Como aliviar a náusea durante a enxaqueca (com imagens)

Como Aliviar a Náusea Durante a Enxaqueca (com Imagens) Náuseas, diarreia, má digestão, dor de cabeça e azia estão entre os sintomas (Foto: Getty images)

Quando pensamos em ressaca
sempre associamos ao uso de bebida alcoólica. Entretanto, quando comemos em
grande quantidade, utilizamos condimentos muito fortes ou em excesso (pimentas)
ou alimentos muito gordurosos, também “agredimos” órgãos importantes para digestão
e absorção de nutrientes como fígado, pâncreas, vesícula biliar, estômago e intestino.
Causando sintomas como náuseas, vômitos, má digestão, azia, dor de cabeça e diarreia.

A ressaca alimentar também é
muito comum quando não estamos acostumados a excessos, por ter uma boa
alimentação ou por estarmos em um programa de reeducação alimentar ou de perda
de peso
. É a velha conhecida “pisada na jaca”! E muitas vezes não conseguimos
retomar o controle e continuamos excedendo.

O raciocínio é: “já que
errei, coloquei tudo a perder…” NADA DISSO! Saiu da dieta, aproveitou, foi
tudo de bom? Retome rapidamente o controle, não é uma saída que coloca tudo a
perder, o importante é a continuidade.

Como Aliviar a Náusea Durante a Enxaqueca (com Imagens)

Dicas
de como melhorar os sintomas da ressaca alimentar
:• Se errou, excedeu,
extrapolou, retome a organização da alimentação; 

• Beba água e água de coco
para reidratar o corpo e acelerar a eliminação de toxinas;

• Utilize chás digestivos, como
boldo, hortelã, erva doce e cidreira; • Acrescente gengibre,
excelente digestivo e anti-inflamatório, melhora os sintomas de náusea e vômitos;

• Utilize alimentos mais
naturais como frutas, verduras e legumes. Alimentos de fácil digestão e em
preparações cozidas e assadas. Neste momento, evite alimentos crus, a digestão
é mais lenta e mais difícil;  

• Se houver diarreia e vômito, retire produtos
lácteos (iogurte, leite e queijos cremosos), folhosos e alimentos crus;

• Evite a ingestão de agressores
gástricos, como alimentos gordurosos (manteiga, margarina, carne vermelha,
frituras, gratinados, cremosos, queijos “gordos”), café, mate, condimentos (pimenta,
curry, cominho, páprica, mostarda, ketchup), chocolate, enlatados e biscoitos
recheados. Dê preferência a produtos mais naturais do que a industrializados. 

Como prevenir?• Realize pelo menos cinco a seis refeições diárias, para evitar chegar às grandes refeições com muita fome e exceder na quantidade e na escolha das preparações.

Quando estamos com muita fome, normalmente escolhemos alimentos mais cremosos, gratinados, fritos e quentes, de fácil mastigação para não perder tempo e ter mais prazer.• Evite rodízios, pois sempre comemos em excesso.

   

Coma devagar e mastigue bem os alimentos. Quanto maior o contato do alimento na boca, mais prazer e maior saciedade.

• Ter rotina, organização alimentar e fazer escolhas saudáveis no dia a dia é fundamental para manter a saúde, o peso adequado e a boa digestão. Escapulidas da dieta com “moderação” não colocam tudo a perder. O importante é retomar sempre a organização e o controle.

** As informações e opiniões emitidas neste texto são de inteira responsabilidade do autor, não correspondendo, necessariamente, ao ponto de vista do Globoesporte.com / EuAtleta.com.

Como Aliviar a Náusea Durante a Enxaqueca (com Imagens)

saiba mais

Dor de cabeça ou enxaqueca? A diferença ajuda a buscar tratamento mais eficaz

Dores de cabeça, em geral, são sintomas de que algo não está certo. Enxaqueca, não. Quem reclama de enxaqueca está sofrendo de uma doença (síndrome de enxaqueca) que pode ter, entre os sinais mais clássicos, as dores de cabeça.

Na enxaqueca, as dores são acompanhadas de outros sintomas, como náusea e enjoo, insensibilidade à luz, som, cheiros, movimentos e qualquer estímulo externo. Quando esse cenário acontece três vezes em menos de três meses, é preciso buscar um médico para evitar que a doença se transforme em uma versão crônica.

>> Enxaqueca tem no vinho o principal gatilho 

Isso acontece porque é comum que, diante da dor, o paciente busque por medicamentos analgésicos (comprados sem a necessidade de prescrição médica nas farmácias). Se um comprimido deixa de fazer efeito sozinho, a própria pessoa acaba aumentando a dosagem, ou substituindo por outra medicação mais forte. Sem se dar conta, a enxaqueca passa a ser causada pelos próprios medicamentos.

Diagnóstico da enxaqueca

Apresentar três episódios de enxaqueca em poucos meses deve ser o suficiente para que a pessoa busque auxílio médico. O diagnóstico da enxaqueca, porém, espera por pelo menos cinco crises, conforme explica o médico neurologista, Paulo Faro.

>> Pessoas que sofrem de enxaqueca perdem uma semana de trabalho por mês

“A pessoa precisa ter pelo menos cinco episódios com essas características: o paciente reclama de uma dor latejante, como se um coração estivesse pulsando, geralmente em um dos lados da cabeça.

