Picape usados em São Paulo com final da placa 5,6

Começo de ano é hora de colocar os tributos do carro em dia seguindo o calendário de pagamento do IPVA (Imposto sobre Propriedade de Veículo Automotor).

O Agora preparou uma lista com respostas sobre como recolher o imposto.

Quem optar por pagar à vista terá desconto de 3%. Fazer o pagamento à vista vale a pena, considerando que o dinheiro aplicado não teria o mesmo rendimento.

Já no caso do contribuinte que parcelar, em três vezes (em janeiro, fevereiro e março), o valor é integral. É possível ainda quitar o imposto em fevereiro, em cota única, sem desconto.

SP tem 11,8 mil acidentes com vítimas por mês Picape usados em São Paulo com final da placa 5,6

Os proprietários de veículos movidos a gasolina e os carros flex recolherão 4% sobre o valor venal do automóvel. Já os veículos que funcionam somente com álcool, eletricidade e gás, ou com a combinação desses combustíveis, têm alíquota de 3%.

Também pode ser feito o pagamento do seguro obrigatório DPVAT. O seguro para acidentes deve ser quitado até a data de vencimento da cota única do IPVA, em fevereiro.

  O pagamento dos tributos, além de eventuais multas, é indispensável para fazer o licenciamento anual do veículo, realizado diretamente no Detran-SP. A consulta ao valor e o pagamento do IPVA podem ser realizados na rede bancária, por meio dos terminais de autoatendimento, pela internet ou diretamente nas agências. Basta ter o número do Renavam do veículo.  

Também é possível verificar o valor diretamente no site da Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo (portal.fazenda.sp.gov.br/servicos/ipva/). Na consulta via portal, além do número do Renavam, é necessário informar a placa do veículo.

 

Em 2020, a desvalorização dos veículos usados provocou redução média de 3,54% do IPVA em São Paulo. O dado é da Fipe (Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas), que pesquisou 11.868 diferentes marcas, modelos e versões de veículos.

Carros mais vendidos de 2019 Picape usados em São Paulo com final da placa 5,6

Confira respostas para dúvidas sobre o pagamento do tributo no estado:

  • Veículos movidos a gasolina e os carros flex recolhem 4% sobre o valor venal do automóvel
  • Carros que funcionam só com álcool, eletricidade ou gás (ou com a combinação entre esses combustíveis) têm alíquota de 3%
  • Não. As alíquotas do IPVA 2020 são as mesmas de 2019 e, como houve desvalorização média de 3,54% dos carros usados, na prática, o valor cobrado neste ano ficou menor
  • Sim. A consulta ao valor e o pagamento do IPVA podem ser realizados nos canais de atendimento da rede bancária
  • Também é possível verificar o valor diretamente no site da Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo  (portal.fazenda.sp.gov.br/servicos/ipva/)
  • Se a consulta for realizada pelo site, além do Renavam, será também necessário informar a placa do veículo
  • O IPVA pode ser pago na rede bancária autorizada (guichê do caixa, autoatendimento, internet banking, débito agendado) ou nas casas lotéricas
  • É preciso informar o código Renavam, que está no CRLV (Certificado de Registro e Licenciamento de Veículos)
  • Há desconto de 3% sobre o valor total do para quem fizer o pagamento antecipado à vista
  • No estado de São Paulo, para ter o desconto, é preciso quitar o débito ainda em janeiro
  • O prazo para o pagamento antecipado com desconto varia conforme o final da placa do carro

Carros que serão lançados em 2020 Picape usados em São Paulo com final da placa 5,6

  • Sim, é possível realizar o pagamento parcelado no cartão de crédito
  • O serviço, porém, tem taxa e juros definidos pela empresa credenciada
  • Informações sobre o parcelamento podem ser obtidas no site: portal.fazenda.sp.gov.br
  • O pagamento à vista, sem desconto, pode ser realizado em fevereiro, sendo que a data-limite depende do número final da placa
  • Também é possível parcelar o valor em três vezes. Mas para fazer essa opção, é necessário quitar a primeira parte em janeiro. Veja o calendário do IPVA em SP
  • Quem perdeu o prazo para pagar à vista ou a primeira parcela pode acertar o IPVA em fevereiro, em cota única sem desconto
Final da placa 1ª parcela ou pagamento à vista 2ª parcela ou cota única sem desconto 3ª parcela
1 9 de janeiro 11 de fevereiro 11 de março
2 10 de janeiro 12 de fevereiro 12 de março
3 13 de janeiro 13 de fevereiro 13 de março
4 14 de janeiro 14 de fevereiro 16 de março
5 15 de janeiro 17 de fevereiro 17 de março
6 16 de janeiro 18 de fevereiro 18 de março
7 17 de janeiro 19 de fevereiro 19 de março
8 20 de janeiro 20 de fevereiro 20 de março
9 21 de janeiro 21 de fevereiro 23 de março
22 de janeiro 24 de fevereiro 24 de março
  • Em São Paulo, o seguro DPVAT deve ser pago até a data do vencimento da cota única
  • Quem não recolhe o seguro obrigatório fica sem a cobertura em caso de acidente
  • O pagamento do DPVAT, assim como o do IPVA, é necessário para licenciar o veículo
  • Os valores do DPVAT de 2020 foram reduzidos.
Tipo de veículo Categoria Valores em R$ 
Automóveis e camionetas ​​particulares / oficial, missão diplomática, corpo consular e órgão internacional 1 5,23
Táxis, carros de aluguel e aprendizagem 2 5,23
Ônibus, micro-ônibus e lotação com cobrança de frete (urbanos, interurbanos, rurais e interestaduais) 3 10,57
Micro-ônibus com cobrança de frete mas com lotação não superior a dez passageiros e ônibus, micro-ônibus e lotações sem cobrança de frete (urbanos, interurbanos, rurais e interestaduais) 4 8,11
Ciclomotores​ 8 5,67
Motocicletas, motonetas e similares 9 12,30
Caminhões, caminhonetas tipo “pick-up” de até 1.500 kg de carga, máquinas de terraplanagem e equipamentos móveis em geral (quando licenciados) e outros veículos 10 5,78

