Como beber café verde: 10 passos (com imagens)

  • Você quer saber como fazer jejum intermitente para emagrecer da maneira correta, mas nunca consegue?
  • Milhões de pessoas que querem emagrecer, assim como você, tentam fazer jejum intermitente, ficam sem comer por horas e acreditam que vão conseguir perder peso com isso.
  • Mas, a não ser que você domine os verdadeiros pilares do jejum intermitente, nunca irá conseguir obter os resultados de que precisa para realmente emagrecer com saúde.

E se houvesse uma maneira melhor? E se fossem reveladas para você três regras básicas que vão facilitar em 100% a sua prática do jejum intermitente?

Continue lendo este artigo para saber:

  • Como fazer jejum intermitente para emagrecer: as 3 regras básicas
  • O que comer no jejum intermitente: cardápio completo
  • Jejum intermitente emagrece: resultados comprovados pela ciência e nas fotos de antes e depois
  • Como fazer jejum intermitente para emagrecer, passo a passo
  • E-book: Jejum Intermitente – O Guia Absolutamente Completo

Chega de lero-lero. Vamos logo revelar as 3 regras básicas para você saber como fazer jejum intermitente para emagrecer com saúde.

Como fazer jejum intermitente para emagrecer: as 3 regras básicas

Como Beber Café Verde: 10 Passos (com Imagens)Existem três grandes motivos que fazem com que as pessoas falhem miseravelmente ao tentar aprender como fazer jejum intermitente:

  • Ter uma alimentação pobre em nutrientes
  • Ir com muita sede ao pote
  • Confundir fome com vontade de comer

Se você conseguir superar esses três erros básicos, o seu caminho para emagrecer e ganhar saúde praticando o jejum irá aumentar consideravelmente.

E a melhor maneira de vencer esses três erros é seguir as 3 regras básicas do JI:

Regra #1: Foque primeiro em uma alimentação forte

Como Beber Café Verde: 10 Passos (com Imagens)

  1. O grande erro que as pessoas cometem quando tentam aprender como fazer jejum intermitente é querer ficar longos períodos sem comer estando mal nutridas.
  2. Essas pessoas vêm durante anos se alimentando mal, com fast food, produtos industrializados e comidas com pouco nutrientes.
  3. Aí, de uma hora para outra, resolvem tentar ficar horas sem comer porque ouviram dizer que jejum intermitente emagrece.
  4. Isso é receita certa para o fracasso.
  5. Se você quer realmente emagrecer com o JI, precisa primeiro estar bem alimentado.
  6. Isso significa ter uma alimentação forte.
  7. Significa alimentar-se com comida de verdade: carnes, ovos, hortaliças, frutas, sementes, nozes e castanhas.
  8. Se você não estiver bem nutrido e tentar o jejum intermitente, sua vida vai ser um inferno.
  9. Quando você fica horas sem comer, seu corpo tenta ter acesso aos seus estoques de gordura para suprir a energia necessária para se manter.
  10. Se você estiver comendo porcaria, sua condição metabólica irá dificultar esse acesso do corpo aos seus estoques de gordura.

O resultado? Você vai sentir mais fome e não conseguirá concluir o seu período de jejum.

Regra #2: Comece pequeno e pelo mais fácil, o Jejum Intermitente 12h

Como Beber Café Verde: 10 Passos (com Imagens)

O segundo erro de quem tentar saber como fazer jejum intermitente é ir com sede demais ao pote.

São as pessoas que nunca praticaram jejum na vida e de repente tentam ficar 18 ou até 24 horas sem comer.

Praticar o jejum é uma habilidade. E, como toda habilidade, você vai aprendendo aos poucos como dominá-la.

A maneira mais fácil de começar com o jejum para emagrecer é aproveitar o seu período de sono e dar 12 horas de intervalo entre o seu jantar e o seu café da manhã.

Isso é algo tão simples quanto, uma vez na semana, jantar às oito da noite e tomar café às oito da manhã.

Sim. Isso é tudo o que você precisa para começar. Escolher um dia da semana, jantar às 20h e tomar café da manhã às 8h do dia seguinte.

Parabéns, você completou com sucesso o seu primeiro jejum intermitente!

O que fazer em seguida? Ampliar a prática para duas vezes na semana.

