Como baixar jogos por torrent: 9 passos (com imagens)

Confira, nesta dica, uma maneira simples e fácil de recuperar uma ISO corrompida (ou qualquer arquivo) via torrent.

Como Baixar Jogos por Torrent: 9 Passos (com Imagens)
 Quem gosta de testar outras distribuições Linux (assim como eu) já está acostumado a baixar várias imagens ISO, algumas delas são relativamente “grandes”, como é o caso da ISO de instalação do openSUSE Leap e do CentOS, que possuem pouco mais de 4GB.

 Apesar de todas as principais distros disponibilizarem o torrent como opção de download, muitos ainda preferem fazer o download direto da ISO. Este “método” tem suas vantagens, uma delas é a possibilidade de usar (apesar de não recomendado para arquivos grandes) o gerenciador de downloads nativo dos navegadores, sem a necessidade de instalar um aplicativo “dedicado” no seu sistema, mas a principal desvantagem é o risco do arquivo corromper-se durante o download, como aconteceu comigo em 2013 com a ISO do Ubuntu 13.04 “Raring Ringtail”.

 Ao constatar que o arquivo que você acabou de baixar está corrompido (verificando o hash MD5/SHA do mesmo), a primeira coisa que vem na mente é tentar baixá-lo novamente, não é mesmo? Isso é simples para quem tem uma conexão com boa velocidade, porém, quem tem uma internet lenta (e, em alguns casos, limitada), ter que baixar novamente do zero fica bem complicado… Mas, nem tudo está perdido. Se o seu arquivo possui o torrent como opção alternativa de download, as chances de recuperá-lo são grandes, e é isso que mostraremos neste tutorial!

  Este tutorial foi produzido a partir de uma imagem ISO corrompida do openSUSE Leap, mas pode ser realizado com a ISO de qualquer outra distribuição, bem como com qualquer tipo de arquivo, DESDE QUE haja um torrent oficial e idêntico ao seu arquivo.

  Requisitos importantes

 Eu sei que você já ficou animado ao saber dessa possibilidade (que não é nenhuma “novidade”), mas antes de começar, você deve ficar atento aos seguintes pontos abaixo para dar iniciar a recuperação:

1 – Encontre o torrent do seu arquivo

 Esse é o principal requisito para conseguir recuperar um arquivo corrompido. Como dito anteriormente, as principais distribuições (openSUSE, Fedora, Debian, Ubuntu, etc.

) e alguns softwares, como é o caso do GIMP, oferecem o torrent como opção de download, basta apenas acessar a página oficial do seu arquivo/software corrompido e copiar o link do torrent da mesma versão.

 Por exemplo, se o arquivo corrompido for a ISO do Fedora 27 Workstation (Fedora-Workstation-Live-x86_64-27-1.6.

iso), você terá que acessar o site do Fedora e copiar o link do torrent desta mesma versão (no caso, é o https://torrent.fedoraproject.org/torrents/Fedora-Workstation-Live-x86_64-27.torrent).

2 – Pessoas semeando o arquivo

 Além do torrent, um outro requisito importante para iniciar o processo é que tenha pessoas compartilhando o mesmo (que já terminaram de baixar ou possuem algumas partes), caso contrário, será impossível baixar o restante do arquivo.  Se o seu arquivo foi disponibilizado recentemente e ainda possui suporte por parte do “criador”, as chances de ter alguém semeando são grandes, e isso você poderá conferir após iniciar o download do torrent.

3 – Arquivo deve ser idêntico ao original

 É importante que o seu arquivo corrompido seja idêntico ao arquivo original, ou seja, ele deve ter o mesmo nome e ser da mesma versão do arquivo que está no servidor do site onde baixou.

 Não adianta, por exemplo, tentar recuperar a ISO do Ubuntu 16.04.3 de 64 bits (ubuntu-16.04.3-desktop-amd64.iso) sendo que você renomeou o arquivo no seu disco para “ubuntu.

iso“, muito menos utilizar o torrent de 32 bits do Ubuntu 16.04.3 se a sua ISO é de 64 bits, ok?!

4 – Ter um cliente de torrents instalado

 Por último, mas não menos importante, você deve ter (obviamente) um cliente de torrents instalado no seu sistema para baixar um torrent.

Existem várias opções disponíveis atualmente, o próprio µTorrent é um dos mais populares clientes para Windows, porém, eu uso e recomendo (independentemente se você está no Windows, Linux, BSD ou macOS) o qBittorrent, o Transmission e/ou o Deluge.  Tudo pronto? Então vamos ao que interessa!

  Recuperando uma ISO corrompida via torrent

 Depois de conferir e seguir os passos acima, abra um gerenciador de arquivos do seu sistema e acesse a pasta onde está a ISO corrompida (provavelmente em “Downloads“).

