Como aliviar a dor de pedras nos rins: 10 passos

A crise renal é um episódio de dor intensa e aguda na região lateral das costas ou bexiga, causada pela presença de pedras nos rins, já que elas provocam inflamação e obstrução do fluxo de urina nas vias urinárias. 

Saber o que fazer durante uma crise renal é importante para conseguir aliviar a dor mais rapidamente, por isso algumas medidas recomendadas são utilizar remédios como anti-inflamatórios, analgésicos e anti-espasmódicos, por exemplo, além de ir ao pronto-socorro, em caso de dor intensa que não melhora com medicações em casa, ou ir ao urologista para que sejam feitas as avaliações clínicas e realização de exames que demonstrem a presença do cálculo e da função dos rins. Para identificar rapidamente uma crise renal, confira sintomas de pedras nos rins.

  • Além disso, podem ser feitas algumas medidas caseiras, como aumentar o consumo de água para ajudar a eliminação das pedras, além de fazer uma compressa quente para aliviar o desconforto. 
  • Assim, as principais formas de aliviar e tratar o cálculo renal incluem:
  • Como Aliviar a Dor de Pedras Nos Rins: 10 Passos
  • Para aliviar a dor intensa da crise renal, é importante o uso de medicamentos que podem ser por via oral, em comprimidos, ou injetáveis, que algumas vezes podem ser mais eficazes e causar um alívio mais rápido:
  • Anti-inflamatórios, como Diclofenaco, Cetoprofeno ou Ibuprofeno: costumam ser a primeira opção, já que além de aliviarem a dor, podem diminuir o processo inflamatório que causa inchaço e piora a crise;
  • Analgésicos, como Dipirona, Paracetamol, Codeína, Tramadol e Morfina: são importantes para diminuir a dor, que precisa ser mais potente a medida que a dor fica mais intensa;
  • Anti-espasmódicos, como Hioscina ou escopolamina ,conhecida como Buscopan: ajuda a diminuir os espasmos nos rins, bexiga e vias urinárias, que acontecem porque a pedra pode ocluir o fluxo de urina, e isso é uma importante causa da dor;

Outros tipos de remédios também podem ser indicados pelo médico, como antieméticos, como Bromoprida, Metoclopramida ou Dramin, por exemplo, para aliviar náuseas e vômitos.

Além disso, após a crise, o médico também pode indicar o uso de remédios para ajudar a eliminar o cálculo mais facilmente e evitar novas crises, como diuréticos, citrato de potássio ou Alopurinol, por exemplo. 

2. Beber muito líquido

É recomendado que o paciente com pedra nos rins deve beber entre 2 e 3 litros de líquidos por dia, distribuídos em pequenas tomadas ao longo do dia. A hidratação é essencial tanto durante o tratamento da crise, como após, para facilitar a eliminação da pedra, pois estimula a formação de urina e o funcionamento dos rins, além de evitar o surgimento de novas pedras no futuro.

Como Aliviar a Dor de Pedras Nos Rins: 10 Passos

Na dieta para quem tem crise renal é desaconselhado o consumo de alimentos ricos em oxalatos, como espinafre, cacau, chocolate, beterraba, amendoim, nozes, mariscos e frutos do mar, refrigerantes, café e alguns chás, como o chá preto, mate ou verde.

Também é recomendado evitar excesso de vitamina C, muita proteína, não consumindo mais de 100g por dia, além de ser importante eliminar o sal da dieta. Confira como deve ser a dieta para quem tem cálculo renal. 

4. Remédios caseiros

Um ótimo remédio caseiro para crise renal é tomar um chá de quebra-pedra, pois o chá impede a agregação de novos cristais, evitando a formação de pedras grandes. Mas, não deve ser tomado por mais de 20 dias consecutivos.

Durante a crise, pode ser feita uma compressa com bolsa de água quente na região dolorida, o que ajuda a dilatar os canais urinários para a passagem do cálculo.

Relaxar e descansar é fundamental neste período. É normal que, ao sair a pedra, haja dores na região dos rins, no fundo das costas e dor ao urinar, e algum sangue também pode estar presente.

Outras dicas para aliviar a crise renal

É importante deve procurar auxílio médico sempre que a dor for muito intensa e debilitante. Isso pode indicar a saída de uma pedra muito grande e talvez seja necessária a realização de uma cirurgia para a sua remoção.

O tratamento com uma boa alimentação e hidratação deve ser feita por toda a vida. É fundamental manter esses cuidados, porque os que já sofreram com pedras nos rins têm 40% de chances de passar por um novo episódio em 5 anos.

Confira o que fazer para não ter outra crise de pedra nos rins.

Dor No Rin Sintomas De 糖尿病

  • Câncer de rim: sintomas, tratamentos e causas | Minha Vida
  • O que pode ser e como aliviar a dor nos rins – Tua Saúde
  • Dor nos rins: o que pode ser e o que fazer? – Médico Responde
  • COMO DIFERENCIAR PEDRA NO RIM DE DOR NAS.
  • Como Aliviar Dor nos Rins: 10 Passos (com Imagens)
  • Câncer de rim: sintomas, tratamentos e causas | Minha Vida

    O rim também pode ser alvo metástases de outros tipos de câncer que se originam em órgãos à distância, como a mama, pele, bexiga e os próprios ductos que transportam a urina até a bexiga, por exemplo. No mundo inteiro.

    Em casos não obstrutivos a dilatação pode estar associada infecção urinária pelo acumulo de urina no sistema. É o caso de crianças com refluxo vesico-ureteral.

