Como aplicar sombra azul: 12 passos (com imagens)

O 1º dos 12 Passos, de Narcóticos Anônimos. De maneira alguma, este post vem a ser uma espécie de tratado, ou um trabalho exato, são apenas “caminhos”, ou “óticas”, para que você possa entender, um pouco, do que se trata e como se aplicam, no programa de recuperação pessoal de um dependente químico, ou adicto.

  • O enunciado :
  • Alcoólicos Anônimos: 
  • 1-“Admitimos que éramos impotentes perante o álcool – que tínhamos perdido o domínio sobre nossas vidas.”
  • Os Doze Passos para os Cristãos:

1-“Admitimos que éramos impotentes perante os efeitos de nossa separação de Deus, que tinhamos perdido o domínio sobre nossas vidas.”

Narcóticos Anônimos: 

1-“Admitimos que éramos impotentes perante a nossa adicção, e que nossa vidas tinham se tornado incontroláveis” 

Notem, que inseri propositalmente, os enunciados do 1º passo, segundo AA (Alcoólicos Anônimos), segundo os “Doze Passos para os Cristãos”, e o enunciado segundo NA (Narcóticos Anônimos). Os três, tem basicamente a mesma essência, sendo que o de AA, foi o original.

Os três, são espirituais, ou seja, seus princípios, são encontrados na palavra de Deus. Há apenas algumas diferenças, importantes até, em Narcóticos Anônimos, o programa abrange todas as drogas, legais ou ilegais, excetuando o tabaco sobre o qual, NA não tem opinião.

Em Alcoólicos Anônimos, o programa abrange de forma mais específica, o álcool apenas. E nos Doze Passos para os Cristãos, o passo, fala dos efeitos causados, pela separação do Poder Superior, Deus, da impotência diante destes efeitos, e do descontrole consequente.

Bem, o primeiro passo, tem princípios espirituais e palavras chave, inerentes à ele.

Como Aplicar Sombra Azul: 12 Passos (com Imagens)
Derrota

As palavras chave são: 
  

Admissão – Impotência – Rendição – Perca do Controle

Ninguém, poderá admitir, somente o adicto, ele próprio terá de admitir a sua própria impotência, diante das drogas/álcool, o que leva também a uma rendição. A negação, já não existe mais. O que vem a ser negação ? É a negativa diante da impotência, é a relutância em admitir a derrota, é a tentativa repetida de controlar o uso, é a negação de que temos uma doença, e de que nossos comportamentos insanos, estão nos prejudicando e a outros. Negar o problema, é uma defesa da doença, e do nosso egocentrismo e auto-suficiência.
Como Aplicar Sombra Azul: 12 Passos (com Imagens)
Como Aplicar Sombra Azul: 12 Passos (com Imagens)
Como Aplicar Sombra Azul: 12 Passos (com Imagens)
Como Aplicar Sombra Azul: 12 Passos (com Imagens)
Como Aplicar Sombra Azul: 12 Passos (com Imagens)
O que diz a rendição neste caso ? Pense desta forma: Seria como uma luta, de um lado o lutador invencível, (a droga), e do outro o adicto, que por muito tempo insistiu em lutar com ele. Explico, a luta vem, após a constatação, ou pressão, em virtude do caos gerado pelo uso da substância, então, a pessoa devido a principalmente sua negação diante dos fatos, quer travar uma luta, já perdida na vã esperança e desejo até, de controlar o uso. No começo, aparenta-se ter vitória, mas era só uma aparência, uma ilusão, visto que cada vez, que o confrontava (a droga), perdia exemplarmente a luta. A insanidade de tentar controlar o uso: Por repetidas vezes, novamente o adicto iria tentar combater, tentar vencer (obter o controle). Sem sucesso. Até que por fim, chega a rendição. A droga só pode ser vencida, quando não há confronto direto.  Render-se, é não mais lutar, não significa não ter ação (que é fundamental), mas simplesmente não mais lutar. Aí, inicia-se o processo da vitória, e é desta maneira, que a luta será vencida, mas de outra forma. Muitos adictos, infelizmente, não tem esta rendição, e acabam por morrer nas garras da doença, sem ter encontrado a recuperação, ou por não ter tido tempo, ou por não querer a rendição. Não há ilusão, a morte é uma certeza. Existem três caminhos: PRISÃO, INSTITUIÇÕES E MORTE. A morte, chega na maioria das vezes, de forma consequente: overdose, doenças, acidentes, violência. 

Como Aplicar Sombra Azul: 12 Passos (com Imagens)
Falta de controle, impotência…

A impotência, é o resultado direto da compulsão, e da falta de controle diante da droga de preferência, e da perda do poder de escolha. Finalmente, a vida, as relações familiares, sociais, trabalho, amigos, estudo, casamento, tudo, E ABSOLUTAMENTE tudo é atingido de uma forma ou de outra, pela doença, pela ingovernabilidade da própria vida, após o “mergulho”, no mundo da adicção ativa. Não há, outra opção…a  cada manhã, a cada dia, o único pensamento, é o de como conseguir e obter a droga de preferência. Entram nesta fase, a dependência física (muito notada no caso do álcool por exemplo), e a psíquica (acentuada no caso do crack por exemplo). Existe, um desejo de poder sair, de parar, mas não há forças para tal…Porquê ? Justamente porque não se trata apenas da droga. Trata-se da doença da adicção, que a esta altura está no auge e em plena atividade, todos os pensamentos e comportamentos, voltam-se para o uso, e a inabilidade de lidar com a situação e com o problema, leva a usar mais e mais.

