Browsing articles tagged with " sonhos"

16ª Feira de Artes Santa Tereza: Cultura e Justiça Social

Nov 19, 2015   //   by Jean Mello   //   Artigos, Blog, Crônicas, Eventos, Imagens  //  No Comments

Estarei presente nesse evento divulgando e comercializando os livros de minha autoria e alguns títulos publicados pela editora Kazuá.

Embu das Artes.jpg Feira

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • Digg
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

Feira Literária Marginal Periférica Independente

Nov 9, 2015   //   by Jean Mello   //   Artigos, Blog, Crônicas, Imagens  //  No Comments

Cartaz Press

O lançamento de dois livros nesse ano de 2015 me fez receber inúmeros convites para participar de feiras de livros. Não apenas para expor os exemplares, mas para dialogar com o público, falar da concepção das duas publicações e de como é viver como escritor no Brasil.

Todos os convites são especiais, com significações simbólicas diferentes, diversas. Geralmente pelas temáticas dos eventos, pelas pessoas que estarão presentes compondo as palestras e as programações artísticas, como os shows, por exemplo.

Ser chamado para participar de algo que terá Nei Lopes e Fabiana Cozza se apresentando não tem preço.

O engraçado é que as peças se encaixam. Um dos livros que vou lançar nesse evento, Fim de Tarde, tem uma crônica chamada “O que direi aos meus filhos?”, que escrevi após ler o livro O racismo explicado aos meus filhos, de autoria de Nei Lopes.

Nem preciso discorrer sobre a importância de fazer parte desse momento. Quero te convidar. Vamos?

Endereço: Avenida São João, 473 – Centro, São Paulo – SP.

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • Digg
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

Tempo em que ainda dá tempo de mudar

Feb 23, 2015   //   by Jean Mello   //   Artigos, Blog, Crônicas, Imagens, Vídeos  //  No Comments

Miragem Criador

Acredito, as pessoas não são más, estão perdidas. Também não posso negar, perdição gerando maldade. Relativizar não é o caminho. Simples, imaginamos mesmo, disso tenho certeza, não quero te ver triste assim não. Muitas devem ser as músicas para te trazer amor.

Penso, como compositor, que quando uma criação dessa vem à tona, estava no interior faz tempo, na alma. Não no porão da Psiquê (personificação da alma). Tá, algo citado nesse parágrafo já foi representado faz tempo, Metamorfose Ambulante.

Não tenho direito de fugir do foco. Ainda dá tempo de percebermos que muito precisamos fazer, nos falta pouco tempo para recuperarmos o lado belo de ser humano.

Esse Rap é Humanista. Compare as letras com algumas afirmações de Carl Rogers e verá. Recomendo um dos mais conhecidos, Tornar-se Pessoa.

Pode estender sua busca – também – ao existencialismo de Jean Paul Sartre. Sem medo de errar, a riqueza do conteúdo faz interlocução com alguns livros que li.

Mas aqui não escrevo para disparar uma metralhadora de citações. Apenas ouça a mensagem, compare com a realidade que está diante de seus olhos, mas não se esqueça de fazer ligação com outras linguagens de conhecimentos, profundo.

Ainda dá tempo. Tempo em que ainda temos de tempo de transformações internas e, por consequência, coletivas.

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • Digg
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

Metáforas reais e imaginárias!

Feb 18, 2015   //   by Jean Mello   //   Artigos, Blog, Crônicas, Músicas  //  No Comments

metafora-visual-01

Seria fraco alguém que coloca para fora os sentimentos e as emoções?

Insensível é quem faz questão de não ouvir?

Livre é quem fala aquilo que pensa?

Liberdade é a abertura plena para um caminho de responsabilidade?

Palavras ponderadas ditas nos momentos corretos. Gente escorregando nos desígnios desenfreados da vida.

Buracos abertos nas riquezas da existência ou dos sofrimentos.

Seu coração está em prantos? Em qual tempo vai cuidar de você?

Pra qual lugar foi a confiança em você mesmo?

Novas filosofias… Pensamentos de dentro que resolvi colocá-los para fora.

O que chega antes, os pensamentos ou as certezas?

Quais são as leis não ditas, mas entendidas por todos?

Em que tempo você vive?

Passado, presente, futuro ou um que nunca existiu?

No princípio era apenas o Verbo?

Existiu algum tempo antes do Princípio?

Será que estamos perto do Fim?

Aflita está sua alma? Pouco espaço sobrou para os diálogos. Antes eles eram abafados pela ânsia do porvir. Agora então…

Quando não se olha tanto os defeitos os avanços vitais são maiores.

Perdemos muito tempo nos lamaçais, lugares parecidos com areias movediças. Caminham, caminham, sem chances de sair do lugar, afundando nas incertezas disfarçadas de convicções.

Anjo Caído com face de Anjo de Luz.