    Nestes casos a febre e sintomas gerais como dor no corpo e falta

    Como aliviar a dor nos rins? – Médico Responde

    Se a dor nos rins, for originada por uma obstrução da via urinária devido a cálculo grande ou se houver sinais de gravidade, como febre, alterações no exame de sangue, deverá ser indicado internação para tratamento de urgência. 18/10/2017 Autor: Dr. Pedro Lemos Dor nas Costas e Infecção nos Rins Um fator chave é determinar se a menor dor nas costas é acompanhada por outros sintomas de infecção nos rins. Uma mínima dor nas costas pode ser debilitante..

    Dor nos rins direito – Que seus sintomas significa? | Saúde e

    Dor nos rins esquerdo ou direito é muitas vezes acompanhada por vários outros sintomas que podem ser bastante confuso. Alguém poderia pensar que um músculo distendido nas costas está causando dor no flanco. Desloque-se para saber sobre as causas de dor nos rins e sintomas que acompanham a dor.

    O tratamento caseiro para a dor nos rins apresenta excelentes resultados, ajudando na limpeza do órgão, no alívio de infecções e até mesmo na eliminação de pedras caracterizadas por causar intensas cólicas. Quer saber as várias Doenças nos rins | Acompanhe este texto e conheça as 6 doenças renais mais frequentes.

    Descubra também quais são os principais sintomas de cada uma. O nosso corpo possui duas estruturas pequenas que trabalham com.

    Como Aliviar a Dor de Pedras Nos Rins: 10 Passos

    Dores no Rim – Como Identificar, Sintomas, Remédio e Mais

    As Dores no Rim é uma queixa muito comum entre as pessoas no mundo inteiro.

    Saiba que ela pode indicar diferentes problemas de saúde, e é necessário estar atento aos sintomas que o seu corpo apresenta para tentar identificar Pedras nos Rins ou nos Ureteres – Os cálculos são formações endurecidas nos rins ou nas vias urinárias, resultantes do acúmulo de cristais existentes em urina que se tornou muito concentrada. Eles podem não produzir sintomas.

    Sintomas que podem indicar problemas nos rins

    Os rins desempenham um papel muito importante no organismo, pois são responsáveis pela eliminação do excesso de líquidos e por manter e controlar os níveis de sódio e potássio.

    Porém, quando eles não estão funcionando corretamente, a saúde fica em risco, pois os sintomas de uma doença renal acabam sendo confundidos com os de outras doenças . Os rins são os órgãos que estão localizados na parte posterior do abdômen, paralelos à coluna vertebral.

    Seu bom funcionamento desempenha um papel muito importante na saúde dos seres humanos. Isso porque são os responsáveis por manter sob controle os níveis de eletrólitos, a pressão arterial e os líquidos, entre outros.

    O que pode ser e como aliviar a dor nos rins – Tua Saúde

    4. Câncer A dor causada pelo câncer de rim normalmente só aparece em estágios avançados da doença, e é caracterizada por dor na região lateral da barriga e nas costas, e sangue na urina.

    Como tratar: O tratamento é feito com um médico oncologista e depende do estágio do tumor, podendo incluir cirurgia, crioterapia, radiofrequência e uso de medicamentos para aliviar os sintomas.

    Naturalmente, quando uma dor surge no corpo, é difícil saber qual é a causa exata e não seria diferente no caso da dor nos rins, já que essa dor pode ser um indício de diversos problemas de saúde, estejam eles relacionados com.

    Entre os sintomas mais freqüentes estão as dores na região lombar e os sinais de sangue na urina chegando a acontecer em pelo menos 50% dos pacientes afetados. Os rins policísticos também podem causar: Calculo Renal (pedra nos rins) com muitas dores, onde acontece a cristalização de sais presente na urina.(Leia CALCULO RENAL PEDRA NOS RINS)

    Os 5 Primeiros Sintomas do Câncer de Rim | Dicas de Saúde

    2. Dor na Região Lombar: A dor na região lombar também é um dos principais Primeiros Sintomas do Câncer de Rim.A maioria das pessoas não experimentam a dor até que o câncer esteja em fases posteriores.

    A dor de câncer do rim é sentida de um lado do flanco, a zona superior da bacia, e abaixo das nervuras no abdômen. Sintomas dos rins #6 – Cansaço O cansaço na insuficiência renal pode ter várias causas. A mais comum é a presença da anemia, explicada acima.

    Porém, o acúmulo de toxinas no organismo, assim como o aumento da acidez

    Sintomas de pedras nos rins – Tua Saúde

    Os sintomas de pedra nos rins surgem de forma repentina quando a pedra é muito grande e fica presa no rim, quando ela começa a descer pelo ureter, que é um canal muito apertado até a bexiga, ou quando favorece o surgimento.

    32 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente Alguns possíveis sinais e sintomas de câncer de rim incluem: Sangue na urina. Dor lombar de um lado.

    Massa (caroço) na lateral ou na parte inferior das costas. Fadiga. Perda de apetite. Perda de peso. Febre. Anemia. Estes.

    Dor nos rins: o que pode ser e o que fazer? – Médico Responde

    Dor nos rins pode ser sintoma de pedra nos rins (cálculo renal) ou nas vias urinárias. As pedras obstruem a passagem da urina pelo rim, fazendo o órgão dilatar, o que provoca dor.