A intensidade é de moderada a forte e vem associada a náusea, vômito, incômodo com a luz e o barulho”, explica o especialista, que é chefe do setor de Cefaleia e Dor Orofacial do Instituto Neurologia de Curitiba (INC).

Como Aliviar a Náusea Durante a Enxaqueca (com Imagens)Conhecer os gatilhos que geram a enxaqueca faz parte do tratamento contra a doença (Foto: Bigstock)

Chocolates, vinho tinto ou queijos: conheça seus gatilhos

Os principais fatores que atuam como gatilhos para a enxaqueca se encaixam em três grandes grupos: alimentos, sono e estresse.

“Bebidas alcoólicas, como vinho, cerveja, queijos e condimentos e chocolates são os mais comuns. Do sono, pessoas que dormem menos ou mais que o habitual, essa alteração pode também levar a uma crise de enxaqueca.

E o estresse. Hoje é bem raro quem chega ao consultório médico e não esteja estressado.

Esses são os principais fatores que os médicos escutam no dia a dia e que os estudos comprovam”, reforça Paulo Faro, médico neurologista.

>> Mudança radical na alimentação que reduz a barriga a ajuda na enxaqueca

Uma vez que a pessoa percebe quais gatilhos influenciam no surgimento dos sintomas da enxaqueca, é de fundamental importância que ela os evite.

Associado a isso, medicamentos (quando necessários) e mudanças de hábitos de vida são também recomendados. Exercícios físicos, especialmente os aeróbicos, como corrida, caminhada, natação, três vezes por semana, associados a bons hábitos alimentares e boa higiene do sono todas as noites.

Mulheres em maior risco

As alterações hormonais pelas quais as mulheres sofrem mensalmente são os motivos pelos quais elas tendem a ter mais enxaquecas que os homens.

Há quem sofra com a doença apenas no período menstrual e, para elas, o tratamento com medicamentos anticoncepcionais tende a ajudar.

Mas, se as enxaquecas forem além desse momento, será necessário o tratamento preventivo comum, além das mudanças de hábitos e cuidados com os gatilhos. Com o passar dos anos, e a chegada da menopausa, a tendência é que as enxaquecas também diminuam.

Crianças também podem desenvolver enxaquecas, e os sinais são mais confusos que entre os jovens ou adultos.

Conforme explica o especialista Paulo Faro, a partir dos 4 anos de idade é possível que os sinais da doença se manifestem com dores difusas (sem saber explicar muito bem qual ponto da cabeça que dói), além do incômodo com luz, barulho, náusea, que são mais comuns a qualquer faixa etária.

Uma crise típica de enxaqueca em adultos geralmente dura entre 4 a 72 anos. Entre as crianças, dores que perduram por duas horas já são consideradas crises importantes.

Como Aliviar a Náusea Durante a Enxaqueca (com Imagens)Quem sofre de enxaqueca crônica não deve fazer uso de medicamentos analgésicos, conforme orientação dos especialistas. (Foto: VisualHunt)

Enxaqueca não tem cura, mas tem tratamento

Quem chega ao consultório do neurologista em busca de um medicamento que cure a enxaqueca para sempre, não vai encontrar. Às vezes as recomendações são tão simples que não exigem nem mesmo uma medicação. Mas atualmente há diferentes tratamentos, que podem ajudar na atenuação dos sintomas.

“Para a enxaqueca, não falamos em cura, mas em controle. Dos medicamentos mais clássicos, estão os antidepressivos, anticonvulsionantes, anti-hipertensivos. São medicamentos usados por outras especialidades, mas que têm ação contra a enxaqueca”, explica Paulo Faro, neurologista.

A toxina botulínica também pode ser usada. Ao ser usada na musculatura, a toxina promove o relaxamento do músculo e paralisação. Há também uma ação neuronal, visto que a toxina atua em neurotransmissores específicos, impedindo a propagação dos sintomas.

Recentemente, foi aprovado no Brasil o uso dos anticorpos monoclonais, especificamente o erenumab — primeira medicação criada pensando na prevenção da enxaqueca. Conheça mais sobre esse medicamento.

Alternativas

Dos tratamentos alternativos, alguns já trazem evidências concretas em estudos, enquanto outros nem tanto. Vamos aos fatos, conforme explica Paulo Faro, médico neurologista:

Evidências positivas

  • Fitoterápicos;
  • Suplementos vitamínicos. Alerta: não adianta comprar um suplemento vitamínico que tenha uma determinada substância, como riboflavina (vitamina do complexo B) ou magnésio, mas em uma dosagem inferior à necessária para o tratamento.
  • Oxigênio. Indicado ao tratamento da crise de cefaleia em salvas, atualmente já tem sido usado também como tratamento de crise de enxaqueca. Conheça um pouco mais sobre esse tratamento.

Como Aliviar a Náusea Durante a Enxaqueca (com Imagens)Enxaquecas tendem a afetar mais mulheres que os homens, devido a questões hormonais. Crianças e adolescentes também podem ser impactados pela doença (Foto: Pixabay)

O que eu faço durante a crise?

