Como ajudar uma pessoa doente a se sentir melhor

Como Ajudar uma Pessoa Doente a Se Sentir Melhor

Numa sociedade que preza pela simpatia artificial, poucos sabem na prática o que é empatia.

Alguém que está sofrendo com uma enfermidade não necessita de selfies ou frases feitas, mas de empatia e compreensão. Necessita de alguém que esteja ali caso ela queira se abrir para compartilhar seus medos, angústias ou esperanças. Alguém que entendendo a situação de quem está doente e da família possa agir a moda de tornar a vida deles melhor nesse momento.

Eu sempre tive dificuldades sobre como lidar e o que conversar com quem está doente. A simples frase que utilizamos em quase todas as nossas conversas como “oi, tudo bem com você?” parece que fica vazia de sentido quando você vai cumprimentar alguém que mal está conseguindo se mexer na cama de hospital.

Nas minhas pesquisas online encontrei alguns artigos e projetos que podem trazer alguma luz para quem está perdido em um momento como esse. No último ano meu padrinho enfrentou um câncer de fígado e nossas conversas no hospital também me inspiraram a escrever. Espero que as informações que vou sintetizar aqui te ajudem a se tornar um companhia mais agradável para alguém que esteja enfermo.

  • Pesquisando online, encontrei o projeto de uma artista chamada Emily McDowell, que logo depois de se curar do câncer criou uma série de “cartões da empatia” com as mensagens que ela desejava ter recebido enquanto fazia seu tratamento.
  • Para ela, pior que os dolorosos tratamentos eram as mensagens de condolências que recebia dos parentes e amigos. Ela então criou cartões com mensagens que os pacientes verdadeiramente gostariam de escutar, veja alguns deles:
  • Como Ajudar uma Pessoa Doente a Se Sentir Melhor
  • “Deixe me ser o primeiro a dar um soco na próxima pessoa que disser para você que tudo acontece por alguma razão. Sinto muito por você estar passando por isso” 
  • Como Ajudar uma Pessoa Doente a Se Sentir Melhor
  • “Eu queria conseguir retirar sua dor, ou pelo menos retirar as pessoas que comparam isso com a vez que o hamster delas morreu”
  • Como Ajudar uma Pessoa Doente a Se Sentir Melhor

“Bem, isso simplesmente é um saco. Eu gostaria de saber uma melhor forma de dizer isso, mas meu cérebro está confuso agora. Mas só queria que você soubesse que mesmo que eu nem sempre tenha as melhores palavras você sempre me terá ao seu lado. Eu não vou para lugar algum, espero que você esteja ok com isso”

  1. Como Ajudar uma Pessoa Doente a Se Sentir Melhor
  2. “Desculpe eu não ter estado em contato. Eu não sabia o que dizer”
  3. Para ver todos os cartões acesse o site da artista.

Lendo esse cartões percebi que melhor do que dizer mensagens positivas, compartilhar uma cura mágica ou tentar educar a pessoa sobre como ela deve treinar seu mindset para lidar com a doença é demonstrar que você está do lado dela ou da família dela para o que for preciso. Em suma é substituir o clichê “Você vai melhorar!” pela afirmação “Estou com você(s)!”.

A família que está passando por esses momentos precisa de ajuda com tudo: desde caronas para fazer o tratamento até de alguém para cuidar das crianças, limpar a casa ou fazer as compras. Deixá-las a vontade para solicitar sua ajuda é um baita sinal de que você está ao lado deles.

Mas talvez você também não tenha essa disponibilidade de mudar sua rotina para ajudá-los. Não tem problema! Mesmo só podendo fazer uma visita no hospital ainda tem jeito de demonstrar isso.

Como por exemplo, você pode perguntar ao acompanhante se ele não quer aproveitar o tempo que você está lá para sair, dar uma volta, tomar um café fora do hospital.

Pode perguntar se eles não precisam que você vá comprar algo para eles do lado de fora.

Meu tio enquanto esteve internado depois do transplante de fígado sentia dor e coceira nas costas por ficar tanto tempo deitado. Eu o ajudava coçando de levinho suas costas para que aquela sensação aliviasse um pouquinho.

Desse pequeno ato, nossas conversas fluiam, e ele ia me contando histórias de seus amigos, falava sobre como estava andando o tratamento, sobre sua fé e entre um cafuné e outro chegou até a me confessar que era muito sentido comigo porque eu nunca ligava para ele em seu aniversário! :O (mas isso nunca mais vai acontecer porque depois desse “pito” marquei a data na agenda para sempre!).

