Como amenizar sintomas de síndrome do túnel do carpo na gravidez

Como Amenizar Sintomas de Síndrome do Túnel do Carpo na Gravidez

A gravidez é um momento mágico na vida de uma mulher, cercada pela expectativa da chegada do bebê ao mundo. No entanto, existem doenças que afetam as mãos e punhos que tem sua incidência bastante aumentada nesta fase, bem como após o parto. Já   durante a gravidez algumas pacientes podem sentir dor e dormência nas mãos. Considerada comum, essa dormência atinge cerca de uma em cada quatro grávidas, e é resultado da pressão no túnel do carpo causada pela retenção de líquidos e inchaço no período gestacional. A síndrome do túnel do carpo ocorre quando há compressão e inflamação do nervo mediano, que passa nesta região. A dor geralmente é caracterizada como uma queimação ou choques nas mãos e muitas vezes impedem a mulher de dormir.  

Outra doença muito comum nesta fase é a tenossinovite de De Quervain, também conhecida como tendinite das mães, que afeta os tendões do polegar.

Relacionada com as alterações hormonais da gestação, tende a piorar bastante no período pós parto, principalmente devido à rotina de cuidados com o bebê (segurar, dar banho, amamentar).

Estes esforços sobrecarregam os tendões extensores do polegar e a inflamação pode piorar até levar a uma incapacidade para realizar alguns movimentos.

Causas

Dentre as causas da dor e da dormência na mão durante a gravidez estão as mudanças hormonais típicas da gravidez.

Alguns hormônios como a prolactina, o estrogênio e a progesterona são os responsáveis por essas mudanças e, consequentemente, pela retenção de líquidos que acaba causando a síndrome do túnel do carpo e a tenossinovite de De Quervain nas gestantes, já que os tecidos incham por conta do líquido em excesso e pressionam essas estruturas.

O aumento de peso também parece estar relacionado a sintomas como dor e dormência  na mão durante a gravidez. Isso porque o tecido adiposo pode diminuir a circulação linfática, aumentando a retenção de líquidos no punho.

Diagnóstico

Para diagnosticar um quadro de síndrome de túnel do carpo em gestante, o médico ortopedista especialista em mão irá ouvir o relato da paciente e analisar os sintomas para eliminar a possibilidade de outras doenças como artrite reumatóide.

Em casos nos quais há algum tipo de dúvida, o médico especialista poderá solicitar os exames de ultrassonografia e ressonância magnética, já que com esses exames é possível visualizar as estruturas com m ais detalhes, sem uso da radiação, contraindicada na gestação.

Tratamento

Diante de qualquer dor ou desconforto na mão, a gestante deve procurar um ortopedista especialista em mãos. Ele poderá indicar o tratamento com órteses para imobilização e proteção da mão, bem como reabilitação (fisioterapia e/ou terapia ocupacional) para diminuir a dor e a dormência. Mesmo durante a gravidez podem ser ministradas medicações específicas, sem risco para o bebê.

O objetivo da fisioterapia é desinflamar o nervo e os tendões, diminuindo a dor e a dormência na região. Durante a sessão serão realizados exercícios para alongamento e relaxamento.

Além dos exercícios, sugere-se o repouso da mão afetada. Isso porque o esforço repetitivo continuará a manter os tendões inflamados, por isso, a paciente deve tentar evitar movimentos que possam inflamar ainda mais a área da mão e dos dedos.

Prevenção

  • Por estar diretamente relacionada à retenção de líquidos em pacientes grávidas, uma das medidas para prevenir dormência e a dor na mão durante a gravidez é evitar ao máximo a retenção de líquidos durante o período gestacional. Para isso, a paciente pode tomar algumas medidas como:
  • – Reduzir o consumo de sal
  • Durante a gravidez o sal deve ser usado com moderação, isso porque ele faz com que o corpo retenha líquido e fique inchado e, consequentemente, possa afetar os punhos e as mãos causando dor, inchaço e dormência na região.
  • – Praticar atividade e exercícios físicos
  • A prática de atividades ou de exercícios físicos faz com que haja uma melhora na circulação sanguínea e na redução do inchaço no corpo.
  • – Evitar roupas e sapatos justos

Roupas e sapatos justos fazem com que a circulação sanguínea fique prejudicada, fazendo com que haja inchaço principalmente na região dos pés e das mãos. A recomendação é que as pacientes gestantes usem roupas confortáveis.

  1.  – Beber água
  2. A ingestão de água ajuda a eliminar as toxinas do corpo e a evitar a retenção de líquidos, ao estimular a função renal.
  3. – Ter uma alimentação balanceada

Uma alimentação balanceada também ajuda a reduzir o inchaço durante a gravidez. Sugere-se ingerir alimentos como fibras, líquidos, e proteínas magras; e evitar alimentos processados, com altos níveis de sódio e bebidas como refrigerantes.

