Como ajudar um cão a superar o medo e fogos e trovões

Você tem um pet? Uma pergunta que você provavelmente se faz anualmente é como proteger seu cão de fogos de artifício. Isso porque, em algumas épocas do ano, as comemorações são sempre barulhentas. Como, por exemplo, as festas de final de ano.

Embora as pessoas não se incomodem muito com a situação, para os animais, isto acaba sendo um transtorno. Afinal, no caso dos cachorros, é comum que eles morram de medo.

Por isso, durante essas comemorações, os cães costumam demonstrar mais estresse. Além disso, se comportam de maneira aterrorizada quando os “pipocos” no céu se fazem audíveis. Já percebeu?

Como Ajudar um Cão a Superar o Medo e Fogos e Trovões

Portanto, se você também se pergunta como proteger seu cão de fogos de artifício, não se desespere! Mesmo se tratando de uma fraqueza comum, é possível trabalhar o medo dos cães. Sobretudo, de forma barata e bastante simples.

Como proteger seu cão de fogos de artifício?

Tudo o que você precisa para transmitir a sensação de confiança ao seu bichinho é de um só truque. Chamado truque do pano ou tellington touch, o método se baseia em proteger as regiões traseiras do animal com bandagens. Assim como suas patas e orelhas, para deixá-lo mais calmo.

Como Ajudar um Cão a Superar o Medo e Fogos e Trovões

Para isso, você precisa atar o cachorro com um pano não muito largo. Com isso, a circulação sanguínea dessas regiões estremas é mais estimulada.

O truque, então, ameniza as tensões localizadas no dorso do cãozinho. Além disso, diminui a irritabilidade do animal, despertada pelo medo de fogos de artifícios.

Como ensina a imagem abaixo, a primeira coisa a se fazer é amarrar o pano no cão. Em suma, a faixa precisa englobar o peito e o dorso, formando um oito.

Então, você finaliza com um nó na região traseira. Mas, sem apertar muito a faixa, claro. O ideal, aliás, é que o laço fique exatamente sobre a coluna.

Como Ajudar um Cão a Superar o Medo e Fogos e Trovões

De acordo com especialistas, o truque do pano funciona. Porque a sensação de estar amarrado (nos lugares corretos) transmite informações positivas ao animal, como segurança. Ou seja, esta pequena pressão ativa o sistema nervoso autônomo do cão.

Outras precauções

Mas, além de deixar seu cachorro amarradinho, outras medidas podem ajudá-lo ainda mais a lidar com o medo de fogos de artifício e rojões e evitar mais preocupações advindas disso. Se você não estiver em casa, por exemplo, lembre-se de mantê-lo preso à coleira, com placa de identificação. Isso vai evitar que ele suma no meio da multidão.

Como Ajudar um Cão a Superar o Medo e Fogos e Trovões

Caso não dê para levá-lo com você, permita que o cãozinho fique em um local onde se sinta protegido, de preferência dentro de casa. Certifique-se também de que não está deixando portas e janelas abertas, bem como outras passagens por onde ele passe indevidamente na hora do susto.

Como Ajudar um Cão a Superar o Medo e Fogos e Trovões

Treinamento contra o medo

E, além da faixa presa ao dorso dos bichinhos e das precauções que já listamos, uma boa forma de ajudar seu cão a superar o medo de fogos de artifícios é o treinando com antecedência para esse tipo de situação.

Como Ajudar um Cão a Superar o Medo e Fogos e Trovões

Para isso, o certo é fazer com que o animal associe os barulhos as comemorações e festividades. Assim, quando você ouvir fogos ou trovões, faça festa para seu cachorro antes do momento do susto. Jogar bolinhas, oferecer petiscos e brinquedos é uma maneira de treiná-lo nesse sentido e transmitir tranquilidade ao bichinho.

Como Ajudar um Cão a Superar o Medo e Fogos e Trovões

Agora, se nada disso adiantar e se seu cachorro tiver um histórico de reações extremas ao fogos de artifício, o ideal é procurar ajuda de um veterinário. Sobretudo em épocas do ano mais barulhentas, como o Réveillon.

O especialista será capaz de indicar medicações para amenizar o sofrimento do pet. Ou indicará um tratamento mais natural para ser colocado em prática com antecedência.

