Como ajudar um cachorro a se recuperar de uma pata quebrada

Como Ajudar um Cachorro a se Recuperar de uma Pata Quebrada

  • Fixar um osso ou uma articulação para evitar danos maiores (imobilização de urgência)
  • Manter imóveis partes do membro para permitir o processo de cicatrização depois de uma lesão (imobilização de larga duração)

Imobilização de urgência

Sem conhecimentos de primeiros socorros, não se deve mover o membro partido do cão para não lesionar mais a zona. Os donos deve seguir certas diretrizes quando o seu cão sofre uma fratura.

A principal é ir ao veterinário o mais rapidamente possível e mover o cão o menos possível durante o transporte. Se se têm certos conhecimentos de primeiros socorros, pode imobilizar-se a zona lesionada com uma revista ou jornal atado à volta do membro afetado.

As fraturas localizadas debaixo do cotovelo ou do joelho e em articulações são mais suscetíveis de piorar se se mover o cão.

Imobilização de longa duração

Como Ajudar um Cachorro a se Recuperar de uma Pata Quebrada

A imobilização de longa duração é usada para fraturas em membros, em algumas alterações em ligamentos, tendões e articulações e em alguns problemas neurológicos (hiperextensão carpal, avulsão do plexo braquial, paralisia do nervo radial, hiperflexão tarsal, déficits proprioceptivos, etc.). É também um processo muito habitual depois das cirurgias que afetam estas zonas.

Tradicionalmente têm-se vindo a usar distintos materiais para conseguir a imobilização: emplastros, alumínio, talas simples de plástico, material termoplástico, fibra de vidro e resina.

Também se usam ligaduras especiais (Robert Jones, ligaduras em oito) e tipóias (de Ehmer, 90/90, de Velpreau, de flexão do carpo). Este tipo de instrumentos são indispensáveis na resolução de muitos problemas ortopédicos.

É muito importante que sejam aplicados sob supervisão rigorosa do veterinário. Esta aplicação requer conhecimentos e experiência.

Como Ajudar um Cachorro a se Recuperar de uma Pata Quebrada

A imobilização de longa duração pode comportar complicações: a falta de material acolchoado pode levar  a feridas e lesões, enquanto que um excesso do mesmo prejudicaria a capacidade de imobilização da ligadura. O material deve ser hipoalergénico e não deve reter líquidos.

É muito importante aplicar a pressão adequada na ligadura, já que se pode provocar necrose das patas se o sangue for incapaz de circular corretamente através do membro.

Sempre que possível, é aconselhável examinar os pés do animal para verificar se há inchaço ou baixa temperatura, sinal de que há uma pressão excessiva.

Devemos também ter em conta que a maioria dos métodos de imobilização são complicados de levar a cabo, de maneira que é difícil mudá-los com muita frequência. Isto dificulta a deteção de possíveis problemas: infeção da pele, mau alinhamento ósseo, falta de cicatrização de feridas, etc..

Como Ajudar um Cachorro a se Recuperar de uma Pata QuebradaComo Ajudar um Cachorro a se Recuperar de uma Pata Quebrada

Imobilização de nova geração

Como Ajudar um Cachorro a se Recuperar de uma Pata QuebradaDevido à dificuldade e aos possíveis problemas que a imobilização tradicional pode envolver, atualmente há uma tendência maior para o uso de talas de imobilização ou talas pré-moldadas que substituem o uso de ligaduras e se podem tirar e pôr facilmente, até pelo dono do cão. Existem diferentes tamanhos, tanto para membros dianteiros como traseiros. São recomendadas especialmente para problemas em membros distais (ou seja, mãos, pés, pulsos e tornozelos) que tenham que ver com ossos, tendões ou ligamentos.

Estes tipos de tala canina pode utilizar-se em casos de déficit neurológico, neuropraxias e outros problemas do plexo braquial e nervo radial.

Também podem utilizar-se em casos de fraturas, fissuras e em lesões do tecido mole que requerem um certo grau de imobilização.

O seu uso mais frequente é em hiperextensão carpal, avulsão do plexo braquial, hiperflexão do tarso, como tratamento conservador de fraturas não complicadas (sempre sob supervisão veterinária) ou para imobilizar o membro depois de uma cirurgia traumatológica.

Quais as talas pré-moldadas que existem?

  • Como Ajudar um Cachorro a se Recuperar de uma Pata Quebrada
  • Tala dianteira:
  • Imobilização total do membro até meio do rádio.

Usos: fraturas em falanges, metacarpo e carpo. Suporte extra em cirurgias de artrodese. Hiperextensão carpal. Lesões em ligamentos e tendões do membro anterior distal. Problemas neurológicos: déficits de proprioceção distal (como alguns casos de avulsão do plexo braquial).

