Como ajudar seu gato a perder peso: 14 passos

Coisa gostosa é um filhotinho de gato ou cachorro! São tão delicados, engraçadinhos, fofinhos, difícil resistir! Sem contar que ter aquela coisinha tão pequenina nas mãos te faz sentir tão importante! É nosso dever proteger, mimar, dar carinho, brincar e alimentar!

E é sobre a alimentação que vamos falar hoje, na verdade, sobre como a má alimentação pode levar a obesidade e causar danos a saúde do animal.

Engana-se quem pensa que somente os humanos podem sofrer de sobrepeso ou obesidade. Os animais também podem passar por essa situação, mas existem diversas coisas que você pode fazer para impedir que seu pequeno sofra.

Informe-se

Como Ajudar seu Gato a Perder Peso: 14 PassosEsse grandão aí da foto é o Pablito. Quando ele nasceu tinha o mesmo tamanho de qualquer outro gatinho bebê, no entanto ele era um pouquinho diferente. Não miava, era muito carinhoso mas ao mesmo tempo medrosinho. Lembro que ele tinha outros três irmãos e ficavam numa caixinha de papelão. Ele foi o último a sair da caixinha, não gostava de brincar e correr nem pensar! Mas ele sempre foi tão preguiçoso que nem uma bolinha com penas animava elezinho. Resultado? Foi ficando gordinho e a gente achando bonitinho. O gordinho foi ficando gordão, obeso e chegou a 13 quilos!

Um belo dia a gente se deu conta que ele não estava do tamanho normal de um gato. O veterinário que o acompanhava nunca falou nada sobre sobrepeso e os exames sempre foram bons. Ele realmente é muito grande, tem aproximadamente 65cm mas mesmo assim 13 quilos é muito para um gato.

Trocamos de veterinário e começamos uma luta. Se você já fez dieta imagina como é! Ele atualmente esta com 9 quilos e precisa perder mais 3 quilos. Mas gente, é muito difícil!

Eu fiz questão de deixar esse depoimento para que vocês vejam que não estão sozinhos!

Em 2002 as doutoras Márcia Jericó e Karin Sheffer estudaram 648 cães na cidade de São Paulo e constataram que 16,5% eram obesos. Em 2011 a ABINPET (Associação Brasileira da Indústria de Produtos para Animais de Estimação) destacou que tínhamos no país cerca de 35,7 milhões de cães e 19,8 milhões de gatos.

Apesar de não termos um dado específico sobre a população animal em sobrepeso no país, estima-se que 30% dos cães sofrem de obesidade e cerca de 25% dos gatos sofrem da mesma doença. É muita coisa não?

Obesidade

A obesidade é por definição acúmulo excessivo de gordura corporal, não confunda com inchaço ou retenção de líquidos. Seu peludinho pode estar um pouco acima do peso não por gordura mas também por outros fatores como hipotiroidismo.

É importantíssimo que você vá á todas as consultas periódicas com seu veterinário de confiança e pese seu pequeno pelo menos uma vez ao mês.

Se seu pet for de porte pequeno, para pesar em casa é simples:

Primeiro você deve se pesar sozinho e anotar o peso. Depois se pese com seu pet no colo e anote o resultado. Para saber o peso do seu pequeno, basta subtrair o seu peso sozinho com o peso que deu com seu pequeno no colo. Gostou né?

  • Os animais podem sofrer de obesidade  fisiológica ou patológica.
  • Obesidade fisiológica é adquirida devido a alimentos impróprios para seu consumo, excesso de alimento e falta de atividades físicas.
  • Obesidade patológica são as disfunções hormonais e deve-se incluir a esse fator também a obesidade por estresse, muito comum a animais que ficam muito tempo sozinhos e acabam ficando carentes por atenção.

Como evitar a obesidade

Como Ajudar seu Gato a Perder Peso: 14 Passos

Eu sei que é difícil de aceitar, mas o responsável pela obesidade do seu peludinho é sua! Assim como acontece com a grande maioria das pessoas, engordar é facílimo mas emagrecer muito difícil. Por isso é mais fácil prevenir a doença do que emagrecer depois.

Listamos aqui algumas coisas que você precisa fazer para evitar que seu peludinho engorde e chegue a obesidade:

  • Vá ao veterinário com frequência e mantenha todos os exames e vacinas em dia.
  • Converse com o veterinário sobre a melhor ração para o biotipo do seu animal. O peso correto vai variar de acordo com a raça e tamanho dele também. Existem muitos tipos de ração: light, diet, para animais com sobrepeso, obesos, castrados, filhotes, com alergia, com problema renal e somente o médico especialista vai poder definir com exatidão qual a melhor para o seu peludinho.
  • Estimule seu pet a se exercitar. Passeie com seu cachorro ao menos duas vezes ao dia. Estimule o gato a correr atrás de bolinhas ou penas. Mas atenção, respeite a condição física do seu animal, não vá fazer uma caminhada de uma hora sabendo que ele só suporta 30 minutos.
  • Respeite a quantidade de ração diária. A ração é o alimento mais completo que existe para o animal, ele não precisa de outros tipos de alimentos para suprir suas necessidades. Eu sei que todo mundo adora dar um petisco, mas se atente as quantidades e na dúvida consulte o veterinário.
  • Não ofereça seu alimento à ele, salvo quando o veterinário nutrólogo indicar. Cães e gatos não precisam comer pão ou biscoitos. Não devem comer macarrão, arroz e feijão. Nós precisamos dos nutrientes desses alimentos, eles não. Como já dissemos, a ração é completa em nutrientes, tem tudo o que eles precisam. Oferecendo a quantidade correta diária, não ficarão com fome.

