Picape Toyota Hilux Sw4 com Ar condicionado, Trio eletrico

A picape média mais vendida no Brasil foi reestilizada.

A Toyota Hilux 2019 não teve alterações na parte mecânica, mas apresenta alta nos preços, para-choques mais aerodinâmicos, projetores de LED e rodas de liga leve aro 18.

A versão de trabalho agora tem câmera de ré e parte de R$ 111.990. A topo de linha chega a R$ 196.990. Saiba o que mudou na Hilux, seus preços, consumo, valor de manutenção e detalhes de cada versão.

Motorização e câmbio Toyota Hilux 2019

A nova Toyota Hilux oferece duas opções de motor. O de entrada, 2.7 de 163 cv e torque máximo de 25 kgfm, é o mesmo da antiga geração. Esse propulsor pode ser combinado com câmbio manual de cinco marchas ou automático de seis.

A outra motorização disponível, a diesel, 2.8 1GD oferece 177 cv e 45,9 kgfm de torque. É sempre combinada com a tração integral e a caixa de transmissão pode ser manual ou automática de seis marchas.

Aceleração: com o 2.7 a Hilux 2019 faz de 0 a 100 em 15 segundos. O 2.8 chega à mesma velocidade em 11,8 segundos.

Ângulos de entrada e saída

Ataque 33º e saída 26º

Toyota Hilux 2019: versões

  • [Usado x 0 km] Toyota Hilux 2012 X Chevrolet S10 2018

Picape Toyota Hilux Sw4 com Ar condicionado, Trio eletricoPicape Toyota Hilux Sw4 com Ar condicionado, Trio eletricoPicape Toyota Hilux Sw4 com Ar condicionado, Trio eletricoPicape Toyota Hilux Sw4 com Ar condicionado, Trio eletricoPicape Toyota Hilux Sw4 com Ar condicionado, Trio eletricoPicape Toyota Hilux Sw4 com Ar condicionado, Trio eletricoPicape Toyota Hilux Sw4 com Ar condicionado, Trio eletrico

  • Picape Toyota Hilux Sw4 com Ar condicionado, Trio eletrico
  • Picape Toyota Hilux Sw4 com Ar condicionado, Trio eletrico
  • Picape Toyota Hilux Sw4 com Ar condicionado, Trio eletrico

Principal novidade : ar-condicionado automático e digital

Três airbags, freios ABS com EBD, alarme perimétrico, Isofix, faróis de neblina, maçanetas internas cromadas, maçanetas externas na cor da carroceria, retrovisores na cor preta, sistema de som com quatro alto-falantes, acendimento automático dos faróis, apoio de braço traseiro com porta-copos, banco do motorista com ajuste de altura, banco traseiro bipartido e rebatível, volante ajustável em altura e profundidade, computador de bordo, compartimento refrigerado no painel, faróis com follow me home, volante e manopla de câmbio em couro, protetor de caçamba, trio elétrico, sistema multimídia com leitor de DVD e Bluetooth, volante multifuncional.

  • Toyota Hilux SRV 2.7 Flex

As novidades são: novos para-choques, rodas de 18 polegadas, estepe liga-leve, sete airbags (dois dianteiros, dois laterais, dois de cortina e um de joelho para o motorista), assistente de partida em rampas e de reboque, controles de estabilidade e tração, luz de frenagem de emergência, alarme perimétrico e volumétrico, maçanetas externas cromadas, retrovisores externos cromados e rebatíveis eletricamente, ar-condicionado automático digital, banco do motorista com ajustes elétricos, computador de bordo com tela TFT de 4,2 polegadas, porta-luvas com amortecedores, retrovisor interno eletrocrômico, bancos em couro e material sintético, destravamento das portas sem chave, partida por botão, entre outros.

  • Dica do Boris: Picape a diesel ou a gasolina?
  • Toyota Hilux 2019 STD Power Pack 2.8 Diesel

Principais novidades: luzes de condução diurna, chave tipo canivete, travas automáticas das portas, retrovisores elétricos, volante multifuncional e rádio com leitor de CD, Bluetooth, USB e entrada auxiliar.

Conta com quase todos itens da Hilux SR 2.7 Flex (faróis de neblina, para-choque traseiro cromado, banco do motorista com ajuste de altura, volante com ajustes, banco traseiro bipartido e rebatível, computador de bordo, estribos laterais e sistema de som não estão inclusos), bloqueio do diferencial traseiro e maçanetas externas e internas sem pintura.