Como Ajudar um Cachorro a se Recuperar de uma Pata Quebrada

Tala traseira:

Imobilização total do membro traseiro até ao meio da tíbia.

Usos: fraturas em falanges, metatarso e tarso. Suporte extra em cirurgias de artroses. Hiperflexão tarsal. Lesões em ligamentos e tendões do membro posterior distal, incluindo o tendão calcâneo (tendão de Aquiles). Problemas neurológicos: déficits de proprioceção.

Como Ajudar um Cachorro a se Recuperar de uma Pata Quebrada

Tala de bota:

Tala curta para o membro traseiro.

Usos: fratura em falanges ou metatarsos. Problemas neurológicos: déficits de proprioceção.

  1. É muito utilizada em lesões do nervo ciático que resultam num apoio irregular do pé (apoio com o dorso do pé).
  2. Equipa veterinária da Ortocanis
  3. Como Ajudar um Cachorro a se Recuperar de uma Pata Quebrada

Como cuidar de um cachorro com a pata quebrada – 6 passos

Como Ajudar um Cachorro a se Recuperar de uma Pata Quebrada

Se o seu cão quebrou uma pata é importante que vá o quanto antes ao veterinário para que examine a gravidade da fratura e imobilize a zona. No entanto, os seus cuidados também terão muito a ver com a rápida recuperação do animal, por isso neste artigo de umComo damos a você uma série de conselhos que mostrarão como cuidar de um cachorro com a pata quebrada e que ajudarão o seu melhor amigo a se recuperar o quanto antes. Desde aspectos como os passeios diários até conselhos a respeito da sua higiene, é importante que saiba como cuidar de um animal com esta ferida para que sofra o menos possível.

Passos a seguir:

1

Poderá detectar se o seu cão quebrou a pata porque verá que caminha mancando, que está mais tempo deitado e que se queixa quando pisa de uma forma específica.

Dependendo da gravidade da situação, os sintomas serão mais ou menos evidentes, mas é essencial que assim que detecte que o seu animal não caminha com normalidade, vá a um veterinário para que o examine e ajude você a descobrir o que está acontecendo.

Se você tem conhecimentos de primeiros socorros, poderá imobilizar a pata quebrada do cão com uma bandagem ou um pedaço de tecido para, assim, evitar que quebre em mais pedaços. Mas se não sabe como fazer, recomendamos a você que não toque na pata e que o leve imediatamente ao veterinário, pois poderia ser pior o remédio que a doença.

Como Ajudar um Cachorro a se Recuperar de uma Pata Quebrada

2

Tenha em conta que se o osso que quebrou é dos planos, a fratura costuma se colar sozinha com o tempo (costumam estender-se de 2 semanas a 3 meses).

No entanto, se falamos de um rompimento em ossos longos como o fêmur, por exemplo, eles rasgarão o tecido e a sua cura será mais longa e complicada. De fato, é bastante habitual que se requeira o uso de uma tala ou, inclusive, que seja necessária uma intervenção cirúrgica.

O veterinário é a pessoa capacitada para indicar a você que tratamento o cachorro deverá seguir para se recuperar rapidamente.

3

Após ser tratado pelo veterinário, o seu cão voltará com você para casa e chega o momento de redobrar os cuidados que você vai proporcionar para que se sinta bem e com menos dores.

Um dos primeiros aspectos que deve ter em conta são os seus passeios diários.

O cachorro precisará sair à rua para fazer as suas necessidades e para não estar o dia todo fechado em casa (poderia cair em uma depressão), por isso terá que levá-lo para passear, mas tendo em conta aspectos como os seguintes:

  • Levá-lo por zonas fáceis de caminhar: opte por parques públicos antes de levá-lo a uma montanha pois o terreno é plano e com menos possibilidades de sofrer um acidente.
  • Não o leve à praia: a areia dificulta a caminhada do animal fazendo com que se possa danificar ainda mais a sua fratura.
  • Leve-o para passear por pouco tempo e várias vezes ao dia: é melhor que, no princípio, o seu cão saia por pouco tempo à rua, mas várias vezes para que assim se exercite, mas não force a pata.
  • Lugares com poucos cães: se o leva a parques nos quais há muitos cães, o mais habitual é que fique tão contente que comece a brincar com eles ainda que lhe doa a pata. Evite e opte por zonas mais tranquilas.

Como Ajudar um Cachorro a se Recuperar de uma Pata Quebrada

4

O mais habitual é que se o seu cachorro está com a pata quebrada, o veterinário tenha posto uma tala ou tenha coberto a fratura com um gesso mas, caso não tenha, tem que evitar ao máximo que o cachorro tente curar as feridas se lambendo. Por quê? Porque sua boca está cheia de bactérias e agora tem uma ferida aberta na pele, através da qual podem entrar infecções e doenças que colocarão em perigo o seu estado de saúde.

