Como calcular fluxo de caixa: 15 passos (com imagens)

Fundamental para a administração dos negócios, o fluxo de caixa é uma ferramenta indispensável para o acompanhamento financeiro das empresas.

Por meio dessa ferramenta é possível controlar todas as entradas e saídas monetárias, proporcionando uma visão precisa da situação administrativa e financeira do negócio.

O acompanhamento diário do fluxo de caixa auxilia não apenas no controle, mas principalmente na saúde do negócio. Pois, por meio do fluxo de caixa diário é possível identificar os problemas que levam a perda de recurso, aumentando as chances de reverter o quadro antes que se torne um problema irreversível.

  • A planilha de controle de caixa diário é uma ótima maneira de controlar as entradas e saídas de forma eficiente, evitando falhas e divergência de informações.
  • Com a planilha no Excel, é possível categorizar receitas e despesas, inserindo as informações manualmente, acompanhando a atualização automática do saldo.
  • Com fórmulas simples,  pré-determinadas nas células e uma estrutura prática, a planilha de fluxo de caixa é extremamente eficaz, sendo um instrumento para acompanhamento do desempenho diário do empreendimento.

Existem diversas dúvidas quanto a importância, eficácia e benefícios do acompanhamento diário do fluxo de caixa. Além disso, muitos empreendedores ainda não possuem uma planilha de acompanhamento padrão.

  1. Pensando nisso, buscamos apresentar as vantagens do acompanhamento do fluxo de caixa diário, solucionando alguns dos principais questionamentos! 
  2. #ConfereAi 😉
  3. Como Calcular Fluxo de Caixa: 15 Passos (com Imagens)

Neste post, você vai ver:

Quais são as vantagens do desenvolvimento da planilha de fluxo de caixa diário?

O acompanhamento das receitas e despesas é primordial para o sucesso dos negócios. São inúmeras as vantagens do acompanhamento do fluxo de caixa diário para a empresa.  Listamos algumas delas abaixo:

  • Melhor gerenciamento das contas a pagar e a receber: com o registro de todas as contas da empresa, oferece maior facilidade para controlar os prazos de pagamento e recebimento, evitando endividamentos. Além disso, o fluxo de caixa serve como uma ferramenta de precaução contra a inadimplência dos clientes;
  • Projeção de caixa: a partir do cadastro das contas na planilha de fluxo de caixa, é possível projetar com clareza a situação futura do orçamento;
  • Organização: com a segmentação de todas as receitas e despesas, indicando a origem de cada uma delas, é possível conseguir visualizar de uma forma simplificada os fatores que causam um maior impacto no orçamento.

Além disso, o controle de fluxo de caixa não auxilia apenas na administração do dinheiro e investimentos, mas também na análise das vendas de mercadorias e, claro, na mensuração de estoque. Essa é uma vantagem essencial em qualquer negócio, principalmente em nichos específicos, como produções de etiqueta código de barras.

Qual a função do fluxo de caixa diário?

Fluxo de caixa serve como um mecanismo de controle de todas as movimentações financeiras de entrada e saída do caixa da empresa.

Fazer este processo é absolutamente essencial para um controle financeiro eficiente. Além disso, por meio dele é possível manter a estabilidade do negócio.

Ainda é possível, como falamos anteriormente, fazer a projeção de crescimento do empreendimento, o que permite não só manter a estabilidade, mas trabalhar em sua evolução.

Como Calcular Fluxo de Caixa: 15 Passos (com Imagens)

É preciso realizar apenas o controle do fluxo de caixa diário?

  • O fluxo de caixa pode ser controlado de uma forma diária, semanal, mensal e até mesmo anual.
  • Porém, o registro diário ou semanal das receitas e despesas traz uma maior segurança no processo e reduz consideravelmente as chances de equívocos ou esquecimento no registro de informações relevantes para o seu caixa.
  • Nesse sentido, é importante ressaltar que o registro diário contribui com a visualização de pequenos gastos, desde a restauração de uma pequena falha em uma porta contra incêndio até a compra de um material de menor custo. 

Com o fluxo de caixa diário é possível identificar a origem das movimentações?

  1. Com o controle do seu fluxo de caixa é possível manter uma administração precisa, estando sempre atualizado sobre a situação financeira do empreendimento, o que facilita a identificação da origem de todos os gastos e recebimentos.