  • E depois?
  • Ampliar o tempo de jejum para 16 horas.
  • Isso significa jantar às 20h, pular o café da manhã, e almoçar ao meio-dia.

Pronto, agora você fez um jejum intermitente de 16 horas, um protocolo que já apresenta diversos benefícios para a saúde. Incluindo a perda de peso.

Regra #3: Entender a sua sensação de fome

Como Beber Café Verde: 10 Passos (com Imagens)

O terceiro grande erro de quem quer saber como fazer jejum intermitente para emagrecer é confundir fome com vontade de comer.

Imagine que, durante toda a sua vida, você sempre tomou café da manhã. Isso já se tornou um hábito seu.

  1. Quando você, bem alimentado, resolve pular o café da manhã em determinado dia da semana, o que acontece?
  2. Se você realmente estiver bem nutrido, conforme explicado na Regra #1, dificilmente sentirá fome fisiológica.
  3. Mas você pode sentir a chamada fome psicológica, a popular vontade de comer.
  4. Isso acontece não por que o seu corpo precisa de nutrientes, mas sim por que você está sentindo falta do hábito de comer alguma coisa naquele horário.
  5. Aprenda a entender a sua sensação de fome para conseguir distinguir as duas coisas e a sua prática do jejum intermitente será muito mais fácil.

O que comer no jejum intermitente: cardápio completo

Como Beber Café Verde: 10 Passos (com Imagens)

A resposta correta para a pergunta o que comer no jejum intermitente é: nada!

Ora, se você está no jejum, não vai comer nada.

O que na verdade você quer saber é o que comer quando você não está no jejum intermitente. Ou seja, nas demais horas do dia.

Para isso, você pode utilizar livros que ensinam a prática, como Jejum Intermitente – O Guia Absolutamente Completo.

Se você está tentando o jejum de 12h, tem que saber o que comer nas outras doze horas. Se está no jejum de 16h, precisa saber o que comer nas oito horas restantes.

  • Nesses períodos, você se concentrar em ter uma alimentação forte.
  • Você deve consumir apenas comida de verdade: carnes, ovos, hortaliças, frutas, sementes, nozes e castanhas.
  • Idealmente, você deve comer alimentos nutricionalmente densos, como fígado, ovo, carne, peixe, chia, linhaça, abacate, brodo, frutos do mar etc.

Jejum intermitente emagrece: resultados comprovados pela ciência e nas fotos de antes e depois

Como Beber Café Verde: 10 Passos (com Imagens)

  1. A dieta do jejum intermitente emagrece ou é mais uma modinha?
  2. Quando estamos em jejum, nosso corpo reduz os níveis de açúcar no sangue, diminui os níveis de insulina (ajudando a emagrecer e a prevenir doenças, como a diabetes) e aumenta a produção de hormônio do crescimento (que é fundamental para manutenção e ganho da massa magra) (Referências: 1 ; 2 ; 3).
  3. O jejum intermitente também pode permitir que sua vida seja mais longa – já que comer em excesso prejudica o corpo -, é o que mostram promissores estudos (Referências 4; 5).
  4. O jejum intermitente permite ainda a perda de gordura, sendo muito mais fácil de ser feito do que a contagem de calorias para consumo restrito de acordo com o mito de comer de três em três horas (Referências: 6 ; 7 ; 8).
  5. Mais que isso: uma importante pesquisa foi feita comparando experimentos sobre jejum intermitente em humanos e dietas tradicionais de restrição de calorias.
  6. A conclusão foi surpreendente e contrária ao senso comum: a perda de peso com dietas tradicionais traz uma perda de massa muscular muito maior do que com o jejum intermitente (Referência: 9).

O jejum permite que seu corpo se adapte à queima de gordura corporal para obter energia. A concentração da alimentação em um período mais curto de tempo também dificulta a absorção de calorias em excesso, já que o corpo tem capacidade limitada de absorção num tempo determinado.

Jejum intermitente faz mal?

Como Beber Café Verde: 10 Passos (com Imagens)

Apesar de todos os estudos científicos linkados acima, muitas pessoas – inclusive profissionais de saúde – ainda acreditam que jejum intermitente faz mal.

Essas pessoas ou são desatualizadas ou não sabem como fazer jejum intermitente da maneira correta.

Pense no seguinte. Há poucos anos, quase todo mundo fazia apenas três refeições por dia. Café, almoço e jantar.

