Sedan Renault usados com Ar condicionado

Um zero-quilômetro está caro? Quando se vê muito modelo subcompacto com o mínimo de itens de conforto custar R$ 35 mil, bate um desespero. Mas há boas opções de automóveis mais completos e até espaçosos por bem menos que isso. São carros rodados, que exigem pesquisa e atenção, obviamente, mas que podem atender muito bem e custam até R$ 20 mil.

VEJA TAMBÉM:

10 carros usados até R$ 20 mil

Selecionamos alguns veículos em sites especializados, como Webmotors e OLX. Veja os 10 usados baratos para você comprar: qualquer um deles pode servir como primeiro carro ou até mesmo assumir a vaga de veículo da família. Confira!

10 – Peugeot 207 Escapade 2010

Sedan Renault usados com Ar condicionadoEscapade seguiu visual do hatch

  • Preços: entre R$ 17 mil e R$ 20 mil
  • Motor: 1.6 16V de 113/110 cv e 15,5/14,2 kgfm
  • Bom: acabamento, desempenho e equipamentos
  • Ruim: porta-malas
  • Atenção: suspensão e parte elétrica

Para quem sente saudades das stations wagons, a Escapade é uma opção de perua com desempenho interessante e visual aventureiro. Usa motor 1.6 16V de 113/110 cv, além dos itens indispensáveis do universo off-road Light. Estão lá os pneus de uso misto, a suspensão elevada, além do visual com molduras nas caixas de rodas, laterais e nos para-choques, faróis escurecidos e rack no teto.

Também tem bons equipamentos e, com sorte, se encontra exemplares com seis airbags e bancos de couro, que eram opcionais.

9 – Fiat Stilo 2007/2008

Sedan Renault usados com Ar condicionado

  1. Preços: entre R$ 16 mil e R$ 19 mil
  2. Motor: 1.8 8V de 114/112 cv e 18,5/17,8 kgfm
  3. Bom: retomadas, conforto e dirigibilidade
  4. Ruim: curso e acerto do câmbio manual
  5. Atenção: embreagem e fuja da transmissão Dualogic

O Stilo é um daqueles bons hatches que a Fiat não soube vender (tal qual Brava e Bravo). Mas esses carros são confortáveis, com posição de dirigir ergonômica e nível de equipamentos interessante: é possível até achar um com airbag duplo opcional por até menos que o limite de R$ 20 mil.

O desempenho do motor 1.8, de origem GM (Família I) é bem animador, especialmente em baixas rotações. Só não é melhor devido ao câmbio manual de cinco marchas mal escalonado, com curso longo e engates esponjosos.

8 – Renault Logan 2011

Sedan Renault usados com Ar condicionadoLogan quando foi lançado

  • Preços: entre R$ 17 mil e R$ 20 mil
  • Motor: 1.6 8V de 95/92 cv e 14,1/13,7 kgfm
  • Bom: espaço interno, desempenho em baixa e custo de peças
  • Ruim: acabamento e posição de dirigir
  • Atenção: vazamentos na transmissão e peças plásticas do interior

O Logan foi o modelo que inaugurou a era de sedãs com tamanho de médio e preço de compacto. Para quem não liga para beleza exterior – nem interior -, o “irmão” do Renault Sandero é um daqueles carros racionais, espaçosos, com porta-malas generoso e robustos: e, claro, custa até R$ 20 mil.

As versões com o propulsor 1.6 Hi-Torque tem desempenho áspero, mas bem melhor disposto que o motor 1.0 e mais barato de manter do que o 1.6 16V Hi-Flex. Além disso, oferece boa força em baixas rotações.

7 – Chevrolet Corsa 2011

Sedan Renault usados com Ar condicionado

  1. Preços: entre R$ 16 mil e R$ 20 mil
  2. Motor: 1.4 8V de 105/99 cv e 13,4/13,2 kgfm
  3. Bom: dirigibilidade, comportamento dinâmico e desempenho em baixa
  4. Ruim: acerto do câmbio e equipamentos
  5. Atenção: peças plásticas do interior e folgas no câmbio

A segunda geração do Corsa, lançada em 2002, nunca fez o sucesso que merecia por aqui. Até porque conviveu com o modelo da geração anterior (de 1994), bem mais barato. Mas o hatch é gostoso de dirigir, fácil de estacionar e com comportamento dinâmico bastante satisfatório para um modelo urbano.