Mais Informações

Assim como outras patologias que possam aparecer, a dor na mão durante a gravidez deve ser tratada por um médico especialista. Na gravidez, assim como em qualquer outro caso, é importante que a paciente evite qualquer tipo de automedicação.

Durante a consulta lembre-se avisar o médico ortopedista especialista em mão da gravidez e do histórico de doenças, para que ele prescreva o melhor tratamento e, caso necessário, receite apenas medicamentos adequados ao período gestacional.

A Síndrome do Túnel do Carpo na gravidez – Mãe que ama

Já ouviu falar na Síndrome do Túnel do Carpo? Sabia que o inchaço nas mãos durante a gravidez pode desencadear essa síndrome? Mas antes de saber do que se trata, é importante entender estas palavras:

Carpo: é a estrutura óssea do punho, entre o antebraço e a mão;
Túnel do carpo: é um canal que tem três lados formados por osso e um lado formado por um ligamento.

Por dentro desse canal, passa um nervo importante, o nervo mediano;
Nervo mediano: é o responsável pelo tato no polegar, no indicador, no dedo médio e em metade do anelar, e também comanda o movimento de um músculo na base do polegar.

Como Amenizar Sintomas de Síndrome do Túnel do Carpo na Gravidez

Assim, a Síndrome do Túnel do Carpo é uma doença do sistema nervoso que ocorre pela compressão do nervo mediano, que passa pelo canal do carpo no punho e inerva mão e dedos, causando dormência e perda de sensibilidade nas mãos, sobretudo entre os primeiros dedos, além de ardor, sensação de formigamento e até uma debilidade e dificuldade para agarrar objetos.

É uma patologia não exclusiva da gravidez, muito frequente em pessoas que realizam trabalhos ou ações que implicam movimentos repetitivos de uma das mãos, como o uso do computador ou trabalhos de costura, por exemplo, e também um problema muito comum enfrentado por futuras mamães.

Por que aparece na gravidez?

A gestação é um período em que a mulher passa por muitas mudanças e adaptações em seu organismo. As mudanças hormonais provocam uma maior retenção de líquidos: todos os tecidos, incluindo os do pulso, se embebem em líquido e tendem a inchar, reduzindo ainda mais o espaço disponível para a circulação.

É absolutamente normal sentir inchaço nas mãos durante a gravidez, mas esse inchaço, também chamado de edema, somado à retenção de líquidos decorrente das modificações hormonais em cada fase da gestação pode desencadear os sintomas que caracterizam a Síndrome do Túnel do Carpo, causada pela compressão e inflamação do nervo mediano e por isso tão frequente em gestantes.

O aumento de peso da futura mamãe também propicia uma maior possibilidade de aparecimento da síndrome, já que o tecido adiposo do punho provoca também uma maior compressão do nervo. Além disso, a predisposição anatômica desempenha um papel bastante importante: as mulheres de pulso pequeno têm, claramente, maior probabilidade de desenvolver o problema.

Diagnóstico e tratamento

O exame que permite diagnosticar com segurança a síndrome do túnel de carpo é a eletromiografia.

Este método, que não possui contraindicações específicas na gravidez, consegue verificar se existem eventuais alterações na transmissão do estímulo nervoso de um músculo.

Para efetuar o teste, são aplicadas umas pequenas agulhas nas extremidades onde se manifesta a síndrome, que recebem descargas elétricas de baixa intensidade.

Mas não há motivo para preocupações, porque o tratamento geralmente é bem simples e a doença tem grandes chances de desaparecer depois que o bebê nasce.

Se a dor e o formigamento estiverem interferindo no sono e na rotina, o recomendado é conversar com o médico para que o caso seja avaliado e o tratamento correto seja indicado. Importante: a gestante jamais deve tomar analgésico ou outro medicamento sem a orientação do obstetra.

Caso a dor persista por muito tempo após o parto, pode ser preciso um tratamento especial para aliviar a pressão sobre o nervo mediano, primeiro com remédios anti-inflamatórios, depois com injeções de cortisona ou, nos casos muito graves, até uma cirurgia simples, tudo dependendo da recomendação médica. O procedimento é feito através de uma pequena incisão na palma da mão, para que o médico possa fazer um corte no ligamento carpal transverso, uma das paredes do túnel do carpo, liberando assim o nervo. Com a incisão, o nervo mediano volta a funcionar normalmente.

SÍNDROME DO TÚNEL DO CARPO – Sintomas, causas e tratamento –

A síndrome do túnel do carpo, também chamada de síndrome do túnel carpal, é uma doença causada pela compressão do nervo mediano, responsável pela inervação da região externa da mão.

