Como beijar alguém de estatura diferente da sua: 8 passos

Apesar da modernidade trazer muito espaço e responsabilidade para a mulher, tem algo que não muda: A MULHER GOSTA E QUER SER CONQUISTADA.

Claro que tem mulheres autênticas e independentes que não tem medo de conquistar. Mas, vamos nos basear na maioria delas e falar sobre “Como conquistar uma mulher”.

Independente de qual for seu objetivo, seja algo casual ou mais sério, este texto vai lhe ajudar e muito.

Afinal, às vezes você pensa em algo casual e no desenrolar da carruagem você descobre que ela tem muito mais a ver com você do que imaginou e os objetivos podem mudar.

Leia também:

Independente de uma noite ou algo mais sério vou lhe dar 10 dicas para a conquista.

O “segredo” para a conquista tem muito a ver com você, com seu jeito, sua autoestima, mas também com seu comportamento e atitude.

Como Beijar Alguém de Estatura Diferente da Sua: 8 Passos

1) Cuide do seu visual

  • Mulher repara sim nos homens;
  • Portanto, esteja sempre em ordem com sua roupa, sapato, barba, corte de cabelo, higiene, etc.;
  • Seu traje e sua vestimenta já será uma seleção para mulher. Ou seja, se você estiver de acordo com o estilo dela, já é 1 ponto pra você, antes mesmo de começar;
  • Se ela não gostar e você tentar uma aproximação, ela provavelmente já dará um corte. O que também é interessante, pois evita todo um esforço e trabalho de conquista que se sabe que não terá um fim esperado;
  • O importante é você encontrar o estilo de mulher ideal pra você, caso contrário não terá muita graça, não é mesmo?!
  • Um bom perfume faz muita diferença. A grande maioria das mulheres gostam sim de homens cheirosos.

Como Beijar Alguém de Estatura Diferente da Sua: 8 Passos

2) Seja confiante

  • Isso mesmo. Nada adianta você se aproximar de uma mulher estando inseguro, trêmulo, porque ela vai perceber;
  • Ser confiante significa estar seguro, saber o que você mesmo quer, seja lá o que for;
  • Mulheres gostam de homens confiantes e seguros; e isto muitas vezes é percebido na sua fala. Tente falar sem gaguejar, sem tremer na voz. Fale seguro, porque é importante o seu jeito de se comunicar.
  • Ser confiante também inclui estar preparado para um não, pois pode acontecer. Ter recebido um não, não deve ser impedimento para novas tentativas, com ela, ou com outras mulheres.

3) Aproxime-se

  • Assim que você vê uma mulher legal, que de início lhe chamou atenção, vá até sua direção e observe;
  • Se atente com quem ela está, isso é importante para que você se programe e tenha em mente como se comportar;
  • Você pode fazer com que ela veja você, mas a partir desse momento, não rodeie muito, mas também não a interrompa se ela estiver falando com alguém;
  • Perceba a hora certa de se aproximar e inicie um bate-papo. Isso é bem importante, principalmente, se você não tem a seu favor uma beleza, estatura ou porte físico que pode atrair uma mulher no olhar de longe;
  • Seu comportamento e atitude será seu diferencial, então, parta pra isso.
  • Caso receba um fora, não desanime, isso acontece com qualquer um.

Como Beijar Alguém de Estatura Diferente da Sua: 8 Passos

4) Seja carismático

  • Ao se aproximar dela, inicie uma conversa;
  • Seja carismático para atrair a atenção dela e também para acolher as pessoas que estão com ela;
  • De início você não poderá ignorar as companhias dela. Portanto, se ela estiver na presença de amigas (o que geralmente acontece), seja simpático, inclua as amigas na conversa, só assim você terá e manterá a atenção da mulher que estiver afim;
  • Porém, não seja totalmente imparcial a ponto de elas não saberem em quem você está interessado; uma dica é: dê um olhar diferente, um olhar com alguns segundos a mais para a mulher que você está no objetivo de conquistar,

Como Beijar Alguém de Estatura Diferente da Sua: 8 Passos

5) Demonstre seu interesse

  • Mostre seu interesse pela mulher que você está afim;
  • Olhe-a nos olhos, mostre-se atento aos assuntos dela;
  • Faça perguntas e em seguida fale algo sobre você;
  • Não se esqueça de dar atenção também para as amigas que podem estar ali;
  • Use do seu bom humor nos assuntos, faça ela rir, um pouco de diversão é sempre bom, afinal, tem que ser algo descontraído e não uma conversa formal, como se fosse uma entrevista de emprego, não é?!