Os perigos da obesidade

Essa doença é multifatorial, mas os problemas acarretados por ela são quase sempre os mesmos:

  • Osteoartrite (Artrite Degenerativa)
  • Resistência à insulina
  • Diabetes
  • Pressão Alta
  • Doenças Cardíacas e Respiratórias
  • Dano do Ligamento Cruzado Cranial
  • Doença Renal
  • Muitas formas de Câncer
  • Diminuição da expectativa de vida

Como podem ver, essa é uma doença séria e precisa de atenção. Não é uma questão de estética e ter um animal bonitinho, é saúde!

Veja a tabela a seguir e confira se seu peludinho esta abaixo ou acima do peso ideal:

Como Ajudar seu Gato a Perder Peso: 14 Passos

Legenda para as observações dos círculos:

Muito Magro: Recomenda-se consultar o médico veterinário para determinar o motivo do baixo peso (dieta inadequada, doença, parasitas intestinais, etc).

Magro: Verifique se a dieta e quantidade diária do alimento são adequadas para o animal e seu modo de vida. Diversas razões podem estar na origem dessa condição corporal. Consulte o médico veterinário para avaliar a saúde do animal.

Peso ideal: Parabéns! O seu animal tem o peso ideal. Bastará verificar se a dieta é indicada para sua idade, tamanho (tratando-se de um cão) e em certos casos para a raça, de forma a corresponder especialmente as suas necessidades.

Excesso de peso: Atenção… É aconselhável iniciar um programa de emagrecimento. Nesta fase o excesso de peso do animal pode começar a ter efeitos sobre a sua saúde… Para ter uma noção mais clara: no homem  corresponde ao aumento do peso ideal 75kg para 90kg!

Acentuadamente obeso: Se o seu animal apresentar essa silhueta esta obeso! O equivalente no homem será passar dos 75kg para os 105kg. A expectativa de vida diminui e existem riscos para a saúde relacionados com esse nível de obesidade. É fundamental uma dieta de emagrecimento. Consulte o médico veterinário do seu animal.

Essa tabela acima serve tanto para cães como para gatos. Observe seu pequeno, veja se ele apresenta uma fome fora do normal, se por acaso se exercita pouco, se passa muito tempo deitado. Isso pode ser sinal de alguma doença e muitas vezes já é a obesidade o impedindo de realizar alguma atividade.

A obesidade pode atingir todos os animais, de todas as raças. Mas existem algumas raças de cães que já são pré dispostas a sofrerem desse problema, são elas:

  • Labrador Retriever
  • Beagle
  • Bulldog Inglês
  • Cocker Spaniel
  • Golden Retriever
  • Dachshund
  • Basset Hound
  • Pug
  • Schnauzer
  • Rottweiler
  • Bernese

A predisposição dessas raças relaciona-se a fatores genéticos ligados ao comportamento alimentar e ao gasto energético, principalmente.

Cães da raça Labrador, por exemplo, podem apresentar menor eficiência no controle do apetite, e por isso tendência em comer em excesso e com voracidade.

Além disso, essa raça apresenta naturalmente maior proporção de massa gorda em relação à massa magra (musculatura), o que determina menor gasto energético e portanto maior predisposição à obesidade.

Não há relatos de predisposição à obesidade entre as raças de gatos.

Como combater a obesidade

Como Ajudar seu Gato a Perder Peso: 14 Passos

Se seu animal é obeso, é bem provável que você também tenha uma vida desregrada, não pratique exercícios físicos e nem cuide muito de sua alimentação. Eu disse bem provável, não é regra. No entanto uma vez comprovado que seu pequeno está acima do peso e precisa emagrecer, algumas coisas precisam mudar:

  • No caso dos gatos, coloque sua comida e água em lugares mais altos para forçá-lo a subir.
  • Troque a ração por uma menos calórica e que contenha os nutrientes necessários para essa nova fase. Seu veterinário vai te ajudar com indicações de marcas adequadas.
  • Corte a alimentação extra, como iogurtes, pão, comida de panela e tudo o que você comia e dividia com ele.
  • Estimule a prática de exercícios físicos. Praticar exercícios não é deixar seu cachorro na praça correndo atrás de pombo, é preciso caminhar e/ou correr com função de queimar calorias. Lembrando sempre de respeitar a atual situação de saúde dele.
  • No caso dos gatos que não dá pra sair de casa, é preciso se mover. Brinque por uns 30 minutos de caçada com ele, estimule que corra atrás de você. Use petecas, bolas, ratos e tudo o que estiver a sua disposição.
  • Divida a ração ao longo do dia. Se você colocar tudo de uma vez, eles vão comer tudo na hora. Fracione, vão ficar com a sensação que sempre tem comida e devem sentir menos fome.
  • Estimule que beba bastante água. Coloque pedras de gelo na água, além de refrescar vai estimular uma brincadeira saudável.
  • Siga a risca o programa de emagrecimento estipulado pelo veterinário.
  • Pese sempre que possível para acompanhar a perda de peso.
  • Mantenha a dieta, mesmo depois de obtido o peso ideal.
Leia também:  Como bloquear o espaço embaixo da cama: 11 passos

Combater a obesidade não é estética, é saúde! Conheça bem seu peludinho, faça carinho apalpando, observe como ele esta andando e veja se a cintura sumiu. Cuide bem daquele quem sempre cuidará de você com muito amor e carinho!