Como é calculado o preço do IPVA

27/11/2017

Picape usados em São Paulo com final da placa 5,6

Para os donos de veículos, o Imposto sobre a propriedade de veículos automotores é um gasto fixo no orçamento anual. Sua arrecadação é dividida entre o Estado, o município no qual o veículo está registrado e o FUNDEB. Mas você sabe como é calculado o preço do IPVA?

Primeiro é preciso verificar o valor da alíquota do IPVA. Os valores podem variar entre 1% e 6%, de acordo com o Estado e o tipo de veículo. Depois, faz-se necessário conferir o valor venal do veículo, de acordo com a Tabela FIPE.

Com esses números em mãos, o cálculo é simples: basta multiplicar o valor venal do carro pelo valor da alíquota.

No Estado de Santa Catarina, os veículos terrestres, de passeio e utilitários, além dos motor-homes, de fabricação nacional ou estrangeira, têm alíquota de 2%.

Então, para um carro estimado em R$ 30,000, de acordo com a Tabela FIPE, o valor do IPVA será de R$ 600,00.

No entanto, se esse mesmo carro fosse registrado em São Paulo, onde a alíquota é de 4% para veículos movidos à gasolina e bicombustíveis, o valor do IPVA seria de R$ 1.200,00, ou seja, o dobro.

Além disso, também é necessário acrescentar ao orçamento o seguro obrigatório DPVAT, que custa R$ 63,69 para carros particulares, e a taxa anual do DETRAN, que também varia de Estado para Estado.

Quando e onde pagar

  • Os contribuintes podem pagar o imposto até o último dia do mês correspondente à placa do veículo, de maneira única ou parcelada, conforme determina o governo do Estado.
  • O pagamento, por sua vez, pode ser feito através da rede bancária credenciada (Banco do Brasil, Bradesco, Itaú, Santander, Caixa Econômica Federal, Banrisul, Sistema Bancoob, Sicoob/Creditran, Cecred e Sicredi).

E se o pagamento não for feito?

Além de ser necessário para licenciar o veículo, o não pagamento do imposto acarreta notificação fiscal, taxa por dia de atraso e juros baseados na taxa Selic. O proprietário do carro ainda pode levar sete pontos na carteira e ter o carro apreendido.

  1. É importante ressaltar que a multa por atraso, bem como as datas e condições de pagamento, também variam de Estado para Estado.
  2. + Leia também:
  3. Direção defensiva – Tudo o que você precisa saber
  4. Conheça os principais tipos de carros e carrocerias

Veículos isentos

De acordo com o Art. 1º da Lei Nº 4.727, ficam isentos do pagamento do Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores os veículos de frota filantrópica, condutores profissionais autônomos (como taxistas), veículos adaptados para portadores de deficiência física, de aluguel e reboque, veículos recuperados de roubo, veículos de valor histórico e veículos com perda total.

Além disso, os veículos com mais de 10 e 20 anos de fabricação também podem ter isenção de IPVA, dependendo do Estado. Nesses casos, os motoristas precisam pagar apenas o seguro obrigatório DPVAT e a taxa anual do DETRAN.

Agora que você já sabe como é calculado o preço do IPVA, que tal deixar nos comentários a sua opinião sobre o post? E caso tenha ficado com dúvidas ou queira fazer alguma ressalva, entre em contato conosco.

Até a próxima!