Carpus é uma palavra derivada do grego que significa punho. O túnel do carpo é uma espécie de túnel ou canal na região do punho com o diâmetro aproximado de um dedo polegar. Seu assoalho são os ossos do punho e seu teto é o ligamento carpal transverso.

Leia também:  Como capturar gatos: 15 passos (com imagens)

Dentro do túnel do carpo passam os 9 tendões responsáveis pelos movimentos dos dedos e o nervo mediano, responsável pela inervação da parte externa das mãos, como demonstrado na imagem abaixo.

Qualquer alteração que cause uma diminuição do espaço dentro do túnel do carpo pode levar à compressão do nervo mediano causando os sintomas típicos da síndrome do túnel do carpo.

Na maioria das vezes essa compressão do nervo mediano se dá por inflamação e inchaço das estruturas no interior do túnel carpal, como os tendões. Acúmulo de substâncias como proteínas ou sangue também causam aumento da pressão dentro do túnel.

Fatores de risco

A síndrome do túnel do carpo é uma condição razoavelmente comum, acometendo cerca de 1 a 5% da população. A doença é mais comum em mulheres, principalmente nas obesas.

Conhecemos vários fatores de risco para a síndrome, porém em muitos casos não conseguimos identificar a causa exata. Sabemos que trabalhos que requerem movimentos repetitivos, que induzem flexões e/ou extensões prolongadas ou que imponham pressão sobre mãos e punhos, aumentam os risco de inchaço dos tendões favorecendo o pinçamento do nervo mediano.

Ao contrário do que se imagina, trabalhar com computador por várias horas não parece estar associado a um maior risco de desenvolvimento da síndrome do túnel do carpo. Os trabalhos até o momento mostram que o risco para quem usa computador por até 7 horas por dia não é maior do que o da população em geral.

  • Além da inflamação mecânica causado por movimentos repetidos do punho, uma série de doenças e condições podem aumentar o risco da síndrome do túnel do carpo, mesmo em pessoas que não realizam trabalhos que exijam movimentos constantes dos braços, mãos ou punhos.
  • Os principais fatores de risco para síndrome do túnel do carpo são:
  • Os fatores listados acima aumentam o risco da síndrome do túnel do carpo, mas a doença pode surgir mesmo em quem não tem nenhum desses fatores.

Sintomas

Como a síndrome do túnel do carpo é causada pela compressão e sofrimento do nervo mediano, seus sintomas clássicos são a dor e a parestesia (formigamento e perda da sensibilidade) localizadas na região da mão inervada por este nervo (veja novamente a ilustração no início do texto).

Os sintomas costumam ser piores à noite e frequentemente acordam o paciente.

A dor pode ser agravada pela extensão ou flexão dos punhos. Atividades como conduzir veículos, ler, digitar ou segurar o telefone podem ser suficientes para desencadear a dor.

Em até 65% dos casos, a síndrome do túnel do carpo acomete os punhos bilateralmente, todavia o mais comum é que um dos punhos seja mais sintomático que o outro.

Se não tratado, o quadro costuma piorar com o tempo, podendo levar a alterações motoras, como fraqueza para movimentar os dedos. O paciente pode tornar-se incapaz de segurar objetos.

Diagnóstico

  1. Dois simples testes ao exame físico ajudam no diagnóstico por desencadearem a dor típica da síndrome do túnel do carpo:
  2. a) A manobra de Phalen consiste na flexão máxima dos punhos realizadas com o dorso das mãos encostados um no outro como na foto acima.

  3. b) O teste de Tinel consiste na percussão do nervo mediano na região do túnel do carpo.

  4. O diagnóstico da síndrome do túnel carpal é geralmente clínico, mas pode ser comprovado através de exames de imagem e testes eletrofisiológicos, que servem para avaliar a condução nervosa e a resposta dos músculos ao estímulo nervoso.

  5. Os testes eletrofisiológicos são:
  • Estudos de condução nervosa: medem os sinais que viajam nos nervos da sua mão e braço e podem detectar quando um nervo não está conduzindo os sinais efetivamente.
  • Eletromiograma (EMG): mede a atividade elétrica nos músculos. Os resultados do EMG podem mostrar se você tem algum dano nervoso ou muscular.

Em relação aos exames de imagem, a ultrassonografia ou a ressonância magnética nuclear podem mostrar se há sinais de compressão e lesão do nervo mediano.

Tratamento

Imobilização

Em casos leves, a aplicação de gelo local e a imobilização do punho com tala ou uma munhequeira ortopédica podem ser suficientes para reduzir o edema e aliviar os sintomas.

A imobilização do punho em uma posição reta ou neutra reduz a pressão sobre o nervo mediano e impede que o punho se dobre durante a noite, enquanto o paciente dorme. O seu deve ser mantido por várias semanas.

