Como ajudar um amigo que teve o coração partido

O que é mais importante na vida: ser guiado pelas emoções ou pela razão? A resposta mais correta é decidir o caminho a seguir pelo equilíbrio. No entanto, se pergunta for o que mais trava a vida das pessoas entre problemas racionais e emocionais, a maioria com certeza vai ficar com a segunda opção.

Como Ajudar um Amigo que Teve o Coração Partido

Nunca ouvi falar de “problemas racionais”. Já vi pessoas racionais demais que vivem sua vida sem emoção nenhuma. Em geral, pessoas muito racionais têm problemas emocionais não trabalhados.

É muito comum no meu trabalho receber pessoas que reclamam da vida sentimental. Entre tantas reclamações que escuto, uma comum é que não conseguem encontrar um novo amor ou parceiro.

Lembro-me de uma cliente que queria encontrar um novo amor, namorar e casar. Mas, conforme as sessões avançavam e as metas profissionais iam se realizado, o sonho de ter um novo namorado não “decolava”. Nem paquera aparecia.

Qual era a trava afinal? A resposta veio quando fiz um exercício de Coaching para definir as barreiras. O problema desta cliente estava no “seu coração partido e pisoteado” da última relação afetiva que teve. Ela insistia que precisava dizer ‘umas verdades’ ao ex-namorado para superar o trauma do término.

Ela queria uma nova relação afetiva, mas ainda nutria emoções com o ex-namorado, mesmo que de ódio. Assim como ela, quantas pessoas que tiveram seu coração partido não estão presas numa raiva por anos porque não conseguem se libertar?

Defina o que você quer de melhor para você agora. Ser feliz ao lado de uma pessoa que vai te amar ou sofrer sozinha por uma relação mal resolvida que nunca vai se resolver? Coração partido é uma tremenda ressaca amorosa, mas tem que ter prazo de validade para acabar, pois a vida anda.

A seguir, aprenda oração para superar as dores de um coração partido.

Oração para superar corações partidos Senhor Jesus Cristo, preciso de Vós, hoje, mais do que nunca. Em nossa vida há sempre alguém que amamos a nos causar imenso desgosto.  A vida humana é assim: somos imperfeitos, não amamos, logo, não sabemos valorizar o amor alheio. Acabamos tratando com leviandade coisas tão valiosas e com empenho, o que tem pouco valor.

Essas coisas como dinheiro, poder, status, orgulho, vaidade tornam-se ídolos que sufocam o valor do amor e aqueles que, infelizmente, iludem-se com tamanhas bagatelas, tornam-se insensíveis a si mesmos e aos outros.

Dizemos coisas aos outros que não gostaríamos de ouvir e quando as ouvimos, ofendemo-nos.

E, especialmente nessa hora, meu coração está ferido até mais do que possa suportar, pois a morte seria dor pequena diante do sofrimento que sigo sentindo.

Soarão exageradas diante de Vós, meu Pai Amado, todas as palavras que porventura vierem aqui ser ditas,  mas o termômetro desta angústia, sei que o Senhor o vislumbrará olhando para dentro de minha alma que foi surrada até o limite da minha resistência,  o que soará a Vós, Pai de Consolação, mais do que qualquer imperfeição aqui escrita.

 Ouvi palavras duras de quem jamais suporia ouvir novamente, desde a época em que ainda não havia sentimento, amizade, amor envolvidos.

Descobri que não significo nada para quem muito para mim significa e que coisas materiais significam para esta pessoa muito mais do que os atributos do amor sincero que sinto.

 Ouvi palavras frias que não combinam com o meu coração amoroso, embora eu não seja perfeita.

Sei que, humildemente, eu faço por merecer, muitas vezes, um duro e gelado balde de água fria, para que eu possa entender que a realidade é injusta e contrária ao que o Senhor planejou e colocar os pés no chão, ter mais controle, menos rebeldia, por mais que a vida me aborreça;  mas não, o meu coração que ama e que agora está partido até os ossos, não merece tanta agonia.

Minha afeição para com uma pessoa muito querida foi desprezada. Meu cansaço foi tomado como afronta e, como sempre, fui mal – interpretada. Por coisas tão fúteis, fui sendo severamente cobrada, talvez como pretexto para a traição que sofri.  Não há maior dureza do que ser tratada com o desprezo daquela pessoa que, justamente, mais se ama.

Embora eu reconheça que muitíssimos são os meus defeitos, minha rebeldia, mas meu amor é sincero. Eu nunca abandonei esta pessoa querida, mas por ela fui abandonada e tratada como se fosse o inimigo.  Minha autenticidade foi interpretada como desrespeito, não obtive compreensão de quem busco entender.

Creio que não tenha obtido o perdão genuíno de quem muito já perdoei;  creio que esta pessoa, que um dia, falou-me tanto dos perigos do ressentimento contra o próximo, revelou-me, hoje, em sua conduta para comigo, uma prática revanchista em sentido contrário, pois a dureza de coração que muitas vezes recebi desta pessoa foi mais sinceramente perdoada por mim do que o falso perdão que recebi por parte da mesma pessoa, por conta de erros que cometi, não tão insensíveis quanto as ofensas que recebi e perdoei dela, de verdade.

Sei que minha autenticidade é, por vezes, exagerada. Mas, Senhor, o meu coração não merecia isso – a dor da ingratidão e da indiferença. Sei que não merecia receber, da parte dessa pessoa, perdão tão ínfimo por questões pequenas, ao passo que grande perdão ela já houvera recebido de mim, por questões mais sérias, tal a humilhação.

