Como ajustar o sincronismo: 12 passos (com imagens)

Quem trabalha com grupos geradores precisa conhecer bem os procedimentos para o sincronismo e compartilhamento de carga. Isso permite utilizar máquinas em paralelo para realizar a divisão de cargas entre as fontes de energia, ou a transferência de carga sem interrupção do fornecimento de energia elétrica.

Esse último ponto é fundamental em hospitais e indústrias. Então, conheça agora os 4 passos para fazer o sincronismo!

Sincronização de geradores

A sincronização de geradores energia é igualar, o mais próximo possível, tensão, frequência e ângulo de fase dos dois ou mais grupos geradores, ou até mesmo entre gerador e concessionária para permitir o sincronismo e funcionamento em paralelo.

4 passos para o sincronismo e compartilhamento de carga bem-sucedido

Antes de iniciar os 4 passos para o sincronismo, devemos atentar às considerações: quando usar controlador da linha de sincronização Deep Sea DSExx20, certifique-se de configurar entradas como “Inibir carga na rede” e “Inibir carga no gerador”.

O gerador deve estar conectado ao barramento morto, sem carga. Com o disjuntor do gerador aberto, configure o gerador na frequência nominal sem o módulo estar conectado ao regulador de velocidade. Isso garantirá que o regulador de velocidade manterá o gerador na frequência nominal sem atuação do controlador.

1. Controle

Completado o passo anterior, conecte o controlador ao regulador de velocidade, de acordo com a Figura 1:

Como Ajustar o Sincronismo: 12 Passos (com Imagens)Figura 1 – Esquema de ligação saída de controle analógico Deep Sea Electronics

Ligue o gerador e certifique-se de que o disjuntor esteja aberto. Cheque a direção do controle aumentando e reduzindo o SW1.

Se a frequência aumentar enquanto o SW1 é reduzido, selecione a opção “Output Reversed”, conforme Figura 2.

Se movendo o SW1 não houver mudanças na frequência, então deve-se verificar as conexões do controlador até o regulador de velocidade e também se o regulador de velocidade encontra-se operativo.

Como Ajustar o Sincronismo: 12 Passos (com Imagens)Figura 2 – Configuração saída reversa.

Ajuste o SW1 do regulador de velocidade até que o gerador esteja funcionando na frequência nominal (50Hz ou 60Hz). Feito isso, pare o gerador. Dessa forma o SW1 do regulador de velocidade estará ajustado.

Para ajustar o SW2 do regulador de velocidade, quando usar controlador da linha de sincronização Deep Sea DSExx20, certifique-se que a entrada configurada para “Inibir carga na rede” está ativa, mas a entrada para “Inibir carga no gerador’ não está ativa. Feito isso, aumente em 5% acima da nominal no valor do parâmetro “Frequência Nominal”, conforme Figura 3, ou seja, 3Hz para um sistema de 60Hz e 2,5Hz para 50Hz.

Como Ajustar o Sincronismo: 12 Passos (com Imagens)Figura 3 –  Parâmetro “Frequência Nominal” ajustado para 63Hz.

Ligue o gerador. Com o disjuntor aberto o gerador funcionará com os valores configurados em SW1 (50Hz ou 60Hz). Feche o gerador no barramento morto sem carga.

A frequência do gerador começará a aumentar para o novo ajuste (63Hz). No entanto, você pode não conseguir isso. Ajuste o valor de SW2 para permitir que a frequência aumente até o novo valor configurado em “Frequência Nominal” (53Hz ou 63Hz).

Continue ajustando o SW2 para garantir que o parâmetro “Governor analogue”, Figura 4, esteja entre 75% a 85%. O sinal do “Governor analogue” (porcentagem + ou -) não importa.

Como Ajustar o Sincronismo: 12 Passos (com Imagens)Figura 4 –  Saída do controle analógico ajustado em 79,7%.

Pare o gerador. Reduza 3 Hz no valor do parâmetro “Frequência Nominal”, ou seja, variação de -5% da frequência nominal, Figura 5.

Como Ajustar o Sincronismo: 12 Passos (com Imagens)Figura 5 – Parâmetro “Frequência Nominal” ajustado para 57Hz.

Ligue o gerador. Com o disjuntor aberto o gerador funcionará com os valores configurados em SW1 (50Hz ou 60Hz). Feche o gerador no barramento morto sem carga.