Medicamentos

Anti-inflamatórios, como ibuprofeno ou diclofenaco, podem ser usados para aliviar a dor, apesar do seu uso nessa doença ser controverso, uma vez que há dúvidas sobre sua eficácia para além do controle da dor.

A injeção de corticoides no local é uma boa opção nos casos moderados. A cortisona (corticoides) é um poderoso agente anti-inflamatório que pode ser injetado diretamente no túnel do carpo. O seu efeito, porém, é muitas vezes apenas temporário.

Mudanças de hábitos

Os sintomas do túnel do carpo geralmente surgem quando a mão e o punho ficam na mesma posição por muito tempo, principalmente quando flexionado ou estendido.

Se o seu trabalho ou suas atividades recreativas provocam agravamento dos sintomas, alterar ou modificar a forma como são feitas essas atividades pode ajudar a retardar ou interromper a progressão da doença.

Exercícios de deslizamento do nervo.

Alguns pacientes podem se beneficiar de exercícios que ajudam o nervo mediano a se mover mais livremente dentro dos limites do túnel do carpo.

A fisioterapia com profissionais especializados em mão, principalmente através do uso de técnicas de deslizamento de tendões e nervos, auxiliam na redução do edema e reduzem a compressão dentro do túnel do carpo.

Tratamento das causas

Se houver causas identificáveis, como artrite reumatoide ou hipotireoidismo, o tratamento dessas doenças ajuda a melhorar a compressão no túnel.

Cirurgia

A cirurgia para a síndrome do túnel do carpo é indicada nos casos moderados/graves que não melhoram com o tratamento clínico.

O procedimento visa a descompressão do túnel e liberação do nervo mediano através de um corte do ligamento carpal transverso, que pode ser feito por via endoscópica ou por cirurgia tradicional.

Recuperação da cirurgia

Após a cirurgia, você será orientado a elevar a mão acima do coração e movimentar os dedos para reduzir o inchaço e evitar a rigidez.

Dor, inchaço e rigidez são comuns no pós-operatório. Uma leve dor na palma da mão pode durar de várias semanas a vários meses.

A força nas mãos e dedos geralmente retorna cerca de 2 a 3 meses após a cirurgia. Se a lesão do seu nervo mediano era grave antes da cirurgia, a força de preensão e beliscão pode demorar até 12 meses para retornar.

O seu médico ortopedista conversará com você sobre quando retornar ao trabalho e sobre que tipos de restrições você terá em suas atividades do dia a dia.

Referências

Síndrome do túnel do carpo: porque é mais frequente na gravidez

No início sente-se uma espécie de adormecimento na mão, sobretudo nos primeiros dedos (polegar, indicador e dedo médio), e, em parte, também no anular. Depois, pouco a pouco, para além de ardor e sensação de formigueiro, pode surgir uma perda de sensibilidade nos dedos, debilidade na mão e dificuldade para agarrar objetos.

Estes são os sintomas da síndrome do túnel do carpo, uma perturbação muito frequente nas pessoas que realizam trabalhos ou ações que implicam movimentos repetitivos de uma das mãos; como o uso prolongado do computador ou trabalhos de costura, por exemplo. Também é muito comum nas futuras mamãs, calcula-se que uma mulher grávida em cada quatro sofra deste problema. Porquê?

Porque aparece na gravidez

– A sua origem deriva da compressão e inflamação do nervo mediano que passa pelo canal do carpo no punho, um espaço bastante estreito e limitado por estruturas não elásticas: os ossos do carpo e o ligamento transverso do carpo.

As mudanças hormonais, próprias da gravidez, provocam uma maior retenção de líquidos.

Todos os tecidos, incluindo os do pulso, se embebem em líquido e tendem a inchar, reduzindo ainda mais o espaço disponível para a circulação do nervo mediano.

– Por outro lado, o aumento de peso da futura mamã, propicia uma maior possibilidade de aparecimento da síndrome, já que o tecido adiposo do punho provoca uma maior compressão do nervo.

– A predisposição anatómica também desempenha um papel bastante importante: as mulheres de pulso pequeno, têm, claramente, maior probabilidade de desenvolver esta síndrome.

No principio a dor manifesta-se principalmente de noite, quando a circulação sanguínea se torna mais lenta. Depois, à medida que a síndrome avança, o incómodo é mais regular, e também ocorre durante o dia.

Quando se manifesta

  • – Durante a gravidez, a síndrome pode aparecer em diferentes momentos e de diferentes modos: quando aparece durante o terceiro trimestre, na maioria dos casos, tem um desenvolvimento benigno e tende a solucionar-se espontaneamente após o parto.
  • Quando se manifesta de modo precoce, ou seja, durante os dois primeiros trimestres, costuma estar caracterizada por uma evolução mais rápida e poucas vezes desaparece depois do parto.
  • Como reduzir a dor
Leia também:  Como aplicar bronzer: 15 passos (com imagens)

O exame que permite diagnosticar com segurança a síndrome do túnel de carpo é a eletromiografia. Este método, que não possui contraindicações específicas na gravidez, consegue verificar se existem eventuais alterações na transmissão do estímulo nervoso de um músculo.

