Como ajudar alguém a se sentir melhor: 14 passos

No início de quase tudo – das amizades, aos relacionamentos e carreiras – temos de socializar. E aí vem a pergunta: como socializar?

Saber como começar, manter e calmamente resumir a conversa é uma skill essencial – uma skill que pode ser aprendida. Ajudaremos a encaminhar-te pelos passos necessários para te tornares um orador excelente e confortável.

Aprender a socializar é tão fácil como aprender qualquer outra coisa na vida. Só precisamos de treinar e repetir processos até nos sentirmos confortáveis e ser tudo mais natural. De facto, socializar é uma das maneiras de conseguir trabalho sem se ter experiência.

Vamos concordar:

O maior medo é não saber como socializar com as pessoas que não conhecemos. Imagina que estás a fazer um intercâmbio e à tua volta só tens desconhecido, pessoas de outros países e culturas. Pode parecer assustador.

Mas há técnicas de socialização que te permitem contornar esse obstáculo. As técnicas para socializar são usadas por todo o mundo, sobretudo políticos, diplomatas e outros profissionais que têm que falar com o público.

Mas também são usadas para te safares numa entrevista de emprego.

Aqui vamos nós:

1. Encontrar o alvo

Não aceitamos que ninguém possa dizer: não consigo socializar. A verdade é que não é uma questão de conseguir mas sim uma capacidade que se adquire.

Às vezes sentamo-nos ao seu lado, outras vezes temos de andar pela sala para as encontrar: as pessoas com boas histórias e boa capacidade de comunicação.

Quando encontramos alguém que parece confiante na socialização, esse é o alvo que vamos observar.

2. Estudar a linguagem corporal

Falem com alguém que parece acessível. Pessoas que parecem cansados, que estão a ler ou no telefone não vale a pena tentar sequer.

Analisem a sua linguagem corporal e façam contacto visual. Assim que encontrarem o vosso alvo, preparem-se para dizer olá. Ignorem o suor, a adrenalina e a tendência para pensar demasiado.

Imitar a linguagem da outra pessoa ajuda a criar empatia. Se ela tem os braços cruzados, cruza os teus também.

Como Ajudar Alguém a se Sentir Melhor: 14 Passos

3. Diz algo. Qualquer coisa

Respira fundo e diz algo. Ou melhor, pergunta algo em forma de questão aberta. Vocês estão no mesmo lugar, no mesmo momento, alguma coisa devem ter em comum. Voilá! Esta é uma forma excelente de começar uma conversa.

Recentemente fui a uma conferência sozinho. estava a tomar um café quando uma das oradoras que iria estar no evento – na altura não sabia quem ela era – abordou-me com uma simples pergunta: orador ou estás para assistir?

Foi bem básica. Mas estivemos à conversa 15 minutos. Só fomos interrompidos porque estava na hora de entrar para o auditório.

4. Algo como isto?

Trabalho, estudos ou hobbies são tópicos que vão funcionar. Também o tempo, as notícias (menos política e religião… ou futebol), a paisagem, a música, comida ou elogios à forma como está vestido. Erros culturaispodem ser o fim de qualquer conversa.

Certifique-se que não interroga mas mantenha o balanço entre perguntar e revelar. Perguntas como “O que tem feito?” ou “Como se tornou (título)?” também funcionam bem.

Como Ajudar Alguém a se Sentir Melhor: 14 Passos

5. Agora acrescente a frase mágica…

Aqui está um pequeno segredo que roubei ao escrito Paul Ford: Assim que uma pessoa disser o que faz, diz: “Wow. Isso soa a algo complicado”. Bam! Chegaste ao objectivo de qualquer conversa: a pessoa sente-se super especial.

Como Ajudar Alguém a se Sentir Melhor: 14 Passos

6. Faz muito de tudo isto

Lembra-te de ser educado e ouvir mais do que falar. Faz contacto visual, acena com a cabeça, sorri, faz elogios (sinceros) e ria das piadas – mesmo daquelas que não têm assim tanta piada.

Tenta lembrar-te dos nomes e o que acabámos de falar, e termina de forma simpática: “Oliver, foi um prazer conhecer-te. Definitivamente vou visitar o teu site e recomendá-lo.

Ah e boa sorte com a maratona.”

Como Ajudar Alguém a se Sentir Melhor: 14 Passos

7. Pois, hum… O tempo, hum?

De certeza que vai haver silêncio, algum até pode ser constrangedor. Pegue num novo tópico, não tenha medo de fazê-lo.

8. Sê breve. Sê inteligente. Sai

Preferencialmente, sai antes da conversa chegar a um ponto de declínio. Pede desculpa e vai à casa-de-banho (um clássico!), introduz a pessoa a outra pessoa, diz que ainda quer falar com X antes de sair. Se estiveres num lugar onde não podes fazer nenhuma das acções anteriores, talvez tenhas de voltar a ler o teu livro. Faças o que fizeres, sê o mais educado e encantador possível.

