Como calcular homens horas: 11 passos (com imagens)

A expressão “homem-hora” se refere ao valor da hora de um trabalhador. É levado em conta na hora de custear tarefas do ponto de vista mão-de-obra. Ou, visto pelo outro lado, a quantidade de trabalho que pode ser entregue por um funcionário regular em uma hora de esforço interrupto.

Índice do artigo:

Trata-se de uma unidade de medida comum, especialmente quando se está apresentando uma proposta de projeto, com orçamento. Visto que a mão-de-obra constitui uma grande parcela do projeto, estimar seus custos com precisão é crucial para ter um negócio de consultoria bem-sucedido.

Como Calcular Homens Horas: 11 Passos (com Imagens)

Fazer um cálculo apurado de homem-hora permite determinar o custo de seus recursos, bem como o tempo estimado necessário para concluir cada tarefa e o projeto como um todo. Devido à sua importância, vamos entender como calcular seu homem-hora de maneira adequada.

1. Divida seu projeto em etapas

Um projeto é composto de diversos componentes e tarefas diferentes. Portanto, para que você consiga executar um cálculo preciso, é importante que você divida seu projeto entre essas partes menores.

Comece definindo o escopo do projeto, depois passe para as atividades, iniciando a elaboração do cronograma do projeto.

Mesmo que o seu objetivo seja determinar o seu homem-hora do projeto todo, é mais simples estimar as quantidades de tempo e pessoal em pequenos blocos. Assim, a chance de esquecer algum detalhe importante é reduzida. Ao final, basta somar.

2. Aloque a equipe do projeto

Como Calcular Homens Horas: 11 Passos (com Imagens)

Talvez o seu projeto de consultoria seja totalmente baseado em uma única força de trabalho: a sua. Mas talvez você tenha uma empresa de consultoria ou seja parte de uma equipe.

  • Nesse caso, você precisa quantificar o número de pessoas que você terá de escalar para cada tarefa, bem como o nível de especialização (e consequentemente o nível salarial) de cada uma delas.
  • Seja sempre bastante realista sobre o número de pessoas que você precisa para cada bloco, observando a disponibilidade que você tem na equipe e, também, se novas contratações (mesmo temporárias) serão necessárias.
  • Ainda, tenha em mente que, se for preciso concluir várias tarefas ao mesmo tempo, você deverá acionar pessoas diferentes para cada uma delas.

3. Estime as horas necessárias

Tendo dividido seu projeto em entregas e sabendo quantas pessoas você terá acionado para cada bloco, estime o tempo total que cada etapa levará para ser concluída. Tenha em mente que algumas tarefas são mais complexas do que outras e, portanto, a quantidade de horas pode variar de uma parte a outra.

Como Calcular Homens Horas: 11 Passos (com Imagens)

Se você já tiver trabalhado em projetos semelhantes anteriormente, ou se já tiver executado algumas dessas tarefas com sua equipe, então fica mais fácil de mensurar o tempo destinado para cada bloco. Você pode coletar dicas sobre o assunto no nosso artigo sobre a construção de cronogramas.

Por outro lado, se alguma etapa incluir serviços com os quais você e sua equipe ainda não estão familiarizados, é importante que você faça uma pesquisa, de forma a estabelecer uma estimativa verossímil.

Para fazê-lo, você pode fazer buscas on-line, por exemplo, ou conversar com outros consultores que já tenham passados por processos semelhantes.

Uma dica interessante é sempre que você começar um novo projeto, tentar tomar nota dos blocos executados, da equipe envolvida e do tempo de duração de cada etapa. Assim, para os próximos, fica mais fácil de fazer estimativas mais precisas.

Outra dica: ao quantificar suas horas, não inclua pausas. O cálculo de homem-hora é feito somente sobre o tempo de serviço ininterrupto. Porém, lembre-se de incluir o tempo gasto em tarefas administrativas, pois essas fazem parte do contrato.

4. Inclua o tempo de supervisão

Como Calcular Homens Horas: 11 Passos (com Imagens)

Pode parecer bobo incluir esse item aqui. Mas é bastante comum que o gerente do projeto acabe esquecendo de colocar no cálculo de homem-hora o tempo que ele mesmo investe em gerenciar e supervisionar as tarefas da equipe. O tempo de revisão sobre as atividades realizadas também deve entrar no cronograma.

Alguns projetos podem exigir bastante do(s) líder(es) da equipe e isso precisa ser contabilizado.

5. Calcule os valores de homem-hora

Em empresas mais consolidadas, que possuem consultores com contratos fixos, o cálculo do homem-hora pode ser simplesmente o custo da hora de cada trabalhador.