A frequência do gerador começará a reduzir para o novo ajuste (47,5Hz ou 57Hz). O SW2 é então ajustado para garantir que o parâmetro “Governor analogue” esteja entre 75% a 85%. O sinal do “Governor analogue” (porcentagem + ou -) não importa.

Observe que qualquer alteração feita na porcentagem mais baixa será o mesmo para a porcentagem superior. Altere a configuração da frequência nominal de volta para a frequência nominal real (50 Hz ou 60Hz).

Esse procedimento também deve ser feito para ajustar o regulador de tensão. A única diferença é que a faixa de ajuste de + 5%, feita para o Governor, será agora de  + 10% para o AVR.

Como Ajustar o Sincronismo: 12 Passos (com Imagens)Figura 6 –  Saída do controle analógico ajustado em -80,0%.

2. Medições

Para realizar o procedimento de medição é necessário utilizar, no mínimo, 10% da carga nominal do TC (Transformador de Corrente) para garantir a classe de exatidão e leitura confiáveis. Dê preferência por carga puramente resistiva.

Com o gerador em carga, verifique se as medições do fator de potência e da potência ativa estão corretas. Para isso, veja a medição por fase.

Na Figura 7, podemos ver alguns exemplos de medição errada e o possível motivo:

Como Ajustar o Sincronismo: 12 Passos (com Imagens)Figura 7 –  Erro na leitura da potência ativa (KW) e fator de potência.

Fator de potência errado = provavelmente os TC’s não estão na fase correta, ou seja, na imagem acima podemos ver que o TC da fase 1 pode estar trocado com o TC da fase 2. O TC da fase 3 está com leitura correta. Primeiramente deve-se corrigir a instalação dos TC’s e então analisar a leitura de potência ativa (watts).

Potência (watts) errado = provavelmente o sentido do TC está errado. Essa leitura pode ficar dessa forma mesmo que o fator de potência esteja correto. Pare o gerador e corrija a instalação do TC no sentido correto.

A Figura 8, mostra exemplo de leituras corretas do fator de potência e potência ativa (watts).

Como Ajustar o Sincronismo: 12 Passos (com Imagens)Figura 8 –  Leitura correta da potência ativa (KW) e fator de potência.

3. Comunicações

Com relação a comunicação entre os grupos geradores, os módulos de controle da linha de sincronismo da DSE utilizam o link MSC (Multi Set Communications). Através desse link é possível executar funções, inclusive como compartilhamento de carga ativa e reativa e proteção.

Na sincronização, o link MSC garante a segurança contra falha no sensor de barra morta, ou seja, evita que um gerador feche no barramento energizado sem realizar o sincronismo. Ele também é responsável por:

  • Controlar a sequência de partida dos geradores;
  • Prioridade;
  • Balanceamento de horas;
  • Controle pelo módulo do QTA (Quadro de Transferência Automática) DSE8660MKII
Leia também:  Como arrumar seu armário da escola (com imagens)

O esquema de demanda de carga utiliza o link MSC dos DSE8610.

Para interligar os controladores deve-se utilizar o cabo de par trançado blindado com classificação CAN e impedância de 120ohms. O cabo certificado pela Deep Sea é o Belden 9841. Além do cabo, deve-se instalar um resistor de 120ohms nas extremidades do link de comunicação.

Um sistema pode parecer funcionar corretamente nas condições ideais de testes em fábrica, no entanto, a utilização de cabos inapropriados ou uma instalação incorreta leva a problemas que só podem aparecer após o comissionamento do local.

A não utilização do tipo de cabo correto reduz a distância operacional e a capacidade de resistência ao ruído elétrico do link MSC. Respeitar as especificações dos cabos e a instalação correta impede que esses problemas ocorram.

A distância máxima do Link MSC são 250 metros (considerando o cabo Belden 9841). Caso a aplicação necessite de uma distância maior, utiliza-se o extensor DSE124.

Exemplos de conexões:

Conexão errada, Figura 9:

Como Ajustar o Sincronismo: 12 Passos (com Imagens)Figura 9 – Conexão incorreta do link de comunicação MSC.

Conexão correta, Figura 10:

Como Ajustar o Sincronismo: 12 Passos (com Imagens)Figura 10 – Conexão correta do link de comunicação MSC.

Para realizar o teste da comunicação, com todos os controladores do link desligados, meça a impedância entre os bornes A e B em qualquer controlador. O resultado deve ser 60 ohms (associação de resistores em paralelo).

