Como aperfeiçoar os seus cinco sentidos (com imagens)

Olhar, ouvir, tocar, cheirar e saborear são atividades que dependem dos cinco sentidos. A visão, a audição, o tato, o olfato e o paladar elevam o ser humano à condição de ser único na natureza. E a tecnologia tem vindo a adaptar os equipamentos, potenciando estes sentidos.

É que apesar de existirem animais com olfato mais poderosos que o do homem, como os cães, ou que possuem uma visão mais aguçada, como as águias, nenhum animal desenvolveu uma combinação de sentidos tão abrangente como o ser humano.

É justamente esta versatilidade, que depende diretamente da integração dos diversos sentidos presentes no organismo com o ambiente, que nos dá a capacidade de sobrevivência. Vemos os obstáculos, ouvimos estrondos, tocamos o objeto aguçado, cheiramos o queimado e saboreamos o azedo. A “culpa” tem nome.

Chama-se Sistema Nervoso Sensorial e é o responsável, através de uma diversidade de recetores, por enviar informações referentes ao meio interno e externo do corpo humano ao Sistema Nervoso Central.

Tentar perceber a correlação dos sentidos pode ser um desafio. Andar de montanha russa dá vertigens e faz “frio” na barriga. Ver uma imagem de um dedo a levar com um martelo dá-nos a sensação de dor. Alguns padrões de cor e formas dão-nos a ilusão de vibração. Olhar para uma imagem de uma estrada com curvas pode desde logo deixar-nos enjoados. Esta é a magia dos sentidos.

A sofisticada visão

Sofisticado. Esta é, provavelmente, a melhor maneira de definir o sistema visual humano.

A visão configura-se a partir da perceção que os olhos têm da luz, o nos permite perceber a forma, a distância, o tamanho e a cor de objetos. Muito defendem que a visão é a rainha dos sentidos.

Perder a capacidade de ver o pôr-do-sol, o sorriso de um filho, a emoção espelhada no rosto de um momento é algo único.

Na visão, e apesar de ser o olho que capta a luz, quem perceciona as imagens do ambiente é o cérebro. A luminosidade que entra pelo cristalino é projetada sobre a retina, cujas células nervosas sensíveis levam a imagem através dos nervos óticos para que o encéfalo as interprete. Sofisticado, portanto.

A poderosa audição

O som é muitas vezes descrito como uma energia mecânica vibratória que reverbera pelo ar. Quanto mais agudo, maior será o número das vibrações. Estas ondas sonoras propagam-se até chegar aos ouvidos são interpretadas pelo córtex cerebral, o que constitui o sentido da audição.

É possível ouvir os diferentes sons e barulhos devido às distintas frequências de cada onda sonora. Se enquanto uns defendem que a visão é a tal rainha dos sentidos, outros garantem que o chilrear dos pássaros, o correr da água pelo ribeiro, a música dos instrumentos e a primeira vez que se ouve “mãe” bate todos os pôr-do-sol.

A verdade é que é no seu todo e na exploração completa destes sentidos que o ser humano se distingue.

O desafiante paladar

Desde sempre o ser humano desafiou descobrir e testar novos sabores. Sobretudo o ser omnívoro, que se alimenta de qualquer fonte, que experimenta de tudo, confia no sentido do paladar para decidir o que deve ou não comer.

Todos sabemos que as crianças tendem a rejeitar alguns tipos de alimentos, principalmente os amargos. É o instinto de sobrevivência a tentar proteger o organismo já que, na natureza, as plantas venenosas tendem a ser amargas. Com os sabores azedos é praticamente a mesma coisa.

Na natureza, o gosto azedo pode indicar que o alimento não está maduro ou que está estragado. Entretanto, o ser humano tende a ter uma predileção pelos sabores que oferecem os nutrientes do qual necessitam, como o açúcar e as comidas salgadas.

Apreciam o sal porque precisam dele para repor a perda desse composto pelo suor. E, acima de tudo, saboreiam alimentos doces porque o açúcar significa energia.