Então, aprendeu como proteger seu cão de fogos de artifício? E, por falar em “catíoros”, essa outra matéria também é bastante interessante: 7 sinais de seu cachorro está ficando velho.

Fontes: Geração Pet, Mega Curioso

Como diminuir o medo de trovão e chuva em pets?

Assim como os fogos de artifício de fim de ano, os períodos chuvosos e com muitas trovoadas também costumam assustar os pets — e muitos tutores, na tentativa de acalmar os animais, acabam gerando ainda mais ansiedade.

Antes de tudo é importante lembrar que o medo é uma reação normal, que o pet entende como uma proteção contra o perigo.

A médica veterinária Daniele Graziani, especialista em comportamento canino, explica que, quando o cão fica assustado, o sistema autônomo se preparara para reagir — seja fugindo ou lutando.

  “As consequências que conseguimos observar desse comportamento no cão são: hipervigilância, taquicardia, agressividade, tremores, salivação, vômito, diarreia, micção, comportamento de se esconder ou fugir, o que pode levar a acidentes”, observa.

>>Tem um cachorro fofo? Inscreve ele no site do concurso Cachorro do Ano!

Para alguns cães, o barulho intenso das trovoadas afeta o conduto auditivo, alerta a médica veterinária Jesimara Rasera — nos cachorros, essa região é muito mais sensível que no ser humano.

“Nesses casos, muitos pets conseguem diminuir essa ansiedade, fobia, com tratamentos florais, homeopáticos, deixando eles em ambientes mais calmos, com música ou televisão ligada, por exemplo.

Contudo, caso nada disso tenha um resultado efetivo, é necessário levar o animalzinho para um atendimento com profissional da área comportamental, para tentar identificar exatamente o problema”.

Torne o ruído comum

Como Ajudar um Cão a Superar o Medo e Fogos e TrovõesCachorros com medo de fobia precisam de cuidados. Veja dicas da especialista comportamental. Foto: Pixabay

Gravar o barulho de trovões, por exemplo, é outra dica que o adestrador Felipe Ribeiro indica. “Quando o cachorro está comendo, aumentar o volume no som do trovão ou dar petiscos nessa hora para que ele consiga identificar que o barulho pode ser algo vantajoso. Além disso, locais sem janelas por perto são importantes para esse tratamento”.

Passo a passo

A especialista em comportamento canino Daniele Graziani listou seis ações para diminuir o medo de trovões em seu cachorro:

1- Deixe o pet em um lugar seguro

Dê preferência, escolha um local fechado e com cortinas, que ajude a diminuir a intensidade dos sons, e o clarão. O local deve ser a prova de fuga também (muitos fogem e acabam sendo atropelados, ou simplesmente se perdem nas ruas). Cuide com os objetos do espaço, para que não haja riscos de acidentes.

Leia também:  Como calibrar um torquímetro (com imagens)

2 – Ligue uma música ambiente

Utilize canções para mascarar o som dos trovões — há estudos que mostram que o  rap é efetivo para esse fim. Outra forma de abafar os sons é o ruído do ventilador.

3 – Proponha uma atividade ao pet

Uma boa forma de ensiná-los a lidar com o medo é apresentando algo lúdico durante os episódios de chuva forte. Isso libera substâncias e hormônios que ajudam o pet a relaxar. Oferece um brinquedo como o Kong Classic ou o Monstrinho da Pet Games, recheado com algo que eles amem.  Pode ser uma ótima distração.

Como Ajudar um Cão a Superar o Medo e Fogos e TrovõesBrinquedo Kong Classic é uma ótima dica para manter os pets mais focados nos momentos de fobia. Foto: Divulgação

4 – Use florais

Existem florais que podem auxiliar. Para essa situação pode-se pedir para manipular em uma farmácia homeopática o floral “rescue”, sem álcool. Esse floral possui algumas essências recomendadas para situações de estresse intenso. Durante a chuva pode ser dado diretamente na boca cerca de 2 gotinhas a cada 10 minutos. Não há risco de superdosagem.

5 – Previna fugas

Como Ajudar um Cão a Superar o Medo e Fogos e TrovõesCachorros com fobia devem sempre estar em locais seguros e com local a prova e fuga. Foto: Pixabay

Às vezes acreditamos que nosso pet está em um local seguro, mas, às vezes, ele consegue fugir e acaba se perdendo. Por isso, se previna e deixe medidas de segurança, como a microchipagem e a plaquinha de identificação, em dia. O microchip deve ser aplicado por um médico veterinário (sua colocação é semelhante a tomar uma vacina). A plaquinha vai presa na coleira do cão e deve conter o nome do pet e telefones dos tutores gravados para contato.

