Como aplicar uma vacina para gripe (com imagens)

Como Aplicar uma Vacina Para Gripe (com Imagens)

  • Vacina Contra Gripe (Injetável)
  • Marcas comerciais: Fluarix (GlaxoSmithKline); Vacina Contra Gripe (Cristália); Vacina Contra Gripe (Solvay Farma); Vacina Contra Gripe (Abbott Saúde); Vacina Contra Gripe (Sanofi Aventis); Vacina Influenza (Meizler); Vacina Influenza (Novartis); Vacina Influenza (Sanofi-Aventis); Vacina Contra Gripe (GlaxoSmithKline); Vaxigrip (Sanofi-Pasteur)
  • Uso injetável
  • Injetável seringa com 0,25 mL: Vaxigrip
  • Injetável seringa com 0,5 mL: Fluarix; Vaxigrip; Vacina Contra Gripe (Cristália) (Solvay Farma)

Armazenagem antes de aberto

  1. Sob refrigeração (2-8ºC).
  2. Proteção à luz: sim, necessária.
  3. Aparência da solução: incolor a levemente opalescente.
  4. Não congelar.

O que é

[vacina contra influenza; vacina de vírus inativados da influenza (gripe)].

Para que serve

gripe (prevenção).

Como age

induz a formação de anticorpos contra os vírus da gripe.

Como se usa

  • Uso injetável– Doses
  • Administração: Via Intramuscular; Via Subcutânea.
  • •agitar a ampola até obter um líquido incolor a levemente opalescente.
  • •não administrar por via intravenosa.
  • •não misturar a vacina a outras vacinas ou medicamentos na mesma seringa.
  • •inspecionar visualmente a vacina antes de sua administração; descartar se houver alteração da cor nas partículas.

•a administração pela via subcutânea é recomendada a indivíduos com trombocitopenia ou com distúrbio de coagulação. Atenção: particularizamos aqui 2 marcas comerciais.

Consulte sempre as instruções de uso de cada vacina porque elas são preparadas para cada temporada específica e, além disso, cada marca tem seu próprio limite de idades indicado pelo fabricante.

  1. Fluarix
  2. Adultos e crianças acima de 6 anos de idade
  3. 1 dose de 0,5 mL.
  4. Crianças de 1 a 6 anos
  5. 1 dose de 0,25 mL; nova dose de 0,25 mL após 4 a 6 semanas.
  6. Vaxigrip
  7. Adultos e crianças acima de 9 anos de idade
  8. 1 dose de 0,5 mL.
  9. Crianças de 6 meses a 8 anos de idade
  10. 1 dose de 0,25 mL; nova dose de 0,25 mL após 1 mês.

Cuidados especiais

Risco na gravidez

Classe C

Amamentação

não há problemas.

Não usar o produto

alergia a proteínas do ovo; desordem neurológica em atividade; doença febril grave; doença respiratória aguda; hipersensibilidade aos componentes da vacina, inclusive à neomicina e ao timerosal (ver nas bulas dos fabricantes os componentes totais); história de síndrome de Guillain-Barré.

Avaliar riscos x Benefícios

1a trimestre da gravidez.

Reações que podem ocorrer (sem incidência definida)

  • Local da injeção: vermelhidão, dor ou enduração no local da aplicação.
  • Musculoesquelético: dor muscular.
  • Sistema nervoso central: febre; mal-estar.
  • Outros: choque anafilático (raro); reação alérgica.

Atenção com outros produtos

A Vacina Contra Gripe

•pode ter sua ação diminuída por: agente imunossupressor; radioterapia; terapia imunossupressora.

•é contraindicada em crianças ou adolescentes de 5 a 17 anos em terapia com: aspirina ou terapia contendo aspirina.

Outras considerações importantes

  1. •a vacina pode ser administrada simultaneamente com outras vacinas, porém devem ser selecionados locais diferentes para a aplicação.
  2. •a vacina deverá ser administrada 1 vez por ano, antes do começo da temporada ou conforme exigido pela situação epidemiológica.