Confira quem estará livre do rodízio de veículos que volta mais rígido na segunda-feira, 11

Publicado em: 8 de maio de 2020

Ônibus e VUCs estão liberados. Carros de aplicativo, não

  • Restrição será de acordo com finais de placas e dias pares ou ímpares. Há exceções para diversos tipos de veículos
  • ADAMO BAZANI/WILLIAN MOREIRA
  • Como forma de desestimular os deslocamentos desnecessários e impedir o avanço do novo coronavírus, a prefeitura de São Paulo anunciou que a partir de segunda-feira, 11 de maio de 2020, entra em vigor um novo modelo de rodízio municipal de veículos.
  • A restrição será 24 horas por dia e em todas as vias da cidade, inclusive em ruas de bairros.
  • Nos dias pares só poderão circular veículos de placas de final par e nos dias ímpares só poderão rodar carros com placas de final ímpar.
  • Assim:
  • Carros com placas de finas 0, 2, 4, 6 ou 8 podem rodar nos dias 2, 4, 6, 8, 10, 12, 14, 16, 18, 20, 22, 24, 26, 28 e 30
  • Carros com placas de finas 1,3,5,7 ou 9 podem rodar nos dias 1,3,5,7,9,11,13,15,17,19,21,23,25,27,29 e 31.
Leia também:  Os 10 carros PCD mais baratos

Mas há exceções e alguns tipos de veículos e categorias profissionais poderão circular. Carro de aplicativo terá de seguir o rodízio. Só táxi estará isento.

O decreto 59.403, de 07 de maio de 2020, foi publicado nesta sexta-feira (08) e “institui regime emergencial de restrição de circulação de veículos no Município de São Paulo por conta da pandemia decorrente do coronavírus.”

  1. Entre as exceções que não terão restrição estão: ônibus, motocicletas e similares, transporte escolar autorizado, guinchos, veículos de serviços públicos identificados, veículos de segurança pública identificados, veículos de coleta de lixo, veículos de transporte de insumos diretamente ligados a atividades hospitalares e de coleta de sangue, de transporte de valores, de reportagem voltados à cobertura jornalística; de transporte de produtos alimentares perecíveis, Veículo Urbano de Carga (VUC), furgão, caminhão de pequeno porte, veículos elétricos, a hidrogênio ou híbridos; veículos conduzidos por pessoa com deficiência da qual decorra comprometimento de mobilidade ou por quem as transporte; veículos conduzidos por pessoa com doença crônica que comprometa sua mobilidade ou que realize tratamento continuado debilitante de doença grave, como quimioterapia para tratamento oncológico, ou por quem as transporte.
  2. Entre os profissionais que estarão liberados desde que registrados pelo e-mail ou com comunicação dos seus órgãos contratantes estão:
  3. –  profissionais da saúde, profissionais de enfermagem, técnicos ou tecnólogos da saúde, médicos veterinários, fisioterapeutas, farmacêuticos, nutricionistas, psicólogos, fonoaudiólogos, patologistas, dentistas, pesquisadores da área da saúde, agentes que executam serviços administrativos, guarda, segurança, vigilância, manutenção e limpeza de estabelecimentos hospitalares, de assistência médica e laboratoriais, cabendo ao estabelecimento empregador identificar os profissionais e respectivos veículos perante a Secretaria Municipal de Mobilidade e Transportes;
  4. – policial militar, policial civil, policial federal, agentes do sistema penitenciário, agentes da polícia técnico-científica, guarda civil metropolitano e agentes fiscais das fazendas federais, estaduais e municipais
  5. –  servidores e contratados do serviço funerário e da assistência social,
  6. – profissionais de órgãos de imprensa, tais como jornal, rádio e televisão, cabendo ao respectivo empregador identificar os profissionais e respectivos veículos perante a Secretaria Municipal de Mobilidade e Transportes.

Profissionais de saúde devem se inscrever pelo e-mail: [email protected]

  • Em caso de descumprimento, o veículo será multado pelo regulamento do Código Brasileiro de Trânsito, com multa de acordo com a infração de rodízio a cada dia em que for flagrado.
  • Veja a relação completa dos veículos e profissionais:
  • Art. 4º Ficam excluídos da restrição de circulação os seguintes casos:
  • I – de transportes coletivos e de lotação, devidamente autorizados a operar o serviço;
  • II – motocicletas e similares;
  • III – táxis, devidamente autorizados a operar o serviço;
  • IV – de transporte escolar, devidamente autorizados a operar o serviço;
  • V – guinchos, devidamente autorizados a operar o serviço;
  • VI – aqueles destinados a socorro de incêndio e salvamento, os de polícia, os de fiscalização e operação de trânsito e as ambulâncias, devidamente identificados por dispositivos regulamentares de alarme sonoro e iluminação vermelha intermitente;
  • VII – aqueles, próprios ou contratados, utilizados em serviços públicos essenciais, assim considerados, para os fins deste decreto:
  1. a) defesa civil;
  2. b) das forças armadas
  3. c) de fiscalização e operação de transporte de passageiros;
  4. d) funerários; e) penitenciários;
  5. f) dos Conselhos Tutelares;
  6. g) assistência social
  7. h) do Poder Judiciário;
  8. i) utilizados no transporte de materiais necessários a campanhas públicas, inclusive as de saúde pública e da defesa civil, bem como na prestação de serviços de caráter social;
  9. j) na segurança do transporte ferroviário e metroviário a que se refere a Lei Federal nº 6.149, de 2 de dezembro de 1974, bem como os destinados à manutenção de emergência dos sistemas ferroviário e metroviário, devidamente identificados com os nomes e logotipos das empresas prestadoras dos serviços nas partes dianteira, traseira e laterais, acrescidos das palavras “manutenção” ou “segurança”, de acordo com a finalidade de uso do veículo;
  10. k) das empresas públicas de atendimento a emergências químicas devidamente identificados;