  • Toyota Hilux SR 2.8 Diesel

Equipamentos da Hilux SR 2.7 Flex, ar-condicionado automático digital, controle de cruzeiro, central multimídia com tela de sete polegadas, TV digital, DVD player, câmera de ré e Bluetooth, bloqueio do diferencial traseiro.

  • Toyota Hilux 2019 SRV 2.8 Diesel 

Airbags laterais e de cortina (mais os três convencionais), assistente de descida, assistente de reboque, assistente de subida, controles de estabilidade e tração, luz de frenagem de emergência, alarme volumétrico e perimétrico, estepe com roda de liga-leve, maçanetas externas e internas cromadas, retrovisores externos cromados rebatíveis eletricamente, sistema de som com seis alto-falantes, banco do motorista elétrico, painel com tela TFT de 4,2 polegadas, bancos em couro, estribos laterais na cor preta, limpador de para-brisa intermitente, retrovisor interno eletrocrômico, chave presencial, partida por botão e as rodas de liga-leve de 18 polegadas (usadas na antiga SRX) de série.

  • Toyota Hilux SRX 2.8 Diesel

Faróis e luzes de LED, nivelamento automático dos faróis, bancos em couro perfurado, capota marítima rodas de 18 polegadas. Logo em comemoração aos 50 anos da picape, novo quadro de instrumentos com tela ao centro e cabine com revestimento preto. Isso com adição dos equipamentos oferecidos na versão SRV.

STD Narrow, Cabine Simples e Chassi, voltadas para trabalho, ganham luzes de condução diurna, sistema follow me home e revestimento sintético dos bancos.

  • Você viu? S10 2019 ganha reforço na segurança

Preços Toyota Hilux 2019

 FLEX

Versão 
Preço 2019
Alta em relação à 2018
CD 4×2 SR manual R$ 111.990 R$ 2.450
CD 4×2 SR automática R$ 117.990 R$ 2.410
CD 4×2 SRV manual R$ 129.990 R$ 4.980
CD 4×2 SRV automática R$ 140.990 R$ 5.220

DIESEL 

Versão 
Preço 2019
Alta em relação à 2018
CS 4×4 Chassi R$ 121.530 R$ 1.380
CD 4×4 R$ 125.560 R$ 1.420
CD 4×4 Narrow manual R$ 138.010 R$ 1.550
CD 4×4 Power Pack R$ 140.490 R$ 3.520
CD 4×4 SR automática R$ 160.490 R$ 3.520
CD 4×4 SRV automática R$ 179.990 R$ 7.820
CD 4×4 SRX automática R$ 196.990 R$ 2.750

Consumo Toyota Hilux 2019

Na cidade

Versão
Câmbio
Tração
Combustível
Consumo
CD 2.7 Flex AT 4×2 etanol 4,8 km/litro
CD 2.7 Flex AT 4×2 gasolina 6,9 km/litro
CD 2.7 Flex AT 4×4   etanol 4,8 km/litro
CD 2.7 Flex AT 4×4 gasolina 6,9 km/litro
CD 2.8 AT 4×4 diesel 9,0 km/litro
CS 2.8 MT 4×4 diesel 9,3 km/litro

Fonte | Programa Brasileiro de Etiquetagem (PBE) do Inmetro

Na estrada 

Versão
Câmbio
Tração
Combustível
Consumo
CD 2.7 Flex AT 4×2 etanol 5,6 km/litro
CD 2.7 Flex AT 4×2 gasolina 8,1 km/litro
CD 2.7 Flex AT 4×4 etanol 5,6 km/litro
CD 2.7 Flex AT 4×4 gasolina 8,1 km/litro
CD 2.8 AT 4×4 diesel 10,5 km/litro
CS 2.8 MT 4×4 diesel 11,2 km/litro

Fonte | Programa Brasileiro de Etiquetagem (PBE) do Inmetro

Manutenção Toyta Hilux 2019

Quilometragem
Valor revisão  Hilux 2.7 Flex
Valor revisão Hilux 2.8 Diesel
10.000 km  R$ 332 R$ 522
20.000 km  R$ 775 R$ 950
30.000 km  R$ 634 R$ 1.018
40.000 km  R$ 1.552 R$ 1.571
50.000 km  R$ 634 R$ 809
60.000 km  R$ 1.133 R$ 1.105

Fonte | Toyota

  • Leia mais: Qual das picapes compactas pega mais pesado?

Fotos Toyota | Divulgação

Toyota Hilux Challenge é maior novidade da linha 2018

18-10-2017 18h53 por KBB – Hector Vieira

Além da versão inédita, Toyota introduziu novos equipamentos e outras versões para o SUV SW4 e para a picape.

