Hatch usados a Flex com final da placa 9,0

O que era uma tendência se tornou realidade. Em 2021, os SUVs já aparecem em segundo lugar nas vendas do mercado brasileiro, muito à frente dos sedãs compactos, e atrás apenas dos hatches. Segundo dados da Fenabrave, a federação das concessionárias, os utilitários somam 36,5% dos emplacamentos, ante 40,9% dos hatches e 16% dos sedãs.

Isso explica porque os principais lançamentos de 2021 serão SUVs. Vários deles inclusive são inéditos em nosso mercado. A onda de novos utilitários terá início já no mês de abril, com a chegada do Caoa Chery Tiggo 3X, uma versão atualizada do atual Tiggo 2, porém com design diferente, um novo motor 1.0 turbo e câmbio automático CVT.

O 1º semestre terá também a chegada, em maio, do Ford Bronco, segundo produto da nova fase da marca norte-americana, agora como importadora.

E do Volkswagen Taos, SUV maior que o T-Cross que virá importado da Argentina.

Mas antes dele, no fim de abril, a Fiat vai revelar o inédito SUV do hatch Argo, chamado ainda de Progetto 363.

Mais da metade são SUVs inéditos

O utilitário da marca italiana está previsto para chegar às lojas no início do 2º semestre, mesma época em que a Hyundai vai lançar a nova geração do Creta.

E que a Volvo vai trazer o XC40 Recharge.

O fim do ano ainda terá as estreias de dois SUVs: o inédito Jeep de 7 lugares, e o Exeed LX, modelo da marca de luxo da Chery, que se chamará Caoa Exeed no Brasil.

Entre os SUVs nacionais já conhecidos, dois modelos terão atualizações importantes em breve.

A Jeep vai reestilizar o Compass, que ganhará motor turbo flex e até um painel novo, e a Renault vai renovar o Captur, que promoverá a estreia do motor 1.3 turbo flexível feito com a Mercedes-Benz. Confira os dez principais SUVs que estreiam em 2021.

Hatch usados a Flex com final da placa 9,0Divulgação/Chery

Caoa Chery Tiggo 3X

A Caoa Chery vai lançar em abril o Tiggo 3X, um novo SUV compacto que será posicionado entre o atual Tiggo 2 e o maior Tiggo 5X. O utilitário é a versão atualizada do Tiggo 2, com design mais moderno e novo interior. O modelo também terá um conjunto mecânico inédito, formado por um motor 1.0 turbo flexível tricilíndrico e transmissão do tipo CVT.

Assim, o Tiggo 3X deverá ter preços entre R$ 75 mil e R$ 100 mil, concorrendo com aventureiros como Hyundai HB20X e Renault Stepway, até versões de entrada de SUVs como Chevrolet Tracker, Nissan Kicks e VW Nivus. Com duplo comando variável e injeção direta de combustível, o motor 1.0 turbo terá cerca de 120 cv e 19,2 mkgf de torque.

Hatch usados a Flex com final da placa 9,0Jeep/Divulgação

Novo Jeep Compass

Após cinco anos de mercado, sendo líder geral dos SUVs em dois deles, o Jeep Compass está prestes a mudar.

O SUV feito em Goiana, Pernambuco, vai receber uma extensa reestilização em maio que vai alterar sutilmente o design externo, mas modificará o interior, com direito a Wi-Fi e uma grande multimídia.

E terá o inédito motor 1.3 GSE turbo flex da Stellantis.

Mas não é só. O novo Jeep Compass contará ainda com o motor 2.0 turbo diesel recalibrado para gerar cerca de 203 cv de potência e quase 40 mkgf de torque. Este motor permanecerá combinado à transmissão automática de nove marchas e disponível nas versões 4×4, enquanto o 1.3 turbo flex vai trabalhar com o câmbio automático de seis velocidades.

Hatch usados a Flex com final da placa 9,0Renault/Divulgação

Novo Renault Captur

A Renault anunciou no início de março o investimento de R$ 1,1 bilhão na fábrica de São José dos Pinhais, no Paraná, para renovar sua gama nacional de veículos. Pois o primeiro modelo da marca a mudar será o Captur. O SUV compacto receberá uma leve reestilização em maio que vai modernizar principalmente a dianteira, com adoção de faróis full LED.

