Browsing articles tagged with " Poesia"

Sobre “Fim de tarde” de Jean Mello

Oct 13, 2016   //   by Jean Mello   //   Artigos, Blog, Crônicas  //  No Comments

Por Cintia Machado

Fim de Tarde

O que está oculto entre o dia que ilumina e a noite que termina? Alguns retratos de acontecimentos, de sonhos, desejos e sofrimentos. Leia mais >>

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • Digg
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

Antítese do Mito da Caverna

Oct 12, 2016   //   by Jean Mello   //   Artigos, Blog, Contos, Crônicas, Poesias  //  No Comments

coruja

 

a toca da coruja

é a antítese do Mito da Caverna Leia mais >>

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • Digg
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

Promoção de inauguração da Livraria Virtual Inspirando Sonhos…

Jan 21, 2016   //   by Jean Mello   //   Artigos, Blog, Crônicas  //  No Comments

Fim de Tarde - Capa

Concorra ao meu livro mais recente, “Fim de Tarde”. Como autor, minha principal inspiração foi, dia após dia, ver o sol se esconder e, junto com isso, presenciar algum fenômeno tão belo quanto esse a minha volta: músicos de rua se apresentando na Avenida Paulista; uma mãe incentivando seu pequeno filho a ler; os professores que lutam para educar em escolas com estrutura precária e sem nenhum incentivo do poder público; as famílias periféricas remando contra maré. Tudo isso me inspira.

E você? O que te inspira?

Para participar da promoção poste a resposta por comentário no Facebook e compartilhe a postagem divulgando essa promoção. A resposta mais criativa vai levar o livro “Fim de Tarde”, de minha autoria. O resultado será divulgado, em meu site e na fanpage da Livraria Virtual Inspirando Sonhos, no domingo (24/01/2015), às 22:00 horas. Participe!

‪#‎oqueteinspira‬

http://inspirandosonhos.com/

 

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • Digg
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

Existe algo mais poético que a lua?

Jan 3, 2016   //   by Jean Mello   //   Artigos, Blog, Crônicas  //  No Comments

Manifeste-se

Sarau de Lua Cheia… Microfone aberto, alma livre, ambiente inspirador.

Paisagens, muitas fascinantes, outras, apesar de belas, já naturalizadas. Estou acostumado a escrever sobre o sol, principalmente do que ele transmite quando nasce ou se esconde. Mas existe algo mais poético do que a lua?

São metáforas que se apresentam das formas mais inusitadas, exalando simplicidade e complexidades existenciais, de humanidade, não tão bem observadas por nós que somos chamados de racionais.

Mergulhados em avanços tecnológicos. Aplicativos para todos os gostos e necessidades imediatas, ou imediatistas, são criados todos os dias por equipes geniais. Milhões de pessoas em redes sociais, conectados diariamente por intermédio de uma comunicação rápida, voraz e, dependendo de quem acessa, líquida. Ainda falta poesia em nossas veias.

Não estou em um pedestal de verdades inquestionáveis, são apenas reflexões de um cronista poético, vivo, mais que nunca, em um tempo em que as pessoas não se olham no olho, a não ser por intermédio das telas.

Leitura do Livro

Em 2015 estive em lugares especiais, com pessoas muito sábias. Em um desses ambientes poéticos, fui convidado a participar do Sarau de Lua Cheia em São Caetano do Sul. Pela forma que fui chamado já sabia que seria um marco em minha recente carreira como escritor. Mas não sabia que seria tanto.

Na Estação Brasil – Casa de Arte e Cultura acontece, uma vez por mês, o sarau. Simplesmente apaixonante. Microfone aberto para manifestações artísticas. Eu com meus poemas, Nei Nascimento com a música.

Crianças

Algo que me chamou atenção, e que falei insistentemente, até de maneira chata, foi a presença de famílias. Crianças, adolescentes e adultos. Não apenas uma faixa etária. Liberdade, crianças correndo enquanto os adultos recitavam poemas ou cantavam Clássicos da Música Popular Brasileira. Abrimos e fechamos o sarau com a música do MPB4, A Lua.

Pretendo participar de outras edições. A próxima vai acontecer no dia 23 de janeiro, perto de meu aniversário. Quero te convidar. Vamos?

 

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • Digg
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

No sarau do Suburbano encontrei força poética…

Dec 19, 2015   //   by Jean Mello   //   Artigos, Blog, Crônicas  //  2 Comments

Circulando pelos becos centrais de Sampa. Andando, como cronista de um tempo bom para disseminar palavras de conscientização poética, mesmo que para alguns sejam ácidas. “Um bom lugar se constrói com humildade”, já dizia o grande mestre Sabotage.

Foi assim que fiquei sabendo da Feira Literária Marginal Periférica Independente, que aconteceu na Galeria Olido no dia 12 e 13 de novembro desse ano de 2015.

Foto: Marilda Borges

Foto: Marilda Borges

Nessa oportunidade lancei dois livros, ao mesmo tempo, como é de conhecimento de quem acompanha esse blog que completa sete anos de existência. Comemoro com poesia, vida, sonhos alcançados, com alicerces sólidos dos clássicos de filosofia e o firmamento dos escritores contemporâneos em minha prateleira, alma e, porque não dizer, espírito.