Como Aperfeiçoar os Seus Cinco Sentidos (com Imagens)

Assim, o organismo precisa reconhecer estes sabores diferentes quase que instantaneamente, sendo equipado com a estrutura da língua, que leva o ser humano, além de apreciar uma gama de alimentos, ao topo do que é seguro alimentar-se.

O sensato olfato

Apesar de ter um sistema olfativo menos desenvolvido quando comparado ao da maioria dos animais, o ser humano é particularmente sensível a odores desagradáveis. O olfato capta energia química numa troca de partículas que chegam pelo ar através dos recetores do bulbo olfativo da cavidade nasal.

O poderoso tato

Juntamente com a visão, o tato é um dos sentidos humanos mais desenvolvidos. O tato é utilizado para explorar o mundo, interagir no corpo-a-corpo com os objetos.

Não há um órgão específico para esse sentido, pois todas as regiões do corpo humano apresentam os recetores.

As sensações são recebidas através da pele, que nos permite ter a sensação de toque direto ao cérebro e sabermos se, por exemplo, algo está molhado ou seco, áspero ou macio.

Os recetores de tato monitoram também outras informações básicas, como o tipo de pressão, a temperatura ou as vibrações na pele.

Além dos cinco sentidos

O responsável pela descrição dos cinco sentidos foi Aristóteles, no século IV a.c..

No entanto, recentemente, pesquisadores de diversas áreas argumentam que a experiência humana com o ambiente é mais rica do que se imaginava e que as pessoas podem apresentar vários outros sentidos.

Ou melhor, outras subdivisões de sentidos, ou perceções, como o equilíbrio, a termoceção ou a sinestesia. No entanto, a visão, o tato e a audição são, dos sentidos fundamentais, aqueles que mais potenciam a nossa condição de ser humano.

A pensar em tudo isto, a indústria das tecnologias tem vindo a adaptar os equipamentos por forma a potenciarem estes sentidos e a prolongarem a sua experiência.

Um exemplo disso é o novo Huawei Matebook X Pro, que aporta valores como inovação, design e conectividade.

Os atrativos

Prolongando a experiência que os consumidores têm com o seu smartphone, e enaltecendo o sentido do tato, o ecrã de 13.9’’ do Huawei Matebook X Pro… é precisamente tátil, permitindo navegar com precisão, de forma livre, suave e intuitiva com o toque de um dedo.

Uma das novidades do novo equipamento é o botão de energia One Touch, garantindo a marca ser possível verificar a impressão digital e fazer o login do sistema em apenas 7.8 segundos. O botão permite “acordar” rapidamente o PC e retomar o trabalho sem precisar reinserir uma senha.

Como Aperfeiçoar os Seus Cinco Sentidos (com Imagens)

Com um display FullView 3:2 de resolução 3K, de resto o primeiro notebook da marca com ecrã FullView, o sentido visão será potenciado pelo rácio ecrã-corpo de 91%, o que permite criar uma imagem quase sem margem.

A extensão do sentido audição está garantida pelas colunas quad. Em conjunto com a Dolby, a Huawei disponibiliza neste portátil woofers com graves profundos e ressonantes e tweeters com agudos nítidos. O microfone possui quatro pontos de receção do som.

Outra das “sinergias” que a Huawei aproveitou da sua presença no mundo dos telefones inteligentes são as baterias, consideradas, muitas vezes, o grande “drama” dos equipamentos.

Isto porque ter alto poder de computação mas… por pouco tempo não é amigo da mobilidade.

Assim, o Huawei Matebook X Pro tem incorporado uma bateria de 57,4 Wh num corpo fino, que quando está totalmente carregada permite uma autonomia de até 12 horas de reprodução de vídeo uma tarefa que, todos sabemos, é substancialmente consumidora de energia.

Já a câmara do equipamento, está agora discretamente embutida no teclado, em vez de estar como habitualmente no ecrã, aparecendo apenas quando o utilizador pressiona um botão, o que salvaguarda a sua privacidade. Ou seja, acabou a fita-cola a tapar a lente.

O portátil tem apenas 14,6 mm de espessura e um peso de 1,33 kg, o que claramente beneficia a tão desejada mobilidade.