    Leia também:  Como apreciar o black metal: 12 passos (com imagens)

    Nesses casos, a pessoa sente uma dor intensa no lado direito ou esquerdo da coluna lombar, que geralmente irradia para o abdômen e para a virilha.

    Dor abdominal no lado esquerdo quando corremos ou caminhamos rápido O surgimento de uma dor forte e debilitante que fica do lado esquerdo do abdômen logo abaixo da caixa torácica é comum entre os corredores. Causas Essa

    DOR NO RIM – Quais São as Principais Causas? » MD.Saúde

    Sintomas A dor no rim tem características próprias que variam de acordo com a doença responsável pelo seu aparecimento. Além da dor em si, os sintomas associados ajudam muito no esclarecimento da causa. Exemplos: Cólica O que causa o cálculo renal e dor no rim O cálculo renal é a principal causa da dor nos rins.

    Ele surge do acúmulo de cristais na urina, que pode ser ácido úrico, cálcio, cistina ou oxalato. Essas substâncias se aglomeram nos rins. Outros remédios para dor nos rins são os antibióticos, como Amoxicilina, e o Alopurinol, que previne cálculos nos rins e diminui sintomas de doenças renais.

    Pode te interessar: Chá para Dor nos Rins Remédios para Dor no

    Sinais e sintomas que podem indicar problemas nos rins

    Os sintomas de problemas nos rins são raros, no entanto, quando existem, os primeiros sinais costumam incluir diminuição da quantidade de urina e alteração do seu aspeto, coceira na pele, inchaço exagerado das pernas e O câncer nos rins é causado pela formação de uma massa anormal nos rins.

    Esse tipo de câncer é causado pelo crescimento descontrolado de células e pode ser benigno (não canceroso) ou maligno (canceroso e pode ser mortal). A forma mais freqüente que acomete principalmente as pessoas com mais de 40 anos de idade é o carcinoma de células renais (CCR). SINTOMAS DE FERIMENTOS V. VACINAÇÃO PREVENTIVA VI.

    PARTES DO CORPO HUMANO ・・・・・・・人体図 (1) Partes do corpo humano (2) Órgãos VII. SITUAÇÕES NO MOMENTO DA CONSULTA.

    OS 10 PRIMEIROS SINTOMAS QUE INDICAM QUE SEUS

    OS 10 PRIMEIROS SINTOMAS QUE INDICAM QUE SEUS RINS ESTÃO COM PROBLEMAS! Os rins são um dos órgãos vitais do corpo. Precisamos deles funcionando bem para termos saúde e disposição. O.

    Em caso de dor nos rins, pode apresentar também sintomas como dor ao urinar, febre, calafrios e sangue na urina.

    Se você tem dúvida de que sua dor possa ser uma dor nos rins, deve visitar o seu médico, pois pode indicar um grave.

    COMO DIFERENCIAR PEDRA NO RIM DE DOR NAS

    Você sabia que muitas pessoas confundem pedra no rim com dor nas costas? Aprenda hoje a diferenciar os sintomas com o auxílio do urologista Fabio Ortega.

    (CRM: 112039) Se alguns sintomas, como dor de cabeça, enjoo, febre alta, dores espalhadas pelo corpo e indisposição, já estão presentes no seu cotidiano há uma semana, preste atenção: a chance de ser.

    Inflamação nos rins sintomas, os principais sintomas de uma infecção renal (pilonefrite) geralmente são os mesmos sintomas de uma infecção urinária, sintomas como, alterações na coloração (esbranquiçada, turva ou sanguinolenta) e no cheiro da urina, dor e ardência no ato de urinar, urgência ao urinar

    Como Diferenciar a Dor no Rim da Dor nas Costas – wikiHow

    Como Diferenciar a Dor no Rim da Dor nas Costas. Nem sempre é possível saber automaticamente a causa de uma dor nas costas. Pode ser muito difícil reconhecer a diferença entre uma dor que se origina nas costas Dor nos rins é uma queixa muito comum e carateriza-se por dor na região lombar (dor no fundo das costas).

    No entanto, ao contrário do que muitas vezes se acredita, a grande maioria dos casos de dor lombar não é provocada por. O tumor de Wilms é o tipo mais comum de câncer de rim em crianças, e é diferente do câncer de rim de adultos, portanto, será tratado mais tarde neste artigo e em outro artigo à parte.

    Muitas pessoas com câncer renal não apresentam sintomas no início, especialmente quando o câncer é pequeno.

    10 SINTOMAS DE DOENÇA DOS RINS » MD.Saúde

    Dr:tenho dor na região das costa perto do rin,mais dizem que augums sintomas se ver pela urina é aí que tá ,urino normalmente e a urina sai alva e sem espumas ,mesmo assim corre o risco de ser poblemas renais? No caso de dores na região lombar de aparecimento agudo, em cólica, com as características já descritas, especialmente se forem acompanhadas de urina escura ou turva, com pozinho, além de dor ou ardor na micção, vontade. Os Sinais de Problemas nos Rins, que são órgãos essenciais à vida, sendo responsáveis por diversas funções, entre elas, filtragem do sangue, controle dos níveis de eletrólitos (sódio, potássio, cálcio, fósforo, magnésio), da pressão arterial, da quantidade de água do corpo, estimulo à produção de glóbulos vermelhos, produção de vitamina D.

    Dor no Rim (lateral): Causas, Tratamento e Sintomas de

    Em caso de dúvida, o principal é ir ao médico, no entanto, é importante prestar atenção a alguns sintomas específicos de dor causados por problemas nos ossos ou músculos da coluna vertebral, tais como: Agora, se o problema.