A versão Maxx era a intermediária com melhor custo/benefício, mas não empolga na lista de itens de série. O motor 1.4 oferece bom desempenho em baixos giros.

6 – Nissan Tiida 2007/08

Sedan Renault usados com Ar condicionadoNissan Tiida Flex.

  • Preços: entre R$ 18 mil e R$ 20 mil
  • Motor: 1.6 16V de 124 cv e 17,5 kgfm
  • Bom: espaço interno, conforto e lista de equipamentos
  • Ruim: motor não é flex e peças caras
  • Atenção: trepidações no volante e parte elétrica

Outro hatch mal compreendido. Vinha do México e usava plataforma do primeiro Sentra vendido no Brasil e tinha nível de equipamentos bastante completo. O conforto no rodar era um dos destaques do hatch médio e, apesar da transmissão automática ter só quatro marchas, vale pela praticidade.

O motor 1.6 16V rende bem, mas fique atento ao custo de manutenção. As versões SL eram as mais completas com airbag duplo, teto-solar e ar-condicionado automático.

5 – Renault Mégane 2007

Sedan Renault usados com Ar condicionado

  1. Preços: entre R$ 15 mil e R$ 19 mil
  2. Motor: 2.0 16V de 138 cv e 19,2 kgfm
  3. Bom: conforto, lista de equipamentos e dirigibilidade
  4. Ruim: não é flex e escalonamento do câmbio
  5. Atenção: trepidação dos pedais e módulo da direção elétrica

Sedã com nível de conforto acima da média, foi mal posicionado pela Renault, que o lançou um mês antes do New Honda Civic de 2006 com preços bastante próximos. Mas virou boa opção de seminovo e tem lá suas modernidades, como o cartão chave com partida do motor por botão, direção elétrica e a alavanca do câmbio em forma de manche.

O motor 2.0 16V ainda compensa com desempenho condizente e rodar suave, além da conveniência da caixa automática de quatro marchas. Versão Dynamique tem duplo airbag frontal e regulagem de altura dos faróis.

4 – Toyota Corolla 2003

Sedan Renault usados com Ar condicionado

  • Preços: entre R$ 18 mil e R$ 20 mil
  • Motor: 1.8 16V de 136 cv e 17,5 kgfm
  • Bom: conforto, reputação da marca e comportamento dinâmico
  • Ruim: acabamento e equipamentos
  • Atenção: ruídos na suspensão traseira

Sim, é possível encontrar um Corolla por até R$ 20 mil: porém, para figurar em nossa lista de carros acessíveis, a unidade pretendida já terá muitos anos de uso. Ainda assim, a fama de veículo sólido vem de outras gerações e nessa linhagem (a nona geração mundial).

Assista ao vídeo e saiba mais sobre a atual geração do Toyota Corolla:

O cultuado sedã médio tinha o competente motor 1.8 de 136 cv, com mecânica simples e rodar confortável. A versão XEi oferecia caixa automática em 2003 – mas esses passam dos R$ 20 mil – e a lista de equipamentos poderia ser mais generosa.

3 – Volkswagen Polo 2004/2005

Sedan Renault usados com Ar condicionadoFoto Divulgacao/VW – Volkswagen Polo Next.

  1. Preços: entre R$ 17 mil e R$ 19 mil
  2. Motor: 1.6 8V de 103/101 cv e 14,5/14,3 kgfm
  3. Bom: desempenho, qualidade de construção e estabilidade
  4. Ruim: acabamento e custo de algumas peças
  5. Atenção: compressor do ar e ruídos na direção e na suspensão dianteira

O Polo representou um grande salto para a Volkswagen em 2002 devido à plataforma moderna, com soldas a laser e carroceria com rigidez exemplar. Some a isso o velho, mas competente, motor 1.6 e sua caixa manual de engates curtos e precisos e se tem um hatch com desempenho divertido para a cidade e para a estrada – é quase tão bom como o 2.0, só que consome menos.

Boris Feldman dirigiu a atual geração do Polo: assista ao vídeo!