Quanto a você, se cuide também! Tente se exercitar ao menos três vezes por semana por 40 minutos. Evite excesso de gordura e doces. Dê preferência a frutas, legumes e verduras. Não fume e controle a bebida alcoólica. Leve a vida de forma mais saudável você também!

E aí, gostou do nosso post? Deixe suas dúvidas e experiências nos comentários. Semana que vem a gente volta com mais dicas e cuidados pra vocês, até lá! ????????

Fontes:

  • https://caminhacaoatividadeanimal.wordpress.com/2014/10/14/obesidade-canina/
  • http://www.petmasteronline.com.br/index.php/materias/33-c%C3%A3es-e-gatos-sofrem-com-a-obesidade.html
  • http://www.isfoundation.com/pt-br/news/obesidade-em-animais-de-estima%C3%A7%C3%A3o
  • http://www.anda.jor.br/18/04/2014/obesidade-animais-domesticos
  • http://idmedpet.com.br/saude-de-a-z-caes-e-gatos/obesidade-em-animais-de-estimacao-saiba-como-identifica-la.html

 Como Ajudar seu Gato a Perder Peso: 14 Passos

Ajudando seu gato gordo a emagrecer e chegar no peso ideal – Saúde – iG

Os donos podem até gostar das dobrinhas e gordurinhas de um gato gordo, mas o fato do animal estar acima do peso é preocupante.

 A obesidade tem se tornado recorrente entre os felinos domesticados por causa do aumento do sedentarismo.

No entanto, é importante estar sempre de olho nas mudanças de peso para evitar que o bichano desenvolva doenças como colesterol alto, diabetes ou problemas cardiovasculares. 

Leia mais:  Diabetes em gatos? A doença tem se tornado comum nesses pets

Por isso, se deseja que seu  gato gordo
 volte a ter a energia de quando era jovem, assim como ter uma vida saudável e longa, é preciso controlar o peso antes que seja tarde demais. Descubra como fazê-lo emagrecer e se manter sadio.  

Como sei que meu gato está gordo?

Antes de iniciar uma dieta, é preciso ter certeza de que seu gato está realmente acima do peso. Se seu bichano é de raça pura, descobrir isso é bem mais fácil já que existe um peso padrão. Porém, como a maioria dos pets são vira-latas, dá para ter uma ideia baseado no peso médio dos gatos. 

Como Ajudar seu Gato a Perder Peso: 14 Passos reprodução shutterstock

Os donos precisam ficar atento quando o gato começa a aumentar muito de peso

Podemos dizer que um felino é considerado gordo quando excede entre 15 e 20% do peso normal. No caso das fêmeas, o peso varia de 3 a 4 kg e 4 a 5 kg para os machos. Portanto, se o seu animal está alguns quilos acima desse ideal já pode ser considerado gordo. 

De qualquer forma, isso é só uma base para que o dono fique de olho na saúde do bichano. Para ter certeza que está mesmo obeso, é preciso consultar um veterinário. Ele sabe qual é o peso ideal dependendo da raça, tamanho e idade, descobrindo assim qual a real causa do sobrepeso para tomar as medidas necessárias. Lembre-se que é arriscado começar uma dieta sem avaliação médica.

Leia também:  Você tem um gato obeso? Saiba como lidar com esse problema

Se depois disso seu gato for realmente diagnosticado com obesidade, caberá ao dono ajudá-lo a emagrecer. Toda rotina terá que mudar. Provavelmente a alimentação será modificada e exercícios se tornarão parte do dia a dia de vocês. 

Mudando a alimentação

Provavelmente um dos motivos do seu bichano estar acima do peso é a alimentação. O primeiro passo é montar uma dieta que reduza as calorias diárias. O mais recomendável é oferecer ração rica em proteínas e baixa em carboidratos. 

Atualmente já existem marcas de alimentos feitos para gatos nessa condição, as chamadas rações light. Elas são mais leves e tem baixa quantidade de carboidratos.

No entanto, antes de comprar, seria interessante considerar trocar as refeições industrializadas pelas naturais.

Você mesmo pode cozinhar para seu gato, assim terá certeza de que está oferecendo comida de qualidade e com pouca gordura. 

Consulte o veterinário antes para saber se é uma boa ideia você preparar as refeições do bichano. Ele te ajudará a montar a dieta e descobrir quais alimentos são indicados para gatos acima do peso. Caso contrário, o profissional indicará a ração mais adequada. 

Como Ajudar seu Gato a Perder Peso: 14 Passos reprodução shutterstock

Se você tem um gato gordo, a primeira medida é mudar a alimentação e passar a oferecê-la em pequenas porções

Mas, para que a mudança alimentar tenha efeito, será preciso também reduzir a quantidade oferecida nas refeições. Pouco adianta trocar a ração ou o tipo de comida se o gato continuar comendo grandes porções. 