Como Beijar Alguém de Estatura Diferente da Sua: 8 Passos

6) Elogie

  • O elogiar não é exatamente falar da beleza física da mulher;
  • Aliás, evite esse tipo de elogios já no primeiro encontro;
  • Concentre-se no rosto. Evite olhar muito para o corpo dela;
  • O elogio ideal é falar sobre as características da personalidade dela. Dependendo do assunto, você pode dizer que ela é inteligente, simpática, bem-humorada, coisas do tipo. Esses elogios são discretos, mas muito bem-vindos.

Como Beijar Alguém de Estatura Diferente da Sua: 8 Passos

7) Crie uma conexão

  • Atente-se aos assuntos que ela mais gosta, demonstre interesse e semelhança entre os gostos dela e os seus;
  • A conversa precisa fluir naturalmente; fale positivamente sobre o que estiver comentando. Esqueça falar de problemas, doenças, dificuldades do dia.
  • Evite fazer muitas perguntas, do tipo questionário pronto;
  • Ao perguntar algo a ela, também fale um pouco sobre você, conte alguma história sua, uma experiência, algo que viveu; mas tudo isso linkado ao que ela já vem falando;
  • Crie uma conexão, descubra afinidades, assuntos e gostos em comum. Este é um ponto muito importante numa conquista.
  • Se vocês se depararem com algum assunto em discordância, não fique teimando e impondo sua opinião como a verdadeira. Pelo contrário, mostre que você respeita opiniões contrárias e quando puder mude de assunto.

Como Beijar Alguém de Estatura Diferente da Sua: 8 Passos

8) Toque-a

  • O toque é um dos cinco sentidos muito importante e é sinal de mais intimidade. Quando não conhecemos alguém e queremos, por educação, cumprimentar, estendemos a mão, não é mesmo?;
  • Pois bem, justamente pelo fato de que o tato pode sinalizar um contato mais próximo, significa que não deve ser muito abusivo;
  • Não fique tocando constantemente, nem pegando direto na mulher achando que isto é ganhar ponto;
  • No decorrer da situação, quando você perceber que a conversa está fluindo, que ela está participando e interessada em você e nos seus assuntos, tente incluir um toque ou outro no braço, na mão, na lombar que é parte de trás das costas, mas lembre-se, de forma espontânea;
  • Você pode eventualmente encostar no ombro, na cabeça, mas fique atento para isto não ser invasivo em um primeiro momento.  Sempre perceba e esteja atento aos assuntos que vocês estão conversando;
  • O toque tem que fazer parte da conversa, não pode ser algo sem razão ou conexão para tocar.
Leia também:  Como aumentar sua criatividade: 13 passos (com imagens)

9) Pegue o contato

  • Se você chegou até esse ponto significa que vocês já desenvolveram um bom diálogo e uma boa sintonia. A partir disso, depende muito do seu objetivo;
  • Você tem a opção de tentar beijá-la, de tentar convidá-la para irem a sós a um outro lugar ou até para ir à sua casa;
  • Se o seu objetivo era beijar a garota ou de transar e caso isso tenha acontecido, muito bem. Mas se o seu interesse era algo a mais, mesmo que continue querendo algo mais casual, mas quer continuar encontrando-a, o importante é pegar o contato dela e mostrar-se educado de continuar uma conversa por mensagens para que os próximos encontros se concretizem.

