Como ajudar um homem a superar o divórcio (com imagens)

Edwina Langley BBC Three*

Como Ajudar um Homem a Superar o Divórcio (com Imagens) Direito de imagem BBC Three/ David Weller Image caption Qual a melhor maneira de lidar com a separação?

Há pouca coisa pior do que sofrer por amor. A última vez que enfrentei uma separação foi exatamente há um ano. Era um relacionamento repleto de juras de amor eterno que chegou ao fim de repente.

Eu estava prestes a ir morar com o homem que amava. Até que ele mudou de ideia. Foi um choque enorme, e achei que nunca mais seria a mesma.

Términos

Não sou novata em términos de relacionamento. E minha estratégia de superação está longe de ser original: saia, fique bêbado, esqueça por um momento, e comece tudo de novo.

Mas essa tática sempre se provou ineficiente, porque você nunca consegue realmente esquecer. Não adequadamente.

Então, no ano passado, decidi tentar algo diferente. Aos 32 anos, saí de Londres — onde vivi por 27 anos — e me mudei para o interior.

A ideia de ter que viver naquele estado de precisar “dar a volta por cima”, com medo constante de encontrar meu ex — no ônibus, na rua, em cada esquina — era insuportável.

Eu tinha certeza que recomeçar a vida em um lugar completamente diferente me ajudaria a superar. Não tinha muito dinheiro (apenas algumas centenas de libras na poupança), mas tinha um projeto e, como sou boa em administrar o orçamento, estava determinada a fazer render o máximo possível.

Direito de imagem BBC Three/David Weller Image caption Recomeçar a vida no campo pode não ser a melhor solução para se recuperar de uma desilusão amorosa

Nos oito meses seguintes, me dediquei — por falta de uma expressão melhor — a uma “terapia do coração”.

Eu caminhei por quilômetros. Nadei no mar. Chorei. E trabalhei mais do que nunca. Mas a tristeza devastadora prevaleceu.

Me dei conta de que a vida no campo, para uma moradora de longa data da cidade grande como eu, era completamente solitária.

Tive a sorte de contar com o apoio da família, mas descobri que realmente precisava dos meus amigos. Depois de algum tempo, a maioria parou de ligar, porque a vida continua, né? As visitas prometidas nunca se concretizaram e me senti mais sozinha do que nunca.

Isso me fez questionar: será que existe uma maneira positiva de lidar com a separação?

Naquela época, eu não tinha um guia. Agora, um ano depois, escrevo esta reportagem para descobrir.

O que é a dor da separação?

“Essencialmente, é um estado de perda emocional devastadora”, explica Jo Hemmings, psicólogo comportamental e coach de relacionamento.

“Embora seja diferente para cada um de nós, os sentimentos intensos de tristeza, luto e a sensação avassaladora de nunca ser capaz de superar a dor são comuns.”

“Em termos cerebrais, as áreas responsáveis ​​por sentir dor física 'acendem', da mesma forma como se você estivesse realmente sentindo dor. Também desencadeia sintomas de abstinência muito semelhantes aos observados em viciados [em drogas].”

Para mim, parecia que o corpo todo estava queimando por dentro.

Direito de imagem Getty Images Image caption 'Em termos cerebrais, as áreas responsáveis ​​por sentir dor física 'acendem''

Gerenciar esses sintomas de abstinência é o verdadeiro desafio. A tentação de sofrer outro golpe — telefonar para o ex, implorar, lembrar de tudo que vocês já viveram juntos — pode parecer irresistível.

“Em termos emocionais, um rompimento traumático leva aos cinco estágios do luto — negação, raiva, barganha, depressão e, finalmente, aceitação”, explica Jo.

“Muitas vezes há recaídas nesse processo.”

Como superar a separação

  • Lidar com o término de um relacionamento é, na minha opinião, uma arte.
  • Mas não significa que não possamos aprender nada com a ciência.
  • Vários estudos analisaram o que realmente acontece e como podemos superar a separação.
  • Uma pesquisa publicada recentemente na revista científica Journal of Experimental Psychology, por exemplo, avaliou a eficácia de três estratégias: pensar negativamente sobre o ex; aceitar seu amor pelo ex; e se distrair pensando em coisas boas que não têm nada a ver com o ex.

Embora nenhuma delas seja perfeita, as três serviram para diminuir as respostas emocionais dos participantes em relação aos ex-parceiros. Portanto, uma combinação das três parece um bom ponto de partida.

  1. Repita comigo: 'Seu ex tinha um mau hálito horrível pela manhã e uma admiração doentia pelo som da própria voz — que nojo'.
  2. Em seguida: 'Tudo bem ter amado ele, é uma coisa boa — mesmo que agora você veja que essa pessoa é repugnante'.
  3. E finalmente: 'O tempo não está maravilhoso agora?'

