Carros usados cor Prata com final da placa 7,8

Joseane Oliveira – Ascom Detran – Texto e Foto

Carros usados cor Prata com final da placa 7,8

Após 40 dias de implantação, mais de 36 mil veículos foram emplacados no novo modelo

Você já deve ter visto alguns veículos circulando pela cidade com uma placa diferente.

Novas cores e uma sequência alfanumérica que mistura letras e números ainda podem parecer estranhas para aqueles que estavam acostumados com a placa na cor cinza e definida por 3 letras seguidas de 4 números.

Esse é o novo padrão estabelecido pelo Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) em todo o país, e implantado no Ceará desde o dia 3 de fevereiro de 2020.

A nova placa padrão Mercosul apresenta o fundo branco e uma faixa azul na parte superior, com o nome Brasil ao centro e a bandeira do país à direita. A simbologia do Mercosul aparece na ponta esquerda da mesma faixa. Logo abaixo, vem o QR Code e, na área de fundo branco, a sequência de identificação com um novo padrão, na seguinte ordem: 3 letras, 1 número, 1 letra e 2 números.

Segundo dados do Departamento Estadual de Trânsito do Ceará (Detran-CE), em todo o estado, foram 36.542 emplacados com o novo padrão nos primeiros 40 dias de implantação.

A mudança é obrigatória apenas nos casos de primeiro emplacamento de veículos novos, quando houver transferência do veículo para outro município ou estado, alteração de categoria ou ainda se a placa precisar ser substituída em razão de danos, extravio ou furto.

Entretanto, os proprietários que, voluntariamente, desejam efetuar a troca, já podem fazê-la desde o dia 02 de março, em qualquer posto do Detran-CE.

É natural que esta novidade traga algumas dúvidas para a população, por isso, o Detran-CE preparou uma de série de perguntas e respostas, baseadas nos principais questionamentos que chegaram ao órgão através do seu tele atendimento.

Carros usados cor Prata com final da placa 7,8

Tira-Dúvidas – Placa Mercosul

  • 1) Quando passa a vigorar a nova placa Mercosul?
  • A nova placa veicular entrou em vigor dia 3 de fevereiro de 2020.
  • 2) É obrigatório fazer a troca da placa?
  • A mudança de placa veicular é obrigatória APENAS para as seguintes situações:
    – Primeiro emplacamento de veículos novos
    – Mudança do veículo para outro município ou estado
    – Mudança de categoria (veículo de aluguel, táxis, etc)
  • – Necessidade de substituição da placa em razão de danos, extravio ou furto.

3) Se eu quiser trocar mesmo que não seja obrigatório?

A mudança voluntária já pode ser efetuada, desde o dia 02 de março de 2020. Basta procurar um dos postos de atendimento do Detran-CE.

4) A placa atual (cinza ou demais cores) continua sendo válida?

Sim. Os veículos já emplacados podem permanecer com a mesma placa até o final da vida útil dos mesmos. Só haverá necessidade da troca caso haja mudança para outro município ou estado, de categoria ou em casos de perda, roubo ou extravio.

  1. 5) Existe algum diferencial na nova placa?
  2. Segundo o Denatran, o diferencial da placa padrão Mercosul em relação ao modelo atual são os itens de segurança, como o QR Code, que possibilita a rastreabilidade, dificultando a sua clonagem e falsificação.
  3. 6) A nova placa mostra o nome do município cidade / estado?

Não. O novo modelo não mais exibirá os dados referentes ao município ou estado, por isso, não haverá mais tarjeta. Os veículos que tiverem a Placa Mercosul não mais precisarão fazer a troca de placa caso haja mudança de município/estado.

7) Qual o preço da Nova placa?
As placas veiculares são comercializadas pelas empresas fabricantes/estampadoras credenciadas pelo Detran. No Ceará existem 7 empresas que podem executar este serviço.

Os preços seguem a lógica de mercado e a livre concorrência, portanto, o proprietário poderá buscar a melhor opção entre as empresas credenciadas.

As taxas do Detran relativas aos serviços de emplacamento permanecem as mesmas e custam em média R$170 reais (podem variar de acordo com a necessidade do serviço procurado como mudança de categoria, de município, etc.) Você pode consultar a tabela dos serviços do Detran no site, clicando no link: Informações / Tabelas e Taxas

8) Como faço para efetuar a troca?

– Procure o posto do Detran de sua preferência ou acesse o serviço desejado pelo site:
www.detran.ce.gov.br (em caso de 1 emplacamento e Transferência com mudança de município/estado).