  •  Após, crie uma nova pasta e dê informe qualquer nome, como, por exemplo, “Arquivo corrompido” e mova a ISO para esta pasta, como mostrado na imagem abaixo:
  • Como Baixar Jogos por Torrent: 9 Passos (com Imagens)
  •  Feito isso, abra o seu cliente de torrents favorito (no meu caso, o qBittorrent), encontre a opção de “Adicionar um link torrent” / “Abrir URL” e cole o link do torrent referente à mesma versão do seu arquivo:
  • Como Baixar Jogos por Torrent: 9 Passos (com Imagens)
  •  Escolha uma pasta onde salvar diferente da que você criou e moveu a ISO corrompida, clicando em “OK” para iniciar o download:
  • Como Baixar Jogos por Torrent: 9 Passos (com Imagens)
  • Como Baixar Jogos por Torrent: 9 Passos (com Imagens)
  •  Assim que atingir de 2 a 5% do download (garantindo que a “estrutura” do arquivo tenha sido concluída), você deve pausar o torrent:
  • Como Baixar Jogos por Torrent: 9 Passos (com Imagens)
  •  Clique com o botão direito do mouse sobre o torrent e selecione a opção para “Abrir a pasta de destino“, exclua a ISO que estava sendo baixada e mova, para dentro desta mesma pasta, a sua ISO corrompida.
  •  Feito isso, acesse novamente o seu cliente de torrents, clique com o botão direito do mouse sobre o torrent pausado e selecione a opção “Forçar rechecagem” / “Verificar dados locais“:
  • Como Baixar Jogos por Torrent: 9 Passos (com Imagens)
  • Como Baixar Jogos por Torrent: 9 Passos (com Imagens)

 E aguarde enquanto é feito o download de algumas “partes” do arquivo. Note que, no momento que estava baixando, tinha 95 pessoas semeando o arquivo:

 E aguarde enquanto é feita a verificação da ISO corrompida, o que é bem rápido:

  O cliente de torrents fará uma “comparação” do arquivo presente no seu disco local com o arquivo original, baixando em seguida as partes que estão em falta ou incompletas.
 Caso a sua ISO seja idêntica à ISO que estava baixando minutos atrás, é provável que falte muito pouco para completar o download (ou seja, vai “corrigir os pedaços” incompletos do arquivo).  No meu caso, preciso baixar cerca de 1,2% do tamanho total da ISO para completá-la, como mostrado na imagem abaixo:

  1. Como Baixar Jogos por Torrent: 9 Passos (com Imagens)
  2. Como Baixar Jogos por Torrent: 9 Passos (com Imagens)
  3.  Caso queira conferir se ela está realmente íntegra, basta verificar o hash MD5 ou SHA da sua ISO e comparar com o hash informado na página oficial de download da mesma. Para mais detalhes, acesse o tutorial abaixo, de acordo com o seu sistema operacional:

 Por fim, basta iniciar novamente o torrent e aguardar o término do download:
 E só! Agora você poderá utilizar normalmente a sua ISO, que foi recuperada com sucesso!

 Então é isso, espero que este tutorial tenha sido útil para você! Caso tenha alguma dúvida, sugestão ou crítica a respeito do mesmo, basta deixar o seu comentário logo abaixo, ou se preferir, entre em contato conosco!

 Muito obrigado pela visita e até +!

Referências:

Guia do Linux Mint: Como instalá-lo e configurá-lo a sua maneira

O Linux é um sistema muito popular entre pessoas que trabalham com informática e tem passado por mudanças ao longo do tempo para atrair novos usuários. Ainda assim, a diferença de uso dele para as tarefas do dia-a-dia com o Windows ainda assusta muitas pessoas.

Para lhe ajudar a entender um pouco mais sobre o Linux, o Olhar Digital está preparando uma série, que mostrará desde a instalação do Linux até as principais configurações para deixá-lo pronto para o uso cotidiano. Confira:

A escolha da distribuição Linux

Hoje em dia existem muitas distribuições do Linux amigáveis para quem está utilizando o sistema pela primeira vez. Para esta série, a escolha ficou com o Linux Mint 19 Tara com o ambiente gráfico do Cinnamon. Esta distribuição, além de ter se popularizado, consegue oferecer uma boa performance até mesmo em aparelhos que não sejam muito potentes.

Nesta primeira parte da série, você aprenderá a fazer a instalação do Linux Mint, além de mexer nas configurações iniciais dele, que são essenciais para que ele funcione. Antes disto, veja o que será necessário para a realização das etapas.

Requisitos

O Linux Mint possui versões 32 e 64 bits. Apesar de ser uma distribuição leve como foi dito, ainda é necessário atender alguns requisitos para que o Mint entregue o máximo de sua performance. Veja quais são eles:

  • 1 GB de memória RAM;
  • 15 GB de espaço livre em disco;
  • Monitor com suporte a resolução 1024 x 768;
  • Pendrive com 4 GB ou DVD para executar o instalador da distribuição.

Preparando a mídia de instalação

Para fazer a instalação ou rodar o Live CD do Linux Mint, é necessário utilizar um Pendrive ou DVD-R para poder inicializar o computador pela primeira vez. No passo-a-passo a seguir, veja como colocar esta distribuição em um Pendrive usando o Windows:

  1. Faça o download do Linux Mint nesta página. Escolha corretamente a versão adequada ao seu processador. Caso esteja em dúvida, opte pela versão 32-bit;Como Baixar Jogos por Torrent: 9 Passos (com Imagens)
  2. Acesse o site do UNetbootin e faça o download da ferramenta pelo botão indicado;Como Baixar Jogos por Torrent: 9 Passos (com Imagens)
  3. Coloque o pendrive no computador e execute o programa UNetbootin;
  4. Marque a opção “Imagem de disco” e clique no botão representado por “três pontos” para escolher o arquivo do Linux Mint que foi baixado. Na parte de baixo do programa, selecione a unidade do pendrive, clique em “Ok” e aguarde o processo ser concluído.Como Baixar Jogos por Torrent: 9 Passos (com Imagens)

Iniciando o Linux Mint

Para que você possa iniciar o Linux Mint no computador, primeiramente é necessário acessar a BIOS do computador e trocar a ordem de prioridade de inicialização para o Pendrive ou DVD.

