Como aplicar uma compressa gelada: 12 passos

Crédito: iStock

Normalmente quando temos alguma batida ou alguma lesão, nosso corpo sofre alguns traumas e os sintomas vem rapidamente: vermelhidão, dor, inchaço. São as respostas mais rápidas que o corpo sente diante desse trauma. Dificilmente nesses casos as pessoas vão ao médico de imediato, mas sempre recorre a boa receita caseira de compressa quente ou gelada.

Mas você sabe qual a diferença entre as duas? De fato são duas receitas muito boas, analgésicas e relaxantes… Mas para um tratamento eficaz é preciso saber qual compressa usar para o trauma certo.

Dê um olhada nessas dicas de qual a melhor escolha:

Compressa de gelo

Os casos mais recomendados para aplicar a compressa de gelo são os de pancadas, entorse nas articulações e até em alguns casos de inflamações locais, por exemplo:

  • Quando você está correndo e pisa de mal jeito e causa um entorse de tornozelo ou joelho;
  • Está na pelada de final de semana e recebe um chute na canela ou a famosa paulistinha;
  • Ou até mesmo numa bobeira de prender dedo na porta ou chutar o pé da mesa com o dedinho.

Nesses traumas é normal que alguns vasos se rompam provocando hematomas, vermelhidão e inchaço. A função da compressa gelada é fazer com que os vasos se contraiam diminuindo o fluxo de alguns fluídos. O gelo poderá diminuir algumas dores também, tratando alguma possível extensão do trauma.

Na hora da aplicação da compressa tome cuidado com as extremidades como dedos, nariz, orelha. São partes do corpo com estruturas nervosas muito sensíveis a mudança da temperatura.

Além disso, nunca coloque o gelo em contato direto com a pele, isso evitará possíveis queimaduras, atente-se ao tempo também, de 10 a 15 minutos é um tempo eficiente e seguro.

Você já se sentiu muito estressado ao ponto de sentir seus músculos travando? A compressa quente é ideal para essas situações. Ela também ajuda a tratar edemas e hematomas gerados há mais de 48 horas.

Compressa quente

A compressa quente tem função de aumentar o fluxo sanguíneo, assim diminui a tensão muscular. É indicada nas seguintes situações:

  • Pra quem passa muito tempo no computador e termina o dia com sensação de torcicolo;
  • Quando você faz um esforço muscular além do habitual e sente-se muito cansado;
  • Um longo período dirigindo ou sentado e suas costas (região lombar) estão te matando.
  • Antes de aplicar a compressa teste a temperatura, cada um aguenta uma determinada exposição ao quente, para evitar queimaduras a temperatura não pode estar muito alta.
  • Em regiões com sangramento ou hematomas não é aconselhado a aplicação da compressa quente, pois os vasos sanguíneos irão dilatar e isso pode aumentar o risco de sangramento.
  • O uso da compressa quente pode ser feito várias vezes ao dia, aplique-a e a mantenha no local até que ela esfrie.
  • Agora que você está por dentro disso, não sofra mais com dores, aplique a compressa ideal e vai mexer esse corpo!

Quando se usa compressa quente ou fria?

De uma maneira geral, a compressa feita com gelo é mais indicada em casos de traumatismo provocado por quedas ou pancadas. “A ação anestésica do gelo ajuda a evitar que o inchaço e o hematoma na região machucada fiquem muito grandes.

Já a compressa quente deve ser usada numa segunda etapa, cerca de dois dias depois do trauma. Se for uma distensão muscular, aplica-se a compressa quente de cinco a sete dias depois de ocorrer a lesão.

Ela ajuda a aumentar a circulação sangüínea na região afetada, diminuindo os riscos de uma inflamação”, afirma a fisioterapeuta Emília Nozawa, da Universidade de São Paulo (USP).

Existe ainda uma terceira alternativa, muito usada nos tratamentos pós-imobilização e pós-cirurgia: o chamado contraste.

“Depois que a pessoa retira o gesso, por exemplo, ou passa por uma cirurgia ortopédica, os membros – principalmente os inferiores – permanecem imóveis, o que causa uma circulação mais lenta.

