Como analisar uma ideia de negócio (com imagens)

Como Analisar uma Ideia de Negócio (com Imagens)

  • Quais os melhores negócios lucrativos para 2020?
  • Vou dar uma dica: grande parte deles tem na internet a ferramenta de trabalho.
  • Significa que não apenas é possível se tornar um empreendedor neste ano, como fazer isso sem sair de casa.
  • Há uma série de trabalhos autônomos lucrativos que se encaixam entre as ideias para empreender.
  • E o melhor: tem como montar um negócio lucrativo com pouco dinheiro.
  • Em alguns casos, basta ter um computador para começar.

Ansioso para descobrir? Preparei duas listas para você.

  1. A primeira traz o negócios em alta neste ano, enquanto a segunda foca em possibilidades de negócios lucrativos com pouco investimento.
  2. Faça destas dicas de empreendimentos o primeiro passo para uma jornada de sucesso.
  3. Índice de Conteúdo:
  4. Antes de continuar, se você quer aumentar sua vendas e saber quais são as melhores estratégias para promover seu negócio online, clique aqui para receber o Guia Completo de Marketing Digital.

Como Analisar uma Ideia de Negócio (com Imagens)

12 Ideias de Negócios Lucrativos em Alta Para Você Montar Seu Negócio em 2020

Para dar a largada no seu projeto empreendedor 2020, veja as dez melhores ideias para aproveitar negócios promissores, com investimentos lucrativos e criar uma empresa de sucesso.

1. Criação de blog

Como Analisar uma Ideia de Negócio (com Imagens)

  • Sou um entusiasta dos blogs.
  • Criei meu primeiro em 2007 e, desde então, não parei mais.
  • Porque blogs são negócios lucrativos de verdade – e isso em um mar de concorrentes (as mais confiáveis estimativas falam em 200 milhões de blogs ativos atualmente).
  • Um blog é uma espécie de site de artigos, que pode ser utilizado para fins pessoais, acadêmicos, profissionais e empresariais, entre outros.
  • Marcas de todos os tamanhos se valem de blogs para oferecer conteúdo ao público, atrair clientes e construir uma imagem positiva na mente de consumidor.
  • Mas você pode criar um para ganhar dinheiro diretamente com ele.

Aliás, muita gente faz do blog a sua renda principal. Isso sem falar nos blogueiros famosos, que faturam até seis dígitos por mês.

Todos eles são prova de que blogs são negócios lucrativos.

Mas o que eu mais gosto neles são as variadas opções para monetização.

Por exemplo, você pode faturar em um blog com a venda de publicidade. Conforme cresce em autoridade, mais as marcas vão se interessar em se aliar ao seu conteúdo.

  1. Também pode oferecer serviços de consultoria através dele – basta dominar um conhecimento e ser visto como referência nele para conseguir clientes.
  2. E não dá para esquecer dos infoprodutos.
  3. Tanto você pode criar produtos digitais (como cursos ou ebooks) quanto pode se afiliar a infoprodutores, usar seu blog para divulgação e vendas, e receber uma comissão por isso.

Puxa vida, que legal! Mas como crio um blog?

Recomendo a leitura deste super post onde conto tudo sobre como ganhar dinheiro com blogs.

Como Analisar uma Ideia de Negócio (com Imagens)

2. Loja Virtual

Como Analisar uma Ideia de Negócio (com Imagens)

