Como brincar de dança das cadeiras: 11 passos

Marque este artigo em seus favoritos, que traz 30 ideias de dinâmicas e brincadeiras para fazer com grupos de crianças ou jovens em sala de aula, reuniões de família, grupos religiosos e outros.

Como Brincar de Dança das Cadeiras: 11 Passos

O Almanaque de Brincadeiras e Dinâmicas de domínio público foi compilado e publicado por Eliseu de Oliveira Cunha e republicado aqui com permissão conforme instrução do autor.

1 – CACHORRO E GATO CEGO

IDADE: 7 anos. Objetivos específicos: Audição, atenção. MATERIAL: Lenços. LOCAL: Sala, quadra, pátio. Formação: círculos. Organização: alunos em círculos que irão dois para o centro; um será o cachorro e outro o gato. Veda-se os olhos de ambos. Execução: toda vez que o cachorro latir o gato miará e o cachorro tentará pega-lo. Se conseguir, irão outros ao centro.

2 – QUAL O PERFUME?

IDADE: 9 anos em diante. SEXO: Ambos. Objetivos específicos: Desenvolver o olfato. MATERIAL: Frutas, perfumes, loções, etc. Formação: círculos. Organização: alunos em círculos, sendo que um irá para o centro com olhos vendados.

Execução: o professor dará aos alunos do centro algo para cheirar o perfume e dirá: – deverás reconhecer este aroma entre outros que vou te dar. Em seguida dará outras coisas (frutas, alvejante, etc.).

Este deverá identificar quando lhe derem para cheirar algo que tenha o mesmo cheiro do primeiro.

3 – TOCAR O CEGO

IDADE: Todas. Objetivos específicos: Desenvolvimento-perspectivo. LOCAL: Ar livre, salão. Formação: círculo. Organização: alunos sentados em círculo. Ao centro, um colega de olhos vendados. Execução: um colega do círculo se levantará, tocará o ceguinho e se sentará novamente. Pelos movimentos feitos, o cego tentará adivinhar quem o tocou.

4 – COM QUEM ESTARÁ A BOLA?

IDADE: 9 anos. Objetivos específicos: Atenção, perspicácia. MATERIAL: Bola. LOCAL: Pátio, gramado. Formação: círculo. Organização: alunos em círculo, pernas cruzadas, um aluno sentado no centro com olhos vendados.

Execução: os companheiros passam a bola entre si e ao sinal do professor coloca as mãos para trás escondendo a bola. O aluno que está no centro, abre os olhos e aponta aquele que imagina estar com a bola.

Se errar, repete o jogo.

5 – GARRAFA MÁGICA

IDADE: 8 anos em diante. Objetivos específicos: Desenvolver a imaginação. MATERIAL: Uma garrafa. LOCAL: Sala, pátio. Formação: círculo. Organização: os alunos em círculo, o professor no centro. Execução: o professor gira a garrafa no solo e quando esta parar apontará na direção de um aluno. Este deverá ir para o centro e executar uma tarefa determinada pela turma ou professor.

6 – COMER A MAÇÃ

IDADE: 9 anos em diante. Objetivos específicos: Controle emocional. MATERIAL: Maçã. LOCAL: Quadra, pátio. Formação: fileiras. Organização: em fileiras, tendo na frente das mesmas, maçãs penduradas.

Execução: ao sinal procurar morder a maçã que lhe corresponde, sem segurá-la, dentro de um tempo determinado.

Vencerá a fileira que obtiver maior número de pontos, por mordida, ou que morder a maçã primeiro, ou ainda o que comer a maçã primeiro.

7 – O CACHORRO E O OSSO

IDADE: 7 anos. Objetivos específicos: Atenção, audição. MATERIAL: Qualquer objeto. LOCAL: pátio, gramado. Formação: círculo. Organização: os alunos em círculos. Um sentado ao centro tendo olhos vendados, que será o cachorro. Perto de si haverá um objeto “o osso”.