Vamos utilizar como exemplo um consultor de projetos que tenha um custo mensal para a empresa de R$10.000 por mês. Ele trabalha em um regime de 8 horas por dia, 5 dias por semana. Se um mês possui 22 dias úteis, em média, ele trabalhará 176 horas por mês.

O custo de cada hora dele a ser repassado dentro de um projeto é de 10.000 / 176 = R$57. Cada hora deste consultor alocada em um projeto, deve custar no mínimo este valor para o cliente. Este seria o homem-hora deste profissional.

E para um profissional sem contrato fixo?

Normalmente este profissional já te cobrará um valor por hora ou um valor total para participar de um projeto a partir de um briefing.

Nesse caso, você já teria o valor de homem-hora ou bastaria dividir o valor total cobrado pelo número de horas desse profissional alocadas dentro do projeto.

E para um consultor autônomo que trabalhe sem equipe?

Um consultor empreendedor ou autônomo, que toca seus projetos sozinho, não firmaria um contrato de salário com ele mesmo, não é verdade?

Se você se encontra nessa situação, de fato você não tem um salário fixo mensal, mas você consegue imaginar quanto seria um salário justo para você a partir dos seus custos mensais ou se comparando a outros profissionais.

Em um exemplo no qual você considera que o salário justo para um profissional que realiza as atividades que você realiza é R$20.000 por mês, considerando a disponibilidade de horas de 176 por mês, o custo do seu homem-hora será 20.000 / 176 = R$114.

Sendo um consultor autônomo, cabe a você se esforçar para manter as suas horas ocupadas realizando projetos. Você também pode considerar que apenas metade do seu tempo é utilizado na prestação de consultoria.

O resto pode ser utilizado para atividades administrativas. Como a consultoria é a única atividade que gera receitas, nesse caso, a metade das suas horas de trabalho deveria custear o seu salário ideal de R$20.000, gerando um valor de homem-hora de R$228.

Como calcular o valor de homem-hora de um projeto?

O homem-hora é uma unidade utilizada para auxiliar na precificação de um projeto de consultoria e, portanto, poder estabelecer o valor de um serviço prestado. Dessa forma, quanto o cliente solicita um projeto, será necessário entender o valor da hora-homem trabalhada, isto é, o custo de cada hora de cada trabalhador.

Como Calcular Homens Horas: 11 Passos (com Imagens)

Nesse caso, para poder calcular o custo total de maneira apurada, você deverá considerar os salários diferentes de cada categoria ou função, como mencionado lá no início. Se você já sabe o salário de cada pessoa envolvida, essa informação será aplicada para o cálculo.

Por outro lado, se o seu cálculo de custo homem-hora é justamente para avaliar a possibilidade e a lucratividade de uma possível contratação nova, então você pode se informar junto a entidades da categoria, como sindicatos, para saber o salário base de tal função, bem como possíveis encargos previstos por lei – os quais devem ser acrescentados ao valor.

O cálculo final será feito dividindo-se o salário base (mais encargos) pela quantidade de horas em um período salarial – geralmente o mês – e, então, multiplicando-se pela quantidade total de horas demandadas pela tarefa, como mostramos acima. Devido à possível diferença de salários e de tempo de expediente, esse cálculo deve ser feito individualmente sobre cada trabalhador.

O valor de homem-hora em uma tarefa

Por exemplo, se estamos falando de um gerente de projetos, cujo custo total entre salário e encargos é de R$12.320,00, trabalha 176 horas por mês e executará uma tarefa de 20 horas, então a conta fica:

12.320 / 176 = R$70,00 por hora (salário + encargos dividido pelas horas mensais)70 x 20 = R$1.400,00 (valor-hora multiplicado pelas horas da tarefa)O custo total do meu gerente de projetos nessa tarefa é de R$1.400,00.

Imaginando que para essa mesma tarefa, sejam necessários os serviços de um técnico de TI, que custa R$8.000,00 por mês e trabalhará 12 horas nessa tarefa, o cálculo fica:

8.000 / 176 = R$45,4545,45 x 12 = R$545,45O custo total do meu TI nesse caso é de R$545,45.

Então, o custo de realização dessa tarefa no projeto será de 1.400 + 545,45 = R$1.945,45.

Com 20 + 12 = 32 horas alocadas nesta etapa, o custo de homem-hora nessa etapa seria de 1.945,45 / 32 = R$60,80.

Por fim, não esqueça de observar se a função para a qual você está calculando o valor de seu homem-hora tem algum outro adicional, como adicional noturno, insalubridade, periculosidade, entre outros. Esses percentuais devem ser acrescidos no valor do salário + encargos.