Para efetuar o teste são aplicadas umas pequenas agulhas nas extremidades onde se manifesta a síndrome, que recebem descargas elétricas de baixa intensidade.

Tratamentos para reduzir a dor:

  1. Os tratamentos farmacológicos habitualmente utilizados contra a síndrome, não são adequados para as futuras mamãs: medicamentos como anti-inflamatórios e cortisona, poderiam interferir no desenvolvimento e saúde do feto, principalmente no início da gravidez.

  2. Podem ser tomados fármacos antioxidantes (como as vitaminas B), que, ao compensarem os radicais livres, protegem as membranas celulares do nervo, melhorando a condução do estímulo nervoso.

  3. Para reduzir o inchaço das extremidades superiores, pode ser útil fazer uma série de massagens para a drenagem linfática.
  4. – Para aliviar a dor também se pode recorrer à crioterapia, e a própria mamã pode fazer as aplicações na parte intumescida com um saco de gelo, com intervalos de 20 minutos.

  5. É importante manter o pulso em repouso o máximo tempo possível.
  6. Também é recomendável suster o pulso, sobretudo durante a noite: deste modo, o carpo fica contido e durante algumas horas a mão não recebe tensões.

– Se trabalha com computador, é fundamentar situar a cadeira adequadamente, de forma a não ser obrigada a dobrar os pulsos quando usa o teclado. O antebraço deve estar apoiado na mesa e pode utilizar um tapete para o rato ergonómico, com apoio para o pulso.

O que se modifica após o parto

Depois do nascimento, a situação modifica-se, o que depende do nível da patologia (leve, média ou aguda) e da época em que surge.

Na maioria dos casos, o problema diminui até desaparecer totalmente em pouco tempo.

Em outros casos, infelizmente, continua e acentua-se ainda mais porque o facto de ter o bebé ao colo muito tempo, contribui para o aumento de compressão do nervo. A situação deve ser avaliada por um especialista.

Quando consultar um médico especialista

Se a dor continua, não há outra solução senão a de recorrer ao bisturi. Através de uma incisão na palma da mão, o traumatologista alcança e secciona o ligamento para libertar o nervo mediano. A operação é feita num hospital e com anestesia local.

O que fazer se a síndrome do túnel do carpo aparece após o parto

Por vezes, depois do bebé nascer, pode aparecer a síndrome de De Quervain, também chamada tenossinovite. Trata-se de uma inflamação dos tendões do polegar, que, para além de dor, gera dificuldade para mover a mão e efetuar movimentos como rodar uma chave, abrir um frasco ou pegar numa panela.

O tratamento previsto é semelhante ao aplicado na síndrome do  túnel do carpo; deve permanecer em repouso com o pulso contido, fazer crioterapia e tomar os medicamentos que lhe forem receitados (se a mamã não der de mamar). Numa forma mais aguda também é costume recorrer a uma cirurgia.

Dor nas articulações durante a gravidez

A dor nas articulações durante a gravidez deve-se principalmente ao aumento da carga física. O aumento médio de peso durante a gravidez varia de 10 a 15 kg, e em casos individuais pode ser significativamente maior.

As articulações, músculos e ligamentos têm de lidar com essa carga adicional, que também pode causar dor devido ao crescimento contínuo. Quase 50% das mulheres grávidas sofrem de dores nas costas mais ou menos acentuadas; em muitas mulheres, também são afetadas outras articulações à medida que a gravidez avança. 

Os sintomas podem ser particularmente sérios se a coluna e as articulações já estiverem sob stress devido ao excesso de peso, má postura ou doenças prévias. A gravidade da dor nas articulações durante a gravidez também depende de predisposições genéticas.

As hormonas da gravidez tornam relaxam os tecidos

Desde o primeiro momento da gravidez, o corpo começa a preparar-se para criar as melhores condições possíveis para o desenvolvimento do bebé. Por isso, as hormonas desempenham um papel fundamental.

Durante o ciclo menstrual, a relaxina prepara o tecido endometrial em interação com outras hormonas para alojar o óvulo fertilizado, enquanto que no estado não gestacional o nível de relaxina diminui significativamente na segunda metade do ciclo.

No entanto, se ocorrer uma gravidez, a concentração de relaxina aumenta continuamente, atingindo o seu nível mais alto no primeiro trimestre da gravidez. A hormona relaxa os tecidos do colo do útero e do solo pélvico, mas também os ligamentos das articulações já neste estágio inicial da gravidez, em preparação para o parto.

