Como aprender a ser um engenheiro de software de graça

Você sabe programar?”. Essa é uma nova pergunta feita em entrevistas de emprego/estágio que pode fazer a diferença na contratação. Antigamente, o diferencial era saber fazer inglês. Hoje, é questionado quantos idiomas você sabe falar, se você já fez intercâmbio e, dentre outras perguntas, uma sobre seus conhecimentos básicos em programação.

Normalmente, todo curso de engenharia possui pelo menos uma matéria de programação na grade. Não há um padrão sobre a linguagem ensinada porque o objetivo é fazer com que os alunos entendam a lógica de programar.

Você precisa entender como um computador funciona e “pensar” como um computador. Se você entende a lógica, você pode programar em quase todas as linguagens, basta entender o funcionamento básico de cada uma.

Por isso, preparamos uma lista básica sobre alguns cursos de programação gratuitos que podem te ajudar a entender um pouco mais sobre programação e as linguagens utilizadas.

Como Aprender a Ser um Engenheiro de Software de Graça

Imagem: wedevz.com

“Todos os alunos, em todas as escolas, devem ter a oportunidade de aprender ciência da computação”. Esse é o lema do Code.

org, uma organização que dissemina o ensino de programação, com foco nas crianças e com um incentivo extra para as meninas.

O site possui versão em português e é bem didático, com jogos para os alunos e suporte para os professores. A experiência vai de Frozen à Star Wars.

Como Aprender a Ser um Engenheiro de Software de Graça

Página principal do Code.org

No Codecademy é possível encontrar cursos básicos em várias linguagens diferentes, como HTML & CSS, JavaScript, jQuery, PHP, Phyton e Ruby. (Site em inglês).

“Seja a mudança! Faça a diferença! O código é a nova linguagem de que todos falam e qualquer pessoa pode aprender. Você já sabe o que vai fazer com ele?”. Parece um livro de autoajuda, mas é um site de uma parceria entre Microsoft com a Code.org para ensinar programação. Ele é em português e permite jogar Minecraft em um dos módulos.

Como Aprender a Ser um Engenheiro de Software de Graça

Página principal do Eupossoprogramar

A Code School oferece alguns cursos gratuitos de programação (não todos!). O objetivo é que o aluno aprenda na prática. Possui uma plataforma bem interativa, com tutoriais e jogos (tem até jogos de zumbi!). (Site em inglês).

Como Aprender a Ser um Engenheiro de Software de Graça

Página principal do Code School

A Fundação Bradesco oferece cursos gratuitos, em português e com direito a certificado. Além de cursos na área de programação, é possível encontrar outros cursos que possam ser úteis para você, como os do Pacote Office, administração, comportamental, dentre outros.

Esse curso é uma introdução à programação e é voltado, principalmente, para crianças, como o nome diz. É uma iniciativa do governo de São Paulo.

Como Aprender a Ser um Engenheiro de Software de Graça

Página principal do curso de Introdução à Programação

O site oferece aulas sobre programação envolvendo lógica, estrutura de algoritmos e operadores matemáticos. É possível, ainda, aprender alguns recursos de Java, Delphi, HTML5, PHP e outros.

Nenhum engenheiro é obrigado a saber tudo sobre programação, principalmente porque cada curso possui um objetivo específico. Porém, ao operar uma máquina, é importante saber pelo menos como é seu funcionamento básico.

Entender de programação – não necessariamente saber programar –  faz diferença no mercado de trabalho (experiência própria!), então é hora de deixar a preguiça de lado e investir um pouquinho do seu tempo em prol do seu currículo.

Ainda, você também pode incentivar as crianças para que elas conheçam a programação por meio desses sites. Um dos temas já discutidos em algumas escolas é sobre promover o contato das crianças com a programação para que elas desenvolvam o raciocínio lógico, como você pode ver neste post.

Referências: Learn to code with me; Entrepreuner; Galileu; Canal do Ensino.

Como Aprender a Ser um Engenheiro de Software de Graça

Doutoranda, mestre e engenheira. Fascinada por tecnologia, curiosidades sem sentido e cultura (in)útil. Viciada em livros, filmes, séries e chocolate. Acredita que o conhecimento é precioso e que o bom humor é uma ferramenta indispensável para a sobrevivência.

Tutorial completo sobre como se tornar um engenheiro de software

Como Aprender a Ser um Engenheiro de Software de Graça

Há algum tempo, a engenharia de software tem sido uma das profissões mais populares e procuradas no campo de TI. Parece que com o tempo, mais e mais pessoas estão fazendo a pergunta – como se tornar um engenheiro de software? Essa é uma carreira que é famosa por oferecer salários altos e segurança de emprego. É bastante simples entender por que alguém queira se tornar um software engineer. Se você é uma dessas pessoas – sentado aí e imaginando quanto tempo leva para se tornar um engenheiro de software – você veio ao lugar certo.