Outra novidade importante no novo Renault Captur será a mecânica. O SUV vai estrear o inédito 1.3 TCe turbo flexível. Este motor foi feito em parceria com a Mercedes-Benz e vai alçar o Captur a um novo patamar de desempenho, com potência de 163 cv e um torque de 25,5 mkgf. O 1.3 turbo virá acompanhado do novo câmbio CVT com simulação de oito marchas.

Hatch usados a Flex com final da placa 9,0Ford/Divulgação

Ford Bronco

A Ford está reorganizando sua operação brasileira após anunciar, em janeiro, o fim da produção de veículos no país.

Sem os antigos carros nacionais (linha Ka e Ecosport), a marca vai apenas importar veículos para cá. E o Bronco Sport será o primeiro modelo da nova safra de utilitários premium da montadora.

A estreia está confirmada para o mês de maio.

Com preço inicial estimado em R$ 200 mil, o SUV médio virá importado do México em três configurações: Black Diamond, Big Bend e Wildtrak. Nos registros feitos no Brasil, o trio utiliza o mesmo motor 2.0 turbo de 248 cv e 38 mkgf de torque, além do câmbio automático de oito marchas. Voltado ao fora-de-estrada, o Bronco Sport terá tração nas quatro rodas.

Volkswagen Taos

Enfim está chegando a hora do lançamento oficial do Volkswagen Taos.

A montadora alemã anunciou o seu rival para o Jeep Compass em setembro de 2020, e, desde então, vem promovendo várias ações com o SUV.

Pois o Taos virá importado da Argentina entre maio e junho, com preço inicial próximo de R$ 140 mil, tal como o recém-lançado Toyota Corolla Cross.

Maior e mais refinado que o T-Cross, o Taos é menor do que o Tiguan Allspace, e um pouco mais comprido que o Compass. Um dos trunfos será o porta-malas de quase 500 litros. A mecânica terá o conhecido motor 1.4 TSI de 150 cv e 25,5 mkgf de torque, e o câmbio automático de seis marchas. A tração será dianteira e o Taos vai apostar alto em tecnologias.

Hatch usados a Flex com final da placa 9,0Hyundai/Divulgação

Novo Hyundai Creta

Após a pandemia da Covid-19 atrasar os planos, a Hyundai prepara para o início do 2º semestre o lançamento da nova geração do Creta.

O SUV foi revelado no fim de 2019, na China, e recentemente chegou ao México. Um dos destaques da renovação do utilitário é o design de forte personalidade, que talvez não agrade a todos.

Leia também:  Sedan Renault usados com Ar condicionado

Mas haverá outras boas novidades.

O Creta nacional vai adotar o motor 1.0 turbo flexível da linha HB20, com 120 cv de potência e 17,5 mkgf de torque com etanol. Os câmbios também serão os mesmos, ou seja, manual ou automático de seis marchas. É provável que ao menos uma das atuais opções de motor siga na linha 2022. Hoje, o SUV utiliza o 1.6 16V de 130 cv e o 2.0 16V de 166 cv.

Hatch usados a Flex com final da placa 9,0Kleber Silva/K Design AG

Progetto Fiat 363 (SUV do Argo)

A Fiat está cada vez mais próxima de revelar o seu primeiro SUV nacional. Chamado por enquanto de “Progetto Fiat 363”, o utilitário será revelado em abril, na final do Big Brother Brasil 2021. O modelo inclusive será um dos prêmios do vencedor do reality show. Entretanto, o lançamento do inédito SUV da Fiat ocorrerá apenas no início do 2º semestre.

Feito sobre a plataforma do hatch Argo e do sedã Cronos, o SUV será o responsável por estrear o inédito 1.0 GSE turbo da Stellantis. Este motor será combinado ao novo câmbio do tipo CVT, que será outra novidade da marca italiana. A expectativa é de que o conjunto entregue potência de cerca de 130 cv, e um torque máximo entre 17 mkgf e 19 mkgf.

Hatch usados a Flex com final da placa 9,0Volvo/Divulgação

Volvo XC40 Recharge

A Volvo anunciou recentemente que vai fabricar apenas carros elétricos a partir de 2030. Ou seja, daqui a menos de uma década a montadora sueca não fará mais veículos com motores a diesel ou gasolina. Esta realidade ainda parece distante do Brasil. Entretanto, a marca escandinava vai começar a transição por aqui em agosto com o XC40 Recharge.

O SUV apresentado em 2019 é o primeiro Volvo totalmente elétrico. Sua mecânica reúne dois motores instalados um em cada eixo e capazes de produzir 408 cv, mesma potência das versões T8 híbridas do XC60 e do XC90. As baterias permitem rodar mais de 400 quilômetros com uma carga, e levam 40 minutos para recarregar 80% em estações de carga rápida.

