Como agir de forma séria: 15 passos (com imagens)

Oferecer um ambiente para homens – seja um espaço dentro do salão ou fora dele – é um dos atrativos para a clientela que preza pela qualidade do serviço e discrição.

Essa não é a única razão para muitos profissionais investirem no segmento de barbearia. Os homens estão ficando mais vaidosos e o look lenhador também demanda uma procura maior por especialistas para cuidar dos fios da barba.

Selecionamos dez dicas para quem quer investir no ramo e prosperar em seu empreendimento.

Como Agir de Forma Séria: 15 Passos (com Imagens)

1 – PLANEJE BEM
Antes de investir, relacione todas as vantagens e desvantagens e qual a verba destinada ao projeto. Depois, pense na localização ou se será uma ampliação do espaço que já possui.

Em ambos os casos, é preciso considerar gastos com reformas, material de construção e mão de obra qualificada, além dos equipamentos e móveis profissionais. Considere ainda preço de aluguel, condomínio, visibilidade do ponto, se há estacionamento e concorrentes na região.

De acordo com o Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas), a localização é determinante para o sucesso e também responsável pelo fechamento da empresa em menos de quatro anos.

“Se o ponto é em bairro mais chique e a proposta é ser simples, as chances de não dar certo são grandes”, alerta Ana Roberta Amarante, consultora de projetos do Sebrae (SP).

2 – CUIDE DA BUROCRACIA
Registre a empresa e sua marca e contrate um contador. O primeiro passo é escolher o nome e verificar na Junta Comercial ou no Cartório de Registro de Pessoa Jurídica de seu município se já está no domínio de outra pessoa. Vale, ainda, patentear a grife no Instituto Nacional de Propriedade Intelectual.

Entre os documentos que precisará para abrir firma estão cópias autenticadas de RG e CPF dos sócios, contrato social, capa de registro na Junta Comercial ou cartório, ficha de cadastro nacional e pagamento de taxas.

É importante, ademais, ter um alvará de funcionamento, obtido na prefeitura, administração regional ou na Secretaria Municipal da Fazenda mediante apresentação de laudo de vistoria.

3 – DEFINA A ESTRUTURA

Como Agir de Forma Séria: 15 Passos (com Imagens)

O tamanho físico varia muito de acordo com os serviços ofertados e com a sofisticação do ambiente, porém, saiba que 33 m² é o espaço mínimo necessário para uma barbearia, sem recepção, mas com área para poltronas de espera, um banheiro de 4 m² e depósito de materiais isolado por divisória, com 2 m².

Pense na possibilidade de colocar um aparelho de TV ou música ambiente, uma iluminação apropriada ao tratamento, quatro cadeiras básicas de barbeiro, um lavatório, armários e acessórios em geral, espelhos fixos e de mão e linha telefônica.

Dependendo da sofisticação do ambiente, integre com máquina de café, frigobar e sistema de ar-condicionado. Para cada assento, é necessário ter uma máquina de cortar cabelo, uma tesoura de corte e outra de desfiar, uma escova, um pente, uma navalhete, aventais e toalhas.

A sugestão do Sebrae é o dono trabalhar em um deles e os outros três deixar com profissionais comissionados que recebem 50% do valor do tratamento prestado e ainda trazem sua cartela de clientes.

4 – INVISTA COM CAUTELA
“Os custos para montar uma barbearia pequena, em bairro, giram em torno de R$ 50 mil, sem contar os pré-operacionais para a constituição da empresa, despachante, contador, reforma e adequação do imóvel”, alerta a consultora do Sebrae.

É importante, ainda, ter um capital de giro para suportar oscilações de movimento. Esse valor varia conforme prazos médios de fornecedores, estocagem e o concedido a clientes, como parcelas para pagamento. Estima-se em torno de 15% do montante investido.

Ademais, há que se avaliar os gastos mensais, que envolvem salários, encargos e comissões, aquisição de insumos, tributos e impostos, aluguel, taxa de condomínio e segurança, água, luz, telefone e internet, manutenção e produtos de higiene e limpeza, assessoria contábil e publicidade e propaganda.

Algo em torno de R$ 11 mil, conforme tipo e porte do estabelecimento.

Como Agir de Forma Séria: 15 Passos (com Imagens)

5 – CRIE NOVOS SERVIÇOS
Para se destacar no mercado, é preciso trazer um diferencial, algo que agregue valor e que o cliente reconheça ser uma vantagem competitiva. “O homem está mais vaidoso e criar opções diferentes é uma boa ideia para aumentar o giro de dinheiro, como colocar manicures e esteticistas”, afirma Ana Roberta Amarante.

Limpeza de pele, coloração e hidratação de fios, podologia e até depilação estão entrando na lista de itens procurados por eles em espaços exclusivamente masculinos. O mesmo vale para a venda de cosméticos específicos para os meninos. “Mas diferentemente das mulheres, eles são fiéis, não compram por impulso e estão mais atentos a preços, consultando na internet.