A Toyota apresentou nesta quarta-feira (18) as linhas 2018 da picape Hilux e do SUV SW4.

As principais novidades são as cinco novas versões dos dois modelos (três para a Hilux e duas para o SW4), além de faróis de neblina de LED para as opções SRX de ambos.

Entre as versões inéditas, a que mais se destaca é a Challenge, da Hilux, que conta com personalização diferenciada. Mecânica e visual se mantiveram inalterados. 

A Hilux Challenge substitui a configuração SR da picape e é oferecida exclusivamente com o motor 2.8 turbodiesel de 177 cv e 45,9 kgfm de torque, acoplado à transmissão composta por câmbio automático de 6 marchas e tração 4×4. Ela parte de R$ 161.

990, com cabine dupla, e a lista de equipamentos é igual à da versão intermediária que ela substitui, com destaque para o ar-condicionado digital automático, três airbags, central multimídia touchscreen com tela de 7 polegadas, trio elétrico e faróis de neblina.

Leia também:  Carros Ford Ecosport em São Paulo com final da placa 1,2 Não blindado

Sente-se falta apenas do controle eletrônico de estabilidade, disponível somente a partir da versão SRV.

Picape Toyota Hilux Sw4 com Ar condicionado, Trio eletrico

Você reconhecerá a nova Hilux Challenge facilmente. A Toyota tratou de atribuir um estilo único à versão recheando-a de acessórios, como santantônio preto com inscrição “Challenge”, para-lamas revestidos com capa preta, grade dianteira, estribo tubular, maçanetas pretas e adesivos aventureiros. Disponível nas cores vermelha e branca, a marca espera vender 200 unidades desta versão por mês. 

A outra versão inédita da Hilux faz parte da gama flex da picape. Por bastante tempo, só a Toyota oferecia câmbio automático para as versões flex de uma picape média. E oferecia apenas essa opção, com boas vendas.

 Foi assim até que a Chevrolet passou a ter esta alternativa para a S10 flex (e a vender mais). Se a concorrência oferece as duas, a Toyota resolveu fazer o mesmo e trazer ao mercado a versão SR 4×2 com câmbio manual de 5 marchas.

Segundo a fabricante, 87% dos consumidores de picapes flex preferem câmbio manual ao automático. Por que então só agora, Toyota?

Picape Toyota Hilux Sw4 com Ar condicionado, Trio eletrico

A nova versão tem como destaque o ar-condicionado manual, coluna de direção com ajuste de profundidade, controlador de velocidade, direção hidráulica progressiva, faróis de neblina e modos de condução ECO e Power. Ela parte de R$ 108.990. 

A última novidade da Hilux é destinada às vendas diretas. Trata-se da versão 4×4 Narrow turbodiesel com câmbio manual, que custa R$ 135.780. Com isso, a gama da picape tem preços que variam de R$ 108.990 a R$ 193.270, conforme detalharemos ao final desta reportagem.

LINHA 2018 DO TOYOTA SW4

Em time que está ganhando, não se mexe. Ou se mexe pouco, pelo menos. Com mais de 50% do mercado de SUVs médios na mão, a única novidade do SW4 para 2018 é a versão SRV 4×2 flex, com câmbio automático de 6 marchas. Segundo a Toyota, os clientes do utilitário que preferem a versão flex sentiam falta de uma opção tão refinada quanto a topo de linha com motor turbodiesel.

Portanto, a companhia resolveu configurar esta nova versão com tudo a que o cliente tem direito: bancos de couro, chave inteligente e partida por botão, central multimídia de 7 polegadas touchscreen com TV digital e GPS, paddle shifts, maçanetas cromadas, painel com detalhes de madeira, ar-condicionado automático, ajustes elétricos dos bancos, airbags laterais e do tipo cortina e computador de bordo com tela TFT. Ainda há o importante controle eletrônico de estabilidade, disponível de série em todas as versões do SW4. 

O motor 2.7 16V flex da Hilux e do SW4 é capaz de gerar 163 cv com etanol e 159 cv com gasolina. O torque máximo é sempre de 25 kgfm.

A nova opção topo de linha da gama flex do SW4 custa R$ 178.990. Com ela, os preços do SUV variam de R$ 152.090 a R$ 252.790. 

MERCADO DEVE CRESCER

A companhia aproveitou o evento de apresentação da linha 2018 da Hilux e do SW4 para prever que as vendas do setor automotivo vão crescer em relação ao ano passado.