LEIA TAMBÉM

Enxaqueca: sintomas, como aliviar e diferença de dor de cabeça

A enxaqueca (CID 10 – G43) é um tipo de dor de cabeça (cefaleia) incapacitante, caracterizada por uma dor pulsante em um dos lados da cabeça (às vezes dos dois) e acompanhada de enjoo, vômito e dores diante de luzes e sons (fotofobia e fonofobia).

É considerada uma crise de enxaqueca quando os sintomas variam de 4 a 72 horas, podendo ser um período mais curto no caso de crianças.

A enxaqueca é dividida em 4 fases: premonitória, aura, dor de cabeça e resolução. Porém, nem todas as pessoas que sofrem de enxaqueca apresentam todas essas etapas – sendo que a maioria já notam os sintomas na terceira fase.

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE 😉

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE 😉

  • 1ª fase da enxaqueca: Premonitória (pródromo)
  • A primeira fase da enxaqueca é chamada de premonitória, apresentando sintomas como fadiga, irritabilidade, depressão, bocejo constante e dificuldade de concentração por cerca de 72 horas (três dias) antes da dor de cabeça latejante.
  • 2ª fase: Aura

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE 😉

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE 😉

A segunda fase da enxaqueca é definida pela presença de aura: manifestações neurológicas que ocorrem normalmente antes da dor de cabeça e duram de 5 a 60 minutos. A aura visual é a mais frequente, que faz com que a visão apresente pontos cegos, pontos pretos, cintilações ou flashes de luz.

Leia também:  Como aliviar a dor da síndrome do intestino irritável

3ª fase: Dor de cabeça (cefaleia)

A terceira fase é a que mais simboliza a enxaqueca e também a mais incômoda aos pacientes. É percebida devido à dor de cabeça latejante e intensa, podendo durar aproximadamente entre 4 e 72 horas. Costuma ser acompanha de náusea, vômito e sensibilidade a luz, sons e cheiros.

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE 😉

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE 😉

4ª fase: Resolução (pósdromo)

A quarta e última fase da enxaqueca é denominada resolução (ou pósdromo e até “ressaca”). Nela o paciente apresenta sintomas semelhantes à primeira fase enquanto trata ou mesmo após curar a enxaqueca. São frequentes as queixas de fadiga, sonolência e dor de cabeça leve durante até 48 horas (dois dias).

A enxaqueca crônica é a dor de cabeça intensa e latejante por 15 dias ou mais durante o mês. Assim, é denominada crônica devido à sua alta frequência, podendo ser com aura ou sem aura.

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE 😉

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE 😉

O tratamento para enxaqueca crônica é mais complexo, pois se observa um alto consumo de analgésicos por pacientes que sofrem dessa intensidade da doença – e o abuso de medicamentos pode até mesmo agravar os sintomas.

A enxaqueca é um tipo de dor de cabeça latejante e incapacitante, com duração média de 4 a 72 horas e tende a vir acompanhada de náusea, vômito, tontura, sensibilidade à luz e sons, e aura.

Já dor de cabeça é o termo popularmente usado para se referir à cefaleia do tipo tensional. Ou seja, uma dor de cabeça menos intensa, não latejante, sem outros sinais associados, sem sensibilidade a outros estímulos e tende a ser bilateral (atinge os dois lados da cabeça, enquanto na enxaqueca é mais comum ser localizada em um só lado).

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE 😉

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE 😉

Além disso, para a dor de cabeça pacientes costumam utilizar medicamentos preventivos (como analgésicos). No caso de enxaqueca, não é aconselhada a automedicação com fármacos preventivos.

Tipos

A enxaqueca costuma ser dividida em dois tipos: enxaqueca com aura e enxaqueca sem aura.

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE 😉

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE 😉

Enxaqueca com aura (CID 10 – G43.1) é a dor de cabeça incapacitante que é precedida de sintomas neurológicos que servem como um aviso de que uma crise está por vir.

“Aura” é o conjunto de sinais visuais, sensoriais, de fala, motores ou outros sintomas do sistema nervoso central que alertam para um início de enxaqueca.

Os sinais de aura mais comuns são: pontos cegos, manchas coloridas, flashes de luz e cintilações na visão; confusão mental; sensação de formigamento ou agulhamento na cabeça, podendo espalhar pelo rosto; e fraqueza muscular.

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE 😉

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE 😉

  1. Diferente da enxaqueca sem aura, a enxaqueca com aura pode levar a um acidente vascular cerebral (AVC).
  2. Quando a enxaqueca com aura causa alterações visuais e sensibilidade à luz, é chamada de enxaqueca ocular (ou enxaqueca oftálmica).

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE 😉

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE 😉

A enxaqueca sem aura (CID 10 – G43.0) é aquela que não apresenta aura, como o próprio nome sugere. Portanto, não apresenta sinais neurológicos anteriores à dor de cabeça latejante. É chamada de “enxaqueca comum”.

Cerca de 70% das pessoas que se queixam de enxaqueca apresentam a enxaqueca sem aura; e aproximadamente 30%, então, têm enxaqueca com aura.

Causas

As causas exatas da enxaqueca são desconhecidas, embora se saiba que elas estão relacionadas com alterações do cérebro e possuem influência genética.

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE 😉

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE 😉

A enxaqueca começa quando as células nervosas, já em estado de hiperexcitabilidade, reagem a algum gatilho frequentemente externo, enviando impulsos para os vasos sanguíneos, causando sua constrição (relacionado à aura) seguida de uma dilatação (expansão) e libertação de prostaglandinas, serotonina e outras substâncias inflamatórias que causam a dor.

