Suv Ford Manual cor Prata com final da placa 9,0

O novo Chevrolet Tracker 2021 deveria começar a ser vendido somente no dia 21 de março, após a apresentação para a imprensa durante a semana.

Porém, muitos concessionários já iniciaram as vendas do modelo, alguns até com pronta entrega da versão topo de linha Premier. Motor1.

com teve acesso à tabela com os preços, versões e equipamentos do crossover compacto, que será vendido com valores entre R$ 82.000 e R$ 112.000 – e ainda terá uma versão PCD por R$ 70.000.

Nesta nova geração, o novo Chevrolet Tracker 2021 passa a ser produzido em São Caetano do Sul, ao invés de vir importado do México. Fruto do projeto GEM (Global Emerging Markets), ele foi desenvolvido junto com a chinesa SAIC e usa a mesma plataforma que o Onix e o Onix Plus. Também adota o mesmo motor 1.0 turbo, com a diferença que também oferece o 1.2 turbo nas versões mais caras.

Assim como foi com o Onix, o Tracker 2021 manteve os nomes LT, LTZ e Premier para suas versões. A novidade é que contará com configurações de entrada chamadas apenas de “Turbo”. Esta nomenclatura será usada para as variantes 1.0 manual, 1.0 turbo automática (exclusiva para PCD) e 1.

2 automática. Logo acima estará o LT 1.0 turbo automático, enquanto o 1.2 pula para o LTZ automático. E, por fim, o topo da linha será o modelo Premier, sempre 1.2 e sem pedal de embreagem.

Contará com uma variante para PCD logo na chegada às lojas, já que há muita demanda deste público por SUVs.

Galeria: Chevrolet Tracker Premier 2021 na concessionária

Suv Ford Manual cor Prata com final da placa 9,0

19 Fotos

Suv Ford Manual cor Prata com final da placa 9,0 Suv Ford Manual cor Prata com final da placa 9,0 Suv Ford Manual cor Prata com final da placa 9,0 Suv Ford Manual cor Prata com final da placa 9,0 Suv Ford Manual cor Prata com final da placa 9,0 Suv Ford Manual cor Prata com final da placa 9,0 Suv Ford Manual cor Prata com final da placa 9,0

Agora com produção nacional, a GM conseguirá oferecer o Tracker em grande volume e com um leque maior de versões, todas com uma lista de equipamentos bem completa para atrair os consumidores.

Vem de série com seis airbags (frontais, laterais e de cortina), controle de estabilidade e tração, roda de liga leve de 16”, central multimídia MyLink 3 com tela de 8” e compatibilidade com Android Auto e Apple CarPlay, computador de bordo com tela TFT de 3,5”, conexão 4G Wi-Fi, direção elétrica e mais (veja mais abaixo a lista completa).

A versão LT adiciona start-stop, controle de cruzeiro, câmera de ré e partida por botão. Parte destes itens são usados no 1.2 Turbo, o mais básico com esta motorização, porém ele deixa a câmera de ré e partida por botão para a variante LTZ 1.

2, que ainda ganha alerta de ponto, sensores de chuva e de luminosidade e mais.

O Tracker Premier, o mais caro, é o único com carregador wireless para smartphone, ar-condicionado digital, estacionamento automático, frenagem automática de emergência, teto-solar panorâmico e outros.

No caso do Tracker 1.0 para PCD, ele traz os mesmo itens do modelo LT 1.0, como start-stop, câmera de ré, controle de cruzeiro, travas e vidros elétricos e mais. A tabela ainda indica que terá um pacote promocional com rodas de alumínio de 16”, rack no teto na cor prata, retrovisores elétricos na cor do veículo e cobertura do porta-malas. Porém, este kit terá um período e volume limitados.

A cor básica do Tracker é a metálica Azul Eclipse. Pode ser comprado com o Branco Summit sólido, por R$ 700. As demais opções são todas metálicas: Cinza Satin Steel, Prata Switchblade, Preto Ouro Negro e Vermelho Chili, todas por R$ 1.600. A versão Premier tem uma tonalidade exclusiva, a metálica Azul Power, também por R$ 1.600.

