Como ajudar um amigo com depressão: 11 passos

  • Se você chegou neste artigo interessado em saber como ajudar uma pessoa com depressão, certamente está enfrentando um grande desafio.
  • Este conteúdo é para lhe ajudar a fazer isso, promovendo saúde tanto para a pessoa que está sofrendo de depressão como para você mesmo e os demais que o rodeiam.
  • Vamos apresentar como você deve agir e os principais erros de quem sinceramente quer ajudar, mas acaba fazendo o deprimido se sentir ainda pior.

Como ajudar uma pessoa com depressão?

Como Ajudar um Amigo com Depressão: 11 Passos

Imagino que você soube que um familiar, um amigo ou conhecido que você ama está enfrentando um período difícil.

Você e as pessoas próximas perceberam alguns sintomas. Coisas como “ele não sai da cama”, fica em casa o dia todo assistindo TV, não se sente mais motivado a fazer o que antes gostava, se tornou “chato”, sempre está cansado e irritado.

Então, alguém diz: talvez ele (ou ela) esteja com depressão.

O que fazer?

Vamos começar com as boas atitudes que você pode ter em relação a isso.

1º passo: aprenda sobre a depressão

Você saberá ajudar mais, se conhecer mais

  1. Pode parecer óbvio, mas muitas pessoas querem saber como ajudar uma pessoa com depressão, sem nem mesmo saber o que é depressão.

  2. Informação é um dos pilares para a recuperação da doença e você poderá ajudar muito mais se conhecer exatamente o que ela é.
  3. Leia sobre o assunto.

Recomendo fortemente o nosso artigo (bem completo) chamado “O que é depressão?”.

Já será um grande passo para ajudar quem você ama.

2º passo: ouça o deprimido

Quem sofre precisa mais de um “ombro amigo” do que conselhos

Esta é uma das situações mais difíceis para o deprimido: todos querem consertá-lo, vão logo dizendo a “receita”, com palavras “motivadoras”, mostrando o que ele tem que fazer.

Nada mais insensível.

As pessoas hoje em dia têm pouca paciência para ouvir. Ouvir um deprimido, então, nem se fala!

Mas sem paciência você não obterá muito sucesso!

Sente com a pessoa e, se ela se sentir à vontade para iniciar uma conversa, dê tempo para ela falar. Deixe ela desabafar sua dor.

Depois disso, deixe ela falar um pouco mais.

Em seguida, pergunte rapidamente algo e ouça ainda mais.

Isso é muito terapêutico para a pessoa. Você estará ajudando-a a colocar sua mente em ordem simplesmente deixando-a falar.

O velho ditado já dizia que temos 2 ouvidos e 1 boca só por um motivo: saiba ouvir mais e falar menos.

O deprimido (e todas as demais pessoas) agradecem. ????

3º passo: não o julgue

Seja compreensivo, não queira “consertá-lo” com suas palavras

A depressão pode ter sido causada por diversos fatores, mas é incrível como a maioria das pessoas acha que o culpado da depressão é o próprio deprimido.

Há muitas causas da doença, por isso, não entre no mérito da questão de “culpados”.

O deprimido até pode ter tido atitudes ao longo da vida que contribuíram para o seu estado depressivo – com rancor e a amargura, por exemplo. Em todo caso não é problema nosso!

Se você quer ajudá-lo de verdade, seja um bom companheiro de viagem em direção à cura. Não é possível ser companheiro de um rígido juiz – ainda mais estando deprimido. Então seja agradável, não o julgue, deixe-o encontrar seu caminho por si só.

Fazendo assim, você deixará o deprimido amadurecer e a depressão terá sido uma forma muito benéfica de desenvolvimento pessoal quando ele sair dela.

4º passo: seja um companheiro de viagem

Ajude-o estando presente em seu dia a dia

Como comentei acima, esteja presente como um bom companheiro de viagem em direção à cura do deprimido.

Deixe-o fazer parte de sua vida, convide-o para jantar eventualmente, faça visitas amigáveis.

Ele pode aceitar – ou não – seus convites, não fique chateado com isso! Saiba que ainda que não queira sair com você eventualmente, ele terá certeza que você se importa com sua vida e não apenas com sua doença!