O acabamento com muito plástico é que deixa a desejar e costuma ficar barulhento com o passar do tempo. Ainda assim, o acabamento é melhor que o do “irmão” Volkswagen Gol. As versões Sportline e Comfortline são as dicas, mas é preciso pesquisar para achar os modelos flex – passou a beber dos dois combustíveis em 2004. Pelo menos, neste ano ainda usa os simpáticos faróis duplos redondos.

2 – Ford Focus 2007

Sedan Renault usados com Ar condicionado

  • Preços: entre R$ 18 mil e R$ 20 mil
  • Motor: 1.6 8V de 103 cv e 14,6 kgfm
  • Bom: comportamento dinâmico, acerto da suspensão e desempenho
  • Ruim: custo de manutenção e isolamento acústico
  • Atenção: falhas na injeção e ruídos na direção
Leia também:  Carros Mitsubishi usados com Volante com regulagem de altura a Flex

A primeira geração do hatch médio tem um dos melhores acertos de suspensão da história da indústria. Fora isso, o Focus ainda carregava uma pegada esportiva para rivalizar com o Volkswagen Golf. Mesmo o motor 1.6 Zetec Rocam a gasolina agrada com arrancadas convincentes e belíssimas retomadas.

  • Você viu? Ford Focus saiu de linha e não terá substituto direto

A dirigibilidade e estabilidade são outros pontos fortes que até se sobressaem à fama de custo de manutenção salgado do Ford. A versão GLX tinha boa lista de itens de série.

1 – Honda Civic 2005

Sedan Renault usados com Ar condicionado

  1. Preços: entre R$ 18 mil e R$ 20 mil
  2. Motor: 1.7 16V de 115 cv e 15,2 kgfm
  3. Bom: conforto, dirigibilidade e comportamento dinâmico
  4. Ruim: acerto da suspensão e não é flex
  5. Atenção: ruídos nos pedais e seminovos desalinhados

Também dá para ter um Civic por até R$ 20 mil, mas, novamente, é preciso voltar bastante no tempo para enquadrá-lo entre os carros dessa faixa de preço. O último ano desta geração do sedã médio, contudo, carrega as virtudes da linha. Dinâmica eficiente, nível de conforto superior, equilíbrio no rodar e lista de equipamentos interessante.

As versões LX ou LXL são as pedidas, ainda mais com o câmbio automático de quatro marchas que proporciona conforto extra e tem melhor liquidez. O motor 1.7 se vale de desempenho competente e suave, mas fique atento aos preços de peças.

E você, recomenda outros carros até 20 mil reais? Deixe sua sugestão nos comentários!

Fotos Divulgação

Superguia: carro usado na garantia sai até 30% mais barato que um zero-km

Pesquisamos doze ofertas: três opções em quatro faixas de preços Fernando Pires/Quatro Rodas

Cheiro de carro novo não tem preço. Ou melhor, tem sim: é sempre mais caro que o de um seminovo. Mesmo que esse seminovo ainda exale odores de juventude.

É certo que um carro zero tem garantia de fábrica integral e nenhum defeito ou risco na pintura (pelo menos não deveria).

Mas o mercado de seminovos está cheio de boas opções, que já sofreram a desvalorização pelo fato de serem usados. Pensando nisso, apresentamos aqui alguns exemplos.

Encontramos carros em média 30% mais baratos que seus pares zero-quilômetro.

Reunimos os modelos em quatro faixas de preço – R$ 35.000, R$ 50.000, R$ 80.000 e R$ 110.000 tendo sempre um zero-quilômetro como referência. Ao todo, listamos 12 seminovos. Os interessados em outras faixas de preço, porém, podem fazer seu próprio levantamento.

Em nossa busca, optamos por considerar seminovos ainda no prazo de garantia de fábrica. Concentramos a pesquisa em um só lugar: o Auto Shopping Global, localizado em Santo André (SP), que tem 68 lojas.

Mas não se preocupe se você não pode ir até lá ou se os carros já foram vendidos: os modelos e preços são equivalentes à média do mercado. Portanto, arregace as mangas, faça sua pesquisa e descubra as vantagens.