A economia tem de valer a pena”, lembra a consultora.

6 – ATRAIA A CLIENTELA
Engana-se quem pensa que basta abrir as portas para as pessoas aparecerem do nada. É preciso saber vender o peixe e investir em divulgação para construir uma imagem positiva e tornar conhecidos os serviços oferecidos.

“Cinco atitudes de mesmo peso são diferenciais para o sucesso: a técnica e a mão de obra devem ser qualificadas, incluindo também a ambientação; organizar uma boa gestão financeira e controlar o capital de giro; ter visão de 360 graus, liderando, administrando e lidando com egos de profissionais e clientes; divulgar o trabalho, seja por panfletos, nas redes sociais ou em anúncios; e se capacitar com frequência, realizando cursos, observando o mercado e as tendências nacionais e internacionais”, acrescenta Ana Roberta Amarante.

Como Agir de Forma Séria: 15 Passos (com Imagens)

7 – SEJA DIFERENTE
Vale a pena investir em tecnologia e amenities para se destacar neste mercado, como fez a Barbearia Sport Club (SP). “Eu tive um salão feminino e me incomodava ver o tratamento que os homens recebiam, sem privacidade.

Assistir a um jogo de futebol, nem pensar! Tentei muitas vezes mudar isso, mas sem sucesso”, comenta Marcel Castro, sócio-proprietário que abriu a primeira unidade há quase dois anos. Televisores ligados em esportes em geral e videogames liberados são alguns dos atrativos que eles adoram.

Isso sem contar o bar, com muitos rótulos de cervejas artesanais, nacionais e importadas, e um food truck na porta aos sábados, dia de maior movimento.

8 – APOSTE NA FRANQUIA
O investimento vale se sua ideia é ter um nome forte e consultoria constante. “A franquia facilita a vida do empreendedor que não conhece a área.

Damos diretrizes em todos os aspectos, minimizando os riscos e sendo o mais assertivo possível”, explica o empresário Marinaldo de Oliveira, proprietário da Barbearia Bar (SP). O suporte inclui localização de bons pontos comerciais, contratação de profissionais qualificados e questões legais.

O investimento para uma loja pequena, de 50 m², é de R$ 120 mil, com valor da franquia de R$ 30 mil. “O capital de giro de uma pequena é de mais R$ 30 mil, com retorno estimado entre 12 e 24 meses”, acrescenta. Entre os mimos estão uma tulipa de chope artesanal e café gourmet.

“A vantagem é o know-how, mas é preciso estar atento ao contrato, que não pode ser abusivo, e verificar se a empresa entrega o que promete. Analise se existe mais de um franqueado e se estão no mercado há pelo menos três anos, além de avaliar o histórico e o conhecimento a ser compartilhado”, alerta a consultora do Sebrae.

Como Agir de Forma Séria: 15 Passos (com Imagens) 

9 – SAIA DO COMUM

Observar o mercado e agir na hora certa também é um dos passos para o sucesso. O hairstylist Lincoln Tramontini (PR) notou a crescente demanda desse mercado e investiu em uma barbearia dentro de seu salão.

“Eu tinha duas unidades e, para me antecipar e não ser pego pela crise, resolvi diminuir custos fechando uma delas e ampliando a matriz”, conta. Em um ano e três meses, viu sua clientela masculina subir 30% e se arrepende de não ter destinado um espaço maior.

“Hoje o homem tem muita informação de moda, se cuida e, no ambiente, pode ficar à vontade tomando sua cervejinha e comendo amendoim”, afirma o expert, que em breve deve aumentar ainda mais o lugar. O barbeiro Anderson Santos também ousou ao abrir sua barbearia dentro de uma loja de cuecas na rua mais badalada de São Paulo, a Oscar Freire.

“Eu estava negociando um ponto no quarteirão mais masculino da rua, mas acabei perdendo para a Casa das Cuecas. Resolvi, então, conversar com o dono para ver se ele não dividiria comigo. Deu certo. Ele me ofereceu metade da casa e a junção das duas frentes traz clientes para ambos.

Quer item mais necessário para o homem do que underwear?”, brinca. Anderson ainda montou outro lugar menor, dentro do showroom da Audi, na mesma rua. “Fiz uma ação lá como parte do Dia dos Pais. Eles gostaram tanto do resultado que pediram para ficar em definitivo”, acrescenta.

10 – FAÇA PARCERIAS
Uma aliança de força é unir marcas de cosméticos aos serviços para barba, cabelo e pele. “A grande vantagem da sociedade entre grife e profissional é a credibilidade que um empresta ao outro. O barbeiro é o maior aliado da empresa de produtos masculinos no momento de decisão da compra.

Já o trabalho dele é endossado por ela, o que lhe confere prestígio e visibilidade”, comenta Felipe Machado Barbosa, sócio da Barbearia Man Lab, que fica dentro do Maksoud Plaza, hotel tradicional de São Paulo.