Como é que este ciclo mortal se interrompe ? Não há uma resposta única. Um choque emocional (morte de um familiar), uma súbita tomada de consciência diante da destruição (perdas seguidas em todas as áreas da vida), a constatação da própria realidade e do extremo (estado de mendicância, furtos, fome), uma repentina oferta de ajuda na hora certa, a prisão por crimes cometidos em virtude do uso e das consequências da doença, enfim…vários podem ser os motivos, e para cada um, é diferente. O também chamado “despertar”, ocorre de maneiras diferentes. Infelizmente, na grande maioria dos casos segundo experiências, dificilmente esta “tomada de cosciência” ocorre no início. Mais frequentemente após experimentar um período significativo de uso, e em boa parte, após uma devastação total, na própria vida. A droga, é uma “roleta russa”, muitos, não terão a oportunidade de experimentar o “despertar”, a morte chegará antes. É um fato.

Segundo estudos, cada adicto causa codependência a um círculo de 30 pessoas em média, desde familiares, amigos, sociedade, vizinhos. Uns em maior, outros em menor grau. 

O Primeiro Passo, É INEGOCIÁVEL, é o único na verdade, que deve ser praticado 100%, e com absoluta consciência. O início do ingresso em um programa de recuperação, é o 1º Passo. Parar de usar, em primeiro lugar. Muitos praticam este passo todos os dias, as vezes incoscientemente.

As irmandades de AA/NA, e as reuniões de auto ajuda, são a base sólida, onde os ingressantes, reavivarão este passo, a cada reunião. Por 12 Horas, por 20 Horas, por 24 Horas…Só por hoje, só por uma hora, se um dia for muito. Pequenos propósitos para si próprio, este é o começo.

Com o passar do tempo, a vida e a reestruturação, com a ajuda primordial do Poder Superior, Deus, darão ao adicto sustentabilidade, e a consequente recuperação da vontade própria, do poder de escolha. Não confunde-se com força, na verdade, há um paradoxo importante: “Quando se é fraco, é aí então que se está forte.

Pois se estiver se sentindo forte, eis aí a fraqueza, e o perigo.”

Como Aplicar Sombra Azul: 12 Passos (com Imagens)
O único pensamento, é obter meios e maneiras de conseguir mais…

Neste passo, entregamos a auto-suficiência, e o egocentrismo, já derrotados. 
Com a humildade, a aceitação, a boa vontade, a honestidade e a rendição, inicia-se o processo para o passo seguinte, para a volta da sanidade. Descobre-se, após a prática deste passo, um grande vazio interior, que era preenchido com o auto-engano, ilusão, e com a droga de  preferência, que anestesiava os sentidos, as frustrações, as mágoas, os fracassos, as desilusões…e toda a sorte de sentimentos parecidos, inerentes ao ser humano. Descobre-se que, o uso é a pricípio, o grande problema a ser confrontado, a ser vencido, mas que, na verdade, o problema não está somente na droga de preferência, e sim no próprio adicto, em si mesmo. O confronto maior então, será consigo mesmo. Encarar a realidade, conhecer-se por inteiro, as limitações, os desvios de caráter (que todos tem, mais ou menos), e as qualidades também. Aliás, aprender a cultivar e reconhecer as próprias qualidades, é fundamental. O “outro”, é importante em recuperação, na medida de que, não se pode ver com perfeição, “as próprias costas”, ou seja, o outro irá, se a pessoa tiver mente aberta para tal, poder auxiliar pois vê você “de fora”, da “arquibancada”. Erram aqueles, e já ouvi isto muito, erram em minha opinião, todos os bacharéis em psicologia, e doutores de toda sorte, que apregoam a tese de que “desvios de caráter, não tem conserto”. Tem sim, com toda certeza. 

Como Aplicar Sombra Azul: 12 Passos (com Imagens)
Em recuperação, rompemos as correntes

Todos os seres humanos tem defeitos, sem excessão, quem não os tiver, deveria já, estar no paraíso… o caso é que, na dependência química, estes defeitos, e outros mais que aparecerão, se sobressairão às qualidades. A doença da adicção, utiliza destes defeitos naturais e inerentes, e desenvolve outros mais, para sobreviver. A honestidade dará lugar a desonestidade seja em que sentido for, a verdade à mentira, e assim por diante. Mas, a recuperação individual, tem, com a ajuda de Deus, o poder de inverter os níveis, extinguir e remover estes desvios, retornando a pessoa a ser o que era quando nasceu: um ser humano normal, como tantos outros. Um exemplo simples, Paulo, sim o apóstolo maior, era antes de sua conversão, um assassino, um matador de judeus, culto, rico, e romano também. Há, poderiam dizer, mas Deus o transformou e tal. Claro, óbvio que Deus o transformou, mas eu creio nisto: ele, Paulo, poderia, mesmo cego (a situação da cegueira pre-conversão), negar, e escolher ficar cego, morrer…ou algo assim. Mas, ele escolheu mudar, aceitar, ter fé, converter-se, e cumprir a missão…porque sua essência, assim como a de todos nós, era boa, faltava-lhe creio eu, oportunidade, e boa vontade, com um empurrão misericordioso de Deus. Longe de mim aqui, querer tratar de assuntos bíblicos, é somente um exemplo, e baseado na maneira em que concebo, e Deus, tem seus desígnios…isto basta.