– Efetue o pagamento das Taxas
– Dirija-se ao posto do detran, a sua escolha, e realize a vistoria do veículo
– Após a vistoria, o proprietário receberá o documento do veículo impresso e a autorização para produção da nova placa

  • – Dirija-se a empresa credenciada de sua escolha para produção da nova placa.
  • 9) Já tenho um veículo emplacado, na mudança para placa Mercosul, o número da placa vai mudar?
  • No caso de substituição da Placa Atual (padrão LLLNNNN) (onde L = Letra e N = Número) pela Placa Modelo Padrão Mercosul será adotada a seguinte tabela equiparativa para substituição do segundo caractere numérico pela letra, a fim de que haja uma relação direta entre a antiga e a nova placa:
Placa Antiga Placa Nova
0 A
1 B
2 C
3 D
4 E
5 F
6 G
7 H
8 I
9 J

Ex.: A placa anterior ABC1234 será substituída pela nova placa com o padrão alfanumérico ABC1C34.

10) Como é feita a diferenciação das placas por categoria de veículos?

A diferenciação das placas conforme o uso do veículo será feita através das cores das molduras e dos caracteres. Veículos particulares serão pretos.

Já aqueles destinados a fins comerciais (aluguel ou aprendizagem) terão moldura e caracteres em vermelho.

Veículos diplomáticos seguirão a cor laranja; carros oficiais e de representação receberão a cor azul; veículos especiais (experiência, fabricantes de veículos, peças e implementos), a cor verde, e os carros de colecionadores terão a cor prata.

  • Acompanhe as ações do Governo pelo Whatsapp
Leia também:  Gromadzenie wody w organizmie

Carros usados cor Prata com final da placa 7,8 Carros usados cor Prata com final da placa 7,8 Carros usados cor Prata com final da placa 7,8 

Como se comunicar conosco?

Nossos canais

:: DETRAN-SP :: DEPARTAMENTO ESTADUAL DE TRÂNSITO DE SÃO PAULO

Z7_340S9B1A00JT30A87KV1LA3I52

Clique na opção desejada:

Novo modelo de Placas de Identificação Veicular – PIV
Conforme a legislação federal de trânsito, o novo modelo de Placas de Identificação Veicular – PIV, que segue o padrão estabelecido pelo Mercosul, será exigido a partir de 31 de janeiro de 2020 nos seguintes casos:

  • Registro de veículo 0 km.
  • Mudança de categoria do veículo.
  • Em caso de furto, extravio, roubo ou dano na placa (inclusive dano à tarjeta e rompimento do lacre da placa traseira padrão cinza).
  • Mudança de município ou de Estado.
  • Quando o veículo for reprovado em vistoria veicular nos procedimentos de transferência com observações sobre a placa e/ou lacre (exemplo: placa não refletiva)
  • Necessidade de instalação de placa adicional traseira.

A troca da placa cinza para o padrão Mercosul será permitida de maneira voluntária para veículos que não se enquadrem nas situações acima descritas, também a partir de 31 de janeiro de 2020, porém, o interessado deverá ficar atento para a obrigatoriedade de realização de vistoria veicular e para a emissão de novo documento do veículo (CRV) com os respectivos custos de cada procedimento. Caso não deseje a troca, o proprietário poderá continuar circulando com seu veículo até o sucateamento sem necessidade de substituição para o padrão Mercosul. No novo padrão Mercosul não haverá mais o recolhimento das taxas de emplacamento para o Detran.SP. O valor a ser cobrado pelo novo emplacamento deverá ser consultado nas empresas estampadoras de placas. Consulte aqui as empresas credenciadas pelo Detran.SP.

Características básicas do novo modelo de placas
  • A PIV deve ser revestida, em seu anverso, de película retrorrefletiva, na cor branca com uma faixa na cor azul na margem superior, contendo ao lado esquerdo o logotipo do MERCOSUL, ao lado direito a bandeira do Brasil e ao centro o nome BRASIL.
  • O padrão de estampagem é composto de 07 caracteres alfanuméricos, em alto relevo, na sequência LLLNLNN, com igual espaçamento e combinação aleatória, distribuída e controlada pelo Departamento Nacional de Trânsito (Denatran).
  • O caracter “L” refere-se à letra, e o caracter “N” refere-se ao numeral.

Além disso, o novo modelo de PIV não possuirá lacre. O QR Code (código de barras em formato quadrado) irá substituí-lo.