Para evitar que o cão lamba as feridas pode optar pelo cone de plástico que impede que o animal chegue à zona onde tem a fratura. Também há outros produtos que são parecidos a uns suspensórios que mantêm o pescoço do animal esticado e evitam que lamba as feridas. Fale com o veterinário para que indique a você a melhor solução.

Em umComo contamos a você porque os cachorros lambem.

Como Ajudar um Cachorro a se Recuperar de uma Pata Quebrada

5

Outro aspecto importante a ter em conta na hora de cuidar de um cão com a pata quebrada é que a bandagem com a qual vai cobrir a fratura esteja sempre limpa e em boas condições.

Tenha em conta que, cada vez que saem do passeio, o animal pisará em zonas úmidas ou se sujará com grama ou terra.

Leia também:  Como cantar utilizando o seu diafragma: 9 passos

Isto pode provocar que as bactérias entrem pela tala e que a ferida não acabe de se curar totalmente bem.

Uma boa forma de evitar isto é cobrir a venda com uma sacola de plástico cada vez que saiam à rua, assim, o animal estará protegido de possíveis elementos infecciosos e, além disso, poderá brincar quanto quiser sem ter que ficar sofrendo por sua saúde. Caso se molhe, o melhor é ir ao veterinário para que troque a tala, pois a pele lhe poderia chegar a se irritar e infectar.

6

Para evitar que o animal ganhe excesso de peso neste período, é aconselhável que opte por reduzir a sua quantidade de comida e evitar dar-lhe alimentos gordurosos.

A atividade física do animal ficará muito reduzida e, portanto, não precisará de tanta energia para estar ativo e saudável.

Antes de fazer qualquer mudança nutricional é essencial consultar o médico, pois indicará a você as rações mais indicadas para a nova condição do cachorro, bem como o tipo de ração ideal.

Para habituar o animal a porções menores, o melhor é reduzir a quantidade e dar diferentes doses durante o dia. Assim se sentirá saciado e não passará fome entre as refeições. Também é recomendável que tenha à mão um recipiente com água fresca e limpa para que esteja corretamente hidratado.

Como Ajudar um Cachorro a se Recuperar de uma Pata Quebrada

Se pretende ler mais artigos parecidos a Como cuidar de um cachorro com a pata quebrada, recomendamos que entre na nossa categoria de Animais de estimação.

Cão encontrado faminto e com pata quebrada precisa de ajuda para se recuperar, em MG – ANDA – Agência de Notícias de Direitos Animais

Carol Quelotti e Nanda Almeida
[email protected]

Como Ajudar um Cachorro a se Recuperar de uma Pata QuebradaFoto: Divulgação

Recebemos um pedido de ajuda:

Meu nome é Denise e tenho 12 anos.
Mora na Cidade de Sarzedo (MG).
Aqui na minha cidade tem um cãozinho que tem sofrido muito.
Ele é abandonado, mas fica sempre numa borracharia. Ele não tem tutor.
Ele está muito doente e nunca tem comida para ele. Passa muita fome.
A pata dele está quebrada. Horrível.

Fica pendurada. Ele chora muito de dor.
Os meninos da escola jogam pedra nele com muita covardia.
Ele fica sempre na frente de uma borracharia na Rua dos Rodoviários, perto do numero 200, na MG 040, perto do Depósito de Materiais de Construção Portela, em Sarzedo.
É perto da linha do trem.

Pelo amor de Deus, tem como ajudar ele? Ele está morrendo aos poucos e ninguém ajuda o coitadinho.
Eu tenho levado pão e água pra ele, mas as pessoas acham ruim porque querem que ele suma dali, vá embora.
Ele merece uma oportunidade de ser feliz. É um bom cachorro.
Obrigada.
Denise.

SARZEDO | MG
 [email protected]

FAÇA PARTE DO #DiaDeDoarAgora EM 5 DE MAIO
Como Ajudar um Cachorro a se Recuperar de uma Pata Quebrada

O cãozinho Snoopy, que estava passando frio e fome nas ruas de Sarzedo (MG),  foi resgatado. O Corrente do Bem fez o transporte deste peludinho e está nos apoiando.

Ele foi apelidado por “Bengala”. A situação dele não é nada legal. Dr. Mário nos explicou que vai fazer um hemograma, exame de leishmania e preparar a cirurgia. Mas ele vai aguardar os exames de sangue para ver como ele está.

Os ossos já estão “grudados”, isto é, já calcificaram e ainda está dando uma luxação na outra pata. Acontece que ele não está aguentando o peso do corpo, então ele dá 02 pulinhos e cai com a carinha no chão.

Como Ajudar um Cachorro a se Recuperar de uma Pata QuebradaFoto: Divulgação

Gente, vamos precisar muito da ajuda de vocês. Agora é esperar e pedir a Deus para que ele fique bem e futuramente encontre uma família linda!