14 Dicas para te ajudar na elaboração de um plano de vida e carreira – Portal

Como Ajudar Alguém a se Sentir Melhor: 14 PassosEntenda que definir metas e objetivos é fundamental para seu plano de vida e de carreira.

Pare para pensar na sua vida futuramente; você gostaria de trabalhar na mesma empresa que trabalha hoje? Gostaria de morar em outro lugar? Pretende ser promovido? Quer conhecer outros países? Quais são seus planos, tanto de vida, quanto de carreira, para os próximos anos? Tudo na nossa vida, não acontece por acaso, uma vez que por trás de toda ação, existe um planejamento.

Obviamente, nem sempre a nossa trajetória caminha embasada por um roteiro, porém, a pessoa que define metas e objetivos pessoais e profissionais, aumenta as chances de encontrar no final, o resultado desejado.

E para que isso de fato ocorra, é necessário muita disciplina e planejamento.

Neste sentido, alinhar seus objetivos os tornam mais realistas e permite que você trabalhe de forma mais eficaz para que eles ocorram.

Diante disso, convido você a dar continuidade a esta leitura e conferir dicas poderosas que vou compartilhar, para que você elabore um plano de vida e de carreira, que vai lhe ajudar a alcançar seus sonhos e objetivos e se tornar um indivíduo ainda mais realizado em sua jornada evolutiva.

  • Eu tenho o material certo
  • para você entender o que é
  • e como funciona esse
  • método poderoso!
  1. Eu tenho o material certo
  2. para você entender o que é
  3. e como funciona esse
  4. método poderoso!

A importância do planejamento

Mas afinal, o que é planejar e qual a sua importância? Com o planejamento, você consegue prever, antecipar e realizar ações futuras de forma eficiente, pois ele refere-se à criação de estratégias que viabilizem o alcance de seus objetivos, tornando suas escolhas e decisões mais claras.

Quando você planeja algo, você aproveita as oportunidades e se prepara quanto a eventuais ameaças e problemas. Ou seja, o planejamento proporciona a você, o equilíbrio da sua vida pessoal e profissional e uma maior qualidade de vida.

Um planejamento de qualidade ainda garante:

  • Reflexão sobre a sua vida;
  • Desenvolvimento do autoconhecimento;
  • Viabilização de novas alternativas;
  • Redução de desperdício de tempo e esforço desnecessário;
  • Comprovação do que é prioridade;
  • Aumento da produtividade.

Nesse sentido, realizar um plano de vida e carreira é fundamental para que você alcance resultados extraordinários e encontre, verdadeiramente, a felicidade em sua trajetória, de forma definitiva.

Dicas para elaborar um plano de vida e de carreira

Agora que entendemos o real significado de planejamento e sua importância para que tenhamos uma vida mais plena e saudável, conheça a seguir, dicas para elaborar um plano eficaz e alcançar seus objetivos de forma mais rápida e eficiente.

1.   Analise o cenário

O primeiro passo é você analisar a sua situação atual. Onde você se encontra profissionalmente, como está a sua vida pessoal, sejam os aspectos positivos ou negativos, e o que você espera do futuro.

Essa percepção o auxilia quanto à identificação de ameaças e oportunidades e o mantém focado, para que assim você consiga conquistar o que almeja, de forma ainda mais acelerada.

2.   Defina seus objetivos

Visualize seus interesses em âmbito pessoal e profissional e estipule metas concretas e realistas para que você alcance aquilo que deseja. Reflita sobre as ações que estão ao seu alcance e comece a trabalhar com base nas mesmas para que você se mantenha motivado constantemente ao longo de todo o caminho que será necessário percorrer, para conseguir tornar concretos seus objetivos.

3.   Defina o tempo

Um plano de vida e carreira, pode ter diferentes durações, tudo depende dos objetivos estipulados e do seu empenho para realizá-los. Nesse sentido, é importante que você defina o tempo, etapas e prazos para a finalização do plano.

Uma dica que pode ajudar de forma efetiva e fazer com que os resultados verdadeiramente sejam alcançados, é dividir todo o plano em pequenas metas, ou seja, metas de curto prazo. Fazendo isso, fica mais fácil avaliar seus avanços e possíveis obstáculos e todo o processo fluirá tranquila e positivamente.

Conheça o Professional & Self Coaching – PSC! O mais completo programa de Coaching, que vai te ajudar a elaborar um plano de vida e de carreira extraordinário!

4.   Encontre a sua motivação

Qualquer atividade, por mais simples que seja, precisa de motivação. Quando tal habilidade é presente em nossas vidas, nós realizamos as coisas com ânimo e entusiasmo, e o que antes era obrigação, se torna um grande prazer.

Portanto, identifique qual é a sua motivação, ou quais são as suas motivações, e realize seu plano de vida e carreira com base em cada uma delas.

