Como aprender a gerenciar pessoas (com imagens)

  • Crédito Imagem: Pixabay
  • Muito se fala hoje em desenvolvimento de lideranças, e de que todo profissional deve ter um perfil de líder, mesmo que não ocupe um cargo de gestor.
  • São inúmeras as habilidades que um líder deve possuir, dentre elas a principal é: gerir pessoas.

O gerenciamento de pessoas não implica apenas em delegar tarefas, supervisionar atividades e relatar resultados. Gerenciar pessoas vai muito além.

Recrutar, admitir, ensinar, conduzir e desenvolver, essas são algumas das características do líder, do gestor de pessoas. Aprimorar capacidades e habilidades dos subordinados, atendendo os anseios pessoais e profissionais, visando o alcance dos resultados da organização.

Outras habilidades de um bom gestor de pessoas:

Ser exemplo;

  • Ter comunicação aberta, saber ouvir principalmente;
  • Bom relacionamento interpessoal;
  • Inteligência e controle emocional;
  • Flexibilidade;
  • Criativo e inovador;
  • Delegar responsabilidades;
  • Conduzir os processos de trabalho;
  • Dar feedbacks construtivos;

Entre outras características.

A felicidade é imprescindível para uma boa gestão de pessoas!Clique aqui, faça nosso “TESTE” e descubra como anda sua felicidade!

Um gestor de pessoas, um líder, que aplique a metodologia em Coaching, em sua gestão, tem muito a ganhar. As ferramentas e técnicas do Coaching farão com que ele esteja munido de conhecimentos e habilidades que permitam o desenvolvimento de colaboradores, e também suas competências serão aprimoradas.

Ele terá habilidades em criar um ambiente seguro e confortável aos subordinados, dando a cada um deles responsabilidade em suas tarefas e, sobretudo participação nos resultados conquistados. Além disso, tomará decisões mais rápidas e assertivas, pois o Coaching proporciona maiores conhecimentos em planejamento estratégico, foco, e na definição de metas e objetivos.

Como Aprender a Gerenciar Pessoas (com Imagens)Como Aprender a Gerenciar Pessoas (com Imagens)

*Esse conteúdo não é fonte para veículos jornalísticos ou matérias para imprensa, para utilização ou referência por favor entre em contato conosco.

Como gerenciar pessoas? Veja 9 dicas fundamentais e infalíveis

Tempo de leitura: 6 minutos

Lidar com outras pessoas nem sempre é uma tarefa fácil. Afinal, estamos gerenciando pessoas diferentes e com funções distintas dentro da instituição. Entretanto, gerir uma equipe é uma tarefa possível e que trará bons resultados para todos.

Quer implementar um novo estilo de gestão na empresa? Então, baixe o e-Book GRATUITO, entenda como a sua empresa é vista pelos funcionários e aplique a gestão eficiente para aumento de produtividade!

Neste texto, você conhecerá 9 dicas de como gerenciar pessoas da maneira correta. É importante que todas sejam aplicadas e adaptadas para a realidade dos seus colaboradores e da sua equipe.

Confira 9 dicas fundamentais e aprenda como gerenciar pessoas

Quer saber como gerenciar pessoas da maneira correta? Veja aqui 9 dicas fundamentais para ter uma liderança de sucesso:

1. Seja exemplo de liderança

A primeira e principal dica de como gerenciar pessoas é fazer com que elas tomem a gestão como exemplo do que seguir. Se você for um bom líder e mostrar na prática aos colaboradores o que e como deve ser feito, será muito mais fácil ganhar a confiança deles e se estabelecer na liderança.

É importante tratar a sua equipe em tom de igualdade e não agir como se eles fossem apenas funcionários que seguem ordens e que tenham medo de punições. Faça com que eles realmente queiram se integrar à equipe e atuar para o desenvolvimento da empresa.

Um bom líder precisa ser participativo, além de prever mudanças ou imprevistos e preparar toda a sua equipe para eles. Fazer o papel de superior poderá desmotivar o time.

2. Forneça feedbacks construtivos

É normal que erros aconteçam, mas você precisa saber a melhor maneira de lidar com eles. Ser rude e incompreensível em uma situação como essa não ajudará em nada no desenvolvimento desse funcionário. Pelo contrário, apenas causará estresse para todos.