Neste tutorial, falaremos sobre os aspectos mais importantes sobre como se tornar um engenheiro de software.

Começaremos descrevendo a profissão em si (e contando como ela é diferente do desenvolvimento de software – isso parece ser algo que muitas pessoas tendem a confundir).

Depois disso, falaremos sobre as principais coisas que você precisa saber para se tornar um engenheiro de software. Finalmente, abordaremos o que motiva as pessoas a escolher essa especialidade.

Introdução

Seria um pouco difícil falar sobre como se tornar um engenheiro de software sem primeiro estabelecer uma ideia clara do que é essa especialidade.

Mesmo que você já tenha uma imagem clara dessa profissão, talvez você ainda possa aprender algo novo? Além disso, vou contar uma regra simples, porém super eficiente, de como você pode distinguir os engenheiros de software dos desenvolvedores de software.

Os engenheiros de software lidam com a criação das plataformas nas quais o software é construído . Embora isso possa parecer confuso a princípio, você pode pensar da seguinte maneira: se um software específico for uma casa, os engenheiros são responsáveis ​​por construir a base sobre a qual a casa ficará. Um processo bastante complexo!

Agora, como os engenheiros de software diferem dos desenvolvedores de software? Bem, uma regra prática é entender que os engenheiros de software PODEM ser desenvolvedores de software, mas os desenvolvedores de software NÃO PODEM ser engenheiros de software (na maioria das vezes). Os desenvolvedores de software criam o software e tudo ao seu redor, enquanto os engenheiros são responsáveis ​​pela criação do núcleo real do programa.

Com isso dito, você provavelmente entende agora que a carreira de engenheiro de software é cheia de muitas tarefas e surpresas diferentes. Esses engenheiros precisam ter bons conhecimentos ​​em vários campos da TI – concentrar-se somente em trabalho específico não será suficiente.

Agora que fizemos uma breve introdução, você deve ser capaz de distinguir um engenheiro de software de um desenvolvedor. Para continuar nosso tutorial, vamos direto ao assunto sobre como nos tornarmos engenheiros de software.

Como se tornar um engenheiro de software?

Uma vez que esta profissão é tão multi-camadas, provavelmente não será nenhuma surpresa para você quando eu disser que é preciso de uma grande quantidade de requisitos para se tornar um engenheiro de software.

No entant, nós não vamos cobrir todos eles. O que realmente faremos é focar em três grandes fatores que determinarão seu sucesso no campo da engenharia de software.

Esses três fatores são formação, experiência e motivação.

Formação

A formação é provavelmente o aspecto mais importante quando se trata de trabalhar no campo da engenharia de software. Se você quer o que é preciso para se tornar um software engineer, tenha sempre em mente que uma formação adequada deve ser seu primeiro objetivo.

Depois de terminar o ensino médio, você realmente terá algumas escolhas diferentes em termos de formação. Primeiro de tudo, o caminho mais comum é se matricular em uma faculdade ou universidade.

Você deve escolher um curso relacionado à engenharia de software – ciência da computação, matemática ou mesmo engenharia de software (se você conseguir encontrar uma instituição de ensino que ofereça essa especialidade). Durante os seus anos de universidade, você deve focar toda a sua atenção em manter suas notas o mais alto possível.

A razão para isso é muito simples. Se você mostrar ótimos resultados desde o primeiro dia, você maximizará suas chances de se tornar um engenheiro de software.

Muitas pessoas parecem se perguntar quanto tempo se leva para se tornar um engenheiro de software. Bem, isso realmente depende da quantidade de esforço que você faz e da rota que escolheu para abordar a carreira de engenheiro de software.

Se você seguir o caminho tradicional, e passar três ou quatro anos em uma universidade ou faculdade, você poderá obter um emprego assim que se formar (supondo que tenha trabalhado duro e tenha divulgado seu nome).

No entanto, há outra alternativa, tornarse um engenheiro de software autodidata .

Como Aprender a Ser um Engenheiro de Software de Graça

Se você decidir pular completamente a universidade ou a faculdade, você poderá escolher aprender com recursos online.

Cursos, tutoriais,… Há muitos métodos diferentes para fazer isso! Embora esta nova forma de aprendizado esteja se tornando cada vez mais popular em outras especialidades, as coisas são um pouco diferentes para pessoas que querem aprender a como se tornar um engenheiro de software.