Direito de imagem Getty Images Image caption Um estudo sugere que o processo de 'cicatrização' leva cerca de três meses

Dee Holmes, especialista em relacionamentos, sugere outro ponto de partida interessante:

“Permita-se um tempo para afogar as mágoas um pouco. Não acho excessivo tirar um dia de folga do trabalho — se você estiver em choque, pode ser a ação mais segura, dependendo do seu emprego.”

“Converse com seus amigos e mantenha um diário de como você se sente”, diz ela, “mas não deixe que isso domine sua vida. E (não) tome decisões precipitadas. Você pode achar que não será capaz de suportar viver na mesma casa sem o seu ex, mas, na verdade, depois de mudar os móveis de lugar e talvez pintar as paredes, pode ser que você veja que pode.”

Jo recomenda deixar de seguir o ex nas redes sociais:

“Apague ou bloqueie qualquer coisa que provoque memórias dolorosas, como fotos ou textos. Parece cruel, mas a verdade é que ajuda a cicatrizar as feridas”.

“Não mande mensagens de texto ou ligue, especialmente tarde da noite”, acrescenta, “esboce textos e apague, ou escreva sobre seus sentimentos privadamente. Não 'stalkeie' ou vigie”.

De acordo com os estágios do luto, a raiva também pode desempenhar um papel importante. De fato, a fúria que senti algumas vezes era vulcânica.

Mas a raiva pode ter seus benefícios: é difícil sentir falta de alguém que você decide que não suporta. Alguns especialistas desaconselham, no entanto, essa forma de psicologia reversa.

Um vídeo de autoajuda chamado How To Get Over Someone (“Como Esquecer Alguém”, em tradução livre) diz que a maneira de fazer isso não é se convencendo de que nunca gostou da pessoa, mas analisando o que você gostava nela.

Na sequência, se pergunte: 'Seria possível encontrar essas qualidades em um futuro parceiro?'

Então, o que eu gostava no meu ex? Em geral, ele era gentil. Existem outras pessoas gentis no mundo? Sim.

Direito de imagem Getty Images Image caption Evitar as redes sociais, se distrair, não ter contato com o ex ou tomar decisões precipitadas são algumas dicas

  • Achei que foi útil dissecar meu relacionamento dessa maneira.
  • Não nos estágios iniciais da separação — a princípio, a teoria de que ele não era o “último biscoito do pacote” não fazia sentido, e quando as pessoas diziam isso como forma de consolo, apenas aumentava minha crença de que elas não entendiam.
  • Mas, com o passar do tempo, aceitar a ideia de que meu ex-namorado não era perfeito e que as características dele que eu achava atraentes podiam ser encontradas em outras pessoas, foi um marco importante a ser alcançado.
  • Se você combinar todas essas táticas, pode traçar um plano: aceite o que você sente e permita-se lamentar; converse com familiares e amigos e, se necessário, com um terapeuta; escreva um diário; evite as redes sociais; apague gatilhos dolorosos; se distraia; não tome decisões precipitadas; não tenha contato com o ex; lembre-se dos aspectos negativos dele; e, depois de um tempo, pense nas características positivas e considere que essas qualidades podem ser encontradas em outra pessoa.
  • E então é só uma questão de tempo.

Quanto tempo leva o processo de cicatrização?

Você não pode apressar o amor — e, infelizmente, tampouco pode abreviar o processo de superação do fim do relacionamento.

Um estudo sugere que leva cerca de três meses (11 semanas para ser mais precisa) para que alguém tenha um sentimento mais positivo em relação à uma separação.

Direito de imagem Getty Images Image caption Qual o segredo? 'Lembrar que você é digno do amor. E que no tempo certo, vai encontrá-lo novamente'

Como eu disse, no entanto, a dor da desilusão amorosa não é uma ciência.

No meu caso, levei seis meses até me sentir pronta para seguir em frente. Mas, a essa altura, eu realmente estava pronta.

E para minha surpresa — e felicidade — a pessoa que encontrei renovou minha fé na força de uma conexão significativa. Não derramei uma lágrima pelo meu ex desde então.

O que me leva a concluir com uma teoria pessoal: que superar a dor da separação é um desafio paradoxal, tão difícil por causa da sua simplicidade.

Mas o segredo, em essência, é este: lembrar que você é digno do amor. E que no tempo certo, vai encontrá-lo novamente.

*Esta história foi publicada originalmente na BBC Three — leia a versão original em inglês.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

Foi deixado? Saiba superar a separação se você ainda ama

Não há fórmula mágica para enfrentar uma separação. Entretanto, há questões que você deveria ter sempre presente, especialmente se não foi você quem decidiu terminar o relacionamento.