Leia também:  Como ajustar a altura das cordas de um baixo: 10 passos

Acerca disto acima, há um ditado que diz, “errar uma vez é humano, duas é burrice…”. Em recuperação, se diz que, “COMETER OS MESMOS ERROS, ESPERANDO UM RESULTADO DIFERENTE, É INSANIDADE…”
 Honestidade – Mente-Aberta – Boa Vontade – Humildade – Aceitação 
Como Aplicar Sombra Azul: 12 Passos (com Imagens)

Estes são os princípios básicos deste passo. Mente-aberta: Nada, pode entrar, em uma mente fechada, em um copo cheio. Necessário é esvaziar o copo, abrir a mente, pois o adicto irá reparar que, da sua maneira, nunca funcionou, portanto, os passos e o programa, seja de qual irmandade for, são sugestões, são princípios, mas que se seguidos, funcionam.

Todos as pessoas, independentemente de serem ou não portadoras da adicção, tem que esvaziar-se, de suas pre-disposições e conhecimentos, se querem aprender e/ou absorver algo novo, se achamos que o que temos nos basta, nada entrará.

A boa vontade, se fará presente e necessária, no dia a dia, no esforço pessoal, em seus próprios cuidados, ou quando após um dia cansativo, se sentir desmotivado para ir a uma reunião, em reconhecer os limites, em “fazer algo mais” por si ou por outro, então será preciso boa vontade.

A humildade em aceitar ajuda, em pedir ajuda, quando for preciso, em reconhecer os próprios limites, defeitos, e sentimentos nem sempre tão elevados. Honestidade, se requer de uma forma liquida, clara, e transparente. A honestidade é um princípio espiritual básico, neste programa de recuperação, e deveria ser presente em todos nós enquanto pessoas.

Você pode se perguntar: – Mas nunca roubei, nem fraudei…Sim, mas existem outras formas de honestidade, e desonestidade, para consigo mesmo e para com os outros, tão importantes quanto atos, ou comportamentos. Ser honesto para com os sentimentos, desejos, e pensamentos, é um exemplo.

Nada, virá sem algum sacrifício. No início, terá dor até, e é um processo doloroso, porque a mudança muitas vezes é dolorosa. Mas, se praticados os princípios, e os passos, com o passar do tempo e com a ajuda de Deus, esta nova maneira de viver, será algo maravilhoso, muitos adictos, nunca experimentaram uma vida sem drogas, portanto, será um aprendizado de uma nova vida.

Literatura citada para elaboração do artigo – 12 Passos de Narcóticos Anônimos (Livro Azul) e Guia para Trabalhar os Passos de Narcóticos Anônimos

Nota – Este artigo contém também a opinião pessoal e particular do autor. 

Mais 24 Hrs de Paz e Serenidade

Aprenda a usar o círculo cromático e evite erros na escolha das cores

Círculo cromático, como o próprio nome diz, é uma representação em círculo das cores percebidas pelo olho humano. Na maioria dos casos ele é dividido em 12 partes e cada uma delas representa uma cor.

Essa ferramenta é essencial para arquitetos e designers de interiores, pois ajuda a definir as melhores combinações de cores de acordo com a necessidade do cliente. Só para citar um exemplo, o círculo cromático é usado na criação de moodboard.

Para que você entenda melhor esse conceito, nos post de hoje vamos explicar tudo sobre ele e, ainda, ensinar a como fazer círculo cromático.

Boa leitura!

O que é círculo cromático de cores?

Círculo cromático de cores é uma representação simplificada das cores enxergadas pelo olho humano. Ele costuma ser demonstrado por um círculo dividido em 12 partes e cada uma delas é representada por uma cor.

O círculo cromático de cores é composto pelas três cores primárias, três secundárias e seis terciárias.

Cores primárias: amarelo, vermelho e azul. Cores secundárias: a mistura de duas cores primárias. Cores terciárias: a mistura das cores primárias com cores secundárias.

Como Aplicar Sombra Azul: 12 Passos (com Imagens)

O que é círculo cromático?

A partir das 12 cores do círculo cromático, uma infinidade de cores pode ser criada.

Além das cores classificadas acima, ainda é possível adicionar o preto e o branco, criando tons mais escuros ou mais claros, respectivamente.

Quanto mais mistura houver na composição de uma cor, menos saturada ela será. Do contrário, quanto menor a mistura de cores, mais saturada será a cor. Falaremos sobre a saturação no círculo cromático ao longo do texto.

Como Aplicar Sombra Azul: 12 Passos (com Imagens)

Círculo cromático: saturação

Veja também: Cores na arquitetura – descubra o significado de cada uma e como aplicar nos ambientes!

Quem criou o círculo cromático?

  • Você deve estar curioso para saber quem criou o círculo cromático, não é mesmo?
  • A realidade é que existem vários tipos de círculos cromáticos criados ao longo da história.
  • Cada um deles foi desenvolvido por teóricos que tinham como objetivo estudar o uso das cores de diferentes formas.