Assim, o Huawei Matebook X Pro prima pela sua capacidade em estender e apurar os nossos sentidos, tudo envolto num elevado poder de computação, design atrativo e mobilidade.

Estimulando os sentidos para criar novas perspectivas sobre o mundo

Parte integrante do sistema nervoso, os sentidos são a tradução do mundo físico para a mente. São eles que propiciam o nosso relacionamento com o ambiente. Sem eles, estaríamos dispostos a situações perigosas e seria difícil integrar a sociedade. Em outras palavras, precisamos de interação e estímulo para nos situarmos enquanto indivíduo.

Leia também:  Como apagar a memória interna de um android: 5 passos

Considerando isso, segue um fato irrefutável: todos nós envelhecemos. Conforme a idade avança, naturalmente o sistema sensorial perde a sensibilidade. Daí a importância de estimulá-lo para amenizar o impacto ocasionado pela velhice. Não só isso, quanto mais afinamos os sentidos, mais eles proporcionam uma experiência de vida elevada. Duvida?

Para aumentar a performance de seus alunos, algumas escolas e universidades estão testando a influência dos sentidos na produtividade (link acima).

O psicólogo Nick Perham, que estuda o papel da audição no processo de aprendizagem pela Cardiff Metropolitan University, identificou que sons variáveis distraem as pessoas, ao contrário de sons uniformes e consistentes, que contribuem para manutenção do foco.

Em 2003, o psicólogo Mark Moss certificou, em um estudo para a Northumbria University, que alguns cheiros ajudam na retenção de conhecimento.

Segundo Moss, eles ativam e relacionam memórias porque a área que controla o olfato se encontra no hipocampo, uma estrutura localizada nos lobos temporais do cérebro e importante parte do sistema límbico, a unidade responsável pelas emoções e comportamentos sociais.

Como Aperfeiçoar os Seus Cinco Sentidos (com Imagens)Carolina Cerutti

Quer vivenciar o universo em sua capacidade plena?

Abaixo, um link com algumas dicas práticas para aguçar o seu sistema sensorial. Ao fazer essas atividades, seria interessante classificar cada uma delas para entender quais abrangem todos os sentidos ou não, como propõe o designer Jinsop Lee neste TED Talk.

Sentidos do Corpo Humano

Lana Magalhães

Professora de Biologia

  • O corpo humano é composto de cinco sentidos: a visão, o olfato, o paladar, a audição e o tato.
  • Eles fazem parte do sistema sensorial, responsável por enviar as informações obtidas para o sistema nervoso central que, por sua vez, analisa e processa a informação recebida.
  • Como Aperfeiçoar os Seus Cinco Sentidos (com Imagens)Cinco Sentidos
  • Essas capacidades estão relacionadas com órgãos ou partes do corpo humano (olhos, nariz, boca, ouvidos, mãos) e correspondem às percepções dos homens no mundo.
  • São realizadas por meio do processo de tradução, análise e processamento das informações sensoriais, o que muitas vezes, determinou a sobrevivência dos seres humanos, bem como dos animais no planeta terra.

Os Cinco Sentidos

Visão

Os olhos são os órgãos responsáveis pelo sentido da visão, uma vez que eles visualizam o objeto e mandam a mensagem para o cérebro que faz a decodificação, interpretando-a.

Olfato

  1. O nariz é o órgão responsável pelo sentido do olfato, ou seja, a propriedade de sentir o cheiro ou odor das coisas.
  2. Dessa maneira, o nariz capta os odores e envia a mensagem para o cérebro, que processa as informações.

  3. A língua é o órgão responsável pelo sentido do paladar, uma vez que capta e distingui o sabor dos alimentos (salgado, doce, azedo, amargo), além das sensações de quente e frio.

  4. Assim, as papilas gustativas decodificam o sabor e enviam as informações para o cérebro.

Audição

Os ouvidos são os órgãos responsáveis pela audição, na medida em que detectam os sons, ruídos e barulhos do exterior, e enviam essas mensagens para o cérebro, que as interpreta.

Tato

O tato é caracterizado pela sensação do toque e, por isso, está relacionado com o contato com a pele, através dos neurônios sensoriais responsáveis por enviarem as mensagens para o cérebro.