O padrão de crise é sempre o mesmo para cada indivíduo, variando apenas em intensidade. O espaçamento entre crises é variável.

O gatilho para as crises em enxaqueca variam de indivíduo para indivíduo, sendo que em alguns não há presença de nenhuma causa específica. Entretanto, os gatilhos de enxaqueca mais comuns são:

  • Estresse
  • Jejum intermitente
  • Dormir mais ou menos horas do que o de costume
  • Mudanças bruscas de temperatura e umidade
  • Perfumes e outros odores muito fortes
  • Esforço físico excessivo
  • Luzes e sons intensos
  • Abuso de medicamentos, incluindo analgésicos
  • Fatores hormonais (mulheres nas fases pré, durante e pós-menstruação, gerando a chamada de “enxaqueca menstrual”)
  • Consumo de certos alimentos e bebidas (queijos amarelos, frutas cítricas, carnes processadas, frituras e gorduras, chocolates, café, chás, refrigerantes, excesso de álcool)

Sintomas

Sintomas de Enxaqueca

  • Crise de dor de cabeça latejante e intensa de 4 a 72 horas
  • Náusea e Vômitos
  • Bocejos constantes
  • Irritabilidade
  • Sensibilidade à luz
  • Sensibilidade ao som
  • Sensibilidade ao movimento do corpo ou do ambiente
  • Tontura
  • Fadiga
  • Mudanças de apetite
  • Problemas de concentração, dificuldade para encontrar as palavras

A manifestação mais comum da enxaqueca com aura é a chamada aura visual, que pode se apresentar como flashes de luz, manchas escuras em forma de mosaico ou imagens brilhantes em ziguezague – como quando estamos andando em uma estrada e vemos aquele ziguezague de calor que emana do chão.

Em outros casos, a enxaqueca com aura pode se manifestar com dormências ou formigamentos em apenas um lado do corpo – dependendo da gravidade da enxaqueca com aura, a pessoa pode começar com um formigamento em uma das mãos e ele se espalhar por todo o lado do corpo, chegando a adormecer apenas metade da língua.

No entanto, essas manifestações sensitivas da enxaqueca com aura são mais raras. Geralmente, a aura começa da cefaleia na crise de enxaqueca, podendo persistir ou não depois que a dor começa.

Diagnóstico e Exames

Buscando ajuda médica

  • No Brasil, é estimado que apenas 56% dos pacientes com enxaqueca procuram atendimento e, destes, apenas 16% se consultam com especialistas em cefaleias.
  • Um estudo feito em duas Unidades Básicas de Saúde (SUS), encontrou prevalência de 45% de enxaqueca nos pacientes com queixa de cefaleia.
  • Os médicos mais apropriados para consultar ao apresentar sintomas de enxaqueca são:
  • Neurologista (especialista em enxaqueca)
  • Clínico geral

Vale ressaltar que não é preciso apresentar todos os sintomas acima citados para ser diagnosticado com enxaqueca.

Normalmente dois sinais já são o bastante para identificar uma crise da doença.

Diagnóstico de Enxaqueca

O diagnóstico de enxaqueca é basicamente clínico. O médico neurologista costuma fazer perguntas como:

  • Você sente dor em qual lado da cabeça?
  • Quais os sintomas relacionados à dor?
  • Qual a duração desses sintomas?
  • Eles acontecem em ambos os lados do corpo?
  • Se são sintomas visuais, como são e em que momento os apresenta?
  • Algum desses sintomas aparece antes de a dor começar?
  • Você tomou algum medicamento para as dores?
  • Você faz uso de algum medicamento com frequência?

É normal que seu médico queira ter certeza de que não existem outras causas para sua enxaqueca. Assim, é provável que ele faça exames físicos e neurológicos. Além disso, o médico irá perguntar sobre seu histórico familiar, incluindo questões como:

  • Outros membros da família têm enxaqueca ou outros tipos de dores de cabeça?
  • Você usa medicamentos como pílulas anticoncepcionais ou vasodilatadores?
  • Sua dor de cabeça começa depois que você faz muito esforço, ou após tossir ou espirrar?

O diagnóstico da enxaqueca é feito clinicamente, seguindo os critérios baseados nas diretrizes da Headache International Society. Para ser diagnosticada a enxaqueca, o paciente precisa apresentar pelo menos cinco crises com essas características:

  • Crise de cefaleia durando de quatro a 72 horas (tratamento fracassado ou não realizado)
  • Cefaleia tendo pelo menos duas das seguintes características: unilateral, pulsátil, dor de intensidade moderada a intensa, dor agravada ou impedindo atividade física rotineira (caminhada, subir escadas, etc.)
  • Durante a cefaleia, ocorrência de pelo menos um destes sintomas: náusea e vômitos, fotofobia e “fonofobia”
  • Nenhum outro diagnóstico que explique a cefaleia
  • Pelo menos duas crises com a presença de sintomas da aura, como pontos luminosos ou perda e embaçamento da visão, dormência e formigamento, e fraqueza no corpo e dificuldade na fala

Tratamento e Cuidados

Tratamento de Enxaqueca

O tratamento para enxaqueca é prioritariamente medicamentoso (por via oral ou via intravenosa).