  • Antes de torcer o nariz para a ideia de criar uma loja virtual, utilizando o argumento de que já existem muitas, sugiro prestar atenção em um número.
  • Só no Brasil, o faturamento do comércio eletrônico deve ser de quase R$ 80 bilhões em 2019 – um crescimento de 16%.
  • Já em todo o mundo, as receitas devem somar 3,4 trilhões de dólares neste ano.
  • Ou seja, é um mercado que envolve muito dinheiro e que permanece em alta, sem perspectiva de desacelerar.
  • É verdade que a concorrência é numerosa e que existem marcas gigantes disputando espaço.
  • Mas você pode atacar um nicho específico para se dar bem.
  • Aliás, esse é o primeiro passo: decidir o que vender.
  • Cada vez mais, o consumidor se vê atraído pela especialização.
  • Quem procura produtos para pets, por exemplo, tende a preferir a compra em um pet shop online em vez de uma grande loja de departamentos.
  • E para você ter uma ideia do que significa especialização, tem loja virtual até para a venda de minhocas.
  • Você também pode começar experimentando o terreno, vendendo produtos em um marketplace, por exemplo.
  • São sites que concentram lojas menores, mas possibilitam a venda para todo o Brasil.
  • Até mesmo as grandes redes hoje já funcionam como marketplaces, o que garante uma excelente visibilidade para seus produtos.
  • Então, agora parece uma boa ideia criar uma loja virtual?
  • Não deixe de ler este guia completo que produzi sobre como ir do zero ao lucro nesse segmento.
  • Tudo isso é muito importante, mas existe algo fundamental para colocar em prática:
  • Você precisa ter os direcionamentos certos na sua estratégia para colocar em ação.
  • Pensando nisso, criamos uma mentoria que vai te ajudar a gerar mais resultados e resolver todas as suas dúvidas sobre marketing digital, SEO, empreendedorismo, entre outros assuntos.
  • Clique aqui para saber mais sobre a Comunidade Neil Patel de SEO e Marketing Digital, onde compartilhamos todos os segredos do sucesso do Neil Patel.
  • Continuando…

3. Consultoria de marketing digital

Como Analisar uma Ideia de Negócio (com Imagens)

  1. Se você domina o marketing digital ou alguns dos serviços relacionados a essa área, não perca tempo e se lance no mercado com esse negócio lucrativo.
  2. Porque as empresas estão ansiosas pelo seu trabalho.
  3. Mas antes de explicar essa afirmação, cabe entender o que faz um consultor de marketing digital.
  4. Ele é o profissional que orienta marcas e empresas em suas estratégias de marketing na internet, identificando as melhores oportunidades e dando o suporte para o planejamento de ações que possibilitem a elas alcançar seus objetivos.
  5. Esse consultor pode, por exemplo, ser um parceiro na definição dos investimentos em marketing, mapeando personas e apontando os canais mais indicados para garantir a presença online da marca.
  6. Como eu disse antes, as empresas precisam desse serviço.
  7. Em primeiro lugar, porque falta tempo, pessoas e expertise para conduzir a demanda internamente.
  8. Em segundo, porque o marketing digital dá muito mais resultados e, em consequência, as empresas planejam concentrar 75% dos investimentos em marketing na web.

Ou seja, existe a demanda e o recurso disponível. Falta a elas apenas encontrar a consultoria ideal.

Que tal ser você a oferecer esse serviço?

Para saber mais sobre o que faz uma consultoria de marketing digital, recomendo a leitura deste artigo.

4. Importação de Produtos

Como Analisar uma Ideia de Negócio (com Imagens)

  • A importação de produtos pode ser um primeiro passo para abrir sua loja online, outro negócio promissor, sobre o qual falei no item 2.
  • Mas você também pode ser o distribuidor que faz a ligação entre fornecedores e comerciantes.
  • De um jeito ou de outro, dá para se dar bem nesse mercado e faturar um bom dinheiro.
  • Um dos aspectos mais interessantes é justamente a diversidade de itens que você encontra a disposição em outros mercados.
  • Muitos deles podem fazer sucesso entre o público brasileiro, mesmo que as pessoas por aqui ainda não os conheçam.
  • Afinal, foi assim que muitos produtos da moda ingressaram no nosso território.

Você certamente lembra dos fidgets spinners. Em 2017, eles eram uma verdadeira febre, principalmente entre a criançada.

  1. Venderam tanto que a chamaram a atenção do Departamento de Proteção ao Consumidor.
  2. Uma boa prática, então, é estudar o mercado, identificar as necessidades do público e o que começa a fazer sucesso lá fora e pode cair no gosto também dos brasileiros.
  3. Com uma boa pesquisa, você não fica refém da China como endereço de seus fornecedores.
  4. Mas atenção: a importação de produtos precisa atender a uma série de regras.
  5. Para conhecer todas elas, recomendo a leitura deste artigo do Sebrae, o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas.