Embora esteja muitas vezes relacionadas com as mãos, esse sentido humano envolve qualquer tipo de sensação experimentada pela pele, seja pelos pés, barriga, pernas, dentre outros.

Curiosidades

  • O chamado “sexto sentido” refere-se à percepção extra sensorial, muitas vezes pautada na espiritualidade. Ademais, costuma-se dizer que as mulheres possuem o sexto sentido mais aguçado.
  • Já foi comprovado que pessoas que sofrem com alguma deficiência relacionada ao sistema sensorial, acabam desenvolvendo e aguçando mais outros sentidos, por exemplo, um cego que desenvolve mais sua capacidade de ouvir ou até mesmo de tatear, como os livros em língua braile para os deficientes visuais.

Licenciada em Ciências Biológicas (2010) e Mestre em Biotecnologia e Recursos Naturais pela Universidade do Estado do Amazonas/UEA (2015). Doutoranda em Biodiversidade e Biotecnologia pela UEA.

Cinco sentidos. Percepção do meio e os cinco sentidos

O meio interno e o externo proporcionam uma grande variedade de sensações, que são percebidas graças ao nosso sistema nervoso e aos nossos órgãos dos sentidos. Esses últimos captam informações do meio para que elas sejam levadas até o sistema nervoso central, onde ocorrerá a produção de respostas, que poderão ser voluntárias ou involuntárias.

Cada órgão do sentido está adaptado a responder a um determinado estímulo e possui receptores sensoriais capazes de transformar esses estímulos em impulsos nervosos.

Os receptores podem ser classificados de várias formas, sendo a mais comum a classificação de acordo com o estímulo que podem processar.

De acordo com a natureza do estímulo, podemos classificar os receptores em:

  • Quimiorreceptores: Respondem a estímulos químicos.
  • Fotorreceptores: Respondem a estímulos luminosos.
  • Mecanorreceptores: Respondem a estímulos como pressão, tensão e som. Nesse último caso, alguns autores preferem chamá-los de fonorreceptores.

De uma maneira geral, podemos classificar os sentidos em cinco principais: olfato, paladar, visão, audição e tato. Veja a seguir as principais características de cada um.

Olfato

O olfato está relacionado com a capacidade de perceber odores. Essa percepção é possível graças à estimulação do epitélio olfatório, localizado no teto das cavidades nasais. Esse epitélio é rico em células nervosas, mais precisamente em quimiorreceptores.

Paladar

O paladar, juntamente ao olfato, é responsável por garantir a percepção do sabor e textura dos alimentos. A boca é o local onde esse sentido é percebido, o que acontece em virtude da presença de saliências conhecidas como papilas gustatórias, que são capazes de perceber sensações táteis, além dos sabores doce, azedo, salgado, amargo e umami.

Não pare agora… Tem mais depois da publicidade 😉

Visão

A visão é captada pelos nossos olhos, onde há a presença de fotorreceptores capazes de responder a estímulos luminosos. Esses receptores estão localizados mais precisamente na retina e podem ser classificados em bastonetes e cones. Os bastonetes são sensíveis à luz, mas não são capazes de perceber as cores. Os cones, por sua vez, possibilitam a visão em cores e são menos sensíveis à luz.

Audição

A audição, capacidade de perceber sons, é possível graças à orelha humana, que possui mecanorreceptores capazes de captar as ondas sonoras. Esses receptores estão localizados na cóclea, uma estrutura em forma de tubo cônico localizada na orelha interna.

Tato

O tato é responsável por perceber vibrações, captar a pressão, além de perceber a dor e as diferenças de temperatura.

Diferentemente dos outros sentidos, ele não está localizado em um único local, pois está presente em praticamente todas as regiões do corpo, uma vez que os receptores localizam-se na pele.

Entre os principais receptores encontrados na pele, podemos citar os corpúsculos de Meissner, de Pacini, de Krause e de Ruffini.