  2. Outra característica interessante da identificação das movimentações é a relação das pequenas transações realizadas no fluxo de caixa, uma vez que é muito mais fácil esquecer da origem de um custo pequeno, como a contratação de mão de obra para realizar um reparo com corte a laser, por exemplo.

  3. Além disso, a análise das receitas e despesas da empresa, auxilia no processo de tomada de decisões, a medida em que indica possíveis gastos excessivos que podem ser cortados do orçamento e verifica se a empresa encontra-se em boas condições para realizar novos investimentos.

  4. Agora que as suas dúvidas já foram solucionadas, chegou a hora de desenvolver a planilha de fluxo de caixa para a sua empresa. Para isso, siga o passo a passo abaixo:

1º Passo: Estruturar a Planilha – Montar o Cabeçalho

Para iniciar a estruturação da planilha é necessário desenvolver um cabeçalho que contenha as informações primordiais. Para isso, é necessário inserir em cada coluna os títulos devidos.

  • As informações básicas que precisam conter na planilha de fluxo de caixa diário são: Saldo Anterior (valor em caixa no dia anterior); Saldo do dia (total em caixa no dia); Saldo Atual (soma do saldo anterior com o saldo do dia); Descrição (descrição da movimentação de entrada ou saída); Receita (valor das entradas); Despesa (valor das saídas); Movimento (Total de entrada/saída de cada movimentação).
  • Essas são as informações primordiais para o desenvolvimento de um fluxo de caixa prático e simples.
  • Como Calcular Fluxo de Caixa: 15 Passos (com Imagens)

 

2º Passo: Formatar as Colunas e Adicionar Cores

  1. Para facilitar o preenchimento da planilha é necessário formatar as colunas e linhas.
  2. Para isso, basta formatar as colunas “Saldo Anterior”, “Saldo do dia”, “Saldo atual”, “Receita”,  “Despesa” e “Movimento” como “Moeda” e a coluna “Descrição” como “Nome”.

  3. Além disso, é possível colorir as linhas e colunas de acordo com a ordem e cor que se encaixe melhor para o negócio e facilite a identificação da informação no momento do preenchimento da planilha.
  4. Como Calcular Fluxo de Caixa: 15 Passos (com Imagens)

 

3º Criar e Inserir a Fórmula SOMA – Coluna Movimento

  • Por se tratar de uma planilha simples, usaremos apenas a fórmula SOMA.
  • Para encontrar o total de “Movimento” em cada linha (diferença entra a entrada e saída), basta aplicar a fórmula na coluna “D”, para isso, é preciso subtrair o total de entrada do total de saídas, assim como mostra a imagem baixo:
  • Como Calcular Fluxo de Caixa: 15 Passos (com Imagens)

 

4º Criar e Inserir a Fórmula SOMA – Saldo do Dia

Assim como fizemos no passo anterior, para encontrar o total de “Saldo do dia”, basta inserir a fórmula SOMA e selecionar todas as linhas da planilha referentes a “Movimento”. Assim como mostra a imagem abaixo.

Como Calcular Fluxo de Caixa: 15 Passos (com Imagens)

5º Criar e Inserir a Fórmula SOMA – Saldo Atual

Para encontrar o “Saldo atual”, basta utilizar a fórmula SOMA para verificar a diferença entre o “Saldo anterior” e o “Saldo do dia”. Para isso, basta somar os valores de “C2” e “C3”, assim como mostra a imagem abaixo.

Lembrando que para encontrar o saldo anterior, basta inserir o sinal de igual na linha “C” e selecionar o “Saldo Atual” referente ao dia anterior. Para isso, é preciso que cada aba da planilha se referira a um dia da semana.

Como Calcular Fluxo de Caixa: 15 Passos (com Imagens)

Se você seguiu todos os 5 passos, a sua planilha está pronta! Agora basta preenchê-la com as movimentações diárias de caixa e acompanhar o fluxo diário.

  1. Como Calcular Fluxo de Caixa: 15 Passos (com Imagens)
  2. Ooou, se você quiser ainda mais facilidade, é só baixar nossa Planilha de Fluxo de Caixa:
  3. Como Calcular Fluxo de Caixa: 15 Passos (com Imagens)
  4. É importante, contudo, lembrar que as planilhas não deixam de ser uma forma de controle manual e que, por isso, tomam tempo para serem utilizadas.
  5. É possível automatizar todos os processos que são feitos com planilha através de softwares de gestão financeira, capazes de facilitar e tornar mais rápido o trabalho do setor financeiro de qualquer empresa, resultando no aumento de produtividade do time!