Naturalmente, boa parte da população sabia naturalmente como fazer jejum intermitente. Só não chamavam por esse nome.

Se voltarmos ainda mais no tempo, quando não havia a fartura de alimentos que existe hoje, não era incomum grupos inteiros de pessoas fazerem uma ou nenhuma refeição por dia.

Foi assim que nós evoluímos. Nosso organismo está preparado para passar períodos sem comer e não há razão lógica ou científica para ter medo disso.

Leia também:  Como aparentar confiança: 15 passos (com imagens)

Conclusão: como fazer jejum intermitente para emagrecer, passo a passo

Como Beber Café Verde: 10 Passos (com Imagens)

Vamos resumir tudo o que aprendemos até aqui para que você saiba como fazer jejum intermitente de forma bem prática:

  • Passo 1: por 5 a 7 dias, concentre-se em manter uma alimentação forte baseada em comida de verdade e alimentos nutricionalmente densos (carnes, ovos, hortaliças, frutas, sementes, nozes e castanhas). Consulte um nutricionista para obter uma dieta adequada.
  • Passo 2: escolha um dia na semana para fazer o jejum de 12 horas. Nesse dia, jante às 20h e só tome café da manhã às 8h do dia seguinte. Observe se você sente fome de verdade ou apenas vontade de comer. Se não aguentar de fome, revise o Passo 1 e procure se alimentar ainda melhor.
  • Passo 3: repita os passos 1 e 2, mas agora faça o jejum de 12 horas duas vezes na semana.
  • Passo 4: repita os passos 1 e 2, mas agora experimente pular o café da manhã e só almoçar ao meio-dia do dia seguinte, totalizando assim 16 horas de jejum.
  • Isso é tudo o que você precisa.
  • Com 16 horas de jejum intermitente, você já obterá boa parte dos benefícios da prática, tais quais queima de gordura acelerada, aumento da sensibilidade a insulina, sensação de bem-estar e saciedade e mais energia e aumento do metabolismo basal.
  • Se você precisa de ainda mais orientação, confira o e-book Jejum Intermitente – O Guia Absolutamente Completo.

5 Passos para tomar seu café sem açúcar

  • É difícil imaginar a vida sem a doçura do açúcar, não é mesmo?
  • Além de ser um alimento super engordativo, o açúcar é altamente viciante, por isso é tão difícil deixá-lo de fora da nossa dieta.
  • O vício em açúcar segue esse ciclo:
  1. Você consome o açúcar – você gosta e fica com desejo;
  2. O nível de açúcar no sangue sobe – a dopamina (neurotransmissor do prazer) é liberada no cérebro e insulina em massa é secretada para baixar os níveis de açúcar no sangue;
  3. O nível de açúcar no sangue cai rapidamente – altos níveis de insulina causam armazenamento imediato de gordura e o corpo anseia pelo açúcar “perdido”;
  4. Fome e desejo – o nível baixo de açúcar no sangue aumenta nosso apetite e desejo por mais açúcar e assim o ciclo recomeça.

Tendo isso em mente, que tal reduzir o consumo de açúcar começando pelo seu café?

Listamos aqui 5 passos para te ajudar a cortar o açúcar do café.

Como Beber Café Verde: 10 Passos (com Imagens)

1 Diminuir a quantidade de açúcar pela metade

Primeiro, diminua pela metade a quantidade de açúcar que você coloca no seu café e mantenha essa medida por um período de tempo, até você ficar acostumado com o sabor.

É mais tirar o açúcar aos poucos ao invés de ser muito radical, pense no seu poder viciante.

2 Incremente o seu café

Como Beber Café Verde: 10 Passos (com Imagens)

Substitua o açúcar por outros ingredientes para experimentar o café de um jeito diferente, por exemplo:

  • canela em pó – você pode colocar no café gelado ou na bebida quente que vai combinar de qualquer jeito e ainda acelera o metabolismo;
  • cacau em pó – também funciona perfeitamente com o café, deixando um sabor mais marcante e levemente amargo, mas opte por ingredientes de qualidade;
  • cardamomo – coloque um grão de cardamomo junto com o café em pó no filtro e prepare normalmente, o sabor ficará levemente picante e a bebida bem aromática.

3 Consuma bons cafés

Como Beber Café Verde: 10 Passos (com Imagens)

Esse é o passo mais importante para você que quer parar de adoçar o café com açúcar.