Procure dar feedbacks construtivos apontando quais as falhas cometidas, mas ensinando o que fazer para que elas não aconteçam novamente. Também é importante deixar que o colaborador se explique para evitar mal-entendidos.

Muitos gestores procuram planejar como darão os seus feedbacks, evitando que eles sejam interpretados de maneira errada pelo funcionário. Procure sempre fazê-los de forma calma e educada para que aparente ser mais um conselho do que uma bronca.

3. Promova treinamentos

Uma ótima forma de garantir que a sua equipe se atualize profissionalmente e se sinta motivada a trazer melhores resultados para a instituição é oferecer treinamentos e cursos relacionados à área em que trabalham.

Caso a sua empresa não tenha recursos financeiros para treinar todos os seus funcionários, procure escolher poucos colaboradores. Invista em treinamentos que auxiliem de maneira geral em suas atividades, como cursos de otimização e gestão de tempo.

Outra maneira de promover treinamentos com poucos recursos é pedir para que um funcionário mais experiente dê aulas para os demais. Assim, eles poderão aprender mais sobre a função e trocar experiências, contribuindo para a união da equipe.

4. Delegue responsabilidades

Delegar tarefas é diferente de dar ordens: procure estipular o que cada funcionário deve fazer e dê liberdade para que eles executem da melhor maneira. Além disso, um bom líder não pode transferir as suas responsabilidades, afinal, é preciso manter controle sobre elas.

Também é importe sempre prestar suporte para a realização dessas atividades, bem como oferecer feedbacks sinceros sobre o que está sendo feito e propor melhorias que auxiliem no desenvolvimento do setor.

5. Mantenha um ambiente de trabalho agradável

Promover um bom local de trabalho não significa apenas ter um espaço bonito e espaçoso. É preciso se certificar de que todos os funcionários estejam bem psicologicamente, assim como promover momentos de descontração com a equipe.

Utilize esses encontros para conhecer melhor o time e conseguir enxergá-los mais como pessoas do que como apenas funcionários. Assim, você saberá qual a melhor forma de lidar com cada um deles.

6. Crie incentivos e bonificações

Fornecer incentivos e bonificações por um bom desempenho e/ou cumprimento de metas é uma ótima forma de estimular seus colaboradores a ajudarem no desenvolvimento da empresa. Também ajuda a potencializar a sua capacidade profissional.

Esses incentivos podem ser tanto monetários quanto elogios, dias de folga, ingressos para cinema ou até mesmo presentes e viagens para algum local que o colaborador queira conhecer. Entretanto, é importante que esse sistema de incentivos se dê de forma planejada, principalmente em médio e longo prazo.

Tratar uma situação de sucesso do funcionário como “apenas parte da sua função” fará com que ele se sinta desmotivado. Também é um incentivo para que faça apenas um trabalho mediano, já que não terá nenhum reconhecimento pelo seu esforço.

7. Fique atento à legislação

Uma dica importante de como gerenciar pessoas é prestar atenção à questão legislatória, principalmente no que se refere aos trabalhadores. Assim, você evita que o seu negócio deixe os seus funcionários lesados de alguma forma.

É essencial que você acompanhe as mudanças relacionadas a direitos trabalhistas e se certifique de que a empresa esteja de acordo com as novas normas. Além disso, sempre procure conversar com o seu pessoal para verificar a necessidade de mudanças na empresa.

Além de checar as notícias com frequência, procure conversar com o setor jurídico da sua empresa ou com profissionais da área. Com essa atitude, além de saber das novidades do setor, receberá dicas de como adaptar a sua instituição para essas mudanças.

Leia também:  Como apagar músicas do iphone (com imagens)

8. Esteja sempre aberto a diálogos

Procure deixar os colaboradores se sentirem livres para expressar as suas opiniões e oferecer dicas de melhorias dentro da empresa. Além disso, faça reuniões periódicas com eles, a fim de trocar ideias e feedbacks sobre o serviço.

Trabalhar em um ambiente que permita a troca de informações faz com que os colaboradores se sintam mais à vontade e realmente participem da instituição, ajudando em seu desenvolvimento.

9. Aprenda a gerir as insatisfações dos colaboradores

Percebeu que os funcionários estão insatisfeitos com alguma situação dentro da instituição? É hora de fazer algo a respeito. A melhor solução é procurar conversar com os colaboradores e explicar o que pode e não pode ser feito com relação a ela.