Então para você que vive se perguntando sobre como lidar com essa situação, seguem algumas dicas:

  • Se você for íntimo da pessoa e souber que é uma pessoa que gosta de carinho, faça carinho nela tomando cuidado em estar com as mãos limpíssimas e longe de cicatrizes ou feridas.
  • Lembre a pessoa do quanto ela é amada, fale dos amigos e parentes que estão com saudades e desejando que a pessoa retorne ao círculo social.
  • Se a pessoa não é de rezar e não acredita em Deus, não force a barra! Não tem porque falar de Deus e orações para alguém que não acredita nele. Estar doente já é chato o suficiente, ninguém precisa ser evangelizado nesse momento. Acredite, você se tornará um visitante bem inconveniente se fizer isso.
  •  Se você conhece bem a fé da pessoa e sabe que ela ficará feliz em receber orações aí sim você pode rezar e deixá-la saber que você está fazendo isso por ela.
  • Lembre a pessoa do quanto ela é forte. Tratamentos hospitalares deixam o corpo de qualquer um abatido. Se a pessoa estiver de fato reagindo bem ao tratamento diga isso para ela, enfatize o quanto ela está sendo forte e reagindo bem.
  • Pergunte para pessoa sobre o que ela quer conversar. Talvez ela esteja com muita vontade de compartilhar sobre as dores que está sentindo ou sobre o que está acontecendo com o tratamento e rotina do hospital, mas talvez ela já esteja super saturada disso e queira falar sobre a alta do dólar, por exemplo. A pessoa não deixou de ser ela mesma só porque está doente então não tem porque, de uma hora para outra, só conversar sobre a doença dela.
  • A pessoa tem o direito, não o dever, se conversar sobre sua doença. Talvez pessoas que estejam em estado terminal tenham vontade de se abrir e falar sobre medos, arrependimentos, últimos desejos, etc. Mas ela não é obrigada a fazê-lo. Portanto, novamente, não force a barra! Simplesmente diga,  “se você quiser conversar eu estou aqui para escutar” e se por um acaso ela começar mesmo a falar, não interrompa, não dê conselhos, não encerre o assunto. Por exemplo, se a pessoa disser “eu queria ter passado mais tempo com meus filhos” não corte a pessoa imediatamente dizendo “imagina, isso é bobeira, você foi um bom pai”. Deixe-o elaborar o que precisa nesse momento de reflexão, esteja simplesmente presente.

Do mais, não se culpe, nem crie altas expectativas sobre você mesmo. Ainda somos todos aprendizes nesse tipo de situação. Coloque no seu coração a intenção de fazer a pessoa se sentir um pouquinho melhor do que antes de te encontrar. Você não precisa levar nada, nenhum discurso pronto, só a vontade de estar ali, para criar um campo de compartilhamento e carinho entre vocês.

#EspalheEmpatia

E você? Já tentou transmitir empatia a alguém que estava doente? Como foi esta experiência? Na sua opinião, qual é a parte mais difícil desta “construção”?

12 maneiras de ajudar um amigo com depressão

28 de abril de 2017

  |  Tempo de leitura: 11 minutos

Você já precisou ajudar um amigo com depressão? Sabemos que o Brasil é o país com maior prevalência de pessoas depressivas na América Latina. Além disso, também é o quinto país com maior índice de depressão no mundo.

Primeiramente, a depressão é um distúrbio que afeta mais de 10% da população mundial. Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), o Brasil possui cerca de 5,8% de sua população já diagnosticada com depressão.

Ou seja, estamos falando que cerca de 12 milhões de pessoas sofrem com o mal. Elas nem sempre reconhecem os sinais sozinhas. Isso significa que muitas pessoas ao nosso redor podem apresentar sintomas.

Como Ajudar uma Pessoa Doente a Se Sentir Melhor

Assim, esse texto foi criado pensando em enumerar dicas para ajudar um amigo com depressão, colegas, familiares e pessoas próximas que estejam enfrentando sinais como:

  • Humor deprimido ou irritabilidade, ansiedade e angústia
  • Alteração no sono (insônia ou hipersonia) e apetite.
  • Desânimo, cansaço fácil, necessidade de maior esforço para fazer as coisas
  • Desinteresse, falta de motivação e apatia
  • Sentimentos de medo, ansiedade, insegurança, desesperança, desespero, desamparo e vazio
  • Pessimismo,  ideias frequentes e desproporcionais de culpa, baixa autoestima, sensação de falta de sentido na vida, inutilidade, ruína, fracasso, doença, morte ou luto.
  • Interpretação distorcida e negativa da realidade: tudo é visto sob a ótica depressiva, um tom “cinzento” para si, os outros e o seu mundo
  • Dificuldade de concentração, raciocínio mais lento e esquecimento

O que fazer para ajudar um amigo com depressão?