Leia também:  Como ajudar a melhorar a vida de pessoas carentes

O valor de homem-hora no projeto inteiro

Agora que sabemos como calcular o homem-hora individual e por etapa do projeto, vamos direto ao ponto ao calcular o valor de homem-hora do projeto como um todo.

Digamos que esta é alista de alocações de um projeto:

Como Calcular Homens Horas: 11 Passos (com Imagens)

O gasto total com profissionais dentro do projeto é de 20.000 + 6.000 + 4.800 + 5.600 + 4.550 = R$ 40.950.

O número total de horas alocadas no projeto é de 100 + 40 + 32 + 80 + 65 = 317.

O homem-hora deste projeto é de 40.950 / 317 = R$129,18.

Por que é importante calcular o homem-hora?

O homem-hora é uma métrica essencial para a precificação de projetos de consultoria. Sem este valor, não é possível calcular a parte mais significativa do preço de um projeto: o custo com mão-de-obra.

  1. Você até pode conseguir calcular, mas será um mero exercício de intuição, sem nenhum lastro teórico.
  2. Quando você começar a sua carreira como consultor, será comum fazer o cálculo do homem-hora manualmente para cada profissional em cada projeto.
  3. Com o tempo, você começará a perceber que os valores de homem-hora serão muito parecidos para projetos de complexidades semelhantes.

Você poderá decidir por um valor de homem-hora comum para toda a empresa na hora de precificar projetos. Isso tornará a precificação muito mais automática. Se o homem-hora da empresa é de R$120 e um projeto tem 50 horas alocadas, R$6.000 será o custo total com mão-de-obra.

Conclusão

Como Calcular Homens Horas: 11 Passos (com Imagens)

Utilizando o cálculo de homem-hora e de custo de homem-hora, você pode prever tanto o tempo das tarefas, quanto as despesas relativas a cada uma. Então, será capaz de montar a sua proposta de trabalho ao cliente, com orçamento e cronograma.

Como Calcular Homens Horas: 11 Passos (com Imagens)

Quanto melhor você conseguir calcular seu homem-hora, mais fácil é garantir que o valor cobrado por um projeto seja sustentável e lucrativo e menor é o risco de ter de corrigir de imprecisões relativas a taxas e prazos ao longo do projeto.

3 métodos simples para aprender a multiplicar sem calculadora

Analía Llorente BBC Mundo

Como Calcular Homens Horas: 11 Passos (com Imagens) Direito de imagem Getty Images Image caption Métodos de multiplicação visuais são alternativa para aprendizado

Fazer conta é, para muitos, um pesadelo. E a calculadora acaba se tornando uma grande aliada.

Mas, no caso da multiplicação, há formas alternativas – e mais visuais – de se resolver as operações.

É provável que você tenha aprendido o método tradicional de multiplicação na escola. Ou seja: primeiro você decora a tabuada para, em seguida, multiplicar número a número.

E, se os números a serem multiplicados têm vários dígitos, você acaba precisando de um pedaço de papel para fazer a conta, como ilustra a imagem abaixo.

Existem, no entanto, outros métodos menos conhecidos que ajudam a entender a lógica da multiplicação.

E alguns são bastante visuais – envolvem traços, linhas e pontos. A BBC lista três, que acompanham vídeos que tornam a compreensão mais fácil, para você:

1. Método maia, também conhecido como japonês

Como Calcular Homens Horas: 11 Passos (com Imagens)

A reprodução deste formato de vídeo não é compatível com seu dispositivo

Veja como funciona o método maia (ou japonês)

  • Há várias teorias sobre a origem desse método.
  • Alguns dizem que foi inventado pela civilização maia, que habitou a América Central até a chegada dos colonizadores espanhóis no século 15.
  • Mas é também chamado de método japonês, uma vez que é usado pelos professores do país para ensinar multiplicação nas escolas.

Trata-se de um sistema de multiplicação com linhas. Ele consiste em desenhar linhas paralelas e perpendiculares para representar os dígitos dos números a serem multiplicados.

  1. Por exemplo: 23 x 41.
  2. Desenhamos duas linhas paralelas para representar o 2, e outras três linhas paralelas para representar o 3.
  3. Na sequência, desenhamos, de forma perpendicular, quatro linhas paralelas para o 4 e uma linha para o 1.
  4. Uma vez que a imagem está pronta, somam-se os pontos que se formam nas interseções.
  5. E assim, chegamos ao resultado: 943, o mesmo obtido pela forma tradicional de multiplicação.
  6. Achou muito difícil?