O recomendado é distribuir poucas quantidades do alimento em duas ou três vezes ao dia e não deixá-la exposta a disposição. O felino irá reclamar no começo e com certeza ficará atrás de você pedindo mais comida, mas se mantenha firme e não ceda. Ele precisa se habituar a comer menos e regularmente. 

É importante também que você não fique oferecendo as sobras de sua comida e guloseimas ao longo do dia. Esses alimentos são muito calóricos para um gato que precisa emagrecer. 

Veja mais:  Descubra as melhores formas de exercício para gato

Fazendo exercícios

Para que o programa de emagrecimento funcione, é preciso combiná-lo com exercícios. Atividade física é imprescindível para qualquer animal, principalmente os obesos. Primeiro, você precisará estimulá-lo a brincar. Provavelmente seu gato está sedentário e será difícil o fazer sair do lugar, mas não desista. 

Reserve um tempo do seu dia para essa tarefa — cerca de 20 minutos. Você pode começar com a brincadeira de perseguição. Amarre uma pena, um ratinho de pelúcia ou algum outro brinquedo em uma corda e prenda numa vareta. Fique movimentando na frente do bichano para estimulá-lo a caçar. Esse jogo deixará o gato alerta e fará todo seu corpo se movimentar.

Outra ideia é deixar seus brinquedos em locais de difícil acesso. Compre um arranhado e coloque num lugar alto, como uma estante. Ele será obrigado a subir se quiser se divertir com a peça. Você também montar um circuito usando diversas prateleiras, assim seu gato passará o dia saltando. Se quiser deixar mais interessante, coloque os brinquedos do bichano no trajeto.

Como Ajudar seu Gato a Perder Peso: 14 Passos shutterstock

Os gatos precisam ser incentivados a praticar exercícios se deseja que a dieta funcione e ele reduza o peso

Caso seu gato esteja um pouco relutante em praticar exercícios, você pode fazê-lo se movimentar sem se dar conta. Que tal espalhar seus brinquedos por diferentes pontos da casa? Ele precisará caminhar se quiser encontrar todos. Lembre-se de não esconder totalmente, se não a brincadeira perde o propósito. 

Se tiver condições e seu gato for sociável, pode ser uma boa ideia adotar outro animal para que brinquem juntos. Um novo amigo pode ser tudo que seu bichano precisa para deixar o sedentarismo de lado. 

Leia mais:  Brincadeira de gato: 8 atividades para entreter o pet sozinho em casa

Apesar de ser importante o pet se exercitar, tenha cuidado para não exagerar na dose. Um gato gordo provavelmente tem problemas nas articulações e atividade em excesso não fará bem.

Comece bem devagar para que ele se acostume com os exercícios e, aos poucos, vá aumentando a intensidade.

Não se esqueça de que levá-lo ao veterinário regularmente para acompanhar a perda de peso e a melhora da saúde.

Leia tudo sobre:

Como se livrar da retenção de líquido em 5 passos simples e perder peso

Inchaço, inflamação das pernas e pés e articulações rígidas são sintomas desagradáveis ​​de retenção de líquidos.

Existem 3 tipos diferentes desta condição, e o primeiro (retenção de fluidos médicos) é causado por doenças graves, como as do coração, tireoide, artrite ou lúpus. Os outros 2 tipos são cíclicos e de retenção em geral.

Eles estão associados ao estilo de vida que levamos e aos ciclos menstruais das mulheres. Além disso, geralmente não estão sujeitos a tratamento médico.

A retenção de líquidos detectada pelo médico deve ser tratada por especialistas. Mas se sua saúde estiver boa, tente seguir estas dicas que o Incrível.club preparou para você. Elas podem ajudá-lo a esquecer o desconforto que essa condição acarreta.

Devido à retenção de líquido, podemos nos sentir mais pesados ​​que o normal ou ser menos ativos. Outros sintomas são:

  • Sangramento na pele.
  • Flutuações de peso.
  • Inchaço especialmente na região abdominal.
  • Inflamação no abdômen, rosto e quadril.
  • Inchaço das pernas e tornozelos.
  • Rigidez nas articulações.

Como Ajudar seu Gato a Perder Peso: 14 Passos

O estresse é uma reação do nosso corpo a uma situação perigosa ou complexa. Como parte da resposta de luta ou fuga, as glândulas suprarrenais liberam cortisol (também conhecido como hormônio do estresse).

E de acordo com um estudo, aumenta a retenção de líquidos.

Se você quiser esquecer o inchaço e a rigidez nas articulações, pratique técnicas de respiração, levantamento de pernas, ioga e aprenda a relaxar adequadamente.

Ir à sauna não é apenas uma maneira de relaxar e escapar de problemas cotidianos, também é uma outra maneira de reduzir a retenção de líquido.

De acordo com um artigo publicado pela Escola de Medicina de Harvard, a transpiração começa quase imediatamente após entrar em uma.

Uma pessoa comum perde, em média, aproximadamente 568 mililitros de suor durante um curto espaço de tempo numa sauna.