Este menu pode ser acessado logo ao ligar o computador, por pressionar a tecla “Del” ou “F2”.

Leia também:  Como apagar um incêndio causado por uma torradeira

Os passos para trocar a ordem de boot variam conforme as fabricantes, mas o nome deverá ser algo parecido com “Boot sequence” ou “Boot Priority”.

Se tudo ocorreu corretamente, você já deverá estar na tela inicial, que apresenta a área de trabalho do Mint. Antes de instalá-lo, é possível navegar em algumas funções do sistema para saber se ele já lhe agrada. Já para instalá-lo, siga estes passos:

  1. Logo na área de trabalho, clique em “Install Linux Mint”;Como Baixar Jogos por Torrent: 9 Passos (com Imagens)
  2. Selecione o idioma “Português do Brasil” e clique em “Continuar”;Como Baixar Jogos por Torrent: 9 Passos (com Imagens)
  3. Na próxima tela, teste o seu teclado na área indicada. Caso note que as teclas estejam erradas, toque em “Detectar layout do teclado” para corrigi-lo. Ao fim, clique em “Continuar”;Como Baixar Jogos por Torrent: 9 Passos (com Imagens)
  4. Marque a opção destacada na imagem abaixo. Ela é importante para ter alguns complementos já instalados junto com o sistema para a abertura de arquivos de mídia. Clique em “Continuar”;Como Baixar Jogos por Torrent: 9 Passos (com Imagens)
  5. Neste momento, o Linux Mint perguntará como ele deve ser instalado. Caso tenha um Windows na máquina, você poderá escolher a opção para mantê-lo e fazer o dual-boot no computador, ou seja, ter os dois sistemas instalados simultaneamente. Em nosso caso, foi utilizada uma máquina sem sistema, assim, será selecionada a opção “Apagar disco e reinstalar o Linux Mint”. Independentemente da opção escolhida, o próprio assistente de instalação lhe guiará durante o processo. Clique em “Instalar agora”;Como Baixar Jogos por Torrent: 9 Passos (com Imagens)
  6. Na mensagem, confirme se as configurações ficaram certas. Então, clique em “Continuar”;Como Baixar Jogos por Torrent: 9 Passos (com Imagens)
  7. Selecione a sua cidade e clique em “Continuar”;Como Baixar Jogos por Torrent: 9 Passos (com Imagens)
  8. Preencha as informações solicitadas. Por uma questão de segurança, é recomendado deixar marcada a opção “Solicitar minha senha para entrar”. Já quanto a “Criptografar minha pasta pessoal”, ela é opcional, mas apenas traz mais segurança para os arquivos dentro da parte de documentos;
  9. Aguarde a instalação do Linux Mint ser concluída. Ela deve legar alguns minutos;
  10. Ao fim do processo, clique em “Reiniciar agora”;
  11. Tire o pendrive ou DVD da máquina e aperte “Enter”.

Testando os recursos

Neste momento, o Linux Mint já está instalado e pronto para rodar. Agora, será mostrado como fazer algumas configurações no sistema, que são essenciais você já se acostumar a ele e, é claro, se certificar de que tudo está funcionando como deve. Veja:

  1. Ao reiniciar a máquina, faça o login com as credenciais definidas anteriormente;
  2. Na mensagem inicial de boas-vindas, desmarque a opção “Exibir ao iniciar”;
  3. Clique em “Menu” conforme indicado e vá em “Configurações do sistema”;
  4. Dentre os diversos itens exibidos. Como exemplo, entre primeiro em “Rede”;
  5. No lado direito da tela, você deverá ver se está conectado ou não. Caso não esteja, o próprio Linux Mint lhe pedirá para configurar a rede;
  6. Após checar a rede, entre nas configurações dos outros hardwares, que ficam no mesmo menu, apena para verificar que nada ficou faltando e se o funcionamento deles está correto.

Personalizando a área de trabalho

A parte de personalizar a Área de Trabalho do Linux Mint é feita por dois menus principais. Ao clicar com o botão direito do mouse em uma parte vazia dela, você pode mudar a forma de organização dos ícones, seus tamanhos e até o plano de fundo utilizado.

Pela função “Adicionar deskelets”, é onde você pode colocar widgets na área de trabalho. Existem widgets para diferentes fins como mostrar um relógio, informações do tempo etc.

  • Já pelo menu de configurações que você viu anteriormente, ao entrar nele você poderá ocultar o ícone e a disposição de como ela ficará organizada. Confira a imagem abaixo:

Ferramentas de administração

Por fim, outra parte importante do sistema é conhecer as ferramentas administrativas dele. Nelas, é possível definir regras de firewall, verificar drivers e adicionar ou remover outros usuários do sistema. Veja:

  • Firewall – Tenha uma proteção nativa do sistema para navegar na internet com segurança;
  • Fontes de aplicativos – Defina quais são as fontes para os aplicativos obtidos via repositório;
  • Janela de Início de sessão – Escolha as opções visuais e outras configurações da tela de login;
  • Usuários e grupos – Adiciona ou remove outros usuários do sistema, além de mudar o tipo de conta.