Não, Senhor, não estou querendo justificar meus erros e julgar os erros dela, não pretendo dizer que meu pecado é menor do que o pecado dela. Quero apenas desabafar meu sofrimento e dizer que eu a perdoo e continuo amando mesmo assim. Apenas gostaria de clamar ao Senhor para que ela, quem sabe um dia, saiba disso.

Alegraria tanto minha alma, ver que essa pessoa respeita meu amor e não o trata com indiferença. Faria de mim a mais feliz das criaturas, saber, dos lábios dessa pessoa,  que ela reconheceu a dor que  me causou, arrependeu-se disso e buscou minha amizade sincera.

 Mas, hoje, lamento tanto que a insanidade do dia-a-dia,  das coisas materiais e seus negócios inúteis tenha sido relegada a um plano muito maior do que a beleza da amizade, do amor humano.

Lamento e sofro por ver que a escala de valores das pessoas está tão mudada, Senhor; a ponto de as pessoas considerarem coisas inúteis como mais valiosas do que uma amizade sincera, a ponto de a pessoa preferir perder a amizade, mas não perder a vaidade, o status, o orgulho, o debate –  coisas tão pequenas são consideradas importantes e as coisas valiosas da vida são tratadas como lixo!

Agora eu me sinto só, ninguém para compartilhar minha desolação a não ser o Senhor. O Senhor me tolera, o Senhor me suporta, o Senhor me ama, o Senhor me ampara e não me abandona, do contrário, a minha existência já estaria completamente despida de qualquer sentido, clamaria por um fim.

 Meu sentimento foi tratado com a frieza de um túmulo. Mas, Senhor do meu Refúgio, eu imploro pelo perdão dessa pessoa e pela Sua Luz sobre seu coração. Não quero perder a amizade dessa pessoa, eu a perdoo, apesar de tudo. Assim como espero que não somente o Senhor, mas ela também me perdoe e busque me amar mais.

Sei que é pedir muito que ela tente me amar como eu a amo, mas que, Senhor, ao menos ela me valorize. Eu agora estou diante deste computador em que digito esta súplica, aos prantos,  esperando que esta pessoa querida possa lê-los, nem que secretamente, por um milagre, ó Senhor Meu Deus da realização de todos os meus sonhos mais profundos e benéficos.

Mas eu estou só em meus aposentos, diante desta máquina inerte e sentindo um frio imenso. Minhas mãos, agilmente, escrevem esta oração ao Senhor, mas meu coração está abatido e triste. No entanto, caminho firme na certeza mais cristalina de que serei ouvida pelo Senhor.

Finalmente, Senhor, declaro algo muito importante que deveria ter dito já no início dessa conversa: perdoe, meu Senhor, minhas faltas e meu nervosismo. Perdoe, meu Senhor, minhas palavras ríspidas.

Perdoe, meu Senhor, a situação de risco ou constrangimento em que coloquei uma pessoa muito querida, ainda que involuntariamente, por impulso, nervosismo de meu temperamento, abatimento e cansaço, mas só o Senhor sabe da minha dor, esta que sinto, meu coração frustrado pela dor do amor ferido.

 Perdoe, meu Senhor, a esta pessoa que estimo tanto e que hoje me fez chorar, pois eu sei que ela não sabe o que está fazendo: creio que jamais me machucaria de um jeito tão dolorido se por acaso desconfiasse o mínimo possível da intensidade e da força do meu amor.

Abençoe esta pessoa para que ela jamais passe por dor tão intensa quanto a que agora ela me causou.  Tenho certeza de que se ela souber o quanto eu a amo, tanto e talvez de um jeito até inconveniente, poderá ela sentir que cometeu contra mim uma enorme injustiça: não se maltrata a quem nos ama.

 Mas minha inconveniência de amar não significa amor imerecido por esta pessoa, muito embora ela tenha sido cruelmente indiferente à minha humanidade e sobretudo ao que sinto, porquanto o Amor que o Senhor sente por mim, eu não o mereça ainda com maior rigor; eis que o amor que sinto por essa pessoa é tal que daria abertura a coisas não aprovadas pelo Senhor; um amor que para mim é duplo sofrimento e que me faz cometer diante de Vós o maior dos pecados.

No entanto, Jesus, peço vossa misericórdia: cura essa minha tristeza e traz de volta a reconciliação  que tanto espero com a pessoa que tanto estimo, quero abraçá-la de verdade, ter sua amizade de volta. Mas, principalmente, quero reconciliar-me e estar em paz de consciência com o Senhor.

Ficou com dúvida? Quer saber mais sobre o trabalho de Franco Guizzetti ou entrar em contato com ele, clique aqui.

Fonte: Especial para Terra

Coração partido: como podemos curá-lo?

Todo mundo, em maior ou menor medida, já passou alguma vez pela sensação de ter o coração partido. Essa experiência de perder alguma coisa importante pode acontecer em muitas situações, e não apenas nas amorosas.

Alguns podem ter se apaixonado por alguém que não lhes correspondeu, outros experimentaram como o seu relacionamento amoroso importante chegou ao fim, ou podem ter chegado a sentir o coração partido com a perda de uma amizade muito querida.

As pessoas descrevem o coração partido como um sentimento de tristeza, amargura, desilusão, vazio, dor.