5. Redação para Empresas

Como Analisar uma Ideia de Negócio (com Imagens)

  • O marketing de conteúdo é uma estratégia poderosa para toda e qualquer marca.
  • Serve para fortalecer sua imagem, construir autoridade, divulgar o negócio e atrair clientes.
  • As empresas sabem disso.
  • Tanto que 78% dos executivos entrevistados pela DemandMetric acreditam que o futuro do marketing está no conteúdo personalizado e de valor.
  • A boa notícia para você que pensa em trabalhar com redação para empresas é que 64% terceirizam a produção de conteúdo.
  • Para profissionais qualificados, fica ainda melhor: só 23% estão satisfeitas com o conteúdo recebido.
  • Isso significa que aquele que tem reais habilidades com a escrita tem lugar garantido para fazer da atividade um dos negócios lucrativos de 2020.
  • Um redator pode tanto produzir artigos para o blog da empresa quanto materiais institucionais, além de e-books e textos para e-mails, anúncios e newsletters.
  • Para tanto, só precisa de um computador, conexão à internet e um CNPJ para emissão de notas fiscais.
  • Se você gosta da ideia, mas não sabe por onde começar, recomendo a leitura deste post sobre a profissão de copywriter e a arte de escrever textos que vendem.
Leia também:  Como brincar com seu coelho de estimação: 9 passos

Plano de Negócios: passo a passo simples para montar um

Como Analisar uma Ideia de Negócio (com Imagens)
Como Analisar uma Ideia de Negócio (com Imagens)

O plano de negócios é uma ferramenta de gestão que funciona como um guia para planejar um empreendimento, uma ação mercadológica ou a ampliação de uma unidade de negócio. Ajuda a mapear os objetivos e passos a serem dados para concretiza-los, reduzindo incertezas e aumentando a viabilidade do planejamento.

Leia nesse artigo:

Com ele em mãos o empreendedor pode entender melhor qual a realidade em que está inserido, de modo a conseguir determinar quais as estratégias serão adotadas em diferentes momentos, sobretudo para planejamento de ações futuras.

Algumas pessoas acreditam que o plano de negócios morreu, mas na verdade ele se modernizou ganhando contornos mais práticos. Pelo menos, na opinião da equipe LUZ.

Essa mudança acompanhou a evolução do mercado como um todo. No passado, os investidores preferiam investir em planos minuciosos, impecáveis. Hoje em dia, os melhores planos de negócio são evoluções de testes rápidos que mostraram bons prognósticos de resultado.

Mais conceitos ligados a planos de negócios:
Como fazer o sumário executivo de um plano de negócios
Como fazer o plano de marketing de um plano de negócios
Como fazer o plano financeiro de um plano de negócios
Como deixar o seu plano de negócios pronto

Passo 1: definindo o modelo de negócio

Antes de escrever o seu plano de negócio, você precisa ter certeza do modelo no qual você está apostando. Não adianta fazer um planejamento grande e detalhado apostando em uma estratégia de negócio que pode dar errado.

Antes de escrever o seu plano, você deve desenhar algumas opções de modelo de negócio. Depois disso, deve testá-las da melhor forma, mais barata e mais rápida possível.

Modelando o negócio

Muitos empreendedores têm dificuldade em entender a diferença entre um plano de negócios e um modelo de negócios. Para muitos os dois documentos podem significar a mesma coisa, no entanto, eles são fundamentalmente diferentes.

O canvas de modelo de negócio

O modelo de negócios é um documento bastante objetivo que tem o objetivo de compreender as análises e reflexões dobre o conceito da empresa, avaliando a viabilidade da ideia.

Canvas de modelo de negócio

O plano de negócio é um documento mais extenso, detalhando o empreendimento existente ou que está sendo construído. O objetivo é que uma pessoa de fora da organização, como um investidor, consiga entendê-la 100% através de sua leitura.

Plano de Negócios a moda antiga

Antigamente, partia-se direto para o plano de negócios. Hoje, há a compreensão de que se deve começar rápido e de forma enxuta. Alguns empreendedores acreditam que apenas com o canvas de modelo de negócio já planejaram o suficiente.

Eu acredito que ambas as ferramentas devam ser usadas dentro da concepção de um negócio em estágios diferentes. Quando não se tem nada, que se faça um canvas e teste-o rapidamente. A partir dos primeiros resultados do teste, utilize um business plan (plano de negócio) para estruturar o crescimento e encontrar investidores.

Tipos de modelo de negócio

Modelo Freemium – O Modelo Freemium funciona oferecendo um produto ou serviço digital gratuito como forma de atrair um alto volume de usuários, mas com o objetivo de convertê-los em usuários pagantes através de uma opção premium com mais recursos.