Consuma cafés de qualidade!

Se você coloca açúcar por que acha o café muito amargo, saiba que você está consumindo um café de qualidade inferior, com alta incidência de defeitos. Para disfarçar esses defeitos, a torra do café acaba sendo bastante escura e o resultado na xícara é um café bem escuro e amargo, daí nosso costume de tomar “café forte”.

Agora, se você provar um café especial, de alta qualidade, verá que existe um outro mundo de cafés que você desconhecia.

É possível apreciar o café pelo seu sabor e aroma naturais, sem adição de nada, que podem ser doces como chocolate e caramelo, frutados e herbais. Mas como isso?

Podemos fazer uma analogia com o vinho, pois o café também pode ser apreciado por suas características sensoriais e não apenas pela cafeína. Dependendo da região de cultivo, do cuidado pós-colheita e da torra, você tem cafés diferentes e deliciosos.

Saiba a diferença entre café tradicional, gourmet e especial.

4 Experimente métodos de preparo diferentes

Como Beber Café Verde: 10 Passos (com Imagens)

Se você não consegue tomar um café espresso sem açúcar, tente outra forma de preparo, como o coado, onde o café fica mais suave. Ou se você já consome coado, tente fazer o café na prensa francesa, por exemplo.

Existem diversos métodos de preparo do café, como: coador de pano, cafeteira italiana, Hario V60, Clever Dripper, Chemex, Aeropress, Kalita, Pressca. Prove métodos diferentes e encontro o seu preferido que realce a doçura natural do café.

5 Pense nos benefícios para sua saúde

  1. Consumir café já traz vários benefícios à sua saúde, sem açúcar então, seu corpo irá agradecer!
  2. O principal segredo é que o café possui uma enorme quantidade de polifenóis antioxidantes, chamados ácidos clorogênicos (que também ajuda na perda de peso).

  3. Veja aqui alguns benefícios do café:
  • Evita câncer
  • Alivia o stress
  • Rejuvenesce
  • Estimula a digestão
  • Ajuda na redução da glicose e insulina
  • Tem efeito positivo contra a depressão
  • Ajuda a emagrecer

Veja mais no post 10 benefícios do café para a saúde.

Mais alguma sugestão? Escreva nos comentários!

Fontes:

O Nutricionista Clandestino

Como Beber Café Verde: 10 Passos (com Imagens) A partir de: R$ 29,80 / mês

Guia Básico do Barista: como Fazer um Espresso em 14 Passos – PDG Brasil

Espresso: aproximadamente 30 ml de maravilha em café. Um espresso incrível pode ser complexo, encorpado e doce. Pode ser a melhor coisa do seu dia.

E um espresso não é apenas uma bebida por si só – também é o coração das bebidas favoritas de muitos clientes, como o latte, o cappuccino, o americano, o flat white, o cortado, o macchiato e muito mais…

Em outras palavras, aprender a extrair uma boa dose de café espresso pode ser uma das coisas mais importantes que você estuda como barista. E como alguém que passa meus dias treinando baristas, seja para o mercado de trabalho ou campeonatos de café, estou aqui para falar sobre como fazer isso.

Um aviso: fazer um ótimo espresso exige dedicação, atenção aos detalhes e consistência. Mas o esforço sempre vale a pena. Então vamos começar!

Leia em Inglês: Barista Basics: How to Make an Espresso in 14 Steps

Como Beber Café Verde: 10 Passos (com Imagens) Os momentos finais da extração de uma dose de espresso. Crédito: Paul Mordheweyk

Ao fazer qualquer bebida com café, você precisa saber a dose de café moído, a quantidade de água, o tempo de extração e o volume final. Todos esses fatores estão relacionados – e, com o espresso, você pode ignorar o volume de água por enquanto.

Vamos explicar isto melhor:

  • Geralmente, um bom ponto de partida para o tempo de extração é de 25 segundos. Foque nisto até estar pronto para experimentar receitas de café espresso.
  • A quantidade de café moído vai variar dependendo do cesto do seu porta-filtro de café espresso, mas você provavelmente usará 8 a 10 gramas para cada dose.
  • Uma dose de café espresso tem geralmente de 25 a 35 ml, o que deve ser facilmente alcançável com estes parâmetros.