Leia também:  Como andar de bondinho em são francisco (com imagens)

eparação nem sempre significa que o amor acabou, pelo menos para uma das partes. Os casos de relacionamentos que chegam ao fim com um dos envolvidos se sentindo completamente apaixonado pelo outro são bastante frequentes.

Se identificou? Se a resposta foi sim, com certeza sua rotina não tem sido nada fácil. Enfrentar a ruptura é sinônimo de sofrimento, ainda mais porque há muitas lembranças e pessoas que fazem você pensar nesse relacionamento e no que você está perdendo.

Mas quer saber a boa notícia? A superação é possível. E para ajudar você nesse processo, compartilhamos algumas dicas sobre como enfrentar a separação se ainda há muito sentimento em jogo.

1) Não busque retaliações

É natural numa situação assim sentir desejo de “vingança”, querer fazer com que o outro sinta o mesmo sofrimento que você está sentindo. Porém, é importante que entenda que isso não alivia a sua dor e que a satisfação que você poderá chegar a sentir é bastante fugaz.

Querer fazer o outro pagar não contribuiu para uma separação menos traumática. Trate de resistir a esse impulso, e prefira se resguardar, evitando se expor em rompantes físicos e emocionais.

2) Não alimente brigas

Obviamente, manter a calma numa situação assim nunca é fácil. Porém, é possível, se você entender tudo o que está em jogo.

Há muitas lembranças e um respeito mútuo que seguramente não sobreviverá a uma separação marcada por gritos, ofensas, perseguições e ameaças. A decisão de manter a calma, de não alimentar brigas, no final das contas é uma forma de cuidar da sua autoestima.

Uma vez terminado o processo, você olhará para trás e sentirá admiração por você mesmo, por suas posturas. Deixar o outro ir, quando ele já manifestou a sua vontade, é sinal de amor-próprio.

Como Ajudar um Homem a Superar o Divórcio (com Imagens)

3) Dê tempo ao sofrimento

Apesar de haver uma pressão social para ser feliz e realizado o tempo todo, é importante se permitir viver um período de “luto”. Sem ele, será impossível avançar; aliás, você também perderá a oportunidade de aprender lições valiosas para a sua vida.

O tempo é o que permite analisar com calma tudo aquilo que levou à ruptura. Possibilitará corrigir falhas e identificar momentos em que você se afastou da sua essência. O tempo ajuda a consolidar o aprendizado pela experiência vivida.

4) Busque seu próprio caminho

Muitas vezes, refletir sobre os vínculos que você criou ao longo da relação serve para perceber que, em boa parte das vezes, eles estão localizados na relação em si, e não necessariamente na pessoa.

Ou seja, não é raro que, no fundo, a pessoa tema mais ficar sozinha do que perder o companheiro em si. Encare essa transição como uma oportunidade de encontrar sua verdadeira motivação, descobrir coisas que você poderia estar fazendo e não está, por acomodação ou inércia. Reencontre-se e empreenda um caminho mais alinhado com sua individualidade.

5) Se há dependência, procure ajuda

É fato que nem todos os relacionamentos são tão equilibrados como deveriam. A convivência e a intimidade podem ter servido para alimentar uma relação de dependência, algo que nunca é saudável.

Em casos assim, é importante reconhecer que romper o ciclo sem ajuda especializada muitas vezes é impossível. O apoio da psicoterapia é fundamental para entender aquilo que causou e nutriu a dependência, bem como encontrar formas para evitar que essa situação se repita em relacionamentos futuros.

As informações publicadas por MundoPsicologos.com não substituem em nenhum caso a relação entre o paciente e seu psicólogo. MundoPsicologos.com não faz apologia a nenhum tratamento específico, produto comercial ou serviço.

10 passos para lidar com o Divórcio

por Maria Confort

Não importa se você é uma pessoa famosa e reconhecida no mundo inteiro ou se você é um cara simples que vive em uma cidade pequena: encarar o divórcio é sempre um momento difícil e ele exige muito do seu corpo e mente.

Afinal, você escolheu uma pessoa para passar a vida e dividir suas experiências. Ninguém se casa esperando se separar e, quando isso acontece, é difícil encarar a realidade e enfrentar a situação.

Mas, apesar de ser difícil superar, não é impossível lidar com o divórcio e sobreviver. O portal AskMen listou as principais formas de lidar com o divórcio e, de acordo com os psicólogos entrevistados para a produção da lista, esse período da sua vida não precisa ser encarado como se fosse a pior parte dela.