“Abrimos o ponto com capital próprio e os mesmos empresários da marca da loja on-line de cosméticos masculinos Man Lab, selecionando barbeiros em um criterioso processo. Isso foi fundamental para traduzir o conceito do virtual em ambiente que oferece serviços no mundo real”, completa. O mesmo fez a Dr.

Leia também:  Como baixar o roblox: 15 passos (com imagens)

Jones, que instalou uma barbearia dentro da casa de moda masculina HEMB, em Porto Alegre (RS). “O homem mudou e não é mais o mesmo de 50 anos atrás. Ele busca produtos e tratamentos de qualidade, específicos e que realmente funcionem. Fizemos uma pesquisa mercadológica e conceitual para entender as necessidades e preferências dos consumidores.

Foi um período de quase seis meses até a inauguração. A ideia é expandir os negócios nos associando a barber shops já existentes e lançar novas no mercado”, avalia o empresário André Popoutchi, sócio-diretor da Dr. Jones.

Texto: Katia Deutner (edição de web: Patricia Santos)
Fotos: Shutterstock e Pixabay

Marketing Pessoal: o que é, objetivos e 14 dicas essenciais

O conceito de Marketing Pessoal costuma ser associado com o trabalho freelancer e autônomo, pois esses profissionais precisam conquistar novos clientes de maneira constante. Para isso, é necessário estabelecer uma marca que não só os represente, mas também faça o mercado reconhecê-los como autoridade na área em que desempenham suas funções.

Porém, o Marketing Pessoal pode beneficiar qualquer profissional. Neste artigo, vamos explicar o que isso quer dizer e 14 dicas essenciais para colocar seu Marketing Pessoal em prática. Confira!

O que é Marketing Pessoal?

Marketing Pessoal é uma estratégia usada para fortalecer a imagem e a reputação de um profissional por meio da promoção pessoal. É uma ferramenta que transforma quem a utiliza em referência ou autoridade ao influenciar outras pessoas estrategicamente.

  • Ele envolve trabalhar diversos conceitos e técnicas — como produção de conteúdo e posicionamento — de modo a criar uma imagem diferenciada, influente e de autoridade.
  • O Marketing Pessoal explora características como as habilidades de um trabalhador, suas experiências, a capacidade que ele têm de fazer networking e de promover a sua atuação em novos canais como a internet.
  • Algumas das técnicas mais comumente utilizadas por esse tipo de Marketing envolvem a criação de conteúdo, a participação constante em redes sociais e a publicação de currículos e portfólios online.

O principal objetivo de quem faz Self Marketing é construir argumentos para a própria contratação. Por isso, podemos afirmar que esse tipo de estratégia não se limita aos profissionais que atuam sozinhos, como freelancers e autônomos.

Quem busca um emprego CLT pode ver-se obrigado não apenas a desenvolver um CV cheio de competências e formações que o destacam, mas também a argumentar sobre por que sua contratação é uma boa ideia.

Nota do editor: Para facilitar a sua vida, pedimos ajuda ao nosso time de designers para desenvolver vários modelos de currículo. Escolha qual você prefere e atualize o seu agora mesmo!Como Agir de Forma Séria: 15 Passos (com Imagens)Powered by Rock Convert

Qual a importância de um bom marketing pessoal?

A qualificação dos profissionais no Brasil e no mundo cresceu bastante nos últimos anos. Segundo o último Censo do IBGE, o percentual de pessoas formadas no país subiu de 4,4 para 7,9%. Isso ainda é pouco em comparação com países de primeiro mundo, entretanto, é o suficiente para tornar o mercado de trabalho brasileiro muito mais competitivo.

Dependendo da área de atuação ou da região, esses percentuais podem ser ainda maiores. No Distrito Federal, por exemplo, cerca de 17,6% dos profissionais tem ensino superior completo. A nova geração que entrará no mercado de trabalho nos próximos anos deve continuar a elevar esses números.

Em 2000, apenas 77,4% dos adolescentes estavam na escola, e chegamos ao percentual de 83,3% em 2010. A maioria desses alunos já está na faculdade agora e aumentará a qualificação exigida pelas empresas (e clientes) na hora da contratação.

Mas o que isso tem a ver com Marketing Pessoal? Quando o acesso à universidade cresce, o perfil de quem se forma na faculdade influencia bastante na capacidade que essas pessoas têm de conseguir um emprego. Como a maioria dos nossos formandos se concentra em áreas similares, eles descobrem que há um espaço limitado para as funções que exercem.

Segundo Hélio Zylberstajn, economista e professor da Universidade de São Paulo, ao cruzar os dados dos Censos notamos que não há cargos o suficiente para o número de diplomas que atingimos. Marketing Pessoal torna-se, então, um fator crucial na empregabilidade.