  3. •a vacina é especialmente recomendada para: indivíduos acima de 60 anos de idade; indivíduos com doenças do sistema cardiovascular, doenças metabólicas (diabetes), fibrose cística, doenças respiratórias crônicas e insuficiência renal crônica; indivíduos com imunodeficiência congênita ou adquirida; indivíduos expostos a risco aumentado de infecção (profissionais da área de saúde).

•o paciente deverá ficar sob supervisão médica por 30 minutos após a imunização. Reação anafilática é rara, mas deve-se dispor de medidas apropriadas para essa eventualidade.

  • •a imunização pode ser afetada por terapia imunossupressora concomitante ou por uma imunodeficiência existente.
  • •a vacina começa a surtir efeitos cerca de 2 semanas após a aplicação.
  • •a imunidade dura aproximadamente 6 meses.

Rede pública e privada aplicam a vacina da gripe de forma diferente

A Campanha Nacional de Vacinação contra a gripe começou no dia 23 de abril em todo país e como ocorre todo ano, a vacina que está sendo aplicada em 2018 é diferente da distribuída no ano passado: traz duas importantes alterações nos componentes, incluindo uma variante do já conhecido H1N1 e outra do temido H3N2, além da proteção contra a cepa Yamagata da Influenza B. Mas é outra mudança que está sendo notada entre as milhares de pessoas que buscam os postos de saúde no Paraná: a agulha este ano está menor.

>> Autoridades desmentem epidemia de gripe que circula no Whatsapp. 

Isto se deve à mudança na via de aplicação: a vacina, que até o ano passado era injetada via intramuscular, agora é feita via subcutânea.  “A recomendação do fabricante da vacina é a de que ela pode ser feita por qualquer uma das vias.

Então, neste ano, optou-se por fazer via subcutânea, em razão dos insumos disponíveis. Foi uma decisão meramente técnica”, justifica Léia Regina da Silva, coordenadora da Central de Vacinas da Secretaria Municipal da Saúde de Curitiba, referindo-se às seringas e agulhas usadas.

Segundo ela, a decisão coube à Secretaria Estadual de Saúde, que confirmou por meio de sua assessoria o caráter técnico da mudança.

Como Aplicar uma Vacina Para Gripe (com Imagens)Alerta da mensagem é falso, mas autoridades não descartam uma nova epidemia da doença em 2018. Foto: Daniel Castellano / Agência de Noticias Gazeta do Povo. | GAZETA

“Algumas pessoas têm achado estranho, mas muitas vacinas, como a da febre amarela e algumas do calendário de vacinação infantil, são feitas mais superficialmente, na hipoderme da pele”, afirma Léia.

Mesmos efeitos

A doutora em enfermagem Lúcia Helena Linheira Bisetto, professora do curso de Graduação em Enfermagem da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR), campus Curitiba, explica que a mudança não é motivo para preocupação.

“A eficácia é exatamente a mesma, independentemente da via escolhida. Na minha experiência, aliás, a via subcutânea é até melhor, pois se mostra menos dolorosa para a maior parte das pessoas.

” Sobre as possíveis reações locais que a vacina pode causar, ela diz ainda que ambas as vias podem causar as mesmas: vermelhidão, dor e inchaço são comuns entre 24 e 48 horas após a aplicação.

O local da aplicação

Mesmo com a mudança no tamanho da agulha (para as aplicações via intramuscular é comum se usar agulhas de 20 milímetros de tamanho por 0, 55 mm de calibre, enquanto as subcutâneas têm 13 mm 0, 45 mm), os locais de aplicação continuam os mesmos.

Para crianças entre 6 meses e 3 anos incompletos (2 anos, 11 meses e 29 dias) aplica-se na região do vasto lateral da coxa, do lado direito, e para adultos e crianças acima de 3 anos o local indicado é na região do deltoide, no braço, também no lado direito. “Apesar de ser possível a aplicação em outros locais do corpo, como inclusive ocorre em outros estados, nós padronizamos a aplicação nestas regiões para poder acompanhar possíveis reações, caso ocorram”, explica Léia Regina.