Quando alguém que você conhece e ama está clinicamente deprimido, você quer estar presente para essa pessoa. Ainda assim, tenha em mente que seu amigo ou ente querido tem uma condição clínica séria. Ou seja, dar apoio pode significar mais do que apenas oferecer um ombro para chorar.

Leia também:  Como cantar com um microfone: 9 passos (com imagens)

Muitas coisas podem ser feitas para que os indivíduos em quadros depressivos sintam-se melhor. Porém, o mais importante, é termos a consciência de que o cuidado psicológico e muitas vezes psiquiátrico é fundamental para que esses indivíduos se recuperem.

Decerto, aqui estão nove coisas úteis que você pode fazer para alguém com depressão.

Como Ajudar uma Pessoa Doente a Se Sentir Melhor

1 – Compreenda que o tratamento é fundamental

A depressão é uma condição clínica que requer cuidados médicos e psicológicos. Como um membro da família ou amigo, você pode ouvir a pessoa e dar o seu apoio, mas isso pode não ser suficiente.

É necessário que você tenha sempre isso em mente.

A compreensão da gravidade do problema pode impedi-lo de perder a paciência ou ficar frustrado com eles, uma vez que seus melhores esforços não irão “curar” sua depressão.

Pessoas que estão deprimidas muitas vezes não conseguem dormir, e dificilmente você terá alguma ação sobre esse fato. Você poderá dar cuidado e apoio, mas não irá resolver o problema.

2 – Seja pró-ativo nos seus cuidados

A melhor coisa que você pode fazer para alguém com depressão é apoiar o seu tratamento. Diga a seu amigo ou amado que a depressão é um distúrbio grave e que ignorá-lo não o fará desaparecer.

Quando alguém sofre um acidente e quebra uma perna, rapidamente levamos esta pessoa para um hospital. Quando alguém tem depressão, este indivíduo também precisa de cuidados médicos e psicológicos. Recomende a visita a um psicólogo, busque profissionais da sua confiança e incentive seu ente querido a se cuidar.

O youtuber Felipe Neto fala um pouco à respeito no vídeo abaixo.

 3 – Fale sobre a depressão

Deixe-os saber que você e outros se preocupam com eles e estão disponíveis para apoio. Ofereça-se para encaminhá-los para um tratamento ou, se eles quiserem falar com você sobre como eles estão se sentindo, saiba ouvir.

Acolha, escute ativamente e esteja atento.

Este acolhimento pode reduzir o risco de suicídio.

Ouça atentamente os sinais de desesperança e pessimismo, e não tenha medo de chamar um psicólogo ou mesmo levá-los para uma clínica, se a sua segurança estiver em questão.

4 – Mantenha contato para ajudar um amigo com depressão

Ligue ou visite a pessoa. Não deixe de convidá-la para se juntar a você em atividades diárias. Pessoas que estão deprimidas tendem a ficar isoladas porque não querem “incomodar” outras pessoas.

Talvez seja necessário ser enfático e trabalhar mais duro para apoiar e envolver alguém que esteja deprimido.

Atividades que promovem um sentimento de realização, recompensa ou prazer são diretamente úteis para melhorar a depressão. Escolha algo que a pessoa ache interessante. Ainda assim, tenha em mente que eles podem não se sentir interessados na atividade imediatamente.

Rotinas que promovem o exercício, nutrição e uma quantidade saudável de sono são úteis.

Como Ajudar uma Pessoa Doente a Se Sentir Melhor

5 – Incentive a prática de atividades prazerosas

Convide seu amigo para realizar algumas atividades ao ar livre. Uma caminhada, um passeio de bicicleta e até mesmo um piquenique no parque. Um pouco de caminhada e exercício físico já contribuirá para a liberação de hormônios do prazer como a endorfina e dopamina.

Estimular a participação em aulas como pilates, yoga, mindfulness, meditação, música ou coisas mais divertidas como o slack podem proporcionar momentos de alegria e algumas risadas. Um convite para um cinema, um passeio em uma livraria e uma visita a um local relacionado à espiritualidade podem funcionar também. O importante é nutrir as necessidades físicas, espirituais ou emocionais.

6 – Concentre-se em metas pequenas

Uma pessoa deprimida pode perguntar: “Porque você se preocupa comigo? Porque eu deveria sair da cama hoje?” Você pode ajudar a responder a essas perguntas e oferecer um reforço positivo.

A introspecção depressiva e a passividade podem ser reduzidas através de um incentivo. Trabalhe para estimular um sentimento de recompensa ao atingir pequenos objetivos.

Pontue e elogie pequenas realizações diárias – até mesmo algo tão simples quanto sair da cama.