Hatch usados a Flex com final da placa 9,0Kleber Silva/K Design AG/Jornal do Carro

Jeep de 7 lugares

No último trimestre deste ano, a Jeep vai lançar no Brasil um inédito SUV médio de sete lugares. Atualmente em fase de testes de rua, o utilitário ainda não tem nome definido.

Sabe-se apenas que será produzido na fábrica de Goiana, em Pernambuco.

E que nascerá da plataforma Small Wide, arquitetura dos SUVs Renegade e Compass, e da Fiat Toro.

O Jeep de 7 lugares, portanto, será maior que o Compass, mas, ainda assim, ambos vão compartilhar componentes. As portas dianteiras, por exemplo, serão as mesmas, assim como o capô e as caixas de rodas da frente. Por dentro, o painel será quase igual, com acabamento mais chique. O SUV maior também herdará o motor 2.0 turbo diesel atualizado com 203 cv.

Hatch usados a Flex com final da placa 9,0Exeed/Divulgação

Caoa Exeed LX

A Caoa vai lançar no fim deste ano a marca Exeed no mercado brasileiro. Trata-se da divisão de luxo da Chery na China. A montadora pretende inclusive fabricar um modelo da Exeed na unidade de Anápolis, em Goiás. E o mais cotado é o SUV LX, que utiliza a mesma plataforma dos modelos Tiggos 5X e 7, atualmente montados na fábrica do interior goiano.

A despeito do parentesco, o Caoa Exeed LX vai se diferenciar bem dos Chery. O design exterior é mais sofisticado, enquanto a cabine apresenta padrão de acabamento comparável ao de marcas premium. Já a mecânica terá o conjunto do Tiggo 8, com motor 1.6 turbo de injeção direta, 187 cv e 28 mkgf de torque, e câmbio de dupla embreagem e sete marchas.

*Veja abaixo o nosso primeiro teste com o novato Toyota Corolla Cross.

Veja vídeos de testes de carros e motos, lançamentos, panoramas, análises, entrevistas e o que acontece no mundo automotivo em outros países!

Inscrever-se
Hatch usados a Flex com final da placa 9,0

Etios Hatchback | Toyota

Hatch usados a Flex com final da placa 9,0

  • Diseño renovado, mejor que nunca.
  • Máxima seguridad en todas las versiones.
  • Habitabilidad superior, que sólo Etios te puede dar.

Solicitá tu cotización

  • Conocé el Interior
  • Conocé el Exterior

Características

Tu primer Toyota, mejor que nunca

Hatch usados a Flex com final da placa 9,0

Etios incorpora control de estabilidad (VSC) y control de tracción (TRC) en todas sus versiones, que aportan tranquilidad y seguridad a todos los pasajeros.

Hatch usados a Flex com final da placa 9,0

La versión XLS ofrece llantas de aleación diamantadas y faros oscurecidos que le dan una impronta más agresiva y robusta.

Hatch usados a Flex com final da placa 9,0

El motor con sistema Dual VVT-i (doble sincronización variable de válvulas), se asocia a una transmisión manual de 6 marchas en las versiones X y XLS, y la versión automática de 4 marchas solo está disponible en la versión XLS.

Las versiones XLS están equipadas con pantalla táctil de 7”, con conectividad: Apple CarPlay® y Android Auto®.

Con tu Etios, la respuesta es sí a todo

  • (1) Disponible en versiones XLS
    *Disponible sólo por conexión USB. Verificá la compatibilidad de tu modelo con el fabricante
  • (1) Disponible en versiones XLS

Un Toyota siempre es un Toyota

Ver más

  • Te financiamos la compra de tu auto para obtenerlo cuanto antes

¡Nueva App!

Descargá la app, registrate y comenzá la experiencia con KINTO Share.

Ver más

Teste: Hyundai HB20 é o novo hatch 1.0 aspirado mais econômico do Brasil

No HB20 Evolution, só o contorno da grade é cromado Fernando Pires/Quatro Rodas

O roteiro é comum: o jovem recém-alçado à maioridade que passou no vestibular e ganhou dos pais seu primeiro carro zero, um Hyundai HB20.

Desde a mais recente atualização do modelo, há mais de 70% de chances que esse estudante seja presenteado com a configuração 1.0 aspirada, que tem preços mais acessíveis, pacote mais pé no chão e, por isso mesmo, é disparado a que mais vende.