Viva a tristeza

Antes de qualquer coisa: chore. Fique triste, assuma a tristeza e viva o luto. Se precisar, passe uma ou duas semanas colocando para fora todo o sentimento ruim e os pensamentos negativos que aparecerão no seu caminho. Veja os filmes que costumava ver com sua esposa, vá aos restaurantes que costumava ir com ela e se deixe ficar triste.

Não fuja do choro, chore com todo o seu pulmão mas, depois de alguns dias, pare. Viver o luto é fundamental, mas morar nele, não.

Reconheça que o seu casamento é um custo irrecuperável

Quem lida com o mercado econômico reconhece o termo mas, em poucas palavras, “custo irrecuperável” é um investimento passado que já foi pago e não pode ser recuperado. Infelizmente, quando buscamos desesperadamente obter retorno em algum investimento que até o momento não foi lucrativo, colocamos nele ainda mais dinheiro e tempo mesmo quando, no fundo, sabemos que não haverá lucro.

Parece cruel comparar um relacionamento com esse tipo de investimento, mas enxergá-lo de forma lúcida e racional pode te ajudar no processo de superação. Frequentemente, queremos continuar com um relacionamento porque já dedicamos muito tempo das nossas vidas para ele e, então, aceitar o fim é como perder qualquer retorno que poderia surgir.

Mas isso é errado porque você já teve o retorno esperado: você viveu com aquela pessoa, você aprendeu com ela, compartilhou experiências e sonhos mas, por algum motivo, isso acabou, então, não encare o fim como uma perda de tempo e sentimentos, encare o fim como um novo começo.

Se reaproxime de amigos antigos

Não é certo deixar amizades de lado quando nos envolvemos em um relacionamento sério mas, infelizmente, muitas vezes isso acontece e, no momento da separação, re-encontrar pessoas do passado pode ser um fator psicológico extremamente favorável. Essa atitude vai te fazer lembrar de momentos da sua vida em que você era solteiro ou sequer conhecia a sua ex-esposa.

Amizades antigas podem te fazer lembrar da sua essência e te fazer descobrir, de novo, quem você era. Todos mudamos e, na maioria das vezes, as mudanças são boas; lembrar quem você era antes de casar não é assumir que você virou uma pessoa pior depois do casamento, mas sim assumir que você viveu uma vida antes dele e pode viver outra depois.

Tenha compaixão consigo mesmo

Normalmente, os homens respondem de duas formas ao divórcio: a primeira delas é exteriorizar o conflito culpando a ex-esposa pelo fim e por tudo de ruim que aconteceu no relacionamento. A outra, é interiorizar os problemas, culpando a si mesmo e jamais se perdoando de certas atitudes que passaram e pouco importam na soma total.

Caso você encare o divórcio da segunda maneira citada, seja gentil consigo mesmo. Provavelmente você não vai conseguir tirar nada de bom ao ficar se culpando excessivamente pelos seus erros. Aprender com eles é a melhor forma de encarar um próximo relacionamento em paz ou mesmo viver bem consigo mesmo.

Consiga um advogado

Este assunto é delicado mas, como racionalizar sentimentos é importante para encarar o divórcio com maturidade, é importante encontrar um advogado mesmo se a separação foi realizada de forma pacífica.

É difícil tomar essa atitude, muitas pessoas acabam postergando a contratação de um advogado e evitando preparar a papelada para o divórcio pela dificuldade de encarar o fim mas, como ele é inevitável, procure logo um profissional.

Não abra mão de conselhos legais e de um profissional para te orientar nessa jornada. O divórcio pode trazer o pior das pessoas à tona e, por isso mesmo, é importante ter alguém com uma visão racional para te acompanhar e te aconselhar.

No começo, você pode achar que vai ser relativamente fácil encarar a separação pois você e sua mulher pareceram estar de acordo com o fim e com todos os detalhes burocráticos, mas no processo tudo pode mudar e você vai querer ter ajuda profissional para equilibrar as coisas.

Recupere os hábitos de solteiro, mas não se perca neles

O divórcio não é uma experiência ruim por completo. Estar sozinho também não é o fim do mundo: é o momento ideal para você entender seus sentimentos, vontades, desejos e anseios sem a influência de alguém ou a divisão de sonhos e planos.

Aproveite esse tempo para fazer tudo o que você não conseguia ou podia fazer quando estava ao lado de alguém, recupere seus hábitos de solteiro, vá dormir a hora que você quiser, acorde quando sentir vontade, coma o que desejar, saia e volte para a casa quando achar que deve mas não se perca nessas atitudes.