Cor dos caracteres alfanuméricos do novo modelo de placas
A cor dos caracteres alfanuméricos da PIV será determinada de acordo com o uso dos veículos:  

Vermelha – comercial (aluguel e aprendizagem)
Azul – oficial e representação Dourada – diplomático / consular
Cinza prata – colecionador Verde – especial (experiência / fabricantes de veículos, peças e implementos)
Tabela de conversão dos caracteres alfanuméricos do novo modelo de placas
No caso de substituição da PIV do antigo modelo (padrão LLLNNNN), pela PIV do novo modelo (padrão LLLNLNN), será adotada a seguinte tabela equiparativa, para substituição do antepenúltimo caracter, de número para letra, a fim de que haja uma relação direta entre a antiga e a nova placa:

Exemplo: A placa anterior ABC1234 será substituída pela nova placa com o padrão alfanumérico ABC1C34.

 

A faixa de letras de “A” a “J” será utilizada apenas para a conversão do modelo antigo para o novo de PIV, de forma a permitir a convivência entre ambos os modelos e possibilitar a consulta por ambos os critérios de placas.

Dúvidas frequentes sobre o novo modelo de placas
Em todas as hipóteses, inclusive na perda de placa dianteira. Ademais, informamos que todos os serviços de 2ª via de placas cinza extraviadas/perdidas/danificadas/roubadas requerem a alteração para o modelo Mercosul coma respectiva emissão do Certificado de Registro do Veículo – CRV.

Legislação

Veja a legislação de trânsito.

* Continua com dúvidas ou tem alguma reclamação sobre este assunto?
Complete o formulário abaixo, preenchendo os campos. Relate seu problema detalhadamente e informe a placa ou número do Renavam do veículo. Não se esqueça de deixar seu e-mail e telefone para entrarmos em contato.

Ver mais

Voltar

Realme 7 Pro x LG Velvet: qual é o melhor celular intermediário?

A Realme, a fabricante chinesa criada em 2018, fez sua estreia no mercado brasileiro com o Realme 7 Pro, um celular intermediário com alguns recursos avançados que está saindo por R$ 2.799*. No ano passado, o LG Velvet surgiu como um modelo intermediário com jeitão premium nos testes feitos por Tilt. O modelo está saindo por R$ 2.949*.

Os dois aparelhos são bem parecidos tanto em preço quanto em especificações. Mas há diferenças cruciais que podem influenciar sua escolha. Qual tem a melhor câmera? E o desempenho? Comparamos os dois para você tirar suas conclusões e fazer a melhor escolha na hora da compra.

Comprar Realme 7 ProComprar LG Velvet

ENTENDA AS NOTAS DA REDAÇÃO

  • Tem entrada para fone de ouvido
  • Vem com capinha transparente
  • Bom conjunto de câmeras
  • Carregamento total do celular em 35 minutos
  • Bateria eficiente
  • Leveza
  • Design elegante
  • Tela grande e com boa qualidade de imagem
  • Desbloqueio digital sob a tela não é muito preciso
  • Acabamento em plástico na traseira
  • Apresentou travamentos (atualizações posteriores tornaram celular mais estável)
  • Não tem 5G, só 4G; mas é algo que só terá impacto quando a quinta geração chegar ao Brasil
  • Não tem acesso a 5G
  • Preço de lançamento alto
  • Processador antigo
  • Sem fones de ouvido na caixa

É um bom aparelho intermediário para quem odeia esperar o telefone carregar e com bom hardware. De negativo, fica a falta de 5G (que deve fazer diferença só no futuro, quando o recurso chegar ao Brasil) e os travamentos apresentados, que foram reduzidos com atualizações de software.

O design é elegante e o conjunto de câmeras, mesmo sem inovação, entrega bons resultados. O processador, mesmo sendo antigo, garante um bom desempenho. A ressalva é o preço alto de lançamento e o fato de não permitir acesso a 5G. Mas, quando o valor cair, pode ser um aparelho na disputa entre os melhores intermediários

Lançado nas cores prata e azul, o Realme 7 Pro tem um visual comum se comparado a outros intermediários. Ainda que de plástico, a traseira tem um efeito metálico interessante, mas as três lentes organizadas verticalmente num quadro escuro acabam contrastando com o brilho da parte de trás do aparelho.

Com a proposta de ser minimalista, o LG Velvet é mais agradável aos olhos. Suas lentes são bem mais discretas que as do 7 Pro. Ele vem em três cores: cinza escuro, branco perolado e degradê de amarelo e vermelho, que lembra o pôr-do-sol.

Ambos são aparelhos leves (tem cerca de 180 g) e confortáveis de usar. Por ter uma traseira de vidro, o Velvet pode acabar escorregando da mão, por isso é bom usar a capinha que vem com o aparelho.

Veredito: O design é um dos pontos fortes do LG Velvet. Ele pode ser discreto, mas também extravagante. As câmeras “gota de chuva” são um diferencial entre a maioria dos aparelhos do mercado, inclusive o Realme 7 Pro.