Lanternas traseiras têm pouco efeito de profundidade Fernando Pires/Quatro Rodas

Leia também:  Carros com Volante com regulagem de altura a Flex com final da placa 1,2 Não blindado

Testamos em primeira mão o HB20 Evolution, versão que sozinha responde por 12% dos emplacamentos.

Por R$ 53.790 (mais R$ 950 pela pintura metálica), ela traz um pacote interessante: ESP com assistente de rampas, rodas de liga leve, painel de instrumentos e ar-condicionado com telas digitais, central multimídia de 8 polegadas, direção com ajuste de altura e vidros elétricos um toque e antiesmagamento.

Versão Evoluition já traz central multimídia e ar com tela digital de série Fernando Pires/Quatro Rodas

O acabamento de tecido é simples, mas há faixa de couro sintético macia ao toque no miolo da guarnição das portas dianteiras, além de detalhes de cromo acetinado nas maçanetas internas, painel e console.

O motor é o velho conhecido 1.0 Kappa três-cilindros flex, assim como o câmbio manual de cinco marchas, mas o conjunto foi aprimorado.

Motor Kappa três-cilindros flex estreou no Brasil em 2010 com o Kia Picanto Fernando Pires/Quatro Rodas

Relação de diferencial levemente encurtada; novos anéis de sincronização e garfo seletor, para redução de atrito; adoção de carcaça de transmissão mais leve; substituição da direção hidráulica pela elétrica; aposentadoria do tanquinho de partida a frio.

São mudanças sutis, mas que ajudaram o HB20 1.0 a evoluir de 12,8 para 15 km/l no ciclo de consumo urbano com gasolina, e de 17,2 para 17,8 km/l na simulação rodoviária em nossa pista de testes.

Bancos são revestidos de tecido, mas têm ajuste de altura Fernando Pires/Quatro Rodas

Com giros mais contidos, o novo HB20 1.0 aspirado agora roda a 100 km/h registrando 3.250 rpm, contra 3.500 rpm do antecessor.

Seus dados de consumo urbano superam os de Chevrolet Joy (11,8 km/l), VW Up! (13,5 km/l), VW Polo MPI (12,8 km/l) e Fiat Argo 1.0 (14,6 km/l).

Continua após a publicidade Câmbio manual tem engates precisos, mas longos e duros Fernando Pires/Quatro Rodas

Não à toa, o novo HB20 se tornou o compacto 1.0 aspirado mais econômico em nosso ranking de testes entre modelos atualmente à venda como zero-quilômetro.

Na estrada, ele só perde para o Joy (18,1) e quase empata com o Up! (17,9). E o 0 a 100 km/h é honesto para um 1.0 aspirado.

Rodas são de liga leve aro 15 Fernando Pires/Quatro Rodas

Mas atenção: seus níveis de vibração e ruído do motor são piores que os de Polo e Chevrolet Onix. E o câmbio, embora preciso, tem engates longos e um bocado duros.

Veredicto

O novo HB20 Evolution tem pacote digno e é econômico em nível até surpreendente. Uma boa opção de “primeiro carro”.

Teste – HB20 Evolution 1.0 manual

Aceleração
0 a 100 km/h: 14,4 s
0 a 1.000 m: 35,9 s – 143,7 km/h
Velocidade máxima: 161 km/h*

*Dado de fábrica

Corolla – Toyota

1 Base de preços: Brasília. O Preço público sugerido pode variar de acordo com a tributação e alíquotas específicas de cada Estado.

Preço do veículo sugerido ao público em reais (R$) para pintura sólida, à vista e com frete incluso. Pinturas metálica e perolizada disponíveis com custo adicional.

Preço sujeito a alteração sem aviso prévio, prevalecendo o que estiver em vigor na data do faturamento do veículo.

2 “Na categoria de veículo de passageiros grande, o veículo Corolla Altis, e Altis Premium Híbridos 1.

8L 16V com transmissão CVT possui nota A no Programa Brasileiro de Etiquetagem Veicular (PBEV) entre os veículos da categoria em 2021, apresentando o seguinte consumo – gasolina/urbano: 16,3 km/l; gasolina/estrada: 14,5 km/l; CO2 fóssil não renovável: 84 g/km.

Na categoria de veículo de passageiros grande, os veículos Corolla GLi, XEi, GRS, e Altis Premium 2.