Procurando por instruções mais avançadas? Leia um guia para baristas aperfeiçoarem seus shots de espresso!

No entanto, lembre-se de que essas são diretrizes flexíveis, e não regras rígidas. Todo café é diferente. Alguns terão um sabor melhor com um tempo de extração mais curto, outros com um tempo um pouco mais longo. Perfil de torra e o nível de moagem também afetarão os melhores parâmetros.

Leia mais, as diferenças entre espresso & ristretto!

Enquanto você aprende a fazer um espresso, use essas diretrizes como base – mas, à medida que avança no conhecimento do café, não tenha medo de experimentar.

Lembre-se: o gosto é fundamental. Aquele momento em que você bebe o espresso é quando você sabe se extraiu uma ótima dose.

Esses parâmetros ajudarão você a fazer isso, mas não são os critérios pelos quais os clientes julgarão sua bebida.

E agora que você tem seus parâmetros, é hora de começar.

Leia também:  Como alisar um cabelo ondulado: 12 passos (com imagens)

Como Beber Café Verde: 10 Passos (com Imagens)Espresso shot. Crédito: Dalla Corte

É importante aquecer a xícara antes de usá-la. Enxágüe com água quente para que a porcelana ou o vidro não esfrie sua bebida no primeiro contato.

Passo 2: O Porta-filtro e o Cesto 

Em seguida, verifique a base do seu porta-filtro para garantir que esteja limpa e seca. Lembre-se, o resíduo de café antigo afetará o sabor do novo espresso que você está fazendo. Uma cesta molhada afetará a extração, pois deixará o café úmido.

Passso 3: Moagem e Dose

Dose o café moído em seu porta-filtro. Preste atenção tanto no nível da moagem quanto na dose, para garantir que você não faça uma extração excessiva ou insuficiente. (Lembre-se: o café sub-extraído terá um sabor azedo; o café superextraído será amargo.) Se você tiver um moedor sob demanda calibrado, será fácil verificar a dose. Caso contrário, é melhor usar uma balança.

Ciclo do café: as 8 etapas até chegar à sua xícara

Quem saboreia uma boa xícara de café pode não fazer ideia do grande caminho empreendido por produtores, beneficiadores e provadores até chegar na nossa mesa. Esse é o famoso ciclo do café!

Já imaginou como funciona uma plantação? E qual a época de colheita? Aliás, o café é uma fruta ou uma semente? Chegou a hora de conhecer mais sobre a cadeia produtiva da sua bebida preferida!

1. Plantio

Apesar de existirem mais de 25 variedades de café, duas se destacam e são geralmente escolhidas para serem plantadas: arábica e robusta. Arábica é o grão utilizado para a maioria dos cafés especiais; já os do tipo robusta integram blends que são muito comuns nas prateleiras do supermercado.

O grão de café é, na verdade, uma semente. Se não for processado pode ser plantado, pois dará origem a uma árvore de café. É cultivado em viveiros até germinar, quando é plantado em solo preparado.

Regada constantemente e protegida do sol direto, a muda de café tem tudo de que precisa para se desenvolver. Quando se torna um arbusto, é plantada definitivamente. Em média, demora-se entre três e quatro anos para que a planta dê frutos.

2. Colheita

3. Fermentação

O outro método envolve água e maquinário, e se baseia na separação da polpa e do grão. A polpa é lavada com água. Os grãos são separados por peso ao serem colocados em canais de água. Os mais leves flutuam para o topo, enquanto os grãos maduros, mais pesados, afundam. Em seguida, eles passam por uma série de tambores rotativos que os separam por tamanho.

Depois, os grãos são transportados para tanques de fermentação cheios de água. Dependendo de uma combinação de fatores que envolve grãos, clima e altitude, eles permanecerão nestes tanques entre 12 e 48 horas.

A finalidade deste processo é remover a camada lisa de mucilagem que ainda está ligada ao grão. Enquanto os grãos descansam nos tanques, enzimas naturais que se formam no processo farão com que esta camada se dissolva.

Quando a fermentação está completa, os grãos estarão em estado bruto e ásperos ao toque. Nesse momento, eles são lavados em canais de água adicionais.