Como Ajudar um Amigo que Teve o Coração Partido

Conheci um garoto que me contou que não tinha conseguido esquecer a sua antiga noiva, e que mesmo sabendo que não existia chance de voltar com ela, não estaria novamente com mais ninguém. Isto era sintoma de que se negava a curar o seu coração partido.

Leia também:  Como calibrar um torquímetro (com imagens)

Por mais que passemos por estas situações ruins, sempre é possível começar do zero. Mas para isso é preciso estar disposto a fazê-lo e tomar as medidas necessárias.

Se você se fechar na sua tristeza e fechar o seu coração, terá deixado que uma experiência ruim estrague toda a sua vida amorosa futura.

Comecei a indagar os seus pensamentos, pedi para me contar porque pensava que não voltaria a encontrar outra garota com quem compartilhar a sua vida. Se os pensamentos errôneos não forem eliminados, não será possível avançar.

Nunca encontrarei alguém igual

Este tipo de pensamento é universal e totalmente errôneo. Se você conheceu pessoas apaixonadas que perderam o que tinham, ou você viveu isto em carne e osso, verá que muitos dizem esta frase: “nunca encontrarei alguém igual”.

Logicamente, onde existe um amor está a certeza de que essa pessoa é única no mundo todo, e de que você jamais irá gostar de outra pessoa. Mas isto é uma coisa muito equivocada.

Enquanto o tempo vai eliminando sentimentos e você vai conhecendo pessoas novas, vai percebendo que existem muitos tipos de pessoas e é possível que você encontre alguém parecido com o que você desejava.

O rapaz do qual falei antes me disse: “Não existe ninguém como ela”. É claro que todos somos únicos, mas o perfil de alguém que o apaixonou continua existindo em mais pessoas. Eu lhe perguntei: “Desde que o seu relacionamento acabou, você já conheceu outras garotas?”, e ele me disse: “Não, não tenho vontade de conhecer mais ninguém, porque não existe nenhuma como ela”…

Nitidamente vemos que o problema de pensar que não haverá ninguém está em nós mesmos. Se não fizermos nada para continuar conhecendo gente nova, não poderemos encontrar outras pessoas das quais possamos gostar. Claro que existem pessoas das quais poderíamos gostar, mas é preciso se abrir e tentar conhecê-las.

Se nada fizermos, irá se cumprir a frase equivocada de que nunca conheceremos ninguém igual, mas será porque nos fechamos completamente.

O que podemos fazer para mitigar a dor de um coração partido?

1. Deixar as lembranças para trás: É importante tomar a decisão de deixar para trás as lembranças. Não olhe fotos suas, nem deixe à mostra objetos que lembrem a outra pessoa, nem entre em contato com ela por qualquer meio, nem por internet, nem SMS, nem telefone, etc…

A frase: “com as mãos cheias você não poderá receber nada novo” é a mais pura verdade. Se você continua em contato com a pessoa de quem gosta, não poderá ter olhos para mais ninguém, por isso tome a decisão de “fechar a porta” e dar passagem ao novo que está por vir.

2. Mantenha-se ocupado: Não há melhor remédio do que manter a mente ocupada, especialmente fazendo as coisas de que você gosta. É proibido ficar sem fazer nada, porque a falta de ação traz frustração. Por isso, mesmo que você não tenha coisas para fazer, saia para praticar um esporte, ocupe as suas horas com algum curso, atividade, saída, etc…

3. Conheça gente nova: Os relacionamentos sociais trazem muita gratificação. Se você conhecer gente nova e topar com as pessoas certas com as quais exista uma conexão, vai perceber que a vida sempre pode começar do zero e a melhor forma é começando pelos seus relacionamentos sociais.

4. Cuide de si mesmo: É uma parte muito importante para se recuperar da dor emocional. Quando o coração sofre, a gente passa por um estresse maior, por isso é preciso se cuidar mais do que nunca, adotando uma vida saudável com uma dieta equilibrada, bom descanso com horários estáveis e exercício físico regular.

5. Paciência e aceitação: Tudo nesta vida é passageiro, e com a dor emocional não seria diferente.

Continue em frente no seu caminho mesmo que você esteja com o coração partido, carregando toda essa dor mas sem parar de caminhar, com paciência, sabendo que é algo passageiro que irá se curar com o passar dos dias.

Abrace a aceitação sabendo que a vida é assim: às vezes é maravilhosa, mas em outras vezes é preciso sofrer.

Cuidado para não mascarar a dor

Muitas pessoas se sentem incapazes de enfrentar cara a cara a dor que vem de um coração partido. Assim, caem no álcool, drogas, passam a ter ritmos de vida desequilibrados, comendo mal, etc…

Todas estas atitudes ruins nada mais são do que evasões da realidade. Desta forma, a dor não vai se curar, mas será mascarada e destruirá você pouco a pouco. Você não apenas continuará com a dor emocional, mas terá adicionado mais problemas que prejudicarão a sua saúde.

  • A forma mais inteligente de sair de uma dor emocional é enfrentando-a de forma sadia: cuidando-se, aceitando, abrindo novas portas e deixando que a dor vá se enfraquecendo com o passar dos dias.
  • É mais corajoso quem decide enfrentar o desamor do que quem recorre a uma vida pouco saudável para mascarar a dor.
  • Além disso, quem consegue superar um coração partido de uma forma saudável, cuidando da sua saúde e aceitando essa situação negativa, terá adquirido ferramentas e um aprendizado que contribui para o seu desenvolvimento pessoal e o seu estímulo emocional.