    A infecção renal, ou infecção nos rins, tende a ser muito comum e dolorosa.

    Se você sofre com ela, não deixe o tempo passar e cuide-se! Ela é uma infecção no trato urinário superior que envolve ao menos um rim; caracterizada por dor pélvica e nas costas de forma intensa, e em alguns casos também pode causar febre.

    Os sintomas de pedra nos rins surgem geralmente de forma repentina quando a pedra é tão grande que fica presa no rim ou quando desce pelo canal apertado do ureter e causa uma infeção. Por vezes, quando são pequenas, nem se identificam sintomas de pedra nos rins, percebendo que elas existem apenas fazendo uma análise.

    Como Aliviar Dor nos Rins: 10 Passos (com Imagens)

    Alguns anti-inflamatórios de venda livre podem combater esse tipo de dor, como acetaminofeno e paracetamol, que são frequentemente recomendados em cálculos e infecções renais.

    Antes de tomar qualquer remédio, no entanto, consulte um médico, já que alguns possivelmente aumentam os problemas ou interagem com outras condições médicas. A compressão de estruturas também pode causar sintomas.

    Em especial a pelve renal, estrutura que escoa a urina proveniente dos rins está susceptível. Nos casos de compressão da pelve, dor lombar ou no abdome podem

    Dor nos Rins e Quais São os Sintomas Iniciais? | Veja Como

    Este tipo de dor é geralmente vista quando uma pedra no rim ou outro problema bloqueia o tubo, ureter, que drena o rim. No entanto, outros processos podem causar dor maçante crônica com dor forte no rim ocasionalmente.

    Pedras nos rins: causas, sintomas e tratamentos O cálculo renal pode provocar fortes dores e geralmente exige atenção rápida dos médicos. Saiba como evitar ou remediar essa encrenca Estamos falando de uma condição dolorosa.

    Por isso, é preciso ficar atento aos sintomas provocados por esses problemas, que variam entre: dores na região lombar, vômito, febre e dor para urinar. Antes de aprender um tratamento natural para esses problemas, conheça um

    Principais sintomas de problemas nos rins – Melhor com Saúde

    Dor nas costas: sintoma comum Algumas pessoas que sofrem de problemas nos rins e não sabem, podem atribuir a dor que sentem nas costas a um grande esforço, má postura no trabalho ou até a noites de sono mal dormidas.

    Causada pela presença de pedras no rim ou no ureter, ela se caracteriza por uma dor aguda, intensa e oscilante (que vai e vem).

    Existem ainda outras causas para a cólica de rins, como ligadura cirúrgica do ureter, formação de coágulos e compressões do ureter por tumores, porém a mais comum é quando a pedra causa obstrução da urina, dilatando o rim, o que causa essa dor intensa.

    Dor nos Rins? Conheça as principais causas e comece

    Os sintomas de infecção nos rins são dor forte no fundo das costas, dor e ardor ao urinar, vontade frequente de urinar e urina com cheiro forte. Em alguns casos também pode ocorrer febre, calafrios, náuseas e vômitos.

    Um exemplo típico é acordar de manhã ou mesmo no meio da noite e ter dor na parte inferior das costas, de um lado ou de ambos. Este é um sinal de alerta precoce de danos nos rins, que deve ser tratado rapidamente. Os rins.

    Dr:tenho dor na região das costa perto do rin,mais dizem que augums sintomas se ver pela urina é aí que tá ,urino normalmente e a urina sai alva e sem espumas ,mesmo assim corre o risco de ser poblemas renais? 赤い牛ジュニア チーム プログラム テレビ. Sintomas A dor no rim tem características próprias que variam de acordo com a doença responsável pelo seu aparecimento. Além da dor em si, os sintomas associados ajudam muito no esclarecimento da causa. Exemplos: Cólica Este tipo de dor é geralmente vista quando uma pedra no rim ou outro problema bloqueia o tubo, ureter, que drena o rim. No entanto, outros processos podem causar dor maçante crônica com dor forte no rim ocasionalmente. Você sabia que muitas pessoas confundem pedra no rim com dor nas costas? Aprenda hoje a diferenciar os sintomas com o auxílio do urologista Fabio Ortega. (CRM: 112039) Como Diferenciar a Dor no Rim da Dor nas Costas. Nem sempre é possível saber automaticamente a causa de uma dor nas costas. Pode ser muito difícil reconhecer a diferença entre uma dor que se origina nas costas Ordine Degli Avvocati Di Perugia チョコレート. Em caso de dúvida, o principal é ir ao médico, no entanto, é importante prestar atenção a alguns sintomas específicos de dor causados por problemas nos ossos ou músculos da coluna vertebral, tais como: Agora, se o problema. Anita Kamal Gunagar Monte Sereno. Dor nos rins esquerdo ou direito é muitas vezes acompanhada por vários outros sintomas que podem ser bastante confuso. Alguém poderia pensar que um músculo distendido nas costas está causando dor no flanco. Desloque-se para saber sobre as causas de dor nos rins e sintomas que acompanham a dor. Os sintomas de pedra nos rins surgem de forma repentina quando a pedra é muito grande e fica presa no rim, quando ela começa a descer pelo ureter, que é um canal muito apertado até a bexiga, ou quando favorece o surgimento. ブルースsパブとgrub Erie Paの仕事. 4. Câncer A dor causada pelo câncer de rim normalmente só aparece em estágios avançados da doença, e é caracterizada por dor na região lateral da barriga e nas costas, e sangue na urina. Como tratar: O tratamento é feito com um médico oncologista e depende do estágio do tumor, podendo incluir cirurgia, crioterapia, radiofrequência e uso de medicamentos para aliviar os sintomas.