5º passo: seja forte por ambos

Nada melhor do que estar bem consigo mesmo

Ajudar alguém com depressão não é tarefa fácil, mas é gratificante em todos os sentidos.

Quem, afinal de contas, não gosta de ser a razão do sorriso de alguém?

No entanto, antes de cuidar do amigo ou familiar deprimido (ou mesmo de si mesmo), pergunte-se se você também está em dia com o seu equilíbrio mental.

Motivos para isso não faltam, mas vamos ao principal: você precisa estar em ordem para que as pessoas sintam a verdade em suas palavras e atitudes.

Além disso, a carga emocional envolvida ao lidar com alguém deprimido é enorme. Se você não está com as emoções balanceadas, como poderá ajudar alguém efetivamente? Pense nisso!

6º passo: compre as suas batalhas

Faça da dor dele a sua também

Uma das principais razões que nos motiva a ajudar alguém com depressão é a afinidade. O carinho que nutrimos pela pessoa, certo?!

É importante que a doença não seja um divisor de águas quando ela mais precisa de você, que as batalhas dela continuem sendo travadas na sua companhia.

Como um complemento ao que eu já vinha falando, sem julgamentos, com apoio e a compreensão efetiva dos sintomas da depressão, além de estar lá pelo ente querido, você também será um companheiro e tanto nessa jornada!

Um santo remédio contra a depressão é saber que não estamos sozinhos. Esteja, então, com ele — e por ele — em todos os momentos.

A ajuda que nem sempre ajuda

Falamos, até o momento, de atitudes e palavras que fazem a diferença de maneira positiva no tratamento contra a depressão. Mas que tal prestarmos atenção em gestos que não caem tão bem quanto imaginamos?

Leia também:  Como ajustar a altura das cordas de um baixo: 10 passos

1. Fazer comparações com terceiros

Nem sempre as boas intenções são suficientes para ajudar alguém com depressão. Prova disso é que, com pouca compreensão sobre o assunto, achamos que apontar o “gramado do vizinho menos verde do que o seu” garante motivação à pessoa.

  • Ledo engano.
  • Muitas vezes, a depressão nos deixa de cabeça tão baixa que não adianta buscar perspectivas muito à frente.
  • Passo a passo, respeitando a pessoa com depressão, conseguimos avaliar melhor a situação, sem envolver as dores alheias como remédio contra a doença.

2. Apontar culpados

  1. A vida não é justa, você já deve ter dito em algum ponto da vida, seja para si mesmo ou para os outros.
  2. E, de fato, ela não parece ser muitas vezes.

  3. Mas no tratamento da depressão apontar o dedo para culpados que agem como terceiros não tende a melhorar ou atenuar os sintomas da depressão.

Sabe o que ajuda? Identificar e analisar as verdadeiras causas que guiaram a pessoa à depressão.

A partir dela, ou delas, encontrar as saídas para que esses motivos deixem de causar insônia, apatia, tristeza e incompreensão à pessoa.

3. Minimizar a doença

Ninguém gosta de ser encurralado e a pessoa deprimida se sente constantemente assim. Mas sabe o que não ajuda, nessas situações? Encurralá-la ainda mais.

Como já disse, anteriormente, dedique-se a ouvir, compreender e ouvir um pouco mais a pessoa.

Pressioná-la contra a parede para minimizar a sua dor, sua tristeza e sua falta de interesse em realizar as tarefas cotidianas não é apenas contraprodutivo com o tratamento, como também faz mal à pessoa.

Ela não consegue sair da cama? Entenda os motivos, Não sente fome? Sente-se junto a ela, sem armas, e conversem desapressadamente.

Depressão é grave, mas mais grave ainda é tratá-la com desdém.

4. Não seja extremista

Se a pessoa acredita estar em um beco sem saída, não a encoraje a encarar o muro à frente como o fim da linha. Apresente outras saídas — simplesmente porque elas existem!

Uma pessoa deprimida já possui certezas negativas demais para ser levada a acreditar em mais argumentos extremos. Há felicidade nas incertezas da vida e você pode mostrar isso a ela.

Dia a dia trabalhem o desafio de passar por uma nova manhã com disposição para encarar o desconhecido e não a apatia em pressupor certezas que ninguém possui.