Execução: dado o sinal, o professor indicará um dos alunos no círculo que tentará cautelosamente pegar o osso. Percebendo o ruído, o cachorro latirá e indicará o lado do ruído. Ao acertar a direção o professor indicará outro aluno.

Se um conseguir e não for adivinhado se tira as vendas e tenta adivinhar.

8 – O MICO

IDADE: 7 anos em diante. Objetivos específicos: Atenção, agilidade. MATERIAL: Bolas. LOCAL: Quadra, gramado, pátio. Formação: círculo. Organização: em círculo, ficando dois alunos que se defrontam, de posse de uma bola. Uma bola será designada “MICO”.

Execução: ao sinal de início, os alunos que têm a bola passam-na ao colega da esquerda, o qual rapidamente faz o mesmo e assim sucessivamente. As bolas são passadas, o objetivo é fazer com que uma bola alcance a outra, isto é, que o “mico” seja apanhado sendo que todos evitam que isto aconteça em suas mãos.

Quem deixar cair a bola deve recuperá-la sozinho e voltar ao seu lugar para recomeçar a passá-la. Cada vez que o mico é apanhado interrompe-se a brincadeira e o aluno que permitir ficará no centro até ser substituído.

9 – ESTALINHO

Objetivos específicos: Coordenação motora, ritmo, atenção. LOCAL: Ar livre e sala. Formação: círculo. Organização: alunos numerados seguidamente formando um círculo na posição “sentados”.

Todos iniciam o jogo batendo duas vezes e estalando os dedos uma vez na mão direita e outra na esquerda. Execução: um aluno ao estalar os dedos da mão direita diz seu número e ao estalar da mão esquerda, chama um número correspondente a um companheiro.

Aquele que for chamado continuará o jogo dizendo o seu número e chamando outro. Quem errar e quem chamar o número que já saiu, também irá sair.

10 – ELEFANTE VOA?

IDADE: 7 anos. Objetivos específicos: Atenção. LOCAL: Sala, quadra. Formação: círculo. Organização: alunos em círculo. Execução: o professor pergunta se determinados bichos voam. Se voam, os alunos deverão responder: voa e fazerem gestos com os braços. Ex.: Galinha voa? Pássaro voa? Elefante voa? O aluno que cometer algum engano pagará prenda no final.

11 – JOGO DO PUM

IDADE: Todas. Objetivos específicos: Atenção e pronta reação. LOCAL: Ar livre e sala. Formação: círculos. Organização: alunos em círculos na posição sentados.

Execução: os alunos numerando-se seguidamente, mas chegando ao número 7 deverá dizer: PUM, substituindo-os. O aluno que demorar em falar ou não substituir o número por Pum deixará o jogo toda vez que errar.

O jogo é renumerado pelo aluno colocado à sua direita.

12 – DESCOBRIR O QUE ESTÁ MUDADO

IDADE: Todas. Objetivos específicos: Memória, perspicácia, observação. LOCAL: Ar livre e sala. Formação: círculos. Organização: pede-se a um aluno que deixe o local e faz-se algumas modificações. Execução: quando o aluno voltar o grupo começará a contar aumentando ou diminuindo a intensidade do canto à medida que ele se aproxima ou afasta do que mudou.

13 – AÍ VAI O GANSO

IDADE: 7 anos em diante. Objetivos específicos: Desenvolver os sentidos, memória. LOCAL: Pátio e quadra. Formação: fileira. Execução: o primeiro virando para o seguinte e dizendo: “Aí vai o ganso”. O segundo dirá: “Que ganso?” Ao que o primeiro responde: “O ganso”. O segundo fala: … ah… o ganso. A pergunta será repetida e assim sucessivamente. Assim corre-se todas as fileiras.

14 – JOGO DO LIMÃO

IDADE: 6 anos em diante. Objetivos específicos: Ritmo, atenção. MATERIAL: Limão. LOCAL: Quadra, pátio, sala, gramado. Formação: círculo.