Por isso, é comum aplicar uma alternância de compressas quentes e frias, que acabam funcionando como uma bomba, estimulando a circulação de sangue na região”, diz o ortopedista Wagner Taffo Thomazin, também da USP.

Veja também:

– Por que sentimos frio quando estamos com febre?

Continua após a publicidade

– Como agem os remédios antitérmicos?

CALORZINHO BOM

Aquecimento estimula a circulação e relaxa a musculatura

A compressa quente faz os vasos sangüíneos dilatarem, aumentando o fluxo de sangue na região tratada. Isso ajuda a conter o processo inflamatório. Se houver formação de hematoma ou edema (inchaço provocado pelo líquido extravasado), o calor amolece o líquido que vazou dos vasos e se acumulou em torno da região afetada. Isso auxilia na reabsorção do líquido pelo organismo

RECOMENDAÇÕES E CUIDADOS ESPECIAIS

Continua após a publicidade

Apesar de o frio reduzir tanto a dor quanto inchaços como edemas e hematomas, ele pode fazer mal a peles muito sensíveis. Por isso, não é aconselhável usar o gelo por mais de 12 minutos ininterruptos.

Entre uma aplicação e outra deve-se fazer um intervalo de, pelo menos, dez minutos. Além disso, é oportuno evitar o gelo em feridas abertas e queimaduras (caso em que é melhor usar a água fria como anestesia).

O frio também pode ser usado por atletas e ginastas na prevenção de cãibras e no tratamento de tensão e fadiga.

  • BENEFÍCIO GELADO
  • Além de anestésico, o frio contrai os vasos sangüíneos, diminuindo inchaços
  • 1 – Traumas provocados por quedas ou pancadas costumam romper os vasos dos sistemas sangüíneo e linfático. O vazamento desses dois líquidos – o sangue e a linfa – é responsável pelos inchaços (edemas e hematomas) que aparecem após a lesão
Leia também:  Como calcular o tempo takt no processo de produção

Continua após a publicidade

2 – Se logo após o trauma for aplicado gelo, os vasos se contraem, fazendo com que o fluxo do vazamento seja bem menor e, em conseqüência, o inchaço e o hematoma se reduzam também. Além disso, se a pele for resfriada a 12ºC ou 13ºC, os receptores de dor param de funcionar – daí o efeito anestésico do gelo

RECOMENDAÇÕES E CUIDADOS ESPECIAIS

Continua após a publicidade

O calor é indicado nos casos em que a pessoa sente dor mas não apresenta inchaço. Um exemplo é o começo de uma dor de dente, quando a inflamação ainda não se agravou, mas o sofrimento já é considerável. O mesmo vale para casos de reumatismo e tendinite.

Dependendo da área em que for aplicado, o calor pode tanto melhorar a respiração quanto diminuir a secreção ácida do intestino, aliviando dores renais e estimulando a produção de urina.

Compressas quentes também ajudam a combater as cólicas menstruais, devido ao relaxamento muscular na região do ventre.

TÉCNICA MISTA: O CONTRASTE

Continua após a publicidade

Alternância de quente e frio equivale a uma massagem

Existem casos em que a melhor pedida não é adotar extremos de temperatura isolados e sim a combinação de ambos.

A terapia chamada contraste usa a aplicação alternada de compressas frias e quentes para contrair e dilatar seguidamente os vasos sangüíneos, aumentando a circulação no local afetado.

A técnica é especialmente indicada para infecções, distensões, inflamações e dores de cabeça causadas por tensão nervosa ou muscular.

  • CORPO HUMANO /ANATOMIA/
  • músculo
  • Saúde
  • temperatura

Dores nas pernas: o que pode ser e como aliviar

Dores nas pernas podem ser causadas por diversos motivos. Dentre as doenças mais comuns que causam dores nas pernas estão os problemas de circulação, dor ciática, varizes, neuropatia (doença do sistema nervoso), fibromialgia, doença psicossomática, inflamação, entre outras.

Outras causas podem ser alergia ou intolerância ao glúten, uso de salto alto, lúpus, gota, doença de Paget, infecção por candidíase, deficiência de vitamina B12, excesso de esforço físico, tabagismo, excesso de peso, etilismo, uso de pílula anticoncepcional, postura incorreta, entre outras.