  • Precisamos de muita ajuda:
  • BB
    ag: 1585-7
  • conta: 16866-1
  • Itaú
    ag: 3362
  • conta: 02931-0

Pata de cachorro machucada: o que fazer? | DogHero

Pata de cachorro: o pet está mancando. E agora?

Cena comum pra quem tem cachorros em casa: o peludo fica animado para brincar, você joga um brinquedo longe e ele sai correndo para pegar. Na hora de pegar o brinquedo, ele derrapa e volta mancando. E aí, o que fazer no caso de lesão na pata de cachorro?

Listamos alguns dos diagnósticos possíveis quando ocorre uma lesão na pata de cachorro. Em qualquer uma das situações abaixo, o mais importante é sempre manter a calma, especialmente quando perceber que tem algo errado com a pata do peludo.

Mesmo que ele esteja com dor e tendo comportamentos fora do normal, você precisa ser capaz de levá-lo ao veterinário o mais rápido possível.

Assim, demonstra para ele que está no controle da situação e diminui as chances de causar algum trauma adicional à pata de cachorro que já está machucada.

Contusões na pata de cachorro

As contusões são machucados feitos em algum músculo, como quando o peludo bate a perna na parede, briga ou se algo cai em cima dele.

Pode ser que o músculo na área do impacto fique dolorido, inchado e com hematoma (roxo), dependendo da força da batida.

Não é comum que contusões na pata de cachorro sejam graves, e o normal é que o local machucado melhore sozinho depois de algum tempo. Depois que você perceber que o cão está mancando, observe o comportamento dele.

Importante: se ele der sinais de estar sentindo muita dor ou de não conseguir apoiar o peso na pata machucada, leve-o ao veterinário. Talvez seja necessário algum remédio para ajudar a diminuir o inchaço e a dor, ou até mesmo algum outro procedimento. Só o médico veterinário pode avaliar corretamente o que precisa ser feito na pata de cachorro.

Entorses e luxações

As palavras são difíceis, mas a gente explica. Nos casos de entorses e luxações, as áreas afetadas são os tecidos que formam as articulações – como os ligamentos e os meniscos (as “almofadas” das patas de cachorro, que absorvem o impacto entre os ossos daquela região).

A diferença é o tipo de machucado: quando acontece uma entorse, os tecidos da articulação ficam machucados, mas não se rompem nem saem do lugar; quando ocorre uma luxação, os tecidos se rompem e o osso sai do lugar seja parcial ou completamente.

A luxação pode parecer mais evidente pois, dependendo do caso, faz o membro parecer “solto” e/ou ficar em uma posição não natural.

Várias situações podem levar a entorses e luxações na pata de cachorro: batidas, hiperextensão (quando estão correndo, por exemplo, e esticam as patas mais do que deveriam), tombos, tropeços…

São machucados bem dolorosos e podem piorar com o tempo. Algumas raças têm predisposição a alguns tipos de luxação. Os malteses e yorkshires, por exemplo, têm propensão à luxação de patela (joelho); já os pastores alemães à luxação da coxofemoral (quadril).

Os tratamentos para entorses e luxações em patas de cachorro podem variar entre apenas um período de repouso até uma cirurgia de correção.

Se não forem tratados da forma recomendada, vão se agravando e podem danificar permanentemente a articulação afetada.

Por isso é essencial que, assim que perceber que algo pode estar fora do lugar, você leve seu cãozinho ao veterinário e siga as recomendações dele à risca.

No caso de alguma cirurgia em ligamento ser necessária, tenha em mente que é um procedimento delicado e vai exigir muito cuidado no pós-operatório para que cicatrize corretamente. Mesmo assim não há uma garantia que seu peludo vá recuperar 100% do movimento.

Pata de cachorro fraturada

Como o próprio nome diz, as fraturas são quebras nos ossos. Elas também acontecem por conta de pancadas e batidas, e a gravidade vai depender muito do osso e da forma com que quebrou.

A pata de cachorro fraturada causa muita dor, mas após a imobilização do membro geralmente ficam confortáveis.

Então, assim que acontecer alguma coisa que possa ter causado uma ruptura, leve-o para o veterinário avaliar.

No caso de fratura, é bem comum que cirurgias sejam necessárias. Isso porque muitas vezes a recuperação é melhor e mais rápida que a solução de colocar uma tala na pata do cachorro por longos períodos.

Recuperação de lesões na pata de cachorro

Para fratura exposta em pata de cachorro, do tipo que rasga ou fura a pele, tome cuidado redobrado no caminho até o médico veterinário. Se esse tipo de ferida entrar em contato com sujeira pode infeccionar e causar consequências graves – desde amputação da pata de cachorro até infecção generalizada. Tenha cuidado e leve o peludo rapidamente ao médico.