Organização: alunos sentados em círculo, tendo um, posse de um limão. Execução: os alunos iniciarão a brincadeira cantando: Meu limão, meu limoeiro… ao mesmo tempo passando o limão aos colegas.

Ao findar a canção, o aluno que estiver de posse do limão será eliminado.

15 – JOGO DA MEMÓRIA

IDADE: Todas. Objetivos específicos: Memória, tato. MATERIAL: Lápis, grampos, moedas, giz, etc. Formação: em pé, formando um círculo, mãos para trás.

Execução: o recreador entregará para um aluno um objeto após outro para ser passado adiante. Após serem passados todos os objetos, todos se sentarão e rapidamente escreverão o nome dos objetos que passarem pelas suas mãos.

Leia também:  Como agir quando estiver com pessoas que gostam de você mas você não gosta delas

Vencerá quem escrever mais nomes dos objetos em um tempo determinado.

16 – BOM DIA

IDADE: 7 anos em diante. SEXO: Ambos. Objetivos específicos: Educação dos sentidos. MATERIAL: Lenço. LOCAL: Quadra ou pátio. Formação: círculos. Organização: alunos em pé em círculo. Um no meio com os olhos vendados. Execução: os alunos do círculo caminharão e sendo um apontado, dirá: Bom dia! Se o aluno de olhos vendados identificar a voz do colega, trocará de lugar com este.

17 – CÍRCULOS UNIFICADORES

IDADE: 7 anos em diante. SEXO: Ambos Objetivos específicos: Pronta reação e atenção. MATERIAL: Disco, toca-fitas LOCAL: Ar livre e salão. Formação: em círculos de pé.

Execução: a turma se desloca ao som da música. Quando esta parar devem formar grupos de 5 ou 3, anteriormente determinados. Os que sobrarem ficam prisioneiros dentro do círculo.

Termina quando fica somente um prisioneiro no círculo.

18 – PERSEGUIR A BOLA

IDADE: Todas. Objetivos específicos: Astúcia, rapidez, agilidade. MATERIAL: Bolas. LOCAL: Ar livre. Formação: duas colunas em posição fundamental. O primeiro de cada equipe com uma bola.

Execução: o primeiro de cada coluna lança a bola o mais longe possível no terreno do fogo. Isto feito, todos deverão correr para reformar a coluna atrás da bola atirada pela coluna contrária.

Vencerá a coluna que se reformar em primeiro lugar.

19 – CORRER EM CIRCUITO

IDADE: 9 anos. Objetivos específicos: Iniciação desportiva (hand e basquete). MATERIAL: Bola. LOCAL: Quadra. Formação: fileiras. Organização: 2 fileiras frente a frente formando 2 equipes A e B. Primeiro aluno de cada fileira com uma bola.

Execução: ao sinal, o aluno de posse da bola corre em direção ao que está na outra extremidade da fileira. Neste momento há trocas de lugares. O primeiro fica por último e inicia a passagem da bola ao outro. Quando chegar o 1º fica por último e inicia a passagem da bola ao outro.

Quando chegar o 1º, o 1º de posse da bola. Vencerá o que executar a tarefa primeiro.

20 – PASSE-PASSE

IDADE: 10 anos. SEXO: Ambos. Objetivos específicos: Habilidade ao passar a bola, destreza, iniciação desportiva (handball e basquete). MATERIAL: Bolas, arcos. LOCAL: Quadra, pátio, gramado. Formação: fileiras (alunos em círculos demarcados ou dentro de arcos).

Organização: 2 fileiras frente a frente, separadas por uma certa distância, formando 2 equipes A e B. Dois alunos de cada equipe serão destacados para ocupar um lugar, pouco afastado das extremidades, na luta central que separa as fileiras.

Execução: ao sinal, o aluno nº 1 de cada equipe, passará a bola ao nº 2 e este ao 3; 3 ao 4… O último de posse da bola, correrá em direção ao nº 1. Neste momento os demais trocam de lugar e o último ocupa o lugar do 1º. Reinicia-se o exercício, até chegar à posição inicial.