6 – Busque um profissional se o medo for intenso

Para episódios mais severos, medicações e técnicas terapêuticas apropriadas podem ser necessárias. Nesses casos, o médico veterinário comportamentalista é o melhor profissional para avaliar e tratar a fobia. O tratamento também pode ser realizado em conjunto com um adestrador capacitado.

O importante é ficar atento aos sinais que seu cachorro está dando e tentar ajudá-lo. Caso não consiga, sempre levar ao especialista.

Concurso Cachorro do Ano

Já inscreveu o seu pet no concurso Cachorro do Ano da Gazeta do Povo? As inscrições para eleger o cão mais fofo de Curitiba seguem até 14 de outubro.

Para participar é simples: é só cadastrar  os dados pelo site, enviar uma foto do pet e torcer! Cada tutor pode inscrever até três cães.  A 1ª votação popular vai de 17 a 31 de outubro, e a 2ª, com os 20 mais votados, de 5 a 18 de novembro.

O resultado sai no dia 1º de dezembro e o campeão vai estrelar a capa da Revista Viver Bem Animal.

LEIA TAMBÉM:

Superar os medos, 5 conselhos para ajudar o seu cão

Um trovão, um cão maior, um trauma do passado… são muitas as razões pelas quais o nosso pet pode se assustar. Por isso, neste artigo, daremos alguns conselhos para ajudar o seu cão a superar os medos.

Superar os medos nos cães

Os cães podem sofrer com o medo por diferentes motivos, embora, na maioria dos casos, os gatilhos sejam parecidos. Por isso, podemos agir da mesma maneira para lhes ajudar a superar esse sentimento:

Como Ajudar um Cão a Superar o Medo e Fogos e Trovões

Este é um erro muito habitual dos donos, ao quererem proteger o cão e desejar que o medo diminua. Entretanto, quando estiver atravessando uma crise, é preciso atuar da mesma maneira do que em qualquer outro momento. Desta forma, o animal não tomará isso como uma situação de perigo, mas sim como algo normal.

Isto é vital, por exemplo, nos dias de festa e seus fogos de artifícios, ou quando chove muito e há trovões. Devemos tentar não ficar muito em cima do animal, assim não incentivaremos que ele dê importância ao medo. A melhor reação é ignorar, mas sempre dando uma olhada para ver sua reação.

O peludo é uma cópia fiel do que lhe acontece. Se você ficar calmo, ele também ficará, mas se o nervosismo ou o temor lhe dominam, então é mais provável que o cão também fique nervoso e com medo.

Portanto, ante uma situação de intranquilidade, o que menos você deve fazer é se mostrar assustado. Transmita uma sensação de calma ao seu cão e, sobretudo, de confiança e segurança.

Assim ele saberá que nada de ruim está acontecendo e você lhe ajuda a superar seus medos caninos.

Se, por exemplo, está chovendo muito e você sabe que seu pet é medroso, que tal aproveitar para brincar um pouco com ele, jogar uma bola ou se deitar com ele no chão? Também pode ser uma boa ideia dar-lhe algo de comer, para que ele se concentre no prato e não no que acontece ao redor.

Lembre-se de que a comida é um estímulo que não dura muito, assim, tenha sempre um plano bem preparado. Você poderá dar a ele, em pedaços, alguns biscoitos caninos, aos poucos, assim rende mais e ele fica ocupado por mais tempo!

Se for inverno e você sabe que em sua cidade há tempestades todos os dias ou se é dezembro, quando há muitas festas e fogos de artifícios, então faça o possível para que nada mude em sua casa. Mudar os móveis de lugar, fechar fortemente as persianas ou qualquer outra coisa que altere a rotina fará com que o cão se assuste ou pressinta um perigo.

Como Ajudar um Cão a Superar o Medo e Fogos e Trovões

Possivelmente, serão necessárias várias noites de chuva ou granizo, muitos dezembros ou muitas saídas ao parque para que seu pet aprenda a não ter medo ou que esse sentimento seja cada vez menor. Não desista, lembre-se de que a paciência é fundamental no ensino dos animais.