Se seu cachorro passou por algum dos acontecimentos acima, saiba que ele possivelmente pode precisar de fisioterapia. Isso vai ajudá-lo muito a recuperar os movimentos.

Respeite o tempo dele, mas não deixe de incentivá-lo a andar e mexer o corpinho bastante – depois, claro, que o período de repouso recomendado pelo médico tenha passado. A movimentação do cotidiano é boa para que ele continue em forma, facilitando a recuperação dos músculos próximos da lesão.

Fora isso, é só seguir as recomendações do veterinário que cuidou do pet e continuar dando todo amor e carinho do mundo! Logo ele estará novinho em folha.

Leia também:  Como arrumar a mochila para fazer trilha: 11 passos

Fratura óssea em cães: Como tratar? Quais as causas?

  • A fratura óssea, ou popularmente chamada de osso quebrado, é uma das condições que mais aparece nas grandes clínicas veterinárias, não só do Brasil, mas de todo o mundo.
  • Muitas vezes a fratura num animal pode assustar bastante o tutor, já que em alguns casos, o osso pode atravessar a pele e ficar posicionado externamente (fratura exposta),  tornando-se um visual bastante desconfortável para quem tem esse contato.
  • Dentro da medicina, as fraturas ósseas são classificadas em diferentes tipos e gravidades, sendo importante a avaliação de um médico veterinário nessas horas.

Como tratar as fraturas ósseas?

Nem toda fratura é resolvida com uma simples imobilização feita em casa ou em um consultório veterinário. Existem casos que só a intervenção cirúrgica é a opção, principalmente no caso do animal que apresenta múltiplas fraturas em um único osso.

É de suma importância que o tutor do animal, ao perceber uma fratura grave, leve o cão a um especialista da área.

Existem tutores que tentam resolver o problema na própria residência, fazendo imobilizações errôneas. Isso pode causar problemas graves futuros, pois quando a fratura calcificar, o membro pode ficar totalmente danificado.

Outro ponto, que também  é importante ressaltar,  diz respeito às fraturas expostas, quando os tutores, por conta própria tentam reposicionar o osso para a posição original. Isso já fez inúmeros cães perderem a vida, pois, na tentativa de por osso para dentro novamente, pode-se romper artérias importantes.

Quais as causas da fratura óssea?

A maioria das fraturas ósseas é normalmente causada por atropelamentos. Os cães que fogem de casa, e não são acostumados a viver em meio ao trânsito, acabam se atravessando na pista e sendo atingidos pelos veículos.

Outra causa  que também ocorre com muita frequência, principalmente em cães pequenos, é o pisoteio. Cães filhotes e de raças muito pequenas, como: Pinscher, Yorkshire e etc, são propensos a serem lesionados acidentalmente.

São encontrados também muitos cães com fraturas devido às brigas nas ruas. Normalmente, isso acontece em época de cio das cadelas das proximidades, onde ocorre a competição de machos.

Os casos de fraturas em cães, mais difíceis de serem encontrados nas clínicas das cidades, são decorrentes de disparo de arma de fogo. Essa causa ocorre mais em meio rural, principalmente em cães usados pra caça.

Quais os sintomas de fraturas expostas?

Os sinais clínicos de animais com fraturas ósseas são bem amplos. Normalmente, os cães domésticos, comparados com os seres humanos, são mais resistentes à condição dolorosa.

  1. Por conta disso, os sinais que o animal irá apresentar, dependerá da localidade onde foi lesionado.
  2. De qualquer forma, no caso de um atropelamento, fica difícil diagnosticar os lugares e a quantidade de fraturas que sofreu o animal sem que sejam feitos exames complementares.
  3. Animais que sofreram fraturas nos membros, tanto posteriores quanto anteriores, usualmente apresentam as seguintes sintomatologias:
  • O animal suspende o membro afetado pela lesão;
  • Sensibilidade ao ser tocado na região;
  • Animal apresenta uma conduta depressiva, procurando um local para ficar isolado;
  • Pode apresentar agressividade.

Animais que sofreram fraturas nas costelas, apresentam comumente os seguintes sintomas:

  • Respiração difícil;
  • Dor ao ser tocado na região dos flancos;
  • Anorexia (Não se alimenta);
  • Apresenta prostração;
  • Tende a apresentar cifose (desvio da coluna, assemelhando-se a um arco).

Os pets que apresentam fraturas na coluna vertebral, normalmente são os casos de mais fácil diagnóstico, pois apresentam sinais clínicos bem característicos, tais como:

  • Membros posteriores flácidos, arrastando os mesmos;
  • Cauda do animal não permanece em pé, e sim flácida e sem movimentação;
  • Os membros posteriores não apresentam sensibilidade à dor.

Tipos de fratura

Como dito anteriormente, as fraturas ósseas dentro da medicina são classificadas dependendo do seu tipos e gravidade.