2. Método de multiplicação hindu

Como Calcular Homens Horas: 11 Passos (com Imagens)

A reprodução deste formato de vídeo não é compatível com seu dispositivo

O método hindu na prática

  • A origem desse método também não é muito clara, mas certamente passa pela Ásia.
  • “Esse método foi levado da Índia para a China e a Arábia, de onde foi para a Itália, entre os séculos 14 e 15, e recebeu o nome de gelosia, devido à semelhança com as persianas venezianas”, explica o pesquisador Mario Roberto Canales Villanueva, em seu estudo exploratório sobre o uso de modelos alternativos para ensino e aprendizagem da multiplicação em Honduras.
  • Esse método prevê desenhar uma tabela – a quantidade de colunas e linhas vai variar de acordo com o número de algarismos na operação.
  • Vamos usar o mesmo exemplo anterior: 23 x 41.

Neste caso, são necessárias duas colunas e duas linhas – para as quais atribuímos os respectivos algarismos em sentido horário. Na sequência, dividimos cada campo da tabela com uma linha diagonal.

Direito de imagem Getty Images Image caption Persianas venezianas são parecidas com a tabela do sistema de multiplicação hindu

Os triângulos formados, a partir da divisão, devem ser preenchidos com o resultado da multiplicação do algarismo de cada coluna com o da linha correspondente. Para isso, precisamos decompor o resultado – a dezena é inserida no primeiro triângulo, seguida da unidade.

  1. Se o resultado for de apenas um dígito, deve ser precedido de zero.
  2. Uma vez que todos os campos estão completos, fazemos uma soma na diagonal.
  3. Ou seja, a soma da primeira diagonal será 0, a segunda será 9, a terceira será 4 e a última será 3.
  4. Desta forma, o resultado final será 943.
  5. Achou mais fácil?

3. Método de matriz (array, em inglês)

Como Calcular Homens Horas: 11 Passos (com Imagens)

A reprodução deste formato de vídeo não é compatível com seu dispositivo

Confira como funciona o método de matriz

  • Neste método, assim como no anterior, precisamos desenhar uma tabela.
  • Vamos seguir com o exemplo 23 x 41.
  • O primeiro passo é decompor os números da operação na tabela, que terá duas colunas e duas linhas.

Em uma coluna, colocamos o 20, e na outra o 3. Nas linhas, inserimos em sentido horário os números 40 e 1.

  1. Multiplicamos então o número de cada coluna com o da linha correspondente.
  2. Os zeros, no entanto, são ignorados.
  3. Sendo assim, em vez de multiplicar 20 por 40, por exemplo, fazemos o cálculo 2 x 4, obtendo 8 como resultado.

O mesmo acontece com 3 x 40. Eliminamos o 0 e multiplicamos 3 x 4, que dá 12. E assim por diante.

  • Na sequência, acrescentamos ao resultado os zeros que havíamos deixado de lado.
  • Então, no primeiro cálculo, cujo resultado foi 8, adicionamos os dois zeros eliminados inicialmente, chegando a 800.
  • No caso de 3 x 4, que dá 12, acrescentamos um zero ao resultado, que vai virar 120.
  • E assim sucessivamente.
  • Por fim, somamos o resultado de cada um dos campos da tabela, chegando a 943.

Direito de imagem Getty Images Image caption Para os professores consultados, todos os métodos são bem-vindos para melhorar a compreensão da multiplicação

Diversidade

  1. O fato é que, independentemente do método, chega-se ao mesmo resultado.

  2. Mas por que esses métodos não costumam ser ensinados na América Latina?
  3. “A história mostra que, com o passar dos anos, esses métodos foram deixados de lado porque se deu muito mais importância ao cálculo mental na América Latina”, disse à BBC Andrea Vázquez, professora de matemática que treina estudantes para participar de concursos nacionais na Argentina.
  4. Mas David Wees, professor de matemática canadense e assessor da New Visions for Public Schools, organização que dá suporte educacional às escolas públicas de Nova York, apresenta outra versão.

“Recentemente, eu li que adotamos esse método é para economizar tinta e papel. E não devido à facilidade do uso. Mas, sim, para preservar esses recursos, já que, quando foram criados, a tinta e o papel eram escassos”, conta.

Direito de imagem Getty Images Image caption Preparado para desenhar na hora de multiplicar?

  • Ele acredita, no entanto, que os métodos alternativos podem ser muito úteis.
  • “Acredito que não é uma boa prática levar os estudantes diretamente à multiplicação, obrigando-os a decorar tabuadas, sem explicar a eles de onde vêm, porque, caso se esqueçam de uma delas, como poderão calcular a seguinte?”
  • “O método de multiplicação japonês (ou maia) é bastante necessário porque com ele é possível reconhecer a estrutura geral da multiplicação, e isso pode ser um bom começo”, afirma Wees à BBC.

Há ainda outros métodos de multiplicação bem diferentes do tradicional, como o russo ou o egípcio. Mas não exigem a “habilidade extra” de desenhar.

