Como alterar propriedades de arquivo: 13 passos

Remover as informações pessoais das propriedades dos arquivos é uma forma de garantir o anonimato de alguns dados (como o computador em que o arquivo foi criado, por exemplo) e aumentar a sua privacidade ao compartilhar seus documentos com outras pessoas.

Nos passos abaixo, mostraremos como apagar os dados pessoais das propriedades de um arquivo, removendo parcial ou completamente as informações.

Passo 1. Localize o arquivo desejado, clique com o botão direito sobre ele e abra suas propriedades.

Como Alterar Propriedades de Arquivo: 13 PassosClique com o botão direito sob o arquivo e selecione “Propriedades” (Foto: Reprodução/Ramon Cardoso)

Passo 2. Na tela de propriedades, selecione a aba “Detalhes” para exibir as informações pessoais do arquivo.

Como Alterar Propriedades de Arquivo: 13 PassosAcesse a opção Detalhes (Foto: Reprodução/Ramon Cardoso)

Passo 3. Em seguida, clique em “Remover Propriedades e Informações Pessoais”, na parte de baixo da janela.

Passo 4. Agora decida se você quer criar uma cópia do arquivo antes de apagar as informações, o que é mais recomendado, ou simplesmente selecione as informações que deseja deletar. Algumas informações não podem ser removidas.

Como Alterar Propriedades de Arquivo: 13 PassosÉ possível ter uma cópia com as propriedades apagadas ou escolher o que deseja apagar (Foto: Reprodução/Ramon Cardoso)

Pronto! Agora esses dados foram excluídos dos seus arquivos.

Uma outra alternativa para remover as informações pessoais de um arquivo é hospedá-lo em algum servidor online. Ao fazer isso, geralmente todas as informações pessoais são removidas, mas pode ser que ocorra perda de qualidade no caso de imagens e do tipo de servidor utilizado.

Abrir arquivo IFC, visualizar e alterar as propriedades

Precisa abrir um arquivo IFC e procura uma ferramenta simples e gratuita? Neste artigos, vamos mostrar como abrir os arquivos IFC, visualizá-los em 3D e alterar sua geometria e propriedades de forma simples e gratuita.

Hoje, vamos ver como fazer isso com usBIM.viewer+, nosso software gratuito e certificado pela buildingSMART International. Também vamos proporcionar um útil gráfico e um vídeo guia.

Caso queira se aprofundar e manter atualizado com o tema, continue seguindo nossos conteúdos de aprofundamentos.

Abrir um arquivo IFC

Conheça os passos necessários para abrir e visualizar de forma simples um arquivo IFC com nosso software usBIM.viewer+:

  • baixe e instale gratuitamente usBIM.viewer+;
  • abra o software e clique no comando Criar documento a partir de um arquivo IFC;
  • selecione o arquivo IFC a abrir;
  • visualize o modelo e suas entidades e propriedades no 3D.

Conheça usBIM.viewer+ e baixe gratuitamente

Alterar as propriedades do modelo IFC

Com usBIM.viewer+ é possível realizar alterações às propriedades da entidades que compõem o modelo, alterando ou adicionando parâmetros.

É necessário o seguinte:

  • clique no comando Editar IFC da caixa de ferramentas, Alterar e selecione seu projeto entre os já abertos;
  • selecione as entidades cujas propriedades tem que ser alteradas;
  • selecione Editar na caixa de ferramentas Propriedades;
  • visualize as propriedades de uma entidade;
  • altere as propriedades dentro da janela dialog.

Confira uma útil infográfica mostrando os passos necessários para abrir e alterar um arquivo IFC.

Como Alterar Propriedades de Arquivo: 13 Passos

Infográfico | Abrir um arquivo IFC e alterar suas propriedades em 5 passos

Vídeo: como abrir e alterar arquivos IFC

Assista nosso vídeo mostrando os simples passos para abrir e alterar arquivos IFC.

Por que realizar alterações com um arquivo IFC?

Como já mencionamos, o IFC é um formato de dados aberto que permite a interoperabilidade entre softwares diferentes. Por não ter vínculos, esse modelo 3D, rico de informações, pode ser por aplicativos diferentes independente da empresa de software que o produziram. Com esse recurso, não admira que seja ideal para realizar alterações.