Ao dilatar os vasos sanguíneos, também adapta a circulação sanguínea da mãe à gravidez. Imediatamente antes do nascimento, a relaxina juntamente com outras hormonas desencadeia a rutura do saco amniótico e participa na abertura do colo do útero.

A dor nas articulações durante a gravidez é, portanto, um resultado indireto dos efeitos da relaxina e de outras hormonas. O relaxamento dos tecidos do corpo reduz a capacidade de carga das articulações, num período em que o corpo é submetido a um esforço especial e deve mostrar o máximo desempenho durante dez meses.

Dor nas articulações devido a alterações estáticas

As alterações estáticas durante a gravidez também podem causar dor na coluna, músculos e articulações. O crescimento do útero faz com que o centro de gravidade do corpo se desloque.

À medida que a gravidez avança, as mulheres grávidas desenvolvem uma forte lordose, curvatura fisiológica da coluna, e a mobilidade das articulações vertebrais também diminui. As articulações do anel pélvico deslaçam não apenas pelas influências hormonais, mas também pela crescente tensão nos músculos abdominais e nos músculos longos das costas.

Na posição vertical, o anel pélvico suporta o peso da parte superior do corpo, geralmente suportada por um sistema de ligamentos muito tenso. O afrouxamento desses tecidos é importante para o crescimento desimpedido do bebé e sua passagem pelo canal do parto, mas isso também pode levar ao aumento da dor na região lombar, na pelve e nas virilhas.

Nalgumas mulheres, os sintomas já são visíveis numa fase relativamente precoce da gravidez, enquanto noutros, as articulações pélvicas não causam problemas durante algum tempo até depois do parto.

A retenção de líquidos pode causar problemas articulares

A retenção de líquidos durante a gravidez também pode ser um motivo para problemas nas articulações, normalmente na segunda metade da gravidez. Muitas mulheres grávidas experimentam dormência ou dor nas mãos e pulsos, especialmente à noite.

Trata-se, possivelmente, da síndrome do túnel do carpo, que pode ocorrer se os nervos do canal do carpo forem submetidos a um grande esforço unilateral. Se o canal do carpo for fortemente afetado pela retenção de líquidos, isso pode ter as mesmas consequências.

Uma posição de dormir que não sobrecarregue as mãos e os pulsos às vezes alivia a síndrome do túnel do carpo relacionada com a gravidez. A imobilização do punho com uma tala ou a acupuntura também pode ajudar nesses casos.

Em caso de dor intensa no pulso e nos dedos, o médico recomendará a injeção de medicamentos analgésicos diretamente nos nervos afetados. Depois do parto, esses desconfortos geralmente desaparecem rapidamente.

O que se pode fazer contra a dor nas articulações durante a gravidez?

Os melhores remédios para dor nas articulações durante a gravidez são calor, descanso, relaxamento e exercício físico:

  • O calor libera a tensão e tem um efeito benéfico sobre os músculos e articulações. Em caso de dor permanente ou ataque de dor, um banho morno, um saco de água quente ou uma almofada de caroços de cereja quente podem fazer maravilhas.
  • As mulheres grávidas também precisam de intervalos regulares para aliviar os músculos e articulações, que devem fazer parte das sus rotinas diárias.
  • À medida que a gravidez progride, estão proibidos grandes esforços ou trabalho físico pesado, como por exemplo, levantar ou carregar objetos pesados. Médicos e obstetras recomendam carregar no máximo cinco quilos na segunda metade da gravidez. 
  • O stress e as preocupações causam tensão e podem desencadear ou piorar a dor. Portanto, o relaxamento mental também é particularmente importante durante a gravidez. Massagens ou certas formas de yoga são adequadas como suporte efetivo.
  • O movimento alivia a dor nas costas e articulações. Exercícios específicos para o fortalecimento das costas, caminhada nórdica, ciclismo, natação, hidroginástica ou ioga são particularmente adequados como desporto recreativo durante a gravidez. Também são importantes os exercícios regulares para fortalecer o solo pélvico.
  • Podem ser usadas cintas e faixas para a barriga para aliviar os músculos abdominais e traseiros.
  • À noite, coloque uma almofada de amamentação entre as pernas, deitada de lado, para aliviar os músculos e ligamentos.

Os remédios homeopáticos e a acupuntura aliviam a dor aguda

Não é recomendado o tratamento com medicamentos para dor nas articulações durante a gravidez. No caso de dor aguda grave, pode ser tomado paracetamol ocasionalmente, e somente após consulta ao médico, mas seu efeito é geralmente limitado.