Cada vez que ele se “comportar bem” ante um trovão, um rojão ou no contato com outro cão, não se esqueça de premiá-lo, de elogiá-lo e de demonstrar que ele está fazendo as coisas corretamente.

Leia também:  Como calcular a velocidade média: 12 passos (com imagens)

Esses conselhos serão úteis no caso do seu peludo experimentar medos “normais” causados por um ruído forte ou pela falta de costume de estar rodeado de outros cães.

Entretanto, se o cão tiver sido vítima de maus-tratos, você terá que agir com muito cuidado, ir devagar, falar baixo e compreender-lhe muito mais.

Lembre-se de que ele passou por um trauma e que sua recuperação não é tão simples.

Um profissional pode ajudar você e seu cão a superar os medos, os momentos de desconfiança, de terror e de ansiedade que o atingem e o fazem sentir que, mais uma vez, ele será maltratado ou espancado. Desta maneira, ele terá a oportunidade de superar seus medos e, como consequência, levar uma vida mais feliz.

Como acalmar cachorros com medo de fogos de artifício?

Em épocas festivas é muito comum o uso de fogos e rojões durante comemorações. Porém, alguns cachorros mais sensíveis e medrosos acabam se estressando muito nessas situações, e em alguns casos, o pânico é tão grande que, ao tentarem se proteger, os bichinhos podem se machucar, fugir ou até mesmo terem sérios problemas de saúde.

Para evitar esse tipo de problema, algumas dicas podem ajudar seu cãozinho a passar por esse período de uma forma muito mais tranquila.

Por que eles têm medo de fogos de artifício e rojões? Cães têm a audição muito mais sensível que a de humanos e barulhos muito altos costumam incomodá-los.

Além disso, para eles, sons altos podem significar perigo. Estrondos, como os de um rojão ou fogos, passam a ideia de que algo grande se aproxima.

Na natureza, sons desse tipo podem representar uma árvore caindo, uma tempestade muito forte se aproximando ou até mesmo um desmoronamento.

Faz parte do instinto de sobrevivência do animal fugir ou se esconder quando ouvem esses barulhos, pois, assim, eles teriam mais chances de sobreviver caso algum desastre acontecesse.

O que fazer para diminuir esse medo nos cachorros?

[trx_title type=”2″ style=”regular”]1. Sociabilização e dessensibilização[/trx_title] Em primeiro lugar, devemos lembrar da importância de realizar uma boa sociabilização dos filhotes para que eles não cresçam com medo de pessoas, outros animais, barulhos ou situações do dia a dia.

Mas, se o seu cachorro já não é mais filhotinho e ele tem muito medo de fogos de artifício, rojões ou outros sons, você também pode treiná-lo para que, aos poucos, ele se acostume com esse tipo de barulho. Para isso, você irá precisar de um gravação do ruído que causa medo no cão para realizar a dessensibilização.

Em um dia tranquilo, com o cachorro bem relaxado e calmo, coloque o som do barulho do qual seu bichinho tem medo para tocar, em volume baixo, e brinque com ele normalmente, faça bastante carinho, dê petiscos. Com o tempo, vá aumentando o volume devagar e continue agradando o e mostrando que aquele barulho não representa perigo nenhum.

É muito importante respeitar sempre o limite do animal. Caso ele se assuste, volte a abaixar o volume e comece de novo.

Caso sinta necessidade, você pode contratar um adestrador profissional para lhe ajudar com esse treinamento.

[trx_title type=”2″ style=”regular”]2. Prepare um espaço seguro para o cachorro[/trx_title] Se o seu cachorro já procura um lugar específico em sua casa para se abrigar quando está com medo, permita que ele fique lá enquanto tiver barulho de fogos e rojões. Um ambiente associado a uma pessoa que ele tem mais afinidade, que tenha bastante o cheiro das pessoas da casa, também pode ajudá-lo a se sentir mais seguro.

Crie um espaço no qual ele possa ficar tranquilo, com janelas e portas fechadas para minimizar o som externo e impedir que o cãozinho fuja para a rua. Você pode, ainda, colocar uma música ou deixar a TV ligada para mascarar ainda mais os ruídos que o assustam.

É importe que quando sabemos que haverá barulhos que podem assustar o bichinho, que eles fiquem de coleira com identificação. Assim, caso ele escape de sua casa por estar assustado, ficará mais fácil dele ser localizado e levado de volta para você.