As fraturas podem ser em apenas um local do osso, ou em várias partes, sendo estas últimas classificadas como fraturas múltiplas. De um modo resumido, as fraturas se diferenciam basicamente em dois tipos, as completas e as incompletas.

Fratura completa

A fratura completa, como o próprio nome diz, é quando o osso quebra por completo, ou seja, há a separação total, ocorrendo o afastamento do osso.

Nesse caso é de fácil percepção, já que o membro fica totalmente solto, sendo segurado apenas pelos tendões, músculos e pele.

Nesse caso é indicado a intervenção cirúrgica de emergência. Dentro da classificação da fratura completa, existe a diferenciação de fratura aberta e fechada.

Na aberta, também chamada de exposta, o osso fraturado atravessa a pele do animal ficando no meio externo.

É nesse caso que de maneira nenhuma deve-se tentar recolocar o osso na posição normal, pois pode romper vasos importantes. Na fratura fechada, o osso não atravessa a pele, não aparentando nenhuma lesão pelo meio externo.

Fratura incompleta

Nesse caso, a fratura é  menos grave, pois não há o rompimento total do osso. Normalmente ocorre apenas uma fissura, causando dor e suspensão do membro pelo animal, porém é percebido que o membro não fica solto como na fratura completa.

Nesse caso o médico veterinário pode optar pela imobilização com gesso.

Diagnóstico das fratura óssea em cães

O diagnóstico para a fratura óssea são simples, porém só devem ser feitas por um médico veterinário de sua confiança. Primeiramente é feita a anamnese e, conseqüentemente, o exame clínico do animal.

O principal exame a ser requerido em suspeita de fratura é o Raio X. Ele pode ser feito apenas no local suspeito da fratura pelo médico veterinário ou, em casos de atropelamento, pode ser requerido que sejam radiografadas várias partes do corpo.

No caso dos animais que vão passar por cirurgia para a fixação óssea, é necessário que se façam exames laboratoriais para uma boa segurança cirúrgica.

Tratamento de fratura óssea

O tratamento é de acordo da gravidade da lesão. Como dito anteriormente, pode ir apenas de uma imobilização simples, até uma cirurgia complexa.

Na cirurgia, normalmente são usados pinos e placas para uma boa fixação dos ossos. As lesões na coluna vertebral, normalmente são de prognóstico ruim, sendo necessário o uso de cadeiras de rodas especiais.

As fraturas de costelas devem ter uma atenção especial, pois trazem o risco da perfuração de órgãos internos. Isso tudo deve ser examinado pelo clínico.

Prevenção

A prevenção consiste em não permitir que os cães fiquem na rua, próximo ao trânsito. Deixe o animal em um local seguro, longe de vândalos, marginais, cães de rua, carros, armas de fogo e outros perigos.

Em caso de qualquer suspeita de fratura óssea, o animal dever ser levado a uma clínica veterinária, imobilizado. Não é indicado que o pet seja muito manipulado, para que não ocorram lesões mais graves.

Como cuidar de cachorros que quebram a perna

Mamães de animais de estimação devem saber como lidar com diversas circunstâncias, a exemplo de como cuidar de cachorros que quebram a perna! É importante buscar orientações junto de um veterinário sobre como lidar com a fratura em cães, bem como pesquisar todos os cuidados especiais para que seu melhor amigo passe com tranquilidade por este momento, que é muito desconfortável para ele.

Os animais de estimação estão propensos, a qualquer momento da vida, sofrer uma fratura de osso. Em muitos casos a lesão não é visível, mas existem sinais que ajudam a identificar se algo não está bem: quando o cão quebra a perna não suporta o peso do corpo, ou então quando a perna parece estar lesionada ou pendurada, bem como inchada.

Leve seu amigão imediatamente ao médico veterinário para todos os procedimentos clínicos! Em alguns casos existe a necessidade de cirurgia para recuperar a pata do cachorro, por isso não realize nenhum processo em casa para não comprometer o bem-estar do cão.

Em caso de fratura em cães que estejam expostas, tome muito cuidado para que o animal não lamba o machucado, tendo em vista que a boca do cachorro é repleta de bactérias e lamber a ferida pode contrair infecções.

Todo cuidado é pouco no retorno para casa, por isso aconselhamos muito descanso e precauções! Não deixe que o cão ande, corra, salte ou coloque pressão sobre a perna fraturada. É recomendável que o amigão fique em confinamento em um caixote, ou então gaiola – desde que sejam apropriados para o pet.

O caixote não deve ser muito espaço para que o cachorro não se movimente tanto para evitar que lesione ainda mais a fratura de osso, mas sim que seja um ambiente em que ele consiga deitar por inteiro e espreguiçar os músculos, além de ter espaço suficiente para que ele fique sentado.