Os remédios homeopáticos são inofensivos e frequentemente muito eficazes: se o movimento alivia a dor, são adequados medicamentos homeopático como o Rhus toxicodendron D12. Pelo, quando o movimento agrava a dor, o Bryonia D6 pode aliviar.

Muitos obstetras também aconselham tratamento de acupuntura a mulheres grávidas para aliviar problemas nas articulações durante a gravidez.

O que é a síndrome do túnel do carpo e como ficar bem? | Boa Pergunta

Já ouviu falar da síndrome do túnel do carpo? De nome difícil, a complicação causa dores intensas, sensação de choque e formigamento nas mãos e pode levar até à perda da função desses membros. A leitora Marta Reis Santana nos pediu para investigar mais a fundo a condição – e descobrir se é possível reverter os seus sintomas. As respostas a essas e outras dúvidas (digitar no computador causa o problema?) você conhece abaixo.

O que é

A síndrome do túnel do carpo surge a partir da compressão do nervo mediano, que passa dentro de uma estrutura batizada de – adivinhe! –  túnel do carpo. Ela fica localizada entre o punho e as mãos. Os incômodos, no entanto, podem se alastrar para os braços e até os ombros.

Sintomas

Nas mãos, dores, formigamento e sensação de choque são os mais comuns. Mas, se o problema não for tratado adequadamente, pode levar a outras complicações. “Com o tempo, a síndrome do túnel do carpo dificulta os movimentos, limitando o uso das mãos e causando atrofia”, explica Francisco Gondim, médico da Academia Brasileira de Neurologia.

Causas

Segundo o especialista, é possível que o perrengue apareça sem um fator específico. Mas há algumas questões que, se observadas com cautela e tratadas adequadamente, ajudam a evitar que a condição se instale nas mãos. E olha que a atenção deve ser redobrada entre as mulheres, mais predispostas à complicação. Eis os principais fatores de risco:

Continua após a publicidade

Como evitar?

De acordo com Gondim, prevenir a obesidade e o diabetes através de um estilo de vida saudável é chave. O diagnóstico precoce das causas da síndrome do túnel do carpo também ajuda, porque permite um tratamento adequado dos fatores de risco.

“Também é importante evitar traumas na região das mãos”, completa o neurologista. Portanto, não se esqueça dos equipamentos de segurança para, por exemplo, andar de moto ou skate.

É possível que movimentos repetitivos, como a digitação no computador, estejam por trás da síndrome. Contudo, isso ainda não foi comprovado. Por outro lado, esses gestos podem, sim, agravar dores na mão e no pulso.

Tratamento

O mais tradicional envolve o uso da órtese de punho para a região, além de injeções de corticoesteroides. O doutor enfatiza, porém, que, nas formas mais graves, é necessária a realização de uma cirurgia para aliviar a compressão do nervo mediano.

  • Artrite
  • Boa Pergunta
  • Diabetes
  • Gravidez
  • Hipotireoidismo
  • Obesidade

Síndrome do Túnel do Carpo na Gravidez

Síndrome do túnel do carpo na gravidez

Hoje vou falar da síndrome do túnel do carpo na gravidez. A gestação afeta todo o organismo da mulher e a retenção de água e o afrouxamento dos ligamentos promove inúmeras alterações articulares.

Sintomas

A síndrome do túnel do carpo é caracterizada por sensação de dormência, formigamento ou “choque” nas mãos, especialmente nos dedos indicador, médio e anular, e dor em alguns movimentos como dobrar os dedos e fechar as mãos.

Durante a gestação, os sintomas podem surgir em qualquer trimestre gestacional, mas normalmente aparecem no 5° ou 6° mês, quando há aumento do edema (inchaço) gestacional, já que a síndrome ocorre quando há compressão do nervo (mediano) que passa pelo punho, decorrente do estreitamento da região (canal) de passagem do nervo e tendões.

Geralmente os sintomas se acentuam durante a noite e diminuem durante o dia. A gestante pode sentir maior desconforto ao adormecer sobre o braço, e dor para realizar algumas atividades como abrir embalagens, segurar o volante do carro, entre outras.

O que pode ajudar?

Condutas que ajudam a reduzir o edema, como a drenagem linfática, podem aliviar os sintomas. Imobilizar a articulação do punho com tala específica, recomendada por profissional qualificado, também oferece melhora. Outros cuidados como tentar mudar de posição durante o sono, abrir e fechar as mãos e elevar as mãos também pode ajudar.

Deve-se ter cuidado com as medidas tomadas por conta própria a procura de alívio. A aplicação de calor na região, especificamente no caso das gestantes, pode agravar os sintomas, uma vez que o aumento da temperatura pode piorar o edema local.

Considerações

Na maioria dos casos os sintomas desaparecem após o parto. Caso persistam no pós-parto após a regressão do edema, deve-se procurar um ortopedista, uma vez que a síndrome pode ser decorrente de outros fatores que não o edema gestacional.