Porém, antes de iniciar o tratamento para enxaqueca, é necessário saber se o diagnóstico está correto e qual o fator desencadeante dela. No geral, o melhor é evitar esses desencadeantes e tomar o medicamento indicado pelo médico quando uma crise aparecer.

Leia também:  Como aliviar a abstinência de antidepressivos

Os medicamentos para prevenção da enxaqueca incluem neuromoduladores, betabloqueadores, antidepressivos, antivertiginosos. A indicação, no entanto, dependerá de cada caso.

Medicamentos para Enxaqueca

Os medicamentos mais usados para o tratamento de enxaqueca são:

Somente um médico pode dizer qual o medicamento mais indicado para o seu caso, bem como a dosagem correta e a duração do tratamento. Siga sempre à risca as orientações do seu médico e NUNCA se automedique.

Não interrompa o uso do medicamento sem consultar um médico antes e, se tomá-lo mais de uma vez ou em quantidades muito maiores do que a prescrita, siga as instruções na bula.

Convivendo (prognóstico)

Convivendo/ Prognóstico

Na dúvida de como aliviar uma crise de enxaqueca? Para amenizar as dores decorrentes de crises de enxaqueca, siga essas dicas de especialistas:

Pessoas que têm enxaqueca frequente devem sempre andar com seus medicamentos. Isso porque, algum tempo após a dor de cabeça se iniciar, ocorre um processo de sensibilização central, que mantém a dor e a torna mais rebelde aos analgésicos. É importante seguir à risca as medicações e dosagens indicadas pelo neurologista.

Como os desencadeantes da enxaqueca são diferentes para cada um, a forma de aliviar essa dor também varia. Alguns dos tratamentos não medicamentosos mais comuns incluem compressas quentes ou frias, massagens, terapia de biofeedback, homeopatia e acupuntura.

Como o analgésico trata apenas a dor da enxaqueca, os outros sintomas devem ser tratados de forma tópica. Esse cuidado é redobrado com aqueles que sofrem com vômitos, pois isso pode golfar os analgésicos, precisando ir ao pronto-socorro para receber medicações injetáveis.

Durante uma crise de enxaqueca, o paciente não suporta ambientes barulhentos e com muita luz. Por isso, o ideal é se sentar ou deitar – o que for mais confortável – em um local com pouca luz e sem barulhos, evitando ao máximo atividades que te tirem do repouso.

Beba muito líquido, tanto água quanto soluções hidratantes disponíveis no mercado. Caso haja vômito, o melhor é não ingerir alimentos sólidos e, em casos graves, procurar um pronto-atendimento para receber medicações injetáveis mais potentes.

Complicações possíveis

O episódio de enxaqueca é autolimitado e raramente resulta em complicações neurológicas permanentes. A enxaqueca crônica pode causar incapacitação por dor e afetar a execução de atividades diárias e a qualidade de vida.

Quando uma crise intensa se prolonga por mais de 72 horas, diz-se que o paciente está em status enxaquecoso (ou migranoso) e incapacitante.

Prevenção

Prevenção

Além dos medicamentos para enxaqueca e cuidados no momento da crise, você pode adotar alguns hábitos que ajudam na prevenção da enxaqueca:

  • Manter um diário da enxaqueca para identificar fatores desencadeantes de enxaquecas (anote data e a hora da enxaqueca, todos os alimentos que você comeu, atividades que você participou e medicamentos ingeridos)
  • Evite alimentos, medicamentos e fatores ambientais desencadeantes
  • Fique atento aos gatilhos psicológicos, como estresse e ansiedade
  • Procure um especialista que lhe indique o medicamento preventivo mais apropriado para você

Mais sobre Enxaqueca

Segundo o Ministério da Saúde, no Brasil de 5 a 25% das mulheres e 2 a 10% dos homens têm enxaqueca. É predominante em pessoas com idades entre 25 e 45 anos, sendo que após os 50 anos essa porcentagem tende a diminuir, principalmente em mulheres.

A doença ocorre em 3 a 10% das crianças, afetando igualmente ambos os gêneros antes da puberdade, mas com predomínio no sexo feminino após essa fase.

Sociedade Brasileira de Cefaleia

Referências

Ministério da Saúde

Enxaqueca: uma dor de cabeça debilitante

Para a parcela de cerca de 10% da população mundial que sofre de enxaqueca, uma boa notícia: novas pesquisas sugerem que determinados suplementos podem ser tão eficazes quanto os medicamentos convencionais para prevenir e tratar essas dores de cabeça debilitantes.

O que é

Uma enxaqueca é uma dor de cabeça intensa e pulsátil, que costuma começar em um dos lados do crânio, mas pode afetar a cabeça inteira. Pode durar horas ou dias e ser precedida, às vezes, de sinais de alerta.

 A dilatação dos vasos sanguíneos, bem como a tensão nos músculos da cabeça e do pescoço são as causas mais comuns de dor de cabeça. Antes de tudo, a enxaqueca – uma dor de cabeça mais forte e acompanhada por sintomas como náusea – pode ser deflagrada por vários gatilhos.

Aqui você vai descobrir muitas dicas para lidar com os dois problemas.