Você tem um emprego sedentário? Então é provável que tenha notado que suas pernas e tornozelos estão inchados quando chega em casa. Ficar sentado por muito tempo pode causar retenção de líquidos e sintomas associados. Para evitá-los, torne sua vida mais ativa: vá à academia, caminhe para o trabalho, corra ou vá para a piscina.

Leia também:  Como ajudar um amigo que tirou notas baixas: 14 passos

Como Ajudar seu Gato a Perder Peso: 14 Passos© Depositphotos.com, © Depositphotos.com

Comer alimentos ricos em proteínas, como a vitamina B6, e adquirir o potássio e o magnésio necessários, também podem ajudar a diminuir a retenção de líquido.

Esses produtos incluem: ovos, cavalinha, alcachofra, beterraba, aipo, abacate, abacaxi, damasco, figo, aspargo e chocolate amargo.

É melhor evitar alimentos com alto teor de sal, como queijo cottage, aveia instantânea, bebidas esportivas, biscoitos ou vegetais enlatados.

Como Ajudar seu Gato a Perder Peso: 14 Passos

A falta de sono tem um impacto negativo na nossa saúde e pode causar problemas graves, como obesidade, doenças cardíacas, pressão alta e diabetes.

Os cientistas confirmam que dormir mal ou não dormir o suficiente também pode afetar os nervos renais que regulam nosso balanço hídrico.

A maioria das pessoas tem que dormir aproximadamente 8 horas para que o sistema funcione corretamente, mas alguns de nós precisam de mais ou menos tempo. Lembre-se que se você acorda cansado e constantemente procura a oportunidade de tirar uma soneca, provavelmente precisará dormir mais à noite.

Você conhece algum outro método para diminuir a retenção de líquido? Compartilhe suas opiniões com a gente na seção de comentários abaixo!

Imagem de capa Depositphotos.com

Reino Unido | “Georgie” precisa de perder metade do seu peso!

  • O Alaskan Malamute “Georgie Porgie” tem apenas 6 anos de idade e pesa uns colossais 70 Kg, o dobro que deveria ter um macho saudável desta raça.
  • Resgatado pela RSPCA, foi levado para a Gables Farm – Dogs & Cats Home em Plymouth, Devon, uma Associação de Proteção Animal fundada em 1907 com experiência em animais obesos, que o vai ajudar a perder peso e a recuperar a forma.
  • O seu dono não o alimentava corretamente, porque não podia pagar a dieta veterinária necessária para o ajudar a perder peso, recorrendo a um alimento mais barato e restos de comida, e o problema começou a escalar.

Como Ajudar seu Gato a Perder Peso: 14 Passos

Este é o caso mais grave que Gables Farm teve até hoje e “Georgie Porgie” precisa de perder 34 Kg! O seu excesso de peso significa que tem dificuldade em se manter de pé, em andar e respirar, sendo muito limitado o exercício que pode fazer na sua jornada de perda de peso.

Como Ajudar seu Gato a Perder Peso: 14 Passos

Georgie, Booper e Hattie.

Os funcionários da Gables Farm esperam que este siga os passos dos casos de obesidade anteriores de “Booper the Whopper” e “Hattie the Fatty”. Sendo que, à chegada, George pesava mais 20 Kg que Booper e mais 30 Kg que Hattie.

“Georgie Porgie” irá viver na casa da gerente Ruth Rickards, tal como Booper e Hattie, pois é demasiado grande e gordo para ficar confortável num canil.

Ruth diz que “de cada vez que chega um animal obeso pensamos, é isto, será o mais gordo que vamos ver, Até que, infelizmente, chega outro ainda maior que o anterior.

É de quebrar o coração, porque é tão fácil prevenir, mas vamo-nos apoiar nos sucessos anteriores e ajudá-lo a perder peso.

Temos muito orgulho do trabalho que fazemos e cães como o “Georgie Porgie” ajuda-nos a relembrar o que significa ser uma verdadeira charity não-eutaná sia”.

Gables Farm promoveu uma campanha de angariação de fundos para cobrir as despesas de veterinário, alimentação e medicamentos para o alívio das dores.

Uma vez que tenha iniciado bem o seu percurso de perda peso, começará a busca para encontrar um lar com donos com experiência com Huskies ou Malamutes.

Excesso de peso pode atrair doenças e afetar a qualidade de vida dos gatos

JA
Juliana Andrade – Especial para o Correio

Eles são fofinhos, amam uma tigela de ração e a soneca é a atividade preferida. Os gatos acima do peso esbanjam simpatia e é difícil não querer apertá-los. Mas é preciso ficar em alerta, pois essas bolinhas de pelo provavelmente estão com excesso de gordura, o que é muito prejudicial à saúde.

Os gatos acima do peso ficam mais vulneráveis a uma série de doenças, alerta a veterinária Giovana Mazzotti, membro da Academia Brasileira de Clínicos de Felinos (ABFeL).  Eles podem adquirir diabete, acúmulo de gordura no fígado, lipidose hepática e problemas articulares. E, com isso, viver menos.

Como Ajudar seu Gato a Perder Peso: 14 Passos Aila deixou a alimentação livre e peso de Myla disparou: “O negócio dela sempre foi comer e dormir” (foto: Ana Rayssa/Esp. CB/D.A.) Logo, o ideal é tratar do peso do gatinho desde cedo. “Muitas vezes, o dono do animal não percebe que ele está gordo, até que vire uma bolinha. Tendem a achar os bichinhos fofos e bonitinhos, e chegam aqui quando eles já estão obesos”, diz a veterinária.