Quer saber mais sobre estas soluções? Conheça a Confere!

O que é ROI e como analisar seus investimentos em conteúdo

ROI, é a KPI mais importante para qualquer tipo de negócio.

Algumas pessoas têm dificuldade de enxergar o retorno de investimentos em marketing de conteúdo. E por isso acabam desistindo dessa estratégia. Ou nem apostando nela.

Leia também:  Como amar a jesus como ele o ama: 6 passos (com imagens)

Porém, o conteúdo não é mais uma maneira de diferenciar a sua empresa ou falar com aquela parcela do seu público que está na internet.

Em poucos anos, a geração de conteúdo será uma questão de sobrevivência no seu mercado. E não só para aqueles que trabalham com Marketing Digital, mas também para quem é médico, dono de padaria, dono de barbearia e por aí vai.

Como Calcular Fluxo de Caixa: 15 Passos (com Imagens)

  • Eu não estou dizendo que todo e qualquer investimento para produzir conteúdos vale realmente a pena, mas sim que saber investir nesse tipo de estratégia adequadamente pode significar muito para o sucesso do seu negócio.
  • Poxa, quer dizer que você afirma que é fundamental investir na produção de conteúdos mas ao mesmo tempo diz que nem todos os conteúdos irão gerar resultados?
  • Sim, é exatamente isso!

Parece contraditório, mas não é. Você precisa diversificar a sua estratégia de marketing e apostar no digital, mas também precisa fazer isso da maneira certa para garantir que você não está apenas “rasgando dinheiro”.

Ações de marketing, muitas vezes, são vistas apenas como gastos. E devo dizer que, se feitos sem controle algum, podem ser apenas isso mesmo.

Sem a escolha das KPIs certas, fica difícil avaliar se o investimento de tempo e dinheiro na produção de conteúdo realmente está valendo a pena.

No artigo da semana passada, sobre O que é KPI: como aplicar seu ciclo de atuação e definir as ações certas para alcançar resultados extraordinários, mencionei aquelas que são essenciais para você começar a acompanhar. São elas:

  • Receita;
  • Quantidade de clientes;
  • Conversão do funil de vendas;
  • ROI.

Como Calcular Fluxo de Caixa

  1. 1

    Observe sua declaração bancária em um mês normal. Embora as empresas precisem revisar a declaração de fluxo de caixa todo mês, você pode calcular seu fluxo de caixa individual de vez em quando para entender seus hábitos básicos de gastos e ganhos. Caso esteja pensando em investir, talvez você queira saber que porcentagem da sua renda pode dedicar aos investimentos.[6]

    • Faça uma planilha com quatro colunas: renda mensal, gastos mensais, média de renda extra e média de gastos extras.
  2. 2

    Comece com sua renda média. Some seu salário (após descontados os impostos) e as rendas vindas de investimentos, juros sobre poupança e outras, como auxílios financeiros, bolsas e benefícios federais. Esse valor vai contribuir para seu fluxo de caixa positivo. Qualquer renda incomum, que não vier mensalmente, deve ser colocada em uma coluna separada.[7]

  3. 3

    Some seus gastos mensais. Some o dinheiro dedicado à poupança e aos investimentos todo mês. Em seguida, acrescente seus gastos com moradia, como o aluguel, a hipoteca ou o imposto sobre a propriedade. Some as contas: eletricidade, gás, internet, telefone, TV a cabo, celular, água e esgoto e outros tributos que você pagar.[8]

    • Acrescente o valor gasto com comida, tanto no supermercado quanto em restaurantes. Calcule-os separadamente se você costuma comer fora mais de duas vezes por semana.
    • Em seguida, some o valor gasto com transporte: combustível, passagem, táxis.
    • Acrescente a quantidade paga com empréstimos e o valor pago com seguros e plano de saúde.
    • Caso tenha filhos, calcule o que paga para babás, as mensalidades da escola e as aulas extracurriculares e particulares.
    • Se for estudante, some o que paga com suas próprias despesas escolares.
    • Por fim, acrescente os gastos com roupas, diversão e presentes. Inclua os valores pagos em ingressos de cinema, viagens e outras despesas típicas mensais.
    • Se um gasto for grande e incomum, coloque-o na coluna “Média de gastos extras”.
  4. 4