Causas

Desconhece-se a causa básica exata da enxaqueca. Uma das teorias existentes é a de que seja desencadeada por um espasmo das artérias que irrigam o cérebro. Alguns pesquisadores acreditam que níveis baixos da substância cerebral serotonina provoquem constrição e alargamento anormais dos vasos sanguíneos.

Diversos agentes podem precipitar um ataque nas pessoas suscetíveis à enxaqueca.

Nestes, incluem-se determinados alimentos, estresse, falta de sono, mudanças no tempo, luz intensa, flutuações nos níveis de açúcar no sangue, problemas de fígado, dor de dente, oscilações hormonais do ciclo menstrual ou associadas ao uso de anticoncepcionais, substâncias químicas do ambiente ou exposição à fumaça de cigarro. As enxaquecas ocorrem em membros de uma mesma família, e as mulheres têm mais suscetibilidade do que os homens.

Sintomas

– Dor intensa e pulsátil; primeiro próximo ao olho e, em seguida, espalhando-se por um ou ambos os lados da cabeça.
– Náuseas e vômitos.
– Aversão dolorosa à luz.
– Perda de apetite.

– Os sinais de alerta iniciais incluem: distúrbios visuais (luzes piscando, linhas onduladas) chamados aura; sensações de formigamento, tontura e zumbido nos ouvidos; suores, calafrios, cansaço; inchaço no rosto; e irritabilidade.

Como os suplementos podem ajudar

Os suplementos recomendados são úteis para prevenir enxaquecas e podem ser usados no lugar de medicamentos vendidos com receita, mas não deixe de tomá-los sem o consentimento de seu médico. Se a enxaqueca já tiver se instalado, pode ser necessário recorrer aos remédios vendidos sob prescrição médica.

Magnésio/Cálcio
Dosagem: 300 mg de magnésio e 100 mg de cálcio,duas vezes ao dia.

Comentários: Tome com alimentos. Às vezes vendidos como suplementos isolados.

  • Tanaceto
    Dosagem: 250 mg,todas as manhãs.
  • Comentários: Padronizado para conter pelo menos 0,4% de partenolida.
  • 5-HTP
    Dosagem: 100 mg, 3 vezes ao dia.
  • Comentários: Consulte o médico se estiver tomando antidepressivos controlados.
  • Riboflavina
    Dosagem:200 mg, todas as manhãs.

Comentários: É mais bem usada nas enxaquecas crônicas. Também chamada de vitamina B2.

A enxaqueca já se instalou

● Aqueça os pés para arrefecer a dor

Uma dica da naturopatia para aliviar a dor de cabeça é mergulhar os pés em uma bacia com água morna. Acredita-se que isso cause a dilatação dos vasos sanguíneos dos pés e desvie o sangue da cabeça, o que alivia a dor.

● Beba café forte…

Uma xícara de café forte pode proporcionar alívio imediato, pois a cafeína reduz a dilatação dos vasos sanguíneos, causa importante de dor de cabeça. Por isso alguns analgésicos contêm cafeína.

● …mas não interrompa subitamente o consumo se você costuma beber café; a abstinência de cafeína pode causar dor de cabeça porque provoca a dilatação de rebote dos vasos sanguíneos. O remédio mais simples é o café, mas a diminuição gradual da ingestão de cafeína é a melhor solução a longo prazo.

● Emagreça para vencer a enxaqueca

Se você tem enxaqueca e excesso de peso, enfim, procure emagrecer – talvez você acabe por se libertar da enxaqueca também.

Um estudo americano constatou que as pessoas com grande sobrepeso submetidas a cirurgia de redução do estômago notaram redução drástica do número de crises de enxaqueca depois de seis meses.

As pesquisas continuam para verificar se o emagrecimento menos extremo de pessoas que não estejam tão acima do peso tem impacto semelhante. Portanto, não há por que esperar por esses resultados; a eliminação do excesso de peso tem muitos outros benefícios.

Não espere piorar

● Tome logo o remédio

Essa é a dica para quem acha que é apenas uma dorzinha que já vai passar. Assim que você notar os primeiros sinais da enxaqueca, como náusea ou transtornos da visão, tome o remédio.

As pesquisas mostraram que quanto mais cedo se tomar a medicação de resgate para alívio da enxaqueca, como a sumatriptana, mais eficaz ela será. O mesmo vale para outras formas de alívio da dor.

Portanto, não tente resistir nem espere que a dor se instale – tome o medicamento prescrito pelo médico logo no início da enxaqueca.

● Recorra às agulhas

Se você sofre com a dor intensa da enxaqueca ou com as cefaleias em salvas, que causam dor aguda, em queimação e unilateral, então, experimente a acupuntura.

Uma importante revisão encontrou, de fato, indicações de que essa antiga terapia chinesa proporciona alívio mais duradouro que os medicamentos de venda livre ou prescritos pelo médico.

O resultado é a menor intensidade da dor e a diminuição do número de crises. O médico pode recomendar um profissional confiável.

Você também pode experimentar

● Use lentes coloridas

Muitas vítimas de enxaqueca juram que têm menos crises quando usam óculos com lentes coloridas. De fato, uma pesquisa da Universidade Estadual de Michigan, nos Estados Unidos, encontrou uma base científica para essa afirmação.

O estudo usou ressonância magnética (RM) para avaliar o cérebro de pessoas com enxaqueca durante o uso de lentes coloridas de acordo com a necessidade específica. Aquelas que usaram as lentes constataram que a frequência das crises caiu, em média, pela metade.