Carro zero km até R$ 35.000

Renault Kwid Life 1.0 12V (R$ 34.790)

O Kwid é um dos Zero km mais baratos do mercado Fernando Pires/Quatro Rodas

O Kwid é um compacto 1.0 de 70 cv e equipamentos como quatro airbags, Isofix em dois pontos, predisposição para som, rodas de aço e direção mecânica. No mercado há alternativas de seminovos maiores e mais equipados e potentes.

Carros seminovos até R$ 35.000

Chevrolet Onix Joy 1.0, 2018, (R$ 35.900)

Bem conservado, este Joy rodou 31.000 km Fernando Pires/Quatro Rodas

O Onix 2018 tem o visual da versão Joy da geração anterior, atualizada este ano, mas é maior que o Renault Kwid e a unidade à venda já traz sistema de som e ar-condicionado, além de duplo airbag e freios ABS.

Com apenas 31.000 km rodados, esse Onix está bem conservado por dentro e por fora
e seus pneus ainda demonstram disposição para rodar mais 30.000, sem precisar de troca.

Renault Sandero Expression 1.0, 2017, (R$ 34.790)

Sandero seminovo com preço de Kwid Zero Km Fernando Pires/Quatro Rodas

Com preço idêntico ao de um Kwid, este Sandero traz ar-condicionado, banco do motorista com regulagem de altura, computador de bordo, rádio
e CD-player e sensor de estacionamento, que na época era vendido como opcional.

Com mais espaço na cabine, o Sandero oferece porta-malas ligeiramente maior que o do Kwid: são 320 litros contra 290 litros. Está com 46.000 km.

Nissan March S 1.6, 2017, (R$ 35.000)

March S vem com motor 1.6 flex de 111 cv Fernando Pires/Quatro Rodas

Este compacto tem um porta-malas com apenas 265 litros. Mas seu principal atrativo é o motor 1.6 flex com 111 cv. Seu câmbio é manual de cinco marchas e, entre os equipamentos, os destaques são ar-condicionado, direção elétrica e vidros, travas e retrovisores elétricos.

Ele rodou 44.000km e, por ser um modelo de único dono, ainda traz manual do proprietário e chave reserva.

Carro zero km até R$ 50.000

Chevrolet Onix Joy 1.0, (R$ 48.690)

O Joy 2020 ganhou o visual adotado na Linha Onix LT/LTZ 2019 Fernando Pires/Quatro Rodas

A versão Joy está sempre defasada em relação à linha Onix. Mas como a linha Onix mudou este ano, a Joy também foi atualizada. A Joy 1.0 de 80 cv traz ar-condicionado, direção elétrica, chave canivete, Isofix, rodas de aço e preparação para som.

Carros seminovos até R$ 50.000

Ford Ka Sedan 1.5 SE, 2018, (R$ 46.900)

Bem equipado, o Ka Sedan 1.5 SE tem porta-malas com 445 litros de capacidade Fernando Pires/Quatro Rodas

Além de custar menos, este Ka sedã oferece motor 1.5 flex de 110/105 cv e porta-malas de 445 litros (no do Onix cabem 289 litros). Com apenas 24.000 km rodados, ele ainda tem dois anos de garantia e seu estado de conservação é muito bom.

Entre os equipamentos, conta com bancos de couro, sensor de ré, ar-condicionado, trio elétrico e banco do motorista e volante com ajustes de altura.

Nissan Versa SV 1.6 CVT, 2018, (R$ 49.900)

O Versa é um sedã médio com preço de sedã compacto Fernando Pires/Quatro Rodas

Sedã médio com preço de compacto, o Versa ganha nova geração no segundo trimestre de 2019, o que deve acelerar a desvalorização do modelo atual. Mas ainda assim ele merece atenção.

Além do porta-malas de 460 litros e do câmbio automático CVT, ele traz ar-condicionado, trio elétrico e rodas de liga leve. A versão SV 1.6 CVT, que é uma das mais completas da linha, zero-km custa R$ 66.490.

Hyundai HB20S Comfort Plus 1.6 Aut., 2017, (R$ 52.900)

Seu motor 1.6 de 128 cv vem acoplado ao câmbio automático de seis marchas Fernando Pires/Quatro Rodas

Este Hyundai está um pouco acima do preço, mas é uma escolha defensável. Ele é único dono, tem manual do proprietário e chave reserva, e está bem conservado. O HB20S traz trio elétrico, sistema de som, volante multifuncional.