    Leia também:  Como calcular a sua frequência cardíaca de treinamento

    Os sintomas de problemas nos rins são raros, no entanto, quando existem, os primeiros sinais costumam incluir diminuição da quantidade de urina e alteração do seu aspeto, coceira na pele, inchaço exagerado das pernas e Vamos Ficar De Bem 再生禁止. As Dores no Rim é uma queixa muito comum entre as pessoas no mundo inteiro. Saiba que ela pode indicar diferentes problemas de saúde, e é necessário estar atento aos sintomas que o seu corpo apresenta para tentar identificar シティ ホテル ロンドンデリー トリップアドバイザー ラスベガス.

    O incômodo e as dores do cálculo renal

    • José Emanuel Ribeiro Gonçalves, vendedor de automóveis, 53 anos de idade, não gosta nem de lembrar das dores de um cálculo renal que lhe incomodava há dois anos.
    • “Freqüentemente, tinha que me internar, já que somente com a aplicação de soro com analgésicos a dor passava”, recorda.
    • Depois de passar por uma litotripsia nunca mais voltou a sofrer com o distúrbio.
    • Por seu lado, Maria Aparecida Costa Mastronianni passou por dois episódios de cálculo renal.

    Ela, que já teve dois filhos por parto normal, elege a cólica como a dor mais aguda que já sentiu.

    “Os meus partos transcorreram sem dor, bem diferente da crise de cálculo renal”, comenta.

    Dor muito intensa na região próxima aos rins, acompanhada por náuseas e vômitos, infecção urinária e presença de sangue na urina podem ser alguns dos sintomas de uma crise de cálculo renal, também conhecida como pedra no rim. As estatísticas revelam que em torno de 12% da população mundial apresenta cálculos urinários, mais freqüentemente na faixa que vai dos 20 aos 45 anos.

    O cálculo (ou pedra) é o produto final da agregação de vários sais, principalmente sais de cálcio, dentro do aparelho urinário, e geralmente aparece quando ocorre um desequilíbrio na eliminação de água e sais na urina. Ou seja, se uma pessoa urina pouco e elimina muitos sais pode formar cálculo renal.

    Investigando as causas

    De acordo com o nefrologista Maurício de Carvalho, professor da disciplina de Nefrologia da PUCPR, a prevalência de casos de cálculo renal aumentou nos últimos anos devido a problemas como sedentarismo e obesidade e ao consumo excessivo de sódio (sal de cozinha) e proteína animal (carne vermelha).

    A pedra cresce e prejudica a eliminação de urina. “Com isso, ocorre uma dilatação do trato urinário que, se não tratada, pode levar à atrofia e à perda de função do rim afetado”, explica.

    De acordo com o especialista, o tratamento do cálculo renal envolve três passos: alívio da dor, eliminação da pedra e a consulta a um nefrologista para investigar a causa da formação da pedra, que indicará medidas de prevenção de novos cálculos.

    Entre essas medidas, uma das mais importantes é a ingestão de líquidos, principalmente de água (pelo menos dois litros por dia). “Quanto maior a diluição dos sais presentes na urina, menor a chance de formação de cristais e conseqüentemente de cálculos urinários.”

    Por outro lado, existem alimentos que podem facilitar o aparecimento de cálculos, por isso, a orientação dietética é muito importante e às vezes se constitui na única medida a ser empregada para combater o distúrbio. O nefrologista lembra que a ingestão de cálcio deve ser normal e não diminuída.

    “Pessoas com cálculo renal que diminuíram muito a ingestão de cálcio (contido principalmente no leite e derivados) tiveram maiores taxas de recorrência e alguns apresentaram diminuição da densidade óssea e osteoporose”, ressalta Carvalho.

    Medidas preventivas

    Apesar disso, não é comum que se busque o diagnóstico precoce do cálculo renal. Na maioria dos casos, ele é feito somente quando o paciente procura o médico por já estar sentindo dores.

    Se medidas de prevenção não forem adotadas, em cinco anos, de 50% a 100% daqueles que tiveram problemas de cálculos nos rins podem voltar a tê-las. “Sem medidas preventivas, a recorrência do cálculo é apenas uma questão de tempo”, alerta o médico.

    Para a eliminação das pedras, a intervenção para retirada vai desde a utilização de ondas de ultra-som (litotripsia extracorpórea) para a quebra dos cálculos e, em poucos casos, uma cirurgia aberta.”A litotripsia é um dos tratamentos mais utilizados. Não exige internação nem cortes. O paciente é tratado no próprio ambulatório”, completa Maurício Carvalho.

    ,

    Recentes estudos estão provando que pessoas com dieta rica em cálcio têm chance menor de desenvolver cálculos renais. Já aqueles com dieta normal, mas que tomam comprimidos de cálcio por algum motivo, aumentam esse risco. Isso ainda não está bem explicado cientificamente. Para o nefrologista Paulo Ayrosa Galvão parece que o cálcio da dieta não interfere na formação dos cálculos.

    Além disso, existem outros alimentos também contra-indicados para pessoas com propensão aos cálculos renais – algumas proteínas e o sal. Estudos em andamento indicam que refrigerantes ricos em fosfato e o suco de tomate tomados todos os dias também favorece a formação de cálculos.