Imagens cortesia de Seyed Mostafa Zamani e D. Sharon Pruitt.

Como se conserta um coração partido?

As dores de cotovelo talvez sejam o motivo mais comum de sofrimento humano. Aqui, na China, em toda parte. Sobretudo entre os jovens. Não transcorre um segundo neste planeta azul sem que um coração seja partido, com terríveis consequências pessoais. Quem sofre não consegue trabalhar, dormir ou comer direito. É uma catástrofe íntima que só a vitima é capaz de dimensionar.

Numa entrevista recente, o Paulo Coelho disse ter pesquisado entre seus milhões de seguidores na internet as causas mais comuns da depressão. Sua conclusão? Traição. Eu, arrogantemente, me arrisco a reinterpretar o resultado da pesquisa do escritor famoso. Não é traição.

É desilusão amorosa a causa de tristeza e depressões. As pessoas frequentemente confundem as duas coisas. A moça foi deixada pelo rapaz e sente-se traída por ele. Um rapaz foi trocado por outro e diz para si mesmo que foi traído pela namorada.

Mas foi mesmo? Talvez em alguns casos ocorra um ato tão pérfido que mereça o uso da palavra “traição”. Mas, na maior parte das vezes, as pessoas sentem-se traídas porque foram abandonadas, porque deixaram de ser amadas, porque aquilo que gostariam que existisse não existe mais.

Acusar de traição deve ser mais fácil do que gemer no escuro sem ter a quem incriminar. Ou assim me parece.

Qualquer que sejam suas origens, não há dúvida de que a dor de cotovelo é um problema universal.

Tanto é verdade que os americanos, que são gente prática, estão tentando entender cientificamente o processo, para melhor superá-lo.

Uma pesquisa feita em duas universidades concluiu, faz alguns dias, que a melhor maneira de remendar um coração partido é envolver-se com outra pessoa, rapidamente.

>> Mais colunas de Ivan Martins

Os pesquisadores compararam gente que buscou consolo nos braços de um novo parceiro com gente que escolheu sofrer sozinha as dores da separação. Concluíram que quem se enfiou na cama de alguém se sentiu melhor do que quem ficou sozinho, chorando no sofá. A auto-estima estava mais alta e eles se mostravam mais seguros ao lidar com os ex-parceiros.

Os americanos chamam esses namoros para esquecer o ex de “relacionamento rebote” – e a opinião dos cientistas é que eles, efetivamente, ajudam a superar o passado. Vocês acreditam nisso? Eu não. Por meia dúzia de razões importantes. A primeira é que nunca – repito NUNCA – vi ninguém levar o fora num relacionamento importante e ficar feliz com outra pessoa na sequência.

Já vi gente tentando, mas nunca vi funcionar. Pelo contrário. As pessoas que fazem isso se atrapalham, machucam os outros e a cabeça delas fica um lixo. Continuam sofrendo, claro, miseravelmente. Essa é a regra quando se gosta muito. Quando não se gosta tanto assim, ou quando não se gosta mais, fica mais fácil.

Aí basta uma cara nova, um corpo novo, para ajudar a remendar a autoestima avariada. Mas quem esteve apaixonado de verdade não supera um pé na bunda assim na boa. Por um motivo essencial: quem parte fica dentro de nós. Por algum tempo, inevitavelmente, estará lá. Vai morar nos nossos sonhos e dividir conosco as horas do dia. É uma ausência enorme, maior do que a pessoa de verdade.

Mesmo que ela não mereça, mesmo que não seja assim uma coca-cola. Mesmo assim. Quem vive esse pequeno inferno gostaria que fosse diferente. Se fosse possível arrumar um namoro de consolo e deixar os sentimentos de abandono para trás seria perfeito.

Mas como se troca um João por um Rodrigo de uma hora para outra? Eles falam de maneira diferente, pensam de forma diferente, agem cada um do seu jeito. Como se substitui uma Maria por uma Rosana? Seus sorrisos são tão diferentes, elas não têm os mesmos sentimentos, reagem de forma distinta diante da chuva, do sol, da cena besta do filme. Não dá. Nossos sentimentos não são genéricos.

Eles se aplicam a uma única pessoa de cada vez. São como roupas feitas sob medida, cortadas milimetricamente. A cada novo amor temos de começar do zero, fazer de novo. Afinal, é um sentimento novo em folha, que serve apenas àquele ser humano que nos inspira.

Ele tem nossa cara e nosso estilo (é o nosso jeito de amar, naturalmente), mas tem as formas e as medidas de quem nos toca o coração. Uma coisa dessas não se improvisa. Tampouco desaparece em dois dias. Se os pesquisadores americanos dissessem que depois de um rompimento é bom se distrair, eu concordaria entusiasticamente. Encontrar os amigos, sair de casa, conhecer outras pessoas.

Isso tudo faz bem, porque não mexe com sentimentos profundos. Quando se está assim, na merda, é bom perceber que outras pessoas se interessam pela gente. É bom sentir que somos capazes de perceber gente interessante. Mas, por favor, devagar com o andor. Conhecer, conversar, rir, flertar um bocadinho, tudo bem. Essas coisas distraem e atenuam a dor.