Passar o problema para debaixo do tapete ou apenas realizar as mudanças, sem um uma análise prévia, poderá gerar consequências tanto para os seus funcionários quanto para a instituição no geral.

Assim, aplicando essas 9 dicas de como gerenciar pessoas, você perceberá mudanças positivas na sua relação com a equipe e até mesmo na própria empresa. Entre elas, ganho de produtividade e uma organização melhor da instituição.

Ainda está sentindo dificuldades em lidar com alguns problemas dentro do seu negócio? Então, aprenda quais os 4 principais desafios de uma gestão e como contorná-los!

Como Aprender a Gerenciar Pessoas (com Imagens)

O Benefício do Endomarkerting como Ferramenta de Gestão de Pessoas

O tema em questão trata a valorização do endomarketing dentro das empresas para motivar pessoas e fazer com que todos olhem para a mesma direção.

O endomarketing ou marketing interno, com também é conhecido, vem sendo apresentado como uma alternativa moderna para aumentar o comprometimento dos funcionários com os objetivos das organizações.

Baseado em uma pesquisa bibliográfica, que aborda a sua importância, o endomarketing surge a partir do momento que o bom desempenho das organizações está diretamente relacionado à mobilização de seus empregados e o grau de seriedade a eles atribuída.

Voltar à atenção para dentro da companhia, buscando tomar o colaborador parte integrante e essencial do processo, vem mudando a visão do mercado de pequenas, médias e grandes empresas, no que tange ao seu posicionamento como organização de sucesso.

No atual mundo competitivo das organizações e suas interações com os diversos ambientes, tem forçado, cada vez mais, as empresas a buscarem e aplicarem de forma complexa, programas internos de qualificações dos colaboradores e ferramentas de integração ente áreas para ganhos qualitativos no clima organizacional, no sentido de promover melhora nos relacionamentos com o cliente externo.
Nas palavras de Fleury, A., 1997; Fleury M.T.L. 1997, página 37 “o processo de aprendizagem organizacional assume hoje novos contornos e crescentes relevâncias, em função do acelerado processo de mudanças por que passam as sociedades, as organizações e as pessoas”.

A concorrência crescente entre as empresas, vem despertando a necessidade da busca do conhecimento constante e produtivo dispondo de um pronto ajuste às transformações. Uma nova postura é exigida pela relação empresa / consumidor fazendo com que procurem à profissionalização frente às novas exigências.

Essa última permeia a todos os âmbitos da organização, principalmente os seus colaboradores que precisam estar aptos para atenderem as novas demandas e alcançarem os propósitos da empresa.

De acordo com Brum, 1998 “o principal objetivo do endomarketing é fazer com que todos os funcionários tenham uma visão compartilhada sobre o negócio da empresa, incluindo itens como gestão, metas, resultados, produtos, serviços e mercados nos quais atua.”.

O nível de empenho do público interno com o negócio está relacionado, também, ao grau de informação que possuem da empresa e seus valores, que implicará diretamente no seu sucesso ou seu fracasso.

Definição de marketing e endomarketing

Antes de definirmos o endomarketing, faz-se necessário esclarecermos o que significa marketing. De acordo com Theodore Levitt, que define “marketing é obter e manter clientes”.

Já Philip Kotler, no seu livro “Marketing para o século XXI”, 1999, Editora Futura, tem outra definições importantes sobre o assunto:
a) O marketing procura o equilíbrio entre a oferta e a demanda;
b) Marketing não é a arte de descobrir maneiras inteligentes de descartar-se do que foi produzido. Marketing é a arte de criar valor genuíno para os clientes. É a arte de ajudar os clientes a tornarem-se ainda melhores;

c) Marketing é a função empresarial que identifica necessidades e desejos insatisfeitos, define e mede sua magnitude e seu potencial de rentabilidade, especifica que mercados-alvo serão mais bem atendidos pela empresa, decide sobre produtos, serviços e programas adequados para servir a esses mercados selecionados e convoca a todos na organização para pensar no cliente e atender ao cliente.

Para a administração, “marketing é o conjunto de técnicas e atividades relacionadas com o fluxo de bens e serviços do produtor para o consumidor.

Corresponde à implantação da estratégia comercial, que abrange um leque muito alargado de atividades, desde o estudo de mercado, promoção, publicidade, vendas e assistência pós-venda.”. (Wikipédia, a enciclopédia livre).