Seu motor 1.6 gera 128/122 cv (etanol/gasolina) de potência
e o câmbio automático de seis marchas tem opção de trocas no modo manual.

Carro zero km até R$ 80.000

Jeep Renegade STD 1.8 AT, (R$ 79.290)

É líder do segmento, mas seu motor tem rendimento fraco Fernando Pires/Quatro Rodas

SUV líder do mercado já é bem equipado desde a versão de entrada, que inclui piloto automático, ar-condicionado, auxiliar de partida em rampa
e ESP. Pesa contra ele o motor 1.8 16V flex com 128/122 cv de potência, que tem rendimento fraco.

Leia também:  Hatch 2018 em São Paulo com final da placa 7,8

Carros seminovos até R$ 80.000

Honda HR-V EXL1.8 CVT, 2017, (R$ 76.390)

Tem câmbio CVT de 7 marchas, central multimídia e bancos de couro Fernando Pires/Quatro Rodas

Trata-se de uma boa oferta por custar menos que o Renegade, ter o consagrado pós-venda da Honda e ainda oferecer um conjunto mecânico mais eficiente. O HR-V tem motor 1.8 de 140/139 cv conjugado ao câmbio CVT com 7 marchas.

A versão EXL é completa: traz central multimídia com GPS e câmera de ré, bancos de couro, ESP e rodas de liga leve entre outros recursos.

Continua após a publicidade

Hyundai IX35, GLS 2.0 Flex, 2015, (R$ 69.900)

Com cinco anos de garantia, este IX35 ainda tem um ano de cobertura Fernando Pires/Quatro Rodas

Apesar de ser ano/modelo 2015, este ix35 está pouco rodado. Tem só 45.000 km. E, por conta da garantia de fábrica da Hyundai ser de cinco anos, ele ainda tem a cobertura por um ano.

Bem equipado, o ix35 tem câmbio automático, central multimídia, bancos de couro, rodas de liga leve, trio elétrico e ar-condicionado de série. Maior que o Renegade, este SUV tem porta-malas de 465 litros.

Nissan Kicks 1.6 SLCVT, 2019, (R$ 79.880)

A diferença de preço deste Kicks 2019 para seu similar 2020 é de cerca de 24% Fernando Pires/Quatro Rodas

Considerando que o preço de tabela do Kicks SL 2020 é de R$ 102.790, esta unidade 2019 custa quase 24% a menos. Ou seja: seu comprador não pagará a desvalorização maior do carro que acontece no primeiro ano.

Este Kicks está realmente novo. Ele rodou apenas 12.000 km. E a maior diferença dele para a versão zero-quilômetro da linha 2020 é a assinatura led nos faróis.

Carro zero km até R$ 110.000

Toyota Corolla 2.0 XEi, (R$ 112.900)

Na faixa de preço de um Corolla XEi não faltam opções no mercado Fernando Pires/Quatro Rodas

O Corolla tem um público fiel. De qualquer modo, a reflexão é sempre válida para quem procura um carro nesta faixa de preço. O Corolla XEi tem motor 2.0 de 177 cv, câmbio CVT de 10 marchas e um pacote de equipamentos completo.

Carros seminovos até R$ 110.000

Honda Civic EXL 2.0 CVT, 2018, (R$ 105.900)

Com 15.000 km rodados, este Civic ainda tem cheiro de novo Fernando Pires/Quatro Rodas

O principal concorrente do Corolla surge aqui em uma versão topo de linha com apenas 15.000km rodados, por um preço mais em conta. O Civic EXL tem motor 2.0 de 155/150 cv e câmbio automático CVT de sete marchas.

Entre outros equipamentos, o Honda vem com seis airbags, bancos de couro, central multimídia com câmera de ré, piloto automático, ESP, rodas de liga leve.

Jeep Compass Longitude 2.0 Diesel, 2017, (R$ 114.000)

Com o valor de um sedã médio novo é possível encontrar um Jeep Compass seminovo Fernando Pires/Quatro Rodas

Por praticamente o mesmo preço de um sedã médio zero-km é possível levar um SUV médio seminovo como este Compass Longitude 2.0 Turbodiesel de 170 cv, câmbio automático de nove marchas e tração 4×4 sob demanda.