Não haja com desespero ou urgência em realizar tudo e engolir o mundo de uma vez, não deixe de ser quem você é para passar uma imagem de despreocupação com o mundo só porque você acabou de terminar um relacionamento, não perca sua essência tentando provar que você não se importa. Encontre o equilíbrio, mas também não se desespere para encontrar outra pessoa, fique sozinho um tempo e aproveite.

Leia também:  Como cavar um poço: 9 passos (com imagens)

Comece um novo hobby

O tempo livre pode aumentar? Então, aproveite. Você vai encarar dias de total tristeza e vai parecer difícil sair do buraco quando todos os sentimentos ruins te envolverem. Por isso é preciso se armar de todas as formas possíveis para combater a depressão.

Não fique parado, comece a fazer aquele curso que sempre desejou, gaste seu dinheiro com viagens, aproveite para aprender uma nova língua ou fazer uma pós graduação. Não importa qual seja o seu novo hobby, o importante é praticá-lo.

Além de te fazer ignorar os sentimentos ruins, você ainda vai aprender algo novo e, quem sabe até descobrir uma nova área de atuação profissional ou despertar algum talento adormecido.

Reflita sobre si mesmo

Quando estamos imersos profundamente em um relacionamento, pode ser fácil perder o foco sobre quem somos como indivíduos.

Se isso aconteceu com você, agora que está sozinho pode aproveitar para refletir sobre o que você deseja para a sua vida e sobre quem você realmente é. Lembre atitudes passadas, faça uma lista de coisas que gostaria de melhorar e de outras que sente falta de praticar, estude seus comportamentos para entender como você pode ser uma pessoa melhor.

Quando estiver pronto, volte ao jogo

A vontade de namorar e ficar com alguém novamente vai surgir naturalmente. Você vai encarar todos os passos anteriores e seu corpo vai dizer quando é a hora de sair para conhecer pessoas novas.

  • Nesse momento, você provavelmente já se estabilizou novamente, já resolveu as questões burocráticas com seu advogado e já está seguindo a sua vida como solteiro, então, não tenha medo da falta de prática em flertar ou sair com alguém.
  • Os aplicativos e as maneiras de conhecer gente nova podem ter mudado e vários outros tipos de flerte podem existir agora – principalmente na internet – mas a verdade é que paquerar é como andar de bicicleta.
  • Encare essa experiência como algo divertido, mas não fique desesperado para começar a namorar: viva as novas descobertas e seja paciente.

Saiba que você vai encontrar a felicidade novamente

Como já foi dito, o divórcio não é o fim, é apenas o fim de uma das várias fases que você vai encarar na vida. Além disso, terminar algo que não nos faz bem não é sinônimo de infelicidade; pelo contrário! É a sua nova chance para ser feliz.

No começo, você realmente vai se sentir perdido e confuso, vai ser complicado recuperar o caminho e encará-lo sozinho, mas pense que é um livro em branco e as histórias que você poderá escrever nele são infinitas!

Não se feche. Muitas pessoas tomam essa atitude para se proteger de quedas, mas andar com os pés no chão o tempo inteiro te impedirá de conhecer novos prazeres e de sentir como voar pode ser bom.

Parece uma conversa que encontramos em livros de autoajuda, mas tenha certeza: este é o momento para você descobrir a felicidade e, mesmo sem ver a luz no fim do túnel, é importante saber que ela está lá.

Perdoe sua ex

Vocês dois cometeram erros e acertos, vocês dois deslizaram e também caminharam juntos. Não há um culpado, a vida acontece e histórias terminam.

Não importam quais tenham sido os problemas do relacionamento, eles ensinaram muito sobre vocês dois e foram importantes para transformá-los em pessoas melhores.

Por isso, este é um dos passos mais difíceis mas também um dos mais gratificantes e necessários para você sentir a sua vida em paz. Perdoar é um exercício fundamental para sua saúde mental e felicidade na vida.

Quando nos prendemos ao passado e guardamos rancores, nada em nossa vida flui direito porque sempre, no fundo, somos influenciados pelos acontecimentos ruins.

Você não precisa tomar essa atitude logo de cara. Siga os limites de seu próprio corpo e sentimentos e, quando perceber, perdoar vai ser fácil, vai te tornar uma pessoa melhor e libertará os dois.

Por último: filhos

Caso vocês tenham filhos, a ligação vai ser eterna. Mas o foco sempre deve ser o bem estar e a educação das crianças, não permita que seus sentimentos sobreponham a saúde das crianças e a felicidade delas.

  1. Psicólogos recomendam que os pais hajam de forma madura e responsável e não falem mal um do outro para as crianças.
  2. Escute os desejos dos seus filhos e permita que eles se expressem, ressalte que eles não têm culpa alguma da separação e não mude muito a rotina deles, dedique mais tempo para eles e converse sempre com a sua ex-mulher para tomar decisões importantes sobre o futuro das crianças.
  3. Se for preciso, procure um terapeuta familiar e lembre-se: seus filhos devem estar sempre em primeiro lugar.