Leia também:  Como brincar com seu coelho de estimação: 9 passos

>> Cachorros e gatos também devem se vacinar conta a gripe em 2018

Além deste protocolo, o das doses recomendadas também foi mantido. Para crianças de até 9 anos, o número de doses vai depender se ela teve ou não contato anterior com a vacina.

No caso de crianças que nunca foram vacinadas, recomendam-se duas doses, com intervalo de 30 dias entre elas.

Em relação ao tamanho da dose, para crianças entre 6 meses e 3 anos incompletos, são 0,25ml, enquanto para as maiores de 3 anos e adultos adota-se a aplicação de 0,5ml.

Rede privada

As mudanças adotadas neste ano pelo sistema público não foram replicadas na rede particular. “O protocolo da vacina tetravalente, ou quadrivalente, segue as recomendações do fabricante de aplicação via intramuscular”, alerta Andressa Hoinski, enfermeira coordenadora do Centro de vacinas do Hospital Pequeno Príncipe.

Segundo ela, em crianças de até dois anos ela é feita no vasto lateral da coxa, mas após dois anos opta-se por aplicar no músculo deltoide, no braço.

Alcance

Segundo a Central de Vacinas da Secretaria Municipal de Saúde de Curitiba, até o dia 30 de abril (uma semana após o início da Campanha), 123.431 pessoas já tinham se vacinado nos postos de saúde da cidade.

O número representa 24% da população alvo pretendida pelo Ministério da Saúde, 515 mil pessoas na capital paranaense. “A busca pela vacina está dentro do esperado, mas entre os idosos vemos uma adesão maior. Quase 40% da população de idosos já se vacinou”, afirma Léia Regina

  • A Campanha vai até o dia 1º de junho e podem se vacinar gratuitamente os seguintes grupos:
  • -Crianças entre 6 meses de idade até 4 anos, 11 meses e 29 dias;
  • -Idosos acima com 60 anos ou mais;
  • – Pessoas com doenças crônicas como diabetes, hipertensão, câncer, asma, bronquite e doenças degenerativas do sistema nervoso central;
  • – Gestantes, independente do mês gestacional;
  • – Mulheres em pós-parto, até 45 dias após o nascimento do bebê;
  • – Profissionais de saúde da rede pública ou privada;
  • – Professores de escolas públicas ou privadas;
  • – População Indígena;
  • – População carcerária e funcionários do sistema prisional;
  • – Adolescentes e jovens entre com 12 e 21 anos sob medidas socioeducativas.
  • LEIA TAMBÉM: 

Vacina da gripe: quem deve tomar na segunda fase da campanha de 2020

A segunda fase da Campanha Nacional de Vacinação Contra a Gripe de 2020 começa no dia 16 de abril. Se na primeira etapa, iniciada no 23 de março, só pessoas com mais de 60 anos e profissionais de saúde poderiam receber a vacina contra o vírus influenza, agora o público-alvo se estende para:

  • Caminhoneiros e profissionais de transporte coletivo e portuários
  • Indígenas
  • Doentes crônicos
  • Profissionais das forças de segurança e salvamento
  • População privada de liberdade, inclusive adolescentes
  • Funcionários do sistema prisional

São, no total, mais 15,6 milhões de brasileiros que podem se beneficiar da segunda fase da campanha. A principal mudança ficou por conta da inclusão dos caminhoneiros e profissionais de transporte coletivo e a dos povos indígenas.

Por que incluir os caminhoneiros e outros profissionais de transporte coletivo?

Isso tem a ver com o coronavírus (Sars-CoV-2). “O transporte e a entrega de cargas são serviços essenciais durante a pandemia da Covid-19. Por isso, caminhoneiros, motoristas e cobradores de transportes coletivo, além de trabalhadores portuários, se juntam ao grupo prioritário da segunda fase da campanha”, afirma o Ministério da Saúde, em comunicado.

Não é que a vacina da gripe evite o coronavírus, até porque estamos falando de problemas bem distintos. Na verdade, ao impedir o ataque do influenza, a injeção evita uma eventual infecção dupla de gripe e Sars-CoV-2, o que sobrecarregaria o sistema respiratório da pessoa.