    Faça uma média com o fluxo de caixa incomum. Observe suas contas e determine a renda obtida em uma base não mensal. Por exemplo, se você for pago para dar um curso de um semestre e receber todo o pagamento no final do semestre, sua entrada pode ser maior naquele mês de recebimento em particular.[9]

    • Pegue a renda extra e divida por 12. Coloque esse número na coluna “Média de renda extra”.
    • Pegue os gastos anuais incomuns, como a compra de um carro para a formatura da sua filha ou férias anuais para visitar seus parentes. Divida esses gastos por 12 e coloque-os na coluna “Média de gastos extras”.
  5. 5

    Some a entrada de caixa. Acrescente a renda à média de renda extra. Essa é sua entrada de caixa: a quantidade de dinheiro que entra na sua conta todo mês. Para conferir, verifique suas contas de banco para ter a certeza de que está começando cada mês mais ou menos com esse valor.[10]

  6. 6

    Calcule sua saída de caixa. Some seus gastos à média de gastos extras. Essa é sua saída de caixa: a quantidade da sua renda que sai da sua conta mensalmente.[11]

  7. 7

    Subtraia a saída de caixa da entrada. Se o balanço restante for positivo, você tem um fluxo de caixa positivo, ou seja, dinheiro para investir. Pense sobre a possibilidade de investir parte dele ou todo o valor.[12]

    • Caso termine com um número negativo, seu fluxo de caixa é negativo, ou seja, você está gastando mais do que ganha e precisa reduzir suas despesas.

Valuation – Calculadora de Fluxo de Caixa Descontado (DCF) –

  • Esta calculadora de fluxo de caixa descontado (ou calculadora DCF para ser breve) fornece um método simples de avaliação de empresas ou valuation.
  • Com apenas alguns cliques, você poderá estimar quanto vale uma empresa e se faz sentido investir nela.
  • Se você não tiver certeza de como calcular o fluxo de caixa descontado ou o que é, certifique-se de rolar para baixo para obter uma explicação detalhada, incluindo a fórmula do DCF.
  • O Modelo de Fluxo de Caixa Descontado mais conhecido como DCF é usado para valorizar o preço de uma ação usando fluxo de caixa futuros previstos e descontando-os de volta o valor presente. 

Modelo Fluxo de Caixa Descontado – DCF

  • Campos RESULTADOS são gerados pela calculadora e não podem ser alterados
  • Todo o conteúdo aqui é apenas para estudo em hipótese alguma caracteriza recomendação de compra ou venda de qualquer ação analisada

O que é o Fluxo de Caixa Descontado ou DCF?

  1. O fluxo de caixa descontado (DCF) é um método de avaliação da empresa, geralmente usado para empresas em estágio avançado.
  2. É aplicado principalmente por investidores para verificar se o seu investimento trará lucros substanciais.
  3. O princípio do fluxo de caixa descontado é muito semelhante ao Valor Presente Líquido (VPL) .

     O cálculo consiste em alguns passos:

  4. Primeiro de tudo, você tem que projetar fluxos de caixa para o próximo par de anos. 
  5. Geralmente é feito estimando-se a taxa de crescimento da empresa – por exemplo, você assume que a cada ano haverá um aumento de 15% no valor da empresa.

  6. Na segunda etapa, as estimativas de fluxo de caixa são descontadas usando uma taxa de desconto anual . 

Este cálculo reflete a mudança no valor do seu dinheiro.

 Considere este exemplo: $ 100 hoje não é equivalente a $ 100 daqui a três anos – afinal, você poderia colocá-lo em uma conta de poupança, onde seu valor aumentaria constantemente. 

A taxa de desconto é geralmente considerada igual ao WACC (custo médio ponderado de capital) . Ou de forma resumida, os principais especialistas do mercado usam a taxa de juros prefixada de longo prazo mais 3 a 5% a depender do risco da empresa.

Na próxima etapa, você precisa estimar o valor final de sua empresa. Normalmente, você não vai presumir que a empresa cresce a uma taxa constante para o infinito.