Com estes passos acima, você já conhece um pouco do sistema Linux Mint. Na próxima parte desta série será apresentado como baixar e instalar programas dentro desta distribuição, além de conhecer os programas que vem pré-instalados.

Linux Dicas Dicas&Tutoriais

Tutorial: Criando um Jogo de Plataforma em Unity – Parte 1

Como Baixar Jogos por Torrent: 9 Passos (com Imagens)

ApresentO a vocês uma poderosa ferramenta para desenvolvimento de Games: Unity3D.

Abaixo a lista de alguns jogos famosos feitos em Unity:

  • Temple Run 1 e 2;
  • Subway Surfers;
  • Max: The Curse of Brotherthood;
  • Oddworld: New ‘n’ Tasty;
  • Deus EX: The Fall;
  • entre outros.

Para ver mais jogos, acesse: https://unity3d.com/showcase/gallery

Vamos aprender a fazer nossos games com Unity.

O que é o Unity e quanto custa?

O Unity3D é um completo ecossistema de desenvolvimento de games multiplataforma. Utilizando uma poderosa engine de renderização que se integra com um conjunto completo de ferramentas intuitivas, você pode criar rapidamente jogos 3D e 2D de qualquer gênero. Ideal para pequenas empresas e desenvolvedores “indies”, o Unity possui tudo o que é preciso para fazer um jogo de qualidade.

O Unity possui basicamente 3 tipos de planos diferentes:

·         Free: Você não paga nada e pode disponibilizar seu jogo para navegadores, PC, MAC, Windows 8 e Windows Phone. Seu jogo irá ter a logomarca do Unity e algumas funcionalidades avançadas não estarão disponíveis;

·         Pro: O Unity Pro custa $1.500,00 e permite você usar todos os recursos disponíveis. Você pode adquirir o pacote para desenvolver para iOS e Android separadamente. O custo do pacote é mais $1.500,00 por plataforma;

·         Pro – Mensal: Nesse plano você paga $75 por mês e tem todas as funcionalidades do Pro. A diferença é que quando você deixa de pagar, a sua licença expira e você tem que voltar a usar a versão grátis.

Mais informações sobre os planos e as diferenças entre a versão Free e Pro podem ser encontradas aqui: https://store.unity3d.com/ e aqui: http://unity3d.com/unity/licenses .

O que precisamos?

Ok. Agora que sabemos um pouco mais sobre a ferramenta, vamos ao que interessa. Nessa série de tutoriais vamos desenvolver um jogo de plataforma em que o personagem vai correr e pular em um cenário formado por plataformas. O objetivo dele é chegar ao final da fase sem cair.

Para este tutorial vamos utilizar:

Criando o projeto

Quando iniciamos o Unity pela primeira vez, uma tela aparece para abrirmos um projeto ou para criarmos um novo. Se essa tela não apareceu, clique em File -> New Project que ela aparecerá.

Na aba “Create a New Project”, deixe desmarcado todos os itens da área “Import the following packages” e mude a opção “Setup defaults for:” para 2D.

Como Baixar Jogos por Torrent: 9 Passos (com Imagens)

Ao criar o projeto, a tela principal do Unity vai abrir. Nela podemos ver 4 áreas principais:

  • Hierarchy: Todos os objetos que tem na cena;
  • Scene/Game: Sua cena e como o seu game vai ficar quando estiver rodando. O Unity troca as abas automaticamente quando iniciamos o jogo;
  • Inspector: Quando selecionamos um objeto, suas propriedades vão aparecer aqui;
  • Project: Todos os arquivos do projeto (imagens, scripts, animações, etc.).

Essas áreas podem ser movidas e ajustadas da forma que você achar melhor. No canto superior direito tem um botão chamado “Default”. Clique nele e você verá alguns layouts pré-definidos. Eu particularmente gosto do “2 by 3”.

Como Baixar Jogos por Torrent: 9 Passos (com Imagens)

Dando vida ao Personagem

Para que o nosso personagem ganhe vida, vamos seguir uma ordem de criação que vai ser a mesma para qualquer personagem em outros projetos 2D. A ordem é:

Criar um GameObject

No menu, vá em GameObject -> Create Empty. Isso vai criar um GameObject vazio na nossa cena. Todos os objetos que colocamos na nossa cena são GameObjects. Isso vai facilitar as coisas na hora de programar.

Como Baixar Jogos por Torrent: 9 Passos (com Imagens)

Renomeie o GameObject no painel de inspeção para Hero. Esse vai ser o nosso herói.

Como Baixar Jogos por Torrent: 9 Passos (com Imagens)

Adicionar o Sprite Renderer no GameObject

Para exibir o nosso herói, precisamos de um componente que renderize os sprites. Para isso, vamos adicionar ao nosso herói o componente “Sprite Renderer”.

Clique no objeto “Hero” no painel de hierarquia. Agora clique em “Add Component” no painel de inspeção. Navegue até o item “Rendering” e selecione o componente “Sprite Renderer”. Pronto, já temos o componente que vai exibir o nosso herói na tela.

Como Baixar Jogos por Torrent: 9 Passos (com Imagens)

Adicionar o componente de Física ao personagem

Para finalizar essa primeira etapa do nosso GameObject do herói, vamos dizer ao Unity que ele vai ser afetado pela física do mundo. Para isso, vamos adicionar o componente “Rigidbody2D”.