O que mais importa é a economia de tempo: em apenas poucos passos, é possível realizar alterações necessárias sem ações intermediárias.

Um outro fator fundamental é a facilidade e a liberdade de trabalho: por ser formato aberto, o arquivo IFC não está ligado a nenhum software e nenhuma versão.

Portanto, é possível utilizar o arquivo mesmo depois de anos, sem riscos de degradação do modelo e perda de dados associados.

Tudo isso é possível por meio de softwares que suportem esse formato, como usBIM.viewer+, que torna viável:

  • importar o arquivo IFC do modelo BIM, qualquer que seja o software ou ferramenta que o produziu;
  • alterar o arquivo IFC mudando objetos, apagando entidades ou adicionando propriedades às entidades que já existem;
  • exportar o arquivo IFC após o termos alterado, e compartilhá-lo gratuitamente em cloud na plataforma usBIM.platform integrada no software.
Leia também:  Como bloquear spam de telefone celular: 7 passos

Como Alterar Propriedades de Arquivo: 13 PassosComo Alterar Propriedades de Arquivo: 13 Passos

Alterando os ícones em seu Windows

O Windows é altamente personalizável, permitindo que os usuários modifiquem diversos aspectos do sistema. Os ícones não ficam de fora desta possibilidade, o que lhe permite usar imagens diversas para substituir os padrões do Windows.

Antes de aprender a customizar seus ícones, é importante saber o básico sobre o formato ICO,  a extensão de arquivo utilizada pelo Windows em seus ícones (a partir da versão Vista, o formato PNG também passou a ser suportado).

Uma imagem no formato ícone pode variar entre 1×1 e 256×256 pixels. Quanto maior esta resolução, menos o ícone perde definição quando aumentado. A partir da versão XP, o Windows ofereceu suporte para imagens de 32-bit com efeito de transparência.

Ícones quase sempre não são aplicados automaticamente

São pouquíssimos os pacotes de ícones com instalação e aplicação próprios. Quase sempre que você baixar um pacote de ícones, você vai precisar aplicá-los manualmente. Portanto, quando você baixar um pacote de ícones, se deparar com aquela quantidade de arquivos ICO e não souber o que fazer, preste atenção neste mini-guia.

No Windows XP

Se você deseja alterar ícones de componentes como “Meu Computador”, “Meus Locais de Rede” ou “Lixeira”, siga estes passos:

Clique com o botão direito em sua área de trabalho e, no menu que aparecer, clique em “Propriedades”.

Vá até a aba “Área de Trabalho” e clique em “Personalizar área de trabalho”.

Escolha o ícone que você deseja alterar e clique em “Alterar ícone”.

Clique em “Procurar”, localize a imagem desejada, selecione-a e clique em “OK”. Lembre-se que a extensão para ícone é ICO.

Para alterar um ícone de qualquer arquivo, siga estes passos:

Clique com o botão direito sobre o arquivo e, no menu que aparecer, clique em “Propriedades”.

Vá até a aba “Atalho” e clique em “Alterar ícone”.

Clique em “Procurar”, localize a imagem desejada, selecione-a e clique em “OK”. Lembre-se que a extensão para ícone é ICO.

No Windows Vista

Para modificar ícones de componentes como “Computador”, “Rede” ou “Lixeira”, siga estes passos:

Clique com o botão direito do mouse sobre a área de trabalho e, no menu que aparecer, clique em “Personalizar”.

No canto superior esquerdo, clique em “Alterar ícones da área de trabalho”.

Na parte de cima da tela que aparece, defina quais atalhos você deseja exibir no desktop. Na parte de baixo, escolha um desses ícones e clique em “Alterar ícone”.

  • Clique em “Procurar”, localize a imagem desejada, selecione-a e clique em “OK”.
  • Para alterar o ícone de outros arquivos ou pastas, siga estas instruções:
  • Clique com o botão direito sobre o arquivo ou a pasta e, no menu que aparecer, clique em “Propriedades”.
  • Vá até a aba “Atalho” e clique em “Alterar ícone”.
  • Clique em “Procurar”, localize a imagem desejada, selecione-a e clique em “OK”.