Em vez disso, você tem que assumir uma taxa de crescimento menor, chamada taxa de crescimento terminal ou taxa de crescimento na perpetuidade, para mostrar que o crescimento está desacelerando.

Com base nesse número, você estimará o aumento no valor da sua empresa a partir do final da fase de crescimento até o final da existência da empresa, ou o que é normalmente chamado como perpetuidade no mercado financeiro.

Finalmente, o resultado (chamado de valor intrínseco ou preço justo) deve ser comparado com a quantidade de dinheiro que você deseja investir. Se o valor intrínseco for maior, isso significa que os retornos do investimento excedem os custos. 

Se, por outro lado, o valor intrínseco for menor, o investimento (provavelmente) nunca será compensado.

Limitações do Método do Fluxo de Caixa Descontado

  • O único ponto que devemos observar antes de avaliar uma empresa com o DCF é certificar se a empresa em analise possui lucros previsíveis, ou seja esqueça empresas cíclicas ou aquelas que estejam passando por momentos incertos nas taxas de crescimento.
  • O ideal é pegar empresas que apresentam um crescimento constante nos resultados isso torna a empresa previsível nos crescimento de lucros.
  • Por exemplo as empresas que por qualquer motivo tiverem algum prejuízo dentro de 10 anos podem ser consideradas imprevisíveis e não devemos utilizar o DCF para calcular o seu valor justo.
  • Também deve-se utilizar apenas números recorrentes, é importante retirar do cálculo os crescimentos de lucros oriundos de eventos não recorrentes no balanço.

Pontos Importantes sobre o Fluxo de Caixa Descontado

  1. Tangible Book a formula padrão utiliza o valor patrimonial da empresa (VPA), porem no VPA está incluso o Goodwill, ou os ativos intangíveis da empresa que não vale nada se esta empresa for liquidada.

  2. Por isso utilizar o Tangible Book que nada mais é que o Patrimônio Liquido excluindo-se o ativo intangível e dividindo pelo total de ações em circulação você terá o valor de Tangible Book por ação, que é mais seguro para o calculo.

  3. Taxa de desconto: essa taxa é o percentual que você estipula para investir seu dinheiro numa ação em detrimento de outro investimento.
  4. Alguns usam uma taxa média de retorno do mercado de algum índice como IBOV, S&P500 ou mesmo uma taxa de juros para renda fixa.

  5. Bons especialista no assunto costumam usar a taxa de juros prefixada de longo prazo + 3 a 5% ao ano como premio por risco da empresa em questão.
  6. Gosto de usar uma taxa prefixada mais 5% assim dá maior segurança para o calculo.

  7. Sobre isso não há um método correto cada investidor define um parâmetro que lhe deixa mais confortável, mas sugiro não ir muito mais longe da taxa de juros prefixada de longo prazo.

  8. Fluxo de Caixa Livre por ação: é possível utilizar três parâmetros, alguns investidores utilizam o LPA (lucro por ação), outros usam o FCL (fluxo de caixa livre por ação) e alguns casos pode-se usar o EBITDA por ação.

  9. Algumas empresas que tem forte resultado financeiro vale utilizar o LPA ao invés do EBITDA, um exemplo seria seguradoras onde o resultado financeiro a grosso modo pode ser considerado como parte do resultado operacional o que acaba me levando a escolher o LPA no calculo de DCF.

  10. Warren Buffett, o maior investidores de todos os tempos, utiliza DCF em suas analises pegando o caixa liquido gerado a partir do negócio, considerando despesas não caixas, como depreciações e amortizações menos despesas de manutenção de caixa em equipamento e propriedades (CAPEX) o que é algo muito próximo do Fluxo de Caixa Livre (FCL) de uma empresa.

  11. De modo geral deve-se conhecer o case de negócio da empresa pra discernir se seria melhor usar o FCL, EBITDA ou o LPA.
  12. Taxa de crescimento: esse é a grande dificuldade da formula, determinar a taxa de crescimento dos lucros mais próxima da realidade é fundamental para o acerto no cálculo.

  13. No crescimento inicial, vale entender muito bem o crescimento que a empresa pode ter nos próximos anos, o guidance da empresa ajuda bastante a ter um bom norte, porém lembre de que a empresa sempre tem premissas mais otimistas que a realidade na maioria dos casos.