Modelo Cauda Longa – O Modelo Cauda Longa (Long Tail) funciona ao vender uma grande variedade de produtos de nicho, o quais individualmente vendem pouco, mas que no total geram alto valor em vendas.

Modelo Marketplace – O Modelo Marketplace funciona ao disponibilizar produtos de diversos vendedores em um único ambiente virtual. Normalmente, em um e-commerce de grande porte, que pode ou não vender produtos próprios, mas que acima de tudo possui alto volume de usuários que frequentam e confiam em sua marca.

Modelo All You Can Eat – O Modelo All You Can Eat (AYCE), que em português significa “Tudo o que Você Poder Comer” (ou Buffet-Livre), é um modelo de negócio que funciona ao permitir que clientes consumam produtos ou serviços o quanto quiserem pagando um valor fixo (pagamento único ou recorrente).

Testando o modelo de negócio

Muitas vezes, o modelo de negócio escolhido por você para o seu empreendimento poderá dar errado. As vezes, você escolhe o modelo freemium, cobrando assinaturas, e o seu usuário não vê valor no contrato mensal. Ele preferia pagar avulso ou vice-versa.

  • Por isso, antes de planejar toda uma empresa em volta de um modelo de negócio pressuposto, o melhor a ser feito nesse momento é testá-lo.
  • Nessa etapa, você deve pensar “como eu valido o meu modelo de negócios com o que eu tenho em mãos amanhã?”
  • O MVP – Mínimo Produto Viável (Minimum Viable Product)

Mas o que seria validar uma ideia de negócio? Na minha opinião e na de muitos especialistas, é realizar as primeiras vendas para completos desconhecidos sem investir quase nada em produto, ponto de venda ou tecnologia.

Alguns clientes já falaram para a LUZ:

Quero montar um ecommerce para vender roupas fashion para pets

Nós perguntamos:

Você já vendeu alguma roupa fashion para pets na vida?

Se não, por que investir uma quantia significante para montar um ecommerce para vender algo que você não tem certeza se sabe vender e, o principal, se as pessoas querem?

Faça algumas roupas ou compre-as e tente vender. Quando tiver as primeiras encomendas, você monta um plano de negócio mais detalhado.

É disso que se trata um MVP, conseguir as respostas que você precisa antes de investir tempo e dinheiro, o mais rápido o possível.

Passo 2: escrevendo o Plano de Negócios

Agora que você eliminou as primeiras incertezas e tem um modelo de negócio viável, você pode investir tempo para escrever o plano do seu negócio, empreendimento ou reestruturação.

Vamos escrever!

Sumário executivo

O sumário executivo é um pequeno resumo do seu plano de negócios (cerca de uma página). Geralmente ele é a última seção do plano que você vai fazer, pois precisará de todos os dados para tal. Aqui aparece em primeiro, pois estou considerando a ordem na qual as seções devem ser apresentadas.

Para pensar no sumário executivo, você deve entender a cabeça dos futuros leitores do seu plano de negócios (possíveis investidores, sócios, parceiros). Eles não possuem tempo, portanto o que fará eles lerem o plano todo será a qualidade dos indicadores mostrados no sumário executivo.

Foque nas vitórias obtidas até aqui e nas oportunidades de mercado. Os resultados do seu MVP serão muito bem-vindos nessa seção do plano do negócio.

Sumário Executivo no Plano de Negócios

Sobre a empresa

Se você conseguiu conquistar o seu público com o sumário executivo, ele vai querer ver mais! E a primeira coisa que temos que mostrar é como a empresa está hoje e a trajetória dela até aqui.

A Equipe

O primeiro passo e um dos mais sensíveis, principalmente para investidores, é saber quem vai gerenciar o dinheiro aplicado por ele. Eles estarão interessados, pelo menos, em saber qual é o nível mais alto de gestores da nova empresa. Ressalte os bons atributos do time.

Apresentação de equipe no Plano de Negócios

Linha do Tempo

Outra coisa interessante de mostrar no plano de negócios é que o time que está sendo apresentado já conquistou objetivos juntos, ou individualmente.

Linha do tempo de empresa no plano de negócios

Estrutura organizacional e plano estratégico

Mostre no seu plano de negócios que a sua empresa ou ideia de negócio possui características intrínsecas e visão de longo prazo que fazem com que ela seja única.