E, segundo especialistas, o atributo visual pode ajudar muita gente a ter uma compreensão melhor do processo de multiplicação.

“Obviamente, tudo ajuda. A matemática no mundo de hoje é aberta dentro e fora das salas de aula”, afirma Vázquez.

6 passos simples para saber quanto cobrar pelos seus serviços

Como Calcular Homens Horas: 11 Passos (com Imagens)

Um dos maiores problemas enfrentados por freelancers e outros profissionais autônomos é saber quanto cobrar pelos seus serviços.

Leia também:  Como aumentar os graves em um computador com windows

Muitas vezes isso ocorre por causa da insegurança na auto avaliação. Dessa maneira, sempre surgirá a dúvida se aquele valor que se pretende cobrar é mesmo justo.

Essa dificuldade existe porque, ao precificar nosso trabalho, também estamos julgando-o. Pense bem: ao procurar um serviço simples, não desconfiamos daqueles preços absurdamente baratos?

Quando for precificar o seu trabalho tenha em mente que o preço não é colocado somente a partir do seu esforço, mas também do valor gerado ao cliente.

Então, o que você deve considerar exatamente para criar o seu preço e saber quanto cobrar? Veja 6 passos simples que lhe ajudarão nessa questão:

1) Estabeleça sua meta mensal

Estipule o seu salário. Para isto, considere a carga tributária que irá recolher e jogue o valor acima, isto é, se você quer um salário X, considere X+30% .
Esse será o valor mensal que você terá como base nos próximos cálculos.

  • Exemplo:
    Salário mensal desejado: R$ 2500,00
  • Total (salário + tributos): R$ 3250,00

2) Calcule seu valor-hora

Faça uma estimativa de horas que você vai gastar para completar o serviço. Para calcular a hora trabalhada, divida o seu salário pela quantidade de horas mensais.

Exemplo:
Se você for trabalhar 200 horas por mês e deseja um salário de R$ 2.500,00, divida R$ 3.250,00 (lembra dos 30% dos impostos?) por 200.
Valor-hora= R$3250,00/200h = R$ 16,25

3) Defina os custos fixos

Não se esqueça que existem custos fixos que devem ser considerados. Luz, internet, aluguel e outros custos devem entrar na conta. Um software de gestão financeira, como o ZeroPaper, pode te ajudar a controlar esses números.

  1. Exemplo:
    Luz: R$ 35,00
    Internet: R$ 65,00
    Telefone: R$ 30,00
    Gasolina: R$ 50,00
    Hospedagem: R$ 60,00
  2. Aluguel: R$ 800,00
  3. Total:  R$ 1040,00

4) Faça o cálculo dos custos fixos

Divida o custo fixo pelo total de horas que você pretende trabalhar durante o mês. Acrescente o resultado ao valor da sua hora trabalhada e esse será o valor que deverá ser cobrado pelas suas horas trabalhadas.

  • Exemplo:
    Valor da hora trabalhada: R$ 16,25
    Custos fixos mensais: R$ 1040,00
  • Custos fixos / 200h = R$5,20
  • Total do valor da hora trabalhada: R$ 16,25 + R$ 5,20 = R$ 21,45

5) Adicione as despesas de investimento

Se quiser, estabeleça uma margem de lucro para investir em novos equipamentos, cursos etc. Estabeleça uma porcentagem de 10% a 20% e acrescente esse valor ao seu custo por hora.

  1. Exemplo:
    Salário-base: R$ 3.250,00
    Valor destinado a investimento (cursos, equipamentos, etc): R$ 325,00 (10%)
  2. R$ 325,00/200h = R$1,62
  3. Total do valor da hora trabalhada: R$ 21,45 + R$ 1,62 = R$ 23,07

6) Utilize o valor da hora trabalhada para calcular o preço dos serviços

Para estabelecer seu preço, multiplique o valor da sua hora, já considerando o custo fixo e a porcentagem de lucro, pela quantidade de horas que serão necessárias para concluir o serviço.

Exemplo:
Serviço X (48 horas de trabalho)
Valor: 48 x R$23,07 = R$ 1107,36

Pronto! Seguindo essas dicas e esses passos, você estará oferecendo um preço justo para seus serviços e para seu cliente.

Imagem da capa via Shutterstock

Como Calcular Homens Horas

  1. 1

    Divida o projeto em partes. A primeira parte do cálculo a se fazer é dividir o projeto em componentes menores. A seguir, estime a quantidade de horas necessárias para completar cada um deles.

    Eles devem ser definidos com base no tipo de mão-de-obra envolvida. Se estiver construindo um apartamento, por exemplo, você precisará lidar com escavação, construção, eletricidade, encanamentos e assim por diante.