VIII – aqueles, próprios ou contratados, utilizados em obras e serviços essenciais, assim definidos para os fins deste decreto:

  1. a) de implantação, instalação e manutenção de redes e equipamentos de infraestrutura urbana, atinentes a energia elétrica, iluminação pública, água e esgoto, telecomunicações, dados e gás combustível canalizado, desde que autorizados pelo órgão competente;
  2. b) de implantação, manutenção e conservação da sinalização viária, bem como de apoio à operação de trânsito, quando a serviço de órgão de trânsito, desde que devidamente identificados;
  3. c) de coleta de lixo, devidamente autorizados a operar o serviço;
  4. d) de obras, manutenção e conservação de vias e logradouros públicos, devidamente identificados;
  5. e) dos Correios, devidamente identificados;
  6. f) de transporte de combustível;
  7. g) de transporte de insumos diretamente ligados a atividades hospitalares;
  8. h) de transporte de sangue e derivados, de órgãos para transplantes e de material para análises clínicas;
  9. i) de transporte de valores, devidamente autorizados pelo Departamento de Polícia Federal;
  10. j) de escolta armada, devidamente autorizada pelo Departamento de Polícia Federal;
  11. k) de reportagem voltados à cobertura jornalística;
  12. l) de transporte de produtos alimentares perecíveis, ou seja, todo alimento alterável ou instável à temperatura ambiente, processado ou não, congelado ou supergelado, ou que necessite estar obrigatoriamente em temperaturas estabelecidas por legislação específica;
  13. m) Veículo Urbano de Carga (VUC), furgão, caminhão de pequeno porte, com dimensões e características que sejam adequadas à distribuição de mercadorias e abastecimento no meio urbano, definidas em ato da Secretaria Municipal de Mobilidade e Transportes;
  14. n) unidades móveis especialmente adaptadas para prestação de serviços médicos;
  15. o) de manutenção e conservação de elevadores, devidamente autorizados para a prestação deste serviço;
  16. p) de atendimento a emergências química e ambiental relacionadas ao transporte, devidamente credenciados pela Secretaria Municipal do Verde e do Meio Ambiente;

IX – aqueles, próprios ou contratados, empregados em obras e serviços essenciais, assim definidos para os fins deste decreto, os de abastecimento de farmácias, hipermercados, supermercados, mercados, feiras livres, açougues, peixarias, hortifrutigranjeiros, quitandas, centros de abastecimento de alimentos, lojas de conveniência, lojas de venda de água mineral, padarias e lojas especializadas na venda de artigos médicos, odontológicos, ortopédicos e hospitalares;

X – veículos com isenção decorrente de regime jurídico próprio, assim considerados:

  1. a) os movidos por energia de propulsão elétrica, a hidrogênio ou híbridos;
  2. b) os pertencentes a médicos, quando utilizados no trabalho diário;
  3. c) os pertencentes a Missões Diplomáticas, Delegações Especiais, Repartições Consulares de Carreira e de Representações de Organismos Internacionais, devidamente registrados e emplacados conforme disposições específicas;
  4. d) os conduzidos por pessoa com deficiência da qual decorra comprometimento de mobilidade ou por quem as transporte;
  5. e) os conduzidos por pessoa com doença crônica que comprometa sua mobilidade ou que realize tratamento continuado debilitante de doença grave, como quimioterapia para tratamento oncológico, ou por quem as transporte.
  1. Art. 5º Também ficam excepcionados da restrição de circulação os veículos pertencentes a:
  2. I – profissionais da saúde, profissionais de enfermagem, técnicos ou tecnólogos da saúde, médicos veterinários, fisioteraupetas, farmacêuticos, nutricionistas, psicólogos, fonoaudiólogos, patologistas, dentistas, pesquisadores da área da saúde, agentes que executam serviços administrativos, guarda, segurança, vigilância, manutenção e limpeza de estabelecimentos hospitalares, de assistência médica e laboratoriais, cabendo ao estabelecimento empregador identificar os profissionais e respectivos veículos perante a Secretaria Municipal de Mobilidade e Transportes;
  3. II – servidores que exerçam atividade de segurança pública e fiscalização administrativa, tais como policial militar, policial civil, policial federal, agentes do sistema penitenciário, agentes da polícia técnico-científica, guarda civil metropolitano e agentes fiscais das fazendas federais, estaduais e municipais, cabendo ao órgão máximo de cada uma das respectivas categorias identificar os profissionais e respectivos veículos perante a Secretaria Municipal de Mobilidade e Transportes;
  4. III – servidores e contratados do serviço funerário e da assistência social, cabendo ao Serviço Funerário Municipal, à Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social e à Secretaria Estadual de Desenvolvimento Social identificar os profissionais e respectivos veículos perante a Secretaria Municipal de Mobilidade e Transportes;
  5. IV – profissionais de órgãos de imprensa, tais como jornal, rádio e televisão, cabendo ao respectivo empregador identificar os profissionais e respectivos veículos perante a Secretaria Municipal de Mobilidade e Transportes.
  6. A multa é a mesma do descumprimento do rodízio.
  7. Já caminhões continuam regulamentados pelas normas específicas, sem relação com o “novo rodízio”.
  8. MP VAI COBRAR EXPLICAÇÕES:
  9. Os promotores Roberto Luís de Oliveira Pimentel e Camila Mansour Magalhães da Silveira, da Promotoria de Justiça de Habitação e Urbanismo, do Ministério Público do Estado de São Paulo, exigiram que a prefeitura de São Paulo explique em 48 horas os critérios e os impactos previstos para o novo rodízio municipal de veículos que deve entrar em vigor a partir de segunda-feira, 11 de maio de 2020.
Leia também:  Carros Ford Ecosport em São Paulo com final da placa 1,2 Não blindado