10) Alimente o contato

  • Isso mesmo, parece óbvio, não é?! Se o seu objetivo é continuar o contato e reforçar a conquista, você precisa convidá-la novamente para sair em algum lugar mais tranquilo para que vocês possam conversar;
  • Se saírem, mantenha um ou outro elogio sobre o jeito dela;
  • Demonstre seu interesse por ela, pelos assuntos que ela fala e fale sobre você também;
  • Mostre que ela é sua prioridade naquele momento, por exemplo: se estiverem em um restaurante, ou um bar, preste mais atenção nela que nas pessoas a sua volta;
  • Mantenha os toques, pois é sinal de intimidade, mas lembrando de que isso tem que fazer parte da conversa;
  • Foque no rosto e nos olhos dela enquanto ela estiver falando, sempre que vocês estiverem conversando.

Como Beijar Alguém de Estatura Diferente da Sua: 8 Passos

Se você chegou até a dica 10 e está quase pronto para tê-la conquistado, falta o último passo, afinal mulher também valoriza, e muito, as habilidades no sexo.

Mulher também escolhe seus parceiros sexuais. Por isto deixa esta dica PLUS.

Dica Plus:

Reforce a conquista na cama

Como Beijar Alguém de Estatura Diferente da Sua: 8 Passos

  • O momento do sexo é bem importante numa conquista;
  • Isso significa que se você for habilidoso, ambos ganham pontos. Se não for, ambos perdem, porque mulher corta contato se o sexo não for legal;
  • Ser habilidoso não significa fazer acrobacias ou inúmeras peripécias;
  • Ser habilidoso significa proporcionar prazer;
  • Conheça o corpo feminino e sobre os desejos, o prazer, e como facilitar o orgasmo de uma mulher;
  • Atente-se às reações dela, explore o corpo. Beije-a, use das carícias e dos cinco sentidos e dê estímulos no corpo inteiro, em cada parte. Isso a deixará com mais vontade;
  • Demonstre seu interesse em satisfazê-la.

Leia também:

  • Daqui para frente, vai depender muito do que vocês querem, mas o “segredo” da conquista é você sempre respeitar a mulher, ouvi-la e valorizar seus atributos, sem focar no corpo e beleza física somente, pelo menos não enquanto ainda for a fase da conquista.
  • Mulher gosta de se sentir valorizada e isso inclui ser vista e reconhecida pelo seu jeito de ser, pela sua personalidade, pelas suas características, pela sua profissão, etc…
  • Sexualmente falando, mulher quer ter prazer, quer sentir que o momento do sexo é dela também e não somente seu.
  • Mantendo isso em alta, o caminho e o percurso que vocês fizerem tende a ser positivo.

Tendo dificuldades no processo de conquista ou no sexo, estamos aqui para lhe ajudar. Fique sempre a vontade em nos escrever, que lhe daremos toda a atenção.

(22 avaliações, média: 4,50

Diferença de altura atrapalha o lance?

Como Beijar Alguém de Estatura Diferente da Sua: 8 Passos

“Oi Teena, eu amo um menino e ele me ama, só que as pessoas zoam muito a gente por causa da altura, eu sou muito alta e ele é bem baixo. Isso pode prejudicar nosso romance?”Fernanda, 12.

Oi Fer! Olha só, não liga pra essas pessoas que zoam vocês, provavelmente elas estão com inveja porque não são correspondidas, entende? Essa questão de que o menino tem que ser mais alto que a menina é puro preconceito, o que importa é se vocês se gostam, isso é o que conta! Você já deve ter visto casais que o garoto é muito mais alto que a menina e dá supercerto. Por que no seu caso a diferença de altura atrapalharia? Fique tranquila, não ligue para o que os outros falam, com o tempo vão parar de comentar. Beijão.

Medo de perder a amizade

“Eu gosto de um menino da minha classe, mas somos amigos e tenho medo de que nossa amizade acabe. O que eu faço? Eu gosto muito dele.”Victoria, 11.