Missão, visão e valores

O objetivo aqui não é montar um planejamento estratégico completo, mas sim, mostrar que você está embasado em uma visão estratégica maior do que “faturar mais e ter lucro”. Um investidor não apostaria em você sabendo que sua empresa é igual a uma concorrente já existente.

Leia também:  Como cancelar o tunein radio em um iphone ou ipad

Missão no Planejamento do Negócio

Caso queira entender melhor o que são missão, visão e valores, você precisa ler esse post sobre planejamento estratégico!

Estrutura atual da empresa

A imagem que melhor define a estrutura atual da empresa é o organograma. Serve para mostrar como a empresa está organizada hoje. No caso de uma ideia de negócio, pode ser mostrada a projeção do organograma esperado após a aplicação de investimentos.

É bastante comum mostrar no plano do negócio a evolução esperada do organograma em fases ou anos.

Como exibir/ler um Organograma

Passo 3: analisando o mercado

Agora que falamos bastante da parte interna e do estágio atual da empresa, chegou a hora de dissecar a oportunidade de negócio que está sobre a mesa. O primeiro fator a ser explorado é o mercado, ou seja, as condições externas que mostram porque o empreendimento pode dar certo.

O problema a ser resolvido

Todo negócio nasce ou cresce por causa de um problema a ser resolvido no mundo. Pode ser pequeno ou específico, como:

Uma cidade pequena não é abastecida por padarias – assim nasce uma padaria de bairro

Ou grande e genérico, como:

15 dicas de empreendedores para escolher o negócio ideal | Exame

  • 1. Dedicação e planejamento zoom_out_map 1/17 (Getty Images) São Paulo – Você deseja empreender, mas não sabe que tipo de negócio escolher? Essa dúvida é comum e não tem uma resposta pronta. Se você busca tranquilidade e é muito teimoso para enxergar os erros, esses são alguns bons motivos para você não abrir um negócio. Se, por outro lado, você tem senso de oportunidade e está disposto a correr riscos, veja as recomendações de 15 empreendedores para quem deseja abrir a sua própria empresa.
  • 2. Verifique a capacidade de escalar zoom_out_map 2/17 (Divulgação) Allan Panossian Kajimoto, 28 anos, é cofundador e CPO do Kekanto e trabalhava desde os 19 anos com startups de internet. Para ele, a escolha de um negócio ideal tem que levar em consideração dois fatores: tamanho de mercado e capacidade de escalar. “É importante o modelo de monetização poder ser feito de forma sequencial e com o menor esforço possível. Quanto menos customização seu produto ou serviço precisar, mais fácil será sua venda, seu pós-venda e sua manutenção”, explica. No ano passado, ele passou a atuar também como investidor-anjo e conselheiro do site de compras Rabixo.com.
  • 3. Seja apaixonado pela ideia zoom_out_map 3/17 (Tallis Gomes/Divulgação) Tallis Gomes, 26 anos, fundou a Easy Taxi, aplicativo para encontrar os táxis mais próximos, com o objetivo de ajudar a resolver o problema do trânsito. No começo, ele conta que a ideia era criar um aplicativo de geolocalização de ônibus. “Imagine que você gastará ou deveria gasta) cada segundo da sua vida pensando no seu negócio. Se você não é apaixonado pelo modelo, essa história provavelmente vai ser curta”, afirma. 
  • 4. Busque algo que melhore a vida das pessoas zoom_out_map 4/17 (Divulgação) Luciano Kalil, 35 anos, CEO do SitePX, deixou um cargo executivo para empreender. Ele percebeu que faltava no mercado uma plataforma de criação de sites para os pequenos empreendedores. Para ele, o negócio ideal precisa ser algo que melhore a vida das pessoas. “Muitos sistemas que ainda rodam em desktop precisam ir para nuvem. É só olhar em volta e pensar, como eu poderia melhorar qualquer aspecto da vida usando a tecnologia? Tem milhares de coisas para serem feitas ainda. E não olhe só para a cidade, existe o campo, a indústria, o B2B, o terceiro setor, o governo e outros”, afirma. 
  • 5. Escolha um setor que necessite de soluções criativas zoom_out_map 5/17 (Divulgação) Tonico Dias, 25 anos, é criador do ImovelBid, site que agrega ofertas de empreendimentos novos que não são comercializados após 180 dias do lançamento. Ele conta que escolheu o tipo de negócio para empreender após perceber que o setor imobiliário movimenta muito dinheiro e é carente de profissionalização. “Escolha um setor que carece de soluções criativas ou esteja estagnado do ponto de vista processual. Todo dia vemos ótimos negócios na rua que poderiam ser melhores trabalhados. Não tenha vergonha de realizar um trabalho que outros não achem nobre. Hoje, é bonito fazer um aplicativo ou um site, mas não deixe isso te cegar para outras oportunidades”, recomenda.
  • 6. Encontre o seu diferencial zoom_out_map 6/17 (Kevin Warnock/Divulgação Ingresse) Foi na época que Gabriel Benarrós, 25 anos, cofundador da Ingresse, estava estudando economia comportamental na Universidade Stanford, nos Estados Unidos, que ele teve a sua ideia de negócio. “Precisávamos cobrir um prejuízo de 600 reais para uma grande festa entre todos os alunos da faculdade e, para isso, criamos um site para vender os ingressos sobressalentes. A iniciativa deu muito certo e, com esse sucesso, eu e meu sócio resolvemos pesquisar o mercado no Brasil”, conta. Para ele, é preciso levar em consideração a sua paixão na hora de escolher o negócio e um diferencial. “Encontre a oportunidade de negócio e o seu diferencial em relação às outras empresas que já estão bem posicionadas no mercado”, ensina.
  • 7. Foque no mercado zoom_out_map 7/17 (Divulgação) Quando Eduardo L’Hotellier, 28 anos, CEO do GetNinjas, decidiu empreender, ele começou analisando o mercado digital em 2011 e percebeu que não existia nenhum site consolidado para a contratação de prestadores de serviço. “Foi aí que vi a oportunidade e lancei um protótipo que em pouco tempo chamou a atenção de um grupo de investidores, levantei capital e abri a empresa”, conta. Para escolher o negócio ideal para investir, ele afirma que um empreendedor tem que focar no mercado. “Deve analisar se o mercado potencial é grande, é muito mais fácil ter 1% de um mercado gigante do que 10% de um mercado pequeno”, conta. 
  • 8. Tenha afinidade com a área zoom_out_map 8/17 (Divulgação)