Continua após a publicidade

A vacinação também ajuda a diferenciar entre gripe e a Covid-19. Ora, se o sujeito recebeu a dose, porém apresenta sintomas como tosse e falta de ar, provavelmente não é o vírus influenza que os está causando.

Por atravessar o país de cima a baixo, esse grupo pode receber o imunizante em qualquer posto público de saúde do país, independentemente de onde mora.

A vacina da gripe e os indígenas

Originalmente, esse grupo ficaria para a terceira fase da campanha, marcada para começar no dia 9 de maio. “Os povos indígenas tiveram sua vacinação antecipada pela vulnerabilidade para adoecimento e complicações por gripe”, diz o Ministério da Saúde.

Por que o governo não oferece a vacina para todos os grupos de uma vez? Porque seria muita gente indo aos postos de saúde ao mesmo tempo, o que pode provocar confusão e desabastecimento.

Continua após a publicidade

Cabe lembrar ainda que todos os brasileiros sem contraindicação — mesmo fora do público-alvo — podem adquirir uma versão da vacina contra a gripe na rede privada.

Os resultados da campanha de vacinação da gripe

Até o momento, 90,66% dos idosos receberam sua dose — são 18,9 milhões de brasileiros acima dos 60 anos já imunizados. Também tomaram a vacina na rede pública 3,8 milhões de trabalhadores da saúde (75,5% desse grupo).

A meta do governo é a de que ao menos 90% de cada público-alvo busque a sua injeção. Aliás, os mais velhos e os profissionais de saúde que seguem sem proteção contra a gripe podem ir atrás da vacina na segunda ou mesmo na terceira fase da campanha.

Até o dia 6 de abril, foram registados 853 casos de influenza, com 100 mortes.

  • Coronavírus
  • Gripe
  • Saúde pública
  • Vacinação
  • Vacinas
  • Vírus

É seguro ficar na fila da vacina da gripe? Posso esperar no carro? Veja 11 perguntas e respostas – Saúde – Estadão

SÃO PAULO – A campanha de vacinação contra a gripe começou nesta segunda-feira, 23, voltada aos idosos e profissionais de saúde.

Em meio à pandemia do novo coronavírus, dúvidas, boatos e informações imprecisas sobre a aplicação da vacina têm se espalhado.

Confira abaixo as respostas para as dúvidas mais comuns.

Quem pode se vacinar agora?

Coronavírus: 115 dúvidas respondidas por tema

A vacinação na rede pública é voltada para idosos e profissionais de saúde até 16 de abril. Depois dessa data, o foco também estará em pessoas com doenças crônicas, professores e profissionais das forças de segurança.

Leia também:  Como aplicar poliuretano em um assoalho (com imagens)

Por fim, a partir de 9 de maio, a prioridade será também de crianças de 6 meses a menores de 6 anos, adultos de 55 a 59 anos, gestantes, puérperas (até 45 dias após o parto), pessoas com deficiência, povos indígenas, funcionários do sistema prisional, presidiários e adolescentes e jovens de 12 a 21 anos que estão em medidas socioeducativas.

Por que a vacina é recomendada mesmo em meio à pandemia?

Embora sejam viroses distintas, a gripe e o novo coronavírus têm sintomas semelhantes. A população estar vacinada contra a gripe é uma forma de facilitar o diagnóstico de suspeita do covid-19. Além disso, a gripe comum também pode trazer riscos à saúde da população de risco.

A vacina protege contra o novo coronavírus?

Não, o covid-19 não é considerado uma gripe. A vacina aplicada neste ano protege contra os três tipos de vírus da gripe que mais circularam no Hemisfério Sul em 2019: Influenza A (H1N1), Influenza B e Influenza A (H3N2).

Onde ocorre a campanha de vacinação em São Paulo?

Em todas as Unidades Básicas de Saúde (UBSs). Na cidade de São Paulo, a aplicação ocorre em 468 UBSs, além de escolas públicas, casas de acolhida e conjuntos habitacionais, dentre outros espaços. Confira as listas de UBSs da capital paulista e, também, das instituições de educação pública que participam da campanha de vacinação.

As datas da vacinação são definidas pela primeira letra do nome do morador em São Paulo?