Olha Vic, você tem que decidir se quer ter ele somente como amigo ou como namorado, certo? Se você gosta del,e então claro que não vai querer só ficar de vez em quando.

Se vocês já são amigos, o namoro tem tudo pra dar certo. Se tiver algum problema quanto à amizade de vocês, isso só vai acontecer se terminarem um dia, mas não tem nada a ver ficar pensando nisso agora.

Então superincentivo você a investir nesse lance!

Ele está afim?

“Na minha sala tem um menino que não para de me olhar. Minhas amigas dizem que ele está gostando de mim, mas eu não tenho certeza. Ele já jogou indiretas pra mim e eu gosto dele. Ele está a fim?”Ana Caroline, 15.

Anaaaa, claro que ele está a fim de você! O que mais podia fazer com que ele não parasse de te olhar? Se você também gosta dele, então é a hora de mostrar isso: mande um bilhetinho pra ele, tenho certeza que ele vai falar com você e, quem sabe, até já marque um encontro! Uhuuul!

Medo de beijar

“Teena, eu não consigo ficar com ninguém. Acho que tenho vergonha de beijar mal e o menino espalhar pra todo mundo. O que faço?”Ingrid, 14.

Calma Ingrid, isso é muito normal. Eu mesma fiquei muito nervosa no meu primeiro beijo, é supernormal. Quanto ao beijar mal na primeira vez, vale aquela dica: treine em um copo com gelo e lembre que o seu primeiro beijo não precisa ser de cinema, com língua pra cá e pra lá.

Já em relação ao menino espalhar algum boato, é fácil, basta escolher um garoto com quem valha a pena dar seu primeiro beijo, um menino confiável, gente boa, que jamais contaria pra ninguém o que aconteceu. Tenho certeza que você conhece alguém assim.

Boa sorte! Ah, aproveita para dar uma olhadinha nessa matéria sobre primeiro beijo!

Como Beijar Alguém de Estatura Diferente da Sua: 8 Passos Divulgação/WhatsApp

Boas novas no WhatsApp! Nesta segunda-feira (15), o aplicativo de conversas mais usado mundialmente, anunciou uma nova função que, além de surpreender os usuários, deve ser disponibilizada ainda hoje.

Podendo enviar e receber dinheiro com segurança diretamente através das conversas, a nova ferramenta poderá ser usada por pessoas físicas e pequenas empresas no Brasil.

Leia também:  Como armazenar vinagre de maçã: 9 passos (com imagens)

Segundo o comunicado oficial do aplicativo, mais de 10 milhões de micro e pequenas empresas movimentam a economia brasileira. E, como sabemos, é muito comum para grande partes delas usar o WhatsApp para contatar clientes, tirar dúvidas e fazer pedidos.

“Com o recurso de pagamentos no WhatsApp, além de ver os produtos no catálogo, os clientes também poderão fazer o pagamento do produto escolhido sem sair do aplicativo. Ao simplificar o processo de pagamento, esperamos ajudar a trazer mais empresas para a economia digital e gerar mais oportunidades de crescimento”, explicou a plataforma em nota.

8 conselhos para exercer uma autoridade assertiva com seus filhos

Como Beijar Alguém de Estatura Diferente da Sua: 8 Passos

| Foto: Bigstock

Sem autoridade, não há obediência. Muitas vezes queremos que os filhos nos obedeçam, mas não deixamos claro aquilo que queremos. E se não sabemos o que queremos, o jogo se inverte e os filhos acabam tomando as rédeas.