A estudante Aila Dantas, 33 anos, adotou Myla ainda filhote, há cinco anos. Sem muitas informações sobre felinos, deixou a alimentação livre, conta. “Castramos quando ela tinha três meses e continuei com a comida liberada. Ela estava comendo 3kg de ração por semana e começou a engordar muito.”

Para a veterinária nutróloga Andressa dos Reis, a alimentação e a castração estão entre as principais causas da obesidade nos felinos. “As pessoas não têm instrução de como oferecer comida aos bichinhos, a quantidade, o tipo de alimento escolhido para cada caso”, afirma.

As fêmeas tendem a ficar mais gordinhas. “A castração é um fator, entre outros, como doenças endócrinas e sedentarismo”, explica Andressa. E, segundo ela, não há uma dieta padrão para os gatos. Cada animal deve ser avaliado individualmente, observando o estilo de vida, a idade e o ambiente onde mora.

Hoje, Aila fica mais atenta às porções de comida oferecidas para Myla, que ainda tem dificuldade para perder os quilinhos extras. Outro problema dela é a falta de exercício. “Tenho mais três gatos. Eles correm, brincam, pulam, mas ela é muito preguiçosa, na dela. É raro ficar brincando com os outros, o negócio dela sempre foi comer e dormir.”

Ração especial

Dormir e comer também é só o que quer Lilica, a gata da professora Fernanda Damasceno, 36. A felina já tem 11 anos e, se sobram quilos na balança, falta disposição para se exercitar. Mas nem sempre foi assim. Antes, quando morava em uma casa, a gata costumava sair bastante para passear. Fernanda, então, decidiu castrá-la.

“Ela ficou mais sossegada e mais caseira. Na época, nem passou pela minha cabeça mudar a alimentação, mas ela foi ganhando peso e chegou aos 8kg”, relata.

Conscientes de que a obesidade poderia prejudicar a saúde de Lilica, os familiares de Fernanda começaram uma força-tarefa para fazer a gata se exercitar.

Géis emagrecedores, caminhadas, mudança na alimentação, nada fez a gatinha perder peso.

“Ela começou a ter alguns problemas na pele por causa do excesso de peso. Como ficava muito tempo deitada na grama úmida, teve também algumas infeções e chegou a perder o pelo da barriga”, conta Fernanda. Lilica passou a comer uma ração especial para gatos obesos e vem controlando os problemas na pele, mas, com a idade e os quilos a mais, não tem disposição para brincar como antes.

Como Ajudar seu Gato a Perder Peso: 14 Passos Lilica chegou a pesar 8kg e teve problemas na pele: família faz força-tarefa para ela se exercitar e perder peso (foto: Marcelo Ferreira/CB/D.A.)

A falta de exercício se agravou quando Fernanda veio do Rio de Janeiro para Brasília e foi morar em um apartamento. Se a gata não fazia exercício com o espaço que a residência oferecia, em um apartamento as atividades ficaram mais difíceis ainda.

A veterinária Giovana Mazzotti explica que os gatos não são preguiçosos, mas se tornam assim. Segundo a especialista, os felinos precisam e gostam, por natureza, de estar em ação, mas, depois de serem domesticados, sem a necessidade de ir em busca de alimento, começam a ficar relaxados.

As especialistas lembram que é preciso motivar os bichinhos a se exercitarem. “Comece pegando a comida e colocando do seu lado para ele vir buscar. Depois de um tempo, comece a jogar a comida pela casa para ele ir atrás”, orienta Giovana. Andressa complementa: “Procure um local mais alto para ele precisar subir e descer toda vez que for comer, já vai ser uma forma de exercício”.

Mas nem todos os gatos recebem bem esses estímulos e cada caso deve ser analisado de forma particular. Daí a importância de buscar o acompanhamento de um profissional. Um veterinário também poderá ajudar o tutor a conhecer melhor o animal e a definir a alimentação e a quantidade mais adequadas para o felino.

Andressa ainda explica que é preciso saber o Escore de Condição Corpórea ( ECC) do gato, pois não existe um peso ideal para os felinos. Os quilos variam de acordo com a idade, a raça e a idade.

A escala vai de 1 a 9 — o animal avaliado com ECC 1 está muito magro e, com ECC 9, muito gordo. O ideal é de 4 a 5.

Com esse número e o acompanhamento de um profissional, vai ficar mais fácil cuidar da alimentação dos bichinhos.

  • Confira as dicas e observe se o seu gato está obeso.
  • Magro
  • Costelas visíveis, nenhuma gordura, abdôme fundo, ossos da coluna e quadril palpáveis.
  • Costelas facilmente palpáveis, pouca gordura, cintura exagerada, ossos das costelas e do quadril palpáveis, pouca gordura abdominal.
  1. Ideal
  • Cintura visível, costelas palpáveis, mas com pouca gordura sobre elas, gordura abdominal discreta.
  • Gordo
  • Ausência de cintura (a região fica abaulada), costelas não palpáveis, gordura abdominal exagerada.