Algumas cidades paulistas adotaram um cronograma de aplicação da vacina pela primeira letra do nome do idoso. Em Osasco, por exemplo, os dias 23 e 30 de março são exclusivos para pessoas cujo nome começa com as letras que vão de A a E, enquanto os dias 24 e 31 de março são para as letras de F a J. A medida não foi, contudo, adotada na cidade de São Paulo.

Posso me vacinar dentro do carro em São Paulo?

Algumas cidades do Estado de São Paulo, como Osasco e Itapevi, criaram uma espécie de “drive-thru”, com pontos voltados para pessoas que preferem ser vacinadas dentro do carro.

O procedimento também se repete em capitais de outros Estados, como Rio e Curitiba. Na cidade de São Paulo, a medida será realizada de forma itinerante.

Um dos primeiros locais a receber a iniciativa na capital paulista é a UBS Max Perlman, na Vila Nova Conceição.

Farmácias privadas vão aplicar a vacina da gripe em São Paulo?

Sim, o governo do Estado fechou uma parceria com redes de farmácias privadas. As aplicações começam em 13 de abril e, a princípio, exclusivamente na capital.

Pessoas gripadas podem se vacinar?

O infectologista Jean Gorinchteyn, do Hospital Emílio Ribas, recomenda que todas as pessoas que estejam com sintomas de alguma doença contagiosa, como tosse, febre e diarreia evitem ir a um posto de vacinação por 15 dias.

Como minimizar a possibilidade de contrair o novo coronavírus na vacinação?

Evitar os primeiros dias da campanha, quando costuma ter maior aglomeração, é uma das dicas do infectologista Jean Gorinchteyn. Ele também indica que os idosos peçam a familiares e pessoas próximas que já estão em circulação na rua para verificarem os locais mais próximos e com menos aglomerações. 

Como se proteger do covid-19 na fila?

O infectologista Jean Gorinchteyn indica que as pessoas mantenham uma distância de dois metros em relação aos demais ocupantes da fila.

“Na fila você consegue fazer isso (evitar aglomeração), o mais difícil é entrando todo mundo junto na mesma sala. Aí é um problema e quem está organizando a fila e a vacinação para que isso não ocorra”, ressalta.

Na cidade de São Paulo, a recomendação prioritária é que a aplicação ocorra nas áreas externas das unidades.

Se vacinar dentro do carro reduz as chances de contrair o novo coronavírus?

“É uma forma muito mais interessante, evitando as aglomerações em filas (de pessoas em pé). É uma forma bastante criativa e válida para a prevenção”, diz o médico Jean Gorinchteyn.

Existe vacina para o covid-19?

Desde que o vírus começou a se espalhar, cientistas de países como China e Estados Unidos começaram a realizar estudos para desenvolver uma vacina. Como as pesquisas ainda estão em fase de testes, ainda não há como estimar quando ela estará disponível.

Caruaru faz drive-thru para 3ª etapa da Vacinação contra Gripe

A 3ª etapa da Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe começa nesta segunda-feira (11), mas a Secretaria de Saúde de Caruaru fará, nesta sexta-feira (8), uma pré-campanha com sistema de drive-thru para o público-alvo.

O drive-thru será das 8h às 16h no estacionamento do subsolo do Shopping Difusora, para gestantes, puérperas até 45 dias pós-parto e pessoas com deficiência. Para crianças de seis meses a cinco anos, haverá um espaço adaptado no estacionamento para aplicar as vacinas.

Para ser vacinado, é necessário apresentar documento de identidade, cartão de vacina (se tiver) e, no caso de pessoas com deficiência, o laudo médico. O objetivo da campanha é vacinar, no mínimo, 90% de cada grupo prioritário.

“Antecipamos esta etapa com o drive-thu para desafogar as unidades básicas de saúde na próxima semana, quando a terceira fase da campanha começa de fato.

Queremos imunizar todos os grupos, mas o cuidado com a pandemia também precisa ser intensificado.

Então, vamos continuar realizando ações que evitem a aglomeração de pessoas nas unidades”, explica a secretária executiva da Atenção Básica, Lillian Leite.