0L 16V com transmissão CVT possuem nota A no Programa Brasileiro de Etiquetagem Veicular (PBEV) entre os veículos da categoria em 2021, apresentando o seguinte consumo – gasolina/urbano: 11,6 km/l; gasolina/estrada: 13,9 km/l; CO2 fóssil não renovável: 107 g/km. Tais valores poderão variar de acordo com os hábitos de condução do motorista e a condição das estradas. Valores da etiqueta obtidos em laboratório.”

3 Disponível nas versões Altis.

4 Novos sistemas de segurança ativos, como o Toyota Safety Sense (TSS), são projetados para auxiliar o motorista; eles não são projetados para substituí-lo, tampouco para substituir os demais itens de segurança, tais como cinto de segurança e airbags.

Em todos os momentos, o motorista deve permanecer no controle integral de seu veículo. O funcionamento do Toyota Safety Sense pode ser afetado, diminuído ou prejudicado devido a fatores externos e a Toyota não é responsável por quaisquer consequências derivadas do uso do sistema.

Disponível nas versões Altis.

5 Além do período de cobertura básica (descrito no Manual do Proprietário), a Toyota do Brasil oferece cobertura diferenciada da garantia, estendida por 36 (trinta e seis) meses, contra defeitos de fabricação e montagem para alguns componentes do sistema híbrido (Bateria Híbrida, Módulo de controle da bateria híbrida, Módulo de controle de energia, Inversor/conversor), totalizando 8 (oito) anos de garantia, desde que realizadas todas as revisões periódicas na rede de concessionárias autorizadas Toyota. O período adicional de cobertura da garantia contra defeitos de fabricação ou montagem de alguns componentes do sistema híbrido é de 8 (oito) anos ou 200.000 (duzentos mil) quilômetros, o que primeiro ocorrer.

6 O veículo Toyota Corolla recebeu nota máxima de cinco estrelas para passageiro adulto e cinco estrelas para passageiro infantil na última avaliação do Latin NCAP, realizada em 2019.

O Corolla ainda recebeu uma certificação especial relacionada a proteção de pedestres em caso de acidentes e ao pacote de segurança TSS™ (Toyota Safety Sense) junto com a plataforma global TNGA, o Latin NCAP Advanced Awards.

Mais informações: www.latinncap.com.

7 A Toyota do Brasil Ltda.

garante seus veículos em condições normais de utilização contra defeitos de fabricação de peças ou de montagem, desde que todas as manutenções (preventivas, corretivas e emergenciais) sejam realizadas na sua rede de concessionárias autorizadas Toyota, por um período total de cobertura básica de 60 (sessenta) meses contados a partir da data de entrega do veículo zero-quilômetro, tendo por destinatário o primeiro proprietário. Essa cobertura aplica-se exclusivamente aos veículos utilizados para fins particulares, cuja emissão da respectiva nota fiscal tenha como destinatário uma pessoa física. Condição de garantia: a cobertura mencionada não será aplicada para veículos utilizados para fins comerciais (locação de veículos, compartilhamento de veículos, táxis, uso por motoristas de aplicativos ou frotistas) ou para veículos cuja nota fiscal tenha como destinatário uma pessoa jurídica. Nesses casos, a garantia ficará limitada ao período de 60 (sessenta) meses ou 100.000 km (cem mil quilômetros), prevalecendo o que primeiro ocorrer.

Leia também:  Picape Toyota Hilux Sw4 com Ar condicionado, Trio eletrico

8 Motor Dynamic Force 2.0L Flex disponível nas versões GLi, XEi, Altis Premium e GR-S. Motor Hybrid Synergy disponível em Altis Hybrid e Altis Hybrid Premium.

9 Para GLi: Bancos com partes revestidas de couro (lateral do assento e lateral do encosto dos bancos dianteiros na direção da porta), partes revestidas de material sintético derivado de PVC (lateral oposta e parte traseira do assento, parte traseira e inferior do encosto e ombro dos bancos dianteiros, laterais dos bancos traseiros e apoios de cabeça dianteiros e traseiros) e partes revestidas de tecido (encosto e assento central dos bancos dianteiros e traseiros). Acabamento interno com revestimento de couro (volante), e partes revestidas de material sintético derivado de PVC (manopla de transmissão, apoio para braços central e portas).
Para XEi, Altis Premium, Altis Hybrid e Altis Hybrid Premium: Bancos com partes revestidas de couro (lateral do assento e lateral do encosto dos bancos dianteiros na direção da porta, parte frontal do assento e encosto dos bancos dianteiros e parte frontal dos bancos traseiros) e partes revestidas de material sintético derivado de PVC (lateral oposta e parte traseira do assento, parte inferior frontal do assento, parte traseira e inferior do encosto e ombro dos bancos dianteiros, laterais dos bancos traseiros e apoios de cabeça dianteiros e traseiros). Acabamento interno com revestimento de couro (volante), e partes revestidas de material sintético derivado de PVC (manopla de transmissão, apoio para braços central e portas).