Fonte: Giovana Mazzotti, veterinária

A obesidade em cães e gatos está em ascensão, assim como as suas consequências – Vet Smart Bulário

Bárbara BenitezCoordenadora de Comunicação Científica – Super Premium

A obesidade tem a segunda maior prevalência nas clínicas e hospitais veterinários. Em primeiro lugar está a doença periodontal. Porém, quando se contabiliza o diagnóstico de obesidade e as doenças que são consequências da mesma, é a de maior prevalência.

Leia também:  Como balancear equações químicas: 11 passos (com imagens)

Um animal é considerado obeso quando o peso corpóreo é de 15 a 30% maior que o ideal.

Em 2015 um estudo sobre obesidade feita pela Associação para a Prevenção da Obesidade Pet (APOP) estimou que 52,7% de cães e 57,9% dos gatos nos EUA estão com sobrepeso ou obesos, o que equivale a aproximadamente 100 milhões de animais de estimação.

Além disso, 95% dos proprietários de cães com excesso de peso e 90% dos donos de gatos com excesso de peso acreditavam que seus animais de estimação tinham, na verdade, um peso normal. No Brasil, esta realidade não é diferente e os números são muito semelhantes.

Ano após ano, uma das resoluções de Ano Novo mais comum dos brasileiros é perder peso, e as estatísticas mostram que os donos devem compartilhar esse objetivo com os seus cães e gatos.

Recentes dados informados pela Nationwide nos Estados Unidos revelam que a obesidade está aumentando pelo quinto ano consecutivo.

Em 2014, os membros da Nationwide informaram que mais de US $ 54 milhões em créditos de seguros de saúde para animais de estimação foram utilizados para doenças relacionadas à obesidade, um crescimento de 10% nos dois anos anteriores.

Semelhante aos humanos, o excesso de gordura corporal aumenta o risco de problemas de saúde e diminui a expectativa de vida de cães e gatos. Recentemente esta mesma empresa classificou através do seu banco de dados de mais de 550.000 animais de estimação as 10 melhores condições relacionadas com a obesidade de cães e gatos

A Obesidade e o Diabetes apresentam uma relação de causa e efeito. Animais diabéticos, quando obesos, apresentam maior dificuldade para terem seus níveis glicêmicos controlados.

A Obesidade é a doença nutricional de maior prevalência nas clínicas veterinárias, caracterizada por uma condição de balanço energético positivo, em que o consumo excede o gasto, com reserva lipídica estocada sob forma de triglicerídeos em tecido adiposo e vários efeitos deletérios à saúde.

Sua etiologia é multifatorial, compreendendo: alimentação inadequada como alimentos caseiros e petiscos em excesso, fatores genéticos, sedentarismo, castração, endocrinopatias (Hiperadrenocorticismo, Hipotiroidismo, Diabetes Mellitus), uso de glicocorticoides, progestágenos, anticonvulsivantes etc.

Existem 2 tipos de obesidade: Hipertrófica e Hiperplásica, sendo a obesidade hipertrófica caracterizada pelo aumento no tamanho dos adipócitos e a obesidade hiperplásica caracterizada pelo aumento do número e tamanho dos adipócitos.

É importante avaliar se o animal está com sobrepeso, obesidade ou obesidade pronunciada. Sobrepeso é quando o animal está 1% a 14% acima do peso ideal; obeso, 15% a 30% acima do peso ideal, e obesidade pronunciada o animal deverá estar acima de 30%.

Animais com sobrepeso podem consumir a Equilíbrio Light, mas no caso de obesidade e obesidade pronunciada, o alimento ideal é a Equilíbrio Veterinary Obesity & Diabetic Cães – Gatos O&D.

Equilíbrio Veterinary Obesity & Diabetic Cães – O&D apresenta na sua composição baixo conteúdo energético, o que auxilia no controle do excesso de gordura corporal; alto teor de fibras solúveis (polpa de beterraba e inulina) e fibras insolúveis (celulose em pó e psyllium) promovendo a saciedade do animal, reduzindo assim o consumo de calorias e mantendo a saúde do trato gastrintestinal. As fibras solúveis diminuem a velocidade do esvaziamento gástrico e controlam a absorção de nutrientes. As fibras insolúveis aumentam o volume do alimento e aceleram o trânsito gastrintestinal.

  • 30% de proteína é considerado ideal para a manutenção da massa magra.
  • Alta concentração de L-carnitina no produto Equilíbrio Veterinary Obesity & Diabetic Cães – O&D acelera a queima de gorduras e também ajuda a manter a massa magra.
  • O uso de antioxidantes naturais como Vitamina E, C, D e betacaroteno combatem os radicais livres e evitam o envelhecimento celular precoce.
  • Os ácidos graxos poli-insaturados colaboram para a redução dos níveis séricos de triglicérides e aumentam a sensibilidade à insulina.
  • O mineral cromo é muito importante para animais diabéticos, pois é considerado um facilitador da entrada da glicose na célula e regula assim os índices glicêmicos.

A maioria das condições relacionadas com a obesidade

Como Ajudar seu Gato a Perder Peso: 14 Passos

Fatores de risco: Genética; Raça; Idade; Castração; Doenças endócrinas; Corticoides; Sedentarismo; Alimentação errada e Ausência de saciedade.