Galeria: Chevrolet Tracker 2021 – Imagens do site

Suv Ford Manual cor Prata com final da placa 9,0

28 Fotos

As configurações mais básicas adotam o mesmo 1.0 turbo de três cilindros e injeção indireta do Onix e Onix Plus. Ele entrega 116 cv a 5.500 rpm, com etanol ou gasolina, enquanto o torque pode ser de 16,3 kgfm (gasolina) e 16,8 kgfm (etanol, a partir de 2.000 rpm. Pode trabalhar com o câmbio manual ou automático, ambos de 6 marchas.

É o primeiro carro com esta plataforma a usar o 1.2 turbo, também de três cilindros e injeção direta. Usado nas versões mais caras, ele trabalha exclusivamente com a transmissão automática de 6 marchas, gerando 132 cv a 5.500 rpm e 19,4 kgfm a 2.000 rpm, com gasolina. Quando abastecido com etanol, os valores passam para 133 cv e 21,4 kgfm.

MODELO CONSUMO CIDADEETANOL CONSUMO ESTRADAETANOL CONSUMO CIDADEGASOLINA CONSUMO ESTRADAGASOLINA
Tracker 1.0 Turbo MT6 9,0 km/litro 10,4 km/litro 13,0 km/litro 14,8 km/litro
Tracker 1.0 Turbo AT6 8,2 km/litro 9,6 km/litro 11,9 km/litro 13,7 km/litro
Tracker 1.2 Turbo AT6 7,7 km/litro 9,4 km/litro 11,2 km/litro 13,5 km/litro

Como antecipado por Motor1.

com, o novo Chevrolet Tracker medirá 4,27 metros, 1,79 m de largura, 1,62 m de altura e 2,57 m de entre-eixos, com um porta-malas com capacidade para 393 litros (contra os 390 litros do modelo chinês), subindo para 1.294 litros com a segunda fileira de bancos rebatida. Como comparação, o Tracker atual tem 2,55 m de entre-eixos e 4,25 m de comprimento, com um porta-malas de 306 litros.

Com estas medidas, o modelo da GM tem o mesmo comprimento que o Hyundai Creta e perde apenas para os 4,29 m do Honda HR-V, superando o Jeep Renegade (4,23 m) e o Volkswagen T-Cross (4,19 m).

Em compensação, seu entre-eixos é um dos menores do segmento, empatando com o Renegade, mas bem abaixo de Creta (2,59 m), T-Cross (2,65 m) e HR-V (2,61 m). O porta-malas de 393 litros fica no meio termo.

É maior dos que os 373 l do T-Cross e os 320 l do Renegade, mas está longe dos 431 l do Creta e 437 l do HR-V.

A GM havia dito que o Chevrolet Cruze reestilizado iria iniciar a estratégia de oferecer internet 4G Wi-Fi para todos os seus veículos. A marca está cumprindo a promessa e o Tracker vem com a mesma tecnologia, garantindo que ele esteja sempre conectado sem a necessidade do motorista compartilhar a internet de seu smartphone.

Leia também:  Picape Toyota usados com final da placa 9,0

Porém, isso tem um custo, da mesma forma que o sistema OnStar. O crossover vem com três meses grátis ou 3 GB de uso (o que acontecer primeiro). Depois disso, o cliente terá que comprar um dos planos oferecidos pela fabricante, em parceria com a Claro. Veja os planos, preços e pacote de dados:

PLANO PACOTE DE DADOS PREÇO
Navegação + música 2 GB R$ 29,90
Carona 5 GB R$ 39,90
Corporativo 10 GB R$ 59,90
Família 20 GB R$ 84,90

Versões e preços do Chevrolet Tracker 2021:

  • Chevrolet Tracker 1.0 Turbo MT (R$ 82.000): 6 airbags, alarme, assistente de partida em rampas, controles de tração e estabilidade, faróis e lanterna de neblina, indicador de vida útil do óleo, luz de condução diurna, regulagem de altura dos faróis, fixação de cadeiras infantis Isofix e Top Tether, ABS, maçanetas e rack do teto em preto, maçanetas internas em prata, rodas de 16″ em alumínio, ar-condicionado, coluna de direção com regulagem de altura e profundidade, computador de bordo com informações de viagem, veículo e consumo, direção elétrica, espelhos retrovisores externos elétricos em preto, câmbio manual de 6 marchas, travas elétricas, vidros elétricos com acionamento tipo um toque e antiesmagamento, cobertura do porta-malas, banco traseiro bipartido, sistema multimídia MyLink com tela de 8″ com espelhamento de smartphones por Apple CarPlay e Android Auto, USB para o banco traseiro, painel de instrumentos com tela de 3,5″, volante com comandos de som, OnStar e conexão 4G a bordo;
  • Chevrolet Tracker LT 1.0 Turbo AT (R$ 89.900): Turbo MT + câmbio automático de 6 marchas com opção de trocas manuais, grade frontal com detalhes cromados, espelhos e maçanetas externos na cor do carro, rack do teto em prata, câmera de ré, piloto automático, abertura de portas com chave presencial, partida por botão e start-stop;
  • Chevrolet Tracker 1.2 Turbo AT (R$ 90.500): 1.0 Turbo MT + motor 1.2 turbo, câmbio automático de 6 marchas, start-stop e piloto automático;
  • Chevrolet Tracker LTZ 1.2 Turbo AT (R$ 99.900): 1.2 Turbo AT + grade frontal cromada, maçanetas e retrovisores na cor do carro, rack do teto em prata, câmera de ré, abertura de portas com chave presencial, partida por botão, alerta de ponto-cego, rodas de 17″, sensor de luz, sensor de chuva, volante esportivo em couro com comandos de som e bancos em tecido e couro;
  • Chevrolet Tracker Premier 1.2 Turbo AT (R$ 112.000): LTZ + painel de instrumentos com tela de 3,5″ colorida, alerta de colisão frontal, faróis em LED, lanternas em LED, friso cromado nas janelas, maçanetas internas cromadas, ar-condicionado automático, carregador de smartphones por indução, sistema de estacionamento automático, espelho retrovisor interno fotocrômico, teto-solar elétrico, frenagem automática em baixa velocidade e bancos em couro.
  • Chevrolet Tracker 1.0 Turbo AT (PCD) (R$ 70.000): Turbo LT 1.0 Turbo, mas com 12 meses de garantia e pacote promocional por tempo limitado com as rodas de 16″, rack de teto, maçanetas na cor do carro e cobertura do porta-malas.

Novo Chevrolet Tracker 2020 tem preço a partir de R$ 82 mil

Suv Ford Manual cor Prata com final da placa 9,0 Suv Ford Manual cor Prata com final da placa 9,0

O coronavírus deteve o impacto do laçamento do Tracker, que ocorreria em breve. Com isso, a Chevrolet resolveu colocar todas as informações de seu novo SUV já em seu site de vendas. A grande novidade é o motor 1.2 turbinado flexível que gera até 133 cv a 5.500 rpm e 21,4 kgfm de torque a 2 mil giros. Ele é derivado do três cilindros usados em outros carros da marca e estreia no Tracker.

CURTA O CANAL DO JORNAL DO CARRO NO YOUTUBE

O outro motor disponível é 1.0 turbo de até 116 cv a 5.500 rpm e 16,8 mkgf a 2.000 rpm. Com opção de câmbio manual ou automático de seis marchas. Este propulsor equipará apenas as versões mais básicas do carro. As de topo receberão o 1.2, que só se junta à transmissão automática.

Os preços variam bastante, em R$ 20 mil. Veja a lista das versões:
Novo Tracker 1.0 Turbo MT: R$ 82.000
Novo Tracker 1.0 Turbo LT: R$ 89.900
Novo Tracker 1.2 Turbo LTZ: R$ 99.900
Novo Tracker 1.2 Turbo AT: R$ 90.500

Novo Tracker 1.2 Turbo Premier: R$ 112.000

Suv Ford Manual cor Prata com final da placa 9,0

Um dos pontos fortes do Tracker 2020 salientados pela Chevrolet é o consumo dos motores. Os dados do programa de etiquetagem do Inmetro revelam mesmo ótimas médias. O 1.0 manual faz 13,0 km/l e 14,8 km/l (urbano/rodoviário) com gasolina e 9,0 km/l e 10,4 km/l (urbano/rodoviário) com etanol.