7 – Leia tudo sobre o assunto para ajudar um amigo com depressão

Livros sobre depressão e auto-ajuda podem ser úteis, especialmente quando eles são fontes confiáveis de conselhos ou orientação. A leitura pode ser uma fonte chave para ajudar as pessoas com depressão.

Os livros podem muitas vezes lançar luz sobre os tipos de tratamento disponíveis.

Artigos de blog também são recomendáveis, desde que você tenha a certeza que as fontes sejam confiáveis e que os artigos tenham sido escritos por profissionais capacitados.

É aconselhável observar a curadoria de profissionais devidamente registrados junto aos conselhos de psicologia ou medicina.

8 – Encontre serviços de apoio

Use serviços de apoio em sua comunidade ou recursos online. Plataformas como a Vittude  podem ajudá-lo a encontrar os especialistas certos para consultar sobre o tratamento da depressão. Organizações como o CVV (Centro de Valorização da Vida) também podem ser úteis em casos de pensamento suicida.

Algumas pessoas com depressão podem não reconhecer que estão deprimidas. Explique-lhes que a condição pode ficar progressivamente pior, até mesmo se tornar crônica, se não tratada precocemente. Por isso, vale a pena investigar serviços de apoio e especialistas.

9 – Faça terapia

Para compreender o que se passa com uma pessoa querida é importante que você se conheça bem. O autoconhecimento o deixará preparado para lidar com as suas emoções e com as de seu amigo.

Muitas vezes, quando estamos em um processo de escuta ativa, os relatos do nosso interlocutor podem acionar pontos do nosso inconsciente. Nesse momento, precisamos saber o que exatamente é do outro e o que é nosso.

A psicoterapia é um processo altamente recomendado para pessoas que convivem com amigos ou familiares em depressão.

Quanto mais estabilizado emocionalmente você estiver, mais preparado estará para ouvir, refletir e ajudar.

Como Ajudar uma Pessoa Doente a Se Sentir Melhor

10 – Saiba o momento de ficar em silêncio

Em alguns momentos pode ser necessário apenas um abraço e o silêncio ao lado do seu amigo. Um colo, cafuné e um momento de acolhimento e carinho. Um abraço apertado pode valer mais do que muitas palavras.

Da mesma forma, saiba também o momento certo de se despedir e dar um espaço para que a pessoa respire.

11 – Incentive visitas ao psicólogo

Incentive a pessoa a visitar um psicólogo ou psiquiatra, participar de sessões de terapia e tomar os medicamentos quando prescritos.

Assim, através da terapia, os psicólogos ajudam milhões de brasileiros de todas as idades a viver vidas mais saudáveis e mais produtivas.

É importante mostrar que qualquer pessoa pode precisar de ajuda para lidar com sentimentos e problemas que parecem além do seu controle – problemas com um casamento ou relacionamento, uma situação familiar ou lidar com a perda de um emprego, a morte de um ente querido, depressão, estresse e burnout. Evitar o preconceito é extremamente importante.

Veja abaixo o que fala Jout Jout prazer a respeito da importância de fazer terapia.

12 – Fique atento para ajudar um amigo com depressão

Se alguém que você ama teve depressão no passado, preste atenção se a pessoa está experimentando algumas das fases de vida mais arriscadas (em termos de depressão), como a adolescência ou um parto recente.

A depressão pós-parto, por exemplo, acomete mais de 25% das mães no Brasil. Pode trazer inúmeras consequências ao vínculo da mãe com o bebê, sobretudo no que se refere ao aspecto afetivo. Isso pode ter efeitos no desenvolvimento social, afetivo e cognitivo da criança, além de sequelas prolongadas na infância e adolescência.

Eventualmente, uma mulher depressiva, normalmente, amamenta pouco e não cumpre o calendário vacinal dos bebês. As crianças, por sua vez, têm maior risco de apresentar baixo peso e transtornos psicomotores

Além disso, se o curso é difícil para ele ou ela emocionalmente devido à separação conjugal, divórcio, perda de emprego, uma morte na família, ou outro estresse grave, você deve estar pronto para intervir e ajudar.

Como Ajudar uma Pessoa Doente a Se Sentir Melhor

Cuidados importantes para ajudar um amigo com depressão

Nunca diga a alguém que ele não tem motivos para estar naquela situação. Não liste adjetivos para mostrar a ele razões pelas quais eles não deveria estar triste. Da mesma forma, não diga que os problemas dele são bobos ou que não há razão para se preocupar. Eles vão se afastar, ficar introspectivos e parar de falar sobre o assunto.

A automutilação pode ser um sinal precursor dos pensamentos de suicídio. Fique de olho no seu amigo e continue a proporcioná-lo acolhimento, segurança e incentivos gentis. Esteja ao seu lado.