  14. Também deve-se ter uma preocupação com a taxa final de crescimento que deve ser menor que a taxa inicial pois de modo geral os lucros das empresas tendem a se estabilizar depois de determinados anos de crescimento, afinal nenhuma empresa no mundo conseguiria crescer pra sempre.
  15. Nesse ponto vale usar uma taxa muito mais próxima ao PIB, inflação, ou PIB + Inflação, a depender do setor que a empresa está inserida.
  16. Usamos todos estes dados para chegar na Margem de Segurança.
  17. Uma vez que determinamos o valor justo e o preço da ação sempre temos basta diminuir um pelo outro para achar a margem de segurança da ação.

Uma armadilha muito comum para investidores de valor é comprar uma empresa que acredita ter um desconto mas não perceber que esse desconto do preço justo se deve a uma deterioração do seu case de negócio. Por isso é muito importante manter além de uma analise quantitativa aprimorar sua analise qualitativa que pra mim essa é a analise mais importante.

Fórmula de fluxo de caixa descontado

  • Agora que você entende o princípio da avaliação do DCF, é hora de apresentar a fórmula do DCF!
  • O valor intrínseco total consiste em duas partes:
  • intrinsic value = growth value + terminal value
  • valor de crescimento descreve como o valor da sua empresa aumentará durante o estágio de crescimento. Você pode calcular com a seguinte equação:
  • growth value = EPS * A * (1 – Aⁿ) / (1 – A)
  • Onde
  • EPS é o lucro por ação ,
  • A é um coeficiente igual a A = (1 + g) / (1 + r),
  • g é a taxa de crescimento,
  • r é a taxa de desconto (igual ao WACC) e
  • n é o número de anos em que sua inicialização está crescendo a uma taxa de crescimento g .
  1. A outra parte do valor intrínseco, chamada de valor terminal , pode ser encontrada com a seguinte fórmula:
  2. terminal value = EPS * Aⁿ * B * (1 – Bⁱ) / (1 – B)
  3. Onde
  • EPS é o lucro por ação,
  • A é um coeficiente igual a A = (1 + g) / (1 + r),
  • g é a taxa de crescimento,
  • r é a taxa de desconto (igual ao WACC),
  • n é o número de anos em que sua startup está crescendo na taxa de crescimento g ,
  • B é um coeficiente igual a B = (1 + t) / (1 + r),
  • t é a taxa de crescimento do terminal, e
  • i é o número de anos em crescimento terminal.

Como calcular o fluxo de caixa descontado: um exemplo

Uffa, isso foi um monte de fórmulas! Vejamos um exemplo para entender os princípios que regem a avaliação do DCF.

Você é um investidor e quer comprar ações de uma empresa, pagando R$ 300 por ação. Durante os últimos 12 meses, o lucro por ação da empresa estava em um nível de R$ 50. Seu investimento será compensado? Vale a pena investir nessa empresa?

  1. A primeira coisa que você faz é perguntar à empresa sobre o crescimento projetado, isso você consegue encontrar nos releases da empresa ou ligando no RI (Relações com Investidores) da empresa. A empresa está confiante de que será capaz de alcançar um crescimento estável de 8% ao ano nos próximos cinco anos.
  2. O próximo passo é a avaliação do crescimento terminal. Após algumas pesquisas, você supõe que uma taxa de crescimento de 3% nos próximos cinco anos parece realista. Normalmente em vale usar um número mais próximo ao crescimento do PIB ou inflação ou PIB + Inflação a depender do modelo de negócios.
  3. Por último, mas não menos importante, você verifica os valores médios do WACC e decide escolher 11% como a taxa de desconto.
  4. Depois de conhecer todos esses valores, tudo o que você precisa fazer é conectá-los às fórmulas de fluxo de caixa descontado:

A = (1 + g) / (1 + r) = (1 + 0.08) / (1 + 0.11) = 0.973

B = (1 + t) / (1 + r) = (1 + 0.03) / (1 + 0.11) = 0.928

growth value = EPS * A * (1 – Aⁿ) / (1 – A) = $50 * 0.973 * (1 – 0.973⁵) / (1 – 0.973) = $230.45

terminal value = (EPS * Aⁿ * B * (1 – Bⁱ)) / (1 – B) = $50 * 0.973⁵ * 0.928 * (1 – 0.928⁵) / (1 – 0.928) = $175.15

  1. Por fim, some o valor de crescimento e o valor final:

intrinsic value = growth value + terminal value = $230.45 + $175.15 = $405.60

O valor intrínseco, igual a R$ 405,60, é maior do que o valor que você queria investir (US $ 300). Teoricamente, isso significa que o investimento será compensado no final.