ERROS: sair do lugar ao passar ou receber a bola, deixar cair a bola, abandonar seu lugar antes que o vizinho deixe o seu.

21 – DÊ 5 PASSOS E FUJA

IDADE: 7 anos. SEXO: Ambos. Objetivos específicos: Orientar-se no espaço em relação a objetos e pessoas. LOCAL: Quadra, pátio. Formação: grupos de 3.

Organização: três alunos sentados: 1 fugitivo e 2 pegadores. Execução: o fugitivo levantar-se-á, dará 5 passos e correrá sendo perseguido pelos outros que tentarão tocá-lo.

Tocando o perseguido, os 3 sentar-se-ão e reiniciarão a atividade trocando os papéis.

22 – JACÓ E RAQUEL

IDADE: 9 anos em diante. Objetivos específicos: Senso de orientação, coragem, acuidade auditiva. MATERIAL: Lenço, sininho. LOCAL: Sala, quadra. Formação: círculo.

Organização: alunos em círculo, mãos dadas para limitar o espaço onde 2 companheiros vão correr. Jacó com olhos vendados e Raquel com um sininho. Execução: ao sinal de início, Raquel correrá dentro do círculo soando o sininho.

Jacó (levantará) tentará pegá-la. Quando for apanhada, os dois escolhem os substitutos.

23 – BOLA DO CAÇADOR

IDADE: 7 a 9 anos. SEXO: Ambos. Objetivos específicos: Habilidade motora, rapidez, atenção. MATERIAL: Bola. LOCAL: Quadra. Formação: livres.

Organização: livres na quadra, um aluno de posse da bola será o caçador, vai sair para caça e começa a perseguir procurando tocar com a bola um colega.

O que for pego, será o cão de caça e ajudará o caçador fazendo trocas de passes a fim de chegar mais perto da caça. O jogo prosseguirá até que todos sejam caçados.

24 – REVEZAMENTO

IDADE: Todas. Objetivos específicos: Velocidade. MATERIAL: Bastão de 25cm de comprimento. LOCAL: Ar livre. Formação: colunas. Organização: 2 colunas frente a frente com mais ou menos 10 metros de distância, sendo que o primeiro aluno segura um bastão.

Execução: ao sinal, correrão, descrevendo em círculos pelo campo ao chegar a sua coluna passarão ao companheiro o bastão e assim sucessivamente. Vencerá a coluna que concluir o exercício primeiro. Obs.

: os alunos poderão primeiramente fazer o mesmo em caminhada rápida.

25 – CORRA SEU URSO

IDADE: 7 a 9 anos. Objetivos específicos: Atenção, rapidez, agilidade. LOCAL: Quadra. Formação: fileiras à frente de uma linha a 10 metros, a frente deve estar uma outra aluna de costas, será o “urso”.

Execução: os alunos da fileira gritarão “corra, seu urso”. O urso sairá do seu lugar e virá ao seu encalço (dos colegas). Estes procurarão correr para o lado em que o urso estava, sem, entretanto, serem pegos.

Os que o urso pegar, serão os ursinhos que auxiliarão o urso a pegar.

26 – BOLA AO CENTRO

IDADE: 8 anos em diante. Objetivos específicos: Agilidade, destreza, reflexo. MATERIAL: Bola. LOCAL: Quadra, gramado. Formação: 2 círculos concêntricos.

Organização: os alunos do círculo central serão nº 1 e os de fora nº 2. Uma bola ao centro.

Execução: ao sinal, os números 2 correrão em círculo, e ao chegarem ao seu par, passa por entre as pernas do companheiro e tentam pegar a bola. O que conseguir receberá 5 pontos e trocará de lugar.

27 – BOLA AOS 4 CANTOS

IDADE: 7 a 9 anos. Objetivos específicos: Habilidade motora, espírito de equipe, reflexo. MATERIAL: Bola de tênis – preferencialmente. LOCAL: Quadra. Formação: 2 colunas. Organização: 2 alunos de cada equipe nos cantos da quadra.