O Inquérito Civil nº 14.279.74/2020 quer respostas para os seguintes questionamentos:

  1. a partir de quando vigorará o rodízio e por quanto tempo se planeja adotar a restrição;
  2. em que aspectos ele seguirá o mesmo regulamento do que era realizado antes da pandemia de covid-19 e em que aspectos houve alterações. Em caso de alterações, e quanto a elas, deverá ser especificado quais as regras para restrição de circulação de veículos particulares nesta Capital, com detalhamento dos horários, dias e finais de placas;
  3. deverá, ainda, ser informado como e por quais meios de comunicação se darão os devidos esclarecimentos à população com relação a todos os aspectos da medida, inclusive para que se evitem novas aglomerações e transtornos em meio à pandemia de covid-19 ora enfrentada no país;
  4. os estudos e planejamento que basearam a retomada do rodízio, bem como, pormenorizadamente, os objetivos a serem atingidos;
  5. o planejamento do rodízio para que não haja prejuízos à circulação de veículos e profissionais relacionados aos serviços essenciais, principalmente de saúde e segurança (ou seja, se será feita a identificação dos profissionais de saúde e de segurança e dos prestadores de outros serviços essenciais, bem como em que aspectos tais veículos e profissionais estarão isentos do rodízio e como serão liberados da medida, se o caso, de forma a se evitarem transtornos e embaraços à sua circulação);
  6. em face da notícia de aumento da frota de ônibus em virtude da retomada da restrição à circulação de veículos particulares, em que se baseou o estabelecimento do número de veículos (ônibus) que será disponibilizado para reforço da frota de transporte coletivo, ou seja, com base em que estudos ou planejamento se estabeleceu o número de ônibus a mais em circulação a partir da retomada do sistema de rodízio, para não haver superlotação e, consequentemente, se evitar a propagação do Novo Coronavírus no transporte coletivo.
  • SEM DIÁLOGO:
  • O anúncio do rodízio mais rigoroso por parte da prefeitura criou um mal estar em parte do governo do Estado de São Paulo.
  • A volta do rodízio municipal de veículos em são Paulo, ainda mais rigoroso marcada para segunda-feira, 11 de maio de 2020, não foi comunicada pela prefeitura aos gestores de transportes do estado.
  • É o que disse o secretário dos Transportes Metropolitanos, Alexandre Baldy, em entrevista à TV Bandeirantes.
  • A preocupação é que muita gente que trabalha na capital paulista e atualmente está usando carro, mora em cidades da Grande São Paulo, como no ABC, Mogi das Cruzes, Osasco e Guarulhos, por exemplo.
  • Segundo Baldy, a estimativa é de que a demanda dos ônibus metropolitanos gerenciados pela EMTU, trens da CPTM e dos trens do Metrô, aumente de 25% a 30%, pelo menos, nos horários de pico.
  • O secretário disse que já conversa com os responsáveis pela EMTU, CPTM e Metrô para tomar medidas com o objetivo de aumentar a frota de ônibus e trens.
  • A preocupação é principalmente com os horários de pico.
  • Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes
  • Willian Moreira em colaboração especial para o Diário do Transporte

Relacionado

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

IPVA 2021: saiba como pagar com desconto nos principais estados

O Imposto sobre Propriedade dos Veículos Automotores, famoso IPVA, já está sendo cobrado na maioria dos estados brasileiros para o calendário 2021. No caso de São Paulo, por exemplo, os veículos com placa final 1 têm data limite para pagamento da primeira parcela, ou cota única, nesta quinta-feira (7).

Em Mato Grosso, o imposto teve o vencimento adiado para março, devido à pandemia de Covid-19. Ainda não sabe quando deve pagar o do seu veículo? A reportagem da Mobiauto reuniu as datas de vencimento do IPVA nos estados mais populosos do Brasil.