Jornalista, cinéfila, fanática por literatura e, por isso, apaixonada pela ideia de entender pessoas.

12 dicas infalíveis de como superar uma separação! –

Por Lisandra Zanuto

Ninguém entra em um relacionamento pensando que um dia ele vai terminar, não é mesmo? Entramos em um relacionamento porque queremos amar e ser amadas, construir uma história e viver um grande amor. Mas nem sempre as coisas acontecem como planejamos e sonhamos e quando nos deparamos com aquilo que não era previsto, sempre pinta as dúvidas e bate aquele medo.

Um grande exemplo disso é a separação. Nunca estaremos prontas para lidar com ela, mas quando não temos alternativas, precisamos encarar de frente e aprender a lidar, mesmo que isso traga muitas dores. Superar uma separação parece algo inatingível quando estamos vivendo esse momento tão frágil da nossa vida.

Superar uma separação pode ser muito dolorido para as duas partes, independente de quem terminou, mas o sentimento de fracasso com certeza será maior naquele que foi deixado. Superar uma traição pode ser muito sofrido também para as crianças quando o casal tiver filhos.

Mas chega de pensar em dor e sofrimento. Escrevi este artigo para você entender de uma vez por todas que uma separação dói, mas essa dor passa, ela não deve e nem vai durar para sempre.

Depois que o relacionamento termina, a mistura de sentimentos pode fazer com que você se perca. Conhecer as fases pela qual você irá passar pode ajudar a amenizar essa experiência.

É importante saber que cada pessoa tem seu tempo e limites e o processo não deve ser apressado. É preciso vivê-lo da melhor forma possível e ter certeza que uma hora tudo isso vai passar.

Sempre procurando ajuda quando for preciso.

Conheça as 5 fases que você vai passar e superar:

1 – Fase de negação

É quando o coração manda em todo o nosso corpo e que dificulta o ajuste da vida sem o relacionamento que você estava vivendo. Mesmo sabendo que o relacionamento tenha acabado, ainda está difícil de acreditar.

As pessoas te perguntam se você está bem e você diz que está, que vai passar e que vai superar tudo, mas no fundo você não quer admitir o quanto aquilo está pesado e sofrido. É a fase do choque inicial, onde você não quer acreditar no que está acontecendo.

2 – Fase da raiva

A raiva pode se manifestar de maneiras diferentes. Você pode sentir raiva do seu ex, por ainda não aceitar o fim do relacionamento; raiva do universo, por achar que isso só acontece com você; raiva das pessoas, que não aceitam a sua raiva. É durante essa fase que temos vontade de queimar o filme do ex para todo mundo.

Você acaba ligando para ele várias vezes para tirar satisfação e perguntar o porquê disso tudo. É uma fase muito desgastante e sofrida para as pessoas envolvidas na relação, você, seu ex e ainda as crianças, se vocês tiveram filhos.

3 – Fase da barganha

Nesta fase começamos a trabalhar na nossa cabeça mirabolantes formas de retomar a relação.

Conversamos com padres, pastores, cartomantes e até pessoas da família que já se separaram para ouvir conselhos ou, até mesmo, ouvir aquilo que realmente queremos ouvir.

Neste momento você está disposta a fazer qualquer coisa para retomar essa relação, para ter de volta aquela vida que tinha antes do mundo desabar.

4 – Fase da depressão

A depressão, assim como a raiva, pode aparecer de formas diferentes. Sentir-se cansado o tempo todo, não ter vontade de fazer nada, não ter interesse por ninguém e nenhum assunto, dificuldades para dormir ou dormir muito, perda de apetite, beber demais ou perder as esperanças com a vida.

Sentimentos de derrota, culpa, tristeza, fraqueza e melancolia acabam tomando conta de você. Você chora o tempo todo, tem vontade de desaparecer e acha que tudo isso nunca mais vai passar. Sente muita falta de tudo que viveu com aquela pessoa e a angústia, o medo e a solidão começam a tomar conta de você e acabam se tornado seus maiores companheiros.

Tudo de bom que vocês viveram fica muito aflorada nesta fase e a ideia de se relacionar com outra pessoa chega a ser insuportável, porque nesse momento tudo te lhe faz lembrar do ex.

5 – Fase de aceitação

Finalmente essa fase é aquela que conseguimos fazer as pazes com a vida e começar a entender o que realmente aconteceu. A aceitação não acontece de uma hora para outra, ela vai acontecendo aos poucos.