Mantenha-o sempre por perto, pois assim o cachorro não sentirá nenhum tipo de solidão e estará no conforto do ambiente familiar. Enquanto estiver deitada, coloque o pet em cima de você para confortá-lo. Não deixe que faça esforços.

Disponibilize uma caminha bem macia, onde a pressão do corpo do animal fique por igual, pois assim ficará muito mais confortável. Outra dica muito legal para ajudar o seu cãozinho com fraturas é amarrar uma tipoia na barriguinha e ajuda-lo a dar alguns passinhos.

Outros fatores são importantes e servem de alerta para questionar o veterinário são os cuidados com a alimentação durante este período, pois é importante que seja reduzida porque a queima de energia será muito menor e o ganho de peso se torna muito mais propício. A ração para cães Max Premium Especial – Light Frango & Arroz ajuda a dieta a ficar ainda mais gostosa!

Leia também:  Como bloquear um computador mac: 9 passos (com imagens)

Como Saber se o Cachorro Quebrou a Pata?

De repente, em meio à brincadeira, percebeu que seu amigo está mancando? Observe com cuidado, pois é bastante comum que alguma fratura ou lesão passe despercebida aos olhos dos tutores.

Pancadas e outros acidentes domésticos podem resultar em fraturas que, quando não cuidadas, podem ter consequências ainda piores.

Mas, como saber se o cachorro quebrou a pata? O que fazer? Qual o melhor tratamento de recuperação?

Como saber que o cachorro quebrou a pata?

Atropelamentos, acidentes e quedas são normais e, quando machucam, costumam produzir sinais específicos de que alguma coisa não está bem. De qualquer forma, é preciso sempre ter atenção ao comportamento do cão. Se está evitando apoiar um dos membros no chão, latindo em excesso ou ganindo quando encosta na área afetada.

Como socorrer o pet?

Se perceber ou presenciar que o pet está gravemente machucado, antes de qualquer coisa, chame o socorro veterinário ou leve-o com urgência a um Hospital Veterinário. Enquanto aguarda, faça o possível para deixar o cão quieto e calmo. Se for possível, coloque o pet em um lugar onde ele não tenha de se mover para que o problema não se agrave, com cuidado na movimentação.

Caso aviste algum sangramento nas fraturas que foram expostas, tente conter o fluxo de sangue usando um curativo estéril ou um pano limpo, com cuidado para não deslocar a fratura.

Em qualquer situação o mais importante é sempre manter a calma, especialmente quando há um comportamento fora do comum e, em alguns casos quando o animal está muito irritado e agressivo, colocar a focinheira para evitar mais acidentes, levando o animal ao veterinário o mais rápido possível.

Contusões na pata do cachorro

As contusões, normalmente, são machucados em algum músculo ocasionados por alguma batida brusca, briga ou até quando algo cai em cima dele. Pode ser que o músculo na área afetada fique dolorido, inchado e até com hematomas, dependendo da força da batida.

Normalmente as contusões nas patas dos cães não são graves e o local melhora sozinho após algum tempo. Porém, é sempre aconselhável continuar observando o comportamento deles. Quando o pet continua dando sinais de dor ou não conseguindo apoiar o peso na pata machucada, leve-o ao veterinário o quanto antes.

Entorses e luxações

As entorses e luxações caninas fazem com que as áreas afetadas atinjam os tecidos que formam as articulações (como os ligamentos e os meniscos) e a diferença está no tipo de machucado; quando acontece uma entorse, os tecidos da articulação ficam machucados mas não se rompem nem saem do lugar, enquanto quando ocorre uma luxação os tecidos se rompem e o osso sai do lugar, seja parcial ou completamente.

Várias situações podem levar a entorses e luxações na pata do cachorro, desde batidas, hiperextensão, tombos, tropeços e outros.

Algumas raças possuem certa predisposição a alguns tipos de luxação.

Os Yorkshires e Malteses, por exemplo, possuem maior propensão à luxação de patela, enquanto raças como o Pastor Alemão possuem maior incidência em lesões como a luxação coxofemoral.

Pata fraturada

As fraturas são quebras nos ossos que podem ocorrer por pancadas e batidas, e a gravidade dependerá muito do osso afetado e da forma e intensidade que recebeu o impacto e quebrou.

A fratura causa muita dor, mas ficam menos dolorosas e mais confortáveis em posição quando imobilizadas por profissionais. Por isso, sempre que acontecer casos de fraturas, leve o seu amigo a um veterinário.