O endomarketing vem do grego endo que siginifica posição ou ação no interior, ou seja, “movimento para dentro”. É, portanto, um conjunto de marketing institucional direcionadas para o público interno (funcionários, acionistas ou fornecedores).

É uma forma das organizações aperfeiçoarem a sua prestação de serviços junto aos seus clientes, envolvendo toda a empresa em um caminho de forma a atingir a excelência. Para que tudo isto aconteça é necessário um processo de gestão em que cada ato desencadeia uma mais valia nos processos e atitudes de todos os envolvidos.

Endomarketing x Informação: a comunicação interna

Podemos dizer que comunicação interna é aquela dirigida ao público interno da organização, sobretudo aos seus funcionários. Ela é um dos mais importantes componentes da comunicação integrada. De acordo com Kunsch (2002, p.

159), esta importância “reside, sobretudo nas possibilidades que ela oferece de estímulo ao diálogo e à troca de informações entre a gestão executiva e a base operacional, na busca pela qualidade.”.
Devemos observas alguns aspectos fundamentais para que a comunicação interna da empresa alcance seus objetivos.

Estes últimos estão relacionados com políticas, estratégias, qualidade, conteúdo e linguagem. Kunsch (2002, p.161) aponta para o seguinte:

“A eficácia da comunicação nas organizações passa pela valorização das pessoas como indivíduos e cidadãos.

Os gestores da comunicação devem desenvolver uma atitude positiva em relação à comunicação, valorizar a cultura organizacional e o papel da comunicação nos processos de gestão participativa.

Devem se planejar conscientemente para a comunicação e desenvolver confiança entre emissores e receptores.”.

Quando a empresa se propõe a compartilhar informações relativas à situação atual da mesma, metas corporativas, possibilidades de ganhos entre outros aspectos relevantes ao mundo corporativos, nada justo que os funcionários sintam-se valorizados e diretamente responsáveis pelo sucesso do negócio.

As empresas devem buscar a coerência ao transmitir informações, pois são responsáveis pela formação, educação e transformação de cada integrante da organização.

Brum menciona que “educar significa influenciar para que a informação se transforme em conhecimento capaz de mudar a vida de uma pessoa para melhor.” (BRUM, 2005, p.35).

As informações de Recursos Humanos possibilitam acompanhar o desenvolvimento e o crescimento dos funcionários na empresa.

Leia também:  Como apagar cabeçalhos e rodapés no word: 7 passos

Conhecer toda a gama de produtos e/ou serviços oferecidos pela empresa é fundamental para a boa performace de qualquer funcionário. A divulgação em locais estratégicos abastece os empregados das informações pertinentes ao negócio, provendo-os de dados necessárias para atender imediatamente ao cliente externo.

O Endomarketing como ferramenta de Recursos Humanos

O Endomarketing é uma importante ferramenta de gestão para a empresa devido ao fato que tem como premissa básica o alinhamento de todos os funcionários para o alcance dos objetivos organizacionais.
O principal benefício é a visão compartilhada e o fortalecimento das relações interpessoais, onde todos são clientes de todos.

As empresas iniciam a criação de uma relação duradoura com o seu público interno a partir do momento em que se permitem criar e manter um canal aberto de comunicação que possibilite que as informações fluam nos dois sentidos, ou seja, de cima pra baixo e de baixo pra cima.

A responsabilidade em assumir a autoria de toda e qualquer informação a ser transmitida ao público interno passa a ser da empresa, porém, repassá-las no tempo certo, através de canais adequados, com coerência e transparência é tarefa do endomarketing, além de trabalhar a notícia para que ela seja bem recebida pelo funcionário, estimulando a curiosidade e o hábito da constante busca pela informação. A direção da empresa precisa ser franca e transparente nas informações se deseja criar um relacionamento duradouro com seu público interno. A transmissão da informação na sua essência, tal qual ela é, por pior que seja, representa produzir resultados positivos, pois evita desvios, distorções e retrabalho. A utilização da informação pelo endomarketing deve servir como ferramenta de aproximação entre a empresa e o funcionário.