Plano de negócios: aprenda a analisar o mercado

Ao reunir a motivação necessária para abrir uma empresa, uma das primeiras etapas é a criação do plano de negócios: sem ele, não há como tirar a ideia do papel e torná-la lucrativa.

Analisando o mercado em que se pretende atuar, é possível avaliar a demanda (seus futuros clientes), a concorrência (com quem você irá competir pelos clientes) e os fornecedores (responsáveis pela matéria-prima e os insumos de seu produto ou serviço).

O grande desafio, nesse caso, é montar um plano viável, detalhado, atualizado e consistente, organizado de tal forma que seja possível consultá-lo e revisá-lo sem maiores dificuldades.

Mercado exige análise qualificada e original

Embora buscar referências não seja uma má estratégia, é preciso entender que nem sempre um modelo tradicional de plano de negócios se adequa à sua ideia.

“A maioria dos livros de plano de negócio induz a este erro ao apresentar e defender um único modelo de plano de negócio.

Na verdade, o empreendedor precisa ter um plano que o ajude a atingir o seu objetivo e do negócio”, explica o professor de empreendedorismo do Insper Marcelo Nakagawa.

Na hora de montar um plano de negócio é preciso analisar o mercado. Foto: iStock, Getty Images

O estudo pode variar conforme o objetivo.

Na avaliação de Nakagawa, o plano de negócios de um microempreendedor, por exemplo, deveria ser bastante simples, capaz de ajudá-lo a empreender e a aumentar suas vendas ao teto permitido por lei.

Se, por outro lado, o empreendedor está interessado no financiamento de agências de fomento, vai precisar de um modelo muito mais complexo e acadêmico, projetado para um horizonte de tempo bem maior.

Mas o que esse plano deve conter, afinal? Basicamente, o plano de negócios é um documento que reúne informações a respeito dos objetivos de sua empresa e de seu modo de atuação. A ideia é entender se o negócio é viável e se vale a pena criá-lo, mantê-lo ou ampliá-lo, prevendo e contornando possíveis erros de gestão.