    Cada componente do projeto deve estar incluído na estimativa.

  2. 2

    Determine o tipo de trabalhadores necessários. Isso dependerá muito da complexidade das tarefas a serem realizadas. Você não precisa de um mestre de obras em todos os projetos.

    Tarefas mais simples podem ser executadas inclusive por assistentes ou aprendizes.

    Definir esse ponto é mais difícil em obras maiores, que requerem uma mescla de diferentes tipos de mão-de-obra, com trabalhos que vão do simples ao complexo.[1]

  3. 3

    Estime o tempo necessário para completar cada componente.

    Ao ter determinado quais serão as partes envolvidas e o tipo de mão-de-obra necessária, estime a quantidade total de homens-horas que serão gastas para a conclusão de cada uma, do início ao fim.

    Nesse cálculo, não inclua as pausas. O valor resultante representa a quantidade de horas de mão-de-obra dedicada necessários para concluir um passo.

    • Se já conhece o tipo de trabalho a ser feito em determinado passo, você pode usar o conhecimento que tem de projetos passados para uma estimativa. Por exemplo, caso esteja ciente de que um trabalhador precisa de dez horas para instalar quatro janelas novas, ou duas horas e meia por janela, o seu projeto atual possivelmente apresentará tempos semelhantes.
    • Se determinado passo do projeto incluir algo com que não esteja acostumado, é importante que você faça pesquisas para preparar a estimativa. Dependendo do projeto, você poderá conseguir informações valiosas na internet ou de outros empreiteiros. Também é possível contratar um consultor a respeito do tipo de mão-de-obra necessária. Essa pessoa poderá ajudá-lo a estimar a quantidade de horas necessárias em um determinado passo.
    • Considere pontos como a dificuldade do serviço, ao fazer a estimativa. Se as janelas em seu projeto estão no sétimo andar de um prédio, e as janelas do projeto antigo estavam no térreo, aumente as horas-por-janela para refletir essa diferença.
    • Inclua estimativas para o tempo gasto em tarefas administrativas que podem ser requeridas no contrato.
  4. 4

    Inclua horas para supervisores. Você também pode incluir valores de horas para um mestre de obras ou gerente, responsável por liderar os trabalhadores, além de administrar o registro de detalhes e o cronograma da obra.

    Alguns projetos podem precisar de mais de um supervisor ou mestre de obras, responsáveis por diferentes partes do projeto. Em outros casos, certos projetos precisarão de diferentes níveis de supervisão.

    Você pode ter mestres de obras em várias etapas do projeto e um supervisor geral que liderará a todos eles.

  5. 5

    Use as estimativas para preparar o cronograma. O cliente provavelmente especificará um prazo para a conclusão do projeto. Ele pode inclusive pedir a você que indique no orçamento o prazo mínimo para essa conclusão.

    É possível usar os passos e as horas dos cálculos para desenvolver um cronograma. Defina que componentes poderão ser completos de forma simultânea e, ainda, quais deles devem ser feitos em sequência, em casos em que o início de um passo depende da conclusão de outro.

    Se sabe quando cada passo deve ser terminado, você pode dividir os valores das horas necessárias para a conclusão pelo valor em oito horas diárias de trabalho do período especificado.

    Assim, aumentando ou diminuindo a quantidade de trabalhadores, é possível aumentar ou diminuir o prazo do projeto. Quanto mais essa quantidade, mais rapidamente você completará um passo determinado.

    • Alguns projetos podem exigir dias com mais de oito horas ou semanas com mais de 40 horas para o cumprimento do cronograma. Para isso, haverá horas extras que devem ser contabilizadas.
    • Por exemplo, se você tem um mês para fazer a fundação de uma casa e sabe que serão necessárias 1.000 horas de trabalho, divida 1.000 pela quantidade de dias de oito horas no mês para calcular a quantidade de trabalhadores que deverão ser contratados para completar esse passo dentro do cronograma (1.000 horas de projeto / 20 dias de trabalho por mês = 50 horas por dia; 50 horas por dia / 8 horas por trabalhador = 6,25 trabalhadores necessários).[2] Arredonde o valor de trabalhadores para mais ou para menos a fim de obter um número inteiro e faça ajustes de acordo com a quantidade de dias necessários para o trabalho.
    • Seja realista com relação à quantidade de trabalhadores a serem contratados em um determinado período de tempo. Caso sejam necessários sete eletricistas para completar a fiação em uma semana, o objetivo talvez não seja realista levando-se em conta a disponibilidade de eletricistas na região. Pode ser necessário alongar o cronograma para acomodar a disponibilidade de mão-de-obra para o projeto.
    • Se você planeja realizar vários passos simultaneamente, serão necessários trabalhadores separados para trabalhar em cada um deles.
  6. 6

    Prepare e envie o orçamento. Some as horas para cada tipo de trabalho necessário, a fim de chegar a um total para todos eles. Caso precise de apenas um tipo de mão-de-obra, você poderá combinar todas as horas de projeto em um único número.