Por fim, não acredite que a depressão é o fim da linha. É apenas um desvio sobre o qual vocês contornarão, juntos, para retomar o caminho anterior à doença.

5. O momento é dele, não seu

Causos, histórias e comparações são sempre bem-vindas para elucidar um argumento, mas não faça da vida da pessoa que você quer ajudar um paralelo com a sua própria.

No calor precipitado do momento em querer ajudar, você pode se ver usando a sua própria vida, continuamente, para mostrar como você saiu de determinada situação, resolveu problemas e conquistou diante de adversidades.

Para você, são vitórias. Para o seu ouvinte, já deprimido, o efeito pode ser o oposto.

Já disse, neste mesmo texto, que devemos ser mais ouvintes do que oradores ao ajudar alguém com depressão. Deixe que ele se abra e não aproveite o momento para desabafar.

6. Não abandone a pessoa

  • Você sabe onde está embarcando ao decidir ajudar o ente querido com depressão?
  • Se sim, saiba que a jornada pode ser mais longa do que você imaginava, com mais recaídas do que você gostaria e com mais desafios do que você calculou.
  • Isso significa que, da mesma maneira que você não pode desencorajar nunca a pessoa deprimida, você também não pode ser desencorajado.
  • Você decidiu ajudá-lo e deixá-lo no meio do caminho com as próprias incertezas e inseguranças é um grande retrocesso.

A felicidade como recompensa

Como Ajudar um Amigo com Depressão: 11 Passos

  1. Espero que essa cartilha detalhada sobre como ajudar uma pessoa com depressão seja um excelente ponto de partida para que cada ação tomada seja a mais correta possível — seja para você se ajudar ou ajudar os outros.
  2. Lembre-se que não há nada mais importante, para as pessoas com depressão, do que saber que elas não estão sozinhas
  3. E elas nunca estarão, enquanto houverem pessoas dispostas a lutarem por elas e, acredite, todo o esforço vale a pena, dos menores esboços de sorriso à felicidade plena de volta à rotina da pessoa!
  4. Fiquem bem!

Como Ajudar um Amigo com Depressão: 11 Passos

Depressão: ou você tem ou você pode ajudar quem tem | Super

Trata-se de um transtorno conhecido há vários milênios. Ele consiste em uma série de sintomas que fazem a pessoa perder o interesse e o prazer pela vida, aparentemente sem motivo. A medicina sabe que a depressão provoca alterações no organismo, como dores, inflamações e baixa imunidade. As causas não são muito claras, mas sabe-se que a genética tem grande influência.4

Depressão é… um transtorno causado pelo desequilíbrio do sistema nervoso.

Depressão não é… preguiça, mau humor, estresse, desânimo, cansaço, tristeza e falta de motivação.5

2. Como saber se a pessoa tem depressão?

Não existe um teste laboratorial para o transtorno – não é algo que se descubra fazendo um exame de sangue, por exemplo. Mas, ao longo de uma extensa história de estudos da depressão, iniciada no século 5 a.C.

com o grego Hipócrates,6 a medicina chegou a uma lista de sintomas.

Além de humor deprimido, o paciente experimenta, diariamente, na maior parte do tempo, por pelo menos duas semanas consecutivas, outros quatro dos seguintes sintomas:7

  • perda ou aumento de apetite;
  • perda ou aumento de sono;
  • perda ou ganho de peso;
  • fadiga;
  • sentimento de inutilidade e baixa autoestima;
  • pensamento de morte;
  • dificuldade de atenção e memorização;
  • dificuldade para tomar decisões;
  • redução do desejo sexual;
  • agitação ou redução drástica da velocidade da fala e dos movimentos;
  • dor de cabeça.
  • Como Ajudar um Amigo com Depressão: 11 Passos

    O que acontece no cérebro?8

    Os neurotransmissores cerebrais ligados à sensação de bem-estar, em especial noradrenalina e serotonina, sofrem alterações. O resultado é uma mudança no funcionamento do córtex pré-frontal, que executa atividades cognitivas, do sistema límbico, que regula as emoções, e do hipotálamo, ligado à fome, ao sono e à libido.