Leia também:  Como amar a jesus como ele o ama: 6 passos (com imagens)

Isso ocorre principalmente porque a engenharia de software é considerada uma especialidade muito abrangente – há muitas coisas diferentes que você deve dominar para se tornar um engenheiro de software completo.

Esta é naturalmente uma tarefa realmente difícil – ela torna-se ainda mais complexa quando você decide aprender por conta própria. A maioria das empresas ainda é prefere contratar pessoas com diplomas”. No entanto, se você conseguir encontrar um programa on-line que também ofereça uma certificação, você aumentaria suas chances de ingressar na carreira de engenheiro de software.

Em suma, a formação adequada é super importante para as pessoas que querem saber como se tornar um engenheiro de software. É definitivamente aconselhável estudar este tópico (ou qualquer outro relacionado a ele) em uma faculdade ou universidade. Além disso, se você tiver a oportunidade de obter um mestrado, depois de terminar seu bacharelado, isso seria uma grande adição ao seu currículo!

Experiência

Se você acabou de terminar seus estudos, é provável que você tenha quase nenhuma experiência no campo. Afinal, você provavelmente não estaria procurando informações sobre como se tornar um engenheiro de software, caso já fosse um engenheiro experiente.

A experiência é uma parte importante da engenharia de software. Naturalmente, isso se aplica à pessoas que desejam obter um emprego bem remunerado desde o início.

Se você está apenas começando, você provavelmente não está mirando em um desses trabalhos .

Dito isto, pode ser difícil encontrar um emprego de engenharia de software iniciante por causa da competitividade no mercado de trabalho.

Uma coisa a ter em mente, quando você está aprendendo a como se tornar um software engineer, é que existem muitas maneiras diferentes de ganhar experiência. A experiência passada é apenas uma delas.

Lembra quando falamos em dar tudo o que você tem desde o primeiro dia de seus estudos? Bem, isso também se aplica quando aqui. Seminários, workshops e projetos individuais – se você é um membro ativo da comunidade de engenharia de software, sem dúvida será notado mais cedo ou mais tarde.

Projetos pessoais são ótimos porque você não apenas pratica suas habilidades, mas também construir um portfólio, que complementará seu currículo.

Vale a pena mencionar que os empregadores hoje estão realmente muito mais flexíveis quando se trata de contratar pessoas que têm pouca ou nenhuma experiência no campo.

Muitas empresas têm programas especiais de treinamento destinados aos recém-chegados – os empregadores prestam tanta atenção à personalidade de uma pessoa, assim quanto às suas habilidades.

No entanto, se você realmente quer aprender a como se tornar um engenheiro de software, você deve tentar obter o máximo de experiência possível, qualquer que seja a experiência.

Motivação

Por fim, a motivação terá um grande papel na hora em que você for procurar um emprego como engenheiro de software. Ela é também um dos fatores decisivos para a questão “ quanto tempo leva para se tornar um engenheiro de software? ” Deixe-me explicar.

Muitas pessoas tendem a pensar que a motivação só é relevante quando você está indo para uma entrevista de emprego.

Isso não poderia estar mais longe da verdade! A motivação tem que ser algo que você aplica todos os dias, seja em tarefas universitárias, projetos individuais ou em trabalhos reais.

Se você se motivou para ser um engenheiro de software, isso ficará óbvio pelo trabalho que você faz.

Além disso, motivação significa que você realmente dedica tempo e esforço para pesquisar o assunto, mesmo quando “não precisa ”. Se o seu trabalho de engenharia começa e termina em uma hora específica, você não pode realmente dizer que está motivado ou apaixonado pelo assunto.

Para realmente se destacar da multidão de pessoas que estão procurando maneiras de se tornar engenheiros de software, você tem que gastar tempo aprendendo sobre isso. Mesmo nos fins de semana, feriados e outros períodos de tempo livres que você possa ter.

No entanto, Se você não estiver motivado, isso será extremamente difícil fazer.

Você pode pensar que tudo isso é bastante subjetivo, mas acredite, é algo importante. Como eu mencionei anteriormente, essa carreira é muito competitiva – haverá muitas pessoas tentando obter a mesma vaga para a qual você está se candidatando. Se você não tem algo que faz você se destacar da multidão, será muito difícil conseguir o emprego.

Além disso, quando você realmente começar a trabalhar em seu primeiro emprego de engenharia de software, sua motivação (além de algumas outras coisas) determinará a rapidez com que você consegue subir na carreira.

Por que se tornar um engenheiro de software?

Agora que abordamos os principais aspectos de como nos tornarmos engenheiros de software, vamos dar um passo atrás e falar sobre por que as pessoas querem entrar nessa carreira.