Mas o círculo cromático mais famoso e que estamos apresentando nesse post foi criado por Isaac Newton.

É por esse motivo que o círculo cromático também é conhecido por círculo de Newton.

Como Aplicar Sombra Azul: 12 Passos (com Imagens)

Círculo cromático: Isaac Newton

Veja também: Descubra como fazer paleta de cores e veja 5 exemplos perfeitos

Para que serve o círculo cromático de cores?

Agora que você já sabe o que é círculo cromático, vamos explicar como utilizá-lo.

Quem é arquiteto, designer de interiores ou trabalha com design gráfico sabe da importância da combinação das cores em um projeto.

Círculo cromático: ferramenta para arquitetos e designers de interiores

  1. A escolha certa dos tons pode otimizar ambientes e transmitir toda a personalidade do cliente.
  2. É nesse momento que o círculo cromático torna-se uma ferramenta essencial.
  3. Por meio dele, o profissional consegue visualizar de forma mais precisa quais são as combinações ideais para criar um ambiente de acordo com os objetivos do projeto.
  4. Quando falamos de círculo cromático na decoração, trata-se de uma ferramenta essencial para a elaboração de um ambiente.

Como analisar as cores de um círculo cromático?

Para usar o círculo cromático na decoração, é importante entender quais são as Leis de Harmonização.

Como usar círculo cromático de cores: Leis de Harmonização

  • Cores complementares
  • Cores análogas
  • Cores complementares decompostas

Cores complementares

As cores complementares são aquelas que apresentam maior contraste entre sim e são opostas no círculo cromático. Por exemplo: vermelho e verde.

Como Aplicar Sombra Azul: 12 Passos (com Imagens)

Círculo cromático: cores complementares

  • Elas funcionam muito bem quando a ideia é criar um ambiente com cores vivas, cheio de energia e personalidade.
  • Só tome cuidado para não escolher cores muito vibrantes, pois elas podem ser ofuscar.
  • Veja os exemplos abaixo de decoração com cores complementares.

Círculo cromático: sala de jantar verde e vermelha

Como Aplicar Sombra Azul: 12 Passos (com Imagens)

Círculo cromático: cozinha azul e laranja

Círculo cromático: sala roxa e amarela

Cores complementares decompostas

Nessa combinação do círculo cromático, também chamada de tríade, utiliza-se três cores equidistantes que formam um triângulo.

Como Aplicar Sombra Azul: 12 Passos (com Imagens)

Círculo cromático: cores complementares decompostas (tríade)

  1. Dessa forma, é possível obter um efeito de alto contraste sem perder a harmonia.
  2. Uma dica é apostar em uma cor predominante e outros dois tons distribuídos em objetos e móveis de forma equilibrada.
  3. Veja os exemplos abaixo de decoração com cores complementares decompostas.

Como Aplicar Sombra Azul: 12 Passos (com Imagens)

Círculo cromático: sala com cores verde, roxo e laranja

Círculo cromático: sala com cores rosa, verde e azul

Círculo cromático: quarto com cores vermelho, azul e verde (Proj. Maurício Karam Arquitetura)

Cores análogas

Trata-se das cores que estão lado a lado no círculo cromático, como laranja, amarelo e verde, por exemplo.

Quando falamos de círculo cromático na decoração, essa combinação serve para criar uma unidade de cor no espaço. Ao apostar nas cores frias, o ambiente fica sofisticado e formal.

Círculo cromático: cores análogas (azul e verde) – Proj. Dionesio Alves Junior

Já os tons quentes do círculo cromático de cores traz descontração e informalidade ao espaço.

Círculo cromático: cores análogas (verde e amarelo)

O que são as propriedades da cor?

  • Quando falamos de círculo cromático, não é apenas na combinação das cores que o profissional deve pensar.
  • Outro aspecto importante são as propriedades da cor, como a saturação e o brilho.
  • Você pode regular os tons para que eles fiquem mais ou menos fortes, criando uma vasta possibilidade de uso das cores.
  • Veja como as propriedades da cor são classificadas:

Matiz (hue): trata-se da cor pura, sem o branco ou o preto agregados.

Saturação: essa propriedade determina o quão viva é a cor. Quanto menor a saturação, mais próxima de cinza e neutra ela será. Do contrário, mas pura será a cor. Valor: o valor aproxima a cor do brilho (branco) ou da sombra (preto).

Ou seja: ele determina o quão clara ou escura parece uma cor. Essa propriedade tem relação com a quantidade de luz percebida.

Veja um exemplo na imagem abaixo. A decoração é feita com cores complementares (roxo e amarelo), mas o roxo aparece com menor saturação para dar suavidade ao ambiente.

Círculo Cromático: sala roxa e amarela

Nesse outro exemplo, o quarto azul traz várias tonalidades da cor, criando um ambiente aconchegante e introspectivo.