    Leia também:  Como cancelar sua conta do skype (com imagens)

    3. Não é só tristeza?

    Depressão não tem nada a ver com tristeza. Alguns sintomas até podem ser parecidos, mas são problemas diferentes. Todo mundo fica triste, por horas ou dias, geralmente quando perde algo (o emprego, por exemplo) ou alguém (o pai, um amigo). Mas a depressão dura mais tempo e envolve outros sinais.5

    Característica  Tristeza Depressão
    Duração Horas a dias Semanas a meses
    Perda afetiva recente  Presente Geralmente ausente
    Autoestima Mantida Muito comprometida
    Sentir-se um peso para os outros Ausente Presente
    Desempenho em tarefas cotidianas  Geralmente preservado  Muito comprometido
    Às vezes consegue se animar  Geralmente sim  Nunca
    Sintomas corporais  Mínimos  Graves
    Lentidão psíquica e motora  Leve ou ausente  Geralmente presente
    Ideia de suicídio Improvável  Comum

    4. O que ajuda a sair dessa?

    Be-a-bá de um papo5

    Você acha que um conhecido ou familiar está exibindo sintomas do problema? Siga três passos para começar uma conversa:

    1. Faça para a pessoa uma pergunta clara e objetiva: “Você está bem?”

    2. Deixe a pessoa falar à vontade. Não interrompa, nem tente consolá-la com frases do tipo “mas você tem tudo na vida” ou “isso vai passar”.

    3. Convença a pessoa a procurar ajuda profissional. Explique a ela que esse é um problema médico que pode ser tratado.

    Como Ajudar um Amigo com Depressão: 11 Passos

    Além dos tratamentos tradicionais, existem várias estratégias para evitar crises.5 Que tal estimular e ajudar uma pessoa deprimida a:

  • praticar esportes;
  • fazer caminhadas e atividades ao ar livre;
  • meditar;
  • dedicar-se a um hobby relaxante, como pintura ou música;
  • alimentar-se de forma balanceada;
  • interagir com animais de estimação.
  • E não esqueça: a pessoa que tem depressão, ou propensão a desenvolvê-la, precisa de ajuda médica. Além disso, conversar sempre ajuda, e muito. É importante se colocar no lugar da outra pessoa e entender por onde estão passando seus pensamentos, quais são suas motivações e seus limites.

    11 maneiras de apoiar quem sofre com a depressão

    Quando você pensa em alguém que sofre de depressão, pode imaginar alguém em casa, escondido embaixo das cobertas e incapaz de sair da cama. Mas nem sempre é assim.

    Pessoas que sofrem de depressão de alto funcionamento, um dos tipos da doença, são capazes de cumprir seus objetivos, manter uma rotina diária e parecem ter uma vida bem-sucedida, explica Charlene Sanuade, terapeuta clínica do CS Counseling and Therapy. Ou seja, a doença pode estar presente, mas de forma oculta. Fica difícil ajudar, demonstrar compaixão ou até mesmo reconhecer que a pessoa precisa de ajuda. Mas o apoio é absolutamente vital.

    Eis como reconhecer os sinais e ajudar quem sofre desse tipo de depressão, segundo os especialistas.

    1. Eduque-se

    Antes de tentar ajudar quem sofre de depressão de alto funcionamento, é melhor educar-se a respeito do assunto.

    “Parte da dificuldade desse tipo de depressão é que a pessoa em geral sofre em silêncio”, diz Tanisha M. Ranger, psicóloga e proprietária da Insight to Action LLC.

    “Por exemplo, a pessoa pode não estar se acabando de chorar nem ser um poço de tristeza e desespero, pelo menos na sua frente. Mas será que elas não são críticas implacáveis de si mesmas?”, continua Ranger.

    “Parecem incapazes de sentir ou expressar alegria? São particularmente irritáveis? São perfeccionistas ou parecem incapazes de dar um tempo e relaxar? Todos esses são sinais de que elas podem estar lutando contra esse tipo de depressão particularmente insidioso.”

    É importante, no entanto, não tentar fazer o papel do terapeuta nem se considerar especialista.