Encontrada a medição correta da impedância do link, ligue todos os controladores, remova um controlador da linha de comunicação e, então, todos devem gerar o alarme de “Falha no Link MSC”, inclusive o controlador que foi removido do link.

Outra maneira de verificar se todos os controladores estão se enxergando é utilizando o software de configuração “DSE Configuration Suite”, Menu “Scada” — “Multi Set” e verificar se a quantidade de controlador presente é a correta.

4. Verificação de sincronismo

A verificação do sincronismo nada mais é do que checar se as duas fontes de energia estão “em fase”, ou seja, se não há diferença de potencial entre as fases de um gerador para o outro.

Para verificar o sincronismo é necessário alimentar o barramento dos geradores para que um deles sirva como referência. Sendo assim, ligue um gerador (GMG1) e feche seu disjuntor de carga para alimentar o barramento.

Em modo manual, ligue o gerador a ser verificado o sincronismo (GMG2 ou rede)e acesse a página de “Sincronoscópio” do controlador DSE8610MKII, Figura 11. Nesta verificação não há necessidade de solicitar o fechamento do disjuntor, basta deixá-lo funcionando em modo manual.

Utilizando um multímetro, meça a tensão entre a fase R do GMG1 e fase R do GMG2 ou rede. No momento em que o ponto do Sincronoscópio estiver no centro a tensão deve ser idealmente 0V, porém aceita-se tensão igual ou inferior a 50V, Figura 15.

Caso a diferença de tensão esteja alta, como 220V, Figura 13, isso quer dizer que as fases podem estar invertidas, Figura 12, e a medição pode estar sendo feita, por exemplo, entre fase R e S. Faça a medição em, pelo menos, duas fases para garantir que não há inversão. Faça isso em todos os geradores do barramento.

Figura 11- Tela de Sincronoscópio DSE8610.

Exemplo de conexão errada onde gerará diferença de potencial no momento do fechamento do disjuntor de carga do gerador:

Figura 12- Conexão incorreta. Inversão de fase. Figura 13 – Medição da tensão no momento em que o ponto está no centro do Sincronoscópio. Sistema instalado de maneira incorreta.

Exemplo de conexão correta onde não haverá diferença de potencial no momento do fechamento do disjuntor de carga do gerador, Figura 14:

Figura 14 – Conexão correta.
Figura 15 – Medição da tensão no momento em que o ponto está no centro do Sincronoscópio. Sistema instalado corretamente.

Lembre-se que é muito importante seguir os 4 passos para o sincronismo e compartilhamento de carga para garantir o perfeito funcionamento do seu equipamento.

Se você achou nosso artigo útil, aproveite para seguir nossa página no LinkedIn e acompanhar mais conteúdos.

Como conectar o seu smartphone na TV em poucos passos

Conectar o smartphone à televisão não é uma tarefa difícil e você pode conseguir esse feito com poucos cliques na maioria dos casos. Separei algumas dicas para você que quer espelhar (ou transmitir)a tela do celular ou de algum aplicativo na TV, seja ela um televisor comum ou uma Smart TV.

  • 8 dicas para usar o Chromecast com Android ou iOS

A melhor forma de espelhar seu smartphone na TV sem cabo é usando a tecnologia Miracast, que está presente na maioria das Smart TVs à venda no mercado. Neste caso, você precisa olhar a ficha técnica do produto no site do fabricante para saber se a mesma oferece suporte para essa tecnologia.

Esse protocolo é basicamente o mesmo usado no Chromecast, portanto, se o seu smartphone e a sua TV forem compatíveis com o Miracast, provavelmente, você verá o ícone de transmissão ativo dentro de aplicativos compatíveis, como o YouTube ou o Netflix, por exemplo. Se você encontrar o ícone de espelhamento, basta clicar e se sua TV aparecer na lista de aparelhos disponíveis, está tudo pronto.

Como Ajustar o Sincronismo: 12 Passos (com Imagens)

É importante observar, contudo, que cada fabricante dá um nome diferente para o Miracast: a LG usa o nome Screen Share (imagem acima), enquanto nas TVs Samsung você o encontrará como Screen Mirroring.