Único dono, esse Compass rodou 51.000 km. Entre
os equipamentos, ele traz ESP, central multimídia, sensor de ré, piloto automático e rodas de liga leve.

Audi Q3 Ambiente Plus 1.4 TFSI, 2018, (R$ 114.900)

Este Audi tem motor 1.4 TFSI de 150 cv e câmbio automático de seis marchas com opção de trocas no volante Fernando Pires/Quatro Rodas

Este SUV de luxo é menor que o Compass, mas traz o conteúdo próprio do segmento premium, com bancos de couro e detalhes de alumínio no painel, seis airbags, faróis de xenônio, ar-condicionado bizona e chave presencial.

O motor 1.4 flex, com turbo e injeção direta, rende 150 cv. O câmbio é automatizado de seis marchas com trocas no volante. Único dono, rodou apenas 26.000 km.

Veja algumas dicas para uma compra tranquila e segura

Um bom negócio depende de informação e alguns cuidados na hora da compra Arte/Quatro Rodas

Sangue frio

Não compre por impulso. Antes de sair de casa, reúna todas as informações que conseguir sobre o carro.

Veja os preços de outros modelos iguais que também estão anunciados, consulte o que dizem os especialista sobre esse carro (reportagens, depoimentos de proprietários).

QUATRO RODAS tem várias seções que podem ajudar, como Longa Duração, Usado do Mês, Autodefesa e RaioX. Use o autocontrole também para negociar o preço.

Não demonstre interesse exagerado pelo veículo e negocie o valor. Lojistas e particulares sempre têm uma margem qualquer que aceitam negociar.

Procedência

É possível conhecer a procedência do carro por meio do laudo de vistoria do veículo, que é um documento obrigatório para a transferência de propriedade. Esse laudo é emitido por empresas credenciadas pelos Detrans.

Elas conferem características do veículo, sinais identificadores (chassi, motor, placa, marcação de vidros), documentação e equipamentos de segurança obrigatórios. O veículo precisa ser aprovado para ser transferido.

Quando se compra um semi-novo de uma loja, normalmente, o estabelecimento já fez o laudo no momento em que comprou o carro do proprietário anterior.

Mas é necessário desconfiar de particulares que saem para vender o veículo já com um laudo de vistoria em mãos. Se isso acontecer, vá com o vendedor até uma vistoriadora de sua preferência e peça um novo laudo.

Estado de conservação

Você pode fazer um exame visual do carro observando o estado de pintura, pneus e bancos por conta própria ou com o auxílio de um amigo que entenda do assunto ou ainda de um profissional, um mecânico ou um consultor dessa área.

Saia com o carro para dar uma volta. Confira se todos os sistemas estão funcionando.

Além desse exame detalhado, outra dica é pedir informações sobre como foi feita a manutenção do veículo pelo dono anterior.Se o carro ainda tiver o manual do proprietário, é possível checar se as revisões foram feitas dentro do prescrito – o que é uma condição para o direito à garantia de fábrica.

Além das revisões registradas no manual, verifique também se o proprietário tem as notas fiscais de outros serviços feitos fora da rede autorizada.

Vendedor

Você pode comprar seu seminovo em uma loja ou de um particular e cada situação tem prós e contras. A principal vantagem das lojas é a segurança, uma vez que elas são obrigadas a dar garantia de três meses.

De acordo com o Código de Defesa do Consumidor, a cobertura abrange todos os componentes de veículo (art.

26) e, em caso de problema, a loja (concessionária ou independente) tem 30 dias para encontrar uma solução, sob pena de ter que substituir o carro, devolver o dinheiro ou abater o conserto do valor do carro (art. 18). O ponto forte dos particulares é basicamente o preço, que costuma ser menor que o das lojas.

Continua após a publicidade

  • carro usado
  • carros seminovos

Veja 10 carros seminovos e usados para comprar por até R$ 40 mil — GARAGEM 360

Atualmente, os carros novos mais baratos do Brasil estão na faixa dos R$ 40 mil. Porém, por esse preço leva-se as versões mais básicas e que oferecem poucos itens de conforto. Para ter mais equipamentos à disposição, a solução do consumidor é buscar no mercado de seminovos e usados.