    Se, por outro lado, serão necessários vários tipos de mão-de-obra, o orçamento deve especificar o total de horas exigidas por cada um deles. É importante incluir todos os custos relacionados à mão-de-obra, incluindo impostos e benefícios.

    Além disso, vale considerar qualquer margem de lucro a ser cobrada.

    • Como exemplo, imagine que você tenha sido contratado para instalar uma nova cozinha em uma casa de tamanho médio. O projeto foi dividido em passos, cada um deles precisando de encanamentos, eletricidade e trabalhos de construção geral. O orçamento deve refletir o total de homens-horas para a eletricidade, para os encanamentos e para os trabalhos de construção, além dos custos de cada um deles.
  7. 7

    À medida que o projeto avança, ajuste as estimativas de homens-horas. Como estimativas são meras especulações, você deve atualizá-las à medida que o projeto é desenvolvido.

    O cliente provavelmente será cobrado com base nas horas trabalhadas por sua equipe e, por isso, você deve dar a ele estimativas horárias atualizadas, conforme o tempo passa.

    Isso ajuda a evitar surpresas quando chegar a hora de falar sobre o pagamento.

    • Inclua um “fator surpresa”, com uma estimativa do aumento resultante de potenciais imprevistos. Esse valor depende da complexidade do trabalho, da disponibilidade de mão-de-obra, da dependência de agentes externos e da relação entre um processo e outro.
    • A maioria dos profissionais deixa bem claro que o orçamento é uma estimativa, que as horas reais podem variar e que os clientes pagarão pelo total de horas trabalhadas à medida que o projeto avança. No entanto, é possível que ele queira pagar uma soma em dinheiro com base na estimativa, em vez de fazê-lo pelas horas de trabalho. Preste muita atenção a qualquer linguagem contratual que reforce esse tipo de arranjo, o que requer estimativas muito cuidadosas por parte da parte contratada.
    • Se o cliente pagar com base no total de horas trabalhadas, lembre-se de que o orçamento serve como estimativa e que você não deve cobrar por um valor muito acima do total sem uma justificativa razoável. Caso se depare com problemas e saiba que o valor ultrapassará as estimativas, mantenha o cliente informado para evitar mal-entendidos.
    • Faça um contrato escrito definindo as despesas eventuais de trabalhos secundários. Inclua também o processo para identificar e aprovar essas mudanças, como as aprovações e a documentação necessárias.

Como calcular o custo homem-hora de seus projetos

  • O custo homem-hora, é uma unidade de medida que se utiliza em gestão de projetos para medir os esforços necessários para completar uma tarefa.
  • 1 hora por pessoa = trabalho completado em uma hora de esforço sem interrupções para um trabalhador médio.
  • Calcular o custo homem-hora é a base para medir o custo por projeto de cada tipo de especialista e a sua contribuição ao resultado final.
  • Comece agora a calcular os custos de todos os seus recursos por categorias profissionais com ITM Platform
  • O total de horas homem por tarefa se obtém multiplicando o número de pessoas atribuídas a uma tarefa pelo tempo que demora a completa-la.
  • Suponhamos, por exemplo, que 15 operários numa fábrica de metalurgia dedicam 10 jornadas de trabalho para completar um pedido de 800 unidades de produto.
  • Estimando 6 horas úteis por dia, o total de horas por pessoa se obtém com a seguinte multiplicação: 15*10*6=900h

Portanto, a produtividade é igual a 800/900= 0.89 unidades por hora. Como conhecemos o custo de homem-hora, é fácil calcular como a força de trabalho que contribui ao custo unitário e à rentabilidade da linha de produto

Além disso, este ratio pode ser tomado como ponto de partida para medir melhorias de produtividade, introduzir novos processos e reduzir custos.

No entanto, em qualquer projeto minimamente mais completo será também necessário ter em conta que o custo homem-horas é variável dependendo da categoria profissional a que corresponde.

Nem todos os membros de equipe custam o mesmo

Um requisito para poder calcular o custo laborar total do projeto é considerar tarifas horárias distintas por cada categoria profissional. Em um projeto de TI, por exemplo, não custará igual uma hora de programador júnior que uma de responsável.