5.   Faça uma autoavaliação 

Reflita sobre as suas habilidades e competências, sejam elas pessoais ou profissionais, no que você se destaca mais, quais características te ajudaram a crescer, se seu comportamento é adequado, quais são os seus valores, seus pontos de melhoria e suas limitações, entre outros pontos.

Tudo isso é importante para que você compreenda com maior profundidade quais de suas características você vai precisar fortalecer, que no caso são aquelas que te ajudam a evoluir constantemente e quais você vai precisar melhorar ou eliminar, para que não te atrapalhem na hora de executar as ações contidas no seu plano de desenvolvimento de vida e de carreira.

Leia também:  Como aplicar uma imagem de plano de fundo no microsoft powerpoint

6.   Defina as ações

Agora que você já tem maior clareza sobre suas potencialidades, seus pontos de melhoria, o que te faz sentir motivado, bem como o prazo em que deseja conquistar seus objetivos de vida e profissionais, é chegado o momento de definir as ações que você vai precisar executar para alcançar, pouco a pouco, tudo aquilo que almeja.

Para isso, o ideal é que você analise seu, ou seus objetivos como um todo, e para cada um deles, determine o que será preciso realizar, modificar, transformar ou acrescentar ao seu dia a dia para atingir as pequenas e grandes metas, e também seus sonhos maiores.

7.   Faça contatos

Invista nos seus relacionamentos, isso engloba os colegas de trabalho, seus vizinhos, sua família, seus amigos etc. Desenvolver networking garante a você conhecimento, experiência e novas oportunidades, além de influenciar positivamente a sua imagem que todas as pessoas que estão ao seu redor têm de você.

Este ponto é importante neste processo de elaboração e execução do plano de vida e da carreira, pois sozinhos não conseguimos chegar a lugar algum, e quando entramos em contato com as pessoas certas, no momento certo, elas nos ajudam a progredir, sendo as chances alcançarmos o que definimos como nossos objetivos muito maiores.

8.   Acompanhe o seu plano

  • Durante o desenvolvimento do plano de vida e carreira, é completamente normal que em algum momento, você precise fazer ajustes, pois a nossa vida e a nossa carreira são repletas de imprevistos, para os quais devemos nos manter preparados, para lidar com eles da melhor maneira possível.
  • Por isso, monitore o seu plano e faça as mudanças necessárias, para que ele seja de fato concluído com o sucesso esperado.
  • Assista meu vídeo e confira 2 dicas que irão te ajudar a decolar sua carreira!

9. Ouse ir além

Esta é uma dica voltada principalmente para aquelas pessoas que sentem o desejo interno de mudanças, tanto na vida pessoal, quanto na profissional, mas se sentem um pouco perdidas, sem saber exatamente o que desejam alcançar para sentirem-se realizadas.

Se você se encaixa neste perfil, a minha dica é que você não tenha medo de sair da sua zona de conforto. Isso quer dizer que você deve ousar ir além e fazer aquilo que sempre sonhou em fazer, mas nunca teve coragem, por achar que seria correr risco demais.

Deixe este receio de lado e comece a elaboração de seu plano a partir deste ponto. Tenho certeza que ao concluí-lo, você vai se sentir uma pessoa muito mais realizada, pessoal e profissionalmente.

10. Utilize as perguntas poderosas

Outra dica poderosa, que vai ajudar aqueles que estão perdidos e não sabem exatamente quais objetivos almejam alcançar, é utilizar as perguntas poderosas a seu favor.

Isso quer dizer que você deve fazer a si mesmo questionamentos que te levem a compreender e ter maior clareza sobre aquilo que você realmente deseja conquistar, para se sentir mais completo enquanto indivíduo e profissional.

Alguns exemplos de perguntas são:

  • Qual a minha missão?
  • Qual o meu propósito?
  • O que eu faço, que me deixa verdadeiramente feliz?
  • O que eu sempre quis conquistar, mas nunca tive coragem?
  • Onde quero estar daqui a 5, 10, 15, ou 20 anos?
  • Como eu quero estar quando me aposentar?

Estes são alguns dos muitos exemplos de perguntas poderosas que você pode utilizar, para começar a compreender quais são desejos e objetivos, bem como para gerar as ações necessárias, no sentido de elaborar o seu plano de vida e de carreira, e tirá-lo do papel.

Inscreva-se para a próxima turma do Professional & Self Coaching – PSC e aprenda técnicas e ferramentas para elaborar um plano de vida e carreira altamente eficaz!

11. Trabalhe o seu foco e dedicação

Para que o seu plano seja bem-sucedido, é necessário que você mantenha-se sempre focado e dedique-se com afinco para realizar as ações definidas e alcançar as metas determinadas por você mesmo ao longo deste processo.