Leia também:  Hatch Ford 2013 Manual em São Paulo

Quer ganhar um e-book exclusivo com dicas para cuidar melhor de seu veículo? Assine nossa newsletter neste link.

Caso esteja em busca de algum modelo nessa faixa de preço, confira 10 opções listadas abaixo e que estão atualmente anunciadas no site da Volanty, empresa de classificados online. Há carros de 2013 a 2020 na seleção, motores 1.0 ou 1.6 e até um veículo automático.

10 carros seminovos e usados por até R$ 40 mil

1- VW Fox 1.6 2013 – R$ 29.900

De acordo com o anúncio, trata-se de um modelo na cor cinza com 72.619 km rodados. O modelo tem direção hidráulica, ar-condicionado, airbag duplo, freios ABS, e travas e vidros com acionamento elétrico. O anúncio pode ser visto aqui.

2- Renault Sandero Stepway 1.6 2014 – R$ 32.900

Com carroceria prata, este modelo tem 62.589 km rodados de acordo com o anúncio. Ele é equipado com direção hidráulica, airbag-duplo, freios ABS, ar-condicionado, além do acionamento elétrico para vidros e travas. Ele está disponível neste link.

Este exemplar é do último ano de fabricação do VW Polo de quarta geração, que ficou em linha no Brasil de 2002 a 2014. Com 66.797 km rodados, este modelo é preto e tem direção hidráulica, ar-condicionado, freios ABS, airbag duplo e acionamento elétrico para vidros e travas. Pode ser acessado aqui.

4- Hyundai HB20 Comfort 1.0 2015 – R$ 35.900

Pintado na cor branca, este modelo da Hyundai tem 76.067 km rodados. Além dos obrigatórios freios ABS e airbag duplo, ele conta com direção hidráulica, ar-condicionado e acionamento elétrico para vidros e travas. O anúncio está disponível aqui.

LEIA MAIS: Volvo lança empréstimo gratuito no Brasil de seus carros híbridos

Estapar e Enel X anunciam criação de rede para carregamento de elétricos

5- Chevrolet Onix Joy 2018 – R$ 36.900

Exemplar da primeira geração do Onix, este carro é branco e já rodou 62.067 km. Conta com direção elétrica, ar-condicionado, acionamento elétrico para vidros e travas, e também os obrigatórios freios ABS e airbag duplo. Está anunciado neste link.

Versão intermediária do Kwid, a Zen oferece de série quatro airbags, vidros elétricos dianteiros, rádio com bluetooth, direção elétrica e travas elétricas. A unidade anunciada é na cor branca e tem 26.383 km. O anúncio está disponível aqui.

7- Ford Ka SE 1.0 2018 – R$ 36.900

Com 54.562 km rodados, o modelo anunciado é preto. Ele é equipado com direção elétrica, som com bluetooth, airbag duplo, vidros e travas com acionamento elétrico, e os obrigatórios freios ABS e airbag duplo. O anúncio pode ser visto aqui.

8- Citröen C3 Tendance 1.6 AT 2016 – R$ 37.900

Equipado com o câmbio automático de quatro marchas, este modelo tem 60.201 km rodados, é pintado na cor branca, tem teto de vidro panorâmico, direção elétrica, som, ar-condicionado e acionamento elétrico para vidros e travas. Ele pode ser visto aqui.

Versão de entrada do Uno, este modelo prata tem 33.362 km rodados. A lista de equipamentos inclui direção hidráulica, ar-condicionado, vidros elétricos dianteiros, travas elétricas e rádio. Ele pode ser visto aqui.

10- Renault Logan Authentique 1.0 2020 – R$ 39.900

Pintado na cor branca, este modelo tem 39.100 km rodados. É equipado com direção elétrica, ar-condicionado, vidros elétricos dianteiros, travas elétricas e rádio. O anúncio está disponível aqui.

Usado boa compra: Renault Logan 1.6 2014 oferece muito espaço e manutenção barata

Para a compra no mercado de seminovos, indicamos a versão top Dynamique 1.6 8V, encontrada com facilidade por preços entre R$ 29 e R$ 36 mil, cerca de R$ 2 mil a mais que a intermediária Expression.