Para a Toyota, o Brasil deverá vender 10% a mais de automóveis e comerciais leves.

Os segmentos de picapes e de SUVs médios (inclua neste último modelos como Ford Edge, Chevrolet Trailblazer, Mitsubishi Pajero, Land Rover Discovery Sport e Kia Sorento) devem anotar 7% de acréscimo, cada um, ao final de 2017. 

Picape Toyota Hilux Sw4 com Ar condicionado, Trio eletrico

Lembrando que, de acordo com dados da Fenabrave (federação dos concessionários), tivemos pouco mais de 1,9 milhão de unidades vendidas de automóveis e comerciais leves em 2016. 

PREÇOS DA LINHA 2018 DA TOYOTA HILUX E SW4

TOYOTA HILUX:

SR 4×2 M/T flex cabine dupla: R$ 108.990
SR 4×2 A/T flex cabine dupla: R$ 115.000
SRV 4×2 A/T flex cabine dupla: R$ 124.380
SRV 4×4 A/T flex cabine dupla: R$ 135.090
Chassi 4×4 M/T diesel cabine simples: R$ 119.

550
Cabine 4×4 M/T diesel: R$ 123.520
STD 4×4 M/T diesel Narrow cabine dupla: R$ 135.780
STD 4×4 M/T diesel cabine dupla: R$ 136.280
SR Challenge 4×4 A/T diesel cabine dupla: R$ 161.

990
SRV 4×4 A/T diesel cabine dupla: R$ 171.260

  • SRX 4×4 A/T diesel cabine dupla: R$ 193.270
  • TOYOTA SW4:

SR 4×2 M/T flex de 5 assentos: R$ 152.090
SR 4×2 A/T flex de 5 assentos: R$ 165.640
SR 4×2 A/T flex de 7 assentos: R$ 171.140
SRV 4×2 A/T flex de 7 assentos: R$ 178.990
SR 4×4 A/T diesel de 5 assentos: R$ 228.320
SRX 4×4 A/T diesel de 5 assentos: R$ 247.160

SRX 4×4 A/T diesel de 7 assentos: R$ 252.790

Toyota Hilux e SW4 2018 trazem novidades e partem de R$ 108.990

A Toyota está oferecendo no mercado brasileiro a linha 2018 dos utilitários Hilux e SW4. A picape agora conta com três novas versões, totalizando 11 configurações disponíveis, enquanto o SUV passa a ser comercializado com duas novas variantes, chegando a sete modelos. Os preços partem de R$ 108.990 para a Toyota Hilux 2018 e R$ 152.090 para o Toyota SW4 2018.

Entre os equipamentos, as versões SRX da Hilux e do SW4 agora saem de fábrica com faróis de neblina dianteiros em LED. O SUV topo de linha recebe ainda banco do passageiro com ajustes elétricos.

Na linha da Hilux 2018, o destaque é a série especial SR Challenge, que tem como base o modelo SR diesel com motor 2.8 de 177 cv, câmbio automático de seis marchas e tração 4×4.

Entre os diferenciais, o modelo oferece pintura preta nas rodas de liga-leve aro 17, capa dos retrovisores, maçanetas das portas, estribos laterais e grade frontal, além de adesivos exclusivos, molduras nas caixas de roda, protetor de para-choques, faróis com máscara negra, lanternas escurecidas, entre outros.

VEJA TAMBÉM:

O interior, por sua vez, recebe bancos e painéis de porta com tecidos com costuras vermelhas, tapetes com o emblema Challenge e painel preto com friso vermelho. O modelo é equipado com sistema multimídia com tela sensível ao toque de sete polegadas e DVD player, computador de bordo, volante multifuncional revestido em couro, trio elétrico, câmera de ré, entre outros.

A Toyota Hilux SR Challenge pode ser encontrada somente nas cores Branco Polar e Vermelho Metálico.

Há ainda a nova versão Hilux SR Flex 4×2 com câmbio manual, dotada de itens como direção hidráulica progressiva, ar-condicionado manual, volante ajustável em altura e profundidade, banco do motorista regulável em altura, computador de bordo monocromático, controle de cruzeiro, faróis de neblina dianteiros, modos de condução Eco e Power, protetor de caçamba, retrovisores externos na cor preta com indicadores de direção, trio elétrico, rodas de liga-leve aro 17 e sistema multimídia com DVD player e Bluetooth.

A Hilux 2018 passa a dispor também da variante Narrow Cabine Dupla diesel 4×4 com câmbio manual, disponível somente para venda direta.