4. Secagem

5. Prova

Muitos fabricantes adquirem o café em seu estado verde. Mas como saber se estão comprando uma boa mercadoria? Eis que são feitas torras de pequenos lotes para uma prova de sabor do café por profissionais que determinam as características como acidez, sabor e aroma. Esse processo se chama cupping e, geralmente, ocorre em um ambiente próprio. O profissional responsável – ou cupper – executa diversos testes para assegurar a qualidade do produto. Um especialista pode provar dezenas de cafés por dia e ainda conseguir distinguir sutis diferenças entre eles.

6. Torra

Após ser aprovado, é hora da torra! Esse processo transforma o café verde nos grãos marrons que são vendidos. A maioria da máquinas de torra operam em temperatura elevada enquanto giram, espalhando calor por igual. Após a torra, o café é imediatamente resfriado com água ou ar. Essa etapa deveria ser realizada próxima à venda do café, pois, uma vez torrado, seu consumo deve ocorrer logo, para que sejam aproveitadas as qualidades da bebida.

7. Moagem

O objetivo de uma moagem adequada é obter o máximo de sabor em uma xícara de café. O estilo da moagem, mais grossa ou fina, depende do método pelo qual seu café vai ser preparado. Geralmente, quanto mais fina a moagem, mais rápido deve ser o preparo. É por isso que o café moído para uma máquina de café espresso é muito mais fino do que o café a ser coado.

8. Preparo

Essa talvez seja a parte mais divertida. São tantos métodos que dá para experimentar bastante: máquina espressa, máquina de cápsulas, prensa francesa, aeropress, filtro de papel ou pano, cafeteira italiana…

O importante é aproveitar o café. Afinal, agora você já sabe: ele fez uma longa viagem até chegar à sua xícara!

Café verde: consumir cápsulas ajuda a emagrecer

O café verde, em forma de cápsulas, é rico em substâncias que aceleram o metabolismo e por isso pode auxiliar no emagrecimento.

Na hora de emagrecer, uma ajudinha sempre vai bem. Por isso, vira e mexe novos recursos surgem no mercado de produtos naturais para complementarem o processo de perda de peso. A cápsula feita do extrato do grão de café verde é mais uma destas novidades.

Em alta entre os antenados do mundo fitness, o grão tem efeito termogênico e antioxidante sendo um efetivo coadjuvante no emagrecimento. O grão do café verde tem mais cafeína que o grão torrado comum, por essa razão o efeito termogênico é maior, além de uma concentração maior de antioxidantes.

O efeito aumenta a temperatura corporal, acelerando o metabolismo e o gasto calórico, enquanto os oxidantes agem sobre os radicais livres combatendo o envelhecimento.

Café verde e café preto

O café verde é aquele que não passou pelo processo de torrefação − é nessa etapa que a bebida ganha aroma e sabor agradáveis, próprios para a degustação. O extrato do fruto in natura, portanto, não é gostoso. Por isso, é consumido apenas em forma de cápsulas, encontradas em lojas de produtos naturais ou, então, manipuladas.

Há outras diferenças na comparação com o café preto. Por exemplo: possui uma dose um pouco maior de cafeína e alta concentração de ácido clorogênico, elemento que se perde durante o processo de torrefação. Essa é a substância responsável pelo emagrecimento.

O consumo de três cápsulas de 400 miligramas todos os dias − 30 minutos antes do café da manhã, almoço e jantar − reduz em até 10% o peso corporal em cerca de dois meses.

Benefícios do café verde

O café verde apresenta diversos benefícios, como:

  • O ácido clorogênico tem uma participação ativa no metabolismo dos açúcares, já que inibe a enzima que libera os açúcares do fígado para a corrente sanguínea, mantendo baixos os níveis de glicose e dificultando a acumulação da gordura, sendo indicado para o tratamento de pacientes diabéticos, além de diminuir a absorção de açúcares e gorduras a nível intestinal;
  • O grande poder antioxidante do café verde faz com que ele seja um produto cobiçado pelas indústrias de cosméticos, uma vez que ajuda no combate aos radicais livres, protegendo contra o envelhecimento da pele, sendo usado especialmente na elaboração de cosméticos para a pele e cabelo;
  • O café verde possui duas vezes mais concentração de cafeína e 3 a 5 vezes mais concentração de antioxidantes que o café torrado, além de contar em sua composição com 5% a 10% de ácido clorogênico;
  • Assume o papel de um potente termogênico natural, acelerando o metabolismo e, consequentemente, contribuindo para a perda de peso, além de ter a capacidade de promover a oxidação das gorduras do corpo e de facilitar sua eliminação.