    1. A vitamina C, que muitas pessoas tomam regularmente por achar que é bom para a saúde, em altas doses, estimula a excreção de oxalato que pode provocar aumento na freqüência dos cálculos.
    2. ” Idade entre 20 e 45 anos” É três vezes mais comum em homens do que em mulheres” Perda excessiva de líquidos através do suor” Ocorrência de distúrbios genéticos, como gota e cistinúria” Problemas renais endócrinos e intestinais” Uso incorreto de medicações” Infecção urinária” Baixo consumo de líquidos
    3. ” Desordens alimentares

    TRATAMENTO DO CÁLCULO RENAL

    A pedra no rim, também conhecida como cálculo renal ou litíase renal, é uma doença relativamente comum e uma das condições médicas que mais causa dor no seres humanos.

    TRATAMENTO DA CRISE AGUDA DE CÓLICA RENAL

    A crise de cólica renal geralmente surge quando uma pedra formada no rim move-se e fica impactada em uma região do trato urinário, obstruindo a passagem da urina. Esta obstrução pode ocorrer dentro do próprio rim, mas é mais comum nos ureteres, o ducto que leva a urina do rim à bexiga.

    A cólica renal costuma se apresentar como uma dor severa, com crises que duram até 60 minutos ininterruptos. Há pessoas que dizem que a cólica renal é a pior dor que já sentiram na vida.

    O primeiro passo no tratamento da cólica renal é obviamente aliviar a dor do paciente. As drogas mais usadas são os anti-inflamatórios e os opióides (derivados da morfina).

    Uma vez que o paciente encontre-se mais aliviado da dor, deve-se tentar encontrar a causa da cólica renal. Uma radiografia simples de abdômen e uma ultrassonografia geralmente são suficientes para se localizar a pedra. Se o cálculo já estiver no final do ureter, próxima à bexiga, o melhor exame para detectá-la é a tomografia computadorizada.

    A localização e o tamanho da pedra são os fatores que definem os próximos passos no tratamento do cálculo renal.

    Cálculos menores que 5 mm (0,5 cm), principalmente se localizados na parte final do ureter, habitualmente saem espontaneamente pela urina sem tratamento.

    Menos de 20% dos pacientes com pedras menores que 5 mm precisam de alguma intervenção médica para retirar seu cálculo renal. O cálculo demora em média 8 a 14 dias para ser expelido.

    Porém, dependendo da localização, o tempo pode ser maior que 1 mês.

    A partir dos 5 mm, quanto maior for a pedra, menor a chance dela ser eliminada espontaneamente. 60% dos cálculos renais entre 5 e 7 mm são eliminados sem tratamento; esta taxa cai para menos de 50% nas pedras com tamanho entre 7 e 9 mm.

    Já a pedras grandes, com mais de 9 mm somente 25% saem espontaneamente, mesmo assim, apenas se já estiverem na parte final do ureter.

    Cálculos maiores que 10 mm (1 cm) localizados no início do ureter, próximo ao rim, não costumam sair sozinhos, pois são até 3 vezes maiores que o diâmetro médio do ureter.

    Tratamento expectante do cálculo renal

    Uma vez controlada a dor do paciente e diagnosticado um cálculo renal com menos de 10 mm sem sinais de complicações, como hidronefrose (dilatação do rim por obstrução da passagem de urina), o paciente pode ser tratado em casa, à espera da eliminação espontânea da pedra.

    Geralmente o paciente é liberado para casa medicado com anti-inflamatórios para controlar a dor e medicamentos que relaxem o ureter, o que facilita a passagem do cálculo em direção à bexiga. As drogas mais usadas para este fim são a Tansulosina (medicamento também usado na hiperplasia benigna da próstata) ou a Nifedipina (medicamento também usado para tratar hipertensão arterial).

    Orienta-se também o paciente a ingerir bastante líquidos para que um grande volume de urina ajude a empurrar a pedra.

    Se o paciente tiver pedras maiores que 1 cm, dor de difícil controle, sinais de obstrução do rim (hidronefrose), sinais de infecção urinária ou se após 4 a 6 semanas a pedra não tiver saído espontaneamente, a avaliação por um urologista está indicada.

    CIRURGIAS PARA CÁLCULOS RENAIS

    • Se o cálculo renal for demasiadamente grande ou se surgirem complicações, como infecção urinária ou obstrução do funcionamento de um dos rins, a única maneira de tratar o paciente é através de uma intervenção médica.
    • O tratamento do cálculo renal evoluiu muito ao longo dos anos e hoje existem várias opções para se eliminar uma pedra no trato urinário.
    • Os métodos mais usados são:
    • Litotripsia extracorpórea(LECO)– método onde as pedras são quebradas por meio de ondas de choque aplicadas através da pele.
    • Ureterolitotripsia– as ondas de choque são aplicadas diretamente nos cálculos, através de endoscópio inserido pela uretra até o ureter.
    • Nefrolitotomia percutânea– uma pequena cirurgia onde o endoscópio é inserido através da pele até o local onde está o cálculo.
    • Cirurgia convencional –procedimento onde o rim necessita ser aberto para retirada das pedras. Normalmente usada em cálculos complicados, principalmente nos cálculos coraliformes.
    Leia também:  Como alterar diretórios no prompt de comandos: 8 passos

    A litotripsia extracorpórea por ondas de choque (LECO) é atualmente o procedimento mais utilizado, principalmente se a pedra estiver dentro do rim ou no ureter proximal (parte inicial, próxima ao rim).