  • Vale lembrar que o imposto é obrigatório em todo o país, exceto para veículos que atingiram isenção por tempo de fabricação – deles é cobrada apenas a taxa de licenciamento, já que o seguro DPVAT não será pago em 2021. 
  • O pagamento do IPVA garante que os veículos possam ser licenciados. Confira as datas e as alíquotas cobradas:
  • Confira o valor do seu carro na Tabela Fipe 

São Paulo

No estado de São Paulo, os proprietários de veículos com placa final 1 deverão pagar a primeira parcela ou a cota toda do IPVA até esta quinta-feira (7) – como dito no início deste texto. 

A alíquota para carros a gasolina e flex e picapes cabine dupla é de 4% em relação ao valor do veículo, com base na Tabela Fipe. Para os veículos movidos somente a álcool, gás ou eletricidade, o percentual é de 3% – a partir de 15 de janeiro serão cobrados 4% desses veículos também.

Quem pagar a cota única até o prazo de vencimento da primeira parcela, garante desconto de 3%.

  • Final 1: primeira parcela – 07/01; segunda parcela – 09/02; terceira parcela – 09/03.
  • Final 2: primeira parcela – 08/01; segunda parcela – 10/02; terceira parcela – 10/03.
  • Final 3: primeira parcela – 11/01; segunda parcela – 11/02; terceira parcela – 11/03.
  • Final 4: primeira parcela – 12/01; segunda parcela – 12/02; terceira parcela – 12/03.
  • Final 5: primeira parcela – 13/01; segunda parcela – 18/02; terceira parcela – 15/03. 
  • Final 6: primeira parcela – 14/01; segunda parcela – 19/02; terceira parcela – 16/03.
  • Final 7: primeira parcela – 15/01; segunda parcela – 22/02; terceira parcela – 17/03.
  • Final 8: primeira parcela – 18/01; segunda parcela – 23/02; terceira parcela – 18/03.
  • Final 9: primeira parcela – 19/01; segunda parcela – 24/02; terceira parcela – 19/03.
  • Final 0: primeira parcela – 20/01; segunda parcela – 23/02; terceira parcela – 22/03.

Leia também: Estes 10 carros serão os principais lançamentos de 2021 

Minas Gerais

Minas Gerais também aplica a alíquota de 4% para automóveis, utilitários e picapes cabine estendida e dupla, independentemente de qual seja o combustível utilizado. Quem quitar em apenas uma parcela terá desconto de 3%.

  • Final 1: primeira parcela – 18/01; segunda parcela – 18/02; terceira parcela – 18/03.
  • Final 2: primeira parcela – 18/01; segunda parcela – 18/02; terceira parcela – 18/03.
  • Final 3: primeira parcela – 19/01; segunda parcela – 19/02; terceira parcela – 19/03.
  • Final 4: primeira parcela – 19/01; segunda parcela – 19/02; terceira parcela – 19/03.
  • Final 5: primeira parcela – 20/01; segunda parcela – 22/02; terceira parcela – 22/03.
  • Final 6: primeira parcela – 20/01; segunda parcela – 22/02; terceira parcela – 22/03. 
  • Final 7: primeira parcela – 21/01; segunda parcela – 23/02; terceira parcela – 23/03.
  • Final 8: primeira parcela – 21/01; segunda parcela – 23/02; terceira parcela – 23/03.
  • Final 9: primeira parcela – 22/01; segunda parcela – 24/02; terceira parcela – 24/03.
  • Final 0: primeira parcela – 22/01; segunda parcela – 24/02; terceira parcela – 24/03.

Rio de Janeiro

No Rio de Janeiro, assim como em São Paulo, há um desconto de 3% sobre o IPVA de quem realizar o pagamento até a data limite para vencimento da primeira parcela. O estado também adotou a taxa de 4% sobre o valor dos veículos para calcular o imposto.

  • Final 0: primeira parcela – 21/01; segunda parcela – 22/02; terceira parcela – 24/03.
  • Final 1: primeira parcela – 22/01; segunda parcela – 23/02; terceira parcela – 25/03.
  • Final 2: primeira parcela – 25/01; segunda parcela – 24/02; terceira parcela – 26/03.
  • Final 3: primeira parcela – 26/01; segunda parcela – 25/02; terceira parcela – 29/03.
  • Final 4: primeira parcela – 27/01; segunda parcela – 26/02; terceira parcela – 30/03.
  • Final 5: primeira parcela – 28/01; segunda parcela – 01/03; terceira parcela – 05/04.
  • Final 6: primeira parcela – 29/01; segunda parcela – 02/03; terceira parcela – 06/04. 
  • Final 7: primeira parcela – 01/02; segunda parcela – 03/03; terceira parcela – 07/04.
  • Final 8: primeira parcela – 02/02; segunda parcela – 04/03; terceira parcela – 08/04.
  • Final 9: primeira parcela – 03/02; segunda parcela – 05/03; terceira parcela – 09/04.