Leia também:  Como apresentar o namorado para as crianças: 10 passos

Ou seja, a cor das lentes foi escolhida para proporcionar máximo conforto e reduzir a percepção distorcida – processo conhecido como lentes coloridas de alta precisão.

Nem todas as pessoas com enxaqueca têm bons resultados com esse método, por isso pergunte ao médico se as lentes coloridas podem ser úteis no seu caso.

● Experimente chá de gengibre

Existem indicações da eficácia desse remédio tradicional no alívio da enxaqueca, embora o motivo não seja bem compreendido.

O gengibre tem propriedades anti-inflamatórias que podem impedir a ação das prostaglandinas, substâncias químicas naturais, semelhantes a hormônios, que, dessa forma, ativam a resposta inflamatória e contribuem para a dor intensa da enxaqueca.

Em primeiro lugar, prepare esse remédio natural e reconfortante misturando uma colher (chá) de gengibre fresco ralado à água fervente. Logo depois, adoce com um pouco de mel se preferir e espere a infusão esfriar um pouco antes de beber.

1. Se você tiver dores de cabeça intensas, de início súbito, principalmente se isso começar a acontecer depois de 35 anos de idade.
2. Se você sentir forte dor de cabeça após um exercício físico.
3. Se a dor de cabeça for acompanhada de febre, rigidez de nuca, confusão, perda da fala ou fraqueza de um dos lados do corpo.

4. Se as enxaquecas ficarem mais intensas ou mais frequentes.

– Lembrete: Se você tem algum problema de saúde, converse com seu médico antes de tomar suplementos.

O que evitar e o que comer

Primeiramente, descubra o gatilho que dispara a sua enxaqueca, que podem ser vários fatores isolados ou combinados. Procure evitar os seguintes alimentos: queijos envelhecidos, cebolas, picles, carnes industrializadas, vinho tinto, cerveja, creme azedo, nozes, massas à base de fermento fresco, ovos, tomate, frutas cítricas e bebidas cafeinadas.

Embora o chocolate frequentemente provoque enxaquecas, alguns estudos recentes indicam que isso pode ser falso. O consumo de peixes ricos em ácidos graxos ômega-3, como salmão e atum, pode ajudar a prevenir enxaquecas. O ômega-3 aparentemente altera substâncias químicas no sangue, reduzindo o risco dos espasmos de vasos sanguíneos associados a enxaquecas.

1- Identifique e evite os elementos que desencadeiam a enxaqueca.
2- Tente biofeedback ou relaxamento para ajudá-lo a lidar com o estresse.
3- Beba pelo menos um litro e meio de água por dia e faça exercícios regularmente.

Segredos do sucesso

Oxigenoterapia na enxaqueca

De acordo com uma revisão de pesquisas, a inalação de oxigênio sob alta pressão é um tratamento muito eficaz para enxaqueca, sobretudo nos casos em que há pouco ou nenhum alívio com medicamentos.

Esse tratamento proporciona melhora considerável da enxaqueca em 45 minutos, já que o oxigênio pode aliviar os sintomas por contração dos vasos sanguíneos – a dor da enxaqueca é causada por dilatação dos vasos sanguíneos – ou por bloqueio das “vias químicas” de transmissão da dor.

O tratamento ainda não é oferecido em grande escala, pois exige o uso de câmara hiperbárica, equipamento especial em geral usado para tratar mergulhadores de águas profundas.

Acupressão

Quando os analgésicos não aliviam a dor de cabeça, a acupressão pode resolver o problema.

Isto é, com movimentos circulares firmes, massageie a pele entre a base do polegar e o dedo indicador durante vários minutos, depois repita na outra mão. Continue assim até que a dor desapareça.

De acordo com a medicina chinesa, o ponto-gatilho na área da mão está associado às áreas do cérebro de origem da dor de cabeça.

Veja tratamentos naturais para a enxaqueca.

Está com enjoo? Veja alimentos que podem ajudar a reduzir as náuseas

As náuseas causam um desconforto no estômago e a sensação de querer vomitar. As razões para que esse sintoma apareça podem variar –algumas pessoas podem sentir náuseas devido ao movimento (viagens), por realizar alguns tipos de tratamento como a quimioterapia, devido a efeitos colaterais de alguns medicamentos e também durante a gestação.

Em alguns casos, o jejum prolongado pode causar o desconforto. E algumas doenças como enxaqueca, viroses, gastroenterite viral ou intoxicação alimentar podem provocar as náuseas. Há casos de pessoas que sentem enjoo devido a certos odores ou por causa do estresse emocional, quando estão ansiosas ou sentem medo.

Por isso, é importante sempre procurar um médico em caso de náuseas e vômitos para diagnosticar o motivo do sintoma. Identificar a origem da náusea é o primeiro passo para ter um tratamento correto. Mas sabe-se que alguns alimentos contribuem para diminuir as náuseas, enquanto outros podem piorar a sensação de enjoo e mal-estar.

Pensando nisso, conversamos com especialistas para indicar quais alimentos devem ser ingeridos ou evitados para afastar as náuseas.