Já o 1.0 AT faz 11,9 km/l e 13,7 km/l (urbano/rodoviário) com gasolina e 8,2 km/l e 9,6 km/l (urbano/rodoviário) com etanol. O 1.2, apesar de ser bem mais potente, surpreende ainda mais pelas médias bem parecidas com as do 1.0, com 11,2 km/l e 13,5 km/l (urbano/rodoviário) com gasolina e 7,7 km/l e 9,4 km/l (urbano/rodoviário) com etanol.

Leia também:  Hatch Ford Ka 2020 com Vidro elétrico

Suv Ford Manual cor Prata com final da placa 9,0

O novo Tracker tem 4,27 metros de comprimento, 1,79 metro de largura, 1,62 metro de altura e 2,57 metros de distância entre-eixos. Já o porta-malas tem 393 litros no total, cerca de 40 litros a menos que seus concorrentes mais fortes.

Suv Ford Manual cor Prata com final da placa 9,0

Novo Tracker tem wi-fi

São sete as cores disponíveis e a lista de equipamentos se parece muito com a do novo Onix. O Tracker tem de série seis air bags, controles de tração e estabilidade, sistema MyLink multimídia com tela de oito polegadas e wi-fi, com pacotes que permitem conectar até sete aparelhos com planos de dados de 2GB por R$ 29,90, 5GB por R$ 39,90, 10 GB por R$ 59,90 e 20 GB por R$ 84,90.

Suv Ford Manual cor Prata com final da placa 9,0

Nas versões de topo, o SUV tem alerta de colisão frontal com frenagem de emergência e de ponto cego e assistência de partida em rampa. E mais teto solar panorâmico, câmera de ré, estacionamento automático, acendimento automático dos faróis, ar-condicionado digital de duas zonas, partida sem chave e o já famoso carregamento de celular por indução.

Suv Ford Manual cor Prata com final da placa 9,0

Chevrolet Onix Plus LTZ 1.0 Turbo Automatico

Novo Chevrolet Tracker parte de R$ 82.000: preços, versões e equipamentos

Divulgação/Chevrolet

A GM lançou nesta semana o site oficial da nova geração do Chevrolet Tracker.

Embora o lançamento oficial esteja previsto para acontecer entre as próximas quarta (18) e quinta-feira (19), o endereço já traz informações completas sobre o SUV compacto, incluindo preços, versões e fichas técnicas.

Ou seja: fim do mistério. O modelo será oferecido em cinco versões para pessoas físicas (sem levar em conta a configuração para PcD), a preços entre R$ 82.000 e R$ 112.000.

Lanternas de led serão exclusividade da versão Premier Divulgação/Chevrolet

Esta última etiqueta confirma a informação antecipada por QUATRO RODAS há cerca de um mês, e comprova que algumas concessionárias já estão praticando ágio em relação ao veículo.

Também corroborando nossos prognósticos do início de 2019, o novo Tracker será vendido em duas variantes do motor três-cilindros turbo flex da família CSS Prime, ambos sem injeção direta.

Tracker será produzido em São Caetano do Sul (SP) Divulgação/Chevrolet

O 1.0 já é conhecido de Onix e Onix Plus. Rende 116 cv e 16,8 kgfm quando abastecido com etanol. Já o 1.2 é inédito no Brasil e gera 133 cv e 21,4 kgfm com o combustível vegetal, sendo 132 cv e 19,4 kgfm usando gasolina no tanque.

