
  • qr moto
  • quatro rodas moto

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*