Mais uma vez selecione o objeto “Hero” no painel de hierarquia e clique em “Add Component” no painel de inspeção. Navegue até “Physics2D” e clique em “Rigidbody2D”.

Como Baixar Jogos por Torrent: 9 Passos (com Imagens)

 No painel de inspeção marque a caixa “Fixed Angle”. Isso impede que o nosso personagem rode na tela.

Como Baixar Jogos por Torrent: 9 Passos (com Imagens)

Ótimo! Temos o nosso herói na tela sofrendo as consequências da física. Se você apertar o botão de “Play” na barra de cima do Unity você vai ver… absolutamente nada! Faltam os sprites!

Como Baixar Jogos por Torrent: 9 Passos (com Imagens)

Importar os Sprites

Importar os sprites no Unity é muito fácil. Abra a pasta em que você salvou os arquivos do nosso personagem e arraste-os para o painel de projeto. Vamos adicionar os arquivos idle, jump e run.png. Eu criei uma pasta chamada Sprites para organizar melhor a nossa pasta de projeto.

Leia também:  Como aliviar uma tensão na lombar: 12 passos

Como Baixar Jogos por Torrent: 9 Passos (com Imagens)

Separar os frames

Clique na imagem “idle” recém importada e note no painel de inspeção que ela tem algumas propriedades. A primeira delas é o “Texture Type”. Como nós configuramos o projeto para ser 2D, esse campo deve aparecer como “Sprite (2D uGUI)”. Se não estiver, mude para esta opção.

Altere a opção “Pixel to Units” para 20. Essa opção converte os pixels da imagem em unidades de medida dentro do nosso mundo.

A próxima opção é a “Sprite Mode”. Por padrão ela vem marcada como “Single” mas nós vamos mudá-la para “Multiple”.

Agora possuímos um botão chamado “Sprite Editor”. Clique nele para abrir a janela de edição de sprites.

Nesta janela vamos separar os frames das animações.

Para fazer isso temos 2 opcões: a primeira é a mais indicada para a criação de personagens, mas para usá-la, precisamos que os sprites sejam posicionados em uma grid com tamanho fixo.

Clique em “Slice” no canto superior esquerdo e depois mude o “Type” para “Grid”. Marque a largura e a altura de cada Sprite e mude as configurações para posicionar cada Sprite dentro do seu frame.

A segunda opção, a qual vamos utilizar nesse Sprite, já que ele não tem a largura fixa, é o “Type” marcado como “Automatic”. Altere a configuração “Pivot” para “Bottom”, clique em “Slice”, depois em “Apply” e feche a janela.

Note que temos uma seta ao lado da imagem que importamos para o nosso herói. Clique nela e você verá todos os sprites separados. Repita esse processo para os sprites que acabamos de adicionar, exceto o chao-provisorio.

Clique no nosso objeto “Hero” no painel de hierarquia, e onde temos o “Sprite Renderer” no painel de inspeção, vamos preencher o campo “Sprite”.

Para isso, basta clicar e arrastar um frame da imagem que acabamos de separar os sprites. Eu aconselho arrastar o primeiro frame da pose de “Idle”.

Esse frame não vai ser visível no jogo quando colocarmos as animações e vai apenas servir como referência para os próximos passos.

Execute o game e agora você verá nosso poderoso herói… caindo num infinito sem fim! Vamos agora adicionar os colisores.

Adicionando os colisores

A primeira coisa que vamos adicionar é um chão. Importe o arquivo “chao-provisorio.png”, se você ainda não o fez, para a pasta de projeto. Ele será importado como um Sprite.

Não precisamos alterar o “Sprite Mode” pois só temos uma imagem no arquivo, mas precisamos alterar o “Pixels to Units” para 20 deixando a imagem maior na nossa cena. Crie um novo GameObeject (GameObject -> Create Empty) e adicione um “Sprite Renderer” (Add componens -> Rendering -> Sprite Renderer).

Agore arraste o nosso “chao-provisorio” para o campo “Sprite”.  O chão deve aparecer na cena, mas ele ainda não vai colidir com o nosso personagem.

Para fazer a colisão funcionar, selecione o chão e clique em “Add component”, “Physics2D”, “Box Collider 2D”. Isso vai gerar um colisor do tamanho do chão. Isso é tudo o que precisamos para o chão.

Duplique o GameObject do chão (Ctrl + C e Ctrl + V) e posicione os dois objetos como na imagem abaixo.

O nosso herói possui o componente “Rigidbody2D”, o qual faz as forças da física do nosso jogo serem aplicadas a ele, mas não faz com que ele colida com os objetos da cena. Para que haja a colisão precisamos adicionar alguns Colliders nele. Isso mesmo, no plural.

Vamos começar adicionando um “Circle Collider 2D” e posicioná-lo nos pés do herói. Usamos um círculo para não deixa-lo preso durante a movimentação.

Agora adicione um “Box Collider 2D” para cobrir o resto do corpo do herói. Não tem problema se os colisores se sobreporem. O resultado deve ficar parecido com a imagem abaixo.

Se você executar o projeto verá que agora ele não cai no infinito!