Se você já conseguiu identificar o Miracast em sua Smart TV, mas não encontrou o ícone de espelhamento de tela em seu smartphone, siga os passos abaixo para encontrá-lo:

  • A partir do Android 4.2 você encontra o espelhamento de tela como um ícone na central de atalhos do sistema na maioria dos aparelhos de diferentes fabricantes;
  • Smartphones da LG e da Samsung trazem esse mesmo atalho descrito como Screen Share e Screen Mirroring respectivamente;
  • Smartphones mais recentes da Samsung podem trazer o atalho “Smart View” no lugar do antigo. A conexão é a mesma, porém, a qualidade do espelhamento pode ser levemente superior entre TVs e smartphones Samsung;
  • Se você não achar o ícone na central de atalhos do Android, vá em: Configuração do sistema> Tela> desça o menu e selecione “Espelhar tela”. Em alguns aparelhos essa opção pode ser encontrada no menu “Dispositivos conectados” selecionando “Preferências de conexão” (imagem abaixo);
  • No caso do iPhone pode ser necessário a instalação de algum aplicativo do fabricante da TV. Siga as instruções que irão aparecer na tela da sua Smart TV para fazer essa configuração usando o iOS.
Leia também:  Como armazenar cebolinha: 10 passos (com imagens)

Como Ajustar o Sincronismo: 12 Passos (com Imagens)

Felizmente, conectar um iPhone em algumas TVs está se tornando algo mais fácil. O protocolo que a Apple coloca em seus produtos é semelhante ao Miracast, mas em iPads, Macs e iPhones ele leva o nome de AirPlay.

Esse padrão é majoritariamente compatível entre produtos da empresa da maçã. Você pode espelhar a tela do iPhone, por exemplo, na Apple TV ou então conectá-lo em caixas de som compatíveis com essa tecnologia.

Algumas Smart TVs de outras fabricantes estão saindo de fábrica com o AirPlay ou ganhando suporte ao protocolo através de atualizações. Samsung, Sony e LG, por exemplo, estão entre as marcas que oferecem essa opção. Segundo o site da Apple, estes são os modelos de outras fabricantes que são compatíveis com o espelhamento de tela do iPhone:

  • LG: OLED (2019), NanoCell série SM9X, NanoCell série SM8X, UHD série UM7X;
  • Samsung: QLED 4K Q6, Q7, Q8, Q9 (2018 e 2019), QLED 8K Q9 da Samsung (2019);
  • Sony: Z9G, A9G, X950G, X850G (modelos de 85, 75, 65 e 55″).

Tudo o que você precisa fazer é clicar em “Espelhar a tela”, se estiver usando o iOS 10 ou superior, através da central de controle como na imagem abaixo:

Como Ajustar o Sincronismo: 12 Passos (com Imagens)

Como conectar um smartphone Android na TV

Existem inúmeras formas de conectar um dispositivo com Android em uma TV.

Se você não tem uma Smart TV para usar o Miracast, pode usar um Chromecast, a Mi Box TV, o Amazon Fire TV Stick ou outro set-top box de sua preferência, como a IPTV, por exemplo, para espelhar o conteúdo do seu smartphone na TV. Esses acessórios se conectam à TV pelo cabo HDMI e funcionam com o smartphone quando ambos estão conectados na mesma rede Wi-Fi.

Características técnicas e funcionalidades – Canon EOS 5D Mark IV – Canon Portugal

30,4 megapixels

Qualidade de imagem notável

Dual Pixel RAW

Pós-produção inovadora

Dual Pixel CMOS AF

Capacidade de focagem incrivelmente precisa

7 fps

Nunca perca um momento

150000

Desempenho excecional em condições de pouca luz

GPS

Encontrar e registar detalhes da localização

Wi-Fi/NFC

Ligação fácil com dispositivos inteligentes

Filmes EOS de 4K

Capte imagens fixas de 8 MP com facilidade

DIGIC 6+

Processamento super-rápido de imagem

Ver tudo

Como calibrar corretamente sua TV ou monitor [vídeo]

Calibrar o monitor é muito importante para evitar danos à visão e também para obter o máximo de fidelidade na hora de reproduzir vídeos e imagens. O mesmo vale para a televisão, que requisita ajustes apropriados para melhorar a qualidade na hora de reproduzir jogos ou filmes.

Todo dispositivo vem com configurações de fábrica e, muitas vezes, elas são satisfatórias. Contudo, em algumas situações, os níveis de regulagem não estão definidos corretamente, o que gera uma distorção de cores. Para evitar o desconforto visual e obter qualidade superior, o Tecmundo vai ensinar para você como calibrar sua tela.