Execução: ao sinal, o professor dará a partida do centro da quadra atirando bola ao alto; abre dois adversários. Trocarão de passes entre seus companheiros que estão espalhados na quadra.

Contará pontos cada vez que a bola chegar as mãos dos companheiros.

28 – DANÇA DAS CADEIRAS

IDADE: Todas. Objetivos específicos: Atenção, agilidade. MATERIAL: Cadeira, toca-fitas. LOCAL: Ar livre, salão. Formação: cadeiras em fileiras aos pares, umas de costas para as outras.

Organização: o número de cadeiras será a menos do que o número de participantes. Execução: ao som da música, os alunos contornarão as cadeiras. Quando esta parar, todos procurarão sentar-se.

O que sobrar sairá fora e retira-se uma cadeira. Vencerá o último a sentar.

29 – CROQUETE

IDADE: 8 anos em diante. Objetivos específicos: Agilidade, destreza, atenção. LOCAL: Quadra, gramado. Formação: 2 colunas. Organização: duas colunas frente a frente nas extremidades da quadra sendo equipe A e B.

Entre as colunas estarão dispostos 8 alunos de grande afastamento lateral. Execução: ao sinal, o 1º aluno de cada equipe deverá passar entre as pernas do companheiro descrevendo um zig-zag. Voltarão à coluna saindo o seguinte.

Leia também:  Como alisar um cabelo ondulado: 12 passos (com imagens)

Vencerá a equipe que completar a tarefa em primeiro lugar.

30 – MUDANÇA TRÍPLICE

IDADE: 7 anos em diante. Objetivos específicos: Equilíbrio, destreza e reflexo. LOCAL: Quadra. Formação: círculo. Organização: os alunos numerados de 3 em 3, ficando um sozinho no centro do círculo.

Execução: ao sinal, ele dirá um dos três números (1, 2, 3) e todos os alunos correspondentes ao nº chamado deverão mudar rapidamente um ao outro. O aluno do centro durante essa mudança deverá ocupar um dos lugares.

Aquele que não chegar ao lugar, sobra e irá ao centro.

Imprima também a continuação deste artigo clicando em Mais 23 dinâmicas e brincadeiras para crianças e jovens.

Toma un momento para compartir …

Você é um fornecedor? Cuidado com a dança das cadeiras. No final só senta um!

Como Brincar de Dança das Cadeiras: 11 Passos

Com certeza, alguma vez em sua infância, você já participou da dança das cadeiras. E, se você é um fornecedor de serviços e locação de equipamentos de impressão, novamente, com toda a certeza deste mundo, você já brincou dela em sua vida adulta também.

A dança das cadeiras é uma brincadeira tradicional e popular aqui no Brasil. É necessário ter músicas e cadeiras, sendo que o número de cadeiras deve sempre ser uma a menos que o total de participantes. Você se lembra, não é?! Se tem 06 participantes, o número de cadeiras deve ser 05.

A música alta rola solta e os participantes, com suas mãos para trás, dançam ao redor das cadeiras. Quando a música para, todos que conseguirem se sentar continuam no jogo, e tira-se mais uma cadeira, até sobrar um jogador. O vencedor!

Essa clássica brincadeira estimula a agilidade, a atenção, o movimento, a estratégia e o ritmo. Ela também é ideal para avaliar atitudes éticas, como o cumprimento de regras, o respeito e a honestidade.

Ao ver esta descrição, você consegue fazer uma associação com o seu dia a dia empresarial?

Todo começo de ano, ou nos meses finais de um contrato, acontece um momento tenso para os fornecedores. É chegada a hora do contratante, ou seja, o cliente, avaliar se é válido renovar o seu contrato ou, se a sua proposta comercial é a mais adequada para dar início aos trabalhos.

→ Imagine:

Caso 1 – O novo cliente

Um escopo dos serviços de impressão que a empresa precisa; a sua proposta comercial; a proposta comercial de seus concorrentes; a análise por meio do cliente; a eliminação das propostas que não atingiram o objetivo. Uma nova rodada de negociações, avaliações e escolhas.