Criar as animações

Vamos começar a dar mais vida ao nosso herói. No painel de projeto, clique com o botão direito na pasta Assets e selecione “Create”, “Animator Controller”. Vamos chamá-la de “HeroAnimatorController”.

Dê duplo clique no arquivo criado para abri-lo. Vai abrir uma janela com um retângulo escrito “Any State” dentro dele. Posicione essa janela onde achar melhor. Eu a uso junto do meu painel de cena.

Essa janela irá controlar todas as animações do personagem. Para isso, precisamos linkar o personagem com o arquivo que criamos. Selecione o personagem e clique em “Add component”, “Miscellaneous”, “Animator”.

Arraste o arquivo que criamos para o campo “Controller” do componente “Animator”. E mude o campo “Animation Mode” para “Animate Physics”.

Agora, no menu superior do Unity, clique em “Window -> Animation” para abrir uma outra janela de animação. Posicione-a no lugar em que você achar melhor, eu a uso junto com o painel de Game.

Os passos para criar as animações serão basicamente os mesmos para cada “estado” do personagem. Os estados que o nosso personagem terá serão: Parado, Correndo e Pulando. Vamos criar o estado de Parado.

Primeiro selecione o nosso personagem e vá até o painel de animação (Animation). Você verá um campo chamado “Sample” com um número 60 ao lado. Do outro lado desse campo, existe uma seta. Clique nela e clique em “Create a New Clip”. Salve como “Idle.anim”.

Se tudo deu certo, vai aparecer um outro retângulo no painel de controle da animação chamado Idle. Essa cor laranja indica que essa animação é a padrão e irá ser a primeira animação a ser executada.

Vamos adicionar os Sprites à nossa nova animação. Expanda o Sprite Idle no painel de projeto, selecione todos os frames e arraste-os para o painel de animação. Mude o campo “Sample” para 6. Pronto. Nosso herói já possui a animação de parado.

Movimentando o personagem

Vamos agora criar a animação do personagem correndo.

Selecione o personagem, vá no painel de animação e adicione um novo clipe (“Create New Clip”), do mesmo modo que fizemos com a animação de Idle, e chame-o de run.anim. Selecione os frames do Sprite run e arraste para o clipe. Mude o campo “Sample” para 24. Fácil, não?

Já temos a animação do movimento do personagem. Precisamos agora fazer ele passar do estado Parado para Correndo quando o jogador pressionar o direcional.

No painel “Animator”, temos uma área chamada “Parameters”. Clique no símbolo de mais (+) e clique em Float para adicionarmos um parâmetro do tipo Float. Nomeie ele como “Velocidade”.

Agora clique com o botão direito em cima de Idle e clique em “Make Transition”. Agora clique em cima de Run. Isso vai criar uma seta partindo de Idle para Run. Clique nessa seta e no painel de inspeção você vai ver que existe uma área chamada “Conditions”. Coloque a condição como Velocidade, Greater, 0.01.

Faça a mesma coisa criando uma transição de Run para Idle e mude a condição para Velocidade, Less, 0.01.

Basicamente dissemos para o nosso Animator Controller que quando a velocidade do personagem for maior que 0.01, mude para o estado Correndo e quando for menor, mude para parado.

Agora, finalmente, vamos codificar um pouco. Crie uma pasta chamada Scripts no painel de hierarquia e adicione um C# Script (Create -> C# Script).

Nomeie-o como HeroBehavior.cs e arraste-o para cima do objeto do herói. Agora, no painel de inspeção do herói, irá aparecer o nosso script como um componente.

Dê duplo clique no script para editá-lo. Vai abrir um programa chamado MonoDevelop, que é instalado junto com o Unity.

Por padrão, os scripts vêm com dois métodos nele: Start e Update. Vamos alterar o método Update para FixedUptade.

O código final deve ficar assim:

using UnityEngine; using System.Collections; public class HeroBehavior : MonoBehaviour { Animator animator; float axis; //Verifica se o personagem esta' olhando para o lado direito. bool ladoDireito = true; //Velocidade do personagem Vector2 velocidade; //Velocidade ma'xima que o personagem pode correr. public float MaxVelocidade = 10; // Use this for initialization void Start() { //Inicializamos o Componente Animator para podermos trabalhar com os parametros que criamos. animator = GetComponent(); } // Executado em sincronismo com a fisica do jogo. void FixedUpdate() { // Seta a varia'vel axis para o valor recebido quando o jogador preciona algum direcional. // O Input.GetAxis deve ser usado porque suporta as setas do teclado, controles e joysticks. axis = Input.GetAxis(“Horizontal”); //Viramos o personagem de acordo com o valor da varia'vel axis if (axis > 0 && !ladoDireito) Flip(); else if (axis < 0 && ladoDireito) Flip(); //Setamos a variavel velocidade. velocidade = new Vector2(axis * MaxVelocidade, rigidbody2D.velocity.y); //Alteramos o parametro Velocidade que colocamos no animator para a velocidade do personagem. //Como nao importa se e' positivo ou negativo, usamos a funcao Mathf.Abs para pegar o valor absoluto (sem sinal). animator.SetFloat("Velocidade", Mathf.Abs(axis)); //Por ultimo alteramos a velocidade do personagem para gerar o movimento rigidbody2D.velocity = velocidade; } //Viramos o personagem para o lado que o jogador esta' apertando. void Flip() { ladoDireito = !ladoDireito; Vector2 novoScale = new Vector2(transform.localScale.x * -1, transform.localScale.y); transform.localScale = novoScale; } }

Adicionei comentários no código para que vocês possam entender o que fizemos em cada parte.