    CATETER DUPLO J

    Após qualquer manipulação do ureter, este pode apresentar um grau de edema secundário à reação inflamatória, que por si só pode obstruir a passagem de urina e de restos de cálculos que ainda possam permanecer. Por isso, costuma-se inserir um cateter chamado de duplo J, ou rabo de porco (pig-tail em inglês), para garantir a permeabilidade da via manipulada.

    O cateter apresenta as duas extremidades em forma parecida com a letra J, daí o seu nome. O Duplo J apresenta furos em seu trajeto que permitem o escoamento da urina.

    Uma ponta fica dentro do rim e a outra dentro da bexiga. Portanto, mesmo que haja obstrução em algum ponto do ureter, independente da causa, o duplo J garante a permeabilidade da via urinária. Este cateter pode permanecer por várias semanas até que o urologista ache seguro retirá-lo.

    Após a colocação do duplo J pode haver dor lombar e abdominal , ardor ao urinar e sangramentos na urina durante alguns dias. Se houver febre, dor excruciante ou sangramento exuberante com coágulos, deve-se contactar o urologista para uma reavaliação.

    O cateter duplo J pode ficar no ureter por 3 a 9 meses dependendo do seu diâmetro. Na maioria dos casos, não é necessário ficar com o cateter durante tanto tempo. Quando o urologista indica o uso prolongado do duplo J, o ideal é que a cada 3 meses o cateter seja reavaliado para termos certeza que ele não está obstruído.

    A retirada do cateter é um procedimento simples e feito por via endoscópica com um cistoscópio. Entra-se pela uretra com esse endoscópio e puxa-se o cateter para fora. Se não houver complicações como aderências ou deslocamentos do duplo J, a retirada é um procedimento rápido, e na maioria das vezes, indolor.

    INVESTIGAÇÃO DA COMPOSIÇÃO DO CÁLCULO RENAL

    Uma vez resolvido o problema do cálculo, seja de modo espontâneo ou através de uma intervenção médica, o próximo passo é tentar identificar a composição da pedra para que se possa traçar estratégias para prevenir o aparecimento de novos cálculos renais.

    Se o paciente conseguir guardar a pedra eliminada, o seu conteúdo pode ser analisado em um laboratório. Mas mesmo que não seja possível recuperar a pedra expelida, um acompanhamento com médico Nefrologista está indicado para que ele, através da avaliação da composição da sua urina, possa procurar por problemas que facilitem a formação de cálculos.

    Pacientes que apresentam excesso de cálcio, oxalato, fósforo ou ácido úrico na urina possuem maior risco de formar pedras. Por outro lado, falta de citrato na urina ou uma urina pouco diluída também são fatores de risco. Muitas vezes, a correção destas alterações na composição da urina são suficientes para impedir o surgimento de novos cálculos.

    EXISTEM REMÉDIOS QUE DISSOLVEM PEDRAS?

    Se a pedra de for composta principalmente por ácido úrico, a alcalinização da urina com bicarbonato ou citrato de potássio (Litocit) pode ajudar a dissolver a pedra. Esta é a ÚNICA situação na qual dissolver pedras é possível.

    Todavia, a imensa maioria dos cálculos renais é composta por cálcio. Nestes casos, infelizmente, não há modo de dissolver as pedras já formadas.

    Atenção! Algumas empresas desonestas se aproveitam do fato da maioria dos cálculos saírem sozinhos e de alguns poderem mudar de tamanho espontaneamente para vender “produtos naturais” como milagrosos.

    Existem dezenas de sites falsos fazendo apologia ao uso de substâncias que supostamente dissolvem cálculos renais. Esses tratamentos não são cientificamente comprovados.

    Nenhuma Sociedade Internacional de Urologia ou Nefrologia indica o uso de substâncias para dissolver cálculos à base e cálcio.

    Quer uma dica para saber se o medicamento contra o cálculo é correto? Antes de comprar qualquer remédio “natural” procure pelo seu registro na ANVISA. Se não estiver registrado, não compre.

    Se estiver registrado na ANVISA, veja se o registro é apenas como suplemento alimentar ou se o produto tem autorização para ser usado como remédio para cálculo renal.

    Muitas empresas registram seus produtos apenas como suplemento alimentar e depois usam este registro para fingir que o medicamento é indicado e aprovado pela ANVISA para tratar diversas doenças. Na dúvida, não compre medicamentos sem a orientação de um médico.

    E o chá de quebra-pedra?

    O famoso chá de quebra-pedra não quebra nenhuma pedra. Mas ele parece ser efetivo na prevenção do cálculo renal. Se o paciente já tem a pedra de cálcio formada, o chá funciona tanto quanto qualquer outro líquido, incluindo água. Porém, se tomado com frequência ele parece diminuir a formação de novas pedras, reduzindo a incidência de cálculos renais.

    Afinal, como é o tratamento de pedra nos rins?

    Dores na região lombar podem significar a formação de cálculo renal. Logo, é preciso procurar com urgência um médico urologista. Após a confirmação do diagnóstico, é fundamental realizar de imediato o tratamento de pedra nos rins — e eliminar de vez o problema.

    Além de suprimir o cálculo renal e as fortes dores, a realização de um tratamento personalizado, que atenda de maneira rápida e efetiva a necessidade de cada paciente, evita as chances de uma nova crise.

    A seguir, confira os passos para o tratamento de pedra nos rins, problema que atinge com frequência principalmente os homens na faixa dos 20 aos 30 anos.