Confira os textos dispostos logo mais abaixo para ampliar seus conhecimentos a respeito dos sentidos, conhecendo como os receptores sensoriais captam os estímulos em cada órgão e transmitem impulsos nervosos ao Sistema Nervoso Central.

Clique nos textos abaixo e boa leitura!

Publicado por: Vanessa Sardinha dos Santos

Apure os cinco sentidos. Saiba como

Qualquer pai que esteja a tentar desesperadamente acalmar uma criança num pranto, pensaria que só aquela gritaria seria capaz de acordar um morto. Mas aparentemente não.

De facto, o choro de um bebé não perfaz sequer o top dez dos barulhos mais prováveis de despertarem um homem… Será que precisa de 'afinar' os seus sentidos?

  • Os cinco sentidos, que estão relacionados com a percepção do meio interno e externo, são a audição, o tato, o paladar, o olfato e a visão.
  • Saiba como os manter em forma.
  • Audição
Leia também:  Como analisar poesias (com imagens)

Pode não conseguir melhorar a sua audição, mas pode sim melhorar o modo como ouve, de acordo com o autor Jan Vries.

Feche os olhos, de forma a bloquear a visualização de imagens que competem pela sua atenção e coloque música, por exemplo ouça o som do seu instrumento favorito a tocar um dos seus temas prediletos.

“Ao privar-se de ver, está a treinar os seus ouvidos a fornecerem-lhe a informação que necessita”, explica Vries.

Tato

O maior órgão do seu corpo merece que cuide bem dele. Por isso, da próxima vez que saia à rua e esteja um frio de rachar não hesite e calce umas luvas – a sua pele merece.

“Até a exposição ocasional a frio intenso pode danificar as terminações nervosas e fazer com que a corrente sanguínea seja redirecionada para outra área, levando à perda sensorial”, explica o dermatologista britânico, Christopher Rowland-Payne.

Tente aumentar o fluxo de oxigénio dos nervos nas camadas externas da pele, ingerindo alimentos ricos em vitamina B12, aconselha um grupo de investigadores da Universidade de Cambridge.

Paladar

Há um motivo pelo qual se dá queijo a quem frequenta provas de vinho. Entorpece os sentidos ao revestir a boca com uma fina camada de gordura, para que qualquer bebida pareça ótima.

“Para experienciar todos os sabores, é necessário limpar as papilas gustativas bochechando água, entre os pratos, durante alguns segundos”, diz Vries.

E tente mastigar os alimentos durante pelo menos três segundos para que os componentes salgados, amargos e doces cheguem aos recetores da língua.

Olfato

“Aperfeiçoe a ‘técnica de cheirar’ ”, é a recomendação de Harry Fremont, criador de perfumes para as marcas Estee Lauder e Ralph Lauren. “Inalar intensamente, força a entrada de ar em demasia pelas passagens nasais.

Alternativamente, cheire em pequenos intervalos que o ajudarão assim a detetar as notas mais subtis do aroma”.

E tente também descrever por palavras os cheiros, recomenda o professor da Universidade de Cambridge Peter Brennan.

Visão

“Cansar os olhos em demasia pode enfraquecê-los. Consequentemente, poderá não ser capaz de se manter focado”, afirma Andrew Lotery, docente na Universidade de Southampton.

Se trabalha em frente ao ecrã interrompa o que está a fazer a cada 30 minutos, focando a vista num outro objeto e de seguida olhe de novo para o visor. Faça este exercício cinco vezes.

“Proteja os seus olhos da poluição e dos efeitos dos raios ultravioleta, use óculos de sol e utilize lágrima artificial na vista diariamente”, alerta Lotery.

ACOMPANHE AQUI O

Seja sempre o primeiro a saber.Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.

  1. Descarregue a nossa App gratuita.

Para aprender melhor é preciso usar todos os sentidos, dizem especialistas

O ser humano pode aprender de diversas maneiras. Uns acreditam ser mais visuais, ou seja, eles têm facilidade de estudar lendo e olhando imagens.

Outros acham que aprendem melhor ouvindo as explicações e lendo em voz alta, os chamados auditivos.

Há ainda os que se consideram cinestésicos, aqueles que aprendem por meio da percepção dos movimentos do corpo misturado aos sentidos, como tato, olfato e paladar.