A 3ª fase da vacinação será dividida em duas etapas:

Etapa 1De 11/05 a 17/05, com vacinação das crianças de seis meses a menores de 5 anos de idade, pessoas com deficiência, gestantes e puérperas de até 45 dias.

Etapa 2 De 18/05 até 6 de junho, serão vacinados os adultos de 55 a 59 anos de idade e os professores das escolas pública e privadas.

A vacina pode ser encontrada em todas as unidades básicas de saúde de Caruaru, de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 16h30.

Também há possibilidade de vacinação noturna, de 17h às 19h, diariamente, nos postos de saúde da família: Vassoural I, II e III; São João da Escócia I, III e IV; Unidade escola Dr. Vieira e Santa Rosa II, III e IV.

Nas segundas e quartas-feiras no PSF Nova Caruaru; nas terças e quintas no PSF Rendeiras; nas segundas e quartas, no PSF Sinhazinha e nas quartas-feiras, no PSF Maria Auxiliadora.

Leia também:  Como bloquear spam de telefone celular: 7 passos

Policlínicas de Santos voltam a aplicar a vacina contra a gripe após a chegada de novas doses

1 de 1
Vacinação contra a gripe retorna nesta terça-feira nas policlínicas de Santos — Foto: Cláudio Santos/Agência Pará

Vacinação contra a gripe retorna nesta terça-feira nas policlínicas de Santos — Foto: Cláudio Santos/Agência Pará

Após receber da Secretaria de Saúde de São Paulo 30 mil novas doses da vacina contra a gripe, a vacinação contra a gripe foi retomada nesta terça-feira (14) em Santos, no litoral de São Paulo. A vacina é aplicada em em 31 policlínicas, das 7h30 às 16h.

De acordo com a prefeitura, não haverá drive-thru. A cidade já vacinou 67,8 mil pessoas do público-alvo da atual etapa da campanha: maiores de 60 anos, profissionais de saúde e agentes de segurança e salvamento.

Para a vacinação, é preciso apresentar documento de identificação com foto (RG ou CNH, por exemplo) ou identificação profissional (trabalhadores da saúde). Também é recomendado levar carteira de vacinação e Cartão SUS, se tiver.

Até 15 de abril, seguem as inscrições para a vacinação em domicílio de pessoas acamadas – que tenham mais de 60 anos ou que sejam portadoras de doença crônica, independentemente da idade. Até a última quinta-feira (9), mais de 2,3 mil agendamentos foram realizados.

Os agendamentos devem ser feitos pelo telefone 0800-9425055 (opção 5) ou pelo WhatsApp 4042-1908, de segunda a sexta-feira, das 8h às 20h. As vacinas serão aplicadas entre os próximos dias 18 e 19. Quem já é assistido pela Seção de Atendimento Domiciliar (Seadomi) e pelas unidades de saúde da família não precisa se inscrever – esses pacientes já estão identificados e com vacina garantida.

A vacina não é indicada para pessoas com febre, as quais deverão adiar a aplicação até a melhora do quadro. Também não devem tomar as pessoas com alergia a ovo, histórico de anafilaxia ou que tiveram Síndrome de Guillain-Barré no período de até 30 dias após receber a dose anterior, necessitando de avaliação médica para liberação da dose.

Confira os locais de vacinação a partir desta terça-feira (14):