Se você olhar mais de perto, porém, você notará que o valor de crescimento é menor que R$ 300!

Isso significa que, depois de cinco anos, o investimento ainda não trará lucro. Se você não se importa com um investimento tão longo , então não é um problema. 

Se você fizer – bem, talvez outras opções trarão lucro muito mais rápido …

Como calcular e prever o fluxo de caixa da sua empresa

Você sabe quanto dinheiro há em suas contas comerciais de um dia para o outro? Você pode prever quanto dinheiro sua empresa terá em mãos no próximo trimestre? E no próximo ano? Gerenciar o dinheiro da sua empresa pode ser uma tarefa desgastante.

Com os fundos provenientes de diversas fontes, despesas comerciais surgindo constantemente, e as flutuações nos números de vendas, pode parecer impossível acompanhar exatamente quanto dinheiro sua empresa tem em cada momento.

O gerenciamento inadequado do fluxo de caixa na operação dos negócios pode levar a grandes problemas com suas finanças. Portanto, é essencial que você entenda o que é o fluxo de caixa operacional e o que ele pode dizer sobre seus negócios.

O fluxo de caixa operacional dos negócios é a quantidade de dinheiro gerado pelas operações comerciais regulares da sua empresa. Esse é um cálculo importante a ser monitorado, pois pode indicar se sua empresa deve reduzir as operações, manter seu curso ou buscar iniciativas de crescimento.

Vamos ver como calcular o fluxo de caixa da sua empresa e quais informações você pode extrair dessa métrica.

Como calcular o fluxo de caixa operacional da sua empresa

Você pode pensar no fluxo de caixa operacional como suas despesas operacionais subtraídas do seu lucro líquido, revelando então a quantidade de caixa que sua empresa realmente possui.

A explicação mais simples para um fluxo de caixa operacional saudável é que sua receita deve exceder suas despesas operacionais.

Quando a disparidade entre os dois números é grande, você tem dinheiro suficiente e sua empresa opera com lucratividade.

Embora essa explicação seja a mais direta, há outros fatores financeiros que também devem ser levados em consideração. A fórmula abaixo é outra maneira de explicar o fluxo de caixa operacional.

  • Lucro líquido + despesas não monetárias – aumento do capital de giro = fluxo de caixa operacional
  • Antes de determinar o fluxo de caixa operacional, é necessário calcular os diferentes componentes da fórmula:
  • Lucro Líquido – Lucro Líquido são suas despesas deduzidas de sua receita.
  • Despesas não monetárias – Isso pode incluir depreciação, ações concedidas a seus funcionários, pagamentos de impostos diferidos ou outros itens não monetários

Mudanças no capital de giro – Aumento nas contas a receber e estoques são deduzidos do lucro líquido e das despesas não monetárias. Geradores de receita, como aumentos nas contas a pagar, despesas acumuladas ou receita diferida, são adicionados à sua receita líquida e às despesas não monetárias.

Previsão do fluxo de caixa da sua empresa

Qual o sentido de calcular seu fluxo de caixa operacional em primeiro lugar? Isso é mais do que apenas outra tarefa na sua lista de tarefas.

O fluxo de caixa operacional pode fornecer várias informações valiosas para sua capacidade financeira, permitindo que você tome decisões mais informadas para seus negócios.

Como esses números estão mudando com tanta frequência, seu fluxo de caixa operacional pode parecer diferente de um dia para o outro.

A previsão de fluxo de caixa estima seu fluxo de caixa operacional futuro, com base em eventos financeiros projetados, como comprar um novo inventário ou adicionar um novo cliente.

Uma previsão de fluxo de caixa usa dados de fluxos de caixa passados e suas finanças atuais para projetar sua estabilidade financeira nos próximos meses, trimestres ou anos.

Embora uma previsão não possa ser 100% precisa devido a fatores imprevisíveis, com dados suficientes, você pode prever tendências gerais no seu negócio.