Na próxima parte do tutorial, vamos ver como fazer o nosso herói pular. Para isso, vamos usar um recurso muito legal chamado “Blend Tree”. Vamos também começar a montar a primeira fase do jogo.

Se você tem alguma dúvida ou sugestão, comente aí! E se você quer ver esse tutorial em vídeo, acesse a página http://www.patreon.com/fabricadejogos e saiba como você pode ajudar!

Um abraço e até a próxima continuação!

Transforme o seu Raspberry Pi em um videogame com o RetroPie 68

Já pensou em transformar o seu Raspberry Pi em um videogame, emulando consoles como o Nintendo, Atari, MSX e outros ? Isso é possível com o RetroPie.

Leia também:  Como aparecer em um game show: 7 passos (com imagens)

RetroPie é um projeto criado para rodar os jogos dos consoles antigos em um Raspberry utilizando como base o sistema operacional Raspbian, e integrando a ele uma grande variedade de emuladores.

A lista é extensa e inclui emuladores para os videogames mais conhecidos como o Atari 2600, o Game Boy, o MSX, o Nintendo Entertainment System (NES), Nintendo 64 e Sega, entre outros.

O emulador pode ser instalado manualmente no Raspbian seguindo as instruções da página do desenvolvedor do Emulation Station, ou você pode baixar uma imagem com o emulador já instalado, e rodar o sistema diretamente no Raspberry. É esse método que vamos mostrar neste post, utilizando o RetroPie para rodar jogos do Nintendo.

Download do RetroPie

A primeira coisa que precisamos é da imagem do emulador, que você encontra neste link.

Como estamos utilizando o Raspberry Pi B+ para os testes, escolhemos a versão RetroPie Project SD-card Image for RPi Version 1:

Ao término do download, descompacte o arquivo e você terá um novo arquivo com o nome de retropie-rpi1.img, que é a imagem do Raspbian já com o emulador e que vamos gravar no cartão microSD.

Para gravação, vamos usar o Win32 Disk Imager. Selecione a imagem a ser gravada, e clique em Write para gravar a imagem no cartão:

Ao termino da gravação, coloque o cartão SD no Raspberry e conecte a fonte de alimentação.

Configurações iniciais do RetroPie

Ao inicializar o Raspberry pela primeira vez, será carregada a tela inicial de configuração do RetroPie (abaixo), mas não vamos configurar os controles nesse momento. Tecle F4 para ir ao prompt de comando.

No prompt, digite sudo raspi-config para carregar a tela de configuração do Raspberry:

Na tela do raspi-config, selecione:

  • Expand Filesystem – Selecione esta opção e aguarde o final da configuração
  • Advanced Options – Dentro desta opção, selecione SSH, depois ENABLE
  • Overclock – Selecione “Medium

Selecione FINISH e reinicie o Raspberry para que as alterações tenham efeito.

Copiando as ROMS para o Raspberry

  • ROMS são os arquivos contendo a imagem do jogo/software que você deseja rodar, e são facilmente encontradas na internet.
  • Para copiar as ROMS para o RetroPie, acesse a rede (network) pelo Windows Explorer e procure pelo dispositivo RetroPie (na imagem abaixo, à esquerda). Dentro dele teremos acesso à pasta ROMS, com as subpastas correspondentes aos emuladores:
  • Como estamos testando jogos do Nintendo, vamos colocar 3 ROMS no formato ZIP na pasta NES:
  • Para que o RetroPie tenha acesso às ROMS que foram copiadas, reinicie o Raspberry ou, se estiver no prompt de comando, digite emulationstation.

Configuração do RetroPie – Teclado

Voltamos agora à tela de configuração do RetroPie, onde vamos configurar os atalhos do teclado. Será apresentada a mensagem NO GAMEPADS DETECTED.  Mantenha pressionada qualquer tecla para que o teclado conectado ao Raspberry seja selecionado.

Nas telas seguintes, atribua teclas para as funções UP (acima), DOWN (abaixo), LEFT (esquerda), RIGHT (direita), A, B, START (Iniciar), SELECT (Selecionar), L e R.

Ao final, selecione OK para entrar na tela principal dos emuladores:

Use as setas para selecionar o Nintendo Entertainment System. Como temos três ROMS copiadas para a pasta NES, será exibida uma lista com os três jogos. Agora basta selecionar o jogo com as teclas configuradas anteriormente.

  1. Abaixo, uma tela do emulador Nintendo com o jogo ARKANOID, um clássico dos videogames:
  2. e o SuperSprint, um jogo de corrida bem básico:
  3. Para carregar outros jogos e outras ROMS, baixe o arquivo de sua preferência e coloque-a na pasta do emulador correspondente.

 Gostou? Deixe seu comentário logo abaixo. Em caso de dúvidas, caso queira trocar uma ideia, ou até mesmo dividir seu projeto, acesse nosso Fórum!

PES 2019 Patch – download option files, obter licenças, kits e medalhas na PS4 e PC

A option file de PES 2019 – ou patch PES 2019 – é para alguns o recurso que os ajuda a desfrutar de Pro Evolution Soccer na totalidade, introduzindo licenças oficiais, mesmo que todos os melhores jogadores de PES 2019 tenham sido oficialmente incluídos.