Caso 2 – O cliente atual

Revisão do contrato; verificação dos pontos que foram cumpridos ou não; avaliação da qualidade do serviço oferecido; percebe-se que precisa aumentar/diminuir a quantidade de equipamentos; solicita um novo orçamento. Aí, ele resolve rever as propostas do ano anterior e solicita uma atualização. Avalia o seu serviço, custo e as novas ofertas. Elimina alguns. Reavalia. Elimina de novo. O cliente escolhe quem será o seu fornecedor.

O processo de análise, escolha e eliminação te lembrou algo? Sim – a dança das cadeiras.

Garantindo o seu lugar na dança das cadeiras

Para garantir o seu lugar na dança das cadeiras, e ganhar todas as rodadas, a sua empresa de outsourcing de impressão deve ser um negócio de sucesso.

Já falamos, especificamente, sobre o que é sucesso para fornecedores de outsourcing de impressão. Em “Mapa de Sucesso em Outsourcing de Impressão” apontamos 08 pontos fundamentais para que você e a sua empresa alcancem o sucesso.

Na publicação “Este ou aquele – Porque o cliente escolhe o concorrente e não você?” falamos como um fornecedor de serviços de outsourcing de impressão é avaliado. Para ilustrar este momento de análise, preparamos uma tabela (simulação) de como acontece na prática a avaliação. Não deixe de ver!

Outros fatores que podem ajudar você a ficar na dança a cada rodada, é entendendo o que a sua empresa realmente vende.

E, “Não, você não está vendendo serviços de outsourcing de impressão!” – tenha em mente que o que você oferece aos seus clientes é tempo! Mais tempo para que ele foque em seu core business. Menos tempo aguardando um documento para ser impresso. Zero tempo fazendo manutenção em equipamentos. E tempo otimizado significa maior produtividade e redução de custos.

Além disso, é fundamental que você saiba como é o processo de compra do seu público-alvo. Por isto, indicamos que você descubra “A jornada de compra do consumidor de outsourcing de impressão”.

Se o B2B é o modelo de vendas adotado na empresa de outsourcing de impressão que você trabalha, também precisamos bater um papo sobre relações humanizadas e um termo que vem se destacando na área das vendas, o H2H – human to human, de humano para humano.

Há algum tempo atrás (não tanto tempo assim) era feita a distinção entre as vendas B2C como sendo emocionais e a B2B como racionais. Mas, hoje sabemos que não é bem assim.

Porque detrás de uma compra em uma empresa existem pessoas. E são elas que vão fechar o negócio com você. Por isso você deve criar conexões emocionais e entender que “por detrás de todo business existem pessoas”.

04 motivos que fazem você “dançar”

Quais motivos levam um cliente a trocar de fornecedor? Ou, a não lhe contratar?

A identificação desses motivos pode ajudar a sua empresa a implementar programas de recuperação de clientes, além de melhorar diversos aspectos da sua oferta. Podendo assim, evitar que este cenário negativo (da perda de contrato ou de não renovação) ocorra no futuro.

Além do mais, a investigação das razões que causam este comportamento ajudará no diagnóstico precoce de problemas e lhe permitirá prevenir a saída de outros clientes.

Conheça algumas das razões que podem levar seu cliente à troca de fornecedor:

1 – A concorrência bate seu preço

Se o cliente escolhe o seu fornecedor de serviços de impressão somente pelo custo, temos, bem na nossa cara, duas hipóteses:

  1. Ele não enxerga o valor do seu serviço;
  2. Você não demonstra o valor agregado.

Competir, somente por preço, não é uma estratégia recomendada para ganhar o mercado. Ceder por centavos ou pequenos descontos mostra que a sua empresa está mais disposta a fechar um contrato a qualquer custo e ignora o mínimo necessário para entregar um serviço com qualidade.