    Diagnóstico

    Como não poderia ser diferente, o diagnóstico é a primeira etapa para decidir qual o melhor tratamento a ser adotado a fim de eliminar a pedra nos rins. Nessa fase, o médico deve avaliar o tipo, o tamanho e o local do cálculo renal. É preciso também investigar o período de obstrução do canal urinário e se há infecção na região.

    O exame indicado é a tomografia sem contraste de abdômen. Após o período de crise, exames de urina e de sangue mais minuciosos devem ser realizados para investigar os motivos que levaram à formação de cálculos, de modo a prevenir o ressurgimento deles.

    Em caso da impossibilidade de realizar a tomografia, a segunda escolha é o ultrassom de rins e vias urinárias, que tem custo barato, realização rápida e mais fácil de ser encontrado.

    Ingestão de líquidos e cuidados com a alimentação

    Pedras menores, com menos de 7 milímetros, costumam ser eliminadas de forma natural com bastante frequência, com o aumento do consumo de água. Não é ideal exagerar na quantidade, tomando em torno de 2 litros por dia.

    A alimentação saudável é outro fator importante no tratamento de pedra nos rins. Recomenda-se a ingestão de menos proteínas de origem animal e sal, tanto para diminuir as chances da formação de novos cálculos como para impedir que os já existentes aumentem de tamanho.

    Uso de medicamentos

    A medicação, muitas vezes, é adotada para amenizar a dor provocada pela crise de cólica renal ou cólica nefrética, que ocorre quando algum cálculo está se deslocando em direção à pelve renal e ureter na tentativa de ser eliminado.

    Analgésicos, como o paracetamol e dipirona, e antiinflamatórios não hormonais, como diclofenaco, ibuprofeno, nimesulida, estão na lista de remédios receitados pelos médicos.

    Situações mais graves de dor exigem a aplicação de analgésicos derivados de opioides, como o Tramadol.

    Nos casos em que o cálculo está localizado no ureter e com tamanho aceitável para ser eliminado,  medicamentos para relaxar o canal urinário ajudam na movimentação do cálculo até a bexiga — como Tansulosina, Doxazosina e Nifedipina — também são recomendados.

    Procedimentos cirúrgicos

    Pedras nos rins a partir de 7 milímetros de diâmetro muitas vezes requerem a realização de procedimentos cirúrgicos, que dependerão do local e tamanho do cálculo.

    A alternativa menos agressiva ao organismo é a litotripsia extracorpórea, feita por meio de ondas eletromagnéticas que fragmentam o cálculo renal para ser expelido, com uso de anestesia, geralmente uma sedação. Entretanto, os resultados são limitados, sendo  a taxa de sucesso é inversamente proporcional ao tamanho do cálculo.

    Outros fatores como dureza do cálculo e distância da pele até o cálculo são fundamentais para predizer o sucesso da litotripsia. Pacientes obesos, com distância pele-cálculo maior que 10 cm, apresentam piores resultados.

    Está principalmente indicada para cálculos renais entre 1 a 2 centímetros, localizados nos cálices renais superiores e médios, na pelve renal ou terço superior do ureter.

    Outra possibilidade bastante utilizada é a ureterorrenoscopia. Esta geralmente é feita com a  utilização de laser e tem resultados superiores à litotripsia extracorpórea.

    Pode ser realizada com sedação, anestesia geral ou raquianestesia.

    A cirurgia resume-se na introdução de um aparelho pela uretra em direção ao cálculo, seja ele no ureter ou no rim, sendo capaz de fragmentar cálculos de tamanho moderado. Suas principais indicações são:

    • Cálculo ureteral menor que 20 mm
    • Cálculo renal entre 10 a 20 mm
    • Cálculos em cálice inferior < 15 mm
    • Múltiplos cálculos com massa total inferior a 20 mm

    Há também o método percutâneo, que exige internação e cuja recuperação leva até cinco dias. O procedimento consiste em uma pequena incisão nas costas a fim de possibilitar a penetração de um aparelho na pele diretamente para o rim, sendo assim possível uma excelente fragmentação e retirada de grandes cálculos renais e de difícil acesso aos outros métodos. Suas principais indicações são:

    • Cálculos coraliformes
    • Cálculos > 20 mm
    • Cálculos em cálice inferior > 15 mm
    • Cálculo associado à infecção de difícil tratamento
    • Cálculos duros (cistina, fosfato de cálcio, oxalato de cálcio mono-hidratado)
    • Falhas de outros métodos (Litotripsia extracorpórea e Ureterorrenoscopia)
    • Anormalidades anatômicas (rim em ferradura, rim pélvico)

    Raramente feita na atualidade, a cirurgia aberta é outro procedimento que visa eliminar o cálculo renal na impossibilidade de realizar qualquer uma das outras três opções. Geralmente é feita para cálculos muito volumosos ou rins com difícil anatomia.

    Como se pôde notar, existem diversas maneiras de realizar o tratamento de pedra nos rins. Por isso, no caso de dores persistentes na região lombar, é fundamental buscar um especialista, que fará o diagnóstico preciso e indicará o melhor meio de tratar o problema.

    Agora que você já sabe quais são os métodos existentes para o tratamento de pedra nos rins, entre em contato conosco para identificar a causa das dores na região lombar e eliminar o problema o mais rápido possível.

    Seja o primeiro a comentar

    Faça um comentário

    Seu e-mail não será publicado.


    *