Apesar dessas classificações circularem entre os especialistas na área da aprendizagem, há quem acredite que essas habilidades serão melhores aproveitadas se forem utilizadas em conjunto. Ou seja, quanto mais sentidos forem explorados, melhor será o processo de aprendizado.

“O sujeito vai aprender melhor e as informações vão fazer mais sentido [para ele] na medida em que seja possível disponibilizar situações que sejam multissensoriais.

Ver, tatear, ouvir, sentir cheiro, o máximo possível”, explica Eder Pires de Camargo, doutor em educação e professor do departamento de física e química da Unesp (Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho) de Ilha Solteira (680 km de São Paulo).

Camargo, que também é especialista no ensino de ciências para alunos com deficiência visual, acredita que as pessoas não nascem mais visuais, mais auditivas ou mais cinestésicas. “O processo de aprendizagem não ocorre pela simples observação do ambiente. Ele acontece por meio dos cinco sentidos. Limitar a aprendizagem em um único estilo é limitar demais o processo.”

“O que acontece é que determinada habilidade pode se sobressair em alguns momentos, mas isso não define a característica de cada um”, acrescenta Heloisa Matos Lins, professora doutora do departamento de psicologia educacional da Faculdade de Educação da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas).

Segundo ela, estudos e pesquisas dentro do campo da aprendizagem têm mostrado que a forma de se aprender é bastante variável e que ela é desenvolvida de acordo com o contexto de vida e a cultura de cada indivíduo.

“Não somos aprendizes sempre da mesma maneira. Temos vários canais de aprendizagem. Somos muito visuais e auditivos [ao mesmo tempo]. É quase que uma hibridização entre os dois sentidos”, afirma Lins.

Para os profissionais, uma aula será muito mais eficiente se expor os alunos a estímulos sensoriais diversos, como tatear o objeto de estudo, ouvir o som que ele pode produzir. Ou então sentir o cheiro, a textura e até mesmo o gosto de algumas plantas durante as aulas de ciências. Essas são algumas dicas práticas que o professor pode utilizar em sala de aula.

“O professor fica para os alunos 'imaginem uma pedra que cai', mas se ele realizasse a experiência, seria muito legal. Combinar as percepções estrategicamente é muito interessante para proporcionar significado para os alunos”, ressalta o docente.

“Por que as escolas não podem fazer uma maquete para explicar como funciona um gráfico X, Y ao invés de fazer só no papel branco ou só na lousa, por exemplo? Será mais significativo para o aprendizado do aluno se além de fazer o gráfico com cores, nós construirmos algo que ele possa ver e tatear”, exemplifica. 

$escape.getHash()uolbr_quizEmbed('http://educacao.uol.com.br/quiz/2015/07/02/voce-sabe-como-funcionam-os-cinco-sentidos.htm')

Marketing Sensorial: Usando os cinco sentidos a favor da venda

Uma marca ou um ambiente são automaticamente associados aos estímulos que provocam através de seu logotipo, cores, imagens, ícones, personagens e demais elementos, comunicando seus valores por meio destes símbolos. No varejo e na apresentação de produtos, ocorre o mesmo.

  • O Marketing Sensorial é a exploração dos sentidos – visão, audição, olfato, tato e paladar, como parte de estratégia de diferenciação e posicionamento, capazes de trabalhar no consumidor todo o potencial mental e assim, comunicar de forma mais clara e natural a mensagem do marketing.
  • Explorar todo o potencial de comunicação da marca através dos cinco sentidos eleva o status da marca e o coloca em vantagem competitiva frente aos concorrentes.
  • O Marketing Sensorial tem como objetivo atingir o subconsciente dos consumidores influenciando no seu comportamento de compra e enviando mensagens que vão além das palavras e das imagens.

Uma simples estratégia de Marketing Sensorial em uma loja de varejo pode ter um impacto extremamente positivo, especialmente no humor dos consumidores e com isso, impulsionar as vendas.

O mais feliz e satisfeito dos clientes, é o mais propenso a comprar mais – um conceito que os donos de lojas devem utilizar não só quando pensamos em Marketing Sensorial, mas sim em todas as ações de Marketing. 