Do lado do Toyota SW4 2018, agora há a nova versão SRV 4×2 flex automática de sete lugares.

A variante oferece banco do motorista com ajustes elétricos, painel com detalhes em madeira, computador de bordo, bancos em couro, paddle shifts, ar-condicionado, airbags laterais e de cortina, entre outros.

Outra novidade é a SR diesel 4×4 automática de cinco lugares, com itens como sistema multimídia com GPS, TV digital, DVD player e câmera de ré.

Confira os preços das novas linhas Toyota Hilux 2018 e Toyota SW4 2018:

Toyota Hilux 2018 SR 4×2 M/T flex Cabine Dupla: R$ 108.990 SR 4×2 A/T flex Cabine Dupla: R$ 115.000 Chassi 4×4 M/T diesel Cabine Simples: R$ 119.550 Cabine 4×4 M/T diesel: R$ 123.520 SRV 4×2 A/T flex Cabine Dupla: R$ 124.

380 SRV 4×4 A/T flex Cabine Dupla: R$ 135.090 STD 4×4 M/T diesel Narrow Cabine Dupla: R$ 135.780 STD 4×4 M/T diesel Cabine Dupla: R$ 136.280 SR Challenge 4×4 A/T diesel Cabine Dupla: R$ 161.990 SRV 4×4 A/T diesel Cabine Dupla: R$ 171.

260

Leia também:  Hatch Toyota Quilometragem Até 38,983 km a Tri-flex

SRX 4×4 A/T diesel Cabine Dupla: R$ 193.270

Toyota SW4 2018 SR 4×2 M/T flex de 5 lugares: R$ 152.090 SR 4×2 A/T flex de 5 lugares: R$ 165.640 SR 4×2 A/T flex de 7 lugares: R$ 171.140 SRV 4×2 A/T flex de 7 lugares: R$ 178.990 SR 4×4 A/T diesel de 5 lugares: R$ 228.320 SRX 4×4 A/T diesel de 5 lugares: R$ 247.160

SRX 4×4 A/T diesel de 7 lugares: R$ 252.790

Galeria de fotos das novas Toyota Hilux 2018 e Toyota SW4 2018

Toyota Hilux – toyota hilux ar condicionado flex preto sao jose rio usado – Mitula Carros

32 carros encontrados

Toyota Hilux Cd Sr 4×2 2.7 16v/2.7 Flex Aut. 2017 Flex Branco

 10

Toyota Hilux Sw4 2.7 Srv 7l 16v Flex 4p Automático

 10

Toyota Hilux 2.7 Cd Srv 16v Flex 4p Automático

 10

Toyota Hilux Sw4 2.7 Srv 7l 16v Flex 4p Automático

 10

Toyota Hilux 2.7 Cd Srv 16v Flex 4p 4×4 Automático

 10

Toyota Hilux Prata 2015/2015 Gasolina E Álcool Em São José Do Rio Preto

 1

Toyota Hilux 2.7 Cd Srv 16v Flex 4p Automático

 8

Toyota Hilux Prata 2012/2012 Gasolina E Álcool Em São José Do Rio Preto

 1

Toyota Hilux Prata 2017/2017 Gasolina E Álcool Em São José Do Rio Preto

 1

Toyota Hilux Sw4 Prata 2016/2017 Gasolina E Álcool Em São José Do Rio Preto

 1

Toyota Hilux 2.7 Cd Srv 16v Flex 4p 4×4 Automático

 10

Toyota Hilux 2.7 Cd Sr 16v Flex 4p Automático

 10

Toyota Hilux Branco 2019/2020 Gasolina E Álcool Em São José Do Rio Preto

 1

Toyota Hilux usada é picape com fama de inquebrável e querida nas lojas

A Hilux manteve a fama do Corolla, de veículo que não dá problemas Christian Castanho/Quatro Rodas

Produzido no Brasil há 22 anos, o Corolla levou poucos anos para consolidar-se como a referência entre os sedãs médios. Serviu de parâmetro para a irmã Hilux, que manteve a fama de inquebrável e elevado valor de revenda. A Hilux tornou-se uma picape que alia o rodar confortável à praticidade do câmbio automático de seis marchas.

Nunca foi a mais rápida (0 a 100 km/h em 13,9 segundos), mas seu motor 2.8 turbodiesel de 177 cv e 45,9 kgfm de torque agrada pelo consumo: 10 km/l na cidade e 12 km/h na estrada.