Baseando-se apenas na queixa de dores nas pernas fica difícil diagnosticar a causa do problema, para isso é necessário consultar uma médica ou médico para avaliar o histórico de vida do paciente, hábitos, contexto socioeconômico, exames e outros sintomas correlacionados às dores nas pernas.

Entretanto, além do diagnóstico da medicina tradicional, é preciso se informar e se conhecer, pois as doenças e/ou sintomas podem ter causas multifatoriais e muitas vezes a melhoria está na mudança de algum hábito de longo prazo.

Algumas vezes, remédios naturais e/ou sintéticos são apenas uma forma de tratar/remediar o sintoma, e não uma cura efetiva. Mas não deixam de ser necessários, afinal de contas, ninguém merece sentir dor.

Sendo assim, confira uma lista de remédios naturais que ajudarão a aliviar dores nas pernas:

Óleo de andiroba

O óleo de andiroba possui propriedades antissépticas, anti-inflamatórias, cicatrizantes, inseticidas e outros diversos benefícios, razões que fazem com que seja exportado para indústrias de cosméticos da França, Alemanha e Estados Unidos, além de ser comercializado em diversas regiões do Brasil.

Devido às suas propriedades anti-inflamatórias, o óleo de andiroba pode ser um bom aliado no combate às dores nas pernas. Para usufruir de seus benefícios, massageie o óleo de andiroba por toda a extensão das pernas e pés, com movimentos circulares e relaxantes.

Óleo essencial de manjericão-anis

O manjericão-anis, também conhecido popularmente como alfaca-cheiro-de-anis e cientificamente como Ocimum selloi Benth, é uma planta perene cujas folhas e flores são as principais partes utilizadas.

  • Manjericão: benefícios, como usar e plantar

Seu óleo essencial possui cineol, metilchavicol, linalol, flavonoides e ácidos triterpênicos (para saber mais sobre os terpenos, confira a matéria “O que são terpenos?”).

Os compostos desse manjericão possuem propriedades terapêuticas, antimicrobianas e analgésicas.

Ele pode ser utilizado na forma de infusão (chá) para problemas digestivos e eliminação de gases intestinais e na forma de tintura diluída em água para bochechos (indicada em casos de aftas), além de ação comprovada como repelente de insetos.

Por ser analgésico, o óleo essencial de manjericão-anis ajuda a combater dores nas pernas. Para aplicá-lo, primeiro faça o teste de alergia: dissolva uma gota de óleo essencial de manjericão em uma gota de algum óleo de cozinha e aplique-o em um pequeno espaço na região interna do seu antebraço.

Se por acaso você começar a sentir arder, significa que você tem alergia ao óleo essencial de manjericão-anis; nesse caso mergulhe um algodão no óleo de girassol (ou em qualquer outro óleo neutro) e retire os resíduos do óleo essencial do braço com o algodão.

Leia também:  Como ajudar um amigo que teve o coração partido

Procure outro remédio caseiro para aliviar suas dores.

Se você fez o teste e não apresentou sintomas de alergia, significa que você pode utilizar o óleo essencial de manjericão.

Então dissolva 15 gotas de óleo essencial de manjericão-anis em meio copo de óleo girassol ou óleo de coco ou óleo de semente de uva e massageie a mistura por toda a extensão das pernas e pés.

Para saber mais sobre as propriedades dos diversos tipos de manjericão, confira a matéria “Chá de manjericão e outras receitas para aproveitar benefícios”.

Argila amarela

A argila amarela proporciona alívio de dores articulares e a recuperação de lesões que foram provocadas por pancadas ou entorses, uma vez que aumenta a circulação local, oxigenando a região, o que a torna excelente para o tratamento de dores nas pernas.

  • Argila amarela: para que serve?

Ela pode ser usada em todos os tipos de pele, no entanto, peles secas e maduras são mais indicadas devido às ações que ela proporcionará.

A presença do silício em sua composição torna a argila amarela um excelente rejuvenescedor, pois esse é um elemento catalisador para formação do colágeno da pele e para aumentar a elasticidade. Dessa forma, combate e retarda o envelhecimento da pele.