Assim, mesmo antes de começar a elaborar o seu plano de vida e de carreira, é essencial trabalhar o sua capacidade de manter-se focado, bem como de se dedicar, pois somente por meio destes dois elementos, você vai conseguir, verdadeiramente, alcançar o que planejou e deseja, de forma ainda mais rápida e eficaz.

12. Aprimore seus conhecimentos

Investir em leituras, cursos, palestras, workshops e até mesmo em encontro com outros profissionais de sua área e pessoas que tenham interesses similares aos seus é algo que vai ajudá-lo a aprimorar seus conhecimentos, no sentido de se preparar previamente, tanto para a elaboração do plano, quanto para a sua execução.

Este processo é importante, pois faz com que você mantenha-se preparado, não só intelectualmente, mas também fisicamente, para iniciar esta jornada, que vai levá-lo a realização de suas metas, sonhos e objetivos maiores em sua vida como um todo.

13. Utilize técnicas e ferramentas a seu favor

Algo que você pode utilizar a seu favor neste processo de elaboração de seu plano de vida e de carreira são técnicas e ferramentas, capazes de lhe ajudar colocar no papel aquilo que almeja, e também a executar as ações determinadas para o alcance das metas e objetivos.

Além disso, você pode contar também a tecnologia, que veio para facilitar ainda mais a nossa vida, ou seja, você pode utilizar aplicativos para smartphone e notebooks, que vão deixar o processo de elaboração e execução do plano muito mais fluido e rápido de concluído.

Quer vivenciar uma oportunidade extraordinária na sua vida?Acesse o meu curso “Introdução ao Coaching”, é um presente!

14.   Faça Coaching

Para a realização de um plano de vida e carreira, é necessário que antes de mais nada, a pessoa tenha disciplina e determinação para concretizá-lo.

O Coaching é uma metodologia capaz de auxiliar todo o processo e potencializar ainda mais os resultados que você deseja, visto que ele desenvolve seu autoconhecimento, permite que você identifique suas motivações, crenças, valores, comportamentos e limitações, e, assim, o norteie quanto às ações mais adequadas para a realização do seu plano de vida e carreira.

  1. Para isso, você pode contar com o Professional & Self Coaching – PSC, a maior e mais completa formação em Coaching do país, que te ensina as técnicas e ferramentas necessárias para que você elabore o seu plano de forma eficaz e alcance verdadeiramente os resultados que almeja, tanto em sua vida pessoal, quanto em sua vida profissional.
  2. Além disso, ao final da formação, você se torna coach profissional, tendo a possibilidade de desenvolver-se em uma nova carreira, altamente rentável, realizando atendimentos e ajudando cada vez mais pessoas a saírem de seus estados atuais, ou seja, de completa insatisfação, e caminhar em direção a seus estados desejados, que vai lhes tornar indivíduos ainda mais completos e realizados em suas trajetórias, como foi o que aconteceu com a Crislei Leonel:

Aproveite esta grande oportunidade, inscreva-se agora mesmo para a próxima turma do PSC em sua cidade e permita-se viver esta experiência transformadora em vida!

E você, já elaborou um plano de vida e carreira? Possui outras dicas que deseja compartilhar comigo e com os outros leitores deste artigo? Deixe o seu comentário, falando sobre suas experiências e lembre-se sempre de se lembrar de compartilhar este conteúdo, com seus amigos, em suas redes sociais.

Copyright: rawpixel.com

Como Ajudar Alguém a se Sentir Melhor: 14 PassosComo Ajudar Alguém a se Sentir Melhor: 14 Passos

*Esse conteúdo não é fonte para veículos jornalísticos ou matérias para imprensa, para utilização ou referência por favor entre em contato conosco.

Inteligência Emocional: o que é e 9 passos para desenvolvê-la!

O que faz alguém ser considerado bem-sucedido profissionalmente? Habilidade com números? Facilidade com palavras? Ser autodidata em um instrumento musical? Ter o QI de Einstein? Um pouco disso colabora sim, mas essas capacidades não são suficientes se a pessoa não tiver a famosa inteligência emocional.

É por meio de uma inteligência emocional bem desenvolvida que você consegue construir relacionamentos saudáveis (com a família, com os amigos, no trabalho), ter mais produtividade, desenvolver a capacidade de crescer na carreira, ser visto como um trabalhador responsável e ter o poder de inspirar.

Quer entender melhor do assunto agora mesmo? Então, continue a leitura!

O que é inteligência emocional?

Inteligência emocional, segundo o renomado psicólogo Daniel Goleman, é a habilidade de lidar com nossas próprias emoções e gerir nossos relacionamentos. Ela envolve 5 domínios: autoconsciência, autocontrole, empatia, sociabilidade e automotivação.

Qual é sua importância?

Bem, é claro que é importante ter uma inteligência emocional bem desenvolvida. A menos que você seja um monge e pretenda se isolar do mundo, de alguma forma precisa lidar com pessoas. E a menos que você seja um robô, precisa lidar com centenas de sentimentos dentro de si diariamente. Vamos ver alguns exemplos da importância da inteligência emocional?