Mas, no primeiro beijo na boca, na primeira vez que a mão percorre o outro corpo, desastre: lá vêem as lembranças, começam as comparações, surge aquela avalanche de sentimentos depressivos e o caos se instala dentro de nós. Melhor evitar, eu acho. Melhor ficar no flerte e na conversa. Eles não machucam e ajudam a cicatrizar. Também não queimam seu filme com aquele ser humano ali ao lado, que pode vir a ser importante quando essa crise passar. Pense nisso.

É claro que gostaríamos de ser feliz o tempo todo. Claro que preferíamos não sofrer. Mas isso não é possível. Depois de um grande sentimento fica um vazio. Ele machuca e entristece. Não adianta apressar, não adianta competir com quem nos fez sofrer. É preciso respeitar os nossos sentimentos sem nos deixar dominar por eles, sem permitir que virem obsessão.

Quando a gente chuta o pé de uma mesa, dói muito. Por alguns instantes, aquela dor nos domina. Depois cede, vai passando, acaba. A gente sabe que é assim, por isso não de apavora depois de uma topada. Respira, sopra e espera. Não deveria ser diferente com as dores do coração. Ter paciência, ter coragem, soprar um bocadinho. Daqui a pouco passa e a vida recomeça.

  • Ivan Martins escreve às quartas-feiras.
  • saiba mais
Leia também:  Como calcular o valor de entrada de um veículo: 15 passos

Aprendendo a superar as cinco fases do coração partido

Quem nunca teve o coração partido por alguém? Existem algumas classificações das fases que a pessoa passa nesse processo e a especialista em relacionamentos Margareth Signorelli vai explicar de cada uma delas. “Quando sabemos o que está acontecendo conosco e aprendemos como superar cada fase, podemos amenizar o nosso sofrimento ou mesmo acelerar o processo de recuperação”, conta.

A princípio é importante saber que cada fase tem seu valor, por incrível que pareça. Se você aprender com cada uma delas, terá aumentado seu autoconhecimento e se tornará uma pessoa melhor.

1ª Fase – Negação

Você está em choque e não imaginava que isso iria acontecer. Você procurou tanto se ligar a alguém e sua conexão se foi com a ruptura deste relacionamento. O cérebro simplesmente se recusa a acreditar.

Você pensa que não é verdade. Acorda no meio da noite não sabendo o que é real o que é sonho.

Muitos tentam uma reconexão com a pessoa amada de varias formas, transportando para aquele relacionamento a responsabilidade da sua sobrevivência.

Como se ajudar: Encarar que é verdade e não se humilhar pedindo para a outra pessoa voltar, pois depois você se arrependerá. Procure amigos verdadeiros que lhe ajudarão a perceber a verdade do que está acontecendo, trazendo você de volta para o chão. Pensar “Aconteceu. Se essa foi a escolha “dele”, vou ter que aceitar, é verdade. Não é um sonho”.

2ª Fase – Dor

Algumas pessoas chegam a ter dores físicas. Muito choro e muita tristeza. Podemos chamar de luto, pois toda perda nos dá essa sensação de luto. Pensamos que estamos sós e que o mundo poderia acabar para que cessasse a nossa dor. Nós nos consideramos vítimas na nossa própria vida.

  • Como se ajudar: Procure amigos e cuide de você como se estivesse com uma gripe muito forte.
  • – Enrole-se em uma manta.
  • – Tome sopa.
  • – Fique quieta e permita que as lágrimas tenham o seu percurso se assim quiserem.
  • – Delete o telefone dele e tire ele da sua rede social.
  • Nesta profunda tristeza você pode parar e pensar “O que eu quero de um relacionamento?”
  • Faça esse exercício e escreva cada resposta para você guardar.
  • Pare e concentre-se.

– Faça a seguinte pergunta para si mesma: “O que eu quero encontrar?” Um marido, um companheiro, um parceiro de vida? Alguém que lhe ame e respeite? Que tenha uma conexão sexual e intelectual com você?Escreva as respostas.

– Pergunte-se: “Que tipo de relacionamento quero criar e experimentar junto com esta pessoa? Um relacionamento de amor e parceria? Um relacionamento de paixão e respeito?”

Escreva a resposta. Ex: “Eu quero um companheiro para termos juntos uma relação honesta, verdadeira onde possamos dividir nossos desapontamentos e partilhar nossas vitórias.”

Essa será a sua INTENÇÃO, o que você procura para a sua vida. Uma INTENÇÃO não é um desejo, mas sim algo que você vai criar.

Da sua dor você tirará a sua INTENÇÃO. Baseada na sua intenção você poderá olhar para trás e rever o seu relacionamento.

Rever o que quer para você e o que quer realizar e perceber que aquele não era o relacionamento que você queria.

Muitas vezes deixamos a vida nos levar e não sabemos realmente o que queremos e nos acomodamos com o que temos. Precisamos ter consciência do que queremos criar.

3ª Fase – Raiva

Você começa a ver cada detalhe do que passou e sua auto-estima começa a se manifestar. Você não consegue segurar sua ira. Em cada pensamento que lhe ocorre você pensa: “Como pude deixar que alguém fizesse isso comigo”.

Como se ajudar: As pessoas pensam que a raiva é um sentimento negativo, mas estão enganadas. A raiva nos movimenta e tem uma energia de ação que pode lhe ajudar a tomar decisões muito importantes na sua vida. Aproveite!

Pare e concentre-se.

– Pergunte: “O que essa pessoa fez que me faz sentir essa raiva”? Ex: “Me tratou muito mal na frente de outras pessoas e me deixou várias vezes esperando seu telefonema que quase não acontecia”.