Custo-benefício e itens de série

O Logan mais completo oferece ar-condicionado, direção hidráulica, rádio CD/MP3, banco do motorista e volante ajustável em altura e trio elétrico. A mais que o Expression, a configuração traz rodas de liga leve, faróis de neblina e vidros traseiros elétricos, afora banco traseiro bipartido e volante revestido de couro.

Como opcionais, há o ar-condicionado automático e sensor de estacionamento, além do navegador de sete polegadas, itens comuns.

2 de 5
Ainda sem reestilização, o Logan tem estilo semelhante ao do 0 km (Foto: Christian Castanho) — Foto: Auto Esporte

Ainda sem reestilização, o Logan tem estilo semelhante ao do 0 km (Foto: Christian Castanho) — Foto: Auto Esporte

O custo-benefício é razoável, na mesma faixa de mercado você pode encontrar outros concorrentes interessantes. Porém, raros tem o mesmo espaço interno.

O Logan conta com entre-eixos de 2,63 metros e leva quatro adultos altos com facilidade. O espaço para bagagens também é invejável, nada menos que 510 litros de volume no porta-malas (segundo a Renault).

Longe de ser empolgante, o Logan 1.6 tem desempenho apenas razoável. O motor 1.6 de 106 cv e 15,5 kgfm a 2.850 rpm foi trocado em 2016 pelo novo 1.6 SCe, mas ele é encontrado por preços muito superiores.

3 de 5
A ergonomia do Logan poderia ser um pouco melhor, mas evoluiu (Foto: Divulgação) — Foto: Auto Esporte

A ergonomia do Logan poderia ser um pouco melhor, mas evoluiu (Foto: Divulgação) — Foto: Auto Esporte

Aqui vale uma ressalva: busque carros com o câmbio manual de cinco marchas. O automatizado Easy-R sempre foi lento nas trocas e propenso a tranquinhos. Por mais que dispensar o pedal esquerdo seja um sonho para muitos, fique com o Logan manual.

A arrancada de zero a 100 km/h é cumprida em 12,5 segundos. Embora a força em baixa seja destaque, a retomada de 60 a 100 km/h também poderia ser mais rápida. São gastos 10,8 segundos na prova de recuperação de velocidade.

Outro ponto que também poderia agradar mais na frenagem. De 80 km/h até a imobilidade são percorridos 30 metros.

4 de 5
Tela multimídia de sete polegadas é encontrada facilmente (Foto: Divulgação) — Foto: Auto Esporte

Tela multimídia de sete polegadas é encontrada facilmente (Foto: Divulgação) — Foto: Auto Esporte

Da mesma maneira, o consumo poderia ser melhor. Foram registrados 7,4 km/l de etanol na cidade e 10,8 km/l na estrada.

Há também outros poréns. Por mais que o Logan tenha direção hidráulica, ela é pesada em manobras. A ergonomia também fica devendo ajuste de distância do volante e bancos melhores, para evitar dores no corpo.

5 de 5
Banco traseiro não tem cinto de três pontos central (Foto: Divulgação) — Foto: Auto Esporte

Banco traseiro não tem cinto de três pontos central (Foto: Divulgação) — Foto: Auto Esporte

Por outro lado, o Logan oferece compensações. O rodar é confortável e o entre-eixos e bitolas avantajados ajudam a dar um rodar parecido com o de um carro médio.

Falta apenas mais refinamento para a sensação ser completa. O isolamento do ruído e das vibrações do motor deveria ter sido alvo de atenção.

Seguro, peças e desvalorização

O Logan agrada nestes quesitos. A média das apólices pesquisadas chega a R$ 2.440, cerca de R$ 800 a menos do que um VW Voyage 1.6. O custo das peças também é baixo, estamos falando de R$ 3.185.

A desvalorização é outro ponto que sacramenta o Renault como uma compra racional, apenas 6,19% ao ano.

Perfil do seguro: cotações foram feitas pela Limiar Seguros (11 2506-9242) com base no perfil de um homem de 40 anos, casado, morador da zona Sul de SP, sem bônus e com franquia reduzida.

Cesta de peças: retrovisor direito, farol direito, para-choque dianteiro, lanterna traseira direita, filtro do ar-condicionado (elemento), filtro de ar do motor (elemento), jogo de quatro amortecedores, pastilhas de freio dianteiras, filtro de óleo do motor e filtro de combustível.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*