  • Policlínica Alemoa e Chico de Paula – R. Afonsina Proost de Souza s/nº, Alemoa
  • Policlínica Aparecida – Av. Pedro Lessa, 1.728
  • Policlínica Bom Retiro – Rua João Fraccaroli s/nº
  • Policlínica Campo Grande – Rua Carvalho de Mendonça, 607
  • Policlínica Conselheiro Nébias – Av. Conselheiro Nébias, 514, Encruzilhada
  • Policlínica Embaré – Praça Coronel Fernando Prestes s/nº
  • Policlínica Gonzaga – Rua Assis Correia, 17
  • Policlínica Jabaquara – Av. Rangel Pestana, 475
  • Policlínica José Menino/Pompeia – Avenida Floriano Peixoto, 201
  • Policlínica Marapé – Rua São Judas Tadeu, 115
  • Centro de Saúde Martins Fontes – Rua Luiza Macuco, 40, Vila Mathias
  • Policlínica Morro Nova Cintra – Rua José Ozéas Barbosa s/nº
  • Policlínica Ponta da Praia – Praça 1º de Maio s/nº
  • Unidade de Cuidado do Porto – Rua General Câmara, 507, Paquetá
  • Policlínica Rádio Clube – Avenida Hugo Maia s/nº
  • Policlínica Vila Nova – Praça Iguatemi Martins s/nº
  • Policlínica Morro São Bento – Rua das Pedras s/nº
  • Policlínica Vila São Jorge e Caneleira – Rua Francisco Ferreira Canto, 351
  • Policlínica São Manoel – Praça Nicolau Geraigire s/nº
  • Policlínica Piratininga – Praça João de Moraes Chaves s/nº
  • Policlínica Vila Mathias – Rua Xavier Pinheiro, 284
  • Policlínica Valongo – Rua Prof. Maria Neusa Cunha s/nº – Saboó
  • Policlínica Caruara – Rua Andrade Soares s/nº – Área Continental
  • Policlínica Monte Cabrão – Av. Principal s/nº- Área Continental
  • Policlínica Monte Serrat – Praça Correia de Melo s/nº
  • Policlínica Morro da Penha – Rua Três, 150
  • Policlínica Morro José Menino – Rua Doutor Carlos Alberto Curado, 77 A
  • Policlínica Morro Vila Progresso – Rua Três, casas 1 e 2 – Vila Telma
  • Policlínica Morro Santa Maria – Rua 10 s/nº
  • Policlínica Areia Branca – Rua Francisco Lourenço Gomes, 118
  • Policlínica Castelo – Rua Francisco de Barros Melo, 184

Farmácias de SP poderão aplicar vacina da gripe

Os pacientes seriam imunizados gratuitamente, como nos postos

Para evitar aglomerações de idosos nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs) durante a campanha de vacinação contra a gripe, prevista para começar no próximo dia 23, o governo do Estado de São Paulo vai tentar fazer uma parceria com a rede privada de farmácias – para que elas também apliquem vacinas do calendário do Sistema Único de Saúde (SUS).

De acordo com o coordenador do Centro de Contingência contra o Coronavírus do governo do Estado de São Paulo, David Uip, a rede privada “será convidada” a oferecer as vacinas contra a gripe e o sarampo. Os pacientes seriam imunizados gratuitamente, como nos postos. “Seria uma opção a mais de local para tomar a vacina, mas a vacinação nos postos de saúde continuará normalmente”, explicou.

O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, disse que, na próxima segunda-feira, o ministério deverá liberar para distribuição aos Estados as primeiras 10 milhões de doses que serão usadas na campanha de vacinação contra a gripe. No total, serão cerca de 75 milhões de doses colocadas à disposição para a população-alvo.

Vacina da gripe

O governo federal decidiu antecipar a campanha neste ano, que começaria só em abril, por causa da ameaça do coronavírus. Embora a vacina contra a gripe não proteja contra a nova doença, ele poderá evitar de forma mais precoce casos de complicação da gripe, o que sobrecarregaria o sistema de saúde em um momento de crise.

Na campanha da vacina da gripe deste ano, o primeiro grupo a ser vacinado, a partir de 23 de março, serão os idosos e trabalhadores da área da saúde. A segunda etapa da campanha de imunização, prevista para ocorrer a partir de 16 de abril, contemplará professores e profissionais das forças de segurança e salvamento.

Na terceira fase, a partir de 9 de maio, entrarão os demais grupos (crianças de 6 meses a menores de 6 anos, doentes crônicos, pessoas com mais de 55 anos, grávidas, mães no pós-parto e população indígena).

A mobilização nacional para o “Dia D” da vacinação contra a gripe está marcada para o dia 9 de maio. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Foto: Shutterstock

Fonte: Guia da Farmácia

  • Cadastre-se no nosso Whatsapp

coronavírus coronavírus brasil

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*