Primeiro de tudo, segurança no emprego. Se você conseguir um emprego de engenheiro de software em uma empresa, pode ter certeza de que terá todas as possibilidades de construir uma sólida carreira. Engenheiros de software raramente mudam de local de trabalho.

Como Aprender a Ser um Engenheiro de Software de Graça

Outra grande razão para as pessoas amarem essa profissão é o salário. De acordo com a Glassdoor.com , os engenheiros de software nos EUA ganham cerca de US $ 103.000 por ano, ou seja, um pouco mais de US $ 8580 por mês. Esse é um salário incrível! Verdade seja dita, a carreira requer uma enorme quantidade de tempo e esforço, mas as recompensas são realmente vale a pena.

Conclusões

Então, chegamos ao final deste tutorial “Como se tornar um engenheiro de software“. Agora, além de conhecer alguns dos principais requisitos para se tornar um engenheiro de software, você também é capaz de fornecer uma breve descrição do trabalho em si e de explicar como ele difere do trabalho de um desenvolvedor de software.

Espero que as informações fornecidas neste artigo tenham sido úteis para você e que você tenha conseguido encontrar o que estava procurando. Desejo-lhe tudo de melhor em sua carreira de engenheiro de software!

Curso de engenharia de software: conheça as principais matérias

Fazer o curso de Engenharia de Software, basicamente, é aprender sobre os conhecimentos científicos e técnicos que envolvem os projetos tecnológicos.

Para isso, é necessário passar por diversas matérias que fornecerão o aprendizado ideal para o profissional sair da graduação e se posicionar no mercado de trabalho.

Neste texto, explicamos o que é a Engenharia de Software, as principais matérias do curso e as habilidades desses engenheiros. Confira!

Como Aprender a Ser um Engenheiro de Software de Graça

O que é Engenharia de Software?

A Engenharia de Software é uma área voltada para a computação, mais precisamente no âmbito do desenvolvimento, gerenciamento e manutenção de softwares. Esse engenheiro dedica-se exclusivamente a todos esses processos que envolvem a criação de softwares. Além disso, o profissional também trabalha na criação de aplicativos, jogos e ferramentas.

Resumindo, ele é quem cuida de todos os processos que envolvem a criação de um software, desde a sua concepção até sua distribuição no mercado digital.

Quais são os objetivos dos engenheiros de software?

Os engenheiros de software têm como objetivo aplicar a teoria, as técnicas e ferramentas da ciência da computação para o desenvolvimento de softwares.

Além disso, esses profissionais também são responsáveis por aplicar métodos para gerenciar todo o processo de produção. Nessa área, seus objetivos são planejar as demandas em curto prazo, montar, gerenciar equipes e garantir qualidade aos produtos.

Quais as matérias do curso de Engenharia de Software?

Para ser um engenheiro de software, o estudante deve cursar disciplinas que tratam de assuntos mais específicos até os mais genéricos.

Reunimos as principais para que você consiga ter uma ideia de o que aprenderá neste curso:

  • Fundamentos e arquitetura de computadores;
  • Engenharia de software;
  • Engenharia de requisitos;
  • Modelagem de software;
  • Cálculo diferencial e integral;
  • Gerenciamento de software;
  • Design e interação;
  • Empreendedorismo;
  • Gestão de projetos;
  • Segurança e auditoria de sistemas.

Como Aprender a Ser um Engenheiro de Software de Graça

Conheça as principais habilidades desses engenheiros

Para ser um engenheiro de software, é necessário ter algumas habilidades específicas. Veja quais são elas:

1. Desenvolvimento de aplicativos

  • Uma das principais habilidades de um engenheiro de software depois de finalizar a graduação é a de desenvolvimento de aplicativos.
  • Para isso, o profissional deve estar bem instruído e estar por dentro de todas as novas tendências e tecnologias da área.
  • Pode parecer uma função fácil, mas, para executar essa habilidade com eficiência, o engenheiro deve ter boas referências e, além disso, ter cursado em uma faculdade com bons professores.
Leia também:  Como cancelar um pagamento recorrente no paypal: 7 passos

2. Gerenciamento de negócio

  1. Além de desenvolver, um ponto importante para o engenheiro de software é o de gerenciamento de negócio e projetos.

  2. Exercendo essa função, o profissional deve gerenciar o negócio e todos os projetos que envolvem a área de computação e software da empresa.

  3. Isso significa que o engenheiro de software é responsável pelo sucesso desses softwares, ou seja, pela qualidade do trabalho prestado.

3. Trabalho em equipe

No curso de Engenharia de Software, existe uma matéria específica para aprimorar os conhecimentos do profissional em gestão.