É importante destacar que a cultura e os valores de uma empresa sejam a base e o alicerce para a estruturação do Programa de Endomarketing, assim como a veracidade das informações e a disseminação do conhecimento sirvam para a construção de um ambiente de ajuda mútua, onde o foco seja o processo de aprendizagem contínua para obtenção dos resultados esperados.
O Endomarketing deve ser trabalhado como uma ferramenta de comunicação e integração para que todos possam cumprir suas tarefas com eficácia e eficiência. Caso isso não ocorra, a comunicação apresentará ruídos e todos os trabalhos de programas internos não atingiram os objetivos e metas esperadas.

Considerações finais

Para concluirmos, podemos afirmar que o crescimento bem sucedido de uma empresa tem principal fundamento uma boa comunicação com seu público interno, ou seja, os funcionários.

Para o sucesso do Endomarketing na Gestão de Pessoas é necessário destacar a importância do comprometimento que envolve todas as áreas e, em especial o gerente de Recursos Humanos, onde tem um papel de destaque para que todos os envolvidos sigam na mesma direção, e consiga administrar os conflitos de forma que não ocorram ruídos de comunicação.

Salientamos, ainda, que colaboradores insatisfeitos podem promover a chamada contra-propaganda e neste caso o endomarketing é peça fundamental para a divulgação correta dos valores e objetivos da empresa, evitando assim que seja disseminado uma imagem negativa da organização.

Referências Bibliográficas

BEKIN, Saul Faingaus. Conversando sobre endomarketing: um ciclo de entrevistas com Saul Fangaus Bekin. São Paulo: Makron Books, 1995.
BRUM, Analisa de Medeiros. Endomarketing como estratégia de gestão: encante seu cliente interno. Porto Alegre: L&PM, 1998.

BRUM, Analisa de Medeiros. Face a Face com o Endomarketing: o papel estratégico das lideranças no processo da informação. Porto Alegre: L&PM, 2005.
CERQUEIRA, Wilson. Endomarketing: educação e cultura para a qualidade. Rio de Janeiro: Qualitymark Ed., 2002.

FLEURY, Afonso; FLEURY, Maria Tereza Leme. Aprendizagem e Inovação Organizacional: as experiências de Japão, Coréia e Brasil. São Paulo: Atlas, 1997.
KOTLER, Philip.

Administração de Marketing: a edição do novo milênio / Philip Kotler; tradução Bazán Tecnologia e Lingüística; revisão técnica Arão Sapiro. São Paulo: Prentice Hall, 2000.

PEREZ, Clotilde; BAIRON, Sérgio. Comunicação & Marketing: teorias da comunicação e novas mídias, um estudo prático. São Paulo: Futura, 2002.

Apresentação da Autora
Andréa Lopes,especialista em Gestão de Pessoas

(10)Loading…

Gestão de pessoas: aprenda a tratar conflitos entre colaboradores

Conflitos entre colaboradores são mais comuns do que imaginamos. O tratamento que é dado a eles e as soluções oferecidas é que não são. Muitas vezes, os gestores departamentais não ligam para a situação, deixando que ela se resolva sozinha. Mas isso pode representar um grande perigo para a organização.

Para não deixar que a imagem do negócio seja manchada por conflitos internos mal resolvidos, desenvolvemos um guia prático de como lidar com eles e aprimorar a sua gestão de pessoas. Confira!

Ofereça um ambiente favorável a discussões

Para gerenciar conflitos entre colaboradores de forma eficaz você deve ser um comunicador habilidoso. Mais do que isso, deve criar um ambiente de comunicação aberto para incentivar os colaboradores a falarem sobre qualquer questão de trabalho, inclusive sobre o que os incomoda. Um ambiente propício os deixará mais à vontade para falar.

Ouça o que os seus colaboradores dizem

Honestidade e comunicação clara desempenham um papel importante no processo de resolução dos conflitos. Então, familiarize-se com o que está acontecendo e procure compreender o problema ouvindo ambos os lados.

Nessa etapa é importante que não dê opiniões. Apenas faça perguntas abertas, ouça as respostas e relate os pontos mais importantes da conversa.

Permita que expressem seus sentimentos

Com um ambiente propício e uma pessoa mais adequada para a conversa, os colaboradores podem ficar mais à vontade para expressarem suas emoções.

Isso é importante porque, geralmente, alguns sentimentos de raiva e/ou mágoa acompanham situações de conflito e, a resolução ficará mais fácil depois que essas emoções forem expressas e reconhecidas.