Círculo Cromático: sala com tons de azul

Como fazer círculo cromático? 4 passos simples

É possível encontrar o círculo cromático de cores em papelarias, seu custo varia entre R$ 30,00 e R$ 60,00. Mas se você quer aprender a como fazer círculo cromático em casa utilizando aquarela, confira nosso passo a passo:

Materiais

  • 1 godê
  • 1 tinta aquarela azul
  • 1 tinta vermelho
  • 1 tinha amarela (cores primarias)
  • 1 pincel
  • 1 guardanapo
  • 1 folha de 180gr com o desenho do círculo dividido em 12 fatias
  1. Coloque as cores da aquarela em cada parte do godê com a seguinte distribuição: Amarelo/Vermelho/Azul/Amarelo + Vermelho/Amarelo + Azul/Vermelho + Azul.
  2. Comece a misturar as cores do círculo cromático, criando as cores secundárias (roxo, laranja e verde)
  3. Agora é hora de criar as cores terciárias. Usando as cores primárias que ficaram reservadas no primeiro passo, coloque as seguintes cores em cada parte do godê: Verde + Amarelo + Laranja/Laranja+Vermelho+Roxo/Verde+Azul+Roxo. Em seguida, misture.
  4. Pinte o círculo cromático de cores de acordo com a figura abaixo e pronto!
Leia também:  Como baixar um livro no audible no windows ou mac

Círculo cromático

Gostou de aprender mais sobre o círculo cromático? Então, compartilhe com seus amigos nas redes sociais!

Retire o excesso de luz e sombra das fotos com o "Sombras/Realces" do Photoshop

“Sombra/Realce” é um recurso de correção do Photoshop para imagens que possuem problemas relacionados a sombras, ou para a correção de objetos que ficaram claros demais porque estavam muito próximos ao flash da câmera.

O recurso não só clareia ou escurece uma imagem como um todo, mas também leva em consideração os pixels adjacentes nas sombras ou nos realces. Para usá-lo, há controles separados de sombras e realces que, com poucos cliques, melhoram uma foto com excesso de tons claros ou escuros.

Neste tutorial, vamos aprender a utilizar o ajuste de “Sombras/Realces”. Vamos lá? Acompanhe o passo a passo abaixo.

Passo 1: abra a imagem no Photoshop

Inicie o Photoshop e abra a imagem que você deseja corrigir através do comando “Arquivo”

> “Abrir” (ou File > Open, em inglês). Você também pode utilizar o atalho de teclado “Ctrl + O” para este comando. Como Aplicar Sombra Azul: 12 Passos (com Imagens)

Selecionando o comando “Abrir” no Photoshop.

Localize em seu computador a imagem desejada e clique em “Abrir”. A imagem que utilizaremos neste tutorial é a seguinte:

Como Aplicar Sombra Azul: 12 Passos (com Imagens)

A imagem escolhida para o tutorial possui um contraste marcante com sombras e luzes que permitem visualizar com facilidade o resultado da aplicação do filtro.

Agora que a imagem foi selecionada, abra o ajuste de “Sombras/Realces” através do comando de menu “Imagem”

> “Ajustes” > “Sombras/Realces…” , (ou Image > Adjustments > Shadows/Highlights…, se você utilizar a versão em inglês). Este comando não possui atalho de teclado. Como Aplicar Sombra Azul: 12 Passos (com Imagens)

Selecionando o comando de menu “Sombras/Realces…” em “Imagem” > “Ajustes” no Photoshop.

Passo 3: configure a redução de sombras ou realces

Você será apresentado à caixa de diálogo do comando “Sombras/Realces”.

Como Aplicar Sombra Azul: 12 Passos (com Imagens)

Caixa de diálogo “Sombras/Realces”.

Nela, será possível ajustar os níveis de sombras e realces da imagem através das seguintes opções:

  • “Sombras” (ou Shadows, em inglês): diz respeito às sombras presentes na imagem. Quanto maior a porcentagem imputada no campo “Intensidade” (ou Amount, em inglês), maior será o nível de redução de sombras;
  • “Realces” (ou Highlights, em inglês): diz respeito às luzes, ou áreas de alta luminosidade, presentes na imagem. Quanto maior a porcentagem imputada no campo “Intensidade” (ou Amount, em inglês), maior será o nível de redução de realces;
  • “Carregar…/Salvar…” (ou Load…/Save…, em inglês): permitem que as configurações de ajuste do “Sombras/Realces” sejam salvas como um arquivo .SHH no computador através do botão “Salvar…”, e carregar uma configuração previamente salva como arquivo através do botão “Carregar…”. Estas opções são úteis para usuários que aplicam o mesmo tipo de ajuste com frequência;
  • Não se esqueça de deixar a caixa de seleção “Visualizar” (Preview, em inglês) marcada para ver os resultados dos ajustes na imagem em tempo real.

Dica: evite definir a “intensidade” de sombra ou realce para 100%, pois esta configuração pode criar manchas na imagem, dependendo do tipo de sombra ou realce captado. Para melhores resultados, combine uma aplicação mais suave do “Sombras/Realces” com o ajuste de Níveis do Photoshop.

Assim que fizer todos os ajustes e ficar satifeito com o resultado pré-visualizado, clique no botão OK para fechar a caixa de diálogo “Sombras/Realces” e aplicar o ajuste. No exemplo, o resultado obtido foi o seguinte:

Como Aplicar Sombra Azul: 12 Passos (com Imagens)

Acima: imagem original. À esqueda: redução de sombras. À direita: redução de realces. Abaixo: redução de sombras + redução de realces aplicada a imagem original.

Não se esqueça de salvar as alterações na imagem através o comando de menu “Arquivo” > “Salvar”, (ou File > Save, em inglês). Você também pode utilizar o atalho de teclado “Ctrl + S” para este comando.