Para que serve o Marketing Pessoal?

Para falar sobre os benefícios que o Marketing Pessoal pode trazer para quem investe nele, vamos mostrar quais resultados outros profissionais já conseguiram e como eles podem fazer com que você consiga empregos melhores, clientes que pagam mais e um fluxo de trabalho constante.

Atrair atenção para seu trabalho

Conquistar espaço no mercado de trabalho é mais fácil quando você consegue atrair atenção para aquilo que faz. Você sabia que 70% dos empregadores conferem as redes sociais dos candidatos antes de contratá-los?

Se o seu perfil não consegue demonstrar suas qualificações ou se você não tem nenhuma informação publicada na internet, pode ser visto com suspeição. É isso que informam os recrutadores que participaram da pesquisa do CareerBuilder.

Só é possível atrair atenção para o seu trabalho se ele está acessível e é uma das suas prioridades ao publicar na internet. Por isso, pense bem antes de publicar nas redes sociais e imagine como um empregador veria cada uma das suas postagens.

Listamos nossos principais conteúdos sobre ferramentas para impulsionar seu trabalho como freelancer ou autônomo! Confira! ???? • Portfólio: o que é, como fazer e exemplos para criar um portfólio • Bullet Journal: o que é e o passo a passo de como fazer o seu • Como usar o Guiabolso: veja como funciona esse aplicativo de finanças • Hotmart: o que é e como funciona ganhar dinheiro com infoprodutos • Monetizze: o que é e como funciona essa plataforma de infoprodutos • Eduzz: como fazer o cadastro e lucrar com o programa de afiliados

Mostrar como você aplica suas competências

Os portfólios são uma chance para mostrar como você aplica as suas competências no dia a dia. Longe de serem um canal apenas para mostrar resultados, eles são uma oportunidade de demonstrar o processo de criação de um projeto como um todo.

Não tenha medo de mostrar rascunhos e deixar claro como uma ideia se desenvolveu. É isso que a maioria dos recrutadores quer saber ao conferir seus trabalhos do passado.

Quando um contratador conhece a sua maneira de trabalhar antes mesmo de chamá-lo para uma reunião ou entrevista, você tem mais poder de negociação.

Conquistar a confiança dos clientes e empresas

Construir uma reputação para si mesmo também é imprescindível para conquistar a confiança dos clientes. A Harvard Business Review publicou um estudo sobre o quanto as pessoas estão propensas a enviar dinheiro para um completo estranho.

  1. O critério utilizado para motivar os doadores seria o fato de que quem recebesse o montante o triplicaria e, em seguida, investiria em outra pessoa, que faria o mesmo.
  2. Apenas essa informação já foi o suficiente para aumentar a taxa de confiança dos pesquisados, o que quer dizer que, quando sabemos o que alguém fará com o nosso dinheiro, estamos mais propensos a confiar nessa pessoa.
  3. O Marketing Pessoal oferece os recursos necessários para garantir as suas habilidades e construir um relacionamento com o consumidor, no qual ele tenha certeza dos resultados que obterá ao contratá-lo, tornando-o mais propenso a fazê-lo.

Como fazer o seu Marketing Pessoal?

Para desenvolver qualquer plano de Marketing, seja ele pessoal ou não, é preciso identificar primeiro que tipo de qualificações você tem e como elas podem ser utilizadas pelo mercado de trabalho.

Aplicando técnicas como a definição de visão, missão e valores e a utilização da matriz SWOT para entender como se pode competir com outros profissionais, dá para planejar o seu Marketing Pessoal e criar uma estratégia excelente para divulgá-lo. Veja!

1. Identifique sua missão, visão e valores

Para trabalhar como uma marca, é preciso definir parâmetros que lhe posicionem tal qual uma. Missão, visão e valores vão lhe orientar nesse sentido.

A missão é composta pelos motivos que lhe movem e aquilo que pretende entregar para os clientes. Ela norteia a estratégia de um negócio ou pessoa para deixar os objetivos dela explícitos.

Uma visão, por sua vez, é um planejamento de longo prazo. Onde você pretende estar em alguns anos e que papel planeja ter como profissional ao chegar lá? Os valores são o que orienta a sua postura profissional e funcionam como alicerces de um bom Marketing Pessoal.

Utilizar esses parâmetros lhe fará entender que mensagem você precisa passar para conquistar clientes.

Nota do editor: A Roda da Vida é a ferramenta perfeita para você fazer uma análise de autoconhecimento de seus principais valores. Acesse e passe a se conhecer melhor! ????Como Agir de Forma Séria: 15 Passos (com Imagens)Powered by Rock Convert

2. Pratique o autoconhecimento com a Matriz SWOT

O Marketing Pessoal pode utilizar todos os elementos da matriz SWOT para se guiar. Forças, fraquezas, ameaças e oportunidades são sempre úteis quando é necessário definir um planejamento de Marketing.