  1. Em consequência, na hora de calcular o custo do projeto a partir de homem-horas, deverá ter em conta que a multiplicação do custo deve ser factorizado por categorias:
  2. Custo total: (CH1 X HH1) + … + (CHn+HHn)
  3. Onde CH1 é igual ao custo por hora por categoria profissional 1 e HH1 é o total de homem-horas estimadas por categoria profissional 1

Calculo de custo de projeto com ITM Platform

ITM Platform permite calcular os custos de tarefa e projetos com homem-horas. Para isso apenas terá que definir os valores de 3 variáveis:

  • Os perfis profissionais de sua organização
  • As tarifas associadas a cada perfil profissional
  • Os custos standard, que se calcularão quando se atribui um trabalhador genérico

Consulte este tutorial para perceber como definir os perfis profissionais, tarifas e custos standard para poder calcular o custo de todos as suas tarefas e projetos.

Quanto vale sua hora como freelancer?

“Quanto você cobra por…?” Muitos freelancers já sentem a mão suar e o coração bater mais forte quando escutam essa pergunta.

A questão é que, na grande maioria das vezes, não sabemos mesmo calcular o valor de nosso trabalho e, com isso, ficamos sempre em torno de um dilema: cobrar um valor muito baixo e acabar não ganhando o que gostaria ou definir o preço que acha justo e correr o risco de não pegar o job?

Leia também:
» 4 segredos para criar um portfólio que fará qualquer um querer te contratar
» O que considerar antes de aceitar um freela
» Infográfico: 9 dicas para um home office produtivo

Mas, se você começou a ler esse post na esperança de ter a resposta para sua dúvida sobre qual valor exato cobrar por cada serviço, sinto muito, não vou conseguir ajudá-lo neste ponto.

Ao longo do tempo em que trabalho como freelancer, aprendi que não existe o valor definitivo para os freelas.

Ele varia de acordo com a exigência do projeto, com o grau de dificuldade do serviço e, é claro, com o budget do cliente.

Por que então você deve ler esse post? Pois vou ajudá-lo a entender quais são os fatores que deve considerar ao definir seu preço, confira!

Dicas para definir o preço de seu trabalho?

Se você também não acredita em “tabelas de preços para freela”, vai precisar fazer um orçamento diferente para cada cliente. Pensou “nossa, que trabalho”? A escolha é sua, mas saiba que customizar os valores o ajuda a ganhar mais e também a conquistar mais clientes.

Convencido? Veja então alguns passos para formar o preço de seu serviço:

1. Conheça o valor de sua hora como profissional

Eu sempre gosto dessa comparação: se estivesse trabalhando em uma empresa e ganhando um salário fixo, qual seria o valor dele? Entenda qual o seu nível profissional (júnior, pleno, sênior, especialista, etc) e tente encontrar informações sobre o quanto o mercado está pagando em salário para a sua função. Não deixe de avaliar também o valor dos benefícios (plano saúde, vale-transporte, vale-alimentação) e, se for CLT, os custos de manutenção de um funcionário para uma empresa.

Feito isso, divida o valor total (normalmente o dobro do salário em si) pelo número de horas mensais trabalhadas como funcionário, assim terá o primeiro indício de quanto deve cobrar por hora. Por exemplo, se você acha que estaria empregado com um salário de R$ 3.000, divida R$ 6.000 por 160 horas (40 horas semanais). Você chegará, então, a um valor aproximado de R$ 37,50 por hora.

Essa comparação é interessante por um fator bem prático: ao pedir um orçamento de você, seus clientes também costumam fazer essa matemática para saber o que vale mais a pena, contratar um freelancer ou aumentar sua equipe com um novo funcionário. Mas, calma, isso não significa que você tenha chegado ao valor de sua hora. Tem mais algumas dicas importantes pela frente.

2. Saiba quais são os custos envolvidos

Um erro bem comum dos freelancers ao definir o preço para seu trabalho é não considerar os custos envolvidos. Para cada projeto, é preciso colocar na ponta do lápis o que gasta com luz, internet, imposto, material de escritório, aluguel de coworking, transporte para reuniões e tudo o mais que estiver envolvido na execução das atividades.

É claro, você não vai colocar todo valor da sua conta de internet no projeto de um cliente, mas precisa ter noção de que esse é um custo que tem como empresa, portanto deve ser pago pelos serviços que prestar, não pelo “salário” que definir para você.

Considere também o número de refações, calls e reuniões com o cliente ao longo do projeto: clientes mais exigentes e que demandam mais de seu tempo, pela lógica, precisam pagar um preço maior do que aqueles que pouco interagem com você.

3. Pesquise quanto cobram seus concorrentes

Eu mesma já cai nesse erro: defini um preço para um projeto pensando no valor de minha hora e depois descobri que os concorrentes cobravam um valor bem acima do meu. Por isso, vale ficar sempre atento ao valor praticado por outros freelancers ou até mesmo por empresas.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*