Não destrói sua reputação

Você já se arrependeu de algo que fez ou disse no calor do momento, seja com amigos, seja no trabalho? Dependendo da seriedade da situação e do grau de liberdade que você tinha no ambiente, é possível que tenha ficado com uma leve (ou grande) sensação de “filme queimado”. Ou, ainda, você pode ter magoado alguém importante. Então, não é melhor evitar isso?

Não faz você perder oportunidades

Já parou para pensar em como as pessoas se sentem quando se relacionam com você? Se você passa uma sensação negativa, de alguém instável emocionalmente, seus amigos, colegas de trabalho e clientes passam a evitar seu contato. Com isso, você perde chances de construir relacionamentos mais felizes e de ter mais conquistas profissionais.

Leia também:  Como capturar o shiny haxorus em pokémon black 2 e white 2

Ajuda você a separar os problemas pessoais

Ok, nessa parte nós podemos segurar sua mão e dizer: sabemos que é bem difícil ter uma produtividade legal quando estamos com a cabeça cheia de problemas. Dependendo da situação, é algo até mesmo impossível.

Apesar disso, grande parte das vezes podemos deixar nossas emoções um pouco de lado e evitar que elas afetem outras relações.

Por exemplo, ainda que você tenha acabado de brigar em casa e esteja morrendo de raiva, não pode chegar no seu escritório batendo a porta e gritando com o chefe, concorda? A situação inversa também não é legal. Para o bem da sua família, você não pode descontar nela todas as emoções negativas que obteve no trabalho.

Faz você ter uma motivação mais constante

Algumas vezes sentimos nossa motivação um pouco instável. Ocasionalmente, ela pode variar dependendo de situações externas. Por exemplo, se recebemos uma crítica no nosso trabalho, ficamos desmotivados. Já se recebemos elogios, ficamos motivados. Isso é normal até certo ponto.

Quando condições extrínsecas nos influenciam de forma intensa, isso pode sugerir insegurança da nossa parte, o que é ruim para nosso rendimento. O saudável é que exista um equilíbrio na motivação interna e uma autoimagem mais positiva. Isso nos incentiva a buscar um melhor desempenho quando obtemos avaliações negativas.

Confira algumas recomendações de leituras e conteúdos para desenvolvimento pessoal e de autoconhecimento! ???? • Desenvolvimento pessoal: o guia completo para o sucesso • Criatividade: o que é e como se tornar mais criativo em 11 passos • Marketing Pessoal: o que é, sua importância e 14 dicas para o sucesso • Produtividade: 25 dicas de como ser mais produtivo no trabalho • Livros Online Grátis: as melhores opções para ler ou baixar de graça!

Como desenvolver a inteligência emocional em 9 passos?

Assim como algumas pessoas nascem com muita facilidade para lidar com grandes cálculos numéricos, outras têm uma boa desenvoltura para algum (ou alguns) dos domínios citados lá no começo: autoconsciência, autocontrole, empatia, sociabilidade e automotivação. São tipos de inteligência diferentes, mas que podem ser desenvolvidos com alguma dedicação.

Então, vamos ver alguns passos importantes para aprimorar sua inteligência emocional?

1. Saiba ouvir críticas

Todos gostamos de elogios, não é? Afinal, dedicamos tempo e energia fazendo algo e, por isso, temos necessidade de uma recompensa. Mas tente olhar para as críticas como uma forma de crescimento pessoal e profissional. Elas são oportunidades que você tem para ser alguém ainda melhor.

Imagine o seguinte: alguém não gosta de algo que você fez, ou do que você disse, ou do seu desempenho. Apesar disso, essa pessoa finge estar tudo bem e não diz nada. Então, você não muda e continua agindo da mesma forma. Mas será que isso não tira sua oportunidade de se desenvolver? É mais justo que você saiba o que precisa fazer para agradar, concorda?

Além disso, não leve tudo para o lado pessoal. Não se trata de você, mas sim de uma ação sua. Nós não somos perfeitos em tudo, por isso, temos sempre que aprender algo.

“Tá, mas e se a pessoa me ofender com isso?”, você pode ter pensado. Bem, isso é um problema dela, não é? Significa que ela, talvez, não tenha essa habilidade de se relacionar e precisa aprender. Tente absorver apenas o essencial da mensagem, e a forma como você resolverá essa questão da indelicadeza dela dependerá do tipo de relação que vocês têm.

2. Lide com suas expectativas frustradas

Em qualquer ambiente e em qualquer tipo de relação (amizade, trabalho, amor), tenha algo em mente: ninguém está aqui para suprir todas as suas carências e vontades. Com esse entendimento, boa parte dos seus problemas deixa de existir.