Aponte o problema principal

Após ouvir os dois lados e também pessoas ao redor que estejam a par do que está acontecendo, você poderá definir melhor o problema. A pergunta que deve fazer então é: qual é o problema discutido? Como ele impacta negativamente o trabalho e os relacionamentos dentro da empresa? Os diferentes estilos de personalidade são parte do problema?

É importante que entenda realmente o problema para oferecer uma solução mais adequada possível aos dois lados.

O objetivo da resolução de conflitos entre colaboradores não é decidir quem está certo ou errado. O objetivo é chegar a uma solução que todos possam conviver em harmonia e trazer a paz e tranquilidade de volta ao ambiente de trabalho.

Primeiro, deixem que os envolvidos deem sugestões particulares para resolverem o problema. Analise se é possível e informe as soluções propostas por ambas as partes. Se concordarem, temos uma solução.

Caso contrário, descubra as necessidades de cada colaborador envolvido no conflito. Ou seja, por que querem as soluções que inicialmente propuseram. Depois de entender as vantagens que suas soluções têm para eles, você descobriu suas necessidades.

Agora pode analisar novamente e chegar a uma solução que seja boa para ambos.

E se o conflito persistir?

Pode acontecer também de, após um período, os conflitos retornarem. Isso vai exigir que você reinicie o ciclo de resolução de conflitos, mas desta vez pode ir mais fundo e verificar padrões de comportamentos que não sejam ideias para a empresa.

Leia também:  Como andar de skate (para iniciantes) (com imagens)

Pessoas com temperamentos fortes e não abertas ao diálogo e compreensão podem ser verdadeiros problemas para a organização. Merecem uma chance, mas a insistência no problema não deixará outra solução a não ser contratar outro profissional para substituí-lo.

Como pode ver, resolver conflitos entre colaboradores não é uma tarefa tão complicada. Basta se planejar, ouvir com atenção, entender o problema, ser imparcial e estudar e oferecer soluções adequadas aos dois lados.

Gostou das dicas? Compartilhe essa informação com os seus colegas de profissão nas redes sociais e torne-se influente entre eles!

Veja como gerenciar sua imagem online | CIO

Clique para copiar https://cio.com.br/veja-como-gerenciar-sua-imagem-online/

Para gerenciar sua marca pessoal na internet não basta apenas monitorar sua
reputação. É importante alcançar reconhecimento e visibilidade dentro da empresa na qual trabalha atualmente, além de se posicionar para futuras oportunidades. A

opinião é do especialista em marcas pessoais Dan Schawbel, autor do best seller “Me
2.0: Four Steps to Building Your Future”.

“No mundo de hoje, você precisa vender a marca para a carreira que almeja e não
para a carreira que tem”, diz Schawbel. “A questão é visibilidade, predicado capaz de
atrair grandes oportunidades. Mas o trabalho de posicionamento deve ser feito de

  • acordo com o nicho desejado, para atrair as oportunidades certas”, completa.
  • Desenvolver
    uma marca
    pessoal forte
    ganhou ainda mais
    importância no
    clima econômico atual,
    porque, embora novas
    vagas apareçam com o
    reaquecimento econômico
    global, subir para cargos
    mais altos está se tornando cada
    vez mais difícil. Assim, mesmo que não
    haja a intenção de trocar de empresa, é
    importante cultivar uma marca forte e
    uma presença online, para aumentar o
    valor perante a própria empresa e ter
  • mais chances de promoções.
  • O autor dá um exemplo de valor que
    isso pode criar: com uma boa presença
    no mercado, o profissional pode passar
    a ser visto como um líder ou especialista
    em uma área específica, mesmo que não
    mude de cargo ou não tenha aumento
    de salário em um primeiro momento.
    Gestão de marca é um investimento
    para toda a vida, e não dá para esperar
  • retornos muito imediatos.
  • Gerenciar a marca também não precisa
    ser uma atividade complexa, tampouco
    consumir muito tempo do profissional. Para
    Schawbel, a chave é fazer experimentações e
    chegar a um equilíbrio na gestão da imagem,
    em que o trabalho atenda necessidades
    pessoais sem comprometer atividades
  • profissionais e pessoais.
  • Então, por onde começar? O autor
    recomenda três ações para iniciar a
    construção de uma marca que reflete
    quem é o profissional e o que ele
  • pretende alcançar:

1 – Crie conteúdo

Como posso construir uma boa imagem pessoal e profissional?