Nesses dias em que na São Bento encontrei tanta gente boa, que Alessandro Buzo, escritor, com 12 livros publicados, me convidou para lançar o meu título mais recente, “Fim de Tarde”, no Sarau do Suburbano Convicto. Aceitei de pronto.

Praticamente um mês se passou. No dia 15 de dezembro fui concentrado em direção ao Bixiga. Tinha de chegar no número 70 da rua 13 de maio.

Antes do horário combinado cheguei. Nesse mesmo dia tinha mais um lançamento previsto. Walter Limonada, junto com o Hans Freudenthal, Haikais com Limonada é o título da obra.

Não demorou muito, os poetas foram amontoando. Gente de todos extremos da cidade, com suas ideias e protestos na ponta da língua, registrados no papel ou em dispositivos móveis. Antes das poesias serem recitadas, aos montes, falei de como foi concebido o livro “Fim de Tarde” e um pouco de minha trajetória como educador.

Recitei uma música minha chamada “Palavras”. Essa você encontra de graça em meu primeiro álbum chamado “Olhos Abertos”. Lá eu queria mais ouvir que falar.

Tantas poesias belas, realistas, falando do quanto as quebradas são oprimidas todos os dias pelas injustiças de muitos poderosos que não estão nem aí para o povo e, tampouco, para a vida dos periféricos, principalmente quando são pretos e pobres.

Quilombo cultural, resistência poética. Rola toda terça o sarau do Suburbano. Em 2016, volta à partir de 19 de janeiro. Você lá vai encontrar uma livraria especializada em literatura, que muitos rotulam como marginal.

Especial foi lançar meu livro nesse espaço. Melhor ainda foi conhecer tanta gente boa. Agradecimentos tenho muitos. Não citarei todas as pessoas porque não caberia nesse texto.

Sou escritor, participo de coletivos de poetas e ativistas culturais, gente que faz a diferença.

“Ainda exalando esperança, lógico que sem a inocência de achar que todas as pessoas querem realmente um mundo melhor.”

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • Digg
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

Sarau do Vinil – Edição de Dezembro

Dec 11, 2015   //   by Jean Mello   //   Artigos, Blog, Crônicas, Dicas de Livros, Publicações  //  No Comments

Sarau do Vinil

Tenho em mim todos os sonhos do mundo.
Fernando Pessoa

Especial não por ser o último sarau que vou participar nesse ano, soltando rojões por conta da densa trajetória percorrida com um livro tão recente, “Fim de Tarde”. Visceral… Assim descrevo o Sarau do Vinil.

Nem precisa de esforço para desenvolver escrita livre sobre algo que está na alma. Não apenas para te convidar. Mas porque, simplesmente, ser chamado para falar de metáforas dos meus dias, periféricas, centrais, quebradas ou inteiras, é a razão principal pela qual escolhi ser cronista poético.

Não mais com crônicas perdidas, foram achadas. Espalhando sementes, esperança. Aos poucos encontro parceiros, gente como eu, que dá asas às utopias comuns e incomuns.

Se planejei nesse ano publicar dois livros, sendo que um já está esgotado? Em partes… Um processo editorial pode ser bem elaborado, arquitetado, planejado. Agora, as reações das pessoas não. Mais que feliz… Apesar de todas as dificuldades já conhecidas encaradas por todos ativistas culturais. Claro, todo brasileiro.

Quero agradecer toda galera que organiza o sarau, especialmente a Alê.

Vou deixar cada leitor com as palavras ditas não por mim, mas pela equipe que faz o Sarau do Vinil acontecer.

Você vai colar com sua poesia?

Salve, família!!!

Nossa edição de dezembro vai dar samba… na vitrola, nossa homenagem aos 50 anos de carreira da diva Beth Carvalho, e os 40 anos da musa Leci Brandão.

A expo vai ficar por conta do cartunista, artista, poeta, figuraça: Nelson Catenee, que promete pincelar na hora e ao vivo as nossas emoções.

Jean Mello acabou de parir mais um livro e vai nos contar tudo sobre o seu “Fim de Tarde”. Escritor aqui da quebrada, nossa voz!

E pra fechar, nosso parceiro Márcio Rodrigues vai comandar a roda de samba que vai ser aberta, como os mics, as mentes e os corações. Traga seu instrumento, ou venha batucar os nossos… bora fazer barulho, dando cadência e sentido pro nosso samba!
Durante a nossa festa a galera da Deeanto Brasil vai montar uma loja bem massa com artigos de vestuário cheios de imponência e empoderamento preto!

Se vc não é ruim da cabeça, nem doente do pé, cola aí!

“Mas o meu nome vai ficando pela madrugada
Que eu tenho um samba e outro pra cada emoção
Poeta que é poeta não perde a parada
O que vem é festa pro meu coração”
(Paulo César Pinheiro)

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • Digg
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

Auri Verde Chácara – Sarau

Nov 24, 2015   //   by Jean Mello   //   Artigos, Blog, Crônicas, Músicas  //  No Comments

Auri

Essa ONG chamo carinhosamente de Auri. São amigos, parceiros de um ano de muitas conquistas. Sim… Estarei divulgando e vendendo meus livros nesse evento. Para muitos esse lugar é longe, mas vale à pena. Posso contar com sua presença?

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • Digg
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS
Páginas:«123456789»

Colabore

Licença Creative Commons
Este obra foi licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 2.5 Brasil.