Enquanto que jogar como Man Red em vez do Manchester United ou MD White em vez do Real Madrid não afectar literalmente a acção em si, existe sempre o argumento que a falta de nomes reais inibe o espectáculo geral.

Felizmente – pelo menos, para os jogadores de PC e PS4 – existe uma forma estranhamente fácil de trocar os nomes padrão pelos reais.

Descarregar patches feitos pelos fãs para a tua pen USB e colocá-la na tua PS4 (ou copiá-los directamente para os ficheiros do jogo no PC) pode substituir cada uma das equipas não oficiais, estádios, kit, competição ou medalha no jogo, o que significa que poderás tornar uma experiência futebolística decente no campo em algo visualmente realista.

To see this content please enable targeting cookies.

Jogadores de PS4 podem agora adicionar option files detalhadas para PES 2019, com um novo recurso que torna possível não só importar ficheiros mas fazê-lo ao longo de diferentes perfis com uma única pasta numa pen USB.

Para o fazeres especificamente na PS4, só tens de seguir as instruções abaixo (uma pequena palavra de aviso: obviamente, qualquer coisa que descarregas de fóruns online terá um certo grau de risco, algo que deves ter em mente durante as tuas pesquisas!):

  1. Formata uma pen USB para FAT32
  2. Cria uma pasta na pen chamada WEPES
  3. Encontra a option file desejada algures na Internet – uma escolha popular é em PES World, se bem que não parece estar disponível de momento – a única que conseguimos encontrar até agora encontra-se em pes-patch.
  4. Se o ficheiro se encontra numa pasta zipada, descomprime-o na tua pasta WEPES dentro da pen. Caso contrário, certifica-te que todo o seu conteúdo está na pasta WEPES.
  5. Coloca a pen na drive da PS4 e abre o PES 2019.
  6. Vai para o menu Edit, depois Data Management e por fim Import/Export.
  7. De seguida, selecciona Import Team, selecciona todos as caixas na página seguinte, “Select File”, e continua. De seguida, tens a página “Detailed Settings”, onde deverás deixar todas as caixas desmarcadas.
  8. O ficheiro será automaticamente adicionado, sendo que o tempo irá depender da quantidade de equipas/ligas que decidiste adicionar.
  9. Não te esqueças de seleccionar a opção “Save” na página “Data Management” que aparece no fim do processo. Estamos quase lá.
  10. Os logos dos torneios têm de ser adicionados manualmente, por isso dirige-te de novo a “Data Management, “Import/Export” e “Importar Imagens”.
  11. Depois, selecciona a opção “Competition Emblems” no ecrã “Import Images”.
  12. Selecciona todas as imagens individuais (não as pastas) e prime OK.
  13. Finalmente, tens de editar cada competição manualmente com os seus logos recém-importados usando as páginas “Competition Category” que se seguem à importação dos logos.

Depois de teres feito estes passos, tens agora um conjunto completo de equipas com nomes, logos, torneios, kits e medalhas oficiais, como se estivesses a jogar uma versão completamente licenciada do jogo.

Algumas das ligas e jogadores mais obscuros incluídos nesta imagem da option file para PC, com link abaixo.

As coisas são um pouco mais turvas para os jogadores PC de PES 2019, com a instalação do patch feito por fãs obrigando a um processo distinto, se bem que mais fácil, quando comparando com o método da pen na PS4. Os patches para PC podem também ser um pouco mais difíceis de encontrar depois do lançamento, mas já estão disponíveis.

Uma opção é este patch do site pes-patch.com, apesar de ainda não ter sido testado no PC no momento de escrita deste artigo – mantém-te atento aos patches do PES World nos próximos tempos.

Outro site, patch PTE, também poderá ter algum brevemente. Para os instalares, segue os passos simples a seguir:

  1. Usa um dos links acima e descarrega o patch.
  2. Segue as instruções e comandos dados depois de descarregado.
  3. Quando o instalador perguntar por uma pasta para onde exportares no PC, selecciona a pasta de instalação do PC. Para os jogadores do Steam, por exemplo, isto seria C:SteamSteamAppsCommonPro Evolution Soccer 2019 (nota que a letra da drive irá mudar de acordo coma drive onde instalas o jogo).
  4. Testa se a instalação funcionou ou não indo ao menu Edit do jogo, como farias para instalar ou editar as equipas manualmente na PS4, e depois seguindo para o menu Teams e verificar os seus nomes, logos e kits.

E este é o processo para os jogadores de PC mas nota que patches mais complexos poderão surgir com o tempo. Não te esqueças de estar atento a sites da comunidade como PesWorld e Pes-Patch nas próximas semanas.

Infelizmente para os donos da Xbox One, não existe a habilidade de transferir e instalar a option file presentemente. Em vez de poderes simplesmente importar ficheiros externos a partir de uma pen USB, jogadores para a Xbox One terão que editar as equipas, kits e competições manualmente dentro do jogo.

Felizmente, PES 2019 inclui um editor construído dentro do jogo, como no ano passado. Segue para a opção Edit de novo e encontrarás a opção para alterar manualmente certos aspectos como o nome das equipas – compilámos uma lista com os nomes reais das equipas para te poupar tempo – juntamente com nomes das competições, cores do kit (se bem que sem patrocinadores e logos) e mais informações.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*