Uma verdadeira autoridade proporciona um caminho seguro aos filhos. Um caminho que os ajuda a amadurecer e que é bem diferente do autoritarismo, quando se trata apenas de impor-se sem se importar com o bem do outro. Para exercer uma autoridade justa e assertiva com seus filhos, confira essas oito dicas do site colombiano La Familia:

  1. Dê normas claras, diretas e pontuais É preciso falar as coisas em uma linguagem adequada à idade de cada filho, estabelecendo claramente aquilo que você deseja e verificando se foi compreendido. Assim, seus filhos saberão o que devem fazer.
  2. Não dê muitas normas ao mesmo tempo Muitas vezes parece que os pais estão recitando um poema de tantas exigências que fazem em uma só frase. A capacidade das crianças, sobretudo das menores, não dá conta de digerir tudo – alguma coisa vai escapar. Foque naquilo que é essencial.
  3. Estabeleça limitesDeixe claro quais são os horários de estudo, os de entretenimento e os de descanso. Por exemplo: terminadas as tarefas da escola, dê duas horas para brincarem ao ar livre. Terminado esse tempo, encerra-se a brincadeira. No caso dos adolescentes, é importante estabelecer um horário de chegada em casa e exigir o seu cumprimento.
  4. Use o tom de voz certoNem um tom de quem parece estar pedindo um favor ou implorando, nem gritos e surtos violentos. Adote um tom que denote segurança, firmeza e confiança.
  5. Faça contato visualSempre que você se dirigir ao seu filho, olhe-o nos olhos e adapte-se à sua estatura – agache-se se se tratar de uma criança pequena. Assim você fortalece a conexão com seu filho e aquilo que você disser terá mais valor.
  6. Seja coerenteOs seus filhos estão observando você o tempo todo. Não espere que eles lhe obedeçam se você cair em contradição com aquilo que você está pedindo.
  7. Cumpra as consequências que você estabeleceuSe você disse ao seu filho que iria tomar o celular dele por uma semana se ele fizesse algo que você pediu para não fazer, não volte atrás: mantenha a sua posição e cumpra o que você disse mesmo que ele esperneie. Se você ceder, seu filho saberá que basta chorar um pouco e tudo estará resolvido.
  8. Nunca deixe de ser carinhoso

    Uma autoridade firme não se opõe à ternura que deve haver entre pais e filhos. Nunca passe ao seu filho a impressão de ser alguém distante, frio e indiferente. Tanto o autoritarismo quanto a permissividade podem passar essa impressão.

Tudo sobre:

  • Educação
  • Valor da família
  • Crianças
  • Filhos

7 passos para melhorar a sua relação – Simply Flow by Fátima Lopes

Há escolhas que podem fazer toda a diferença numa relação. Se permitirmos, a rotina e alguns (maus) hábitos podem roubar a vivacidade e o romantismo com que sempre sonhámos.

Mas, se prestarmos atenção a alguns detalhes, se nos disciplinarmos e fizermos escolhas emocionalmente inteligentes, é mais provável que nos sintamos felizes e gratos pela pessoa que temos ao nosso lado.

Numa altura em que muitos casais passam mais tempo juntos e têm de lidar com emoções intensas, incerteza e poucos escapes, vale a pena parar para fazer escolhas mais conscientes.

Quais são os aspetos que os casais mais felizes têm em comum? Que escolhas é que eles fazem e que os ajudam a alimentar o amor e a crescer juntos, mesmo depois de vinte ou trinta anos de vida em comum?

7 passos para melhorar a sua relação:

1. Gratidão

Ao fim de algum tempo, descobrimos que a pessoa por quem nos apaixonámos não é perfeita. Tem um conjunto de defeitos irritantes que não vão desaparecer, tem alguns hábitos que mexem connosco (e não é pela positiva).

É tentador fazer uma caça ao erro e estar sistematicamente a apontar o dedo. Às vezes são coisas pequeninas e que achamos que vale a pena referir para desencadear a mudança.

Mas, no final do dia, é fácil perdermo-nos nas críticas e não prestarmos muita atenção às coisas boas.

Os casais mais felizes cultivam o hábito de reparar nos gestos mais positivos e escolhem não dar relevo às tais pequenas coisas mais irritantes. É mesmo uma questão de escolha.

Quando procuramos prestar atenção e verbalizar o nosso apreço por cada gesto que traduza o apoio de que precisamos, a gargalhada que nos ajuda a enfrentar os dias mais difíceis ou o afeto que dá cor à nossa vida, somos mais felizes.