  1. “Não somos impulsionados pela realidade, mas sim por nossa percepção da realidade.”Anthony Robbins
  2. Visão, olfato, tato, paladar e audição são estímulos sensoriais que podem desencadear respostas emocionais poderosas nos clientes.
  3. De acordo com a autora Regina Blessa  do livro Merchandising no Ponto de Venda, os sentidos são percebidos da seguinte forma:
  4. Implementar o Marketing Sensorial dentro do ponto de venda aumenta significativamente os lucros – pois age diretamente na emoção do cliente, além de provocar resultados expressivos na percepção do consumidor quanto a identidade de marca e posicionamento de mercado.
Leia também:  Como agir perto da sua paquera (com imagens)

Acostumado a ser estimulado apenas pelo visual, quando surpreendido positivamente através de estímulos vindo de outro sentido como audição – uma boa música, e olfato – um perfume agradável, o consumidor automaticamente eleva sua percepção com relação ao ambiente e a qualidade do serviço prestado. Esses estímulos quando trabalhados continuamente podem ser o que de fato, vai diferenciar o seu negócio,sua loja, frente a concorrência e colocá-lo num patamar acima.

A primeira vista, o Marketing Sensorial parece algo muito sofisticado e complexo. No entanto, na prática é muito simples.

Olhos para que te quero: A Visão

Uma grande parte do orçamento de Marketing é gasto apenas em recursos visuais. No entanto, o impacto do estímulo visual no comportamento de compra do cliente não se limita a imagens ou logotipos.

Iluminação, espaço e cores são veículos importantes para criar um ambiente agradável, despertando atenção ou relaxamento, dependendo da intenção, em sua loja de varejo.

As cores podem não só influenciar um cliente a fazer uma compra, como influenciam no reconhecimento da loja enquanto marca.

Vermelho, por exemplo, está intimamente ligado ao fogo, e pode evocar sentimentos como paixão, medo e raiva. A cor também pode alertar os seus clientes e fazê-los parar na frente de um produto.

No entanto, é recomendado o uso de cores vivas, como vermelho e amarelo apenas como um chamariz, de forma que não tomem mais de 20% do preenchimento total das cores do ambiente em si, produto ou exposição.

O oposto do vermelho é azul. Geralmente associado ao céu ou ao mar, o azul induz tranquilidade a um ponto tão extremo que podemos afirmar que ele reduz a pressão arterial. Azul também está associado a confiabilidade. Semelhante ao azul, o verde causa um efeito relaxante e calmante sobre clientes, uma vez que está associada com o meio ambiente.

Cores quentes, como laranja e marrom são convidativos e induzem os clientes a gastar mais tempo dentro da loja. O laranja é especialmente usado para evocar emoções positivas e de felicidade, pois estimula o entusiasmo e a criatividade. Além disso, as paredes e iluminação laranja apropriados pode dar sua loja um clima quente e aconchegante.

Love is in the air: o Olfato

Os seres humanos têm cerca de cinco milhões de células receptoras olfativas (um cão de caça tem 100 milhões), e um nariz humano treinado pode distinguir até cerca de 10.000 odores. Embora o sentido humano do olfato seja muito menos desenvolvida do que nos animais, o cheiro pode evocar extraordinariamente intensa emoção.

Com um simples aroma, diversos sentimentos podem vir a tona, diz Randall Reed, neurocientista da Universidade John Hopkins. Isto acontece devido ao fato de o olfato estar ligado ao sistema límbico do cérebro, a área do nosso cérebro associada a memória e as emoções.

De acordo com Simon Harrop, CEO da Brand Sense, “um cheiro positivo tem um maior impacto emocional sobre o nosso humor do que o som”, e pode se tornar uma importante ferramenta para comercializar um produto ou melhorar o ambiente de um produto .

Por exemplo, uma loja de óculos de sol que usa um perfume de coco pode desencadear a memória de um período de férias, colocar o cliente em um modo feliz e, portanto, incentivá-los a gastar mais.