– Pergunte: “Qual a minha responsabilidade nisso?” – nem que seja 1% de responsabilidade sempre ela existirá – “Como eu permiti que isso acontecesse”? Ex: “Permiti que me tratasse mal muitas vezes não colocando limites e barreiras na nossa relação e não verbalizando que não queria mais que me deixasse esperando por seus telefonemas porque era falta de respeito comigo”.

– Faça uma declaração de que nunca mais você permitirá que alguém faça isso para você. Esse será o seu comprometimento de você para com você mesmo, não deixando que isto se repita. Ex: “Não permitirei nunca mais na minha vida que alguém falte com o respeito comigo e colocarei meus limites desde o princípio para construir uma relação forte e segura para nós dois”.

4ª Fase – Depressão

Uma profunda tristeza se instala como se nunca mais pudéssemos ser felizes e a saudade começa a aparecer. Parece que nesse momento ficamos com uma amnésia cerebral e só conseguimos nos lembrar dos bons momentos.

  1. Como se ajudar: Procure amigos para levá-la de volta à realidade dos fatos e fique forte, baseada na sua intenção e na sua declaração.
  2. Pare e faça uma limpeza energética na sua casa.
  3. – Tire as fotos de você juntos. Coloque longe de você e, se puder, fora da casa
  4. – Se desfaça de cartas, lembrança, objetos e roupas, de tudo que lembre o seu relacionamento com essa pessoa.

Vá ao cinema, jante fora com amigas, ocupe-se e caia na cama exausta à noite. Faça exercícios diários, pois a liberação da endorfina ajudará muito no seu bem-estar, diminuindo sua dor.

5ª Fase- Resiliência

“E quando a lagarta pensou que o mundo tinha acabado… Ela virou Borboleta”.

Você sabe tudo o que a lagarta passa para chegar ao casulo, o quanto ela sofre até poder sair deste casulo e este foi o seu processo de recuperação e renascimento.

Você já se sente melhor e olha para traz e sabe que aprendeu muitas lições e nunca mais será a mesma pessoa.

Hoje você aprendeu muito sobre você mesma e sobre a vida e pode escolher melhor o que quer e saber como se colocar melhor na sua próxima relação com alguém.

Como não se machucar: Pense que você está se recuperando e como todo processo de recuperação tem que continuar cuidando de você. Não se exponha muito, não se relacione por carência com a primeira pessoa que aparecer.

Vá a lugares onde se sinta bem e não fique indo onde suas amigas acham que você se sentiria bem. Não tenha pressa, você vai chegar lá e será muito feliz no amor.

A maior parte das pessoas que são felizes no amor passou por situações muito difíceis e agradece a essas situações porque, sem elas, não estaria onde estão hoje. Cuide de você!

  • As fases do fim do casamento

Por Vila Mulher

Para um Amigo de Coração Partido

Cerca de 627 frases e pensamentos: Para um Amigo de Coração Partido

Curativos para um Coração Partido Hoje, acordei sentindo uma grande dor no peito; sentei-me ao pé da cama, coloquei minha mão sobre meu peito, e perguntei ao meu coração: – O que você tem? Por que está tão inquieto dentro de mim?
Você está doente? Fiquei uns minutos em silêncio e aí foi minha alma a começar a ficar inquieta.

Perguntei a ela: – O que tens? Porque se atormenta dentro de mim? Minha alma disse: – Estou assim porque você está assim; você me faz perguntas, mas não tenho as respostas e sei que isso o faz infeliz. Você se sente tão pequeno, e isso me faz pequeno também. Você queria ser diferente, eu fico triste por você. Você está tão só, e eu me sinto sem você.

Mais uma vez tornei a ficar em silêncio. E foi aí que meu coração
meio confuso me respondeu: – Estou tão triste. Sinto-me tão pequeno. Estou magoado com você! Fiquei sem jeito e perguntei: – O que foi que eu te fiz? Ele respondeu: Você sofre tanto com as pessoas; preocupa-se com elas, é atencioso, procura ser prestativo e na maioria das vezes, sempre se decepciona.

Você ama e depois sofre
e fala que a culpa é minha. Você espera por algo que não vem e fica triste. Aí você chora e dói em mim. Preciso de curativos para um coração partido. Curativos bons. Perguntei ao meu coração: – Como assim, bons? Ele respondeu: Curativos que estanquem essa sua tristeza, essa sua mágoa,
essa sua solidão.

Que estejam com você nos dias frios e nas noites vazias, nos dias de tempestade
e nas horas que você se sentir tão só. Que eles sejam tão grandes que possam envolver seu corpo em um abraço cheio de ternura e que você se sinta seguro e amparado.
Curativos que te façam sentir o quanto você é especial e amado, mesmo que você nunca tenha sentido esse amor, nem de seus próprios pais.

Preciso de bons curativos, que não sejam eternos, afinal nada é para sempre, mas, que não sejam descartáveis. Curativos que absorvam esse sofrimento, essa dor. essa ferida que não se vê, apenas se sente.
Que sejam fortes, e a prova d’água, para que não se estraguem com suas lágrimas, que sejam macios, para poder te fazer carinho nos dias em que você se sentir carente.

Curativos que, acima de tudo nunca o decepcionem,
prometendo coisas que não cumpram.
Curativos companheiros e sinceros, que se importem realmente com você. Não quero pena, quero amor. Amor de verdade. Preciso que você também se ame e prometa que vai procurar cuidar mais de mim, sou parte de você e se você sofre eu sofro também.