Faça uma lista com aquilo que o coloca à frente da competição, os problemas que pode enfrentar para conseguir espaço no mercado, o que ainda não faz bem e os nichos em que pode atuar para amplificar seus resultados.

A matriz lhe ajudará a entender que tipos de qualificações devem ser obtidas para se tornar um profissional completo, quais empresas precisa abordar para concretizar seus objetivos e o que deve listar como argumento para a sua contratação.

Leia também:  Como agir perto do seu namorado (com imagens)

Nota do editor: Tudo funciona melhor ao ser colocado no papel. Acesse o Planner 2019 e comece a fazer o planejamento do seu Marketing Pessoal agora mesmo!Como Agir de Forma Séria: 15 Passos (com Imagens)Powered by Rock Convert

Agora que você já sabe o que é preciso para criar um bom plano de Marketing para si mesmo, vamos para os próximos passos que te ensinarão como colocar a estratégia em prática!

3. Navegue bem pelas redes sociais

As redes sociais são uma oportunidade para fazer Marketing acessíveis a todos os profissionais. Ganhar destaque nelas depende apenas de entender como funcionam e fazer um bom trabalho. Uma marca maior pode até ter mais visibilidade ao ingressar na internet, entretanto, a sua pode se destacar por conteúdo de alta relevância, e logo passar um concorrente que dispõe de mais recursos.

Como o custo de promover-se nas redes sociais é muito menor do que aquele necessário para fazer um anúncio tradicional, profissionais encontram na web oportunidades de fazerem suas marcas pessoais crescerem.

Nota do editor:

Quatro passos para analisar o seu peso e agir perante os resultados

1.º Olhe-se ao espelho

Enfrente o espelho e observe em que zonas do seu corpo é que está localizada a gordura.

Vários estudos indicam a relação da distribuição da gordura corporal com o desenvolver do risco de doença cardiovascular, o aparecimento da diabetes, os problemas respiratórios ou mesmo os osteoarticulares.

Classificação da deposição do excesso de massa gorda

Classifica-se então a deposição do excesso de massa gorda em duas formas:

Ginoide (“Forma de Pera”), onde a acumulação da gordura é na zona das ancas e coxas, e é mais comum nas mulheres.

Androide (“Forma de Maçã”), é mais comum nos homens, e a gordura é concentrada na área abdominal. É a zona onde temos maior risco de desenvolver patologias, pois é aí que se encontram muitos dos nossos órgãos (coração, fígado, pâncreas, pulmões, estômago).

Portanto, quando a famosa “barriga de cerveja” dá sinais de vida temos de nos preocupar, pois alguns centímetros a mais pode influenciar no aparecimento de várias patologias.

2.º Saiba as suas medidas

Valores de referência para o perímetro da cintura. Clique na imagem para ver a tabela em formato PDF

Depois de observar o seu corpo, pegue numa fita métrica e meça os seus perímetros. O perímetro da anca (pela zona de maior circunferência à volta das nádegas, pés juntos, e musculatura descontraída), e o perímetro da cintura (pela linha do umbigo, perpendicular ao chão, após expiração normal). Calcule o rácio cintura/anca, o qual deve ser inferior a 0,85 nas mulheres e a 1 nos homens. Para o perímetro da cintura temos os valores de referência, que identificam se nos encontramos numa “zona de risco” ou não (tabela n.º 1).

3.º Conheça o seu IMC

O Índice de Massa Corporal (IMC) é um método analítico que permite uma avaliação da composição corporal de uma forma indireta. Este expressa a relação com o peso (kg) e a altura ao quadrado do indivíduo (m).

Após calcular o seu resultado, verifique em que patamar, da tabela n.º 2, é que se encontra (apenas direcionada para adultos).

Classificação do Indíce da Massa Corporal (IMC).Clique na imagem para ver a tabela em formato PDF

O IMC é então um indicador geral de gordura corporal, pois pode subestimar, por exemplo, pessoas muito musculadas, dado que os músculos pesam mais que a gordura, tal como, também podemos encontrar indivíduos com peso normal e com excesso de massa gorda. Assim, é fundamental conhecer o item nº4.

4.º Percentagem de massa gorda

Para a medição da percentagem da massa gorda presente no seu corpo é necessário que possua uma balança de bioimpedância ou então desloque-se a uma farmácia.

Esta balança consiste na passagem de uma corrente elétrica de baixa intensidade (impercetível) através do corpo.

Os tecidos magros (sem gordura) são altamente condutores por conterem grande quantidade de água e eletrólitos, sendo um meio de baixa resistência elétrica.

A gordura e os ossos são maus condutores, oferecendo maior resistência elétrica. Quanto maior a quantidade de água contida no corpo, mais facilmente a corrente elétrica irá passar.