Desejar ter uma boa imagem pessoal e profissional é algo muito bom, pois isso trará muitos benefícios para a sua vida. Com isso, é importante também saber que essas duas imagens se relacionam, e uma pode afetar a outra.

Por exemplo, se você for uma pessoa nervosa e impaciente com a sua família, certamente, também agirá assim em sua vida profissional. Por isso, é necessário se importar com cada uma delas e compreender que ambas afetam a percepção das pessoas ao seu redor e até a sua percepção de si mesmo.

Desse modo, no post de hoje, vamos aprender alguns passos para, efetivamente, construir essas duas imagens bem alinhadas. Boa leitura!

Saiba ouvir

É muito importante saber ouvir o que o outro tem a dizer. Isso está presente tanto na sua vida pessoal como na profissional, uma vez que, não sabendo ouvir as pessoas em seu convívio familiar, você também encontrará dificuldade para ouvir o seu cliente, por exemplo.

Sendo assim, sempre ouça com atenção o que a pessoa vai dizer, mostrando a ela que você está disponível e disposto a escutá-la.

Aprenda a se comunicar

Depois de saber ouvir as pessoas, é importante que você também saiba se comunicar adequadamente. Isso também é uma dificuldade que a maioria das pessoas enfrenta nas interações sociais.

Preocupe-se com o tom da sua voz, não fale muito alto e nem muito baixo. Tenha o cuidado de perceber se a pessoa está compreendendo o modo como você fala com ela. Caso não esteja, procure uma forma de conversar que seja de mais fácil entendimento. Isso é algo importante tanto em sua vida pessoal quanto na profissional.

Cumpra com o que prometeu

Para passar uma boa imagem pessoal e profissional, sempre procure demonstrar comprometimento com os seus acordos. Se você, de alguma forma, costuma enganar os seus clientes em relação a prazos de entrega de serviços, muito provavelmente também o fará com os seus amigos e familiares.

Dessa forma, para não arruinar a sua imagem, procure sempre cumprir com o que prometeu e, quando não for possível, comunique-se com a pessoa para a qual você deve satisfações, avisando-a que não poderá realizar o combinado, mas que fará de tudo para resolver a situação.

Use as redes sociais adequadamente

Atualmente, é muito comum o uso das redes sociais — quase todos nós temos, pelo menos, uma. Desse modo, é importante saber usá-las corretamente para criar uma boa imagem.

É essencial que você demonstre, nessas redes, ser uma pessoa bem informada, publicando notícias e artigos que abordam alguma área do conhecimento. Além disso, evite entrar em discussões e polêmicas que prejudiquem a sua imagem pessoal e profissional.

Mantenha a sua vida pessoal privada

Por fim, um conselho fundamental para que você possa transmitir uma boa imagem é manter a sua vida pessoal privada. Lembre-se de que todos nós temos uma vida particular que não pode afetar as nossas outras interações.

Por isso, evite postar em redes sociais quando houver alguma briga em seu relacionamento amoroso. Além disso, não tenha esse tipo de conversa com as pessoas do seu grupo social e profissional, pois isso poderá desqualificar a sua reputação e afastar os seus colegas de você.

Portanto, você aprendeu, neste post, sobre como construir uma boa imagem pessoal e profissional para que você tenha muito sucesso em sua vida. É sugestível que você procure colocar essa aprendizagem em prática com diligência.

E aí? Gostou de saber como ter uma boa imagem pessoal e profissional? Agora leia o nosso artigo sobre gestão de imagem e carreira e saiba por que contar com um profissional! Aprofunde seus conhecimentos!

Patricia Dalpra é Estrategista em personal branding e gerenciamento de carreira.

O trabalho que Patricia Dalpra desenvolve surgiu de uma vontade e de uma certeza: vontade de levar pessoas e empresas a crescer, alcançar seus objetivos de negócios e de imagem e se relacionar melhor com outras pessoas e empresas; e certeza de que um trabalho estruturado de gestão de imagem e carreira é um dos melhores caminhos para se chegar lá. Ao longo de mais de uma década, a Patricia Dalpra já trabalhou para centenas de profissionais, executivos, empresários, atletas, instituições e empresas.

Specialties: Gestão de imagem, gestão de carreira e coaching. Personal branding, branding executivo, brand on, brand off, estudo do dna pessoal e corporativo e comunicação.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*