A Black Friday já começou na Quatro Rodas! Clique aqui e assine por apenas R$ 5,90

A tração 4×4 (acionada por um seletor eletrônico) está sempre presente nessa configuração de motor. Vale a pena investir na versão topo de linha SRX: traz partida por botão, banco elétrico, faróis de led com acendimento automático, controle de velocidade para descidas e rodas de 18 polegadas.

A intermediária SRV reúne ESP, painel com tela de 4,2 polegadas, bancos de couro, ar-condicionado digital com saída para os bancos traseiros, central multimídia, piloto automático, faróis de neblina e assistentes de reboque e saída de rampas.

Considere a versão SR apenas se o preço for convidativo, pois ela traz somente o básico: trio elétrico, volante multifuncional, central multimídia e rodas de liga leve aro 17. Uma boa oportunidade para quem deseja uma Hilux barata é optar pela versão standard com câmbio manual de seis marchas, tomando os devidos cuidados por ser uma versão voltada a serviços pesados por frotistas.

Podendo escolher, prefira a versão topo de linha SRX, que é mais equipada Christian Castanho/Quatro Rodas

A melhor novidade de 2017 da Hilux foi o motor flex 2.7 de 163/159 cv. Ele gasta mais (7 km/l na cidade e 8,6 km/l na estrada) e anda menos (0 a 100 km/h em 15,1 segundos), mas aniquilou a concorrência já combinado ao câmbio automático de seis marchas.

Também vale a pena a versão SRV, a mais equipada: outra dica para pagar menos é procurar pela versão 4×2.

A 2018 trouxe avanços: a SR foi renomeada SR Challenge e recebeu faróis e lanternas com máscara negra, santantônio, estribos laterais, rodas pretas, apliques de plástico no para-choque e caixas de roda e grafismos nas laterais. O motor flex 2.7, por sua vez, passou a contar com a (rara) opção do câmbio manual de cinco marchas.

A reestilização promovida no modelo 2019 trouxe poucas mudanças: a topo de linha SRX ganhou luzes diurnas de led nos faróis e, com exceção da versão standard, todas tiveram a dianteira redesenhada, com discretas alterações no para-choque e na grade. Em 2020, todas as versões passaram a contar com airbags laterais e de cortina, além de ESP e assistente de partida em rampas.

Onde o bicho Pega

Christian Castanho/Quatro Rodas

Infiltração de poeira:  Problema crônico que afetou os modelos 2016 e 2017, causado por falhas de vedação nas borrachas das portas e por falha nas saídas de ar da cabine. Circule por uma estrada de terra e verifique a limpeza atrás do encosto do banco traseiro.

Continua após a publicidade

Adulteração da ECU:  Mais comum no motor 2.8 turbodiesel, a central eletrônica é modificada para aumentar a pressão de trabalho do turbo e a injeção de combustível. O acréscimo de torque e potência pode prejudicar a transmissão e é identificada pela eliminação do filtro DPF.

Embreagem:  O problema mais comum ocorre no rolamento (colar) em veículos submetidos a condições adversas de trabalho. Verifique se o acionamento do pedal continua suave, sem trepidar ou patinar. O conjunto completo é consideravelmente caro.

Câmbio automático:  Seu funcionamento deve ser suave e regular: trancos e retenções desnecessárias são maus indícios.

Freios:  O uso incorreto do câmbio automático em declives costuma sobrecarregar os discos de freio, situação que provoca o empenamento da peça. O problema é mais fácil de ser detectado em rodovias devido à trepidação do volante em velocidades acima dos 80 km/h.

A voz do dono

Nome: Germano Hadler
Idade: 47 anos
Profissão: empresário
Cidade: Pelotas (RS)

O que eu adoro:
“Robusta e confiável, mecânica consolidada. O câmbio automático é bem escalonado para uso misto cidade/campo. A ampla rede autorizada facilita a manutenção em qualquer local do país.”

O que eu odeio:
“Falta torque e potência em ultrapassagens. Interior preto realça a infiltração de poeira, problema crônico. Rodas de 18” são inadequadas na terra e há pouca tecnologia pelo preço que se paga.”

Preço médio dos usados (tabela KBB Brasil)

Arte/Quatro Rodas

Preço das Peças

nós dissemos Arte/Quatro Rodas

Nós dissemos

Acervo/Quatro Rodas

Dezembro de 2015 “Se antes a Hilux já parecia um carro de passeio, a distância para o Corolla ficou ainda menor. A dianteira, com grade e faróis parecendo uma peça só, e os leds não negam a semelhança com o sedã. A cabine ganhou acabamento em tons escuros, (…) com apliques imitando fibra de carbono e alumínio.”