O visor do LG Velvet é um pouco maior do que o do Realme 7 Pro (6,8 contra 6,4 polegadas). Ambos entregam bons níveis de brilho e saturação, mesmo sob sol forte.

Os dois têm a mesma taxa de atualização —a velocidade com que uma imagem é atualizada na tela— de 60 Hz. Os tops de linha do mercado já vêm com o dobro da frequência. Além disso, os dois têm telas com resolução Full HD+, suficiente para assistir a vídeos e jogar.

A principal diferença está na tecnologia por trás dos visores. Enquanto o 7 Pro tem uma tela Amoled, o mesmo painel presente em aparelhos com o dobro do preço, como o Asus Zenfone 7, o LG Velvet vem com tela Oled, inferior em comparação ao modelo da Realme.

Veredito: o Realme 7 Pro leva a melhor apenas pela tecnologia da tela, cuja matriz de luz é superior a do LG Velvet e, por isso, permite a exibição mais fluida de imagens em movimento.

No quesito bateria, o Realme 7 Pro se destaca pelo carregador de 65 W, um dos mais potentes disponíveis no Brasil, que carrega completamente o celular em 35 minutos —a maioria dos carregadores levam menos de uma hora completar a carga do celular. O LG Velvet recarrega via cabo USB-C de 15 W (que vem na caixa) e levou menos de duas horas para completar a carga.

Quanto ao tempo de uso da carga, o Realme 7 Pro aguentou mais de 13 horas no teste de autonomia de Tilt, quando um vídeo HD é rodado em loop até a bateria acabar. No mesmo teste, a bateria do LG Velvet durou 10h30.

O aparelho da Realme tem bateria um pouco mais potente que o LG Velvet (4.500 mAh x 4.300 mAh, respectivamente).

Veredito: Um celular que consome pouca bateria e ainda recarrega rápido é raro no mercado. Por isso, o Realme 7 Pro leva em disparada neste quesito.

Câmeras principais

A traseira do Realme 7 Pro vem com um conjunto de quatro câmeras, sendo a principal de 64 MP. Entre as secundárias têm: 2 MP (macro), 2 MP (profundidade) e 8 MP (ultra-grande angular). Vale a ressalva de que a câmera principal do 7 Pro vem com padrão automático de 16 MP. Para usar os 64 MP é preciso mudar a configuração.

No teste feito por Tilt, as fotos diurnas tiveram excelente qualidade. À noite ou com iluminação menor, a qualidade das imagens foi apenas satisfatória.

Fotos tiradas com o Realme 7 Pro

1 / 9

Ao dar zoom, é possível notar alguns problemas de definição, mas, de modo geral, a qualidade geral da imagem é boa

Guilherme Tagiaroli/Tilt

2 / 9

Imagem tirada no modo macro mostra bons detalhes da folha

Guilherme Tagiaroli/Tilt

3 / 9

Com a lente ultra-grande angular, o sensor de 8 MP dá conta do recado, ainda mais em boas condições de iluminação, como um fim de tarde

Guilherme Tagiaroli/Tilt

4 / 9

O visual da imagem tirada com o Realme 7 Pro é bem bonito, mas o sistema não lidou bem com as luzes dos veículos

Guilherme Tagiaroli/Tilt

5 / 9

Aqui, com a ultra-grande angular, deu para ver o prédio todo do Sesc Pinheiros. É até possível ler as placas do local, mas com uma menos definição

Guilherme Tagiaroli/Tilt

6 / 9

Imagem tirada com o sensor principal do Realme 7 Pro…

Guilherme Tagiaroli/Tilt

7 / 9

…aqui vai uma com o zoom de 5x da câmera. O resultado não é dos melhores, mas dá para ter uma ideia dos detalhes do prédio, ainda que a definição não seja das melhores

Guilherme Tagiaroli/Tilt

8 / 9

Foto tirada a noite com o Realme 7 Pro. As grades e a grama em primeiro plano estão com uma boa definição, enquanto só é possível ver a silhueta dos prédios em segundo plano

Guilherme Tagiaroli/Tilt

9 / 9

Com boa iluminação, o Realme 7 Pro tira ótimas fotos

Guilherme Tagiaroli/Tilt

Já o Velvet conta com três câmeras, sendo a principal de 48 MP, algo já obsoleto entre aparelhos intermediários atuais. As secundárias são: 8 MP (ultra-grande angular) —com campo de visão de 120° (no geral, as câmeras captam apenas 80°), 5 MP (profundidade). Ambos pecam nos seus modos de zoom.