Confira o artigo “Lazer e bem-estar: Os 10 melhores livros” para ver os melhores livros sobre emagrecimento.

Leia também:  Como capturar o mew no pokémon emerald (com imagens)

Consumo de café verde

A indicação geral para conquistar os benefícios é consumir 200 mg diariamente, dividindo em duas vezes: pela manhã e à tarde, já que à noite pode causar dificuldades para dormir. Contudo, essa não é uma regra aplicável a todos, já que cada organismo reage de um jeito. O certo é sempre consultar um médico antes de iniciar o consumo.

O uso é contraindicado para pessoas com hipertensão, tendência ao nervosismo, hipertireoidismo, gastrite crônica, úlceras gastroduodenais e problemas hepáticos e reumáticos, além de pessoas sensíveis à cafeína, que podem desenvolver insônia, dor de cabeça, irritação no estômago e arritmia.

Trata-se de um recurso eficaz, mas é preciso lembrar que as cápsulas não fazem milagre sozinhas. Elas podem potencializar a dieta, acelerando os resultados, mas só fazem sentido como coadjuvante de uma rotina saudável que inclua exercícios e alimentação balanceada.

Embora seja natural e não necessite de recomendação médica, o consumo contínuo pode agravar casos de hipertensão, úlcera, gastrite e insônia − então, melhor checar com seu médico ou nutricionista a indicação de uso para você.

BEA Café Verde, da Beavita

BEA Café Verde com Picolinato de Cromo, da Beavita, é um suplemento de vitamina C à base de acerola e extrato de café verde com picolinato de cromo. E, ainda possui um mix de vitaminas e minerais antioxidantes (vitamina A, vitamina E, selênio quelado e zinco quelado).

Além disso, a formulação de BEA Café Verde também contém picolinato de cromo, um mineral que participa ativamente da digestão e absorção dos carboidratos, por auxiliar na produção de insulina do organismo.

Clique aqui e adquira já o “BEA Café Verde com Picolinato de Cromo, da Beavita”, um termogênico natural.

NESPRESSO: OS 8 PASSOS DESDE O GRÃO ATÉ À CÁPSULA

O processo demora meses, passa por vários países, envolve agricultores locais e o café viaja quase sempre de barco. A NiT conta-lhe tudo o que se passa com o café que bebe em casa.

Ainda hoje é o drama de muita gente: sai de Portugal e não encontra um café de jeito para beber.

A verdade é que nos últimos anos, a coisa melhor significativamente, muito por culpa da Nespresso que democratizou o uso das máquinas por todo o mundo e levou a todos os países um dos melhores cafés produzidos mundialmente.

A marca apela ao glamour (Clooney, mulheres bonitas, está a ver?), à urbanidade, a ambientes cosmopolitas, mas a verdade é que a maior parte dos utilizadores não sabe que antes de chegar às cápsulas o café teve de ser colhido há muitos meses, atravessou vários países, fez viagens de barco.

  • A NiT esteve presente na apresentação do “The Positive Cup”, o programa de sustentabilidade da empresa, onde os responsáveis da Nespresso – o diretor de mercado Stefano Goglio e a embaixadora da marca Marta Mimoso – explicaram todo processo de produção de café.
  • Contamos-lhe os oito passos que os grãos de café têm de passar depois de saírem da Índia, do Quénia ou da Colômbia – a maior fonte de café da empresa.
  • Passo 1: CultivoCom os locais de plantação já escolhidos, a marca trabalha com agricultores locais que cultivam e cuidam dos cafeeiros, as plantas do café, até as bagas estarem prontas para serem recolhidas.

As condições das zonas de cultivo são decisivas para o resultado final do café. Há que ter em conta as propriedades do solo, a altitude e o clima da região. Por isso é que o café vindo da Etiópia vai ter um sabor diferente daquele que tem origem na Guatemala. A planta do café é cultivada entre os 17 e os 27 graus.

Passo 2: Colheita

É feita manualmente e com uma seleção rigorosa. Os agricultores só apanham as bagas maduras.

Passo 3: Processamento

Énesta fase que a baga se transforma no café verde. Os métodos de processamento servem para remover os desperdícios da colheita e as várias camadas exteriores do grão.