Leia também: 10 carros que estão ameaçados de morte em 2021 

Bahia

Na Bahia, o pagamento à vista do IPVA de forma antecipada até dia 8 de fevereiro terá um desconto de 10%. A alíquota para veículos movidos a gasolina e flex é de 2,5%, já para veículos diesel sobe para 3%

Leia também:  Carros Honda em São Paulo com Alarme, Freios abs

Os pagamentos feitos em cota única até o vencimento da primeira parcela terão desconto de 5%.

  • Final 1: primeira parcela – 30/03; segunda parcela – 29/04; terceira parcela – 28/05.
  • Final 2: primeira parcela – 31/03; segunda parcela – 30/04; terceira parcela – 31/05.
  • Final 3: primeira parcela – 29/04; segunda parcela – 27/05; terceira parcela – 29/06.
  • Final 4: primeira parcela – 30/04; segunda parcela – 28/05; terceira parcela – 30/06.
  • Final 5: primeira parcela – 27/05; segunda parcela – 29/06; terceira parcela – 29/07.
  • Final 6: primeira parcela – 28/05; segunda parcela – 30/06; terceira parcela – 30/07. 
  • Final 7: primeira parcela – 29/06; segunda parcela – 29/07; terceira parcela – 30/08.
  • Final 8: primeira parcela – 30/06; segunda parcela – 30/07; terceira parcela – 31/08.
  • Final 9: primeira parcela – 29/07; segunda parcela – 30/08; terceira parcela – 29/09.
  • Final 0: primeira parcela – 30/07; segunda parcela – 31/08; terceira parcela – 30/09.

Paraná

No Paraná, a alíquota é de 3,5% do valor venal do veículo. A taxa pode ser parcelada em até cinco vezes, mas caso seja pago à vista – e antecipado – há um desconto de 3%.

Placas com finais 1 e 2 têm vencimento em 18 de janeiro; 3 e 4, no dia 19; 5 e 6, dia 20; 7 e 8, dia 21; 9 e 0, dia 22.

  • Final 1: primeira parcela – 18/01; segunda parcela – 18/02; terceira parcela – 18/03; quarta parcela – 19/04; quinta parcela – 18/05.
  • Final 2: primeira parcela – 18/01; segunda parcela – 18/02; terceira parcela – 18/03; quarta parcela – 19/04; quinta parcela – 18/05.
  • Final 3: primeira parcela – 19/01; segunda parcela – 19/02; terceira parcela – 19/03; quarta parcela – 20/04; quinta parcela – 19/05.
  • Final 4: primeira parcela – 19/01; segunda parcela – 19/02; terceira parcela – 19/03; quarta parcela – 20/04; quinta parcela – 19/05.
  • Final 5: primeira parcela – 20/01; segunda parcela – 22/02; terceira parcela – 22/03; quarta parcela – 22/04; quinta parcela – 20/05. 
  • Final 6: primeira parcela – 20/01; segunda parcela – 22/02; terceira parcela – 22/03; quarta parcela – 22/04; quinta parcela – 20/05.
  • Final 7: primeira parcela – 20/01; segunda parcela – 23/02; terceira parcela – 23/03; quarta parcela – 23/04; quinta parcela – 21/05.
  • Final 8: primeira parcela – 21/01; segunda parcela – 23/02; terceira parcela – 23/03; quarta parcela – 23/04; quinta parcela – 21/05.
  • Final 9: primeira parcela – 22/01; segunda parcela – 24/02; terceira parcela – 24/03; quarta parcela – 26/04; quinta parcela – 24/05.
  • Final 0: primeira parcela – 22/01; segunda parcela – 24/02; terceira parcela – 24/03; quarta parcela – 26/04; quinta parcela – 24/05.

Leia também: Avaliação: nova S10 é marrenta, mas tem valentia? 

Rio Grande do Sul

O Rio Grande do Sul manteve sua alíquota de 3% para carros e picapes, independentemente de qual seja o combustível usado. Mas o desconto por pagamento antecipado foi válido apenas para quem pagou até 30 de dezembro.

Os proprietários dos veículos poderão aplicar o desconto Bom Motorista e Bom Cidadão no momento do pagamento, que pode reduzir o valor do IPVA em até 25,05%. 

Ainda há a possibilidade de pagar parcelado e com desconto, sendo: 3% para quem pagar a primeira parcela até 29 de janeiro; 2% para pagamento da segunda até 26 de fevereiro; 1% para quem pagar a terceira até 31 de março.

A tabela abaixo mostra a data limite para pagamento da cota única. Em caso de parcelamento, deve ser considerado o último dia útil de cada mês.

  • Final 1: vencimento cota única – 01/04
  • Final 2: vencimento cota única – 05/04
  • Final 3: vencimento cota única – 07/04
  • Final 4: vencimento cota única – 09/04
  • Final 5: vencimento cota única – 12/04
  • Final 6: vencimento cota única – 14/04
  • Final 7: vencimento cota única – 16/04
  • Final 8: vencimento cota única – 19/04
  • Final 9: vencimento cota única – 23/04
  • Final 0: vencimento cota única – 26/04

Pernambuco

O pagamento à vista do IPVA no estado de Pernambuco vai gerar um desconto de 7% ao proprietário, caso seja pago em fevereiro. Também pode ser feito o parcelamento em três vezes, sendo que a primeira delas é cobrada no segundo mês do ano.