A automutilação não significa necessariamente que alguém se tornará um suicida, ela geralmente indica que essa pessoa está sofrendo muito e, embora exista a possibilidade de ser um grito de socorro, você nunca deve deduzir isso.

Muitas tentativas de suicídio podem acontecer quando as pessoas parecem melhores, não quando parecem severamente deprimidas. Assim, quando alguém está no fundo do poço, ele pode não ter energia suficiente para fazer coisa alguma, mas quando a energia começa a voltar, ele poderá tomar uma atitude.

Salve uma vida – não ligue para a polícia durante uma emergência de saúde mental. Ligue para um hospital, para uma instituição de saúde mental ou contate o CVV — Centro de Valorização da Vida, através do telefone 141.

Leia também:  Como armazenar roupas de inverno: 13 passos (com imagens)

Fonte: www.health.com

*Conforme artigo revisado em 12/12/2019

Gostou do post? Então assine nossa newsletter para receber, em sua caixa de emails, notificações de nossos conteúdos e novidades!

Outros textos que podem te interessar:

Como sair da depressão: 7 passos possíveis

Depressão tem cura? Saiba tudo sobre o mal do século

Tatiana Pimenta

CEO e Fundadora da Vittude. É apaixonada por psicologia e comportamento humano, sendo grande estudiosa de temas como Psicologia Positiva e os impactos da felicidade na saúde física e mental.

Cursou The Science of Happiness pela University of California, Berkeley. É maratonista e praticante de Mindfulness.

Encontrou na corrida de rua e na meditação fontes de disciplina, foco, felicidade e produtividade.

10 coisas que você deve dizer a alguém com uma doença crônica | AME – Amigos Múltiplos pela Esclerose

Como Ajudar uma Pessoa Doente a Se Sentir Melhor

Algumas semanas atrás, eu escrevi um post sobre 15 coisas que não se deve dizer a alguém com uma doença crônica. Foi, de longe, o post mais popular no meu site. Estou tão feliz que ele tenha tocado as pessoas, e espero que possam aprenderem a se relacionar melhor com as pessoas com doenças crônicas que fazem parte da sua vida.

Algumas pessoas mencionara que eu deveria escrever sobre o que as pessoas devem dizer para as pessoas com doenças crônicas. Então, eu não posso garantir esta lista será aplicada a todos, mas aqui estão 10 coisas que eu acredito que as pessoas com doenças crônicas querem ouvir:

1. Eu acredito em você

Eu já mencionei que esta é a coisa mais poderosa que você pode dizer a alguém com uma doença crônica. As pessoas que vivem com doenças crônicas muitas vezes são colocadas em dúvida.

Na base do “ver para crer”, quando você olha para alguém aparentemente saudável​​, a maioria têm dificuldade em acreditar que você sente tão doente como você diz. Para uma pessoa com uma doença crônica, ter alguém que acredita neles é reconfortante.

Isso vai ajudá-los a confiar em você, porque eles sempre estão, provavelmente o tempo todo, preocupados se você e as pessoas em sua vida acreditam neles ou não.

2. Posso ir até ai e sairmos?

Perguntar se querem sair para fazer algo pode ser muito bom, mas às vezes apenas o pensamento de sair de casa pode ser esmagador para alguém com uma doença crônica.

As atividades divertidas que você estava planejando fazer fora de casa pode tornar-se demoradas e cansativas, e só alguém com uma doença crônica sabe como a energia pode ser valiosa. Você se oferecer para ir até eles é um enorme gesto.

Isso mostra que você deseja passar mais tempo com eles, mesmo que não estejam dispostos a sair de casa ou fazer algo que exige energia.

3. Posso lhe trazer comida? Ou, eu posso ir até ai e ajudar em casa?

Obviamente estas não são coisas que você deve dizer ou fazer o tempo todo, porque você provavelmente não tem tempo para fazer isso todos os dias.

Mas em um dia que você tiver tempo, ou se você já estiver executando atividades para si mesmo, usar alguns minutos extras para ajudar o seu amigo com uma doença crônica vai fazer uma enorme diferença para ele.

Para mim, às vezes apenas lavar os pratos pode ser suficiente para me fazer precisa tirar um cochilo. E em dias ruins eu me esforço para encontrar a energia para conseguir preparar a comida. Se oferecer para fazer favores como estes é um gesto maravilhoso.

Eles podem ajudar alguém com uma doença crônica a sentir que você entende o que eles estão passando e se preocupa com eles. Oferecer algo específico é mais útil do que apenas perguntar, há alguma coisa que eu possa fazer? (Não que isso não seja bom para se dizer também!)