Aceitar a perda e deixar de lado o relacionamento que terminou, vai te ajudar a tocar sua vida.

Algumas vezes a gente pensa que essa fase nunca vai chegar, o que significa que você ainda está lutando contra alguma fase anterior.

Leia também:  Como ajudar uma criança tímida a fazer amigos: 13 passos

Você finalmente consegue colocar o ex no lugar que ele realmente tem que ficar: no passado. Começa a perceber que existe uma luz no fim do túnel e que ela está muito próxima, pois já consegue perceber que o sol está voltando a brilhar e que sim, existe uma vida depois da separação e que você tem chances reais de recomeçar a sua vida.

Depois de alternar essa Montanha Russa de emoções, você começa a aceitar sua nova condição de vida e começa a perceber que você merece e tem chances de ser feliz.

É importante você saber que as fases não seguem essa ordem, elas podem alternar, se repetirem ainda acontecer todas elas em um só dia, mas ter consciência que isso vai passar e você vai conseguir refazer a sua vida e voltar a ser feliz. Para isso, separei algumas dicas para te ajudar a superar uma separação e ser feliz o quanto antes.

1 – Evite ficar pensando no passado  

É preciso deixar de pensar em tudo que vocês viveram, remoer as causas da separação e, principalmente, não ficar colocando defeitos e pegando a culpa para si mesmo. Ficar pensando em se vingar ou cultivando uma esperança de reconciliação, só vai te deixar mais presa nele e te impedirá de dar a volta por cima e um passo para frente. Isso só irá fazer seus pensamentos mais obsessivos.

  • Lembre-se que o que passou já passou, precisamos pensar no que está por vir e naquilo que agora vai te fazer feliz.
  • 2 – Viva todas as fases
  • Pode até parecer um exagero, mas é verdade que o término de um relacionamento se assemelha ao sentimento de luto, pois você também está perdendo uma pessoa que era constante em sua vida.

Mas não adianta, precisamos passar por esta fase e viver este momento da melhor forma possível.

Aqui vale chorar, ouvir mil vezes a música que era de vocês dois, conversar com uma amiga, comer um pote de sorvete, o que você achar melhor para eternizar todo o sentimento.

Mas, veja bem! Você não pode esquecer que são fases e esse sofrimento não deve durar por muito tempo. Se ele insistir em permanecer, não hesite em procurar ajuda para curar suas feridas emocionais.

3 – Desabafe

Nessa fase é essencial ficar rodeada de amigos e pessoas que querem o seu bem, pois você irá poder desabafar e contar tudo aquilo que está te fazendo mal.

Muitas vezes as pessoas de fora conseguem ter uma outra interpretação sobre o fim do seu relacionamento e te ajudarão a enxergar algumas coisas que, até então, eram mais complicadas para você. Lembre-se que os conselhos ajudam a nos trazer de volta para o mundo real.

Por isso, evite pessoas negativas e que acham que a única forma de ser feliz é estando com a pessoa que você quer esquecer.

Uma boa dica é procurar um profissional competente e de sua confiança para te ajudar a superar. 

4 – Evite medicar-se

Muitas vezes estamos nos sentindo tão mal com a ansiedade e depressão que a vontade é tomar aquele remedinho que a amiga ou a prima tomaram e fez tão bem para elas. Os remédios podem fazer bem para uma pessoa e mal para outras, portanto prefira um chazinho quente antes de dormir ou quando o coração está muito apertado. Ervas como alecrim, melissa, camomila e maracujá são  ótimas opções.

5 – Cuide de sua autoestima

É muito importante você se valorizar neste momento. Todas as qualidades que você tinha quando estava namorando, você continua tendo. Não é porque você está solteira, que você deixou de ser inteligente, engraçada, cativante e linda. Separar-se não vai deixar você deixar de ser você mesma. Você precisa se amar ainda mais!

Aproveite este momento para resgatar gostos e preferências que acabaram ficando para trás durante o relacionamento. Muitas vezes deixamos de ouvir aquela música que amamos só porque nosso companheiro não gostava. Este é o momento de voltar a ouví-la e curtir a melodia.

6 – Dê um up no visual

Faça aquele corte de cabelo que você sempre achou legal mas não tinha coragem de cortar porque seu ex amava seus cabelos longos. Agora é a hora! Mude o corte, a cor, o estilo… Renove-se!

Compre roupas que tem mais a ver com o seu estilo e te deixe fascinante. Comprar é um jeito ótimo de lidar com um término de relacionamento, principalmente para mulheres! Entretanto, não exagere, compre dentro de suas condições financeiras, pois um problema com dinheiro nessa fase não seria fácil de lidar.