Isso facilita muito para que o engenheiro de software consiga trabalhar e gerenciar equipes e projetos ao longo da sua carreira.

Ter a habilidade de coordenar grandes projetos não é uma tarefa fácil. Por isso, o engenheiro deve ter os melhores conhecimentos possíveis.

Além disso, o engenheiro deve ter a capacidade de conversar com colegas e demandar as tarefas para cada um deles, visando sempre a qualidade e o sucesso do projeto.

4. Organização e persistência

O que seria de um engenheiro de software sem organização e persistência? Pois então, essa é uma das habilidades que esses profissionais aprendem no curso.

  • A organização, por exemplo, é essencial para que os serviços sejam realizados na melhor qualidade possível.
  • Já a persistência deve aparecer nos piores momentos, onde nada parece dar certo.
  • Assim, no final, o resultado de persistir no projeto e na ideia é totalmente satisfatório e compensador.

5. Inovação e tecnologia

  1. Se você não gosta de acompanhar as inovações que acontecem no mundo e não se interessa pela tecnologia, o curso de Engenharia de Software não é para você.
  2. Nele, além de aprender sobre isso, você terá que ter habilidade e percepção suficientes a respeito das tendências do mercado.

  3. Isso envolve diretamente as inovações e tecnologias que estão sendo utilizadas no mercado para o desenvolvimento dos softwares.
  4. Portanto, ao finalizar a graduação, o engenheiro já deve estar atento nisso e buscar trazer todos os conhecimentos para o desenvolvimento e gerenciamento dos seus projetos.

6. Capacidade de se atualizar

  • Um dos pré-requisitos para ser um bom engenheiro de software é ter capacidade para se atualizar, ou seja, andar de mãos dadas com a tecnologia.
  • A Engenharia de Software prepara os profissionais para isso, que devem sair do curso atentos a todas essas atualizações.
  • Sabemos que o universo digital está em crescimento no Brasil, e isso demanda cada vez mais que os engenheiros busquem essas novas atualizações, tecnologias e tendências.

Em qual universidade cursar Engenharia de Software?

Agora que você já sabe o que é Engenharia de Software, quais são as principais matérias do curso e habilidades de um profissional, queremos te apresentar a Unicesumar, um dos melhores centros universitários do país, que oferece o curso de Engenharia de Software autorizado pelo MEC.

Saiba mais informações sobre a Instituição e o curso clicando aqui.
Como Aprender a Ser um Engenheiro de Software de Graça

Comentários

Comentários

Como se tornar um engenheiro de software em um ano – Building Kovi

Oct 1, 2019 · 14 min read

Como evitar os principais erros de quem está iniciando na área de tecnologia como desenvolvedor.

Como Aprender a Ser um Engenheiro de Software de Graça

Meu background

Vou compartilhar um pouco do meu background apenas para que você entenda que qualquer pessoa pode entrar no mundo de desenvolvimento, não importa o histórico. Eu nasci no norte no Brasil, uma região muito pobre e ao mesmo tempo muito rica.

Mudei para São Paulo em 2004 e em 2008 entrei em um curso técnico de eletrônica. Lá, foi onde tive o meu primeiro contato com a programacão, aprendendo Assembly, e me apaixonei. Mas infelizmente após o curso, nunca fiz nada relacionado a programação.

Trabalhei 9 longos e estressantes meses em uma empresa, consertando equipamentos de telefonia. Após, trabalhei com instalação de câmeras e fundei minha empresa de um homem só, onde por 4 adoráveis anos trabalhei com vendas online.

Após 4 anos, decidi que iria me dedicar a minha paixão, que era a programação. E foi onde me tranquei no meu escritório em casa e estudei com afinco por 1 ano. Após esse ano, entrei na Kovi como engenheiro de software.

Aqui nesse artigo eu revelo meus erros e acertos e espero que isso seja de ajuda para aqueles que querem iniciar no mundo do desenvolvimento.

Porque da decisão?

Gostaria de explicar primeiramente porque decidi migrar para a área de desenvolvimento.

Primeiramente, sempre fui apaixonado por tecnologia e afins, então, migrar para essa área era o mais natural. O segundo motivo é a flexibilidade que essa área pode oferecer.

Mas acredito que vale ressaltar que todas as decisões que tomei em relação a minha carreira foram guiadas por 3 objetivos básicos.

  • 1 trabalhar por conta própria.
  • 2 trabalhar de qualquer lugar.
  • 3 não ser obrigado a trabalhar.

Disclaimer!