  • Para criar um modelo do zero, vale a pena considerar as seguintes questões:
  • – Qual produto será ofertado pela sua empresa
  • – Quem serão os seus clientes
  • – Qual será a localização da empresa
  • – Quanto dinheiro será investido no início do projeto
  • – Qual o faturamento mensal projetado
  • – Qual a tava de lucratividade esperada
  • – Em quanto tempo (meses, anos) será obtido o retorno sobre o capital investido
Leia também:  Como anexar a arte de capa em faixas de músicas mp3

Não erre ao analisar o mercado

Ao elaborar o plano de negócios e se dedicar à análise de mercado, os empreendedores estão propensos a cometer uma série de erros. Se não houver atenção, preparação prévia e, em alguns casos, apoio de uma assessoria empresarial, o projeto pode ter sua execução inviabilizada.

  1. Para Nakagawa, os principais erros são:
  2. Ausência de estratégia
  3. É fundamental definir o que o negócio é (missão, propósito de existência), o que a empresa quer ser e em que mercado atuará (visão, objetivos).
  4. Ausência de metas numéricas
  5. É preciso lidar com números, dados e estatísticas logo no início, sob pena de perder o rumo ao não saber aonde se quer chegar.
  6. Cliente ignorado
  7. Muitos empreendedores acabam ignorando a visão do cliente: é preciso se colocar no lugar do consumidor para entender suas necessidades e desejos.
  8. Concorrência subestimada

Se você acha que seu produto é inovador e que não terá concorrência, saiba que muitos empreendedores foram à falência defendendo essa ideia. Analise a concorrência de modo racional e, na dúvida, não a subestime.

Plano de produção e operações falho

Alguns planos não consideram a sazonalidade do mercado, a capacidade de produção e a curva de aprendizagem, por exemplo. Muitas vezes, falta assessoria técnica ou aptidão para empreender.

Plano de gestão de pessoas ineficaz

Um dos erros mais comuns – que acaba levando a outras falhas na operação da empresa – é não conseguir definir as funções e atividades dos colaboradores com visão estratégica e competência. É preciso extrair o melhor de cada um, sempre.

Plano financeiro não sustentável

O grande risco, aqui, é criar um plano financeiro incompleto, que não aborde todas as características presentes na execução do projeto. A empresa precisa de sustentabilidade: deve gerar lucro para que consiga sobreviver – a outra alternativa, você já sabe, é a falência.

8 aspectos para analisar na viabilidade de negócio

O momento de verificar a viabilidade de negócio é sempre delicado. Ideias brilhantes podem se tornar inviáveis por conta das condições do mercado, enquanto outras que não parecem ter um bom potencial podem ser desenvolvidas para gerar empresas de sucesso. 

Para que isso seja verificado, entretanto, o empresário precisa se dedicar a uma análise da viabilidade de negócio. É esse exercício que permite uma avaliação sobre concorrentes, potenciais clientes, fornecedores, modelos de negócio, entre outras condições que influenciam no sucesso de uma organização.

Quando essa etapa é pulada, as consequências podem ser terríveis. Após feito o investimento inicial do negócio, é tarde demais para voltar atrás, certo? E a pior forma de enxergar que um negócio não é viável é o fracasso no mercado. Por isso, analisar a viabilidade de negócio é considerado uma maneira de minimizar os riscos corridos.

Mas quais são os aspectos que devem ser analisados quando falamos de viabilidade de negócio? Vamos abordar os principais deles a seguir.

Aspectos que influenciam na viabilidade de negócio

Muitos empresários se deparam com oportunidades de negócios regularmente. Decidir o que vale a pena abraçar, no entanto, pode ser difícil. Seja um empresário que deseja começar um novo negócio ou um empreendedor que busca expandir o seu atual com uma nova oportunidade, é vital saber como avaliá-lo de forma adequada.

Aqui estão alguns dos principais fatores a considerar ao decidir se vale a pena abraçar uma oportunidade de negócio:

1. Tamanho do mercado

Um dos fatores mais importantes ao avaliar uma oportunidade de negócio é o tamanho do mercado. Faça uma pequena pesquisa: se você procura fechar boas vendas, precisa descobrir se há um mercado para a oportunidade – e quão grande é ele. 

Antes de seguir em frente, você quer ter certeza de que a demanda está lá. Você não precisa apelar para um mercado gigantesco, mas ajuda se entender o mercado. Além disso, saber como o mercado está comprometido e a probabilidade de pagar pelo que está sendo vendido pode ser útil.