4. Eu sei o quão duro você está dando

Este é o oposto de “por que você não apenas não passa por isso?”, e é uma das melhores coisas que você pode dizer.

Todo mundo gosta de ter o seu trabalho reconhecido, mas a maioria das pessoas não veem como ter uma doença crônica pode tornar-se um trabalho duro ao longo do dia.

Quando eu estou trabalhando muito duro para me exercitar por 10 minutos ou fazer o meu “bio-feedback” para o dia, o incentivo fora pode ser a motivação para ajudar a passar por isso.

5. Qualquer tipo de “Oi” ou de perguntar como estão as coisas depois de não se verem por um tempo

Às vezes, alguém com uma doença crônica não sai de casa por um longo tempo, ou perde um monte de atividades na escola ou no trabalho, somando-se a dificuldade da sua doença também a sensação de ser esquecido ou deixado para trás.

Longe da vista, longe do coração, sabe? Portanto, apenas dizer oi e deixá-los saber que você está pensando neles mesmo quando vocês não tem visto um ao outro ultimamente é um bom caminho a seguir.

Isso provavelmente fará o dia dele melhor, e você ainda se sentirá bem por isso. 

6. Você é tão forte

Constantemente estar em uma luta com seu próprio corpo é um trabalho árduo. Pessoas com doenças crônicas geralmente se sentem fracos nessa luta, seja física, mental ou ambas. Ouvir que eles são fortes é a validação de que todo seu trabalho duro não é invisível. E pode servir como um lembrete de que eles têm a força para continuar lutando dia a dia e se superar sempre.

7. Eu sei o quão difícil isso é para você, obrigado por usar sua energia para passar um tempo comigo

Um amigo meu mencionou que alguém lhe disse uma vez isso depois de uma conversa por telefone que durou muito tempo. Eu percebi o quão tocada eu seria se alguém dissesse isso para mim.

Dizer isso ajuda a uma pessoa com uma doença crônica a sentir que você entende o que eles estão passando e apreciam tê-los em sua vida.

Também faz você se sentir bem o fato de que alguém com uma doença crônica escolha gastar sua energia limitada com você, porque isso significa que eles se preocupam com você! 

8. Não se sinta mal se você tiver que cancelar os planos no último minuto, eu entendo.

Um dos sentimentos constantes que vem junto com uma doença crônica é se sentir culpado ou como se você fosse um fardo para as pessoas em sua vida. Eu sempre me sinto terrível por cancelar planos, e, por vezes, fazê-lo no último momento possível, porque eu estou esperando me sentir melhor.

Às vezes me incomoda isso, mesmo que seja fora do meu controle. Sei que isso é comum para as pessoas com doenças crônicas.

Por isso a importância de deixá-los saber que você não ficará contra eles, vai ajudar a aliviar a culpa, além de torná-los mais propensos a fazer planos com você no futuro, porque eles não vão ter medo de perder você como um amigo se precisarem cancelar com muita frequência.

9. Às vezes, a melhor coisa que você pode fazer é não dizer nada, apenas um abraço ou emprestando um ombro amigo.

Isto é verdade para todas as pessoas, certo? Não apenas as pessoas com doenças crônicas.

Às vezes, o melhor, a coisa mais solidária que você pode fazer para um amigo ou ente querido é apenas mostrar o seu apoio através de um abraço carinhoso ou deixá-los desabafar com você.

Os abraços são bons para saúde, então vá abraçar seus amigos que têm doenças crônicas. Normalmente, apenas ser um bom ouvinte é mais útil do que tentar dar bons conselhos quando você não vivenciou em primeira mão uma doença crônica.

 10. Eu sei que isso não é culpa sua.

Um dos principais temas que passam pela cabeça de quem sofre de um doença crônica é a auto-culpa.

O que é totalmente razoável para a maioria das pessoas, mas é difícil não pensar: “Se eu apenas me esforçar um pouco mais ” ou “Se eu comesse de forma mais saudável” ou “Se eu apenas levasse 10 minutos para fazer o que ontem eu fiz em 20 seria melhor.

” As pessoas com doenças crônicas aprendem com a experiência que estes “se” são apenas ilusões, afinal, a doença não é culpa sua. E ter um lembrete desses fato pode realmente ajudar a solidificar essa ideia para as pessoas com doenças crônicas, e ajudar a lembrar que você não os culpo por isso também.

BÔNUS: para quando tudo mais falhar e você não tiver certeza do que dizer.

Eu gostaria de saber o que dizer, mas saiba que eu me preocupo com você e eu estou aqui para você

Leia também:  Como baixar o ifile (com imagens)

Você nunca poderá entender o que é ter uma doença crônica, e tudo bem por isso. Isso é bom, porque esta não é uma experiência divertida.