  • Além das opções apresentadas anteriormente, o ajuste de “Sombras/Realces” pode disponibilizar outras configurações ao marcar a caixa “Mais opções”. Fazendo isso, você será apresentado a uma caixa de diálogo maior:
  • Caixa de diálogo “Sombras/Realces” com a opção “Mostrar Mais Opções” ativada.
  • “Sombras” (ou Shadows, em inglês): diz respeito às sombras presentes na imagem. Quanto maior a porcentagem imputada no campo “Intensidade” (ou Amount, em inglês), maior será o nível de redução de sombras. Já a “Largura de tons” (ou Tonal Width, em inglês) define a tolerância para cores envolvidas na sombra; quanto maior a porcentagem, mais cores serão selecionadas. A opção “Raio” (ou Radius, em inglês) tem função parecida com a “Largura de tons”, mas atua mais abrangentemente e leva em conta não as cores, mas sim a escala de cinza das sombras. Combinando os 3 controles, é possível obter uma variada gama de tipo de redução de sombras;
  • “Realces” (ou Highlights, em inglês): diz respeito às luzes, ou áreas de alta luminosidade, presentes na imagem. Quanto maior a porcentagem imputada no campo “Intensidade” (ou Amount, em inglês), maior será o nível de redução de realces. Já a “Largura de tons” (ou Tonal Width, em inglês) define a tolerância para cores envolvidas no realce; quanto maior a porcentagem, mais cores serão selecionadas. A opção “Raio” (ou Radius, em inglês) tem função parecida com a “Largura de tons”, mas atua mais abrangentemente, levando em conta não as cores, mas sim a escala de cinza dos realces. Combinando os 3 controles, é possível obter uma variada gama de tipo de redução de realces.
  • “Correção de Cores” (ou Color Correction, em inglês): compensa as alterações de luminosidade com saturação. Quando se retira sombra de agum objeto, ele pode ficar acinzentado, por isso o filtro faz automaticamente um ajuste na cor. Contudo, através desta opção, é possível controlar a intensidade deste ajuste;
  • “Contraste de Tons Médios” (ou Midtone Constrast, em inglês): como o filtro “Sombras/Realces” lida diretamente com os tons claros e escuros da foto, os meio tons acabam ficando de lado. Mas, através desta opção, é possível ajustar o contraste dos tons médios e, assim, equilibrar os tons médios com a mudança realizada nas sombras e realces. O “Recorte de Preto” e “Recorte de Branco” funcionam como os níveis de Entrada e Saída do ajuste de níveis. Alterando estas opções é posível aumentar a quantidade de áreas brancas e pretas na imagem, o que, na prática, significa aumento de contraste;
  • “Salvar como Padrões” (ou Save as Deafaults, em inglês): ao clicar neste botão, as opções definidas na caixa de diálogo “Sombras/Realces” será definida como o padrão do filtro. Ou seja, todas as vezes que você acessar o ajuste, estarão definidas essas mesmas opções;
  • Os botões “Carregar…”, “Salvar…” e “Visualizar” mantêm o mesmo funcionamento explicado anteriormente.

Utilize o método que melhor atender às suas necessidades e à complexidade das sombras e luzes que você quer atenuar. Se precisar aplicar este ajuste apenas em algumas partes da imagem, verifique a seção “Avançado” do nosso tutorial sobre correspondência de cor.

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.

Como editar fotos e deixá-las perfeitas com o Lightroom para celular

O aplicativo reúne uma série de ferramentas avançadas do Lightroom, incluindo curvas de cor e ajustes de exposição. No tutorial a seguir, mostramos como usar todos os recursos grátis da versão de testes do Adobe Lightroom para celular.

1 de 25
Lightroom: aprenda a usar o app de fotos da Adobe — Foto: Aline Batista/TechTudo

Lightroom: aprenda a usar o app de fotos da Adobe — Foto: Aline Batista/TechTudo

Passo 1. Ao abrir o Lightroom no celular, pressione o botão “Adicionar fotos” para carregar imagens da galeria ou clique no botão de câmera para tirar uma nova foto. Neste exemplo, vamos usar uma imagem salva no dispositivo. Selecione uma ou mais fotos e toque em “Adicionar fotos”.

2 de 25
Carregamento de foto do Android no Adobe Lightroom — Foto: Reprodução/Raquel Freire

Carregamento de foto do Android no Adobe Lightroom — Foto: Reprodução/Raquel Freire

Passo 2. As fotos selecionadas serão agrupadas em uma nova galeria. Toque na pasta e, em seguida, selecione a foto que você quer editar.

3 de 25
Abertura de foto para edição no app do Adobe Lightroom — Foto: Reprodução/Raquel Freire

Abertura de foto para edição no app do Adobe Lightroom — Foto: Reprodução/Raquel Freire

Passo 3. O primeiro menu de edição que ensinaremos a usar é o “Cortar”, destacado abaixo na imagem abaixo. Toque nele para abrir suas ferramentas.

4 de 25
Menu de cortar do Lightroom para celular selecionado — Foto: Reprodução/Raquel Freire

Menu de cortar do Lightroom para celular selecionado — Foto: Reprodução/Raquel Freire

Passo 4. À esquerda, haverá dois campos chamados “Aspecto”. No primeiro, você pode escolher uma proporção pré-definida para cortar a imagem. Ao lado, você seleciona a opção “Livre”, que permite arrastar as bordas livremente, ou “Bloq.”, que mantém a proporção fixa. Para arrastar a borda, basta manter o dedo sobre um dos traços brancos e deslizá-lo na direção desejada.