Queria poder colocar você dentro de mim, secar suas lágrimas, ninar você. Dizer-te que tudo vai passar e te proteger das decepções da sua vida, afinal você já sofreu tanto que não sei como ainda consigo bater forte em seu peito!

Você é especial, pena ninguém perceber isso.

Leia também:  Como cancelar uma conta do hootsuite: 7 passos

Lorenzzo Marchesin Francischetti

Aprende que não importa em quantos pedaços seu coração foi partido, o mundo não pára para que você o conserte. Aprende que o tempo não é algo que possa voltar.
Portanto, plante seu jardim e decorre sua alma, em vez de esperar que alguém lhe traga flores.

Veronica Shoffstall

SORRIA Sorria, embora seu coração esteja doendo
Sorria, mesmo que ele esteja partido
Quando há nuvens no céu
Você sobreviverá…

Se você apenas sorrir
Com seu medo e tristeza
Sorria e talvez amanhã
Você verá o sol vir brilhando para você…

Ilumine sua face com alegria
Esconda todo rastro de tristeza
Embora uma lágrima possa estar tão próxima
Este é o momento que você tem que continuar tentando Sorria, pra que serve o choro?
Você descobrirá que a vida ainda vale a pena

Se você apenas sorrir…

John Turner e Geoffrey Parsons

Um coração partido não é algo que vai curar rápido. É muito mais complicado. Não existem remédios para corações partidos, o receitável é deixar essa ferida aberta, até ela cicatrizar.

Depois de um tempo, você ainda vai lembrar dessa ferida que rasgou fundo o teu peito, mas vai saber também, que foi apenas uma página do capítulo passado, que tem muito a ser escrito e lido por quem sabe apreciá-lo de verdade.

Caio Fernando Abreu

Um coração partido faz parte. Se apaixonar pelo melhor amigo faz parte. Ter uma melhor amiga faz parte, e ter milhões de outras também. Chegar em casa chorando por um dia no colégio não ter dado certo faz parte.

Brigar com seus pais por coisas fúteis, acordar com uma espinha, ter um ódio mortal da sua irmã, ouvir mil e uma besteiras da sua amiga faz parte. Cair e tropeçar, ver e chorar, sentir e sorrir, assistir e emocionar, crer e receber, errar e perder, amar e quebrar, tudo isso faz parte.

Ninguém está salvo, não crie barreiras para vida que está ai fora, porque a vida não é e nunca vai ser boa com você. Então, cabe a você deixar tudo mais confortável possível. Não deixe as amarguras das revistas de beleza te colocarem no chão, acorde de manhã e não repare de imediato no seu cabelo, nem numa espinha monstro. Imagine.

Isso! Imagine! Imagine o tempo que você está perdendo em frente ao espelho acertando cada defeito seu, imagine como há alguém, onde que que seja, nesse exato momento pensando em você! Ninguém está livre das tristezas, assim como ninguém é imune para as alegrias! Sorria, simplesmente sorria, não sorrie simplesmente para fotos…

Sorria pra si mesmo, para seus amigos, mostre o quão o seu brilho faz efeito e note como as pessoas as sua volta ficam radiante com o seu charme! Ah, quando a vida te deixar pra baixo… fique lá durante um tempo, o suficiente para notar que estar na depressão é perca de tempo.

Se você tem amigos, você tem tudo! Se você tem amor próprio, você conquista o mundo. Valer e crer, não adianta você olhar pro céu e não lutar pra chegar até lá. O céu nunca vai se mover até você… então porque você não vai até ele?

Eduarda Morgado

Para meus amigos que têm um CORAÇÃO PARTIDO.
Um coração assim dura o tempo que você deseje que ele dure, e ele lastimará o
tempo que você permitir.
Um coração partido sente saudades, imagina como seria bom, mas não permita que
ele chore para sempre.

Permita-se rir e conhecer outros corações.
Aprenda a viver, aprenda a amar as pessoas com solidariedade, aprenda a fazer
coisas boas, aprenda a ajudar a própria vida.
A dor de um coração partido é inevitável, mas o sofrimento é opcional.

E lembre-se: é melhor ver alguém que você ama feliz com outra pessoa, do que

vê-la infeliz ao seu lado.

Desconhecido

Um dia você aprende que… Não importa em quantos pedaços
Seu coração foi partido
O mundo não para para que você o conserte.

Aprende que o tempo
Não é algo que possa
Voltar pra trás Portanto, enfeite sua alma
em vez de esperar
que alguém
lhe traga flores Você aprende que realmente pode suportar
e que pode ir muito mais longe
depois de pensar
que não se pode mais E que realmente a vida
tem valor diante da vida
nossas vidas são traidoras e nos fazem perdoar
o bem que poderíamos fazer
se não fosse o medo de

tentar…

Veronica Shoffstall
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
Próxima >

Conselho para todos com o coração partido

Acho que essa é uma das grandes verdades universais: todo mundo já teve ou terá seu coração partido ao menos uma vez na vida. E quer saber? Está tudo bem!

Esse texto é para vocês que – hoje, agora, nesse momento – vivem uma decepção amorosa. Não importa o tipo de coração partido que você tenha, o que importa é estar vivendo esse momento da maneira mais inteligente possível. Isso porque vivenciar a experiência de ter um coração partido é um grande motor de transformação em nossas vidas.