LG Velvet: confira fotos feitas com o celular

1 / 9

Foto do céu com a câmera principal

Renata Baptista/Tilt

2 / 9

Foto do céu com a grande angular

Renata Baptista/Tilt

3 / 9

Renata Baptista/Tilt

4 / 9

Foto com luz natural com modo retrato acionado

Renata Baptista/Tilt

5 / 9

Foto do céu sem modo noturno

Renata Baptista/Tilt

6 / 9

Foto do céu com modo noturno

Renata Baptista/Tilt

7 / 9

Foto com câmera principal em local de pouca luminosidade

Renata Baptista/Tilt

8 / 9

Renata Baptista/Tilt

9 / 9

Selfie com luz artificial

Renata Baptista/Tilt

Veredito: O conjunto de câmeras traseiras do smartphone chinês consegue entregar imagens melhores e com maior resolução do que as do sul-coreano.

Câmera frontal

A câmera frontal do 7 Pro tem resolução de 32 MP, mas é preciso configurar o aparelho para isso, já o padrão automático tira selfies em 8 MP. O aparelho da Realme entrega boas fotos mesmo em ambientes escuros.

As fotos à noite, entretanto, são a principal falha da câmera frontal de 16 MP do Velvet. As imagens ficam boas, mas perdem muita nitidez.

Veredito: O sensor frontal do Realme 7 Pro entrega o dobro de megapixels em comparação à câmera do concorrente, por isso leva a melhor aqui.

Os dois aparelhos se apresentam como boas opções para gamers que não estão dispostos a pagar caro por um top de linha. O Realme 7 Pro vem com um processador Snapdragon 720G, enquanto o LG Velvet tem um Snapdragon 845 instalado, que é um pouco mais antigo em relação aos usados por outros concorrentes.

Realme 7 Pro apresentou alguns engasgos em jogos durante o teste. Além disso, alguns apps também foram fechados do nada durante o uso. Atualizações feitas no sistema parecem ter resolvido parte do problema.

No site AnTuTu, que compara desempenhos, o Realme 7 Pro aparece na posição 68ª do ranking de performance de aparelhos Androids, já o Velvet não figura nem entre os top 100.

Veredito: O processador do LG Velvet está prestes a se tornar obsoleto, mas os engasgos do chip mais novos do Realme 7 Pro decepcionaram um pouco. Mas como esse último se posicionou melhor no AnTuTu, votamos no Realme.

Uma ausência sentida em ambos os aparelhos é o 5G. Ainda que a tecnologia não esteja disponível no Brasil no momento, pode torná-los obsoletos assim que a rede estiver ao nosso alcance.

Eles também seguem o padrão de alguns smartphones atuais e não vêm com fone de ouvido na caixinha. Uma terceira semelhança entre os dois é o reconhecimento de digitais sob o visor.

Assim como os modelos Xiaomi, o Realme 7 Pro também conta com uma interface própria, o Realme UI, que é bem simples de usar. Já a da LG é um pouco mais próxima de quem usa modelos Samsung.

Uma pequena vantagem do Velvet é ser compatível com um acessório que adiciona uma segunda tela, como o que vem na caixinha do LG G8X —nada muito útil, mas pode agradar alguns; contamos nossa experiência aqui.

Veredito: Os dois pecam ao não trazer recursos de destaque e não vêm com fones de ouvido. Mas a compatibilidade com o acessório de segunda tela deu um pontinho pro Velvet.

Resultado

O Realme 7 Pro e o LG Velvet são celulares bem parecidos tecnicamente, as diferenças são bem sutis e não afetam drasticamente a experiência do consumidor casual.

Esteticamente, o modelo da LG supera o concorrente chinês, por possuir modelos discretos ou extravagantes. O Realme 7 Pro até é visualmente agradável, mas o fato de ter o tampo de plástico dá a impressão que faltou capricho no acabamento.

Os dois também são boas opções para quem busca boa bateria, com destaque para o modelo chinês com sua recarga rápida.

O 5G é uma ausência sentida se você deseja comprar um aparelho que dure alguns anos. Vale pagar quase R$ 3.000 num smartphone que ainda não dispõe dessa tecnologia? Se isso realmente te incomodar, vale dar uma olhada nos concorrentes Mi 10 e Galaxy A32.

* Preços pesquisados em 23 de março de 2021. Para efeitos de comparação, usamos os valores do celular oferecidos pelas lojas oficiais da Realme e da LG. Não foram considerados outros descontos ou promoções de pré-venda.

O UOL pode receber uma parcela das vendas pelos links recomendados neste conteúdo. Preços e ofertas da loja não influenciam os critérios de escolha editorial.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*