5 de 25
Processo de corte de fotografia no Adobe Lightroom — Foto: Reprodução/Raquel Freire

Leia também:  Como ajudar alguém que está tendo um ataque de asma

Processo de corte de fotografia no Adobe Lightroom — Foto: Reprodução/Raquel Freire

Passo 5. Se quiser inclinar a imagem, pressione e arraste a linha curva pontilhada abaixo da foto até o ângulo desejado. Dê um toque no botão “Automático – Corrigir”, destacado na segunda imagem abaixo, para que o Lightroom faça a correção automática da foto, deixando-a reta.

6 de 25
Inclinação manual e automática de foto no Lightroom para celular — Foto: Reprodução/Raquel Freire

Inclinação manual e automática de foto no Lightroom para celular — Foto: Reprodução/Raquel Freire

Passo 6. A qualquer momento que desejar, toque na seta curva que aponta para a esquerda para desfazer uma operação – a do lado irá refazer a operação. Toque em “Orientação” para girar a foto em 90º, espelhar horizontalmente ou verticalmente.

7 de 25
Botão de desfazer operação e menu de orientação do Lightroom — Foto: Reprodução/Raquel Freire

Botão de desfazer operação e menu de orientação do Lightroom — Foto: Reprodução/Raquel Freire

Passo 7. Por fim, toque no ícone de check para confirmar as edições de corte.

8 de 25
Finalização das edições de corte, rotação e espelhamento no Lightroom — Foto: Reprodução/Raquel Freire

Finalização das edições de corte, rotação e espelhamento no Lightroom — Foto: Reprodução/Raquel Freire

Aplicativo do TechTudo: receba dicas e notícias de tecnologia no seu celular

Passo 1. O app do Lightroom salvará as edições e voltará à tela principal. Toque no menu de filtros, representado pela interseção de três círculos, e veja que novas ferramentas apareceram.

9 de 25
Destaque para menu de filtros do Adobe Lightroom para celular — Foto: Reprodução/Raquel Freire

Destaque para menu de filtros do Adobe Lightroom para celular — Foto: Reprodução/Raquel Freire

Passo 2. Toque em “Criativa” para ver opções de filtros e selecione o desejado. Em “Cor”, será exibida uma lista de esquemas de cores pré-definidos, que podem ser selecionados da mesma forma.

10 de 25
Menus de filtros criativos e esquemas de cores do Lightroom — Foto: Reprodução/Raquel Freire

Menus de filtros criativos e esquemas de cores do Lightroom — Foto: Reprodução/Raquel Freire

Passo 3. Clique no botão “P&B” para escolher entre diferentes esquemas de preto e branco. Há mais ferramentas à direita, basta deslizar o dedo para visualizá-las.

11 de 25
Expansão de mais ferramentas do menu de filtros — Foto: Reprodução/Raquel Freire

Expansão de mais ferramentas do menu de filtros — Foto: Reprodução/Raquel Freire

Passo 4. Clique em “Detalhe” para escolher um tipo de tratamento para os detalhes da foto (mais claro, com menos ruído, mais detalhado etc). Em “Efeito”, é possível selecionar efeitos como vinheta, desfoque e granulado, por exemplo.

12 de 25
Destaque para menus de detalhes e efeitos no Lightroom — Foto: Reprodução/Raquel Freire

Destaque para menus de detalhes e efeitos no Lightroom — Foto: Reprodução/Raquel Freire

Passo 5. O menu “Câmera” conta com mais cinco opções de esquemas de cor simulando ajustes na câmera. Se quiser desfazer todas as edições, toque em “Redefinir” e selecione “Tudo”.

13 de 25
Caminho para anular todas as edições no aplicativo do Lightroom — Foto: Reprodução/Raquel Freire

Caminho para anular todas as edições no aplicativo do Lightroom — Foto: Reprodução/Raquel Freire

Passo 6. Note que todas as edições da foto foram anuladas. Você pode refazer as edições tocando no botão de “Desfazer” até chegar ao estágio desejado para a imagem.

14 de 25
Desfazendo redefinição de edições na foto pelo Adobe Lightroom — Foto: Reprodução/Raquel Freire

Desfazendo redefinição de edições na foto pelo Adobe Lightroom — Foto: Reprodução/Raquel Freire

Passo 1. O último menu principal de edição do Lightroom tem os ajustes manuais. Ao selecioná-lo, serão exibidas por padrão as ferramentas de ajustes básicos, identificadas pelo símbolo de obturador de câmera. No primeiro botão, “P&B”, você pode ativar ou desativar o esquema de cores preto e branco.

15 de 25
Ferramentas básicas de ajustes manuais do Adobe Lightroom — Foto: Reprodução/Raquel Freire

Ferramentas básicas de ajustes manuais do Adobe Lightroom — Foto: Reprodução/Raquel Freire

Passo 2. Em “Equil. Branco” constam três opções pré-definidas de equilíbrio de branco e um seletor manual, que permite capturar um tom da foto para ser usado como base em um novo esquema de cores. Para usá-lo, toque em “Seletor”, arraste o círculo interno até a tonalidade desejada e depois dê um toque no check dentro do círculo branco.