[trx_title type=”2″ style=”regular”]3. Mude a sua reação[/trx_title] Quando seu cachorro ouvir um barulho que o assuste, ao invés de se abaixar e ficar preocupado com ele, mude a sua reação. Esse comportamento aflito passa para o seu cão a sensação de que você também está com medo do barulho e isso pode piorar a situação.

Ao invés disso, tente mostrar que está tudo bem. Comemore o barulho com ele, faça carinho, jogue uma bolinha para ele, dê um petisco. Com isso, aos poucos ele passará a associar o barulho que o assustava com uma situação mais prazerosa.

[trx_title type=”2″ style=”regular”]4. Procure um veterinário[/trx_title] Em alguns casos, o medo de fogos de artifício é tão grande que o cachorro baba, treme, fica extremamente agitado, podendo se colocar em risco e até mesmo desenvolver algum tipo de doença. Nesses casos, é possível utilizar uma medicação para acalmar o animal durante os períodos nos quais ele ficará exposto aos sons que tem medo.

Entretanto, somente um veterinário é capaz de avaliar a necessidade e prescrever algum medicamento para esse fim. Nunca dê remédios aos cachorros sem a prescrição médica.

Além disso, caso seu veterinário considere melhor que o seu cãozinho tome medicação para se acalmar, é preciso testar o efeito do remédio antes do dia no qual o cachorro ficará exposto aos fogos e rojões. Dessa forma é possível avaliar sua reação e evitar complicações inesperadas na hora da utilização.

Seguindo essas dicas com certeza você e seu amiguinho poderão curtir as comemorações muito mais tranquilos e sossegados.

Se você seguiu estas orientações e ainda assim o pet não melhorou, procure a ajuda de um especialista em comportamento animal para minimizar o estresse do seu bichinho. Fale conosco!

Download WordPress ThemesPremium WordPress Themes DownloadDownload WordPress Themes FreeDownload WordPress Themesfree download udemy coursedownload karbonn firmwareDownload WordPress Themesfree download udemy course

Agro Industrial Catarinense Ltda

Chegando o final de ano. Enquanto as pessoas comemoram, infelizmente muitos cães sofrem com o barulho causado pelos estouros dos fogos de artifício.

  • Os fogos, tradicionais nas festas de final de ano, mesmo sendo um espetáculo, provocam medo nos cães, que tem a audição muito sensível.
  • Entenda porque os cachorros têm medo de fogos
  • O cão possui audição muito sensível, podendo escutar a origem do som em até 6 centésimos de segundo e chegando a escutar até 45 mil hertz.
  • O barulho dos fogos, ou até de alarmes e trovões, provoca inquietação nos cães por ser prejudicial a sua audição.
  • Dicas que ajudam seu cão a superar o medo de barulhos
  • -Treinamentos com adestradores
  • -Acostume seu cão a ouvir barulhos, em momentos de brincadeira e diversão, para que seja associado a algo positivo.
  • -Ajude seu cão a encontrar um lugar seguro, para que se esconda até o barulho passar, evitando também que possa fugir.
  • -Colocar um algodão no ouvido do cachorro ajuda a abafar o barulho.
Leia também:  Como alterar a sensibilidade do touch em um dispositivo android

-Sempre converse com um veterinário sobre o problema. Em casos extremos, o profissional responsável pode prescrever um tranquilizante para que o cachorro mantenha a calma.

-Evite deixar seu cão sozinho em casa em dias que provavelmente soltarão fogos de artifício.

-O seu comportamento diante da situação também contribui para acalmar ou agitar ainda mais seu cão. Tente ficar calmo, e transmita isso ao seu animal. Sua linguagem corporal diz para seu cão se ele precisa ficar com medo ou não.

Truque do Pano: Proteja o seu cachorro do barulho feito pelos fogos de artifício

O nome do método é Tellington Touch, e consiste em amarrar seu cachorro com uma faixa para estimular a circulação sanguínea nas regiões extremas do corpo e com isso reduzindo sua irritabilidade.

A técnica foi desenvolvida por Linda Tellington-Jones, que inicialmente aplicava esse método em cavalos. Hoje o procedimento é utilizado no mundo todo para amenizar também as fobias e traumas em outros animais, como os cães.

Animais que possuem medo dos fogos ou qualquer outro barulho extremo também têm grande sensibilidade nas regiões traseiras, patas e orelhas.