Aqui gostaria de explicar porque usei a palavra engenheiro. Neste artigo, eu espero ajudar você a se preparar para planejar, projetar e executar algo, no caso, usando a arte do desenvolvimento de software.

Mas entendo que esse título pode gerar polêmicas.Então, apenas entenda que usei a palavra engenheiro por uma convenção, tendo em mente que o engenheiro é alguém que materializa uma ideia.

Ou seja, planeja, projeta e executa.

A engenharia também supõe a aplicação da inventividade e do engenho para desenvolver uma determinada atividade.

O objetivo?

Se tornar um engenheiro de software em aproximadamente um ano, estudando da forma mais otimizada possível.

Pontos a se considerar para atingir o objetivo

Abaixo, dou os passos que eu considero os mais efetivos para atingir o objetivo supra mencionado. Nem todos os passos são sequenciais.

Eu apontarei meus erros e acertos para que você use somente os acertos, sem ser dogmático. Quando comecei a estudar, teria sido de imensa ajuda se eu tivesse pelo menos uma direção, como esse artigo.

Vários dos problemas que eu tive poderiam ser evitados.

Você precisa de uma faculdade? Eu não vou me aprofundar nesse tema, pois existe uma discussão ferrenha sobre isso. A decisão deixo com você, tudo que tenho a dizer é que não é necessário, embora seja de ajuda.

A tecnologia quebra paradigmas, a vida de um desenvolvedor é estudar sempre. Na Kovi, empresa em que estou hoje, temos excelentes desenvolvedores e praticamente nenhum fez faculdade.

O que não faltam são exemplos de pessoas importantes nesse meio que não possuem curso superior.

Por favor, leia todos os passos. Para alguns deles, é interessante que você os execute durante todo o ano, mesmo que este não seja o plano principal em execução.

Exemplo, é o passo 9 sobre networking, você não faz networking da noite para o dia, então desde o início tente sempre desenvolver sua rede de contatos e se ambientar nesse meio, sem deixar que isso se torne o foco até que chegue o momento.

Não seja dogmático. Se estiver cansado, pare um pouco, estudar deve ser prazeroso. Algumas vezes eu simplesmente ficava uma semana inteira sem estudar, pois precisava refrescar a mente.

Viaje, procure por experiências novas, visite algum lugar que você nunca foi em sua cidade, novas experiências aguçam a capacidade de aprender. Lembre-se que o processo de aprendizado nessa área nunca para, então se não gostar do que estudar, nem entre na área.

Não necessariamente você precisa seguir esse passo a passo em um ano, tanto que nem estimei alguns dos passos.

Ciência e engenharia da computação: quais as diferenças e qual escolher?

A área de computação é bastante promissora em termos de emprego e boas colocações no mercado de trabalho. Contudo, pode não ser assim tão simples escolher um curso superior, já que as principais opções estão entre engenharia ou ciência da computação. Mas, afinal, qual a diferença entre os dois e qual é o melhor caminho a seguir? 

O Canaltech conversou com professores e coordenadores de cursos superiores para facilitar o entendimento. De forma mais simples, a ciência da computação é um curso mais voltado a software, enquanto engenharia da computação tem mais foco em hardware. 

De acordo com o Ministério da Educação, os alunos de ciência da computação precisam “ter capacidade de construir aplicativos de propósito geral”. No jargão do setor, estes profissionais devem trabalhar com desenvolvimento. 

“O curso de Ciência da Computação tem duração de 4 anos e é mais focado no desenvolvimento de softwares e estudo de linguagens de programação bem como no desenvolvimento de aplicações para suprir as necessidades de softwares das empresas”, explica o professor Ricardo de Almeida Pinto, coordenador do curso de Engenharia de Computação da Universidade Anhembi Morumbi, em entrevista o Canaltech.

Já os engenheiros, segundo o Ministério, precisam “conseguir analisar e projetar sistemas de computação (software, hardware e redes)”. Ou seja, de acordo com o jargão da área, estes profissionais se dedicarão a trabalhar com sistemas.

“O curso de Engenharia de Computação tem duração de 5 anos. Nele, os alunos também aprendem linguagens de programação, mas o foco maior é em hardware.

Neste curso focamos mais em sistemas que integram hardware e software e, por ser um curso de Engenharia, tem disciplinas tradicionais da área, como Cálculos, Físicas, Química e outras disciplinas necessárias para a formação do engenheiro”, aponta Almeida. 

Leia também:  Como calcular a pressão arterial média: 14 passos

Ou seja, o profissional de Engenharia da Computação também precisa ter noções de como projetar todo um sistema para outras pessoas usarem.