O importante é ser sempre a mesma balança, pois a precisão e o modo de calibração diferem dentro dos vários modelos. Pese-se de preferência pela manhã, de bexiga, intestinos e estômago vazios, e despida, ou com muito pouca roupa, sendo suficiente uma vez por mês (não se torne obsessiva).

Valores de Referência para a Percentagem de Massa Gorda.Clique na imagem para ver a tabela em formato PDF

Recorde-se que não existe um valor exato, mas sim um intervalo saudável, logo verifique na tabela n.º 3 onde se situa.

Comece ontem

Agora que já sabe como avaliar corretamente o seu peso e (indiretamente) a sua saúde, aconselho uma gestão da mesma mensalmente, anotando e guardando religiosamente todos os dados só para si (veja em anexo o “Confidencial”).

Começar uma dieta é um dos muitos desejos pedidos para o ano novo. Se esta intenção estiver na sua lista de 12 desejos para 2011, por que não começar já a fazer a análise que proponho? Lembre-se da frase de Giovani Boccaccio: “Mais vale agir na disposição de nos arrependermos do que arrependermo-nos de nada termos feito”.

Se tem dúvidas ou quer sugerir temas, pode contactar Neide Rangel através deste endereço: [email protected]

Cinco passos para escrever um bom texto dissertativo

A todo momento, estamos em contato com a leitura e a produção de textos, desde um breve comentário em uma rede social até textos jornalísticos, acadêmicos, romances etc.

É por isso que, na escola, a disciplina de Redação/Produção de textos deve objetivar, sobretudo, o desenvolvimento das habilidades e competências linguísticas para que os alunos transformem-se em sujeitos capazes de se colocar no mundo na e pela linguagem.

  • Sabemos que escrever um bom texto pode não ser uma tarefa fácil, já que, além de conhecimentos sobre os mecanismos linguísticos necessários para a construção do texto, é preciso que o autor considere o seu interlocutor e de que maneira deve levar a sua mensagem até ele.
  • Pensando nisso, selecionamos cinco passos para você escrever um bom texto dissertativo de qualquer gênero discursivo que tenha o objetivo de transmitir uma mensagem/ideia/informação, argumentar e/ou convencer alguém.
  • 1) Ler e compreender a proposta de redação

Geralmente, para que o trabalho dos alunos seja bem orientado, os professores têm o hábito de preparar uma proposta de produção escrita/redação com os critérios que devem ser seguidos.

Como as propostas de redação não são iguais, a primeira coisa a se fazer é compreender os comandos da atividade, ou seja, entender o que e como deve ser realizada.

Dessa forma, antes mesmo de iniciar o rascunho, reflita:

  1. a) Qual o tipo de texto e/ou gênero discursivo sugerido na proposta de redação?
  2. b) Sobre qual assunto/tema devo escrever?
  3. c) Há textos motivadores sobre o tema para que eu possa ler e inspirar minha escrita?

→ Caso a proposta de redação não apresente uma coletânea com textos motivadores sobre o assunto, busque dois ou três textos que possam esclarecer algumas informações e deixá-lo a par do assunto/tema.

Para que possamos escrever sobre qualquer assunto, sobretudo com a difícil missão de deixar os interlocutores/leitores bem informados, é imprescindível que conheçamos os principais fatos e opiniões a respeito do assunto/tema.

  • d) Durante a leitura dos textos motivadores, sublinhe as ideias centrais de cada parágrafo e as informações mais relevantes para que possa inseri-las em seu próprio texto. Após a seleção de informações, vamos para o segundo passo:
  • 2) Para escrever qualquer tipo de texto, o autor deve considerar as suas condições de produção. Para isso, o autor do texto deve responder às seguintes perguntas:
  • a) O que dizer?

→ Trata-se do assunto/tema sugerido na proposta de redação.

Lembre-se de que, como o espaço de linhas, geralmente, é pequeno (em média, 20 a 30 linhas), você deve fazer um “recorte” no tema, isto é, como não é possível falar sobre tudo que o cerceia, enfatize apenas as principais informações/fatos.

Caso a proposta de redação sugira o tema “A política no Brasil”, por exemplo, opte por atribuir maior ênfase a um período histórico, ou a uma região do Brasil, ou à corrupção, ou ao sistema eleitoral, ou àdemocracia, e assim por diante.

  1. b) Por que dizer?
  2. → É sempre bom que o autor justifique a escolha do tema e informe ao leitor quais foram os motivos que o levaram a escrever sobre o assunto/tema e levá-lo à reflexão por parte dos leitores.
  3. c) A quem dizer?

→ É essencial que o locutor (autor do texto) considere quem é o seu interlocutor.

Isso porque as relações que estabelecemos com as pessoas, bem como o local (instituição) onde a interação verbal ocorre, determinam o que eu posso ou não dizer e como isso deve ser feito.

Por exemplo, dar uma notícia ruim a um familiar/amigo é bastante diferente de darmos a mesma notícia a quem não conhecemos e não mantemos vínculos de afetividade.