Tratamento mais adequado

  • Em geral, a fisioterapia veterinária é a mais indicada na recuperação de pets com problemas ortopédicos como lesões, fraturas, luxações, displasia coxofemoral, artrose, artrite, ruptura de ligamento cruzado e outros.
  • As técnicas, voltadas para a reabilitação animal, oferecem um programa de recuperação qualificado, seja pré ou pós-operatório, resgatando a qualidade de vida do animal e oferecendo um ambiente saudável de reabilitação gradual e eficiente.
  • Nos casos neurológicos, por exemplo, a fisioterapia é muitas vezes essencial para que o pet volte a caminhar, como nos casos de fraturas e luxações vertebrais, traumas na coluna ou hérnias de disco que comprometem a locomoção e a condição muscular do animal.
  • Os benefícios são notáveis, desde uma recuperação mais rápida de cirurgias até animais que voltaram a andar depois de fortes traumas, a fisioterapia animal pode proporcionar conforto aos pacientes, conservando musculatura, evitando novas intervenções cirúrgicas, diminuindo o uso de medicamentos e anti inflamatórios, aumentando confiança e expectativa de vida e muito mais.

Converse com um especialista Fisio Care agora mesmo!

A Rede Fisio Care Pet investe pesado na capacitação de seus profissionais e na aquisição de equipamentos modernos que forneçam os mais eficientes e atualizados protocolos de atendimento, traçando um planejamento de reabilitação personalizado, respeitando cada caso e condição clínica de cada animal.

Encontre a unidade Fisio Care mais próxima de você ou preencha o formulário de agendamento abaixo e marque uma consulta agora mesmo! São mais de 20 unidades com os melhores programas de reabilitação animal e equipe de ortopedia. Resgate a qualidade de vida do seu amigo com a Rede Fisio Care Pet.

O que devo fazer se meu cão quebrar a patinha?

Em meio à brincadeira, percebeu seu cãozinho mancando? Observe com cuidado, pois ele poderá ter quebrado a patinha! É bastante comum, infelizmente, que algumas fraturas passem despercebidas aos olhos dos tutores de cães. Pancadas e outros acidentes domésticos podem resultar em fraturas que, se não cuidadas, podem ter uma cicatrização inadequada com más consequências.

Como sei que meu cão quebrou a pata?

Acidentes, quedas e atropelamentos estão sujeitos a acontecer e, quando machucado, o cão mostra sinais específicos de que alguma coisa não está bem. Tenha sempre atenção ao comportamento do cachorro. Se ele estiver evitando apoiar um dos membros no chão, latindo ou ganindo se encostar na área leve logo o pet ao veterinário.

Como socorrer o cachorro imediatamente?

Ao perceber que seu cãozinho está gravemente machucado, antes de qualquer coisa, chame socorro veterinário. Enquanto espera, faça o possível para deixar o animal quieto e calmo.

Se puder movimentá-lo, coloque o pet em um lugar onde ele não tenha de se mover para que o problema não se agrave.

Ao perceber sangramento nas fraturas que forem expostas, tente conter o fluxo usando um curativo estéril ou um pano limpo, tendo extremo cuidado para não deslocar a fratura.

Foto: Depositphotos

É importante tentar imobilizar o animal e prender o focinho. O cachorro que sente dor, ainda que seja muito dócil no dia a dia, pode ficar bastante agressivo com o tutor, querendo arranhar ou morder. Tente prendê-lo com ajuda de um cobertor, coloque uma focinheira e transmita um ar de serenidade ao pet, quando ele percebe o dono muito aflito, tende a ficar também.

Improvise uma focinheira

Em lares com cães dóceis, raramente se encontra uma focinheira. Portanto é possível improvisar uma para casos extremos. Basta usar um cordão – com o cuidado para que o material não seja cortante – para amarrar o focinho. Pode usar, por exemplo, um cadarço de tênis longo. Dê algumas voltas em torno do focinho, com cuidado para não ser mordido, e amarre o fio atrás do pescoço do cão.

O que nunca fazer em casos de acidentes

Muitas vezes queremos ajudar de alguma forma a remediar a dor do nosso pet, mas isso pode ser um grande problema. Se o seu cão foi atropelado, por exemplo, e tem uma fratura exposta, sangra muito e “grita” de dor, chame socorro veterinário de imediato.

Colocar talas, fazer torniquetes ou dar remédios para dor não é indicado se você não tiver conhecimento veterinário, pois poderá piorar o caso.

Jamais aplique pomadas, unguentos ou produtos caseiros sem indicação do veterinário de confiança, pois há possibilidade de contaminação em feridas, o que pode gerar graves infecções.

Como lidar em casa

Ao voltar do veterinário, dependendo da condição do seu cachorro, a cicatrização ocorrerá em algum tempo. Para tanto é imprescindível ter bastante atenção e cuidado com o cãozinho para que ele não magoe o membro em recuperação.

Tente deixa-lo de repouso o máximo possível, deixando o animal quieto em um ambiente pequeno, com água e comida ao dispor. Não deixe ele sozinho por muito tempo para que não fique agitado e amedrontado.

Se sentir segurança, faça carinho e companhia para o animal se sentir seguro.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*