Entenda que quem criou as expectativas foi você e que isso aconteceu devido à interpretação que você deu a determinado fato. Ainda que alguém tenha colaborado, de certa forma, para a sua esperança, tente avaliar até que ponto tudo isso partiu da pessoa e até que ponto foi algo que você gerou.

Dito isso, não cobre dos outros aquilo que não foi prometido. Agora, caso você tenha chegado à conclusão de que a pessoa realmente garantiu algo, mas falhou nisso, uma conversa respeitosa pode ajudar a solucionar o problema.

3. Tente entender o comportamento do outro

Outro ponto importante no momento de se relacionar é a empatia. A partir dela, você deve compreender que cada indivíduo tem um motivo para se comportar de determinada forma. Isso é influenciado, entre outros fatores, pela história de vida de cada um.

Empatia não é exatamente você imaginar o que faria no lugar de alguém. Quando você faz isso, cai na armadilha de analisar a situação sob seu próprio ponto de vista. Empatia é entender que cada um tem direitos e motivos para pensar e sentir de forma diferente. Assim, em muitas situações pode não existir alguém errado ou certo na história.

Quando você consegue ter uma percepção maior do outro, fica até mais fácil desvendar o que ele deseja e o que existe naquilo que ele não fala, mas espera de você.

4. Procure formas de se automotivar

Motivação é aquilo que nos impulsiona a uma direção. É por ela que temos energia de seguir nossos objetivos. Fatores externos exercem grande influência nela, mas muitas vezes são incontroláveis. Já os internos são aqueles dentro de nós, que têm a ver com nossos gostos, sonhos e objetivos.

Como nem sempre podemos controlar as condições externas, o ideal é que não fiquemos dependentes delas. Para isso, existem alguns segredos, mas o principal é: tenha várias metas, pequenas e grandes. Organize-as em um cronograma, de forma que cumpri-las esteja ao seu alcance. É muito mais fácil olharmos para o objetivo de um dia do que para o mensal.

Além da maior facilidade, as metas menores tendem a colaborar para nossa satisfação e orgulho à medida que as realizamos. Você pode até se dar alguns presentinhos a cada objetivo cumprido. Por exemplo: “se eu fizer todo o meu trabalho até o fim do dia, posso ver um pouco de Netflix”.

Outra dica legal é se dar momentos de descanso. Eles são importantes para você voltar com foco total.

5. Trabalhe seu autoconhecimento

Aqui você precisa refletir sobre seu modo de agir e sentir. Por que você tem tal emoção e por que se comporta de determinada maneira? De onde vêm suas expectativas? Por que você tem ou deixa de ter certas crenças limitantes?

Por meio de uma maior consciência de si mesmo, é possível descobrir aquilo que mais te agrada, como você funciona melhor, do que você precisa para se sentir mais confortável consigo mesmo e por que determinadas reações dos outros te magoam.

Com mais autoconsciência, você entende que muito do que pensa e sente tem a ver com a sua vivência. A partir disso, você tem mais capacidade para identificar o que pode fazer para melhorar e mudar a situação.

Lembre-se: quando você se conhece, você não deixa que os outros te definam.

6. Diga o que você precisa

Já dizia John Mayer: “say what you need to say”. Ele não é psicólogo, mas parece entender de sentimentos e relações. Dizer o que você precisa, ainda que pareça óbvio, é importante para que a mensagem chegue ao seu interlocutor. Todas as relações precisam de uma comunicação eficaz.

Então, se você ficou chateado, diga. Se você tem vontade de dizer “não”, siga seu sentimento. Se você quer que as coisas sejam feitas de outra forma, revele. No entanto, cabe uma observação aqui: você precisa conseguir expressar suas emoções e vontades com assertividade.

Ser assertivo, para a psicologia, é ter equilíbrio na hora de exteriorizar um pedido ou sentimento. É não ser passivo a ponto de desagradar a si mesmo apenas para agradar o outro, e também não ser agressivo, correndo o risco de causar mágoas.

Quando você é uma pessoa assertiva, diz o que deseja de forma sincera, mas, ao mesmo tempo, gentil e sem ultrapassar os direitos do outro. Você não espera que alguém adivinhe o que você precisa. Você é honesto com seus próprios sentimentos e não ofende ninguém.

7. Desenvolva o autocontrole

O autocontrole é fundamental para a inteligência emocional. Ele diz respeito ao controle que você tem das suas próprias emoções. Não significa que você vai negar para si mesmo o que sente, nem que vai tentar não sentir o que sente. Isso é impossível.

No autocontrole, você já tem um autoconhecimento mais aprofundado para identificar suas emoções e o motivo delas. Você as aceita, mas não deixa que elas atrapalhem suas relações ou seu cotidiano.

É com o autocontrole que você conseguirá separar melhor seus problemas pessoais. Lembra do exemplo dado lá em cima sobre brigar em casa e descontar o estresse no trabalho? Então.