No Windows 7

Mudar os ícones de pastas, discos e arquivos no Windows 7 é fácil e o processo é quase igual ao dos seus antecessores. Para mudar as imagens da Área de trabalho, primeiro clique com o botão direito do mouse em uma área vazia da tela. No menu que aparece com essa ação, clique na última opção, “Personalizar”.

A tela aberta tem as configurações de personalização de tela. Clique em “Alterar ícones da área de trabalho”, link que se encontra na lateral esquerda da janela.

As opções agora são bastante semelhantes com o Windows XP e Vista. Escolha o item que deseja modificar e clique em “Alterar ícone”. Pronto, escolha o seu preferido e clique em “OK”.

Para demais ícones, como pastas e drives, clique com o botão direito sobre o diretório desejado, e em seguida selecione a opção “Propriedades”. Nessa janela, abra a aba “Personalizado” e clique no botão “Alterar ícone”. Pronto!

Leia também:  Como armazenar bananas: 14 passos (com imagens)

Como mover e salvar os arquivos do usuário em outra partição do HD?

Sempre que falamos em arquivos e backup, entramos em um campo delicado, pois muitos deles são essenciais para nossas carreiras, estudo e até mesmo para relembrar momentos de nossas vidas.

Deste modo procuramos trazer algumas dicas para facilitar a vida do usuário quanto a segurança destes arquivos.

É aconselho sempre se manter um backup atualizado tanto na nuvem como em um dispositivo externo, porém caso isso não seja possível, aconselhamos a dividir o seu HD em partições, para que os arquivos fiquem separados do sistema. Nós ensinamos a fazer em tutorial aqui mesmo. (Como particionar um disco rígido sem formatar o HD?)

Bom, agora vamos ensinar a como salvar os arquivos nestas partições ou em outro HD automaticamente, sem mudar nada na maneira de utilizar o windows, apenas o local de armazenamento destes arquivos, o que proporciona mais comodidade e segurança para o usuário, até mesmo na hora de realizar a manutenção do computador.

Os passos são os seguintes:

1 – Na barra de pesquisa do windows procure por “Meu Computador”.

2 – Na janela do “Meu Computador” irão aparecer os discos instalados e já particionados no computador, por padrão o Usuário se encontra no Disco Local (C), acesse o disco e identifique a pasta Usuários.

3 – Dentro da pasta Usuários, identifique o usuário que você deseja mover.

4 – Neste passo repita o procedimento em todas as pastas do usuário que deseja mover. Clique com o botão direito e vá em propriedades.

5 – Nas propriedades procure por “Local” esteja ciente do disco que deseja mover a pasta, renomeie o caminho apenas alterando a letra do disco. (Ex: Disco local (F)) Após clique “OK”.

6 – Duas janelas irão abrir, questionando se deseja mover o local da pasta e se deseja que os arquivos sejam movidos juntamente. Nas duas opções selecione “SIM”.

7 – Os arquivos serão movidos e o procedimento está completo, basta apenas repeti-lo para as demais pastas.

Agora seus arquivos estão em uma partição diferente da do seu sistema operacional, evitando assim que alguem erro no mesmo possa causar alguma perda, mas lembrando que é sempre válido um backup destes arquivos para um dispositivo externo. Afinal, ninguém quer perder aquela foto que marcou nossa vida para sempre não é?

Primeiros passos no HTML5, JavaScript e CSS3

Este artigo apresentará alguns dos recursos trazidos pelas tecnologias HTML5, JavaScript e CSS3. Dentre os recursos abordados estão: campos de dados, validação de formulário, armazenamento de dados com JavaScript, efeitos de texto e bordas redondas com CSS3.

Este tema é útil a todos os desenvolvedores que desejam conhecer melhor as novidades das tecnologias client-side que vão revolucionar a maneira de desenvolver aplicações atraentes e interativas para a web.

Este artigo introduzirá os recursos das tecnologias HTML, JavaScript e CSS sendo estudados numa abordagem prática.

O objetivo das versões das tecnologias tratadas é facilitar a compreensão e manutenção do código, dar suporte a conteúdos que anteriormente só eram apresentados com plug-ins adicionais (vídeos, por exemplo) e auxiliar o desenvolvimento web baseado em padrões compatíveis com todos os tipos de dispositivos.