Às vezes é mais fácil mudar quando nos sentimos diferentes, por isso um estímulo exterior é necessário e bem oportuno neste momento. Lembre-se que quando internamente está muito difícil colocar as coisas em ordem, às vezes é mais fácil começar a arrumar a casa de fora para dentro.

7 – Conheça pessoas novas

Quando eu digo pessoas novas, não necessariamente seja um novo cara e sim novas amizades. Pessoas diferentes vão gerar assuntos diferentes. Falar sobre coisas novas e procurar aquela amiga que você deixou de falar por besteira, pode te fazer bem. Mudar de ambiente pode abrir oportunidade para que a vida coloque no seu caminho algo inesperado e que pode te deixar muito feliz.

8 – Mantenha-se positiva

Claro que terá dias em que você não terá vontade de fazer nada, mas o esforço para eliminar qualquer pensamento negativo vai ser recompensador. O rancor e a raiva apenas limitam a sua evolução neste processo, mesmo sabendo que é necessário sentir tudo isso e que existe uma fase em que eles serão mais constantes, quanto mais você conseguir pensar em coisas boas, melhor será para você.

9 – Dê um tempo para as redes sociais

Depois da separação é muito comum que as pessoas procurem as redes sociais para trocar indiretas, induzir o ciúmes, para falar mal ou até difamar um ao outro, sem contar naquela vontade incontrolável de dar uma olhadinha no que o ex está fazendo. Portanto, fique longe das redes sociais, assim, esse tipo de atitude passa bem longe de você.

A realidade das redes sociais muitas vezes não corresponde com a realidade da vida real e ficar revirando as redes dele só para saber se ela está bem, se está se divertindo ou se já conheceu outra pessoa, só vai fazer com que você se sinta pior ainda.

10 – Jogue tudo fora

Hora de fazer aquela faxina em tudo que era dele ou que te faça lembrar de vocês dois.

Coisas como cartas de amor, fotos apaixonadas, perfumes e roupas só irão alimentar uma esperança e não te fará bem. A regra é: busque o que te faça bem e evite o que te faça mal.

Talvez não precise jogar fora de fato, mas guardar tudo em um bela caixa onde seus olhos não tenham acesso fácil a estes objetos.

  1. 11 – Mude sua rotina
  2. Faça coisas diferentes, encare novos desafios, faça um curso, inicie um novo esporte, viaje, comece um novo hobby ou qualquer coisa que faça você sair da rotina.
  3. Pode parecer bobagem, mas você vai perceber que quando você começar a se envolver com coisas novas, suas expectativas irão mudar de foco e você não terá nem tempo e nem vontade de pensar no passado.
  4. Mantenha-se ocupada com coisas que te dêem prazer e transforme sua dor em algo criativo.
  5. 12 – Reprimir ou liberar a sexualidade

O apetite sexual pode sofrer modificações após o término do relacionamento. Algumas mulheres ficam por muito tempo com o mesmo homem e depois que termina acaba bloqueando-se para o sexo. Imagina ficar nua na frente de outro homem?

Esse bloqueio pode estar ligado ao motivo que o relacionamento acabou ou a frustração de investir em algo que não deu certo.

Por outro lado, tem mulheres que acabam exagerando quando o assunto é liberar a sexualidade. Não tente mostrar para seu ex que ainda é desejada e que tem capacidade de ficar com quantos homens quiser, pois o choque de saber que você pode ter quantos homens quiser na cama e nenhum fora dela pode te deixar mais triste ainda.

O mais importante de tudo isso é nunca esquecer que nada é para sempre e que tudo isso vai passar. Você não é a única mulher que passou ou está passando por isso. Você não precisa superar isso sozinha, converse, leia e busque ajuda, existem muitas pessoas, livros e programas que podem te ajudar. 

E você? Em que fase está? Como está se sentindo? O que você está fazendo para se sentir melhor e superar uma separação? Nos conte a sua história nos comentários abaixo.

Se você chegou até aqui provavelmente está enfrentando um momento como este e eu preparei outro conteúdo GRATUITO que vai te ajudar ainda mais a superar a sua separação. É um Mini Treinamento Online AJUDA APÓS O DIVÓRCIO com 3 aulas :

  • Aula #1. 5 Erros que estão te Impedindo de Esquecer o seu ex, e como evita-los.
  • Aula #2. Como se libertar emocionalmente do seu ex.
  • Aula #3. Como recuperar sua autoestima e amor próprio.

Para assistir a este mini treinamento 100 % ONLINE E GRATUITO basta clicar aqui neste link : MINI TREINAMENTO AJUDA APÓS O DIVÓRCIO.

Espero que você tenha gostado destas dicas.

Beijo no coração e até o próximo artigo!!!

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*