Mas quando você não consegue pensar no que dizer, tudo bem dizer que você não sabe o que dizer. E seguir com um lembrete de que você se preocupa e que você está lá para eles, se eles precisam de você.

Porque quando se está ruim não precisamos de alguém que diga a coisa perfeita, mas de alguém que mostre se importar.

Esta lista não significa que estas sejam as únicas coisas que você deve dizer a alguém com uma doença crônica.

Todas estas coisas servem para mostrar para alguém com uma doença crônica que você se importa, e podem variar dependendo de quem é a pessoa.

Ter um bom sistema de apoio é importante, não importa a situação, e estes tipos de incentivos servem para garantir à pessoa com uma doença crônica que você está em sua equipe.

Publicado por Susie, no Blog Pins and procrastination (http://bit.ly/1mhMIpS). Traduzido livremente. Imagem: Creative Commons.

Motivação: o que (não) deve dizer a alguém doente

Costuma dizer-se que a motivação é uma porta que se abre por dentro. Mas também é verdade que as relações com as pessoas que nos rodeiam podem ter um impacto grande – positivo ou negativo – na forma como nos sentimos.

Não é por acaso que os estudos nesta área mostram que ter uma boa rede de suporte familiar e social faz toda a diferença quando se tem uma doença crónica.

Nomeadamente na capacidade de manter uma atitude positiva, adaptar-se às dificuldades e superar obstáculos.

O desafio da bexiga hiperativa

O diagnóstico de bexiga hiperativa, em particular, além de ter um impacto no bem-estar físico, tem influência no equilíbrio emocional dos doentes. Mesmo sem chegar a quadros patológicos, como a depressão, é normal que a desmotivação, a apatia e a tristeza se façam sentir.

A doença cria limitações que podem criar dificuldades nas relações familiares e sociais: “O sentimento dominante é a vergonha. Gera-se um estigma, as pessoas retraem-se, não falam sobre o assunto e a tendência é para se isolarem.

Família e amigos devem estar atentos”, enfatiza a psicóloga clínica e psicoterapeuta Isabel Gonzalez Duarte.

O que não dizer

Sendo um tema sensível para quem sofre da doença, é natural haver dúvidas no que toca à melhor abordagem na comunicação. A psicoterapeuta destaca três erros a evitar para não destruir a motivação:

  1. “Ainda que bem-intencionado, o familiar ou amigo deve evitar dar muitas dicas e conselhos, a não ser que esteja muito por dentro do assunto. É que não há receitas únicas e o que funciona para uma pessoa pode não funcionar para outra.”

  2. “Ignorar totalmente o assunto e simplesmente não falar sobre o tema da doença só aumenta o constrangimento e o estigma em torno do problema.”

  3. “Frases como “deixa lá isso” ou “não penses mais no assunto” têm um impacto desastroso. Podem fazer a pessoa sentir que a sua condição é desvalorizada e criar a perceção de ser incompreendida.”

Ajudar da forma certa

Mais do que falar, saber ouvir e estar disponível para ajudar é o principal para promover a motivação da pessoa que queremos ajudar. Eis o que sugere Isabel Gonzalez Duarte:

  1. Resista à tentação de dar conselhos e foque-se mais em ser um bom ouvinte. Encorajar a pessoa a falar irá ajudá-la expressar-se e elaborar o que sente sem medos.

  2. “Afirmações como “estou aqui contigo para o que precisares” transmitem uma atitude de apoio que dá confiança. Obviamente que, se for solicitada ajuda, terá que estar mesmo disponível para ajudar”.

  3. “Os familiares podem e devem recomendar que o doente procure ajuda médica ou psicológica. Isto é importante porque só um profissional consegue distinguir a ansiedade natural de uma angústia que paralisante que necessita de uma intervenção especializada, por exemplo.”

  4. “É importante ter em conta as limitações do familiar/amigo quando são planeadas atividades fora de casa. Saber se o local tem casa de banho e planear o percurso, tendo em atenção as paragens em locais com sanitários disponíveis faz com que a pessoa se sinta mais segura e menos ansiosa”, refere a especialista.


Tome nota

Veja aqui algumas sugestões práticas a ter em conta no dia-a-dia e que facilitam muito a vida de quem tem bexiga hiperativa.

Como ajudar alguém com depressão? 9 coisas para não dizer

Quando a depressão se instala, o apoio de amigos e familiares faz toda a diferença. São eles que podem oferecer a ajuda necessária para que o deprimido supere a doença.