Antes de configurar

Este tutorial consiste na calibragem das configurações da tela, ou seja, não usaremos softwares para realizar as regulagens. Para começar, você deve ajustar sua tela para a configuração-padrão de fábrica. Caso você esteja calibrando uma TV que tenha tecnologias de contraste dinâmico e de economia de energia, recomendamos que desative tais funções.

Para realizar o passo a passo de hoje, sugerimos que você deixe o monitor na altura dos olhos, visto que isso evita possíveis distorções por conta da luminosidade da tela. As instruções a seguir são baseadas na configuração de Calibragem de Cores do Windows. Mostraremos as imagens disponíveis no tutorial do sistema e você deve realizar ajustes conforme as instruções.

Filmes mais brilhantes

Nossa primeira regulagem será nas configurações de brilho. Aperte o botão “menu” que normalmente fica na frente do seu monitor e navegue até encontrar o nível de brilho. Você deve aumentar ou diminuir o brilho até que consiga distinguir o X no fundo e notar a diferença entre a cor do terno e da camisa na imagem abaixo.

Ampliar

Vamos conferir se ficou bom? Verifique se você consegue distinguir bem as cores e objetos nas próximas imagens. Caso alguma apresente irregularidade, recomendamos que você repita o ajuste acima ou tente regular o contraste no próximo passo.

Ampliar Ampliar Ampliar

Imagens com mais contraste

Agora é hora de calibrar o contraste. Usando o menu do monitor, acesse as configurações de contraste e regule para o máximo possível, mantendo a capacidade de distinguir os botões e as dobras da camisa na imagem a seguir.

Ampliar

Confira algumas imagens adicionais para você verificar se o nível de contraste está ajustado de forma apropriada. Se algumas partes estão com níveis de branco ou cinza exagerados, talvez você precise repetir os dois passos acima.

Amplia Ampliar Ampliar

Configure a gama e o RGB

É hora de regular o nível de gama e de RGB. Talvez seu monitor ofereça essa opção, porém, recomendamos que você utilize a ferramenta disponível no Windows. Para exemplificar, vamos mostrar como realizar o procedimento no Windows 7.

  1. Clique com o botão direito na Área de trabalho e escolha a opção “Resolução da Tela”;
  2. Abra as “Configurações Avançadas” e clique na aba “Gerenciamento de Cores”;
  3. Pressione o botão “Gerenciamento de Cores” e acesse o item “Avançado”;Ampliar
  4. Agora, clique em “Calibrar vídeo” para abrir a ferramenta do sistema;
  5. Maximize a tela e clique em “Avançar”;
  6. Altere o nível do controle até que os pontos centrais dos círculos fiquem totalmente cinzas;
  7. Clique em “Ignorar Ajuste de brilho e contraste”;
  8. Regule os controles na parte inferior da tela para reforçar determinadas cores. Por exemplo, para dar mais ênfase ao vermelho, basta deixar a barra vermelha no nível máximo e diminuir a regulagem das outras duas cores. Vale frisar que não é recomendável deixar uma cor mais forte que as demais, pois isso vai distorcer as cores de quaisquer conteúdos que você visualize na tela;
  9. No fim do processo, você pode escolher se deseja manter a configuração anterior ou atual. Compare e defina qual regulagem fica melhor.
Leia também:  Como burlar um filtro de internet usando tor: 7 passos

Depois de efetuar o procedimento acima, o Windows sugere a ativação do recurso “Clear Type” para melhorar a leitura de textos. Recomendamos que você realize esse passo a passo e regule o recurso conforme sentir mais conforto na hora de ler. São quatro passos simples que servem como um exame, sendo que as regulagens fazem o sistema regular as fontes para evitar o cansaço da visão.

Com a TV não é diferente..

Pronto! Seu monitor foi calibrado com sucesso. Para regular sua TV, basta conectar o computador em uma entrada HDMI ou VGA e realizar os mesmos procedimentos.

Caso sua televisão não tenha nenhuma dessas conexões, você pode testar os padrões que vêm configurados de fábrica e realizar ajustes usando conteúdos que abusem das cores.

Mais dicas para configuração de televisores podem ser visualizadas no artigo “Como fazer para calibrar uma televisão?”.