Essa habilidade ensina a lidar com conflitos também. Por exemplo, se seu colega lhe dá uma resposta atravessada, você não precisa reagir à altura. Aqui entra, ainda, a empatia, ou seja, tentar entender que ele tem um motivo para tal.

Para isso, tente parar e refletir antes de reagir. Busque pensar nas possíveis consequências negativas que você teria ao se comportar de cada forma. Escolha agir da maneira que daria resultados mais favoráveis.

Leia também:  Como baixar jogos em uma calculadora gráfica: 11 passos

8. Trabalhe a autoestima

Autoestima é o julgamento que fazemos de nós mesmos. É o tanto que nos sentimos adequados ou inadequados diante de uma situação.

Quando ela está em um nível bom, tendemos a manter relações mais saudáveis, em vez de destrutivas. Não aceitamos que nos tratem com desrespeito. A autoestima satisfatória nos impulsiona a buscar objetivos e ter experiências mais benéficas. Já a autoestima baixa nos leva a sentir insegurança, a ter sensação de incapacidade e a necessitar agradar constantemente.

O autoconhecimento é a base de uma autoestima saudável. Quando ela está alta, é mais difícil que comentários depreciativos nos aborreçam. Sendo assim, tente identificar seus pontos fortes.

Quer uma ideia legal? Guarde todos os elogios que você já recebeu de forma escrita. Pode ser da família, dos amigos, do chefe, dos colegas ou dos clientes. Junte todos em um lugar, como um mural ou uma caixa. Leia-os sempre que sentir necessidade.

9. Pratique a resiliência

Resiliência é a capacidade de persistir e não desistir mesmo diante de situações difíceis. Uma pessoa resiliente encara, de forma positiva, os desafios da vida. Ela consegue ouvir um “não” sem desmoronar e tem força de vontade para começar de novo quando algo dá errado.

A dica para isso é estar perto de pessoas que vivem os mesmos objetivos que você, porque elas passam pelas mesmas dificuldades e precisam lidar com os mesmos julgamentos. A consequência disso é uma maior probabilidade de apoio mútuo.

Então, se você quer empreender, ande com quem quer ser empresário. Se você estuda para concursos, tenha amigos que também façam isso. Se você quer ser freelancer, tenha contato com quem já é.

Além disso, quando passar por um caos, tente ver o lado positivo disso. Ele nos impulsiona à mudança, diferentemente da calmaria — e mudanças podem ser positivas. Então, aprenda com as crises.

Você também pode buscar inspiração em personalidades que superaram dificuldades. Essas pessoas têm sempre algo a ensinar sobre a importância de persistir.

Falamos bastante sobre inteligência emocional, não é? Depois de toda essa conversa, você deve ter entendido mais sobre o assunto e visto o quanto essa característica é importante para nossa carreira e nossas relações. Se você seguir os passos aqui apresentados, mesmo que aos poucos, logo verá resultados mais positivos na sua vida.

E que tal começar praticando seu autoconhecimento? Acesse sua roda da vida e descubra mais sobre si mesmo!

Como Ajudar Alguém a se Sentir Melhor: 14 PassosPowered by Rock Convert

O meu amigo sente-se sozinho. Como posso ajudar?

Conheces alguém que passe muito tempo sozinho? Podes ter um amigo ou conhecido solitário e nem perceber.

A solidão é uma coisa que as pessoas não gostam de falar. Não deveria ser um assunto tabu, mas as pessoas geralmente têm uma perspetiva errada sobre este tema. Na verdade, interiormente podem achar que, se falarem, podem facilmente ser alvo de chacota.

Mas a realidade é que a solidão pode acontecer a qualquer um de nós. 

Se já te sentiste sozinho, então está na hora de seres inglês – colocares-te no sapato do outro – e ajudar quem esteja a passar por este momento difícil.

És um amigo capaz de ajudar alguém nesta situação? Talvez penses que, se alguém está solitário, é culpa deles, ou que, como estás tão ocupado, não podes fazer nada por eles. Aqui vão algumas dicas. 

O que não se deve dizer

É fácil ignorar os comentários de um amigo sobre como se sente sozinho, especialmente quando tens uma vida cheia de coisas para fazer. Até podes pensar que é estúpido ou infantil admitir que uma pessoa se sente sozinho.

Mas ser solitário não significa que alguém é um desajustado social ou preguiçoso. Significa que ele não tem laços tão profundos como tu tens. Pode haver várias razões para isso. Talvez não tenha o apoio da família que tu tens, talvez as circunstâncias da vida o tenha afastado de alguns amigos, qualquer coisa que possa acontecer a qualquer um a qualquer momento.

Evita dizer estas coisas a um amigo solitário:

Solitário? Eu nunca me sinto sozinho! Estou tão ocupado.Porque é que não tens amigos?Quem me dera passar mais tempo sozinho.Não devias dizer essas coisas. Pareces convencido.