Apenas a versão de entrada com propulsor de menor capacidade cúbica oferece a opção de câmbio manual de seis marchas. As demais serão vendidas sempre com a caixa automática de seis relações de origem GM. Confira os preços:

Continua após a publicidade

  • Tracker 2021 1.0 turbo: R$ 82.000
  • Tracker 2021 LT 1.0 turbo: R$ 89.900
  • Tracker 2021 1.2 turbo: R$ 90.500
  • Tracker 2021 LTZ 1.2 turbo: R$ 99.900
  • Tracker 2021 Premier 1.2 turbo: R$ 112.000

Faróis com projetor são de série em todas as versões, mas led aparece apenas na Premier Divulgação/Chevrolet

Itens de série

A nova geração do Chevrolet Tracker se notabiliza por não oferecer pacotes opcionais. O único custo extra além do preço de tabela se refere às pinturas metálicas e perolizadas. Veja o que cada versão traz de fábrica:

Tracker 1.

0 turbo MT – Seis airbags; controles de estabilidade e tração com assistente de rampas; alarme; chave canivete; conjunto óptico dianteiro com projetor nos faróis (incluindo regulagem de altura do facho), luzes de neblina e luzes diurnas de led; grade frontal com detalhes em prata; maçanetas externas pretas e internas prateadas; barras longitudinais de teto pretas; rodas de liga leve aro 16; travas, vidros, retrovisores e direção elétricos; ar-condicionado manual; volante multifuncional com ajuste de altura e profundidade; banco do motorista com regulagem de altura; controle de cruzeiro; computador de bordo digital de 3,5″ com indicador de troca de marcha; aviso sonoro de uso de cintos dianteiros e traseiros; cintos dianteiros com pré-tensionadores e ajuste de altura; sensores traseiros de estacionamento; bancos de tecido; central MyLink de 8 polegadas com projeção de celulares Android e Apple, Bluetooth para até dois celulares, entrada USB dianteira e traseira, seis alto-falantes e ponto de Wi-Fi nativo para até sete celulares simultâneos.

Volante multifuncional e central de 8 polegadas vêm de série em qualquer versão Divulgação/Chevrolet

Tracker 1.

2 turbo AT – Acrescenta ao pacote anterior: start/stop.

Assim como no Onix, câmbio automático não vem com borboletas, trazendo somente botões para trocas manuais no modo L Divulgação/Chevrolet

Tracker LT 1.0 turbo AT – Acrescenta ao pacote anterior: adesivo preto na coluna B; grade dianteira com detalhes cromados; maçanetas externas na cor do veículo; rack de teto na cor prata; câmera de ré; chave com sensor presencial; partida do motor por botão; star-stop; capas dos retrovisores externos na cor do veículo; luzes internas individuais para motorista e passageiro.

Partida do motor por botão vem a partir da versão LT Divulgação/Chevrolet

Tracker LTZ 1.2 turbo AT – Acrescenta ao pacote anterior: alerta de ponto cego; rodas de liga leve aro 17; volante com revestimento que simula couro; faróis e limpadores de para-brisa com acendimento automático; bancos com revestimento parcial que simula couro junto ao tecido.

Leia também:  Carros Honda City Automático em São Paulo Não blindado

Revestimento total em couro com dois tons é mimo exclusivo do Tracker Premier Divulgação/Chevrolet

Tracker Premier 1.

2 turbo AT – Acrescenta ao pacote anterior: alerta de colisão frontal com frenagem automática emergencial; faróis com projetor de led e luzes auxiliares de conversão e manobras; lanternas traseiras de led; maçanetas externas com detalhes e internas totalmente cromadas; para-choques com apliques em prata fosco; rodas aro 17 com desenho exclusivo; indicador de distância para o veículo à frente; monitoramento de pressão dos pneus; frisos cromados na base dos vidros laterais; ar-condicionado automático e digital; carregador de celular sem fio; assistente automático de estacionamento; descansa-braço traseiro com dois porta-copos; retrovisores externos com luz de seta integrada; computador de bordo colorido; bancos revestidos totalmente de material que simula couro; acabamento interno bicolor nas cores preta e azul; teto solar panorâmico.

Teto solar panorâmico vem de série na versão de topo Divulgação/Chevrolet

Todas as versões terão três anos de garantia e seis opções de cores: branco (sólida); cinza, azul, prata, preto e vermelho (metálica). Mas só a versão Premier poderá vir pintada na cor de lançamento Azul Power.