Apesar de ter áreas de atuação bastante diferentes, os cursos também têm semelhanças e por vezes podem até levar a trabalhos parecidos.

“As linguagens de programação, modelagem de dados, redes de computadores e robótica, por exemplo, sempre terão aplicação direta de engenheiros e cientistas da computação.

Outro ponto em comum são as disciplinas de cálculo presentes nos dois cursos e que são de fundamental importância para a formação dos alunos”, explica o professor André Vinicius Garcia, coordenador dos cursos de Computação e Tecnologia da Anhanguera Santana, ao Canaltech.

Mercado de trabalho 

Os especialistas acreditam que o mercado está bastante aquecido em ambas as áreas. Dessa forma, a expectativa é de que uma pessoa que entre em um curso desses tenha boas oportunidades de emprego no futuro. 

“O futuro está na programação, seja para aplicativos móveis (mobile), quanto web e na domótica (automação residencial). Todas elas são áreas que estão crescendo muito. É uma demanda da sociedade de uma forma geral”, acredita Almeida. 

Contudo, cada área pode ter a sua especificidade. Por exemplo, quem se forma em engenharia da computação também tem as capacidades de um engenheiro, o que pode dar vantagens no mercado de trabalho.

“Minha opinião é que a formação em Engenharia de Computação é mais abrangente, permite buscar mais oportunidades de trabalho no mercado, além de permitir que o profissional tenha registro no CREA [Conselho Regional de Engenharia e Agronomia] e, com isto, posso assinar, como responsável, projetos de engenharia em sua área”, comenta Guilherme Marcondes, vice-diretor do Inatel e coordenador dos cursos de Engenharia de Computação e Engenharia de Software. Ele ainda lembra que, para setores de eletrônica, a demanda por engenheiros é maior. 

Como Aprender a Ser um Engenheiro de Software de Graça  Guilherme Marcondes, do Inatel (Foto: Divulgação/Inatel)

Por outro lado, Garcia acredita que, na verdade, é o cientista da computação que tem uma área de atuação mais ampla.

“Ciências da Computação permite que o profissional trabalhe em diversas funções de tecnologia como desenvolvimento, programação, análise de sistemas, segurança de dados, gestão de áreas de tecnologia ou mesmo na criação de uma startup digital.

Desta forma, se considerarmos abrangência, o cientista de computação teria diversas opções de atuação, já o engenheiro de computação teria uma atuação mais restrita voltada à área industrial e produção”, opina. 

Apesar das divergências de opinião, os três professores são unânimes em dizer que, para além da faculdade, vale a pena ficar de olho nas tendências em linguagem de programação.

“Hoje em dia as empresas têm pedido muito profissionais com conhecimento em Phyton, por exemplo, que é uma linguagem relativamente recente e que está mudando a forma como ensinamos programação atualmente.

O profissional desta área de TI, independentemente se for de Ciência ou Engenharia de Computação, precisa focar em certificações técnicas e se especializar cada vez mais na sua área de atuação”, conta Almeida.

Descubra os 5 melhores programas para engenheiros – Blog CAE

Cursar engenharia pode ser uma boa oportunidade para quem busca sucesso no mercado de trabalho. Mas, infelizmente o modelo atual de ensino superior não oferece muita experiência prática aos alunos, ficando a cargo dos estudantes buscar alternativas, seja por meio de cursos que abordam programas para engenheiros ou cursos de qualificação, por exemplo.

A vida financeira de um estudante universitário geralmente não é das melhores, entretanto, se atualizar com ferramentas e recursos que vão além dos que a universidade oferece se torna quase que obrigatório. Essa necessidade se explica devido à alta concorrência que grande parte dos profissionais recém-formados enfrentam ao entrarem no mercado de trabalho.

Existem diversos softwares e programas de engenharia que são considerados importantíssimos para uma boa formação profissional. Confira cinco deles no post que preparamos!

1. AutoCAD

O AutoCAD apresenta funcionalidade técnica para praticamente todas os ramos da engenharia. Com a principal finalidade de elaboração de desenho técnico, é um programa que oferece várias opções e recursos sem necessariamente demandar grandes dificuldades durante a execução.

Por ser mundialmente conhecido, tornou-se um dos programas referência para a elaboração de projetos e desenhos de engenharia.

Funções e vantagens:

  • permite elaboração de desenho técnico em 2D e 3D;
  • não é limitado a específicas unidades dimensionais, ou seja, o operador escolhe em qual unidade trabalhará (metro, polegada, pés etc.);
  • possibilita o desenvolvimento do desenho tanto de uma peça isolada quanto de um complexo conjunto com inúmeras peças e detalhes;
  • de fácil manuseio, não é considerado um programa complicado de se aprender, sendo possível o domínio de ferramentas importantes com algumas semanas de aprendizado;
  • oferece uma excelente visão espacial;
  • com uma boa qualidade gráfica, é compatível com outros diversos softwares de engenharia;
  • disponibilizado em versões com licença gratuita para estudantes.