E praticar a empatia é uma das melhores estratégias para isso, de acordo com a psiquiatra Ana Paula Carvalho.“‘Eu entendo que você está passando por um momento difícil’ e ‘eu estou aqui para você’ são alguns exemplos de frases empáticas que devem ser ditas a quem sofre com o transtorno”, afirma.

Por outro lado, há certas frases que não devem ser ditas a alguém com depressão, diz a especialista. Em geral, elas revelam certos preconceitos e desprezam a gravidade da situação. O deprimido pode então ter vergonha de procurar ajuda ou se sentir incompreendido, piorando sentimentos de isolamento, solidão e desesperança.

Veja o que você nunca deve dizer a alguém em depressão:

1 – Comparar a situação dela com a de outras pessoas

Apontar que há muita gente com problemas “piores” não ajuda o deprimido a se sentir melhor. O amigo pode achar
que comparar a pessoa com depressão a alguém que perdeu um ente querido ou foi à falência é um jeito de
oferecer perspectiva, mas, mesmo bem-intencionado, o gesto não oferece nenhuma empatia.

Os motivos pelos quais os indivíduos entram em depressão são muito diversos e particulares — e nem sempre são
causados por fatores externos, como algum acontecimento negativo. Portanto, é importante entender a depressão
como doença e o impacto que ela causa na vida do deprimido, independente do gatilho.

2 – Pedir para olhar pelo lado positivo

Dentre as principais características da depressão, está a prevalência de pensamentos negativos e dificuldade de
acreditar que tudo dará certo. Tal sintoma, portanto, é causado pela condição e deve ser tratado com ajuda
profissional. Ou seja: não depende de um esforço de “olhar pelo lado positivo”.

Não é que o deprimido esteja resistindo a ser mais positivo e otimista; ele simplesmente não consegue.

3 – Perguntar à pessoa o que tem de errado com ela

A depressão é uma condição estigmatizada e muita gente ainda não a encara como doença. Perguntar ao deprimido o
que tem de errado com ele é forma de deslegitimar seu distúrbio e sugerir que os sintomas são causados por
algum comportamento próprio.

4 – Pedir para “simplesmente seguir em frente” ou “sair dessa”

A depressão é uma doença que exige tratamento profissional e pode ter consequências graves. Não depende, então,
de um simples esforço individual e corriqueiro, como o aplicado para acordar cedo ou estudar para uma prova.
Depressão não é frescura.

5 – Dizer que não pode fazer nada por aquela pessoa

Muitas vezes, o deprimido só precisa ser ouvido ou entender que sua dor é compreendida. Colocar-se no lugar do
outro e fazer gestos simples como oferecer um abraço, um ombro amigo, sugerir atividades de que a pessoa gosta,
oferecer comida ou levar a pessoa até o psiquiatra têm um benefício maior do que o esperado.

Mas atenção: sempre há meios para ajudar alguém com depressão, mas o apoio profissional é indispensável.

6 – Dizer que irá se sentir melhor amanhã

Aqui vale o mesmo princípio das frases “siga em frente” ou “saia dessa”. A depressão é uma doença que exige
acompanhamento profissional para que o doente possa se recuperar e retomar a sua vida normal. Não é uma
tristeza passageira que irá melhorar de um dia para o outro, sem o apoio necessário.

7 – Estigmatizar a terapia ou qualquer outro tratamento

Apenas os profissionais de saúde, como os psiquiatras, podem indicar o melhor tratamento para o depressivo.

Portanto, não estigmatize o recurso utilizado por seu amigo ou familiar para se sentir melhor, seja a terapia,
uso de remédios ou outras medidas, como prática esportiva ou meditação.

Evite fazer sugestões não solicitadas
de tratamento dos quais você ouviu falar ou soube por terceiros, porque elas podem soar como uma tentativa de
invalidar as escolhas da pessoa com depressão.

8 – Culpar o depressivo pela sua condição

A depressão pode ter diversas causas, biológicas ou não. Mas nenhuma delas é desenvolvida por culpa ou fraqueza
do depressivo. Dizer isso a alguém com depressão irá contribuir para a piora do seu quadro.

9 – Perguntar por que a pessoa não pode simplesmente ser feliz

A depressão é caracterizada, principalmente, por uma sensação constante de vazio e tristeza e pela perda de
capacidade de sentir prazer ou desejo. Tais sintomas são causados pela doença — assim como você sente
calafrios quando está com febre ou dores abdominais quando tem uma infecção intenstinal. Portanto, devem ser
curados por meio de tratamentos sugeridos por profissionais.

Referências:

Conteúdo produzido a partir de entrevista com a psiquiatra Ana Paula Carvalho em setembro/2018.

SABRAGE.MDY.18.10.0354

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*