Pense também em uma…

Acervo/Quatro Rodas

Chevrolet S10  A Advantage tem motor 2.5 flex com 206 cv e câmbio manual de seis marchas. Já traz a central MyLink e trio elétrico. A LT com 4×4 e câmbio automático de seis marchas ou motor 2.8 diesel de 200 cv, sempre 4×4. As LTZ e High Country incluem transmissão automática, ar digital e pacote de segurança completo.

Não pode ir à banca comprar, mas não quer perder os conteúdos exclusivos da Quatro Rodas? Clique aqui e tenha o acesso digital.

Arte/Quatro Rodas
Continua após a publicidade

  • guia de usados
  • picapes médias
  • toyota hilux
Leia também:  Hatch Ford Ka em Rio De Janeiro com final da placa 9,0

Lançamento: Toyota Hilux e SW4 2017 flex – Revista iCarros

Toyota SW4 e Hilux flex voltam ao catálogo na linha 2017

1/32

Hilux flex é vendida apenas com cabine dupla

2/32

Novidade chega às lojas do País dia 4 de agosto

3/32

Motor flex é o 2.7 que rende 163 cv com etanol e 159 cv com gasolina

4/32

Transmissão é sempre automática de seis marchas

5/32

A Hilux flex terá as configurações SR e SRV, 4×2 ou 4×4, com preços entre R$ 111.700 e R$ 131.200

6/32

Picape flex adota as mesmas mudanças visuais apresentadas nas versões a diesel lançadas no final do ano passado

7/32

Segundo a empresa, o modelo agora está 7% mais eficiente e econômico que o anterior

8/32

Picape faz 4,8 km/l na cidade e 5,6 km/l na estrada com etanol segundo dados do Inmetro

9/32

Bancos são revestidos de couro apenas na versão SRV

12/32

Central multimídia tem TV digital, GPS, DVD e câmera de ré

13/32

Computador de bordo com tela de 4,2 polegadas também só na SRV

15/32

SW4 flex terá apenas a opção de acabamento SR com cinco ou sete lugares

16/32

Valores variam entre R$ 159.600 e R$ 164.900

17/32

Motor é o mesmo 2.7 de 163 cv (etanol) da Hilux

18/32

Transmissão também é automática, mas há uma opção manual para venda direta

19/32

Visual é o mesmo apresentado na nova geração no início do ano

20/32

Central multimídia tem TV digital, GPS, DVD e câmera de ré

28/32

SW4 só tem opção de bancos de tecido

29/32

Quando a Toyota mudou a geração da Hilux no final do ano passado e do SW4 no início de 2016, lançou, inicialmente, apenas as configurações a diesel – e a gasolina no caso do SUV. Como prometido, no segundo semestre retornam ao mercado as opções flex de ambos os modelos com as mesmas atualizações apresentadas anteriormente.

Tanto a picape como o SUV serão vendidos a partir do dia 4 de agosto em três versões flex. A Hilux terá as configurações SR e SRV, 4×2 ou 4×4, com preços entre R$ 111.700 e R$ 131.200. Já o SW4 terá apenas a opção de acabamento SR com cinco ou sete lugares, custando de R$ 159.600 a R$ 164.

900 – há ainda uma versão de cinco lugares manual destinada apenas à venda direta por R$ 146.550.

Leia mais: Comparativo: S10 High Country x Hilux SRX x Ranger Limited  Comparativo: Trailblazer e SW4 brigam para levar sete passageiros  Lançamento: Toyota Etios Platinum 2017. Veja os preços  Galeria: relembre todas as gerações de Toyota Corolla e Honda Civic  Toyota revela visual do C-HR por completo 

Assim como ocorreu com o propulsor diesel, o motor flex recebeu melhorias. Desenvolvido para o mercado brasileiro, ele conta com duplo comando de válvulas variável na admissão e no escape – antes era só na admissão – e perde o tanquinho auxiliar de partida a frio.

 Em ambos os modelos, trata-se de um 2.7 16V capaz de render 163 cv de potência com etanol (igual ao anterior) ou 159 cv com gasolina (apenas 1 cv a mais). O torque máximo é de 25 kgfm com ambos os combustíveis a 4.

000 rpm, também seguindo inalterado em relação à geração anterior.

Apesar das poucas mudanças, a Toyota afirma que esse motor está 7% mais eficiente e mais econômico que seu antecessor. Isso se dá graças ao comando duplo variável junto com a nova transmissão automática, que passa de quatro para seis marchas.