É preciso que o autor observe o nível de formalidade, a faixa etária, a posição social, o cargo ocupado e a profissão do interlocutor. Dependendo do nível de formalidade, é necessário observar também os pronomes de tratamento adequados para designar cada um dos interlocutores.

Leia também:  Como aparecer na webcam para outra pessoa: 5 passos

d) Como dizer

Sabemos que não podemos dizer tudo a qualquer pessoa e em qualquer lugar.

Por isso, é preciso que o locutor reconheça o nível de intimidade/formalidade que deve estabelecer com seu interlocutor e também qual é o suporte de circulação do texto, ou seja, onde será veiculado/publicado o texto.

A partir disso, o autor deve selecionar o nível de linguagem adequado ao suporte e também à pessoa do locutor (coloquial, culta etc).

Não pare agora… Tem mais depois da publicidade 😉

3) Fazer um planejamento textual/projeto de texto

→ Todos os parágrafos do texto devem ser planejados antes mesmo de o autor iniciar o rascunho do texto. Podemos dividir os textos em três grandes partes: a introdução, o desenvolvimento e a conclusão. Vejamos cada uma das partes a seguir:

a) Introdução (O que dizer/Por que dizer?)

1ª Parágrafo: Suponhamos que o tipo de texto sugerido na proposta seja o dissertativo e que o tema seja “A política no Brasil”. Logo nas primeiras linhas, o autor deve deixar bem claro qual é o assunto a ser debatido.

Para isso, o autor pode optar por traçar um panorama histórico sobre o tema (como era no passado e como está no presente) e concluir a introdução fazendo projeções sobre o tema para o futuro (“o que poderá acontecer se a situação/problema apresentado permanecer o mesmo”). Ou, se preferir, o autor pode iniciar o texto fazendo uma análise crítica sobre o tema na atualidade e seus efeitos na sociedade. Outra forma de concluir o parágrafo de introdução é chamando a atenção do leitor para a relevância do tema na contemporaneidade, convocando os leitores à reflexão e ao debate.

b) Desenvolvimento

2ª Parágrafo: O desenvolvimento do texto é muito importante.

Nele, o autor insere as informações mais revelantes que selecionou sobre o tema, seja a partir da leitura de textos motivadores, seja a partir dos conhecimentos adquiridos ao longo de sua formação escolar e de sua vida.

No primeiro parágrafo do desenvolvimento, o autor pode expor os pontos negativos sobre o tema (se houver) e, no parágrafo seguinte, os pontos positivos (se houver) e vice-versa.

Caso o texto seja de caráter argumentativo, o autor deve apresentar seu posicionamento e citar exemplos verídicos que possam comprovar as afirmações e informações sobre o tema e, dessa forma, convencer/persuadir o interlocutor/leitor.

3ª Parágrafo: Dependendo da quantidade de informações e argumentos sobre determinado tema, o autor pode abrir um segundo parágrafo de desenvolvimento para ampliar a reflexão.

Nesse caso, é interessante que o autor mobilize outras vozes no texto, ou seja, fazer citações (diretas ou indiretas) de outros autores para que possa concordar com suas ideias/opiniões ou refutá-las.

c) Conclusão

A conclusão deve ser bastante elaborada, já que é o desfecho das ideias. Muitos alunos tratam a conclusão como sendo uma síntese do texto, o que não é verdade.

Não há a necessidade de repetir/resumir tudo aquilo que já foi dito anteriormente nos outros parágrafos.

A conclusão é o espaço para que o autor conclua suas reflexões e faça projeções para o futuro sobre o que pode e deve ser feito a respeito da problemática discutida ao longo do texto.

O autor pode dar sugestões de como solucionar ou amenizar os problemas apresentados, expondo de que maneira é possível intervir e melhorar nossas práticas sociais.

4) Atribuir um título ao texto

Se não é a conclusão o espaço para sintetizar as ideias centrais do texto, podemos dizer que o título representa esse lugar.

O título deve sintetizar as reflexões do autor ao mesmo tempo que deve ser convidativo para que os leitores sintam-se motivados à leitura do texto integralmente, como acontece com as manchetes de jornal.

5) Fazer a revisão do rascunho e passar o texto a limpo

Após a escrita do parágrafo de conclusão, o autor deve reler o seu rascunho de texto e revisá-lo.

Essa é uma etapa muito importante da produção escrita, já que nela o autor tem condições de ler, analisar o resultado final e revisar a sua obra.

Podemos dizer que essa etapa é importante também porque nela o autor deve fazer uma autocrítica sobre o seu trabalho e compreender que ainda há tempo de fazer as modificações necessárias.

Publicado por: Luciana Kuchenbecker Araújo

20 maneiras de ser uma pessoa melhor – Dicas de Mulher

E trabalhe neles. Faça uma lista dos aspectos ruins da sua personalidade e tente lutar contra eles, controlando melhor seus impulsos. Essa é uma maneira bacana de evoluir individualmente.