    “Você pode entender as generalidades, mas as dificuldades de cada um são únicas”, explica Ranger. “Educar-se sobre depressão significa entender o que seu amigo está passando. Esteja aberto a ouvir que você não compreendeu tudo e esteja disposto a descobrir o que a outra pessoa está sentido exatamente.”

    2. Ouça e não tente consertar nada

    JGalione via Getty Images

    Só ouvir já ajuda.

    Tentar consertar as coisas é da natureza humana, mas talvez não seja isso o que seu amigo procura.

    “A ânsia de 'consertar' os outros vem do nosso desejo de atenuar nossa própria inquietação ou ansiedade. Dê um passo atrás e deixe que a pessoa indique o caminho, no tempo dela”, afirma Sanuade.

    Lisa Hutchinson, conselheira de saúde mental em Middleborough, Massachusetts, diz que, se um amigo lhe confidencia o que está sentindo, é melhor deixar que ele fale, sem fazer julgamentos e evitando dar opiniões.

    “Ouvir dessa maneira vai permitir que seu amigo sinta sua empatia e encontre suas próprias soluções”, diz Hutchinson.

    Ash Nadkarni, psiquiatra associada e instrutora da Escola de Medicina da Universidade Harvard, acrescenta que também é importante reconhecer que uma solução que funcionou para você num cenário específico pode não ser necessariamente adequada para outros. “Todas as pessoas são diferentes”, afirma ela.

    3. Seja específico em seu apoio

    Quando se oferecer para ser parte do sistema de apoio de uma pessoa com depressão de alto funcionamento, é importante explicar exatamente o que você está oferecendo.

    “A depressão muitas vezes inclui a sensação de estar sobrecarregado e incapaz de tomar decisões”, diz Cindy Adeniyi, conselheira que atua em Jonesboro, Geórgia. Adeniyi lida com depressão clínica há mais de 20 anos.

    Em vez de dizer “me ligue se precisar de algo”, seja mais específico. Ofereça-se para conversar ou diga: “Se precisar de alguém para te levar no médico, me avise no dia anterior que eu te levo”, afirma Adeniyi.

    4. Sugira programas divertidos para vocês fazerem juntos

    martin-dm via Getty Images

    Atividades leves e divertidas podem ajudar quem sofre de depressão.

    A depressão isola e rouba a energia. Mas conectar-se com pessoas e participar de atividades divertidas ajuda a aliviar os sintomas da doença.

    Leia também:  Como ajudar sua filha a superar o fim de um namoro

    “Sugerir programas divertidos a dois pode fazer muita diferença”, diz Adeniyi. Ela sugere um almoço, um filme ou uma caminhada. O que importa é a atenção individualizada.

    “Se você convidar a pessoa como parte de um grupo maior, a tendência é que elas não apareçam, ou então não interajam com os outros”, afirma ela.

    5. Faça as perguntas certas

    Quem sofre de depressão costuma ouvir perguntas como “O que você tem de errado?” e “Por que você não está feliz?”, ou então frases como “Sua vida é incrível” ou “Supere!”.

    Mas, segundo Erika Martinez , psicóloga baseada em Miami, usar esse tipo de comunicação só piora o estado de quem sofre de depressão.

    Em vez disso, ela sugere perguntar “O que está acontecendo?”, “de que você precisa para se sentir melhor?” ou “Posso fazer alguma coisa para ajudar?”

    6. Valide sentimentos

    Getty Images/iStockphoto

    Validar os sentimentos de quem sofre de depressão pode ajudar a pessoa a se sentir compreendida.

    “A principal coisa que queria que família e amigos tivessem feito é validar meus sentimentos”, diz a YouTuber Cassandra Bankson, 25, moradora de San Francisco. Isso significa que você não pode menosprezar o que as pessoas queridas estão passando.

    “Entendo que minha depressão, suas causas e seus gatilhos possam parecer irrelevantes, dramáticos demais ou desimportantes no contexto das vidas das outras pessoas. Mas, para mim, é tudo enorme”, explica Bankson.

    “Quando parentes e amigos dizem: 'Não é nada demais', me sinto mal compreendida e me afasto ainda mais. Foi muito importante ver meus sentimentos validados, ouvir claramente que é OK tê-los e OK pedir ajuda.