Donos de pequenas empresas de varejo podem se beneficiar muito de perfumes que estão associados com o marca ou imagem da loja. Portanto, aromas podem enfatizar atributos que melhor descrevem sua loja e produtos (por exemplo, fresco, caseiro, energético, jovem, elegante), criando o ambiente ideal para colocar seus clientes no bom humor necessário para fazer compras.

No entanto, tenha em mente que uma resposta a um perfume pode desencadear uma emoção agradável ou desagradável, é muitas vezes uma questão altamente pessoal, uma vez que depende da experiência e memórias individuais do cliente.

Música para os meus ouvidos: a audição

O nosso estado de humor pode aumentar até 65%, se formos expostos a um som que nos traga boas sensações. Semelhante ao aroma, a música é uma ferramenta eficaz para ter impacto sobre o humor de um cliente ao comprar em sua loja.

  • Várias experiências mostram que a resposta emocional à música pode evocar certos estados de espírito, especialmente quando induzida ou relacionada com um estado de felicidade ou relaxamento.
  • A música também pode ajudá-lo a atingir um determinado grupo de compradores: por exemplo, um som alto e com música eletrônica gera um clima otimista e relaciona automaticamente a loja a este público, ao mesmo tempo que sinaliza para os idosos que esta loja provavelmente não atenderá às suas necessidades.
  • Veja esse exemplo da loja Hollister, em Nova York:
  • O toque final: Tato

A possibilidade de tocar aquilo que desejamos aumenta nosso estado de espírito positivamente cerca de 29%. No entanto, em 2010, de acordo com a Revista Fortune, as empresas gastaram apenas 0,9% do seu orçamento com o Marketing de experiência, onde o produto e o consumidor se relacionam na prática.

Pense no sentido do tato da seguinte maneira: Imprescindível que os clientes possam tocar os produtos e experimentá-los. Mas não é só isso. O tecido que você está usando nos assentos dos provadores, em almofadas, cortinas e demais itens onde o cliente possa ter acesso, também influencia na percepção geral do ambiente.

Sua loja tem gosto de que? : o Paladar

Não é o que você pensou. Calma! É muito simples.

Responda rápido: Seus clientes tem o que comer na sua loja? Se não tem, sugiro que você providencie algo. Pesquisas mostram que, pessoas com fome querem ir embora logo, – e não só querem como vão, normalmente, em busca de um restaurante.

Não importa que seu ramo não seja alimentação, ter um biscoito, um chá e um café, ou alimentos de acordo com a cultura de sua região são imprescindíveis para receber os clientes. Está comprovado, com exceção dos supermercados – onde o cliente com fome compra mais, que em todos os outros ramos do varejo o que acontece é muito diferente.

Clientes com fome não conseguem focar no produto a ponto de comprá-lo, e não responder aos outros estímulos, como audição e olfato, tão rapidamente como aconteceria se não estivessem com fome. Há uma necessidade física a ser satisfeita que se sobrepõe as outras necessidades.

  1. Por isso é tão importante que, também o sentido do paladar seja estimulado positivamente, pois o cliente quando satisfeito, absorve melhor os outros estímulos e consequentemente, tem sua experiência o mais positiva possível.
  2. Além de melhorar a experiência do cliente em todos os níveis, o Marketing Sensorial aumenta as vendas por estar diretamente ligado as emoções, e causa maior impacto na percepção geral do seu negócio, o que quando pensamos a longo prazo, gera ainda mais vendas.
  3. Para que você tire proveito do Marketing Sensorial e suas possibilidades, faça um raio-x completo da sua loja e analise cuidadosamente que tipo de emoções você gostaria de evocar, analise o ambiente geral da loja, pense em seu público, que sentimentos podem causar boas impressões, lembranças e assimilações, em seguida, fazer os ajustes necessários para fornecer estes estímulos sensoriais adequados ao seu consumidor.
  4. Durante este processo, consulte seus funcionários e principalmente seus clientes para causar os estímulos certos e alcançar maiores resultados.

Gostou do artigo ou quer mais dicas sobre como aplicar o Marketing Sensorial na sua loja? COMENTE.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*