Mitologias antigas mais que presentes na atualidade.

Irmãos contra irmãos, técnicas avançadas de colonizadores.

Trevas em forma de luz. Nem sabemos mais o que é real ou mentira.

Nunca pensei que o imaginário seria a mais pura realidade. Diante de nossos olhos! Sempre esteve perto e ao mesmo tempo longe.

Metáforas reais e imaginárias. Metáforas de todos os dias. Passado remoto ou imemorial. Metáforas também dos meus dias!

PS – Minha trilha sonora para esse escrito foi um som de Black Alien. Na segunda vinda.

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • Digg
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

Ao som de Tupac Shakur finalizo 2014!

Dec 24, 2014   //   by Jean Mello   //   Artigos, Blog, Crônicas, Músicas, Podcast, Poesias, Vídeos  //  No Comments

Tupac

Quem diria que meu ano terminaria ao som de Tupac Shakur. Aqui, correndo para o abraço!

Quem me viu no começo de 2014…  Nem na melhor das hipóteses apostaria que o final seria assim…  Não apenas o final, mas o desenvolvimento de tudo.

Esse foi o ano que lancei um CD completo, Olhos Abertos.

Milhares de downloads e algumas cópias físicas rolando por aí. Para quem faz um trabalho independente mesclando música, espiritualidade e poesia, está de bom tamanho. De quebra, um clipe. Uma parceria oferecida pela Eureca Vídeo!

Foi o ano que compartilhei as histórias das minhas composições. Uma por uma, das músicas presentes no disco.

Ano em que publiquei muitos textos simples, versões originais de minhas músicas, todas em vídeos caseiros ou Podcasts.

Metáforas dos meus dias, crônicas poéticas sobre Sampa, novas tecnologias e liquidez nas relações. Claro que ultrapassa, porém foram minhas primeiras motivações. Algo bacana nessa série de textos é que, além dos conteúdos escritos, têm imagens que tirei de meu celular mesmo, olhar pessoal da realidade que me cerca.

Isso o que destaquei… Mas se navegar por esse site verá uma infinidade de outras coisas.

Que venha 2015! Novos desafios…

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • Digg
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

Metáforas tecnológicas e um pouco de Sampa!

Nov 19, 2014   //   by Jean Mello   //   Artigos, Blog, Imagens  //  No Comments

 

São Paulo em tons de solidão: ilustração gentilmente cedida por Anthony Mazza
São Paulo em tons de solidão: ilustração gentilmente cedida por Anthony Mazza

 

As dores do silêncio também se traduzem em dores intangíveis, inimagináveis.

Gente perdida e se achando! Esperançosos e vivos… Encontrando-se e vivendo, ao mesmo tempo, sonhos e pesadelos.

Muita gente também insistindo em ler o real, sem sombras inverídicas de sonhos distintos.

Nas cidades super populosas não falta quem se aliançou com a solidão. Plenos, presos, soltos, livres, em silêncio, repletos de sorrisos, mas compostos de plenitude e dor.

Diferente sociedade, quando comparada aos tempos não tão remotos. Tudo mudou em tão pouco tempo.

Conhecimentos aos montes ao alcance de nossas mãos. Será que desfrutamos?

Novas tecnologias para aproximar as pessoas. Será que elas contribuíram realmente para solidez de uma modernidade que já é líquida?

Registros sociais em tempo real utilizando apenas um celular.

Pela tela dá para ver e, às vezes, até sentir as emoções. Mas também é distância, em muitas situações até inconstância vital.

Sonhos não perdidos do contato simplesmente humano.

Rede social de verdade é aquela que comemos com os amigos!

Saindo nas ruas sei que gosto da cidade, do tumulto, de gente.

Sei que a metrópole não é tão acolhedora quanto gostaria. Mesmo assim sei, e como sei, hoje essa é completa metáfora dos meus passos, dos nossos passos, plena humanidade.

PS – Projeto metáfora dos meus dias está contando, à partir desse texto, com ilustrações personalizadas, identidade única. Confira mais detalhes do trabalho de Anthony Mazza.

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • Digg
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

Espera (violão e voz) – Jean Mello

Oct 27, 2014   //   by Jean Mello   //   Artigos, Blog, Músicas, Vídeos  //  No Comments

Pode ser até repetitivo para quem acompanha esse veículo desde o começo. Já postei essa música em diferentes momentos de minha caminhada. Não é um som apenas para cristãos. Letra para quem deseja – ao menos – se deparar com questões existenciais enfrentadas por todo ser humano que se propõe a pensar. Mais uma vez buscando simplicidade em compartilhar o que é meu e, quando disponibilizo, passa a ser todos acessantes.

 

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • Digg
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS
Páginas:«123»

Colabore

Licença Creative Commons
Este obra foi licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 2.5 Brasil.