Para se obter o café verde, os grãos são mergulhados em água durante 16 a 36 horas até incharem e ficarem moles. Uma máquina separa o grão da polpa e depois são fermentados. Após este processo, ficam a secar ao Sol durante três semanas, em tabuleiros enormes.

Passo 4: TransporteO café vem de todo o mundo para a Europa em sacos de 60 quilos. A maioria vem de barco – quando chegam ao continente são de novo verificados para ver se ainda cumprem os padrões de qualidade porque são sensíveis à humidade e aos odores.

Se forem aprovados, são enviados para o centro mundial de produção da Nespresso em Avenches, na Suíça.

Passo 5: MisturaJá na grande fábrica de café da marca da Nestlé, a mistura serve para conjugar os vários grãos consoante a sua origem, pelas suas propriedades específicas –o aroma, a delicadeza e a qualidade do creme.

Passo 6: TorrefaçãoNesta fase, o café verde é torrado e torna-se castanho, como os grãos a que estamos mais habituados a ver. A temperatura e a duração do processo variam novamente conforme as zonas de origem. Os grãos ficam inchados e o teor de cafeína aumenta.

Passo 7: MoagemAssim que o café estiver torrado, está pronto para ser reduzido em pó, num silo sem oxigénio.

Passo 8: Sistema de CápsulasQuando estiver moído, basta colocá-lo nas cápsulas de alumínio que todos conhecemos. O café fica protegido do ar, da humidade e da luz.

Depois, já sabe como funciona. Compra as cápsulas, coloca-as na máquina e esta prepara o café. A partir de 1 de março, vai poder estar sentado no sofá com o seu smartphone enquanto o café é feito, com a nova máquina “Prodigio”.

Fonte: NIT Portugal (Ricardo Farinha)

Universidade desenvolve técnica que melhora qualidade do grão de café | Sebrae

Um dos principais problemas para a obtenção de cafés de qualidade no Brasil é a presença, na colheita, de frutos verdes, de menor qualidade, misturados aos maduros.

Trabalho desenvolvido por pesquisadores da Universidade Federal de Lavras (Ufla), de Minas Gerais, mostrou que uma solução simples pode fazer grande diferença no resultado final da bebida: o processamento do café verde descascado.

A opção dos produtores pelo café cereja descascado garante mais qualidade graças à retirada dos frutos verdes do lote dos maduros. Essa operação, no entanto, resulta na formação de lotes de café verde, que possuem menor preço de mercado. Dependendo da proporção de frutos verdes e do deságio, o descascamento tende a se tornar economicamente inviável.

O processo de secagem também pode comprometer a qualidade geral dos grãos, uma vez que o café verde é extremamente sensível às altas temperaturas.

O procedimento tradicionalmente usado no café verde é a secagem em terreiro, com revolvimento periódico, até o total escurecimento do fruto.

Após esse estágio, o café deve ser esparramado, seguindo as recomendações normais para a secagem do grão natural, até atingir 11% de umidade final.

Com o descascamento, a qualidade do café verde poderá ser melhorada e assim o produtor obterá maior valor agregado.

O estudo foi desenvolvido no Pólo de Tecnologia em Pós-Colheita de Café, da própria Ufla. Inicialmente, o descascamento do café cereja foi realizado com a retirada dos pesos que regulam a pressão do descascador, permitindo a saída de parte dos frutos maduros com os verdes.

O lote formado pelo café verde ficou amontoado durante 20 horas. No fim do período, foi descascado, mantendo, neste caso, os pesos na metade dos braços que regulam a pressão do descascamento. A etapa seguinte foi a secagem, realizada em terreiro, durante 11 dias, em camadas finas.

As avaliações realizadas constataram que o café verde atingiu 41% de descascamento depois do amontoamento e apenas 2,8% de pretos, verdes e ardidos (PVA), com a bebida do tipo duro/verde. Considerando-se que o café verde descascado venha a ser comercializado como tipo 6 (bebida dura), isso resultaria em ganhos de 10% ou mais na receita total.

A conclusão da pesquisa é que a pior qualidade foi apresentada pelo café verde secado de maneira tradicional. Na maneira proposta pela Ufla, foi observada melhora significativa na qualidade do produto, indicada pelos menores valores de condutividade elétrica, lixiviação de potássio e porcentagem de PVA.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*