Esse procedimento não é a solução, seu objetivo é contribuir na redução do medo que o cão sente. Por isso, quando o caso é extremo o cachorro precisa de medidas mais drásticas como medicamentos e calmantes. O ideal é acostumar aos poucos e com antecedência o seu cão com o barulho, e fazer com que ele perca o medo.

Passo a passo do truque do pano

Preparamos algumas dicas para você amarrar o seu cão da forma correta. Não deixe o pano muito apertado, e o nó não deve ser feito em cima da coluna.

  1. 1 – Posicione a faixa na altura do peito
  2. 2 – Cruze a faixa sobre o dorso
  3. 3 – De o nó próximo à coluna

Entenda porque esse método funciona. O ato de amarrar o cachorro reverbera no sistema nervoso dele, que recebe a informação sensitiva, envia ao cérebro e o deixa mais calmo. Essa pequena pressão ativa seu sistema nervoso autônomo.

  • Conforme o corpo sente a pressão das faixas, sua psique e tronco entram em harmonia, fazendo com que o cão se sinta mais seguro e possa enfrentar momentos de medo e pavor.
  • Alógica é que os cães se sentem mais seguros em locais pequenos e apertados, e a faixa usada para amarrar o animal simula esta sensação.
  • Fonte: Portal do Dog, Tudo Sobre Cachorros e SOS Solteiros

Fogos de artifícios: o pesadelo dos cães

Com as comemorações de final de ano chegando, aumenta a preocupação com o bem-estar dos nossos pets em relação aos temidos e barulhentos fogos de artifícios. Há alguma alternativa para diminuir o sofrimento, o medo que esses fogos causam em nossos filhotes de quatro patas.

A fobia de ruídos altos de fogos de artifício e trovões é comum entre os cães. Eles geralmente demonstram medo escondendo-se, chorando, latindo, uivando, batendo com as patas no chão e até mesmo urinando. Mas por que eles têm esse medo todo? 

Para os pets, barulhos altos podem significar perigo. Por isso, de maneira geral, eles tentam fugir desses sons. Estrondos passam a ideia de que algo grande e poderoso se aproxima, como árvores caindo, relâmpagos, fogos etc.  Dessa forma, a primeira coisa que eles tentam fazer é tentar se esconder ou fugir.

Então, para diminuir esses sintomas temos que ajudá-los, porque a ansiedade associada à fobia normalmente aumenta com o passar dos anos. Um cão que tenha medo de trovoadas pode começar a apresentar sinais de ansiedade antes mesmo de começarem os trovões.

É importante não punir o cão por ele estar ansioso, pois isso irá apenas aumentar o medo e a ansiedade, já que ele vai associar o trovão ao medo e à punição.

Tentar confortá-lo demais também não é uma boa idéia, porque isso o ensinará que o comportamento ansioso é adequado.

Ao invés disso, providencie um local seguro para ele ficar. Os lugares mais comuns em que os cães costumam se refugiar são suas caixas de transporte, ou debaixo de camas e poltronas. O motivo de eles escolherem esses lugares é que ali se sentem protegidos e o barulho de trovões e fogos é abafado. Caso seu cão ainda não tenha escolhido um lugar, providencie um.

Experimente deixar alguns petiscos ou até mesmo o brinquedo que ele mais gosta em um local seguro para estimulá-lo a ir para lá. Colocar pedaços grandes de algodão no ouvido do animal também pode ajudar a abafar o barulho, habitue-o a ouvir sons altos da TV, rádio a até mesmo música clássica.

Esses sons podem ser usados para “mascarar” os barulhos de fogos e trovões e acalmá-lo.

Tente diminuir sua sensibilidade para ruídos altos de forma que os barulhos se transformem em algo normal para ele. Geralmente, isso pode ser feito através da reprodução, em um volume baixo, de um áudio com trovões por intervalos curtos de tempo, enquanto você monitora o comportamento de seu cão.

Tente distraí-lo durante a reprodução do ruído, brincando de atirar objetos para que ele busque ou envolvendo-o em alguma outra atividade agradável. Se o seu cão estiver apavorado demais para participar, você deverá diminuir a intensidade do estímulo sonoro e tentar novamente mais tarde.

Esse processo é longo e requer paciência, mas no final seu cão se sentirá muito mais à vontade na presença desses barulhos.  

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*