Colaborando na perda de peso

Todos os dias são uma oportunidade perfeita para criar rotinas de exercícios regulares para nossos animais de estimação e começar a gerir eficazmente os seus hábitos alimentares para evitar a obesidade. Visitas regulares ao seu veterinário é a maneira mais eficaz para monitorar o peso do animal de estimação, além de ter a consciência de sinais de ganho de peso.

Abaixo estão os passos simples que você pode tomar para ajudar a regular o peso do seu animal de estimação:

  • Mantenha uma dieta consistente, monitorando a quantidade de alimento que você dá ao seu animal de estimação.
  • Regular a quantia de guloseimas que você dá o seu animal de estimação. Dê preferência aos snacks Light e mesmo assim contabilize as calorias e desconte na quantidade de alimento que irá fornecer.
  • Estabelecer um cronograma de exercício. A atividade física compreende de 10 a 30% do gasto calórico. Gastamos de 60 a 75% com a energia metabólica basal e com a termogênese de 10 a 15%.

Por ser um distúrbio de elevada prevalência nos cães e gatos e por levar a sérias consequências e prejuízos à saúde, a obesidade deve ser sempre considerada uma emergência, portanto precisa ser tratada rapidamente.

  1. Case et.al., Nutrição canina e feline:manual para profissionais, 2006.
  2. M. Switonski et al., 2013. Dog obesity-The need for identifying predisposing genetic markers. Res Vet Sci online, December 2013. doi: 10.1016/j.rvsc.2013.08.015.
  3. Nutritional Requeriments for dogs and cats, NRC, 2006.

Você tem um gato? Aqui estão 4 dicas simples para saber quando ele está doente

Um belo dia seu gato acorda meio assim… Sabe? Mole, meio sem ânimo. Você não faz ideia do que pode ser. Pode ser só uma indisposição?

Claro! Quem nunca acordou meio sem ânimo pra nada? Os gatos também têm dias assim, aquela preguiça que não cabe em um só.

Mas a gente conta com uma arma muito eficaz: familiaridade com nosso gatinho. Nós sabemos quando um peludinho agitado está muito calmo, um falante anda meio calado ou o guloso está sem apetite, por exemplo.

Mas como cérebro de mãe é preocupado, fica sempre a dúvida: o que pode ser? Será que ele tem alguma coisa? Aí resolvemos ajudar e acalmar os corações maternos! 

Como saber se o gato está doente:

Como Ajudar seu Gato a Perder Peso: 14 Passos

⇒ Leia também: O Que Fazer Para Encontrar o Seu Gato Perdido

Não é muito difícil conseguir saber quando o seu peludo não está lá muito bem, o gato sempre possui o comportamento em alerta, feliz e curioso. Por isso, como comentei, essa é uma das primeiras situações que devem ser avaliadas, as alterações no comportamento e também na aparência.

Quase sempre eles ficam fraquinhos e podem dormir muito (ainda mais!) e apresentar diversos sintomas como:

  • Falta de apetite;
  • Febre;
  • Vômito;
  • Fraqueza;
  • Diarreia;
  • Inatividade;
  • Pelo sem brilho e outros.

Os Passos

Passo 1: A temperatura é o primeiro passo pra avaliarmos a condição deles. A normal dos gatos é mais alta que a nossa, então podemos considerar normal algo entre 37,5º a 39º.

A gente mede a temperatura deles pelo bumbum (em outros locais não vai medir certo), só precisa da pontinha do termômetro. Por isso você vai precisar separar um termômetro só pra ele, até por higiene mesmo. 

Em último caso, você pode tentar sentir a orelhinha dele e ver se está muito quente, mas com certeza não vai ser tão preciso. Serve só como um indício mesmo.

Passo 2: Depois da temperatura, você vai precisar notar se ele está se alimentando, bebendo água e fazendo as necessidades regularmente e a aparência delas.

Isso é super importante, porque, se for o caso de o gato estar doente, o Médico Veterinário vai precisar de informações e quanto mais e mais precisas elas forem, melhor será o diagnóstico. ????

Passo 3: Passado isso, você vai prestar atenção na respiração. Ela está muito rápida? Seu gatinho está ofegante? Ele está respirando com a boca muito aberta?

Passo 4: Passando para os sintomas mais graves, vai ser preciso agora notar se ele apresenta sinais de desorientação, tontura ou desmaios.

⇒ Leia também: Você Pode Estar Deixando Seu Gato Doente. Veja As 7 Principais Doenças Que Os Próprios Donos Causam Em Seus Gatos Sem Querer Por Desconhecimento

Então o que a gente pode concluir disso?

  • Antes de qualquer coisa, o que você tem que ter em mente é que esses passos são para ajudar a identificar SE há algo de errado e ajudar a entender como saber se o gato está doente.
  • Então nada de ficar tentando acertar O QUE ele pode ter, ok?
  • Se ele apresentar a maioria dos indícios mais leves ou qualquer um dos mais graves, leve-o IMEDIATAMENTE ao veterinário de confiança, tá bom?
  • Então a recomendação é não deixar a preocupação de mãe não falar alto de mais (ou baixo demais).

Se o seu gatinho não quiser muito papo, pode só ser que ele tenha acordado em um dia ruim. Mas ele apresentar muitos comportamentos fora do comum, é bom reler aqui pra confirmar, ok?

Abraços,
– Felipe

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*