O silício auxilia também na reconstituição dos tecidos cutâneos e atua como adstringente, desintoxicante e purificante – essas propriedades ajudam a reduzir inflamações e proporcionam efeito calmante, ótimo para peles irritadas.

Também tem ação cicatrizante devido ao alumínio presente que inibe o desenvolvimento de bactérias que podem causar espinhas, celulites e até mesmo pneumonias. Pode ser usado em ferimentos para acelerar a regeneração dos tecidos e para conter sangramentos, já que apresenta propriedade hemostática.

Além do silício, o ferro e o potássio têm a capacidade de manter a hidratação na pele, nutrindo-a, tonificando-a e dando elasticidade. Quando aplicada no corpo, proporciona sensação de bem-estar e alivia o estresse.

A argila amarela pode ser usada em pele acneicas, pois além de possuir ação anti-inflamatória, auxilia também na redução de manchas e absorve a oleosidade, muitas vezes o principal motivo do aparecimento de acnes (no caso do rosto principalmente), sem desidratar a pele.

A argila amarela é encontrada na forma de pó, portanto, para aplicá-la, misture-a com água pura ou soro fisiológico aquecidos até formar um creme.

Não misture com cremes hidratantes corporais ou capilares quando for aplicá-la.

Para aliviar as dores nas pernas aplique esse creme de argila aquecido sobre as pernas e espere secar (ou deixe agir durante 20 minutos); quando a água da argila tiver evaporado, enxágue-a no banho quente.

Óleo essencial de alecrim

O alecrim é popularmente conhecido por ser eficaz no tratamento de dores nas pernas. Mas não é só isso, o alecrim também possui propriedades antioxidante, anti-inflamatória, antimicótica, antimicrobiana, cicatrizante, anticaspa e estimulante mental.

  • O que são óleos essenciais?

Para aliviar as dores nas pernas, o óleo essencial de alecrim é ótimo, pois concentra as propriedades anti-inflamatórias do alecrim em pequenas quantidades.

Para utilizá-lo, primeiramente faça o teste de alergia assim como explicado anteriormente para o uso de óleo de andiroba.

Se após o teste você não apresentar sintomas de alergia, dissolva 15 gotas de óleo essencial de alecrim em meio copo com óleo de girassol ou óleo de coco ou óleo de semente de uva e espalhe nas pernas e pés fazendo uma massagem circular e relaxante.

Para saber mais sobre o alecrim confira a matéria “Como fazer óleo de alecrim caseiro”.

Bolsa de água fria

Quando as dores nas pernas forem causadas por inflamação e inchaço local, podemos tratá-las com compressas frias. Esse método reduz a circulação sanguínea para a área dolorosa, e, consequentemente, o inchaço e a inflamação.

Existem diversos tipos de compressas fria. Existem aquelas compradas em farmácias e também aquelas que você pode fazer em casa:

Toalha gelada:

Esse método é muito fácil de fazer em casa. Basta molhar uma toalha limpa, torcê-la para tirar o excesso de água, colocá-la dentro de uma sacola plástica e deixar resfriando no congelador por 20 minutos. Após esses passos, você pode aplicá-la no local das dores.

Leia também:  Como arremessar uma bola de basquete (com imagens)

Como a toalha não se manterá gelada por muito tempo, o ideal é que tenha outras toalhas de reposição que também passaram por resfriamento.

Compressa de gelo:

Esse tipo de compressa é ideal para situações de emergência. Basta pegar uma sacola plástica, preenchê-la com gelo e aplicar no local da dor.

Gengibre

O gengibre possui propriedades capazes de eliminar dores musculares e inflamações. Por ser um alimento rico em potássio e magnésio, estimula e melhora circulação sanguínea, o que facilita o bombeamento do sangue e ajuda a reduzir dores nas pernas.

  • Benefícios do gengibre e seu chá
  • Chá de gengibre: como fazer
  • Um estudo publicado no periódico Osteoarthritis Cartilage concluiu que pacientes com artrite dolorosa no joelho que receberam gengibre apresentaram menos dores e perdas de movimento do que aqueles que receberam o placebo.
  • Para aproveitar seus benefícios, você pode tomar duas xícaras de chá de gengibre com limão por dia e ainda aplicar o óleo de gengibre nas pernas fazendo massagens circulares e relaxantes.
  • Para saber como fazer o chá e conhecer outros benefícios do gengibre, confira a matéria “Benefícios do gengibre e seu chá”.