Você pode recorrer a pesquisas na internet, conversas com potenciais clientes e visitas aos concorrentes para compreender melhor como o mercado está estruturado. Além disso, a mídia é um ótimo termômetro na sua avaliação. Procure por blogs, revistas especializadas, jornais e outras mídias voltadas para sua base de clientes em potencial.

2. Aceitação do seu cliente

Para ter um negócio de sucesso, você precisará, sem dúvida, resolver um problema para um cliente em particular. Mas antes de escolher uma ideia, identifique quem são seus clientes ideais, qual é sua renda, quais são seus hábitos de compra e como tomam decisões de compra. Depois de compilar os resultados, você terá uma imagem mais clara de quem realmente é o seu cliente.

Essa avaliação impede cair em armadilhas comuns quando se analisa a viabilidade de negócio. Você pode identificar que existe um grande público interessado em adquirir soluções para gestão financeira empresarial. Porém, talvez esse público não esteja disposto a investir em uma solução com as características do produto que você está desenvolvendo.

3. Feedback honesto

Compartilhe a sua ideia de negócio com sua família, amigos e colegas para obter conselhos objetivos e reais.

Converse com possíveis clientes, lojistas locais e até mesmo com sua concorrência (tomando cuidado para não divulgar sua ideia) para obter uma visão justa de preços para seus serviços e o que eles pagam ou cobram atualmente.

Teste algumas variações de preço e, se o produto for tangível, permita que os clientes em potencial o examinem e usem. Pergunte se há recursos que eles gostariam de ver oferecidos e que estão indisponíveis no momento.

Todo esse exercício permite receber algumas críticas construtivas interessantes que você pode implementar. Com base nessas informações, você cria uma visão mais clara sobre a viabilidade de negócio e sobre quais pontos ainda podem ser aprimorados.

4. Relacionamentos

Você tem bons relacionamentos que podem ajudar no desenvolvimento do seu negócio? Isso pode incluir um contato muito qualificado no desenvolvimento do produto, um potencial grande cliente, relacionamento com fornecedores, potenciais investidores, profissionais inseridos no nicho de mercado, entre outros.

5. Capacidade de gerenciar o fluxo de caixa

Você precisa analisar a capacidade de gerenciar o fluxo de caixa. Existe financiamento inicial para o negócio? Você sabe qual é o capital necessário para manter o negócio em funcionamento? Mais do que colocar o negócio em operação, você deve se certificar de que conseguirá mantê-lo operando tranquilamente.

Para ter uma ideia de quantas vendas devem ser geradas para cobrir suas despesas e, eventualmente, gerar algum dinheiro, você pode fazer uma avaliação sobre os principais custos mensais.

Veja alguns dos custos que podem ser considerados nessa análise: composição do estoque, aluguel, funcionários, telefone, eletricidade, aluguel, seguro, água, contabilidade, jurídico, suporte administrativo e marketing, entre outros.

6. Habilidades de gestão

Quais são as qualificações dos envolvidos no seu projeto? Se você está avaliando sua própria oportunidade de negócio, precisa ser honesto sobre as suas próprias competências e deficiências. Na análise de viabilidade de negócio, não deixe de considerar as habilidades necessárias para conduzir a empresa ao sucesso – fazendo uma avaliação sua e dos seus sócios.

7. Estratégia de marketing

Como você provavelmente tem tempo e recursos limitados, certifique-se de avaliar como poderia colocar em prática ações de marketing para dar o pontapé inicial. Felizmente, muitas táticas de marketing nos dias de hoje são razoavelmente baratas – como a exploração das mídias sociais e estratégias de marketing digital que funcionam através da internet.

8. Paixão e persistência

Colocar um novo negócio em prática não costuma ser uma tarefa simples. Vários imprevistos podem ocorrer no meio do caminho e será preciso superar os obstáculos que surgirem. Você sente paixão pelo projeto em que pretende investir? Está trabalhando com pessoas que compartilham do mesmo sentimento? Esse pode ser um diferencial para garantir a viabilidade de um negócio.

O que você achou dos aspectos que devem ser analisados para verificar a viabilidade de negócio? Confira, também, como fazer a validação de uma ideia de negócio e até a próxima!

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*