Pode ser para o colega de trabalho, da faculdade ou para ajudar aquele amigo a voltar para casa depois da balada.

4 – Aprenda algo novo

Sempre quis tocar violão? Pintar quadros? Desenhar bem? Falar outro idioma? Escolha um velho desejo por conhecimento não realizado e invista nele. Além de aprender algo novo, você sem dúvida se sentirá relaxada.

5 – Aventure-se

Faça aquele mochilão que você vem planejando há tempos, dê aquele salto de paraquedas – ou apenas vá conhecer uma reserva natural perto de casa mesmo. O importante é se mexer e sentir um pouco de adrenalina no organismo.

6 – Deixe o egoísmo de lado

Aprenda a pensar nos outros, antes de pensar em si mesma. Pode ser que as pessoas passem a pensar mais em você também, pode ser que não, mas isso não importa – você com certeza se sentirá melhor consigo mesma.

7 – Perdoe alguém

A maioria de nós possui um (ou vários) desafeto. Sente-se com essa pessoa e perdoe-a, ou simplesmente perdoe-a sem dizer nada a ela. Além de tirar um peso enorme das costas, isso faz bem para o outro, ainda que ele não saiba nada a respeito.

8 – Use as palavras mágicas

Lição que os pais ensinam na mais tenra infância, a boa educação nunca sai de moda. “Por favor”, “obrigada” e “com licença” são alguns exemplos de palavras “mágicas” que, de tão básicas, muitas vezes são deixados de lado. Exercite usá-las.

9 – Seja honesta

Se o caixa do supermercado errou no troco e te deu dinheiro a mais, não interessa se a quantia é grande ou pequena, volte até lá e devolva. A regra vale para qualquer situação na qual você seja beneficiada por acaso. A honestidade é uma das coisas mais valiosas para um ser humano e, ao mesmo tempo, uma das maiores causas de todos os problemas que enfrentamos no mundo de hoje.

10 – Comece a refletir

Antes de dar aquela resposta irônica, antes de tomar uma atitude que vá prejudicar alguém, antes de discutir por uma bobagem, reflita. Avalie as consequências e só aja negativamente quando for extremamente necessário.

11 – Seja tolerante

Parece quase loucura ainda ser necessário tocar nesse assunto. As pessoas são diferentes umas das outras e é isso que nos faz tão especiais. Procure entender e ser tolerante com aqueles que não compartilham das suas ideias, cultura ou visão de mundo.

12 – Tenha um objetivo

Saiba para onde está caminhando. Traçar objetivos não é apenas uma forma de conseguir o que queremos, é necessário para que não andemos em círculos. Escolha seus objetivos e persista neles até que se tornem realidade.

13 – Seja você mesma

Sinceridade e espontaneidade são características essenciais de pessoas que, além de felizes, são sempre muito queridas por aqueles com quem convivem. Só não confunda sinceridade com grosseria: há maneiras gentis de expor sua opinião.

14 – Transmita confiança

Se suas amigas te contam coisas e pedem segredo, respeite o pedido. Isso fará de você uma pessoa de confiança, com quem os demais sempre podem contar nas horas difíceis.

15 – Pratique o otimismo

Por mais complicada que seja uma situação, sempre há uma maneira de absorver dela algo de bom, ainda que seja apenas a experiência. Procure olhar a vida pelo lado positivo.

16 – Elogie

Quase todas as pessoas se sentem bem quando recebem um elogio. Sem ser falsa, procure expressar para os outros aquilo que você acha bacana neles, seja o cabelo, a roupa, a voz ou a competência em determinada tarefa.

17 – Cuide das pessoas (e animais) que ama

Traga bombons, faça uma sopa, busque no trabalho. Tudo o que for necessário para que elas entendam que você as quer muito bem. E não se esqueça de zelar pelos animais, tanto os seus quanto os de rua. Se você notar que um cãozinho foi abandonado, tome providências e ajude-o a ter um lar.

18 – Faça algo por si mesma

Quando cuidamos de nós mesmas, ficamos mais satisfeitas e menos propensas a tratar outras pessoas de maneira rude ou deseducada.

19 – Faça favores aos outros

Segure a porta do elevador para esperar o vizinho, ajude desconhecidos a atravessar a rua, devolva objetos que a pessoa andando à sua frente tenha deixado cair. Há várias maneiras de fazer pequenos favores, que não nos custam nada e facilitam a vida alheia.

20 – Sorria

O humor é, efetivamente, contagiante, e ajuda a encarar o dia a dia com mais leveza e disposição. Não economize sorrisos. Sorria para o porteiro, para o seu chefe, para a recepcionista do médico e para qualquer um que cruzar com você ao longo do dia.

Que tal começar a praticar um estilo de vida bom consigo mesmo e com os outros agora mesmo?

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*