Através dos anos a internet passou por inúmeras mudanças. Os primeiros web sites que surgiram continham apenas conteúdo estático, ou seja, eram constituídos por páginas HTML expondo somente textos, imagens e links (sem muita interação com o usuário).

Leia também:  Como bloquear um programa pelo firewall do windows

Relacionado: Carreira Programador Front-end

A necessidade de mais dinamismo nas páginas web culminou na criação do JavaScript, que chegou ao mercado em 1996. Com esta tecnologia foi possível mais interação nas páginas, uma vez que o JavaScript possui recursos como manipulação de conteúdos, elementos e eventos HTML.

Também em 1996 surgiu a primeira versão do CSS, uma linguagem de estilo utilizada para definir a apresentação de documentos HTML e XML. Seu principal benefício é separar a aparência do conteúdo de um documento.

Assim, ao invés da formatação ficar dentro do documento HTML, neste haverá apenas uma ligação para o arquivo CSS, que contém os estilos.

Deste modo, várias páginas podem utilizar o mesmo arquivo de formatação, e quando o programador quiser alterar a aparência do site, é necessário modificar apenas um arquivo.

Apesar dos vários recursos e funcionalidades do JavaScript e pelo CSS, ainda havia algumas deficiências. Por exemplo, devido às limitações das primeiras versões do HTML, não existia o suporte à apresentação de vídeos, e criar aplicações visualmente ricas ainda não era possível.

Para suprir tais deficiências, comumente se faz uso de plug-ins como o Adobe Flash.

Porém, com o intuito de não depender de plug-ins externos para tais tarefas, facilitar a manutenção e compreensão, e auxiliar o desenvolvimento web baseado em padrões compatíveis com todos os dispositivos, surgiu o HTML5 e o CSS3.

O HTML5 inclui novas tags que fornecem suporte a arquivos de vídeo e áudio, tipos de campos de dados, validação de formulários e outros recursos que veremos no decorrer do artigo.

Também há novidades em sua API JavaScript, dentre elas, a possibilidade de salvar dados no computador do usuário de forma mais segura e rápida do que usando cookies.

Já o CSS 3 possui uma série de recursos visuais para incrementar a aparência de suas aplicações.

Curso: O que é HTML?

Apesar do HTML5 e do CSS3 ainda estarem em desenvolvimento, as versões recentes dos navegadores mais populares já incorporam muitas das novas funcionalidades. Para testar o suporte de seu navegador, você pode acessar o site: http://html5test.com.

Curso: O que é CSS?

Com a finalidade de demonstrar um pouco dessas novidades, no decorrer deste artigo serão abordados recursos do HTML5, JavaScript e CSS3.

Para isso, o conteúdo foi dividido quatro seções: a primeira seção trata de HTML5 e JavaScript, a segunda aborda CSS3, a terceira demonstra como configurar o ambiente de desenvolvimento para uma aplicação Java para web e, a última seção apresenta o HTML5 integrado em um sistema web Java.

Como este artigo é focado nas tecnologias utilizadas no desenvolvimento web do lado cliente (parte da aplicação que roda no navegador), é importante conhecer melhor o papel de cada uma para um melhor entendimento dos assuntos tratados nas próximas seções.

Essas tecnologias se dividem em:

  • Marcação: trata-se da linguagem de marcação HTML, responsável por definir o que representa cada conteúdo em uma página e criar as ligações (links) para outros conteúdos;
  • Apresentação: refere-se à tecnologia CSS, que é uma linguagem de estilo utilizada para definir a aparência de documentos escritos em HTML. Como já mencionado, seu principal benefício é prover a separação entre o formato visual e o conteúdo de um documento;
  • Comportamento: trata-se do JavaScript, utilizado para trazer mais dinamismo às páginas web através de recursos como controle de eventos, manipulação de elementos DOM e seus conteúdos, entre outras funcionalidades.

O HTML5 vem para revolucionar a maneira de se programar para web, com novos recursos que antes só eram disponíveis utilizando outras tecnologias. Sua finalidade é trazer suporte para os mais recentes tipos de multimídia e mantendo uma sintaxe legível, consistente e também bem compreendida por computadores e outros dispositivos.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*