Muita gente tem medo de sofrer e quer fugir de qualquer jeito desse sentimento, mas a verdade é que precisamos viver essa dor até a última gota. Primeiro porque essa é a única maneira de nos livrarmos dela de uma vez por todas e segundo porque isso proporciona um baita crescimento.

Então, vamos lá. Meu primeiro conselho é bem básico: se você está sofrendo, tenha consciência de que precisa passar por todas as etapas dessa dor. Isso varia muito de pessoa para pessoa, mas independente de como for, é importante passar pelas fases desse coração partido. Vamos lá?

Fase 1: Sofra tudo que tiver para sofrer.

Logo que o nosso coração é partido, a primeira coisa que queremos é nos livrar da dor. Não queremos nos sentir mal e chorar pelos cantos, mas eu garanto que isso é extremamente necessário.

Você acabou de vivenciar uma perda e precisa viver esse luto. Precisa chorar, reclamar, sentir que o mundo está desabando e que falta ar para respirar. Se você não viver isso agora, mais tarde pode sofrer as consequências.

Então, sofra sem medo para depois sentir o alívio de que não resta dor no seu corpo.

Fase 2: Fale sobre o assunto até não poder mais.

Nesse momento inicial também é muito importante falar sobre tudo que te magoou. Quando colocamos os nossos pensamentos e sentimentos para fora, muitas vezes fica mais fácil entender os motivos daquele coração partido. Falar é importante porque ajuda a cicatrizar, além de sempre ser bom ter um ombro amigo nesse momento.

Procure pessoas que estejam dispostas a ouvir sua dor e possam dar conselhos construtivos nesse momento. Por mais que você possa se sentir solitário nesse hora, se lembre de que há muita gente ao seu redor disposta a te ajudar.

Se preferir, escreva uma carta sobre tudo o que está sentindo – qualquer tipo de comunicação é válida nesse momento.

Fase 3: Aproveite momentos de solidão ou busque boa companhia.

Um coração partido costuma provocar dois tipos de reação: a pessoa pode sentir necessidade extrema de se isolar por determinado tempo ou então buscará continuar sua vida social normalmente. Eu, particularmente, sou do primeiro tipo e costumo recomendar aluns momentos de solidão após o término.

Principalmente porque acredito que é nessas horas que conseguimos organizar melhor nossos pensamentos. No entanto, tem gente que prefere sair e continuar a vida social com amigos e familiares. Acho essa opção super válida, mas sempre falo para os meus amigos ficarem atentos sobre estarem tentando se enganar e fingirem que já estão bem.

Se quer sair com os amigos, pode sair, mas não tente fingir para o mundo que está tudo bem se não estiver. É importante respeitar o luto.

Fase 4: Aprenda coisas novas: busque um hobby ou uma paixão para te preencher.

Uma coisa que sempre me ajudou muito nesses momentos foi fazer algo que me completava. No meu caso, a escrita tem um papel de cura muito importante, mas cada um pode encontrar a sua paixão. Pode ser algo como fazer esportes, ler livros, viajar, ir ao cinema, tocar piano, e por ai vai.

Caso não tenha nenhum hobby ou paixão, fique atento, pois essas fases de sofrimento costumam ser bons momentos para descobrirmos coisas que amamos fazer. Aprender coisas novas e que você não fazia antes pode ajudar a abrir os olhos para um novo universo totalmente desconectado da pessoa que não está mais em sua vida.

Meu maior conselho é evitar por um tempo lugares que iam e atividades que faziam juntos.

Fase 5: Planos para o futuro: se desprenda do passado e busque se reconstruir.

Aqui é o momento em que ser negativo e continuar falando sobre a dor já não é bom. É a hora de se desprender e começar a olhar para o futuro.

Chega de remoer o passado: trace novos planos para o futuro, busque manter os bons e velhos amigos ao lado, mas sempre tente expandir seus horizontes para círculos de pessoas que são desconhecidas.

Isso ajuda muito, pois te faz enxergar que existem muito além daquele indivíduo que ficou para trás. Existe sim MUITA vida para ser vivida e você deve começar a celebrar isso cada vez mais!

Fase 6: Se abra para novas conquistas e amores!

Chegou a hora de se abrir e deixar a vida te apresentar a novas pessoas que possam te fazer bem. Se na fase anterior você já estiver expandindo seu círculo social, isso será bem mais fácil.

Junte tudo o que aprendeu até aqui e coloque em prática! Faça coisas novas que te motivem, se dedique a algo que te faça acordar todos os dias feliz, valorize a vida e esteja sempre aberto para novos caminhos e pessoas que possam aparecer.

Nesse momento, você já estará muito mais maduro e terá plena consciência de que aquele coração partido precisava acontecer daquele jeito. Já não há mais mágoas e dor latejante. Talvez você ainda se sinta um pouco agoniado, mas isso vai se dissipar cada vez mais, eu garanto.

___

Não é fácil nem simples seguir esses passos, mas eu garanto que no final você agradece por ter passado por isso. Na realidade, a cicatrização nada mais é do que um processo: se no começo nos questionamos os motivos daquela dor, no final já temos as respostas.

O importante é não desistir, não se entregar para o sofrimento e sim persistir na sua felicidade – aos poucos você percebe que ela está o tempo todo a sua volta, basta ser forte o suficiente para agarrá-la e não deixá-la ser maior do que todo o sofrimento.

Imagem de capa: Aleshyn_Andrei, Shutterstock

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*