Não permita que seu serviço seja facilmente substituído por o de outro fornecedor. Use as habilidades e as atitudes da dança da cadeira (você se lembra?) para surpreender o cliente e até mesmo os fornecedores concorrentes.

Ajuste constantemente seu serviço a um alto nível de personalização, crie experiências únicas, construa laços emocionais e, acima de tudo, cumpra com tudo o que prometeu.

Assim, alguns centavos (a mais), podem ser o agregador de valor que você precisa.

2 –  Ser malvisto pelo mercado

Não é a primeira vez que falamos sobre reputação aqui no blog. Pode parecer um tópico superficial, mas tenha a certeza de que não é. Quando o seu próprio mercado o vê com maus olhos as informações que chegam ao cliente tendem a ser até piores.

Leia também:  Como cantar screamo: 9 passos (com imagens)

Aqui entra aquela, também antiga, brincadeira do telefone sem fio. Cada um aumenta e espalha um pouco mais.

Por isso conquiste e mantenha uma boa reputação. A sua marca é a representação da sua empresa e o que os clientes (e concorrentes) falam sobre ela cria uma imagem e reflete a qualidade da prestação doS seus serviços de impressão.

3 – Sua qualidade está caindo

A falta de qualidade também é uma das razões que podem motivar o cliente a não querer renovar o contrato.

A qualidade percebida pelo cliente e o cumprimento das exigências imposta por ele são fatores fundamentais para uma empresa se fortalecer ou até mesmo desaparecer do mercado.

Satisfazer o cliente é um processo de melhoria contínua. Ela vai do início da operação até o seu término.

Ao contrário do que muitos pensam, a qualidade no serviço oferecido deve melhorar com o passar do tempo e não decair.

No começo, as empresas ainda não se conhecem por completo e não têm afinidades, mas com o passar dos meses e dos dias de contato, o relacionamento se aprimora e, em consequência disto o resultado do seu serviço sentido pelo cliente deve aumentar.

Lembre-se: falar de prestação de serviços é falar em resultados. Tudo aquilo que é prometido será avaliado pelo consumidor final junto com a experiência vivida junto à empresa. Isso definirá se o serviço é de qualidade e se a empresa merece ser recomendada e recontratada.

Pensar na qualidade na prestação de serviços é pensar como a demanda do consumidor está sendo atendida (veja mais no item 4). E isso, com certeza, pode representar um diferencial competitivo para a sua empresa.

4 – As necessidades mudam

  • Buscar saber e entender as preferências e o comportamento de cada uma das suas empresas clientes (atuais e futuros) é o primeiro passo para demonstrar interesse e criar um relacionamento.
  • Somente por meio desta convivência é que você terá a oportunidade de conversar e abordar temas mais profundos que evidencie as futuras necessidades do cliente ou o que ele desejaria ter, se fosse possível.
  • Caso você não tenha este tato e não consiga sentir quais são as reais necessidades e os desejos do cliente, é possível que os seus serviços se tornem obsoletos.

A descoberta das necessidades deve ser uma atividade contínua.

Tanto as pessoas, como as empresas, mudam seus comportamentos, estratégias e posicionamentos. Tudo depende do momento que estão vivendo e da forma como preveem dar os seus próximos passos.

Já que as necessidades dos clientes mudam a cada instante, o seu negócio tem que estar alinhado com essas mudanças para poder se manter no âmbito de interesse. Caso contrário, eles irão buscar outro fornecedor que atenda as suas novas demandas.

Por conta da alta concorrência, o cliente tem altas expectativas e espera que elas sejam alcançadas e superadas. Por isso aprenda a pensar como eles! Busque entender quais melhorias e avanços precisam e gostariam de ter em suas empresas, as quais você pode fornecer.

Para continuar na dança das cadeiras e manter-se campeão, trabalhe a sua visão de futuro. Você precisa antecipar, ver a longo prazo, onde os seus clientes querem ou vão estar. Assim os seus serviços sempre continuarão eficientes e o seu outsourcing de impressão irá sobreviver à evolução tecnológica do mercado.