Volvo XC40 2021: conheça o SUV híbrido de luxo

Os carros elétricos chegaram para ficar. Eles são mais econômicos e limpos. Porém, com a alta dos preços e falta de incentivo, os “carros verdes” não conseguem atingir um alto nível de vendas.

E tem muitos carros interessantes neste segmento. O Volvo XC40 é um deles. Com preços a partir R$ 259.

950, ele traz um interior bastante confortável, segurança para os ocupantes e uma motorização pura

Ao contrário de outras épocas, quando a linha era formada apenas por carros a combustão, a atual gama da Volvo é formada majoritariamente por modelos híbridse 100% elétricos. Além do XC40, outros dois SUVs também estão sendo vendidos pela marca sueca: o XC60 e o XC90.

Foto: Divulgação/Volvo Brasil

O menor possui três configurações diferentes: a de enrada Momentum (a partir de R$ 259.950), a intermediária Inscription (a partir de R$ 286.950) e a top de linha R-Design (a partir de R$ 291.950).

Todos eles usam técnologia Plug-in. Ou seja, ele funciona com um motor a combustão e outro elétrico. O automóvel possui quatro modos de condução: ECO, Confort, Off Road e Dynamic.

Todos eles são acionados pela central multimídia.

Em questão de espaço interno, ele também não decepciona. Sua distância entre-eixos é de 2.702 mm e o porta-malas é de 460 litros.

Motorização

Debaixo do capô, você encontrará um 1.5 turbo gasolina de 180 cv a 5.800 rpm e torque de 27 kgfm de 1.500 rpm. Já o propulsor elétrico pode gerar 82 cv e 16,3 kgfm. Isso significa que juntos, o carro produz 262 cv e 43,3 kgfm de torque.

Segundo a Volvo, ele pode acelerar de 0 a 100 km/h em 7,3 segundos e atingir a velocidade máxima de 205 km/h.

Andando no perímetro urbano, ele pode fazer 24,5 km/l. Já no rodoviário, 22,3 km/l. Caso precise, o condutor pode deixar apenas no modo elétrico e andar por 47 km.

Foto: Divulgação/Volvo Brasil

Para recarregar a bateria, a fabricante recomenda o uso do Wallbox e os eletropostos instalados pela cidades e estradas.

A Volvo foi sempre reconhecida como uma marca que pensa segurança dos ocupantes. Sem falar que seus veículos sempre trouxeram um padrão luxuoso no interior da cabine.

No caso da linha XC40, ela apresenta desde a versão Momentum vários itens que podem proteger vidas. Dentre elas, podemos destacar: o alerta de colisão frontal, sistema de alerta de mudança de faixa, sensor de estacionamento, sistema de proteção contra lesões na coluna cervical, sistema de frenagem automática, cruise control, assistente de partida em subidas, sensor de chuva e entre outros.

Foto: Divulgação/Volvo Brasil

Pensando no conforto do condutor e dos passageiros, o XC40 Momentum já vem com uma lista farta de mimos.

Alguns deles: ar condicionato DualZone, bancos de couro, banco do motorista com regulagem elétrica, partida do motor sem chave e volante revestido em couro.

Para quem gosta de técnologia, o carro vem com uma tela multimídia de nove polegadas, onde é possível emparelhar o seu smartphone por meio do Android Auto e do Apple CarPlay.

Já na Inscription, você encontrará o Blind Spot Information System. Com ele, será mais fácil perceber o que está acontecendo no ponto cego. Além disso, o pacote traz a câmera de ré.

Por fim, a R-Design traz todos os itens da versão anterior e adiciona algumas exclusividades, como por exemplo: assento do motorista com extensão, assentos esportivos R-Design, controle de cruzeiro adaptativo, farósi de neblina em LED, paddle-shifts, sistema digital de leitura de placas de sinalização de velocidade e teto solar panorâmico. Claro, sem esquecer de todos os kits especiais da linha.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*