Não é fácil dizer “obrigado” por cada vez que a pessoa de quem gostamos lava a loiça na nossa vez ou toma a iniciativa de tratar dos filhos para que possamos terminar o nosso trabalho sem interrupções.

É mais fácil olhar para estes gestos como “obrigações”, sobretudo se estivermos habituados a dar de nós. Quando cultivamos a gratidão, não nos limitamos a elogiar a pessoa que está ao nosso lado.

Cultivamos o nosso apreço, sentimos genuinamente mais ligados e olhamos para a realidade de forma mais serena e objetiva.

2. Curiosidade genuína

Toda a gente acha que conhece bem a pessoa que está ao seu lado. Pelo menos, ao fim de alguns anos. Mas, as nossas certezas podem funcionar como filtros que nos impedem de olhar para a pessoa que amamos de forma realista.

Cada um de nós vai mudando ao longo do tempo. Todos os dias há acontecimentos novos, todos os dias sentimos coisas diferentes e todos os dias precisamos de sentir que há alguém que se interessa, que quer saber, que está “lá”.

Quando adotamos – de forma intencional – uma postura de curiosidade genuína -, escolhemos colocar mais perguntas. Colocamo-las com a verdadeira vontade de saber como é que o outro está, o que é que mexe com ele(a).

Leia também:  Como cantar screamo: 9 passos (com imagens)

Por exemplo, no final do dia, quando perguntamos «Como foi o teu dia?» e prestamos mesmo atenção à resposta, mostramos que nos importamos.

Quando a pessoa de quem gostamos nos conta um episódio em que alguma coisa correu mal e, em vez de nos apressarmos a fazer juízos de valor («Já sabia», «É sempre a mesma coisa») e a apontar o dedo, ele(a) sente-se só, desconectado(a).

Mas, quando colocamos perguntas que nos ajudem a colocar na posição da outra pessoa, a entender aquilo por que está a passar, é mais provável que nos sintamos ligados. Não é uma questão de nos anularmos, nem de passarmos a mão pela cabeça do outro sempre que ele(a) erra. É uma questão de ”querer saber” em vez de “querer julgar”.

Na altura em que escrevo este texto, a maior parte dos casais em todo o mundo estão em isolamento em casa, expostos às rotinas do teletrabalho, dos afazeres domésticos e do acompanhamento escolar dos filhos.

Têm pouco tempo livre e poucas hipóteses de socializar com outros familiares e amigos.

Mais do que nunca, dependem um do outro e da curiosidade que cada um for capaz de trazer para as conversas do dia-a-dia para se sentirem amparados.

3. Leveza

Para alguns casais, sobretudo quando há filhos, o dia-a-dia pode tornar-se demasiado pesado. A páginas tantas, podemos sentir que a única coisa que temos em comum é a gestão das responsabilidades domésticas.

Uma relação é tão mais feliz e coesa na medida em que escolhamos encontrar tempo para a diversão, para o namoro.

As saídas a dois em que possamos relaxar, rir, dançar ou simplesmente ter conversas de adultos que não envolvam a resolução de problemas são essenciais para que continuemos a sentir-nos vivos no relacionamento.

Mas, mesmo quando as saídas a dois escasseiam, é possível criar momentos de descontração.

Há rituais que nos ajudam a sentir mais ligados e relaxados: ver uma série de televisão a dois, jantar depois de os filhos se deitarem, planear as férias, desconectarmo-nos do trabalho e das redes sociais e fazer programas em família que não estejam apenas focados no interesse dos filhos são alguns exemplos.

4. Honestidade

A mentira é um veneno para qualquer relação. Faz-nos sentir inseguros, faz com que não consigamos dar o melhor de nós. Mas, quando me refiro à honestidade, refiro-me a algo mais profundo do que não mentir de forma grosseira ou desleal.

Refiro-me à possibilidade de escolhermos revelar-nos por inteiro.