Agora que você sabe algumas das razões porque empresas não contratam ou não renovam com os seus atuais fornecedores, é válido que você faça uma revisão de seus negócios, posicionamento e estratégia.

Caso tenha perdido mais clientes do que gostaria, repense a forma como a sua empresa trabalha e lida com os clientes.

Atividades

Os alunos do Nível I – BOULEVARD – realizam todos os dias atividades e brincadeiras dirigidas que auxiliam no processo de letramento e alfabetização. Durante mais um dia de aprendizado e diversão para estimular o reconhecimento das letras, os alunos participaram do “bingo das letras”. A cada letra mais conhecimento e a chance de preencher a cartelinha. Muito bom turminha!

Oba! A nossa alegria e animação não tem hora para acabar! Os alunos do Nível I e II – INTEGRAL – CASTELO – além de todas as atividades e descobertas do dia, a turminha ainda tinha muita energia para brincar da “dança das cadeiras”! Música, alegria e diversão!

Os animais da natureza foram a inspiração da atividade artística dos alunos do Maternal – BOULEVARD – durante uma colorida oficina de massinha natural. Aranha, sapo, joaninha, cobra, e muitos outros bichinhos que os alunos interagiram “Brincando com a natureza”! parabéns turminha! Que lindo!!!!

Os alunos do Minimaternal – CASTELO – realizaram uma linda exposição para mostrar as belezas do fundo do mar. Por meio do projeto “Viajando no fundo do mar” – os alunos realizaram uma série de atividades artísticas inspirados nos animais e a riqueza do mar. A sala de aula ficou “inundada” de beleza e colorido! Parabéns turminha!

Crianças de todas as idades necessitam tomar Sol e passar algum tempo ao ar livre para crescer e se desenvolver com saúde. Os pequenos alunos do Berçário I – CASTELO – aproveitaram o lindo dia para alguns minutos de brincadeiras ao ar livre! Bolinhas de sabão, musiquinhas e muita diversão! Crescer e ser feliz!

Os pequenos alunos do Berçário II – BOULEVARD – brincaram e estimularam os sentidos e a imaginação no tanque de areia. A atividade dirigida oportuniza a interação com brincadeiras coletivas, compartilhar objetos, estimular os sentidos e a coordenação motora. As brincadeiras são fundamentais para o nosso crescimento! Vamos brincar?

Era uma vez…..uma turminha muito interessada em boas histórias, música e alegria! Essa turminha do Berçário I – BOULEVARD – estavam ligadinhas na história dos “Três porquinhos”, muito interessados, os pequenos ouvintes ficaram atentos aos sons e movimentos durante toda a contação….Muito bom ! Vamos ouvir muitas histórias……

Nas nossas “andanças” e aprendizados do projeto “Curiosos por natureza” – os alunos do Minimaternal – RIBEIRÂNIA – visitaram o pomar da escola, para conhecer algumas das maravilhas que a natureza nos oferece: o alimento! É natureza que retiramos os mais deliciosos e nutritivos alimentos: as frutas. No pomar encontramos mangas, jabuticabas, bananas, pitanga, amora, mamão, laranja e acerola. A natureza é o espetáculo da vida! Muito bom pequenos exploradores!

Escravos de Jó jogavam caxangá…. bastam apenas algumas palavras para que imediatamente lembramos dessa antiga brincadeira infantil.

Os alunos do Nível II – manhã – RIBEIRÂNIA – estão elaborando um “dossiê da turma” – e nele estão registrando lembranças, acontecimentos, memórias e também algumas brincadeiras, como a divertida cantiga “escravos de Jó” – que permite a interação com todos os colegas. Muito bom galerinha!

A natureza é uma fonte de inspiração surpreende! Os alunos do maternal – RIBEIRÂNIA – foram ao encontro da “natureza” para comporem a atividade sugerida na apostila: Desenhos circulares. Uma variedade de folhas secas do jardim inspiraram a obra dos nossos artistas. Muito bom turminha!

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*