Como Aprender a Ser um Engenheiro de Software de Graça

2. Excel

Talvez por ser um programa popularmente conhecido e instalado em grande parte dos computadores residenciais, as pessoas normalmente subestimam a real capacidade e alcance desse software.

Grande parte dos que julgam saber utilizar o Excel conhecem apenas alguns recursos e simples ferramentas para aplicações de controle financeiro em geral. Entretanto, esse programa apresenta um elevado nível para processamento de dados.

Funções e vantagens:

  • armazenamento, processamento e controle de dados por meio de planilhas dinâmicas;
  • capacidade de processar gigantescos bancos de dados, com milhares de linhas e colunas;
  • elaboração de gráficos em diversos formatos por meio de dados previamente selecionados;
  • oferece a opção de inserir e processar infinitas funções de cálculo;
  • organiza dados oferecendo diversos padrões;
  • mesmo oferecendo ferramentas avançadas, o seu manuseio é extremamente simples e intuitivo;
  • é compatível com outros programas e softwares de finalidade financeira ou estatística, por exemplo.

3. SolidWorks

  • Seguindo na mesma linha do AutoCAD, entretanto mais sofisticado, esse programa auxilia os engenheiros de diversas áreas na elaboração de projetos, com foco no desenho técnico e ferramentas de simulações.
  • Com características gráficas avançadas em 3D, o SolidWorks permite ao navegador processar seu projeto por meio das várias funções de modelagem paramétrica de sólidos combinadas com uma ótima perspectiva espacial.
  • Bastante difundido e usado amplamente no mundo da engenharia, o software também é considerado como uma das referências se tratando de desenhos e modelagens.

Funções e vantagens:

  • criação, simulação e modelagem de desenhos em 2D e 3D;
  • oferece uma plataforma espacial com excelentes ferramentas de visualização, favorecendo o processamento e detalhamento de complexos conjuntos;
  • com uma ótima qualidade gráfica, o software também é compatível com outros diversos programas de engenharia;
  • possibilidade de criar protótipos virtuais em um curto tempo;
  • contribui para decisões sobre a viabilidade de um projeto e economia de tempo ao processá-lo;
  • disponibilizado em versões com licença gratuita para estudantes.

4. Minitab

Não tem como falar de projetos de engenharia sem realizar abordagens numéricas e estatísticas. O MiniTab é uma plataforma de análise de dados estatísticos que auxiliam em funções mais específicas, voltadas para o gerenciamento.

Trabalhar com estatística e probabilidades de forma manual se torna praticamente impossível diante de infinitas possibilidades. Por isso, esse programa é comumente utilizado por empresas e universidades.

Funções e vantagens:

  • elaboração, análise e processamento de dados estatísticos em geral;
  • oferece ferramentas de controle de qualidade e planejamento de experimentos;
  • não é considerado um programa de difícil aprendizado e manuseio;
  • é permitido seu download grátis na versão demo;
  • disponibiliza representação gráfica dos dados, o que facilita a compreensão;
  • não é necessário ter um computador possante para rodá-lo.

Você sabe a diferença entre Excel e Minitab? Nesse vídeo o nosso especialista Carlos Sander explica e também mostra em quais casos é melhor utilizar cada software.

Clique no botão abaixo para se inscrever no nosso canal!!!

5. Sketchup

Esse software é caracterizado por ser uma avançada plataforma para desenvolvimento de desenhos em 3D. O Sketchup é largamente utilizado principalmente por arquitetos e engenheiros civis, entretanto, também pode ser aplicado em qualquer atividade de engenharia que demanda o desenvolvimento de desenhos tridimensionais.

É importante destacar que o programa pode ser encontrado facilmente na internet em sua versão gratuita, facilitando assim para estudantes e profissionais que queiram aprender.

Funções e vantagens:

  • é compatível com outros diversos programas para engenheiros;
  • oferece uma grande liberdade ao usuário, viabilizando a realização de diversos desenhos nos mais variados formatos;
  • elaboração e desenvolvimento de desenhos em 3D;
  • oferece uma plataforma intuitiva, com a disponibilização de ferramentas sofisticadas e de fácil manuseio;
  • possibilita ao usuário fazer o detalhamento do projeto e a organização de lista de material;
  • proporciona desenhos com ótima qualidade gráfica e riqueza de detalhes;

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*