Já o Wi-Fi embarcado terá preços iguais aos do Onix, com três meses ou 3GB de uso gratuito para degustação.

Continua após a publicidade

  • Lançamento de carro
  • suvs compactos

Licenciamento do carro 2021: veja prazos, valores e descontos em cada estado

O Certificado de Registro e Licenciamento do Veículo (CRLV), conhecido popularmente como licenciamento, é um documento de renovação anual obrigatória. Ele é a garantia de que o veículo está regularizado para circular sem problemas. 

Diferente do Imposto sobre Propriedade dos Veículos Automotores (IPVA), que oferece a isenção para alguns veículos devido ao tempo de fabricação, todos os automotores têm de estar licenciados. 

Leia também: IPVA 2021: saiba como pagar com desconto nos principais estados

Vale lembrar ainda que, neste ano, veículos isentos por tempo de uso terão apenas o licenciamento para ser pago, já que o Seguro DPVAT não será cobrado.

No estado de São Paulo, a taxa cobrada para emissão do documento no exercício de 2021 é de R$ 98,91 para todos os veículos até a próxima quinta-feira (14). A partir de sexta (15), o valor será mantido para os usados, mas subirá a R$ 131,80 para a regularização de veículos zero-quilômetro – sem o desconto de 40%.

O pagamento antecipado da taxa poderá ser feito até 31 de maio, de acordo com o Detran-SP. Caso o proprietário não queira realizar a quitação neste primeiro período, poderá aguardar até a abertura do calendário anual, que começa em 1º de abril para veículos leves e 1º de setembro para pesados. Ambos terminam em dezembro. Confira as datas para os leves:

  • Placa com final 1: vencimento em abril
  • Placa com final 2: vencimento em maio
  • Placa com final 3: vencimento em junho
  • Placa com final 4: vencimento em julho
  • Placa com final 5: vencimento em agosto
  • Placa com final 6: vencimento em agosto
  • Placa com final 7: vencimento em setembro
  • Placa com final 8: vencimento em outubro
  • Placa com final 9: vencimento em novembro
  • Placa com final 0: vencimento em dezembro

Leia também: Quais carros mais subiram e quais mais caíram nas vendas em 2020?

O documento pode ser pago via caixa eletrônico, aplicativo ou internet banking dos bancos conveniados, que são: Banco do Brasil, Bradesco, Caixa Econômica Federal, Itaú, Safra e Santander. Além disso, lotéricas também recebem o pagamento.

Lembrando que neste ano o documento será digital e não mais enviado à residência do proprietário. Após o pagamento da taxa, o documento ficará liberado para download ou impressão.

Quem optar pelo uso digital poderá realizar o download do documento no aplicativo Carteira Digital de Trânsito (CDT) e mantê-lo no celular. Já a impressão poderá ser feita em papel sulfite comum.

A consulta poderá ser feita nos portais: poupatempo.sp.gov.br; detran.sp.gov.br; portalservicos.denatran.serpro.gov.br.

Leia também: Estes 10 carros serão os principais lançamentos de 2021 

Entre os principais estados do país, São Paulo foi o único a adotar prazo limite com reajuste para veículos zero-quilômetros. Outras unidades federativas, o valor da cobrança é igual para novos, seminovos e usados.

Outros estados como Rio de Janeiro e Mato Grosso, por exemplo, estipularam valores de R$ 219,37 e R$ 126,06, respectivamente, como padrão para regularização dos veículos. Nem todos os estados divulgaram os valores para quitação. 

No entanto, com o número do Renavam do veículo, o proprietário pode ter acesso à tabela de preços para realizar o pagamento. Para mais informações sobre a quitação do licenciamento em seu estado, clique sobre o link correspondente:

Talvez você também se interesse por:

Carro automático abaixo de R$ 60 mil virou lenda. Veja os mais baratos
Como dirigir um carro automático: aprenda de forma simples
Qual câmbio é melhor para você: manual ou automático?
Qual câmbio é melhor para você: manual ou automático? 

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*