A lista foi elaborada por Cristiane Zago Zacari, coordenadora do curso de Nutrição do Centro Universitário FMU (Centro Universitário das Faculdades Metropolitanas Unidas); Luciana Vieira Neves, coordenadora de nutrição dos hospitais Vitória e Samaritano (RJ); Juciara Jardim, nutróloga do Hospital Alemão Oswaldo Cruz e Natália de Oliveira Bregion, nutricionista do Hospital Santa Cruz. Veja detalhes a seguir.

Coloque no prato

Imagem: iStock

GengibreO gengibre age no sistema nervoso central e provoca um relaxamento no trato gastrointestinal diminuindo assim as náuseas. Pesquisadores da Universidade de Zurique (Suíça) comprovaram por meio de um estudo que o alimento previne enjoos em viagens longas. Para chegar a essa conclusão, foram avaliadas mais de 1400 pessoas. O gengibre também reduz as náuseas provocadas durante a gravidez, mas nesses casos deve ser usado com muita cautela e recomendação médica. E o alimento também contribui para diminuir o sintoma de quem está fazendo quimioterapia. O gengibre pode ser consumido sob a forma de chá, suco ou em pequenos pedaços (raiz).

Imagem: iStock

NozesAs nozes são ricas em fibras, o que melhora as náuseas. Além disso, esse alimento possui proteína que ajuda a reabastecer a energia e afastar o desconforto. Mas, essa oleaginosa deve ser consumida com cautela –no máximo cinco por dia, pois em excesso podem causar um efeito contrário, ou seja, aumentar os enjoos.

Imagem: iStock

BananaA fruta possui diversos nutrientes importantes para o organismo. Entre eles, merece destaque a piridoxina, mais conhecida como vitamina B6 que atua contra a náusea, inclusive é recomendada para os enjoos sentidos durante a gestação.

As vitaminas do complexo B aumentam a produção de sucos digestivos facilitando a digestão. A nanica e a maçã são as mais recomendadas para diminuir as náuseas devido à quantidade de fibras presentes em sua composição.

Além disso, por ser um alimento macio reduz a possibilidade de contração do estômago, que pode causar o vômito.

Imagem: iStock

Frutas cítricasAs frutas cítricas como limão e laranja apresentam uma quantidade considerável de ácido fólico e vitamina B9 que favorece o esvaziamento gástrico por meio da produção de ácidos digestivos. Elas oferecem um alívio imediato, pois a acidez dessas frutas diminui a salivação. E diminui a sensação de boca seca, que vem acompanhada da náusea.

Imagem: Istock

Chás sem cafeínaHá vários tipos de chás que auxiliam no processo de melhora dos enjoos e náuseas. Uns aceleram o esvaziamento gástrico, outros ajudam na quebra da gordura facilitando a digestão. Os mais indicados para quem sofre de náuseas são: boldo-do-chile, hortelã, gengibre, camomila, erva doce, alecrim e carqueja.

Imagem: Istock

Alimentos secosAlimentos mais secos, como biscoitos, torradas, bolachas e pães ajudam a combater o aumento da produção da saliva que ocorre durante a náusea. O aumento de salivação é muito comum em pacientes que apresentam esse desconforto. Além disso, são fontes de carboidratos de fácil absorção e têm o sabor neutro, o que ajuda a diminuir a vontade de vomitar.

Imagem: iStock

ÁguaBeber água reduz a pressão no estômago, diminuindo a ocorrência de refluxos, que muitas vezes são os responsáveis pelas náuseas.

Além de diminuir o sintoma, o consumo de água evita a desidratação. Porém, ela deve ser ingerida de preferência gelada e em pequenos goles.

É importante ressaltar que a ingestão de grande quantidade de água pode distender o estômago e piorar o quadro de náuseas e vômitos.

Melhor evitar

Imagem: iStock

CafeínaCafé, chá preto e chá mate contêm uma quantidade considerável de cafeína. Essa substância age relaxando o esôfago e estimula a acidez estomacal, contribuindo para o quadro de refluxo. Sendo assim, leva a uma piora das náuseas e vômitos. No caso de gestantes, o odor ou gosto acentuado do café pode causar aumento do desconforto.

Imagem: iStock

AçúcarConsumir açúcar refinado em excesso retarda o esvaziamento gástrico e assim contribui para a piora dos enjoos. É bastante comum o desconforto após o consumo de doces.

Isso ocorre porque na preparação desses alimentos são usadas muitas gorduras e doses extras de manteiga, creme de leite e açúcar que provocam o mal-estar.

Por isso, a recomendação é evitar doces e guloseimas em excesso e optar por outros tipos de açúcares como mascavo ou demerara, sempre que possível.

Imagem: iStock

Leite e derivadosAlimentos como leite, queijos e iogurte aumentam a acidez estomacal levando a piora dos sintomas dos incômodos gastrointestinais.

A situação se agrava ainda mais para quem tem intolerância à lactose.

Diante da deficiência da lactase, não há a quebra da lactose em açúcares menores aumentado assim a produção de gases, que leva a distensão gástrica e pode resultar em náuseas e vômitos.

Imagem: iStock

PimentaÉ um alimento considerado irritante da mucosa gástrica, principalmente do estômago. Mas também causa irritações na boca e intestino. Além disso, a pimenta diminui a pressão do músculo do esôfago, o que pode causar refluxo. Assim, seu consumo piora as náuseas para quem já está com este sintoma.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*