Há ainda os modos Eco e Power que podem ser usados de acordo com o estilo de condução desejado. Os dados do Inmetro apontam um consumo de 4,8 km/l na cidade e 5,6 km/l na estrada com etanol ou 6,9 km/l e 8,1 km/l, respectivamente, com gasolina na Hilux flex cabine Dupla.

Já no SW4 são 4,9 km/l em uso urbano e 5,9 km/l em rodovias com etanol ou 7,1 km/l e 8,5 km/l na mesma ordem com gasolina.

  • Lista de equipamentos de série
  • Hilux SR Flex: ar-condicionado, banco do motorista com ajuste de altura, direção hidráulica, chave tipo canivete, volante revestido de couro com regulagem de altura e profundidade, computador de bordo, controlador de velocidade, trio elétrico, faróis de neblina, alarme, airbags frontais e de joelho para motorista e central multimídia com tela de 7″ sensível ao toque, GPS, TV Digital, DVD, câmera de ré, Bluetooth e conexões USB e AUX.
  • Hilux SRV Flex: todos os itens da SR mais ar-condicionado digital, banco do motorista com ajustes elétricos, bancos revestidos de couro, assistente de reboque, assistente de partida em rampa e controle de tração e de estabilidade.
  • SW4 SR Flex: ar-condicionado, direção hidráulica, volante com ajustes de altura e profundidade, chave tipo canivete, computador de bordo, controlador de velocidade, compartimento refrigerado no console, estribos laterais, trio elétrico, faróis de neblina, airbags frontais e de joelho para motorista, assistente de reboque, assistente de partida em rampa, controle de tração e de estabilidade, sensor de estacionamento traseiro e central multmídia com tela de 7″ sensível ao toque, GPS, TV Digital, DVD, câmera de ré, Bluetooth e conexões USB e AUX.
  • Impressões ao dirigir

O iCarros availou a picape Hilux flex na versão SRV, de R$ 131.2000. Por fora, traz as mesmas mudanças visuais vistas na nova geração apresentada no final do ano passado, o que agrada. O interior também conta com bom nivel de acabamento, com volante e bancos revestidos de couro e ajustes elétricos para o motorista.

Ao volante, contudo, essa primeira boa impressão se esvai ao pisar fundo no pedal do acelerador. O motor 2.7 de 163 cv (etanol) e 25 kgfm de torque não consegue oferecer respostas ágeis em arrancadas e retomadas à picape de 2.800 kg – lembrando que o 2.8 turbodiesel rende 177 cv e 45,9 kgfm.

Para fazer uma ultrapassagem, por exemplo, é preciso planejar, pisar fundo e aguardar o ruído dos giros subindo.

As seis marchas do câmbio automático são um avanço em relação ao anterior de quatro velocidades, sem dúvida, mas não servem para tornar a Hilux novamente competittiva frente às Chevrolet S10 e Ford Ranger renovadas.

Problemas como a suspensão que chachoalha demais em terrenos irregulares e a direção hidráulica – será preciso aguardar uma nova reformulação para talvez virar elétrica – ainda pesam na decisão.

Por outro lado, o apelo fora de estrada da Hilux parece imbatível, se você não se incomodar com o “pula-pula” na estrada de terra.

Veja os preços de Hilux e SW4 flex 2017:

Hilux SR flex 4×2: R$ 111.700 Hilux SRV flex 4×2: R$ 120.800

Hilux SRV flex 4×4: R$ 131.2000

SW4 SR flex 5 lugares automático: R$ 159.600 SW4 SR flex 7 lugares automático: R$ 164.900

SW4 SR flex 5 lugares manual (venda direta): R$ 146.550

Vai vender? – Mesmo com seus defeitos, a Toyota Hilux ainda vende mais que as rivais com quase 7.000 unidades a mais que a S10 e 10 mil a mais que a Ranger no acumulado de janeiro e julho deste ano. Foram 19.646 unidades da Hilux contra 12.907 da S10 e 8.797 da Ranger.

 Com a chegada das versões flex, essa diferença deve aumentar, ainda que elas representem menos do que as configurações a diesel. Imagine então o que ela poderia fazer com um novo acerto de suspensão e direção elétrica. Pena que essas alterações ficarão para um segundo momento. Por hora, a pespectiva é que a Hilux não precisa se preocupar com os concorrentes, pelo menos no número de vendas.

E o SUV SW4 vai pelo mesmo caminho, vendendo bem mais que seu rival direto, o Chevrolet Trailblazer.

Viagem a convite da Toyota

Acompanhe as novidades do mundo automotivo pelo iCarros no:

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*