  1. Aqui estão algumas perguntas importantes sobre a sua empresa que a previsão do seu fluxo de caixa operacional pode ajudá-lo a responder:
  2. Qual valor você tem disponível para gastar com base na receita prevista?
  3. Existem variações sazonais de receita que podem afetar sua capacidade de gastos?
  4. Você precisará aumentar ou diminuir sua força de trabalho no futuro?
  5. Sua empresa está pronta para crescer?
  6. Se você está buscando iniciativas de crescimento, em quais recursos você pode investir para apoiar estes esforços de crescimento?

Estima-se que 82% das empresas que falham é devido à má administração de caixa. No entanto, com percepções como essas, você pode determinar o curso adequado para seus negócios e garantir que está tomando decisões informadas sobre como seu dinheiro é usado.

Gerenciamento contínuo do fluxo de caixa operacional e previsão de fluxo de caixa

Calcular o fluxo de caixa operacional e elaborar uma previsão são apenas os primeiros passos. Você precisa investir tempo e esforço para gerenciar continuamente seu fluxo de caixa operacional e manter sua previsão atualizada. Embora sejam etapas essenciais, elas ainda apresentam alguns desafios.

4 desafios comuns com o gerenciamento do fluxo de caixa

Dificuldade de projetar despesas. Empresas grandes e pequenas podem ter dificuldade em projetar despesas. Para grandes empresas, as equipes de contabilidade podem ter dificuldades para compilar todas as métricas necessárias para calcular o fluxo de caixa operacional. As empresas menores podem não ter os recursos para dedicar tempo ao rastreamento e cálculo do fluxo de caixa comercial.

Transações inesperadas. Despesas inesperadas aparecem o tempo todo. Talvez você estivesse prestes a fechar um negócio quando a venda fracassou. Talvez um dos principais equipamentos esteja danificado e precise de reparos. O rastreamento desses eventos inesperados em todos os departamentos pode ser demorado e desafiador.

Previsões imprecisas. A projeção do fluxo de caixa nos negócios depende da projeção exata de negócios fechados e da estabilidade da receita. Projeções mal calculadas podem distorcer as previsões de capacidade de gastos.

Manter constantemente uma planilha. Os fundos provavelmente estão sendo gastos por sua empresa diariamente. E, para uma previsão precisa do fluxo de caixa, você deve acompanhar todas as transações. Essa pode ser uma tarefa assustadora, tediosa e demorada, e é por isso que as equipes de contabilidade geralmente a deixam desfeita ou deixam de atualizar a previsão regularmente.

Muitas empresas lutam para prever com precisão o fluxo de caixa comercial, especialmente quando fazem isso manualmente via Excel. No entanto, há outra opção que pode tornar suas projeções de fluxo de caixa mais precisas e tirar a responsabilidade do seu prato: automação.

Automatizando o gerenciamento do fluxo de caixa da sua empresa

Se você está impressionado com o pensamento de gerenciar seu próprio fluxo de caixa comercial, não se preocupe.

Os fornecedores de software desenvolveram soluções contábeis para automatizar o gerenciamento do fluxo de caixa, facilitando o processo para empresas de qualquer tamanho.

Essas soluções coletam e rastreiam todos os pontos de dados aplicáveis e compilam esses dados em previsões precisas e atualizadas automaticamente.

Soluções como o Prophix, por exemplo, simplificam todo o processo de gerenciamento do fluxo de caixa, permitindo que você retorne sua atenção às operações comerciais regulares e às responsabilidades do trabalho. Cada centavo que entra ou sai da sua empresa pode ser rastreado automaticamente usando essa solução, com pouco esforço de suas equipes de contabilidade.

A automação do gerenciamento e a previsão do fluxo de caixa operacional pode melhorar a maneira como você planeja seus negócios, entende suas métricas e maximiza a eficiência operacional. No entanto, é crucial que você encontre a solução certa a adotar.

Ao avaliar diferentes soluções, considere como cada opção facilitará o gerenciamento do fluxo de caixa operacional.

Com um melhor gerenciamento e previsões mais precisas do fluxo de caixa, sua empresa pode tomar decisões informadas que melhorarão bastante seus resultados.

Deseja saber mais sobre o fluxo de caixa operacional? Entre em contato conosco através de nosso site. 

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*