Aquelas que possuem atividades profissionais que envolvem movimentos repetitivos dos braços e mãos, assim como flexão contínua dos dedos, por exemplo, a digitação, devem estar atentas, pois tais atividades também desencadeiam os sintomas da síndrome devido a processos inflamatórios.

Para prevenir a síndrome do túnel do carpo é importante que a gestante “controle” o edema gestacional, realizando atividade física e drenagem linfática com profissionais especializados. Você pode encontrar dicas em nosso site, de exercícios que aliviem os sintomas.

  • Procure sua obstetra para maiores esclarecimentos e dicas para que possam aliviar esses sintomas tão desconfortáveis que provocam tanta dor e desconforto.
  • Ela é o profissional habilitado para isso
  • Dra Flavia de Leoni 3885 5066

Ligue para nós clicando aqui (11) 3885-5066

SÍNDROME DO TÚNEL DO CARPO E GRAVIDEZ

06/02/2017 Postado por: Dra. Venina Barros 0 Comentario(s)

 Síndrome do túnel do carpo e gravidez

            A síndrome do túnel do carpo (STC) refere-se à parestesias, hiperestesia, dor ou dormência do polegar, índice e dedos médios, como resultado da compressão do nervo mediano no túnel do carpo.

Pacientes afetados geralmente acordam com ardor, dormência e formigamento na distribuição do nervo mediano, que é bilateral em 75 por cento dos casos.

Sacudir a mão geralmente serve para aliviar o desconforto, como relatado por muitos pacientes [1]

            O diagnóstico é baseado na presença de sintomas característicos e achados objetivos e é semelhante ao dos indivíduos não grávidos.

 Fisiopatologia – A fisiopatologia da síndrome do túnel do carpo (CTS) é multifatorial. O aumento da pressão no canal intracarpiano desempenha um papel fundamental no desenvolvimento de CTS clínica

 EPIDEMIOLOGIA – CTS é uma desordem comum. A prevalência estimada de CTS na população geral é de 1 a 5 por cento. A CTS é mais frequente nas mulheres, com uma proporção entre mulheres e homens de aproximadamente 3 para 1.

  •  Fatores de risco para CTS incluem o seguinte:
  • ● Obesidade
  • ● Sexo feminino
  • ● Condições coexistentes (por exemplo, diabetes, gravidez, artrite reumatóide, hipotireoidismo, doenças do tecido conjuntivo, mononeuropatia mediana preexistente)
  • ● Predisposição genética
  • ● Inibidor da aromatase
  • O papel do uso repetitivo de mão / punho e fatores no local de trabalho no desenvolvimento de CTS é controverso.

CTS é relativamente comum durante a gravidez, com uma incidência de 2 a 35 por cento [2,3]. Em uma grande série, a gravidez representou sete por cento dos casos de CTS em mulheres entre as idades de 15 e 44 anos.

 O aumento da prevalência em mulheres grávidas é causado pelo fato da gravidez levar a retenção de líquidos levando à compressão do nervo no túnel do carpo. As alterações hormonais que afetam o sistema musculoesquelético também podem desempenhar um papel.

Isso foi demonstrado por um estudo de 76 mulheres grávidas com sintomas sugestivos de CTS: 43 por cento tinham estudos de condução nervosa anormal do seu túnel do carpo e estas mulheres eram mais propensas a ter edema do que as mulheres com estudos normais. Os sintomas tendem a ocorrer durante o último trimestre, mas podem ocorrer a qualquer momento.

 Na maioria dos casos, eles gradualmente resolvem em um período de semanas a meses após o parto; No entanto, os sintomas podem ser prolongados por vários meses em mulheres que estão amamentando.

 Em uma série de 37 mulheres seguidas prospectivamente de curto prazo a aproximadamente 12 meses após o parto, os sintomas permaneceram em 46 por cento e foram mais comuns em mulheres com início precoce da doença. Os sintomas podem ocorrer em gestações subsequentes.

As pacientes podem se beneficiar de colocando o pulso durante a noite em uma posição neutra ou ligeira extensão ou usar um pulso splint.

Injeção de corticosteróide ou cirurgia para liberar o retináculo flexor é raramente indicada durante a gravidez, uma vez que a doença tem um melhor prognóstico do que a CTS idiopática e muitas vezes resolve pós-parto.

Em um estudo prospectivo de caso-controle realizado em 45 gestantes com CTS e 90 controles (mulheres com idade igual às com CTS idiopática) que foram seguidas por três anos, a coorte de gravidez apresentou significativamente mais probabilidade de mostrar melhora nos escores de gravidade e função do que a coorte de controle (73 e 39 por cento respectivamente).

COMPARTILHAR :

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*