    7. Pequenos atos de gentileza

    Apoiar envolve ter resistência. É importante manter-se firme e ao mesmo tempo dar ao amigo o espaço que ele precisa. Não deixe de procurá-los ou se oferecer para fazer companhia, talvez para cozinhar ou ajudar na arrumação da casa, sugere Nadkarni.

    “Lembra quando você era pequeno e seus pais te preparavam um chá ou faziam sua comida favorita quando você estava pra baixo? Ajudar quem está deprimido em casa pode fazer muita diferença”, explica ela.

    Nadkarni diz também que esses pequenos atos de gentileza são especialmente importantes para quem sofre de depressão de alto funcionamento porque essas pessoas estão acostumadas a cuidar de outros, mantêm altos níveis de controle e usam mecanismos de defesa como humor ou altruísmo para lidar com sentimentos negativos.

    “Oferecer-se para cuidar de uma pessoa pode ajudá-la a tolerar uma eventual sensação de desamparo. E elas também entendem que não há nada errado em não estar no controle o tempo inteiro.”

    8. Não desista

    SolStock via Getty Images

    Aparecer só para dar um oi é uma maneira de demonstrar apoio.

    Amy Ragan Kearns, 26, teve depressão depois da morte da mãe, em dezembro de 2016. Kearns, que mora em Nova York, disse ter sido importante contar com o apoio incondicional dos amigos e parentes.

    “Mostre que a pessoa não está sozinha e que você sempre estará por perto”, diz Kearns. “Simplesmente dar um oi e lembrar a pessoa de que você está pensando nela.”

    Kearns acrescenta que a parte difícil de viver com depressão de alto funcionamento é que ela não é um exemplo típico de pessoa que tem doença mental.

    “Amigos e colegas do trabalho podem não reconhecer os sintomas, mostrar simpatia ou até mesmo acreditar que você tem depressão, pois não há sintomas tradicionais”, diz ela.

    “Você não corresponde ao que a sociedade espera de uma pessoa deprimida – não falta no trabalho, não evita atividades sociais e assim por diante.

    Ter depressão não significa ter problemas na carreira ou não ser bem-sucedida em outras áreas da vida.”

    9. Não leve as mudanças de humor para o lado pessoal

    Quem tem qualquer tipo de depressão pode se sentir para baixo sem motivos aparentes. É importante saber que essas alterações de humor não têm nada a ver com você.

    “Achar que o humor ou o comportamento da pessoa tem relação com o que você fez ou deixou de fazer não ajuda e gera ressentimento de ambas as partes”, diz Bianca L. Rodriguez, terapeuta e fundadora do You Are Complete. “Você acaba achando que está sendo punido, e a outra pessoa acha que você é egoísta e autocentrado.”

    10. Aponte sistemas de apoio externos

    Getty Images

    Uma das maneiras de apoiar que sofre de depressão é ajudar na procura de tratamento profissional.

    Por mais que você queira ajudar, nunca será capaz de dar todo o apoio que as pessoas precisam.

    “Você pode perguntar se seu amigo está fazendo terapia ou tomando remédios para entender se ela precisa ou quer algum tipo de tratamento profissional”, diz Deborah J. Cohan, professora associada de sociologia da Universidade da Carolina do Sul, em Beaufort.

    Como forma de incentivo, você também pode reiterar os benefícios da ajuda especializada.

    “Diga que você está preocupado com o bem estar da pessoa e que há muitas maneiras de obter ajuda hoje em dia, de coaching a meditação e até mesmo abordagens baseadas em nutrição”, diz Teodora Pavkovic, psicóloga e life coach. Também é essencial incentivar as pessoas a pesquisar os vários tratamentos existentes, acrescenta ela.

    11. Se você achar que a pessoa pode se agredir, fale

    “É OK dizer para um amigo que está preocupado com o bem-estar dele”, diz Lakiesha Russell, terapeuta licenciada do The Evolving Chair. Russell sugere formular um plano de ação com o amigo caso ele passe por uma crise aguda, deixando claro qual será o seu papel.

    Ansiedade e depressão, em quadrinhos

    Seja o primeiro a comentar

    Faça um comentário

    Seu e-mail não será publicado.


    *