Se você não ficou satisfeito com as regulagens, pode realizar alterações no programa da sua placa gráfica ou baixar softwares como o Lutcurve ou o Calibrize. Até uma próxima!

⌚ Tutorial para configurar smartwatch no celular [2020]

Entenda, com este artigo, tudo sobre os smartwatch: como funciona, quais são os melhores aplicativos, e como sincronizar o smart watch das principais marcas do mercado no seu celular.

Sumário:

Smartwatch ou relógio celular

Hoje vivemos num mundo em constante evolução, onde cada dia aparece um aparelho novo ou são melhoradas as funcionalidades dos aparelhos que já conhecemos. Existem assim muitos exemplos de objetos inteligentes, como o termostato inteligente desenvolvido pela empresa Nest. Este dispostivo, quando instalado numa residência, vai “aprendendo” todas as mudanças de temperatura que o usuário vai inserindo. Com o tempo, o termostato já sabe exatamente qual a temperatura ideal que o consumidor quer, sem o mesmo ter que fazer nada. Outro exemplo é o capacete inteligente, que possui um visor na parte inferior direita e mostra assim as imagens da câmera traseira com visão 180º e até possui um GPS e bluetooth.

Com toda essa evolução de objetos, algo tão cotidiano como um relógio não poderia ficar para trás. Pensando nisso, as grandes corporações desenvolvedoras de aparelhos eletrônicos (Samsung, Sony, Motorola, Xiaomi, Huawei, entre outras) disponibilizam um novo dispositivo que combina inovação com praticidade: o smartwatch ou relógio celular.

  • O que você pode fazer com um smartwatch?
  • Receber notificações das redes sociais, sem tirar o celular do bolso
  • Monitorar o batimento cardíaco
  • Medir as horas de sono
  • Atender ligações (não em todos os modelos)
  • Enviar mensagens instantâneas
  • Conectar com as notificações do WhatsApp

Ah, e lógico, ele também funciona como relógio!

Depois de entender o que é um relógio inteligente agora é interessante ver as diferenças com outro dispositivo que saiu no mercado recentemente, o smartband.

Diferença entre smartband e smartwatch

Existem vários pontos diferentes entre uma smartband e um smartwatch. O primeiro deles é mesmo na sua aparência. A smartband costuma ser menor e mais comprida. Já o smartwatch é geralmente quadrado, e parece mais com um relógio convencional.

Diferenças entre smartband (esquerda/acima) e smartwatch (direita/abaixo)

Essa diferença estética está alinhada com a parte mais funcional do produto, pois a smartband (também conhecido como smart bracelete, tem menos componentes hardware dentro, isto é, tem menos peças integrando o dispositivo.

Por que? Basicamente porque é um aparelho que está pensado para depender mais da conexão com outro dispositivo, neste caso um celular ou smartphone.

Já o smartwacth vai trabalhar de forma mais independente, com mais hardware e com um valor, geralmente, também mais alto.

Smartwatch: como funciona?

Como já foi dito anteriormente, o relógio inteligente serve para múltiplas ações, muitas delas estão relacionadas com a saúde, visto que um dos primeiros objetivos deste aparelho era justamente para melhorar a qualidade de vida dos usuários. Mas, você sabe realmente como funciona e como poder explorar 100% toda a potência deste dispositivo? Não? Então continue lendo!

Como funciona o smartwatch?Os smartwatches podem funcionar de forma independente, isto é, através de aplicativos para smartwatch o usuário pode realizar toda a configuração e personalização do relógio sem ter que estar sempre conectado a um celular.

No entanto, existem muitos modelos que dependem da conectividade com um smartphone. Isto faz com que seja necessário saber como sincronizar o relógio ou smartwatch no celular.

No primeiro caso, é mais simples, porém alguns apps nãos sejam compatíveis com algumas marcas e isso torna mais complicada a usabilidade do produto. Já no segundo caso, também existem configurações específicas do celular e do próprio relógio.

Sabendo disto, preparamos uma lista com os relógios mais populares e um tutorial para cada um deles sobre como conectar o smartwatch no celular.

Como conectar o smartwatch no celular

O smart watch (ou smart band) poderá ser conectado nos celulares dos dois principais sistemas operacionais do mercado: Android (Samsung, Motorola, Sony, etc.) e iOs (iPhone). O smartwatch iPhone funciona através do sistema operacional WatchOS

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*