Os carnês para pagamento chegam aos proprietários neste mês e a alíquota varia entre 3% e 4%, de acordo com a potência do veículo.

  • Final 1: primeira parcela – 09/02; segunda parcela – 09/03; terceira parcela – 06/04.
  • Final 2: primeira parcela – 09/02; segunda parcela – 09/03; terceira parcela – 06/04
  • Final 3: primeira parcela – 12/02; segunda parcela – 12/03; terceira parcela – 09/04.
  • Final 4: primeira parcela – 12/02; segunda parcela – 12/03; terceira parcela – 09/04.
  • Final 5: primeira parcela – 19/02; segunda parcela – 17/03; terceira parcela – 14/04.
  • Final 6: primeira parcela – 19/02; segunda parcela – 17/03; terceira parcela – 14/04. 
  • Final 7: primeira parcela – 23/02; segunda parcela – 24/03; terceira parcela – 20/04.
  • Final 8: primeira parcela – 23/02; segunda parcela – 24/03; terceira parcela – 20/04.
  • Final 9: primeira parcela – 26/02; segunda parcela – 31/03; terceira parcela – 28/04.
  • Final 0: primeira parcela – 26/02; segunda parcela – 31/03; terceira parcela – 28/04.

Leia também: Quais carros mais subiram e quais mais caíram em 2020? 

Ceará

Para conseguir o desconto de 5% no IPVA, os donos de veículos no Ceará terão de pagar o valor cheio do imposto até 29 de janeiro. O pagamento pode ser feito também de forma parcelada, em até cinco vezes – as datas limites de cada parcela estão na tabela abaixo.

A taxa para cobrança do imposto varia entre 0,5% e 3,5%, sendo a maioria dos veículos com alíquota aplicada em 3,5%.

  • 1ª parcela: 10/02
  • 2ª parcela: 10/03
  • 3ª parcela: 12/04
  • 4ª parcela: 10/05
  • 5ª parcela: 10/06

Pará

Assim como na Bahia, o estado do Pará vai cobrar 2,5% de taxa do valor venal do veículo como IPVA. Vale lembrar que os veículos com mais de 15 anos de fabricação já possuem isenção no estado.

Quem antecipar o pagamento e não tiver multas de trânsito nos últimos dois anos terá um desconto de 15% no imposto. Caso o pagamento seja feito integralmente até a data limite da primeira parcela e não tenha multas, o abatimento é de 10%.

Caso haja infração registrada em 2020, mas o pagamento integral seja antecipado, o desconto é de 5%. Além do formato à vista, o proprietário poderá realizar o pagamento em três parcelas, mensais e sucessivas, sem desconto. As datas ainda não foram liberadas pelo governo estadual.

Leia também: Chevrolet fará mais dois SUVs e picapes com R$ 10 bilhões 

Goiás

Em Goiás, os carros 1.0 têm alíquota de 2,5%. Acima disso, a taxa é de 3,75%. Já picapes e utilitários têm percentual de 3,45% sobre o preço do veículo na Tabela Fipe.

Os proprietários de veículos 1.0 com IPVA dos anos anteriores em dia e sem infrações de trânsito podem atingir até 50% de desconto. Também são aplicados abatimentos de 5% e 10% para os inscritos na Nota Fiscal Goiana.

  • Final 1: primeira parcela – 28/01; segunda parcela – 25/02; terceira parcela – 25/03.
  • Final 2: primeira parcela – 04/02; segunda parcela – 04/03; terceira parcela – 06/04
  • Final 3: primeira parcela – 04/03; segunda parcela – 06/04; terceira parcela – 06/05.
  • Final 4: primeira parcela – 06/04; segunda parcela – 06/05; terceira parcela – 07/06.
  • Final 5: primeira parcela – 06/05; segunda parcela – 07/06; terceira parcela – 06/07.
  • Final 6: primeira parcela – 07/06; segunda parcela – 06/07; terceira parcela – 05/08. 
  • Final 7: primeira parcela – 06/07; segunda parcela – 05/08; terceira parcela – 09/09.
  • Final 8: primeira parcela – 05/08; segunda parcela – 09/09; terceira parcela – 07/10.
  • Final 9: primeira parcela – 09/09; segunda parcela – 07/10; terceira parcela – 04/11.
  • Final 0: primeira parcela – 30/09; segunda parcela – 28/10; terceira parcela – 30/11.

Você também pode se interessar por:

22 SUVs que serão lançados no Brasil em 2021
13 sedans e hatches que serão lançados no Brasil em 2021
Quais carros mais subiram e quais mais caíram nas vendas em 2020?
Avaliação: Chevrolet S10 2021 é mais marrenta, mas tem valentia?

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*