Quando damos a conhecer aquilo que mexe connosco, sem medos, e percebemos que a pessoa que está ao nosso lado continua a amar-nos, sentimo-nos invariavelmente mais fortes e mais ligados.

Revelar os nossos sonhos e aquilo que nos entusiasma pode parecer fácil, mas, na prática, nem sempre o é. Sobretudo se alguns desses sonhos colidirem com os sonhos da outra pessoa ou implicarem que a família saia da sua zona de conforto. Mas, a verdade é que se nós não nos revelarmos exatamente como nós somos vamos acabar por acumular frustração e ressentimento.

Por outro lado, é fundamental que consigamos falar abertamente sobre aquilo que nos desagrada, sem ocultar nada, sem mascarar sentimentos. Só assim podemos dar oportunidade à outra pessoa de mudar o que for possível mudar e de mostrar que se importa connosco. Só assim poderemos sentir-nos genuinamente felizes.

 5. Abertura

Ao fim de vinte ou trinta anos, ninguém é exatamente a mesma pessoa. Nós vamos mudando, vamos evoluindo. Os nossos gostos mudam, os nossos hábitos mudam e às vezes alguns dos nossos valores também.

Aquilo que é desejável é que façamos escolhas que nos permitam crescer e evoluir juntos. Nem sempre é fácil aceitar as mudanças da pessoa que está ao nosso lado. Às vezes, essas mudanças podem obrigar-nos a sair da nossa zona de conforto.

Mas, essa é a única forma de continuarmos felizes ao lado daquela pessoa.

Há quem diga que, no futuro, cada um de nós terá de certeza dois ou três casamentos. Alguns de nós teremos o privilégio de viver dois ou três casamentos com a mesma pessoa. Se escolhermos manter-nos presos ao passado, às características que nos atraíram no início e não houver abertura para a novidade, para a mudança, a relação pode estar condenada.

6. Afeto

Não é possível ser feliz sem afeto. Não é possível sentirmo-nos vivos e entusiasmados numa relação em que não haja demonstrações claras de afeto.

Podemos viver (algum tempo) sem sexo. Podemos viver algum tempo mergulhados nos problemas e desafios sem muita disponibilidade para conversas profundas e demoradas. Mas, precisamos de ser tocados, precisamos de sentir que a pessoa que está ao nosso lado é capaz de mostrar o seu amor desta forma.

E, mesmo nas alturas de maior stress, como aquela por que passamos, é possível cultivar hábitos saudáveis. Por exemplo, se, em vez dos beijinhos apressados de “bom dia” trocarmos um beijo de seis segundos, sentir-nos-emos mais felizes, mais ligados e, na prática, só gastámos seis segundos de cada vez.

7. Respeito

Há quem fuja a sete pés das discussões, mas as discussões são normais e saudáveis. Ou, pelo menos, podem ser. Quando discutimos, mostramos aquilo que nos desagrada, revelamo-nos e temos a oportunidade de mostrar que nos importamos com o que o outro sente. Mas, se o fizermos “à bruta”, corremos mais riscos.

Pelo contrário, quando assumimos a intenção de respeitar sempre a pessoa que amamos, mesmo quando discutimos, é mais provável que façamos escolhas que nos protejam, que nos mantenham ligados.

Isso pode passar por reconhecer que estamos demasiado enervados e precisamos de fazer um “time out” para não dizermos disparates ou por fazer um pedido de desculpas sincero sempre que tivermos consciência de que magoámos a pessoa de quem gostamos.

Por outro lado, esta intenção pode levar-nos a olhar com mais atenção para os apelos da pessoa que está ao nosso lado. Nem sempre teremos a disponibilidade emocional para ouvir todas as conversas ou para dizer “sim” ao que nos é pedido.

Mas, se escolhermos tratar a outra pessoa com todo o nosso respeito, não vamos revirar os olhos quando ele(a) se referir a assuntos que não nos interessam, nem vamos mostrar desprezo de forma alguma.

Vamos saber dizer “não” centrando-nos nas nossas emoções e tratando a pessoa que amamos com a bondade que merece.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*