Pernas para o alto

Se você sofre de problemas de circulação, pode ser que suas dores nas pernas às vezes estejam acompanhadas de inchaço e vermelhidão nos pés. Nesse caso, é indicado colocar os pés repousando para cima.

Dessa forma, o sangue descerá e você descansará suas pernas. Você também pode utilizar esse método juntamente de outros, principalmente a massagem.

Para saber mais como cuidar do sistema circulatório, confira a matéria “Alimentos limpadores do sistema circulatório: mitos e verdades”.

Automassagem relaxante

A massagem ajuda a ativar a circulação, relaxa, elimina toxinas e resíduos metabólicos, diminui o cansaço e a ansiedade. Além disso, ao fazer massagem, o toque estimula a liberação de endorfinas, substâncias responsáveis pela sensação de bem-estar.

Utilizando um creme ou óleo corporal de sua preferência, faça uma automassagem. Você também pode utilizar os óleos essenciais de alecrim, manjericão ou outro óleo essencial relaxante para facilitar a massagem. Veja como aplicar esses óleos nos tópicos acima.

Veja como realizar a automassagem no vídeo.

  • Conheça 12 tipos de massagem e seus benefícios

Movimente-se ou sente-se

É preciso evitar o sedentarismo. Mas para evitá-lo não é necessário se tornar um atleta do dia para a noite. Com pequenas mudanças de hábito no dia a dia conseguimos sentir melhoras significativas na saúde.

Se o seu trabalho te obriga a ficar sentado, sempre que você puder, mexa-se, aproveite ao máximo os instantes de pausa para se mover, para andar. Se no seu caminho de volta para casa você puder evitar escadas rolantes, evite-as.

Se a sua rotina exige de você que fique muito tempo em pé, como no caso dos seguranças, por exemplo, durante as pausas aproveite para se sentar, caminhar e se alongar. Ao acordar pela manhã, tente dar um passeio de 15 minutos.

Passear com o cachorro, evitar roupas justas e/ou andar de bicicleta também ajudam bastante.

Melhore a alimentação

Cerca de 90% do potencial imunológico do organismo está no intestino. Então é preciso cuidar bem desse órgão para evitar doenças que causam dores nas pernas.

Para isso, reduza o sal da sua comida, evite conservas, embutidos, carnes vermelhas, refrigerantes, adoçantes, sucos açucarados e comida industrializada ou de difícil digestão, como o glúten (para saber mais sobre os alimentos industrializados confira a matéria “O que são alimentos in natura, processados e ultraprocessados”).

Aumente a ingestão de fibras. Elas são essenciais para diminuir a incidência de varizes e hemorroida. Você pode encontrá-las nas frutas, legumes e verduras, principalmente no estado cru.

  • O que são fibras alimentares e seus benefícios?

Consuma folhas verde-escuras, elas aumentam a oxigenação no sangue, ajudam o fígado a eliminar toxinas e são fonte de cálcio.

  • Nove alimentos ricos em cálcio que não são lácteos

Tempere sua salada com limão ou inclua-o em sucos de frutas e doces naturais, sem açúcar. O limão é rico em vitamina C e flavonoides e também favorece o trato intestinal.

Dependendo do seu caso, dentro de algum tempo mantendo bons hábitos alimentares, você notará que eles funcionarão como remédio para dores nas pernas.

Manter uma boa alimentação também ajuda a combater a obesidade, que pode provocar dores nas pernas pelo excesso de peso.

  • Alimentos ricos em vitamina C
  • O que é vitamina C e qual sua importância

Lembre-se: mudar a alimentação é algo para vida, e não apenas durante uma semana ou um mês. Você só conseguirá obter os benefícios dessa mudança se torná-la um hábito saudável em longo prazo, sem passar fome nem ingerir produtos perigoso para a saúde.

Veja também:

Cadastre-se e receba nosso conteúdo em seu email. Comunicar erro

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*