O que fazer

Uma das razões mais frequentes para não ajudar um amigo que se sente sozinho, é porque de certa forma sentimos que o amigo será um empecilho para o nosso tempo. Pessoas solitárias não esperam que estejas presente 24 horas por dia, mas precisam de alguma gentileza.

Procura gerir o teu tempo e ver como podes dedicar mais atenção ao teu amigo:

Queres vir connosco? Nem que seja para ir comprar água no supermercado. Inclui-o nas tarefas rotineiras, é sempre uma boa oportunidade para trocar dois dedos de conversa.

O que fazes na sexta à noite? Tens um jantar de família? Boa! A tua família tem de comer e o teu amigo também. Junta o útil ao agradável.

Conheces o/a __________ ? Apresenta os teus amigos, mostra os pontos em comum. É um bom ponto de partida para uma amizade. 

Telefona de vez em quando, pergunta como corre a sua vida (os testes, os trabalhos, os novos episódios da série favorita).

Não julgues as pessoas que admitem que estão solitárias. Muitas pessoas que se sentem solitárias não têm coragem de o dizer e, em vez disso, sofrem em silêncio. E isso pode acontecer a qualquer um. Se te sentes um sortudo com as amizades ou relacionamentos positivos com os membros da tua família e amigos, estende essa sorte para as pessoas que precisam dela.

Saiba como lidar com as mágoas e se libertar em 3 passos

Você sabe como lidar com as mágoas? O ser humano, por muitas vezes durante a sua vida, vivencia desavenças com pessoas do seu convívio, e alguns desses atritos não são solucionados.

O resultado disso são ressentimentos que são sustentados em sua mente e em seu coração. Há momentos em que o desentendimento é prolongado por não ser resolvido, se transformando em rancor, podendo perpetuar por várias semanas, meses ou até anos.

Trata-se de um cenário indesejável e inconveniente, que em vários casos não é revelado ao outro o seu lado da história e, assim, o contratempo permanece sem desfecho. Seja com um familiar, amigo ou colega de trabalho, é um sentimento que interfere nas ações do dia a dia e impede de seguir em paz consigo mesmo.

Pensando em amenizar esses conflitos psicológicos e emocionais, criamos uma lista com três formas de como lidar com as mágoas que insistem em afetar a nossa vida.

Como lidar com as mágoas?

Procure entender a razão

Para lidar com as mágoas, o primeiro passo é entender que quanto maior o tempo que ela permanecer em sua vida, mais profunda se transformará a ferida, tornando a cicatrização ainda mais difícil. Após essa reflexão, é importante identificar a raiz do ressentimento, buscando uma conversa pacífica e decisiva para reparar os danos causados pelo desentendimento.

Não tenha medo de expressar o que sente e procure deixar claro para a outra pessoa o quanto a reconciliação é necessária. Porém, os dois pontos de vista devem ser expostos durante a conversação, para que não ocorram mais decepções.

Exercite a compreensão

Com origem no latim, a palavra mágoa significa macula, que quer dizer “desgosto, pesar, tristeza, ressentimento”. Diante de sensações tão desagradáveis, faça a sua parte e promova a reconciliação, pois manter sentimentos ruins prejudica o progresso da sua vida e, por muitas vezes, eles tornam-se um empecilho para alcançar a felicidade em sua plenitude.

Compreender e aceitar que o outro também erra é uma etapa determinante para lidar com as mágoas. Vale lembrar: cada ser humano vê o mundo de uma maneira. Isso quer dizer que nem sempre a intenção da outra pessoa é magoar, pois uma atitude que é errada para você, pode ser considerada correta por ela.

Busque trabalhar o perdão

Você já deve ter ouvido aquela famosa frase: “passado deve ficar no passado”. Esse é o entendimento necessário para reconhecer que o perdão é a chave para lidar com as mágoas, pois elas estão sempre ligadas aos acontecimentos antigos que prolongamos em nossa mente.

Isso também vale para os relacionamentos a dois, em que o convívio gera desentendimentos cotidianos que enfraquecem a relação. O ideal é o que o casal reserve um tempo para conversar, garantindo uma união baseada no diálogo.

Saber como lidar com a mágoa não é uma tarefa tão simples, certo? Nesse caso, para aprimorar e interiorizar as suas ações diante desses sentimentos que permanecem em sua vida, é interessante que você converse com um psicólogo e seja acompanhado por ele. Afinal, é sempre válido dialogar com uma pessoa que esteja isenta no assunto e entenda sobre conflitos e aflições humanas.

Não tem tempo para ir a um consultório? Isso deixou de ser um problema, pois você pode utilizar o atendimento psicológico online em qualquer hora do dia e, até mesmo, nos fins de semana.

Gostou do tema abordado neste post? Então aproveite para navegar em nosso blog e conferir o conteúdo que explica os 5 passos para desenvolver o pensamento positivo.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*