16 de 25
Equilíbrio de branco no Lightroom a partir de tonalidade da foto escolhida por usuário — Foto: Reprodução/Raquel Freire

Equilíbrio de branco no Lightroom a partir de tonalidade da foto escolhida por usuário — Foto: Reprodução/Raquel Freire

Passo 3. O app do Lightroom conta ainda com opções de ajuste de temperatura, matiz, tom automático, exposição, contraste, realces, sombras, brancos, pretos, claridade, vibração e saturação. Todos eles funcionam da mesma forma: basta tocar na ferramenta e mover o ponto até a posição da barra de rolagem que mais condiz com o efeito que você quer dar à fotografia.

17 de 25
Ajustes manuais básicos do Lightroom feitos através de barra de rolagem — Foto: Reprodução/Raquel Freire

Ajustes manuais básicos do Lightroom feitos através de barra de rolagem — Foto: Reprodução/Raquel Freire

Passo 4. Toque no ícone de obturador, no canto esquerdo, para expandir os submenus avançados do menu de ajustes manuais.

Em “Curva de tons”, pressione e arraste o dedo sobre a linha para transformá-la em uma curva e alterar o esquema de cores conforme desejado.

Você também pode definir o modo da curva (paramétrico, RGB, vermelho, verde ou azul); ajustar realces; aumentar ou reduzir claros e escuros; e modificar sombras.

18 de 25
Manuseio da curva de tons no app do Adobe Lightroom — Foto: Reprodução/Raquel Freire

Manuseio da curva de tons no app do Adobe Lightroom — Foto: Reprodução/Raquel Freire

Passo 5. Selecione “Vinheta” no botão da esquerda. Serão expandidas opções avançadas para edição da vinheta, englobando intensidade, ponto médio, difusão, arredondamento, estilo e realces. As ferramentas também são ajustáveis por meio da mesma barra de rolagem inferior vista anteriormente.

19 de 25
Ferramentas avançadas do Adobe Lightroom para edição de vinheta — Foto: Reprodução/Raquel Freire

Ferramentas avançadas do Adobe Lightroom para edição de vinheta — Foto: Reprodução/Raquel Freire

Passo 6. Clique em “Tonalização dividida” para aplicar um esquema de duas cores na sua foto (uma é a matiz e a outra é a matiz de sombras). Neste submenu, estão as ferramentas realça matiz, saturação, equilíbrio, matiz de sombras e saturação da matiz de sombras.

20 de 25
Submenu de tonalização dividida, presente nos ajustes manuais do Lightroom — Foto: Reprodução/Raquel Freire

Submenu de tonalização dividida, presente nos ajustes manuais do Lightroom — Foto: Reprodução/Raquel Freire

Passo 7. Selecionando o submenu “Cor / P&B” é possível aumentar ou diminuir os percentuais de vermelho, laranja, amarelo, verde, azul-piscina, azul, púrpura e magenta nos ajustes de matiz, saturação e luminância. Basta tocar no ajuste desejado e arrastar as cores para a direita (aumenta) ou esquerda (diminui).

21 de 25
Ajustes de tonalidades no submenu “Cor / P&B” no Lightroom — Foto: Reprodução/Raquel Freire

Ajustes de tonalidades no submenu “Cor / P&B” no Lightroom — Foto: Reprodução/Raquel Freire

Passo 8. Entre em “Desembaçar” para tornar as cores de sua foto mais nítidas. O efeito é conseguido movendo o ponto para a direita, ao passo que as cores ficam mais “embaçadas” quando o cursor vai para a esquerda.

22 de 25
Demonstração da ferramenta “Desembaçar” do Adobe Lightroom — Foto: Reprodução/Raquel Freire

Demonstração da ferramenta “Desembaçar” do Adobe Lightroom — Foto: Reprodução/Raquel Freire

Passo 9. O último submenu dos ajustes manuais é o “Correção da lente”. Toque nele e ative ou desative a correção de lente para que o aplicativo retire eventuais irregularidades provocadas no momento da captura da foto.

23 de 25
Resultado da ferramenta de ajuste “Correção da lente” — Foto: Reprodução/Raquel Freire

Resultado da ferramenta de ajuste “Correção da lente” — Foto: Reprodução/Raquel Freire

Passo 1. A primeira imagem abaixo mostra três botões em destaque. Os da esquerda permitem classificar a imagem, enquanto o da direita dá acesso ao presets e outros recursos de edição pagos. Para salvar, toque no botão de upload, no canto superior direito da tela, e selecione a opção desejada – neste exemplo, “Salvar na galeria…”.

24 de 25
Salvando imagem editada no Adobe Lightroom na galeria do celular — Foto: Reprodução/Raquel Freire

Salvando imagem editada no Adobe Lightroom na galeria do celular — Foto: Reprodução/Raquel Freire

Passo 2. Selecione a qualidade da foto e pressione “Ok”. Aguarde alguns instantes até que o aplicativo exiba a mensagem de êxito confirmando o salvamento da foto.

25 de 25
Foto editada no Adobe Lightroom salva com êxito no celular — Foto: Reprodução/Raquel Freire

Foto editada no Adobe Lightroom salva com êxito no celular — Foto: Reprodução/Raquel Freire

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*